Linfoma galio uff2013

1.036 visualizações

Publicada em

Slides apresentados na Sessão do Setor de Medicina Nuclear do Hospital Universitário Antonio Pedro, realizado no Anfiteatro Luís Guarino da Faculdade de Medicina UFF.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.036
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
230
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Linfoma galio uff2013

  1. 1. LINFOMAChristianeWiefelsResidentedeMedicinaNuclearHospitalUniversitárioAntônioPedroUso da cintilografia com Gálio
  2. 2. Farmacologia• Gálio 67• Produzido em ciclotron por bombardeio de prótons emzinco• Meia-vida física de 78h• Meia-vida biológica de 2-3 semanas• Decaimento com emissão de raio gamma• Permanece 12h na circulação sanguínea
  3. 3. • Configuração semelhante ao íon férrico• Se liga à transferrina no plasma, à lactoferrina nostecidos e à ferritina• A fração livre é filtrada pelos rins ou vai para o 3ºespaço• 10-30% da dose injetada é excreta pelos rins em 24hNão deve haver atividade renal nas imagens de 72h!
  4. 4. Distribuição normal• Córtex renal (primeiras 24h)• Fígado• Baço• Medula óssea e esqueleto• Nasofaringe, gld lacrimais e salivares• Intestino• Mamas• Genitália externa• Blood pool (20%)• Timo
  5. 5. CintilografiacomGálio-Normal
  6. 6. Técnica de imagem• Dose padrão para neoplasias: 10 mCi• Imagens com 48- 72h• Corpo inteiro• Tentar mascarar o fígado
  7. 7. Linfoma de HodgkinDeterminar avidez do tumor pelo gálioExtensão da doençaAvaliação de massa residualMonitorar resposta ao tratamentoPredizer sobrevida livre de doença
  8. 8. 1. Avidez pelo gálio• 90% dos LH tem avidez pelo Ga-67- Esclerose nodular,- Celularidade mista- Depleção de linfócitosTumores com predomínio de linfócitos tem menor avidez(79%)
  9. 9. 2. Detecçãodo tumor• Sensibilidade = 85%• Especificidade = 90%• SPECT  S= 95% e E= 90% para doença mediastinal• LH: massa mediastinal ou hilar, assimétrico• Nãó é útil para ver envolvimento esplênico• Acometimento ósseo: dç ativa se captação persistente
  10. 10. 3. Respostaao tratamento• Após início da QT• Scan negativo após 1º ciclo alta probabilidade deresposta completa (82-92% dos pcts)• Scan positivo persistente após 1º ciclo de QT necessidade de mudar o protocolo de tto• QT pode suprimir a captação do tumor pelo Ga-67• Realizar cintilografia após 2 semanas do ciclo de QT
  11. 11. 4. Doençarecorrente/ residual• Imagens do corpo inteiro• Gálio: captado pelo tumor, não por tecido fibrótico ounecrótico• Permanência da captação pós-tto = prognósticoreservado• Permanência de atividade nodal hilar em 50-85% dospcts pós QT por até 4 anos.• Atividade hilar simétrica e menos intensa  benigno• Atividade hilar assimétrica ou unilateral possibilidadede dç recorrente (pp// se mesma intensidade)
  12. 12. Ga-67Linfomade Hodgkin
  13. 13. Linfoma não- Hodgkin• 85% de sensibilidade para tumores avançados,principalmente linfoma histiocitário• Scan (+) pós-QT  bom prognóstico• Scan (–) pós-Qt  mau prognóstico• Tálio : maior avidez para linfoma de baixo grauImagem realizada 1h após a injeção. Ruim para linfomaabdominal (muita captação intestinal).• Linfoma de Burkitt: 90% de avidez pelo gálio.
  14. 14. Cintilografia com Gálio em pct com LNH e massa cervical

×