Ipiranga 2011

1.229 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.229
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
201
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ipiranga 2011

  1. 2. RUY HIZATUGU EDUARDO FREGNANI GUSTAVO MENEGHINE MARCO MONTEZUMA THIAGO PERRELLI FERNANDA MARTINS GABRIEL CADASTRO PREPARO TRIDIMENSIONAL DO SISTEMA DE CANAIS RADICULARES
  2. 3. 2 LIMITES APICAIS 1 INFECÇÃO 3 PRINCÍPIOS BÁSICOS 4 TÉCNICA
  3. 4. 3 2 LIMITES APICAIS INFECÇÃO PRINCÍPIOS BÁSICOS 4 TÉCNICA 1
  4. 5. 1 INFECÇÃO
  5. 6. INFECÇÃO INFECÇÃO <ul><li>KAKEHASHI et al., 1965. </li></ul><ul><li>SUNDQVIST, 1976. </li></ul>MÖLLER et al., 1981.
  6. 11. Gunnar Bergernholtz 2003
  7. 12. 2 LIMITES APICAIS INFECÇÃO 3 PRINCÍPIOS BÁSICOS 4 TÉCNICA 1
  8. 13. 2 LIMITES APICAIS
  9. 14. c L IMITES APICAIS
  10. 15. Fig.1 46x
  11. 16. Gunnar Bergernholtz 2003
  12. 17. 3 2 LIMITES APICAIS INFECÇÃO PRINCÍPIOS BÁSICOS 4 TÉCNICA 1
  13. 18. 3 PRINCÍPIOS BÁSICOS
  14. 19. 3 PRINCÍPIOS BÁSICOS <ul><li>DOMÍNIO DA ANATOMIA </li></ul><ul><li>CONTROLE DA INFECÇCÃO </li></ul><ul><li>BLINDAGEM </li></ul>
  15. 26. Kazuzo Okino H. Bassi R. Hizatugu Alex Otani Marko Nishioka Eduardo Kado Gustavo Meneghine Edson Miyaski Sidney Komatsu
  16. 28. 4 2 LIMITES APICAIS 1 INFECÇÃO 3 PRINCÍPIOS BÁSICOS TÉCNICA
  17. 29. 4 TÉCNICA
  18. 30. Princípios Mecânicos da Limpeza e Modelagem Schilder H, 1974
  19. 31. 1 2 3 4 5 P ROMOVER A L IMPEZA NO S ENTIDO C ÉRVICO- A PICAL D ESENVOLVER UM P REPARO C ÔNICO M ANTER A P ATÊNCIA DO C ANAL, F ORAME E T ÚBULOS E VITAR O T RANSPORTE DO F ORAME M ANTER O F ORAME COM O M ENOR D IÂMETRO P OSSÍVEL
  20. 32. 1 2 3 4 5 P ROMOVER A L IMPEZA NO S ENTIDO C ÉRVICO- A PICAL D ESENVOLVER UM P REPARO C ÔNICO M ANTER A P ATÊNCIA DO C ANAL, F ORAME E T ÚBULOS E VITAR O T RANSPORTE DO F ORAME M ANTER O F ORAME COM O M ENOR D IÂMETRO P OSSÍVEL <ul><li>M AIOR N º DE B ACTÉRIAS NA R EGIÃO C ERVICAL </li></ul>
  21. 34. 1 2 3 4 5 P ROMOVER A L IMPEZA NO S ENTIDO C ÉRVICO- A PICAL D ESENVOLVER UM P REPARO C ÔNICO M ANTER A P ATÊNCIA DO C ANAL, F ORAME E T ÚBULOS E VITAR O T RANSPORTE DO F ORAME M ANTER O F ORAME COM O M ENOR D IÂMETRO P OSSÍVEL <ul><li>D IMINUI A E XTRUSÃO DE M ICRORGANISMOS </li></ul>
  22. 35. 1 2 3 4 5 P ROMOVER A L IMPEZA NO S ENTIDO C ÉRVICO- A PICAL D ESENVOLVER UM P REPARO C ÔNICO M ANTER A P ATÊNCIA DO C ANAL, F ORAME E T ÚBULOS E VITAR O T RANSPORTE DO F ORAME M ANTER O F ORAME COM O M ENOR D IÂMETRO P OSSÍVEL
  23. 37. 1 2 3 4 5 P ROMOVER A L IMPEZA NO S ENTIDO C ÉRVICO- A PICAL D ESENVOLVER UM P REPARO C ÔNICO M ANTER A P ATÊNCIA DO C ANAL, F ORAME E T ÚBULOS E VITAR O T RANSPORTE DO F ORAME M ANTER O F ORAME COM O M ENOR D IÂMETRO P OSSÍVEL <ul><li>D IMINUI A T ENSÃO S OBRE A L IMA </li></ul>
  24. 38. 1 2 3 4 5 P ROMOVER A L IMPEZA NO S ENTIDO C ÉRVICO- A PICAL D ESENVOLVER UM P REPARO C ÔNICO M ANTER A P ATÊNCIA DO C ANAL, F ORAME E T ÚBULOS E VITAR O T RANSPORTE DO F ORAME M ANTER O F ORAME COM O M ENOR D IÂMETRO P OSSÍVEL <ul><li>D IMINUI A T ENSÃO S OBRE A L IMA </li></ul>
  25. 39. 1 2 3 4 5 P ROMOVER A L IMPEZA NO S ENTIDO C ÉRVICO- A PICAL D ESENVOLVER UM P REPARO C ÔNICO M ANTER A P ATÊNCIA DO C ANAL, F ORAME E T ÚBULOS E VITAR O T RANSPORTE DO F ORAME M ANTER O F ORAME COM O M ENOR D IÂMETRO P OSSÍVEL <ul><li>M ELHOR I RRIGAÇÃO </li></ul>
  26. 40. 1 2 3 4 5 P ROMOVER A L IMPEZA NO S ENTIDO C ÉRVICO- A PICAL D ESENVOLVER UM P REPARO C ÔNICO M ANTER A P ATÊNCIA DO C ANAL, F ORAME E T ÚBULOS E VITAR O T RANSPORTE DO F ORAME M ANTER O F ORAME COM O M ENOR D IÂMETRO P OSSÍVEL <ul><li>A CESSO ÀS B ACTÉRIAS </li></ul>
  27. 41. 1 2 3 4 5 P ROMOVER A L IMPEZA NO S ENTIDO C ÉRVICO- A PICAL D ESENVOLVER UM P REPARO C ÔNICO M ANTER A P ATÊNCIA DO C ANAL, F ORAME E T ÚBULOS E VITAR O T RANSPORTE DO F ORAME M ANTER O F ORAME COM O M ENOR D IÂMETRO P OSSÍVEL <ul><li>M ENOR I NFILTRAÇÃO </li></ul>
  28. 42. 1 2 3 4 P ROMOVER A L IMPEZA NO S ENTIDO C ÉRVICO- A PICAL D ESENVOLVER UM P REPARO C ÔNICO M ANTER A P ATÊNCIA DO C ANAL, F ORAME E T ÚBULOS M ANTER O F ORAME COM O M ENOR D IÂMETRO P OSSÍVEL E VITAR O T RANSPORTE DO F ORAME 5 <ul><li>M ELHOR Q UALIDADE DA O BTURAÇÃO 3-D </li></ul>
  29. 43. 1 2 3 4 5 P ROMOVER A L IMPEZA NO S ENTIDO C ÉRVICO- A PICAL D ESENVOLVER UM P REPARO C ÔNICO M ANTER A P ATÊNCIA DO C ANAL, F ORAME E T ÚBULOS E VITAR O T RANSPORTE DO F ORAME M ANTER O F ORAME COM O M ENOR D IÂMETRO P OSSÍVEL <ul><li>MANUTENÇÃO DA TRAJETÓRIA ORIGINAL DO CANAL </li></ul>canal desvio
  30. 44. ZONA CRÍTICA APICAL
  31. 45. TÉCNICA PRINCÍPIOS &
  32. 46. Técnica Hibrida GT + Limas K + Brocas de Gates
  33. 47. D 0 D 16 #15 TIP (D 0 ) = .15  D 16 = 0,47 mm Ø #20 TIP (D 0 ) = .20  D 16 = 0,52 mm Ø #25 TIP (D 0 ) = .25  D 16 = 0,57 mm Ø #15 D 0 = 0,15 mm de Ø ou TIP = .15 #20 D 0 = 0,20 mm de Ø ou TIP = .20 #25 D 0 = 0,25 mm de Ø ou TIP = .25 D 0 TIP TAPER 1 mm D1 + 0,02 mm 16 mm
  34. 48. LIMITE INSTRUMENTAÇÃO OBTURAÇÃO
  35. 49. Ápice anatômico Forame anatômico Ápice radiográfico Forame radiográfico
  36. 50. Forame Ápice CDC Kuttler, 1970
  37. 51. c L IMITES APICAIS Izu et al. J Endod. 2004 Alabama Univ. - Patency
  38. 52. PROTOCOLO DO TRATAMENTO ENDODÔNTICO 1. Anamnese 2. Radiografia 3. Exame Clínico 4. Diagnóstico 5. Anestesia 6. Acesso 7. Isolamento 8. Assepsia
  39. 53. ESFERICA #1011 ENDO Z
  40. 54. Brocas de Gates - Glidden # 1 Terço Cervical Terço Médio Técnica Híbrida Gates
  41. 55. Brocas de Gates - Glidden # 2 Terço Cervical Terço Médio Técnica Híbrida Gates
  42. 56. Brocas de Gates - Glidden # 3 Terço Cervical Terço Médio Técnica Híbrida Gates
  43. 57. Brocas de Gates - Glidden # 4 Terço Cervical Terço Médio Técnica Híbrida Gates
  44. 58. ODONTOMETRIA
  45. 59. ODONTOMETRIA
  46. 60. Instrumentação do terço apical no Comprimento de Trabalho Terço Apical Técnica Híbrida Lima K
  47. 61. Instrumentação do terço apical no Comprimento de Trabalho Terço Apical Técnica Híbrida Lima K
  48. 62. Instrumentação do terço apical no Comprimento de Trabalho Terço Apical Técnica Híbrida Lima K
  49. 63. Instrumentação do terço apical no Comprimento de Trabalho Terço Cervical Terço Médio Terço Apical Técnica Híbrida GT
  50. 64. MOVIMENTO OSCILATÓRIO 1/4 A 1/2 VOLTA NO SENTIDO HORÁRIO E ANTI - HORÁRIO Lima K Lima GT
  51. 65. MOVIMENTO ROTATÓRIO MOVIMENTO ROTATÓRIO NO SENTIDO HORÁRIO Lima GT
  52. 66. REFINAMENTO EDTA 5 min.
  53. 67. OBTURAÇÃO Híbrida Termocompactação Compactadores de McSpadden + Compressão hidráulica TERMOPLASTIFICAÇÃO - 3D
  54. 68. Materiais
  55. 69. Prova do Cone Técnica Radiografia
  56. 70. Secagem Técnica Cones de Papel
  57. 71. Patência Patência Lima K
  58. 72. Cone + Cimento Técnica
  59. 73. Termocompactação Técnica Compactadores McSpadden
  60. 74. Compressão Hidráulica Técnica Calcadores Verticais
  61. 75. Limpeza da Cavidade Álcool ou Solvente
  62. 76. 15 20 20/.06 LIMA TIPO K LIMA TIPO K GATES - GLIDDEN 1 - 4 ODONTOMETRIA ESTÁGIO 1 10 LIMA TIPO K ESTÁGIO 2 ESTÁGIO 3 BLENDING LIMA GT PRÉ-ALARGAMENTO ODONTOMETRIA PREPARO DO 1/3 APICAL
  63. 78. TÉCNICA
  64. 80. 15 20 20/.03 15/.05 22/.04 25/.04 20/.06 LIMA TIPO K LIMA TIPO K LIMA 01 LIMA 02 LIMA 03 LIMA 04 LIMA 05 GATES - GLIDDEN 1 - 4 ODONTOMETRIA ESTÁGIO 1 10 LIMA TIPO K ESTÁGIO 2 ESTÁGIO 3 20/.07 LIMA 06
  65. 81. ACESSO
  66. 82. EXPLORAÇÃO
  67. 83. GATES # 1
  68. 84. GATES # 2
  69. 85. GATES # 3
  70. 86. GATES # 4
  71. 87. ODONTOMETRIA
  72. 88. ODONTOMETRIA
  73. 89. LIMA K # 10
  74. 90. LIMA K # 15
  75. 91. LIMA K # 20
  76. 92. LIMA # 1 - 20/.03
  77. 93. 2 LIMA # 2 - 15/.05
  78. 94. 3 LIMA # 3 - 22/.04
  79. 95. 4 LIMA # 4 - 25/.04
  80. 96. LIMA # 5 - 20/.06
  81. 97. LIMA # 6 - 20/.07
  82. 98. EDTA 17%
  83. 99. ESTRATÉGIA DE TRATAMENTO DE LESÕES PERIAPICAIS FECHAR LIMPAR ABRIR ACESSO PATÊNCIA INSTRUMENTAÇÃO E IRRIGAÇÃO LIMPEZA MODELAGEM OBTURAÇÃO SELAMENTO Adaptado de T. Coutinho & A. Rothier -UERJ
  84. 106. a b
  85. 107. a b c

×