SlideShare uma empresa Scribd logo

Fornecedores novo

M
meirelyn

Fornecedores na Manutenção Industrial

1 de 4
Baixar para ler offline
4
FORNECEDORES1
JULIANA ANDRADE MAZUR∗
MEIRELYN KOTTKAMP∗
RAFAELA BORGES NUNES∗
RESUMO:
O objetivo deste artigo é pontuar a importância de uma rede integrada de
fornecedores ao setor de manutenção em qualquer setor industrial, aplicando
conceitos de avaliação deste fornecedor, criando assim laços de confiabilidade,
garantindo qualidade de serviços e de fornecimento de materiais. Hoje, para atender
demandas cada vez mais urgentes, as empresas necessitam desencadear relações
de longa duração com seus fornecedores. Para isso a empresa deve entender que
investir na gestão do setor de suprimentos pode ser um fator determinante para o
sucesso na sua cadeia evolutiva.
PALAVRAS-CHAVE: Fornecedores. Manutenção. Processo.
1 INTRODUÇÃO
A função da Engenharia de Manutenção é manter a capacidade operacional
dos equipamentos, detectar problemas e propor soluções para melhoria dos
equipamentos, da equipe de manutenção e da empresa. Ela envolve vários
processos e um deles é o desenvolvimento de fornecedores, através do
desdobramento e avaliação do mesmo.
Os fornecedores são um fator muito importante para a Engenharia de
Manutenção, pois ter peças de reposição rapidamente e de boa qualidade faz parte
do dia-a-dia do setor de manutenção.
Avalia-lo não significa deixar ele para ficar com outro, mas desenvolve-lo.
É importante para a empresa determinar o que ela espera de um fornecedor,
além de confiabilidade e mantenabilidade, alguns atributos como:
• Cumprir prazos de entrega;
1
Artigo apresentado à disciplina de Engenharia de Manutenção como exercício avaliativo referente à
tarefa 01, sob orientação do professor Paulo Lagos, em 2015.

Acadêmicos do curso de Engenharia Mecânica da UTP – Universidade Tuiuti do Paraná. E-mails:
juli_mazur@hotmail.com; meirelyn@hotmail.com, rb.nunes@live.com.


4
• Fornecer itens de qualidade;
• Oferecer preço competitivo;
• Fornecer um bom serviço.
O desenvolvimento e avaliação podem ser feitos através do desdobramento
das seguintes etapas:
• Alinhar as metas de desempenho do fornecedor com as metas e
objetivos organizacionais da empresa;
• Definir quais aspectos de desempenho serão avaliados e monitorados;
• Determinar o método de coleta de informações;
• Fornecer feedbacks aos quanto ao seu desempenho;
• Produzir resultados a partir da melhoria do desempenho do fornecedor.
As empresas devem ser sinceras com seus fornecedores, mostrar-lhes o
que está errado, para que os mesmos possam vir a melhorar e ter crescimento com
estas falhas, podendo assim continuar a fornecer para a empresa e vir a ser
fornecedor de outras empresas através de indicações.
O desenvolvimento de um fornecedor pode significar no futuro uma parceria
com a empresa cliente que desempenhou tal avaliação, ou seja, esta preocupação é
benéfica para os dois lados, cliente e fornecedor, pois todos saem ganhando de
alguma forma, seja financeiramente ou com o aprendizado adquirido.
2 CONFIABILIDADE E MANTENABILIDADE
O objetivo da confiabilidade é reduzir a probabilidade de falhas a que o
sistema ou equipamento está sujeito ou ainda minimizar o efeito negativo das
mesmas, utilizando-se dados quantitativos oferecidos pelo processo.
A Mantenabilidade é uma característica de projeto e instalação, que é
expressa como a probabilidade de um item ser restaurado a uma condição definida,
dentro de um determinado intervalo de tempo, quando a manutenção é feita de
acordo com os procedimentos e recursos técnicos logísticos especificados.
3 FORNECEDORES VS CLIENTES
Muitos fornecedores se preocupam demasiadamente com a pré-venda, mas se
demonstram totalmente obtusos no pós-venda, com um tratamento altamente
4
diferenciado. O que se faz desejar um programa de Fidelização de Fornecedores,
em que o canal fique sempre aberto e de mão-dupla. Que o cliente seja fiel, mas que
exista reciprocidade, na chamada fidelização.
Cliente e fornecedor devem estar do mesmo lado, cientes do que necessitam para
crescer juntos como:
Meta: objetivos quantificados, expressão dos níveis de desempenho pretendidos
para um determinado período de tempo. Resultado a ser atingido decorrente do
objetivo proposto, composto de indicador, valor e prazo.
Melhoria contínua: é a ação contínua de propor uma alteração nos processos
organizacionais, com vistas a obter um melhor desempenho. Objetiva aumentar a
probabilidade de fazer crescer a satisfação dos clientes e de outras partes
interessadas.
Missão: a razão de ser de uma organização, as necessidades sociais a que ela
atende e seu foco fundamental de atividades.
4 CONCLUSÃO
O processo de avaliação do fornecedor significa entender, comunicar e
melhorar o desempenho do fornecedor. Se todos os componentes importantes de
um bom sistema de avaliação de fornecedores forem executados corretamente, a
medição do desempenho de um fornecedor deve levar ao desenvolvimento do
mesmo.
A melhoria deste desempenho possui um grande potencial para causar
impactos positivos nas empresas clientes, tanto financeira quanto competitivamente.
Para isso, as empresas precisam trabalhar com seus fornecedores no
desenvolvimento de planos de ação, como resultado destas avaliações, fechando o
ciclo do processo de desenvolvimento de fornecedores.
TITLE OF THE ARTICLE IN ENGLISH OR OTHER FOREIGN LANGUAGE
ABSTRACT:
The purpose of this article is to score the importance of an integrated network of
suppliers to support sectors in any industrial department, applying concepts from this
supplier evaluation, thus creating bonds of reliability, ensuring quality of service and
supply of materials. Today, to comply with increasingly urgent demands, companies
4
need to trigger long-term relationships with its suppliers. For this the company must
understand that investing in the supply sector management can be a determining
factor for success in the evolutionary chain.
KEY WORDS: Suppliers. Support. Process.
REFERÊNCIAS
ABREU, Marcos. Engenharia de Manutenção. Disponível em:
http://pt.slideshare.net/mfgabreu/engenharia-de-manuteno.
FIDELIS, Fernando de Oliveira. A Importância do Desenvolvimento dos
Fornecedores para a Atividade de Compras. Revista Techoje. Disponível em: <
http://www.techoje.com.br/site/techoje/categoria/detalhe_artigo/505>.
FOGLIATTO, Flávio Santos. RIBEIRO, José Luis Duarte. Confiabilidade e
Manutenção Industrial. São Paulo, SP. Editora: Elsevier Ltda; 2011.
RODRIGUES, Paulo Roberto. Fidelização de Fornecedores. Revista Papelaria &
Negócios, agosto 2012. Disponível em:
https://prrodrigues.wordpress.com/2012/06/22/fidelizacao-de-fornecedores/.
Anúncio

Recomendados

Inovação da gestão ou gestão da inovação
Inovação da gestão ou gestão da inovaçãoInovação da gestão ou gestão da inovação
Inovação da gestão ou gestão da inovaçãoJackson Adriano Scholze
 
Relacionamento Fornecedores
Relacionamento Fornecedores Relacionamento Fornecedores
Relacionamento Fornecedores Marcele Leão
 
10 estratégias para a gestão de fornecedores
10 estratégias para a gestão de fornecedores10 estratégias para a gestão de fornecedores
10 estratégias para a gestão de fornecedoresManuel Teixeira
 
Selecção e Qualificação de Fornecedores - Relação Cliente Fornecedor
Selecção e Qualificação de Fornecedores -  Relação Cliente FornecedorSelecção e Qualificação de Fornecedores -  Relação Cliente Fornecedor
Selecção e Qualificação de Fornecedores - Relação Cliente FornecedorSérgio Assunção
 
Garantiadaqualidade[2]
Garantiadaqualidade[2]Garantiadaqualidade[2]
Garantiadaqualidade[2]emc5714
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação feigenbaum
Apresentação feigenbaumApresentação feigenbaum
Apresentação feigenbaumFelipe Pereira
 
Desenvolvimento de fornecedores tiago lemos
Desenvolvimento de fornecedores tiago lemosDesenvolvimento de fornecedores tiago lemos
Desenvolvimento de fornecedores tiago lemoscomitesestrategicospoa
 
Desenvolvimento de Fornecedores e Distribuidores
Desenvolvimento de Fornecedores e DistribuidoresDesenvolvimento de Fornecedores e Distribuidores
Desenvolvimento de Fornecedores e Distribuidoresglau2
 
Qualidade
QualidadeQualidade
Qualidadealbelio
 
Seleção, Avaliação e Qualificação de Fornecedores
Seleção, Avaliação e Qualificação de Fornecedores Seleção, Avaliação e Qualificação de Fornecedores
Seleção, Avaliação e Qualificação de Fornecedores Eduardo Isatto
 
Lista de exercicio qualidade
Lista de exercicio qualidadeLista de exercicio qualidade
Lista de exercicio qualidadereidosmares
 
Manual avaliação fornecedores
Manual avaliação fornecedoresManual avaliação fornecedores
Manual avaliação fornecedoresmjmcreatore
 
Qb d na industria farmaceutica
Qb d na industria farmaceuticaQb d na industria farmaceutica
Qb d na industria farmaceuticaElezerLemes
 
Apresentação Cadeia Cliente X Fornecedor
Apresentação Cadeia Cliente X FornecedorApresentação Cadeia Cliente X Fornecedor
Apresentação Cadeia Cliente X FornecedorRubia Soraya Rabello
 
Apresentaã§ã£o sobre os_custos_da_qualidade
Apresentaã§ã£o sobre os_custos_da_qualidadeApresentaã§ã£o sobre os_custos_da_qualidade
Apresentaã§ã£o sobre os_custos_da_qualidadeValeria Carneiro
 
Qualidade organizacional
Qualidade organizacionalQualidade organizacional
Qualidade organizacionalMarcelo Lobo
 

Mais procurados (19)

Audit process 2
Audit process 2Audit process 2
Audit process 2
 
Apresentação feigenbaum
Apresentação feigenbaumApresentação feigenbaum
Apresentação feigenbaum
 
Desenvolvimento de fornecedores tiago lemos
Desenvolvimento de fornecedores tiago lemosDesenvolvimento de fornecedores tiago lemos
Desenvolvimento de fornecedores tiago lemos
 
Desenvolvimento de Fornecedores e Distribuidores
Desenvolvimento de Fornecedores e DistribuidoresDesenvolvimento de Fornecedores e Distribuidores
Desenvolvimento de Fornecedores e Distribuidores
 
Aula: ABNT
Aula: ABNTAula: ABNT
Aula: ABNT
 
Qualidade
QualidadeQualidade
Qualidade
 
Seleção, Avaliação e Qualificação de Fornecedores
Seleção, Avaliação e Qualificação de Fornecedores Seleção, Avaliação e Qualificação de Fornecedores
Seleção, Avaliação e Qualificação de Fornecedores
 
Lista de exercicio qualidade
Lista de exercicio qualidadeLista de exercicio qualidade
Lista de exercicio qualidade
 
Apostila ad qual fusco 2016
Apostila ad qual fusco 2016Apostila ad qual fusco 2016
Apostila ad qual fusco 2016
 
Manual avaliação fornecedores
Manual avaliação fornecedoresManual avaliação fornecedores
Manual avaliação fornecedores
 
Os Custos da Qualidade e da Não Qualidade na Produção
Os Custos da Qualidade e da Não Qualidade na ProduçãoOs Custos da Qualidade e da Não Qualidade na Produção
Os Custos da Qualidade e da Não Qualidade na Produção
 
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
Qualidade e satisfação nos serviços - 2012
 
Apresentação braslumber
Apresentação braslumberApresentação braslumber
Apresentação braslumber
 
Qb d na industria farmaceutica
Qb d na industria farmaceuticaQb d na industria farmaceutica
Qb d na industria farmaceutica
 
Apresentação Cadeia Cliente X Fornecedor
Apresentação Cadeia Cliente X FornecedorApresentação Cadeia Cliente X Fornecedor
Apresentação Cadeia Cliente X Fornecedor
 
Apresentaã§ã£o sobre os_custos_da_qualidade
Apresentaã§ã£o sobre os_custos_da_qualidadeApresentaã§ã£o sobre os_custos_da_qualidade
Apresentaã§ã£o sobre os_custos_da_qualidade
 
Qualidade organizacional
Qualidade organizacionalQualidade organizacional
Qualidade organizacional
 
Qualidade[1]
Qualidade[1]Qualidade[1]
Qualidade[1]
 
Gestaoqualidade
GestaoqualidadeGestaoqualidade
Gestaoqualidade
 

Destaque

Ligação para o_paraíso
Ligação para o_paraísoLigação para o_paraíso
Ligação para o_paraísoAriana Martins
 
Komentar tentang narkoba
Komentar tentang narkobaKomentar tentang narkoba
Komentar tentang narkobaafdhol
 
Por que
Por quePor que
Por queanacjg
 
Lospendejospps
LospendejosppsLospendejospps
Lospendejosppsfernando
 
El tabac i l’alcohol
El tabac i l’alcoholEl tabac i l’alcohol
El tabac i l’alcoholjgskatetgna
 
Tecnología en Televisores
Tecnología en TelevisoresTecnología en Televisores
Tecnología en Televisoresnicolecenzano
 
Tabac alcholisme
Tabac alcholismeTabac alcholisme
Tabac alcholismeWaRc3L
 
Los peatones
Los peatonesLos peatones
Los peatonesJgatari
 
Pantaskah Gembong Narkoba Dihukum mati? (Presentasi teks diskusi kelas 8 seme...
Pantaskah Gembong Narkoba Dihukum mati? (Presentasi teks diskusi kelas 8 seme...Pantaskah Gembong Narkoba Dihukum mati? (Presentasi teks diskusi kelas 8 seme...
Pantaskah Gembong Narkoba Dihukum mati? (Presentasi teks diskusi kelas 8 seme...Farhan Muhammad Andria
 
Teks Diskusi '' keributan menyebabkan dampak buruk bagi pelajar''
Teks Diskusi '' keributan menyebabkan dampak buruk bagi pelajar''Teks Diskusi '' keributan menyebabkan dampak buruk bagi pelajar''
Teks Diskusi '' keributan menyebabkan dampak buruk bagi pelajar''Muammar Rizq
 
Apocalipse - Comentários de Lições
Apocalipse - Comentários de LiçõesApocalipse - Comentários de Lições
Apocalipse - Comentários de LiçõesApocalipse Facil
 

Destaque (16)

Ligação para o_paraíso
Ligação para o_paraísoLigação para o_paraíso
Ligação para o_paraíso
 
Komentar tentang narkoba
Komentar tentang narkobaKomentar tentang narkoba
Komentar tentang narkoba
 
Presentacion inma
Presentacion inmaPresentacion inma
Presentacion inma
 
Por que
Por quePor que
Por que
 
Lospendejospps
LospendejosppsLospendejospps
Lospendejospps
 
El tabac i l’alcohol
El tabac i l’alcoholEl tabac i l’alcohol
El tabac i l’alcohol
 
Tecnología en Televisores
Tecnología en TelevisoresTecnología en Televisores
Tecnología en Televisores
 
Gravidez (1)
Gravidez (1)Gravidez (1)
Gravidez (1)
 
Tabac alcholisme
Tabac alcholismeTabac alcholisme
Tabac alcholisme
 
Oracion
OracionOracion
Oracion
 
Los peatones
Los peatonesLos peatones
Los peatones
 
Pantaskah Gembong Narkoba Dihukum mati? (Presentasi teks diskusi kelas 8 seme...
Pantaskah Gembong Narkoba Dihukum mati? (Presentasi teks diskusi kelas 8 seme...Pantaskah Gembong Narkoba Dihukum mati? (Presentasi teks diskusi kelas 8 seme...
Pantaskah Gembong Narkoba Dihukum mati? (Presentasi teks diskusi kelas 8 seme...
 
Teks Diskusi '' keributan menyebabkan dampak buruk bagi pelajar''
Teks Diskusi '' keributan menyebabkan dampak buruk bagi pelajar''Teks Diskusi '' keributan menyebabkan dampak buruk bagi pelajar''
Teks Diskusi '' keributan menyebabkan dampak buruk bagi pelajar''
 
Apocalipse - Comentários de Lições
Apocalipse - Comentários de LiçõesApocalipse - Comentários de Lições
Apocalipse - Comentários de Lições
 
Rpp teks diskusi (3)
Rpp teks diskusi (3)Rpp teks diskusi (3)
Rpp teks diskusi (3)
 
Teks diskusi pacaran
Teks  diskusi pacaranTeks  diskusi pacaran
Teks diskusi pacaran
 

Semelhante a Fornecedores novo

Planejamento estrategico call center 2021
Planejamento estrategico call center 2021Planejamento estrategico call center 2021
Planejamento estrategico call center 2021Tiberio Barros
 
Gestao cadeia suprimento
Gestao cadeia suprimentoGestao cadeia suprimento
Gestao cadeia suprimentolukasdalmeida
 
Gerenciamento da Qualidade em Arquitetura _ do projeto à Avaliação de satisfa...
Gerenciamento da Qualidade em Arquitetura _ do projeto à Avaliação de satisfa...Gerenciamento da Qualidade em Arquitetura _ do projeto à Avaliação de satisfa...
Gerenciamento da Qualidade em Arquitetura _ do projeto à Avaliação de satisfa...Adriana Sales Cordeiro
 
Indicadores de desempenho norte da manutenção
Indicadores de desempenho   norte da manutençãoIndicadores de desempenho   norte da manutenção
Indicadores de desempenho norte da manutençãoPetroreconcavo
 
Inovação da gestão ou gestão da inovação
Inovação da gestão ou gestão da inovaçãoInovação da gestão ou gestão da inovação
Inovação da gestão ou gestão da inovaçãoJackson Adriano Scholze
 
Apresentação política de qualidade
Apresentação política de qualidadeApresentação política de qualidade
Apresentação política de qualidadeAna Fernandes
 
1 gestao da qualidade(1)
1 gestao da qualidade(1)1 gestao da qualidade(1)
1 gestao da qualidade(1)Thulio Cesar
 
Aula 05 - Gestão de equipes de manutenção.pptx
Aula 05 - Gestão de equipes de manutenção.pptxAula 05 - Gestão de equipes de manutenção.pptx
Aula 05 - Gestão de equipes de manutenção.pptxjulianocorrea17
 
GESTÃO DA QUALIDADE. CONCEITOS BÁSICOS DE QUALIDADE.pptx
GESTÃO DA QUALIDADE. CONCEITOS BÁSICOS DE QUALIDADE.pptxGESTÃO DA QUALIDADE. CONCEITOS BÁSICOS DE QUALIDADE.pptx
GESTÃO DA QUALIDADE. CONCEITOS BÁSICOS DE QUALIDADE.pptxKetryPassos
 
Gestão da Qualidade Total (GQT) para Sustentabilidade
Gestão da Qualidade Total (GQT) para SustentabilidadeGestão da Qualidade Total (GQT) para Sustentabilidade
Gestão da Qualidade Total (GQT) para SustentabilidadeFundação Dom Cabral - FDC
 
Selecção e Qualificação de Fornecedores - Métodos de Qualificação e Avaliação
Selecção e Qualificação de Fornecedores - Métodos de Qualificação e AvaliaçãoSelecção e Qualificação de Fornecedores - Métodos de Qualificação e Avaliação
Selecção e Qualificação de Fornecedores - Métodos de Qualificação e AvaliaçãoSérgio Assunção
 
Administração mercadológica análise matriz qfd simplificada
Administração mercadológica   análise matriz qfd simplificadaAdministração mercadológica   análise matriz qfd simplificada
Administração mercadológica análise matriz qfd simplificadaivanjacomassi
 
Apostila principal de desenho técnico mecânico i
Apostila principal de desenho técnico mecânico iApostila principal de desenho técnico mecânico i
Apostila principal de desenho técnico mecânico iPablisson Martins
 

Semelhante a Fornecedores novo (20)

Planejamento estrategico call center 2021
Planejamento estrategico call center 2021Planejamento estrategico call center 2021
Planejamento estrategico call center 2021
 
Gestao cadeia suprimento
Gestao cadeia suprimentoGestao cadeia suprimento
Gestao cadeia suprimento
 
Gerenciamento da Qualidade em Arquitetura _ do projeto à Avaliação de satisfa...
Gerenciamento da Qualidade em Arquitetura _ do projeto à Avaliação de satisfa...Gerenciamento da Qualidade em Arquitetura _ do projeto à Avaliação de satisfa...
Gerenciamento da Qualidade em Arquitetura _ do projeto à Avaliação de satisfa...
 
Indicadores de desempenho norte da manutenção
Indicadores de desempenho   norte da manutençãoIndicadores de desempenho   norte da manutenção
Indicadores de desempenho norte da manutenção
 
Iso 9000
Iso 9000Iso 9000
Iso 9000
 
Apostila 3
Apostila 3Apostila 3
Apostila 3
 
Grp1 a
Grp1 aGrp1 a
Grp1 a
 
Inovação da gestão ou gestão da inovação
Inovação da gestão ou gestão da inovaçãoInovação da gestão ou gestão da inovação
Inovação da gestão ou gestão da inovação
 
Apresentação política de qualidade
Apresentação política de qualidadeApresentação política de qualidade
Apresentação política de qualidade
 
manual iatf exemplo.pdf
manual iatf exemplo.pdfmanual iatf exemplo.pdf
manual iatf exemplo.pdf
 
manual iatf exemplo.pdf
manual iatf exemplo.pdfmanual iatf exemplo.pdf
manual iatf exemplo.pdf
 
Customer Experience
Customer ExperienceCustomer Experience
Customer Experience
 
1 gestao da qualidade(1)
1 gestao da qualidade(1)1 gestao da qualidade(1)
1 gestao da qualidade(1)
 
Aula 05 - Gestão de equipes de manutenção.pptx
Aula 05 - Gestão de equipes de manutenção.pptxAula 05 - Gestão de equipes de manutenção.pptx
Aula 05 - Gestão de equipes de manutenção.pptx
 
Aprovisionamento
AprovisionamentoAprovisionamento
Aprovisionamento
 
GESTÃO DA QUALIDADE. CONCEITOS BÁSICOS DE QUALIDADE.pptx
GESTÃO DA QUALIDADE. CONCEITOS BÁSICOS DE QUALIDADE.pptxGESTÃO DA QUALIDADE. CONCEITOS BÁSICOS DE QUALIDADE.pptx
GESTÃO DA QUALIDADE. CONCEITOS BÁSICOS DE QUALIDADE.pptx
 
Gestão da Qualidade Total (GQT) para Sustentabilidade
Gestão da Qualidade Total (GQT) para SustentabilidadeGestão da Qualidade Total (GQT) para Sustentabilidade
Gestão da Qualidade Total (GQT) para Sustentabilidade
 
Selecção e Qualificação de Fornecedores - Métodos de Qualificação e Avaliação
Selecção e Qualificação de Fornecedores - Métodos de Qualificação e AvaliaçãoSelecção e Qualificação de Fornecedores - Métodos de Qualificação e Avaliação
Selecção e Qualificação de Fornecedores - Métodos de Qualificação e Avaliação
 
Administração mercadológica análise matriz qfd simplificada
Administração mercadológica   análise matriz qfd simplificadaAdministração mercadológica   análise matriz qfd simplificada
Administração mercadológica análise matriz qfd simplificada
 
Apostila principal de desenho técnico mecânico i
Apostila principal de desenho técnico mecânico iApostila principal de desenho técnico mecânico i
Apostila principal de desenho técnico mecânico i
 

Último

Um País na América do Sul foi denunciado por violação a direitos humanos pelo...
Um País na América do Sul foi denunciado por violação a direitos humanos pelo...Um País na América do Sul foi denunciado por violação a direitos humanos pelo...
Um País na América do Sul foi denunciado por violação a direitos humanos pelo...mariaclarinhaa2723
 
Um País na América do Sul foi denunciado por violação a direitos humanos pelo...
Um País na América do Sul foi denunciado por violação a direitos humanos pelo...Um País na América do Sul foi denunciado por violação a direitos humanos pelo...
Um País na América do Sul foi denunciado por violação a direitos humanos pelo...mariaclarinhaa2723
 
(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - VIBRAÇÕES MECÂNICAS E ACÚSTICAS - 51 2024.docx
(43)98816 5388 ASSESSORIA  MAPA - VIBRAÇÕES MECÂNICAS E ACÚSTICAS - 51 2024.docx(43)98816 5388 ASSESSORIA  MAPA - VIBRAÇÕES MECÂNICAS E ACÚSTICAS - 51 2024.docx
(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - VIBRAÇÕES MECÂNICAS E ACÚSTICAS - 51 2024.docxdaimonkonicz6
 
Artigo científico Cassio Kazedani Zakabi.pdf
Artigo científico Cassio Kazedani Zakabi.pdfArtigo científico Cassio Kazedani Zakabi.pdf
Artigo científico Cassio Kazedani Zakabi.pdfCassioZakabi
 
75172524-rolamentos-especificacao-falhas.ppt
75172524-rolamentos-especificacao-falhas.ppt75172524-rolamentos-especificacao-falhas.ppt
75172524-rolamentos-especificacao-falhas.pptJefersonCavalcante10
 
(43)99668 6495 ASSESSORIA MAPA - FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL I - 51 2024.docx
(43)99668 6495 ASSESSORIA MAPA - FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL I - 51 2024.docx(43)99668 6495 ASSESSORIA MAPA - FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL I - 51 2024.docx
(43)99668 6495 ASSESSORIA MAPA - FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL I - 51 2024.docxdaimonkonicz6
 
(43)98816 5388 ASSESSORIA ECIV - MAPA - CONCEITOS DA ADMINISTRAÇÃO E ÉTICA E...
(43)98816 5388 ASSESSORIA  ECIV - MAPA - CONCEITOS DA ADMINISTRAÇÃO E ÉTICA E...(43)98816 5388 ASSESSORIA  ECIV - MAPA - CONCEITOS DA ADMINISTRAÇÃO E ÉTICA E...
(43)98816 5388 ASSESSORIA ECIV - MAPA - CONCEITOS DA ADMINISTRAÇÃO E ÉTICA E...daimonkonicz6
 
Considerando as especificações e o nível de experiência de Aline (Perfil 2), ...
Considerando as especificações e o nível de experiência de Aline (Perfil 2), ...Considerando as especificações e o nível de experiência de Aline (Perfil 2), ...
Considerando as especificações e o nível de experiência de Aline (Perfil 2), ...Unicesumar
 
(43)99668 6495 ASSESSORIA MAPA - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 51 2024.docx
(43)99668 6495 ASSESSORIA MAPA - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 51 2024.docx(43)99668 6495 ASSESSORIA MAPA - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 51 2024.docx
(43)99668 6495 ASSESSORIA MAPA - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 51 2024.docxdaimonkonicz6
 
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...AcademicaDlaUnicesum
 
(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - ACIONAMENTOS ELÉTRICOS - 51 2024.docx
(43)98816 5388 ASSESSORIA  MAPA - ACIONAMENTOS ELÉTRICOS - 51 2024.docx(43)98816 5388 ASSESSORIA  MAPA - ACIONAMENTOS ELÉTRICOS - 51 2024.docx
(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - ACIONAMENTOS ELÉTRICOS - 51 2024.docxdaimonkonicz6
 
A atividade proposta corresponde a Atividade de Estudo 1 UM BREVE RESUMO SOBR...
A atividade proposta corresponde a Atividade de Estudo 1 UM BREVE RESUMO SOBR...A atividade proposta corresponde a Atividade de Estudo 1 UM BREVE RESUMO SOBR...
A atividade proposta corresponde a Atividade de Estudo 1 UM BREVE RESUMO SOBR...leitev350
 
(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - TEORIA DAS ESTRUTURAS II - 51 2024.docx
(43)98816 5388 ASSESSORIA  MAPA - TEORIA DAS ESTRUTURAS II - 51 2024.docx(43)98816 5388 ASSESSORIA  MAPA - TEORIA DAS ESTRUTURAS II - 51 2024.docx
(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - TEORIA DAS ESTRUTURAS II - 51 2024.docxdaimonkonicz6
 
(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - MENTALIDADE CRIATIVA E EMPREENDEDORA - 51 20...
(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - MENTALIDADE CRIATIVA E EMPREENDEDORA - 51 20...(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - MENTALIDADE CRIATIVA E EMPREENDEDORA - 51 20...
(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - MENTALIDADE CRIATIVA E EMPREENDEDORA - 51 20...daimonkonicz6
 
Considerando a importância da gestão de riscos no cenário empresarial brasile...
Considerando a importância da gestão de riscos no cenário empresarial brasile...Considerando a importância da gestão de riscos no cenário empresarial brasile...
Considerando a importância da gestão de riscos no cenário empresarial brasile...AaAssessoriadll
 
O DESAFIO DE ENGAJAR FUNCIONÁRIOS NA PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO Qual ...
O DESAFIO DE ENGAJAR FUNCIONÁRIOS NA PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO Qual ...O DESAFIO DE ENGAJAR FUNCIONÁRIOS NA PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO Qual ...
O DESAFIO DE ENGAJAR FUNCIONÁRIOS NA PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO Qual ...AcademicaDlaUnicesum
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024ptadanip
 
vvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv
vvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv
vvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvRenandantas16
 
MAPA - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 51/2024
MAPA - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 51/2024MAPA - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 51/2024
MAPA - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 51/2024Unicesumar
 
A atividade proposta corresponde a Atividade de Estudo 1 UM BREVE RESUMO SOBR...
A atividade proposta corresponde a Atividade de Estudo 1 UM BREVE RESUMO SOBR...A atividade proposta corresponde a Atividade de Estudo 1 UM BREVE RESUMO SOBR...
A atividade proposta corresponde a Atividade de Estudo 1 UM BREVE RESUMO SOBR...AaAssessoriadll
 

Último (20)

Um País na América do Sul foi denunciado por violação a direitos humanos pelo...
Um País na América do Sul foi denunciado por violação a direitos humanos pelo...Um País na América do Sul foi denunciado por violação a direitos humanos pelo...
Um País na América do Sul foi denunciado por violação a direitos humanos pelo...
 
Um País na América do Sul foi denunciado por violação a direitos humanos pelo...
Um País na América do Sul foi denunciado por violação a direitos humanos pelo...Um País na América do Sul foi denunciado por violação a direitos humanos pelo...
Um País na América do Sul foi denunciado por violação a direitos humanos pelo...
 
(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - VIBRAÇÕES MECÂNICAS E ACÚSTICAS - 51 2024.docx
(43)98816 5388 ASSESSORIA  MAPA - VIBRAÇÕES MECÂNICAS E ACÚSTICAS - 51 2024.docx(43)98816 5388 ASSESSORIA  MAPA - VIBRAÇÕES MECÂNICAS E ACÚSTICAS - 51 2024.docx
(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - VIBRAÇÕES MECÂNICAS E ACÚSTICAS - 51 2024.docx
 
Artigo científico Cassio Kazedani Zakabi.pdf
Artigo científico Cassio Kazedani Zakabi.pdfArtigo científico Cassio Kazedani Zakabi.pdf
Artigo científico Cassio Kazedani Zakabi.pdf
 
75172524-rolamentos-especificacao-falhas.ppt
75172524-rolamentos-especificacao-falhas.ppt75172524-rolamentos-especificacao-falhas.ppt
75172524-rolamentos-especificacao-falhas.ppt
 
(43)99668 6495 ASSESSORIA MAPA - FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL I - 51 2024.docx
(43)99668 6495 ASSESSORIA MAPA - FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL I - 51 2024.docx(43)99668 6495 ASSESSORIA MAPA - FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL I - 51 2024.docx
(43)99668 6495 ASSESSORIA MAPA - FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL I - 51 2024.docx
 
(43)98816 5388 ASSESSORIA ECIV - MAPA - CONCEITOS DA ADMINISTRAÇÃO E ÉTICA E...
(43)98816 5388 ASSESSORIA  ECIV - MAPA - CONCEITOS DA ADMINISTRAÇÃO E ÉTICA E...(43)98816 5388 ASSESSORIA  ECIV - MAPA - CONCEITOS DA ADMINISTRAÇÃO E ÉTICA E...
(43)98816 5388 ASSESSORIA ECIV - MAPA - CONCEITOS DA ADMINISTRAÇÃO E ÉTICA E...
 
Considerando as especificações e o nível de experiência de Aline (Perfil 2), ...
Considerando as especificações e o nível de experiência de Aline (Perfil 2), ...Considerando as especificações e o nível de experiência de Aline (Perfil 2), ...
Considerando as especificações e o nível de experiência de Aline (Perfil 2), ...
 
(43)99668 6495 ASSESSORIA MAPA - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 51 2024.docx
(43)99668 6495 ASSESSORIA MAPA - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 51 2024.docx(43)99668 6495 ASSESSORIA MAPA - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 51 2024.docx
(43)99668 6495 ASSESSORIA MAPA - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 51 2024.docx
 
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
 
(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - ACIONAMENTOS ELÉTRICOS - 51 2024.docx
(43)98816 5388 ASSESSORIA  MAPA - ACIONAMENTOS ELÉTRICOS - 51 2024.docx(43)98816 5388 ASSESSORIA  MAPA - ACIONAMENTOS ELÉTRICOS - 51 2024.docx
(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - ACIONAMENTOS ELÉTRICOS - 51 2024.docx
 
A atividade proposta corresponde a Atividade de Estudo 1 UM BREVE RESUMO SOBR...
A atividade proposta corresponde a Atividade de Estudo 1 UM BREVE RESUMO SOBR...A atividade proposta corresponde a Atividade de Estudo 1 UM BREVE RESUMO SOBR...
A atividade proposta corresponde a Atividade de Estudo 1 UM BREVE RESUMO SOBR...
 
(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - TEORIA DAS ESTRUTURAS II - 51 2024.docx
(43)98816 5388 ASSESSORIA  MAPA - TEORIA DAS ESTRUTURAS II - 51 2024.docx(43)98816 5388 ASSESSORIA  MAPA - TEORIA DAS ESTRUTURAS II - 51 2024.docx
(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - TEORIA DAS ESTRUTURAS II - 51 2024.docx
 
(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - MENTALIDADE CRIATIVA E EMPREENDEDORA - 51 20...
(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - MENTALIDADE CRIATIVA E EMPREENDEDORA - 51 20...(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - MENTALIDADE CRIATIVA E EMPREENDEDORA - 51 20...
(43)98816 5388 ASSESSORIA MAPA - MENTALIDADE CRIATIVA E EMPREENDEDORA - 51 20...
 
Considerando a importância da gestão de riscos no cenário empresarial brasile...
Considerando a importância da gestão de riscos no cenário empresarial brasile...Considerando a importância da gestão de riscos no cenário empresarial brasile...
Considerando a importância da gestão de riscos no cenário empresarial brasile...
 
O DESAFIO DE ENGAJAR FUNCIONÁRIOS NA PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO Qual ...
O DESAFIO DE ENGAJAR FUNCIONÁRIOS NA PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO Qual ...O DESAFIO DE ENGAJAR FUNCIONÁRIOS NA PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO Qual ...
O DESAFIO DE ENGAJAR FUNCIONÁRIOS NA PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO Qual ...
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 
vvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv
vvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv
vvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv
 
MAPA - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 51/2024
MAPA - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 51/2024MAPA - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 51/2024
MAPA - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 51/2024
 
A atividade proposta corresponde a Atividade de Estudo 1 UM BREVE RESUMO SOBR...
A atividade proposta corresponde a Atividade de Estudo 1 UM BREVE RESUMO SOBR...A atividade proposta corresponde a Atividade de Estudo 1 UM BREVE RESUMO SOBR...
A atividade proposta corresponde a Atividade de Estudo 1 UM BREVE RESUMO SOBR...
 

Fornecedores novo

  • 1. 4 FORNECEDORES1 JULIANA ANDRADE MAZUR∗ MEIRELYN KOTTKAMP∗ RAFAELA BORGES NUNES∗ RESUMO: O objetivo deste artigo é pontuar a importância de uma rede integrada de fornecedores ao setor de manutenção em qualquer setor industrial, aplicando conceitos de avaliação deste fornecedor, criando assim laços de confiabilidade, garantindo qualidade de serviços e de fornecimento de materiais. Hoje, para atender demandas cada vez mais urgentes, as empresas necessitam desencadear relações de longa duração com seus fornecedores. Para isso a empresa deve entender que investir na gestão do setor de suprimentos pode ser um fator determinante para o sucesso na sua cadeia evolutiva. PALAVRAS-CHAVE: Fornecedores. Manutenção. Processo. 1 INTRODUÇÃO A função da Engenharia de Manutenção é manter a capacidade operacional dos equipamentos, detectar problemas e propor soluções para melhoria dos equipamentos, da equipe de manutenção e da empresa. Ela envolve vários processos e um deles é o desenvolvimento de fornecedores, através do desdobramento e avaliação do mesmo. Os fornecedores são um fator muito importante para a Engenharia de Manutenção, pois ter peças de reposição rapidamente e de boa qualidade faz parte do dia-a-dia do setor de manutenção. Avalia-lo não significa deixar ele para ficar com outro, mas desenvolve-lo. É importante para a empresa determinar o que ela espera de um fornecedor, além de confiabilidade e mantenabilidade, alguns atributos como: • Cumprir prazos de entrega; 1 Artigo apresentado à disciplina de Engenharia de Manutenção como exercício avaliativo referente à tarefa 01, sob orientação do professor Paulo Lagos, em 2015.  Acadêmicos do curso de Engenharia Mecânica da UTP – Universidade Tuiuti do Paraná. E-mails: juli_mazur@hotmail.com; meirelyn@hotmail.com, rb.nunes@live.com.  
  • 2. 4 • Fornecer itens de qualidade; • Oferecer preço competitivo; • Fornecer um bom serviço. O desenvolvimento e avaliação podem ser feitos através do desdobramento das seguintes etapas: • Alinhar as metas de desempenho do fornecedor com as metas e objetivos organizacionais da empresa; • Definir quais aspectos de desempenho serão avaliados e monitorados; • Determinar o método de coleta de informações; • Fornecer feedbacks aos quanto ao seu desempenho; • Produzir resultados a partir da melhoria do desempenho do fornecedor. As empresas devem ser sinceras com seus fornecedores, mostrar-lhes o que está errado, para que os mesmos possam vir a melhorar e ter crescimento com estas falhas, podendo assim continuar a fornecer para a empresa e vir a ser fornecedor de outras empresas através de indicações. O desenvolvimento de um fornecedor pode significar no futuro uma parceria com a empresa cliente que desempenhou tal avaliação, ou seja, esta preocupação é benéfica para os dois lados, cliente e fornecedor, pois todos saem ganhando de alguma forma, seja financeiramente ou com o aprendizado adquirido. 2 CONFIABILIDADE E MANTENABILIDADE O objetivo da confiabilidade é reduzir a probabilidade de falhas a que o sistema ou equipamento está sujeito ou ainda minimizar o efeito negativo das mesmas, utilizando-se dados quantitativos oferecidos pelo processo. A Mantenabilidade é uma característica de projeto e instalação, que é expressa como a probabilidade de um item ser restaurado a uma condição definida, dentro de um determinado intervalo de tempo, quando a manutenção é feita de acordo com os procedimentos e recursos técnicos logísticos especificados. 3 FORNECEDORES VS CLIENTES Muitos fornecedores se preocupam demasiadamente com a pré-venda, mas se demonstram totalmente obtusos no pós-venda, com um tratamento altamente
  • 3. 4 diferenciado. O que se faz desejar um programa de Fidelização de Fornecedores, em que o canal fique sempre aberto e de mão-dupla. Que o cliente seja fiel, mas que exista reciprocidade, na chamada fidelização. Cliente e fornecedor devem estar do mesmo lado, cientes do que necessitam para crescer juntos como: Meta: objetivos quantificados, expressão dos níveis de desempenho pretendidos para um determinado período de tempo. Resultado a ser atingido decorrente do objetivo proposto, composto de indicador, valor e prazo. Melhoria contínua: é a ação contínua de propor uma alteração nos processos organizacionais, com vistas a obter um melhor desempenho. Objetiva aumentar a probabilidade de fazer crescer a satisfação dos clientes e de outras partes interessadas. Missão: a razão de ser de uma organização, as necessidades sociais a que ela atende e seu foco fundamental de atividades. 4 CONCLUSÃO O processo de avaliação do fornecedor significa entender, comunicar e melhorar o desempenho do fornecedor. Se todos os componentes importantes de um bom sistema de avaliação de fornecedores forem executados corretamente, a medição do desempenho de um fornecedor deve levar ao desenvolvimento do mesmo. A melhoria deste desempenho possui um grande potencial para causar impactos positivos nas empresas clientes, tanto financeira quanto competitivamente. Para isso, as empresas precisam trabalhar com seus fornecedores no desenvolvimento de planos de ação, como resultado destas avaliações, fechando o ciclo do processo de desenvolvimento de fornecedores. TITLE OF THE ARTICLE IN ENGLISH OR OTHER FOREIGN LANGUAGE ABSTRACT: The purpose of this article is to score the importance of an integrated network of suppliers to support sectors in any industrial department, applying concepts from this supplier evaluation, thus creating bonds of reliability, ensuring quality of service and supply of materials. Today, to comply with increasingly urgent demands, companies
  • 4. 4 need to trigger long-term relationships with its suppliers. For this the company must understand that investing in the supply sector management can be a determining factor for success in the evolutionary chain. KEY WORDS: Suppliers. Support. Process. REFERÊNCIAS ABREU, Marcos. Engenharia de Manutenção. Disponível em: http://pt.slideshare.net/mfgabreu/engenharia-de-manuteno. FIDELIS, Fernando de Oliveira. A Importância do Desenvolvimento dos Fornecedores para a Atividade de Compras. Revista Techoje. Disponível em: < http://www.techoje.com.br/site/techoje/categoria/detalhe_artigo/505>. FOGLIATTO, Flávio Santos. RIBEIRO, José Luis Duarte. Confiabilidade e Manutenção Industrial. São Paulo, SP. Editora: Elsevier Ltda; 2011. RODRIGUES, Paulo Roberto. Fidelização de Fornecedores. Revista Papelaria & Negócios, agosto 2012. Disponível em: https://prrodrigues.wordpress.com/2012/06/22/fidelizacao-de-fornecedores/.