Caso Clínico: Uso da Cintilografia Miocárdica em Paciente com Arritmia Cardíaca

5.536 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.536
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.239
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Caso Clínico: Uso da Cintilografia Miocárdica em Paciente com Arritmia Cardíaca

  1. 1. +Caso ClínicoUso da Cintilografia Miocárdica em Paciente com Arritmia CardíacaServiço de Medicina Nuclear e Imagem MolecularHospital Universitário Antônio PedroContato: medicina.nuclear@huap.uff.br
  2. 2. + Autores  Aryanne Guimarães Ferreira,  Aluna de Graduação de Medicina da UFF e bolsista FAPERJ de Iniciação Científica  Dr. Leandro Rocha Messias,  Mestre em Cardiologia pela UFF  Doutorando da Pós-Graduação em Ciências Cardiovasculares da UFF Colaboradores  Dra. Sandra Marina Ribeiro Miranda  Mestre em Cardiologia pela UFF  Doutorando da Pós-Graduação em Ciências Cardiovasculares da UFF  Dr. Jader Cunha de Azevedo  Mestre em Cardiologia pela UFF  Doutorando da Pós-Graduação em Ciências Cardiovasculares da UFF
  3. 3. História Clínica A.R.M – 69 anos, branco, aposentado, natural e residente de Niterói. QP: “Coração batendo fraco. HDA: Paciente em acompanhamento de HAS e DM em unidade básica de saúde do bairro de Caramujo relata que há cinco anos teve diagnóstico de bradicardia assintomática. H. Social: Ex-tabagista. Etilista social. Solicitado por seu médico assistente teste de esforço cujo laudo foi “déficit cronotrópico e positivo para DAC”. Complementado, então, com cintilografia miocárdica.
  4. 4. Exame físico:PA: 190X110 mmHg FC:42bpmACV: RCI, 2T, BNFAR: MVUA, s/RA
  5. 5. + Foi solicitada Cintilografia com Estresse Farmacológico com Dipiridamol.
  6. 6. + Contra-indicações ao Uso do Dipiridamol
  7. 7. + TESTE DE ESFORÇO PROTOCOLO RAMPA
  8. 8. Cálculos do Teste Ergométrico
  9. 9. + CINTILOGRAFIA MIOCÁRDICA
  10. 10. + Discussão  A continuação da investigação de doença arterial coronariana através de métodos de imagem se impõe frente a um paciente com probabilidade intermediária de doença e teste ergométrico positivo.  A presença de déficit cronotrópico (incapacidade de alcançar 85% da FC máxima predita para a idade) é tida como uma indicação para estresse farmacológico.  Entretanto a presença de bradiarritimia no ECG basal é uma contra-indicação ao estresse com dipiridamol e com adenosina, pelo risco de acentuação da bradiarritmia.
  11. 11. + Discussão  Foi optada pela realização do estresse físico em protocolo de Rampa individualizado, com uma adequada elevação da FC e uma imagem cintilográfica nomal, que descartou a presença de isquemia miocárdica estresse-induzida.  A cintilografia com estresse farmacológico tem uma capacidade diagnóstica tão boa quanto à de exercício, entretanto deve ser sempre empregada como alternativa ao exercício. Na tabela a seguir observamos as características operacionais deste exame em comparação com outros testes de imagem.
  12. 12. + Comparação entre os Testes Diagnósticos com Estresse Farmacológico para DAC
  13. 13. + Mecanismos de Ação e Contra-indicações aos Agentes de Estresse Farmacológico
  14. 14. + Discussão  Na figura a seguir temos um algoritmo que divisa as principais indicações para uso do estresse farmacológico.  Cabe ressaltar como indicação para estresse farmacológico:  Incapacidade de se exercitar (alcançar pelo menos 3 minutos de exercício no protocolo de Bruce e/ou 5 METs e alcançar 85% da FC máxima predita)  Presença de bloqueio de ramo esquerdo ou ritmo de marcapasso (devido ao aumento de falsos-positivos no território da Artéria Descendente Anterior com estresse físico)  Incapacidade de alcançar FC submáxima com exercício pelo uso de medicamentos cronotrópicos negativos ou por bradiarritmias.
  15. 15. + Discussão  O estresse farmacológico de eleição em medicina nuclear é o vasodilatador com adenosina ou dipiridamol.  Em pacientes que apresentam contra-indicação ao uso destes fármacos, seja por hipotensão, broncoespasmo, bradicardia, ou alergia, a melhor alternativa é o uso da dobutamina.  A dobutamina tem como principal contra-indicação a presença de taquiarritmias e de hipertensão arterial descontrolada.
  16. 16. + Agradecimentos  Dra. Maria Angela Queiroz Carreira  Dr. José Antonio Caldas  Dra. Aline Ribeiro Nogueira Oliveira  Engenheiro Anderson Oliveira  Enfermeira Luana Amorim  Técnica de Medicina Nuclear Thalita Camilo Gonçalves  Técnico Alessandro Batista Barros  Física Médica Thaiana Cordeiro  Dr. Cláudio Tinoco Mesquita

×