SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
Reduzindo Fome, Pobreza e Desigualdade
PERFIL DA EXTREMA POBREZA 
Núcleo duro da pobreza 
 71% de negros e negras 
 60% na região Nordeste 
 40% de crianças e adolescentes (0 a 14 anos)
EIXOS DO PLANO BRASIL SEM MISÉRIA 
MAPA DA 
POBREZA 
Melhoria da renda 
Aumento do bem-estar 
Garantia de renda 
Inclusão Produtiva 
Urbana e Rural 
Acesso a serviços 
Aumento de capacidades e 
oportunidades
GARANTIA DE RENDA 
22 milhões de brasileiros saíram da extrema pobreza 
Bolsa Família: Benefício médio mensal aumentou 
84% acima da inflação 
Mais de 1,37 milhão de famílias localizadas e 
incluídas no Cadastro Único com a Busca Ativa
INCLUSÃO PRODUTIVA URBANA 
1,5 milhão de matrículas no PRONATEC/BSM 
3,6 milhões de operações de microcrédito com 
beneficiários do Bolsa Família 
478 mil empresas de microempreendedores 
geridas por beneficiários do Bolsa Família
INCLUSÃO PRODUTIVA RURAL 
Assistência técnica, recursos financeiros e insumos 
para 354 mil famílias 
750 mil cisternas instaladas desde o início do Plano 
Brasil Sem Miséria 
1,1 milhão de cisternas nos Governos Lula e Dilma 
88,1 mil cisternas de produção e outras tecnologias 
sociais entregues
ACESSO A SERVIÇOS 
Desenvolvimento da Primeira Infância: 
702 mil crianças do Bolsa Familia matriculadas 
em creches 
66% de aumento de recursos destinados à 
alimentação escolar 
9,1 milhões de crianças beneficiadas com a 
distribuição de Sulfato Ferroso e Vitamina A
Análise multidimensional 
da pobreza
Cai em 24% a taxa dos chefes de domicílios sem instrução em 
todo o Brasil. A queda entre os 5% mais pobres chega em 36% 
Pessoas de referência dos domicílios sem instrução (%) 
17.5 
13.3 
34.3 
21.9 
40 
35 
30 
25 
20 
15 
10 
5 
0 
2002 2004 2008 2013 
Total 
5% mais 
pobres 
Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 
36% 
24%
Entre os mais pobres cresceu em 138% o número de 
pessoas com ensino fundamental completo 
Pessoas de referência dos domicílios com nível fundamental completo (%) 
37.2 
52.7 
14.5 
34.4 
60 
50 
40 
30 
20 
10 
0 
42% 
2002 2004 2008 2013 
Total 
5% mais 
138% pobres 
Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS
A frequência à escola das crianças entre 6 e 14 anos foi 
quase o dobro entre os 5% mais pobres 
População de 6 a 14 anos que frequênta escola (%) 
95.8 
98.4 
92.5 
97.5 
99.0 
98.0 
97.0 
96.0 
95.0 
94.0 
93.0 
92.0 
91.0 
90.0 
2,8% 
2002 2004 2008 2013 
Total 
5% mais 
pobres 
5,5% 
Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS
Sendo quase 5 vezes mais rápido o avanço no acesso 
da população 5% mais pobre à rede geral de água 
Domicílios com acesso à água por rede geral com canalização interna (%) 
79.1 
84.0 
51.4 
67.7 
90 
80 
70 
60 
50 
40 
30 
6,3% 
2002 2004 2008 2013 
Total 
5% mais 
pobres 
Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 
31,6%
O avanço no acesso à água em geral foi 5 vezes mais 
rápido entre os mais 5% mais pobres 
Domicílios com acesso à água por rede geral, cisterna, poço ou nascente 
88.6 
94.6 
59.7 
79.9 
100.0 
90.0 
80.0 
70.0 
60.0 
50.0 
40.0 
30.0 
6,8% 
2002 2004 2008 2013 
Total 
5% mais 
pobres 
com canalização (%) 
Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 
33,8%
Foi 3 vezes mais rápido o avanço no acesso ao 
escoamento sanitário entre os 5% mais pobres 
Domicílios com escoamento sanitário adequado (%) 
67.9 
76.0 
35.2 
54.0 
80.0 
70.0 
60.0 
50.0 
40.0 
30.0 
20.0 
10.0 
0.0 
11,9% 
2002 2004 2008 2013 
Total 
5% mais 
pobres 
Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 
53,4%
O acesso à energia elétrica avançou 5 vezes mais rápido 
entre os 5% mais pobres 
Domicílios com energia elétrica (%) 
96.5 
99.3 
84.0 
97.6 
105.0 
100.0 
95.0 
90.0 
85.0 
80.0 
75.0 
3,0% 
2002 2004 2008 2013 
Total 
5% mais 
pobres 
Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 
16,1%
Acesso a geladeira ou freezer dos 5% mais pobres 
aumentou em 68% 
Domicílios com geladeira ou freezer (%) 
87.3 
97.6 
52.8 
88.7 
100.0 
80.0 
60.0 
40.0 
20.0 
0.0 
11,9% 
2002 2004 2008 2013 
Total 
5% mais 
pobres 
Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 
68,0%
O avanço no acesso ao telefone celular de quase 700% 
no período para a população 5% mais pobre 
Pessoas de referência dos domicílios com posse de telefone celular (%) 
34.6 
89.8 
9.4 
75.7 
100.0 
90.0 
80.0 
70.0 
60.0 
50.0 
40.0 
30.0 
20.0 
10.0 
0.0 
159% 
2002 2004 2008 2013 
Total 
5% mais 
pobres 
Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 
709%
EVOLUÇÃO DA POBREZA CRÔNICA - PNUD 
6.6% 
6.0% 5.9% 
5.3% 
4.8% 4.7% 
4.0% 
3.7% 
3.1% 
2.9% 2.8% 
8.0% 
7.0% 
6.0% 
5.0% 
4.0% 
3.0% 
2.0% 
1.0% 
0.0% 
2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2011 2012 2013 
Pobreza crônica, OPHI/PNUD
Terceira maior redução do número de pessoas 
subalimentadas no mundo – 2002/2014 - FAO 
BRASIL - POPULAÇÃO EM SUBALIMENTAÇÃO (%) 
% População 
15 
10 
5 
0 
Fonte: FAO, 2014 – elaboração SAGI/MDS. 
1,7 
82% de 
redução 
Brasil deixou o Mapa Mundial da Fome em 2014
EVOLUÇÃO DA TAXA DE EXTREMA POBREZA 
7.9% 7.8% 
2002/2013 - SÉRIE ORIGINAL 
7.6% 
7.0% 
5.7% 5.7% 
4.8% 4.6% 
4.4% 
3.6% 
4.0% 
7.5% 7.5% 
7.2% 
6.7% 
5.4% 5.3% 
4.5% 4.3% 4.2% 
3.4% 
3.8% 
8.2% 8.2% 
8.0% 
7.4% 
6.0% 6.1% 
5.1% 4.9% 
4.6% 
3.8% 
4.2% 
9.0% 
8.0% 
7.0% 
6.0% 
5.0% 
4.0% 
3.0% 
2.0% 
1.0% 
0.0% 
Erro amostral de +/-0,22 
Erro amostral de +/-0,4 
2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2011 2012 2013 
Taxa de extrema pobreza Limite Inferior Limite Superior 
Fonte: PNAD 2013. Elaboração: SAGI/MDS
7.3% 
EVOLUÇÃO DA POBREZA CRÔNICA 
7.1% 
6.7% 
6.0% 
4.8% 
4.1% 
3.2% 
2.7% 
2.0% 
1.6% 
1.4% 
8.3% 8.1% 
7.8% 
7.0% 
5.4% 
4.4% 
3.4% 
2.9% 
1.8% 
1.5% 
1.1% 
9.0% 
8.0% 
7.0% 
6.0% 
5.0% 
4.0% 
3.0% 
2.0% 
1.0% 
0.0% 
2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2011 2012 2013 
Pobreza crônica, Banco Mundial Pobreza crônica, SAGI/MDS 
Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS e Banco Mundial
INDICADOR DE POBREZA MULTIDIMENSIONAL CRÔNICA 
POR REGIÃO 
18.1 
17.3 
13.4 
12.1 
9.6 
9.1 
7.2 
6.2 
5.2 
17.9 17.8 
15.3 
14.5 
11.3 
9.1 
7.2 
5.8 
3.5 
2.3 
1.9 
2.3 2.1 1.8 1.6 
20 
18 
16 
14 
12 
10 
8 
6 
4 
2 
1.0 0.8 0.6 0 0.4 0.2 0.2 0.1 
2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 
Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste 
Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS
INDICADOR DE POBREZA MULTIDIMENSIONAL CRÔNICA 
4.5 
4.1 
3.8 
3.4 
2.6 
2.2 
1.8 
1.4 
0.9 0.6 0.5 
12.6 12.5 
11.6 
10.8 
8.1 
6.7 
5.2 
4.3 
2.9 
2.1 
1.7 
14.0 
12.0 
10.0 
8.0 
6.0 
4.0 
2.0 
0.0 
2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 
Branco e Amarelo Preto, pardo e índigenas 
Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 
POR RAÇA/COR
INDICADOR DE POBREZA MULTIDIMENSIONAL CRÔNICA 
13.4 13.3 
POR TIPO DE FAMÍLIA 
12.8 
12.3 
9.8 
8.0 
6.5 
5.4 
3.6 
2.6 
2.1 
2.0 2.0 1.7 1.6 
1.1 1.0 0.7 0.6 0.4 0.3 0.3 
15.0 
13.0 
11.0 
9.0 
7.0 
5.0 
3.0 
1.0 
2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 
-1.0 
Pelo menos 1 filho com 6 anos ou menos Pelo menos 1 filho com idade entre 7 e 14 anos 
Todos os filhos com 6 anos ou menos Todos os filhos com idade entre 7 e 14 anos 
Todos os filhos com idade entre 15 e 24 anos 
Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS
INDICADOR DE POBREZA MULTIDIMENSIONAL CRÔNICA 
URBANA E RURAL 
4.7% 4.5% 
3.8% 3.4% 
30.0% 
25.0% 
20.0% 
15.0% 
10.0% 
5.0% 
Fonte: PNAD/IBGE 2013. Elaboração: SAGI/MDS 
2.5% 1.9% 1.4% 1.3% 0.7% 0.5% 0.4% 
28.6% 
27.1% 
25.5% 
24.4% 
18.9% 
16.8% 
13.7% 
10.9% 
8.4% 
6.1% 
4.9% 
0.0% 
2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2011 2012 2013 
urbano rural
EVOLUÇÃO DA POBREZA MONETÁRIA 
URBANA E RURAL 
7.2 6.5 6.8 
Taxa de Extrema Pobreza Original 
5.4 4.9 
3.8 4.1 3.3 3.3 3.1 2.6 3.1 
24.0 
21.6 21.2 
17.8 16.9 
15.1 
13.4 
11.9 11.3 11.3 
9.2 9.1 
30.0 
25.0 
20.0 
15.0 
10.0 
5.0 
0.0 
2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2011 2012 2013 
Urbano Rural 
Fonte: PNAD/IBGE 2013. Elaboração: SAGI/MDS
Diálogos Governo-Sociedade Civil 6ª edição

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atlas do diabetes 2014 o diabetes no brasil, na américa latina e no mundo
Atlas do diabetes 2014 o diabetes no brasil, na américa latina e no mundoAtlas do diabetes 2014 o diabetes no brasil, na américa latina e no mundo
Atlas do diabetes 2014 o diabetes no brasil, na américa latina e no mundoJosé Ripardo
 
Redução mortalidade infância no Brasil e no Mundo 1990-2012 -UNICEF
Redução mortalidade infância no Brasil e no Mundo 1990-2012 -UNICEF Redução mortalidade infância no Brasil e no Mundo 1990-2012 -UNICEF
Redução mortalidade infância no Brasil e no Mundo 1990-2012 -UNICEF Paulo Bonilha
 
Vigitel 2013 | Após oito anos em ascensão, obesidade no Brasil para de crescer
Vigitel 2013 | Após oito anos em ascensão, obesidade no Brasil para de crescerVigitel 2013 | Após oito anos em ascensão, obesidade no Brasil para de crescer
Vigitel 2013 | Após oito anos em ascensão, obesidade no Brasil para de crescerMinistério da Saúde
 
Fatores de risco e tendências das taxas de mortalidade infantil e da prevalên...
Fatores de risco e tendências das taxas de mortalidade infantil e da prevalên...Fatores de risco e tendências das taxas de mortalidade infantil e da prevalên...
Fatores de risco e tendências das taxas de mortalidade infantil e da prevalên...Fundação de Economia e Estatística
 
dados-apresentados_2016.pdf
dados-apresentados_2016.pdfdados-apresentados_2016.pdf
dados-apresentados_2016.pdfestantesaude
 
Apresentação | Redução da mortalidade na Infância no Brasil
Apresentação | Redução da mortalidade na Infância no BrasilApresentação | Redução da mortalidade na Infância no Brasil
Apresentação | Redução da mortalidade na Infância no BrasilMinistério da Saúde
 
A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente - CÂncer no Brasil - Dr...
A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente - CÂncer no Brasil - Dr...A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente - CÂncer no Brasil - Dr...
A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente - CÂncer no Brasil - Dr...Oncoguia
 

Mais procurados (18)

Caderno de Resultados Mulheres
Caderno de Resultados MulheresCaderno de Resultados Mulheres
Caderno de Resultados Mulheres
 
Relatório FAO - O Estado da Insegurança Alimentar no Mundo 2015
Relatório FAO - O Estado da Insegurança Alimentar no Mundo 2015Relatório FAO - O Estado da Insegurança Alimentar no Mundo 2015
Relatório FAO - O Estado da Insegurança Alimentar no Mundo 2015
 
Videoconferência prevenção e mulher negra 19 nov 2013
Videoconferência prevenção e mulher negra 19 nov 2013Videoconferência prevenção e mulher negra 19 nov 2013
Videoconferência prevenção e mulher negra 19 nov 2013
 
15 anos compromisso_mundial_meet_upfloripa
15 anos compromisso_mundial_meet_upfloripa15 anos compromisso_mundial_meet_upfloripa
15 anos compromisso_mundial_meet_upfloripa
 
Resultados dos Programas Sociais junto à população negra - Agosto/2015
Resultados dos Programas Sociais junto à população negra - Agosto/2015Resultados dos Programas Sociais junto à população negra - Agosto/2015
Resultados dos Programas Sociais junto à população negra - Agosto/2015
 
Dia Mundial de Luta Contra Aids
Dia Mundial de Luta Contra AidsDia Mundial de Luta Contra Aids
Dia Mundial de Luta Contra Aids
 
Relatorio Nacional de Acompanhamento dos ODM
Relatorio Nacional de Acompanhamento dos ODMRelatorio Nacional de Acompanhamento dos ODM
Relatorio Nacional de Acompanhamento dos ODM
 
Atlas do diabetes 2014 o diabetes no brasil, na américa latina e no mundo
Atlas do diabetes 2014 o diabetes no brasil, na américa latina e no mundoAtlas do diabetes 2014 o diabetes no brasil, na américa latina e no mundo
Atlas do diabetes 2014 o diabetes no brasil, na américa latina e no mundo
 
VIDEOCONFERÊNCIA | VULNERABILIDADE SOCIAL E RISCO ACRESCIDO À INFECÇÃO PELO H...
VIDEOCONFERÊNCIA | VULNERABILIDADE SOCIAL E RISCO ACRESCIDO À INFECÇÃO PELO H...VIDEOCONFERÊNCIA | VULNERABILIDADE SOCIAL E RISCO ACRESCIDO À INFECÇÃO PELO H...
VIDEOCONFERÊNCIA | VULNERABILIDADE SOCIAL E RISCO ACRESCIDO À INFECÇÃO PELO H...
 
Redução mortalidade infância no Brasil e no Mundo 1990-2012 -UNICEF
Redução mortalidade infância no Brasil e no Mundo 1990-2012 -UNICEF Redução mortalidade infância no Brasil e no Mundo 1990-2012 -UNICEF
Redução mortalidade infância no Brasil e no Mundo 1990-2012 -UNICEF
 
Determinantes saúde e Morte materna
Determinantes saúde e Morte maternaDeterminantes saúde e Morte materna
Determinantes saúde e Morte materna
 
Vigitel 2013 | Após oito anos em ascensão, obesidade no Brasil para de crescer
Vigitel 2013 | Após oito anos em ascensão, obesidade no Brasil para de crescerVigitel 2013 | Após oito anos em ascensão, obesidade no Brasil para de crescer
Vigitel 2013 | Após oito anos em ascensão, obesidade no Brasil para de crescer
 
Fatores de risco e tendências das taxas de mortalidade infantil e da prevalên...
Fatores de risco e tendências das taxas de mortalidade infantil e da prevalên...Fatores de risco e tendências das taxas de mortalidade infantil e da prevalên...
Fatores de risco e tendências das taxas de mortalidade infantil e da prevalên...
 
dados-apresentados_2016.pdf
dados-apresentados_2016.pdfdados-apresentados_2016.pdf
dados-apresentados_2016.pdf
 
Superação da pobreza da população negra
Superação da pobreza da população negraSuperação da pobreza da população negra
Superação da pobreza da população negra
 
Apresentação | Redução da mortalidade na Infância no Brasil
Apresentação | Redução da mortalidade na Infância no BrasilApresentação | Redução da mortalidade na Infância no Brasil
Apresentação | Redução da mortalidade na Infância no Brasil
 
Slides mortalidade
Slides mortalidadeSlides mortalidade
Slides mortalidade
 
A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente - CÂncer no Brasil - Dr...
A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente - CÂncer no Brasil - Dr...A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente - CÂncer no Brasil - Dr...
A Força da Mídia em Articulação com a Voz do Paciente - CÂncer no Brasil - Dr...
 

Semelhante a Diálogos Governo-Sociedade Civil 6ª edição

A Experiência Brasileira na Superação da Extrema Pobreza
A Experiência Brasileira na Superação da Extrema PobrezaA Experiência Brasileira na Superação da Extrema Pobreza
A Experiência Brasileira na Superação da Extrema PobrezaPalácio do Planalto
 
Efeito Copacabana - Os efeitos do rápido envelhecimento populacional no Brasil!
Efeito Copacabana - Os efeitos do rápido envelhecimento populacional no Brasil!Efeito Copacabana - Os efeitos do rápido envelhecimento populacional no Brasil!
Efeito Copacabana - Os efeitos do rápido envelhecimento populacional no Brasil!Fernando Cembranelli
 
Apresentação da Ministra - 15º Fórum Nacional dos Dirigentes Municipais de Ed...
Apresentação da Ministra - 15º Fórum Nacional dos Dirigentes Municipais de Ed...Apresentação da Ministra - 15º Fórum Nacional dos Dirigentes Municipais de Ed...
Apresentação da Ministra - 15º Fórum Nacional dos Dirigentes Municipais de Ed...Secretaria Especial do Desenvolvimento Social
 
Escassez de Médicos em Atenção Primária em Saúde no Brasil – 2010 - 2021_.pdf
Escassez de Médicos em Atenção Primária em Saúde no Brasil – 2010 - 2021_.pdfEscassez de Médicos em Atenção Primária em Saúde no Brasil – 2010 - 2021_.pdf
Escassez de Médicos em Atenção Primária em Saúde no Brasil – 2010 - 2021_.pdfDaviCarvalho66
 
Juventude, saúde e mobilidade - UFPR, Dez/2014
Juventude, saúde e mobilidade - UFPR, Dez/2014Juventude, saúde e mobilidade - UFPR, Dez/2014
Juventude, saúde e mobilidade - UFPR, Dez/2014Eduardo Biavati
 
Panorama epidemiológico de HIV/Aids no Brasil - 2013/2014
Panorama epidemiológico de HIV/Aids no Brasil - 2013/2014Panorama epidemiológico de HIV/Aids no Brasil - 2013/2014
Panorama epidemiológico de HIV/Aids no Brasil - 2013/2014Palácio do Planalto
 
Pesquisa eleitoral BTG Pactual para presidente
Pesquisa eleitoral BTG Pactual para presidentePesquisa eleitoral BTG Pactual para presidente
Pesquisa eleitoral BTG Pactual para presidentediariodocentrodomundo
 
Avaliação do Plano Brasil Sem Miséria: a perspectiva de pobreza monetária _ J...
Avaliação do Plano Brasil Sem Miséria: a perspectiva de pobreza monetária _ J...Avaliação do Plano Brasil Sem Miséria: a perspectiva de pobreza monetária _ J...
Avaliação do Plano Brasil Sem Miséria: a perspectiva de pobreza monetária _ J...UNDP Policy Centre
 

Semelhante a Diálogos Governo-Sociedade Civil 6ª edição (20)

A Experiência Brasileira na Superação da Extrema Pobreza
A Experiência Brasileira na Superação da Extrema PobrezaA Experiência Brasileira na Superação da Extrema Pobreza
A Experiência Brasileira na Superação da Extrema Pobreza
 
Efeito Copacabana - Os efeitos do rápido envelhecimento populacional no Brasil!
Efeito Copacabana - Os efeitos do rápido envelhecimento populacional no Brasil!Efeito Copacabana - Os efeitos do rápido envelhecimento populacional no Brasil!
Efeito Copacabana - Os efeitos do rápido envelhecimento populacional no Brasil!
 
Caderno Brasil Sem Miséria - Resultados 3 anos
Caderno Brasil Sem  Miséria  - Resultados 3 anos Caderno Brasil Sem  Miséria  - Resultados 3 anos
Caderno Brasil Sem Miséria - Resultados 3 anos
 
Apresentação da Ministra - 15º Fórum Nacional dos Dirigentes Municipais de Ed...
Apresentação da Ministra - 15º Fórum Nacional dos Dirigentes Municipais de Ed...Apresentação da Ministra - 15º Fórum Nacional dos Dirigentes Municipais de Ed...
Apresentação da Ministra - 15º Fórum Nacional dos Dirigentes Municipais de Ed...
 
Escassez de Médicos em Atenção Primária em Saúde no Brasil – 2010 - 2021_.pdf
Escassez de Médicos em Atenção Primária em Saúde no Brasil – 2010 - 2021_.pdfEscassez de Médicos em Atenção Primária em Saúde no Brasil – 2010 - 2021_.pdf
Escassez de Médicos em Atenção Primária em Saúde no Brasil – 2010 - 2021_.pdf
 
Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? As Novas Transformações Brasileiras po...
Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? As Novas Transformações Brasileiras po...Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? As Novas Transformações Brasileiras po...
Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? As Novas Transformações Brasileiras po...
 
Efeito Copabana
Efeito CopabanaEfeito Copabana
Efeito Copabana
 
Relatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio
Relatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do MilênioRelatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio
Relatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio
 
Juventude, saúde e mobilidade - UFPR, Dez/2014
Juventude, saúde e mobilidade - UFPR, Dez/2014Juventude, saúde e mobilidade - UFPR, Dez/2014
Juventude, saúde e mobilidade - UFPR, Dez/2014
 
Panorama epidemiológico de HIV/Aids no Brasil - 2013/2014
Panorama epidemiológico de HIV/Aids no Brasil - 2013/2014Panorama epidemiológico de HIV/Aids no Brasil - 2013/2014
Panorama epidemiológico de HIV/Aids no Brasil - 2013/2014
 
Pesquisa eleitoral BTG Pactual para presidente
Pesquisa eleitoral BTG Pactual para presidentePesquisa eleitoral BTG Pactual para presidente
Pesquisa eleitoral BTG Pactual para presidente
 
Pesquisa btg
Pesquisa btgPesquisa btg
Pesquisa btg
 
Evolução da mortalidade na infância nos últimos 10 anos (2007 a 2016)
Evolução da mortalidade na infância nos últimos 10 anos (2007 a 2016)Evolução da mortalidade na infância nos últimos 10 anos (2007 a 2016)
Evolução da mortalidade na infância nos últimos 10 anos (2007 a 2016)
 
Situação da Criança em Moçambique
Situação da Criança em MoçambiqueSituação da Criança em Moçambique
Situação da Criança em Moçambique
 
Apresentação | Coletiva Vigitel
Apresentação | Coletiva VigitelApresentação | Coletiva Vigitel
Apresentação | Coletiva Vigitel
 
Brasil fora do Mapa da Fome
Brasil fora do Mapa da Fome Brasil fora do Mapa da Fome
Brasil fora do Mapa da Fome
 
Avaliação do Plano Brasil Sem Miséria: a perspectiva de pobreza monetária _ J...
Avaliação do Plano Brasil Sem Miséria: a perspectiva de pobreza monetária _ J...Avaliação do Plano Brasil Sem Miséria: a perspectiva de pobreza monetária _ J...
Avaliação do Plano Brasil Sem Miséria: a perspectiva de pobreza monetária _ J...
 
ChildFund Brasil Visão Geral - ago 2014
ChildFund Brasil  Visão Geral - ago 2014ChildFund Brasil  Visão Geral - ago 2014
ChildFund Brasil Visão Geral - ago 2014
 
Pnad 2011
Pnad 2011Pnad 2011
Pnad 2011
 
125 anos da Abolição da Escravidão no Brasil: O que Mudou na Vida dos Negros ...
125 anos da Abolição da Escravidão no Brasil: O que Mudou na Vida dos Negros ...125 anos da Abolição da Escravidão no Brasil: O que Mudou na Vida dos Negros ...
125 anos da Abolição da Escravidão no Brasil: O que Mudou na Vida dos Negros ...
 

Mais de Secretaria Especial do Desenvolvimento Social

Mais de Secretaria Especial do Desenvolvimento Social (20)

Brazil’s Commitments to the United Nations Decade of Action on Nutrition (201...
Brazil’s Commitments to the United Nations Decade of Action on Nutrition (201...Brazil’s Commitments to the United Nations Decade of Action on Nutrition (201...
Brazil’s Commitments to the United Nations Decade of Action on Nutrition (201...
 
Novo Marco Legal sobre Drogas
Novo Marco Legal sobre DrogasNovo Marco Legal sobre Drogas
Novo Marco Legal sobre Drogas
 
Modelo - Noticiário do Dia
Modelo - Noticiário do Dia Modelo - Noticiário do Dia
Modelo - Noticiário do Dia
 
Orientações para a adesão dos municípios ao Sisan
Orientações para a adesão dos municípios ao SisanOrientações para a adesão dos municípios ao Sisan
Orientações para a adesão dos municípios ao Sisan
 
Apresentação do ministro Osmar Terra
Apresentação do ministro Osmar TerraApresentação do ministro Osmar Terra
Apresentação do ministro Osmar Terra
 
Cadernos de Estudos: Desenvolvimento Social em Debate - número 23
Cadernos de Estudos: Desenvolvimento Social em Debate - número 23Cadernos de Estudos: Desenvolvimento Social em Debate - número 23
Cadernos de Estudos: Desenvolvimento Social em Debate - número 23
 
Abril Indígena Suas
Abril Indígena SuasAbril Indígena Suas
Abril Indígena Suas
 
Caderno de Estudos nº 24 - Inclusão Produtiva Urbana
Caderno de Estudos nº 24 - Inclusão Produtiva UrbanaCaderno de Estudos nº 24 - Inclusão Produtiva Urbana
Caderno de Estudos nº 24 - Inclusão Produtiva Urbana
 
Lançamento do Caderno de Estudos Inclusão Produtiva Urbana: o que fez o Prona...
Lançamento do Caderno de Estudos Inclusão Produtiva Urbana: o que fez o Prona...Lançamento do Caderno de Estudos Inclusão Produtiva Urbana: o que fez o Prona...
Lançamento do Caderno de Estudos Inclusão Produtiva Urbana: o que fez o Prona...
 
Artigo: Batalhadores do Brasil
 Artigo: Batalhadores do Brasil Artigo: Batalhadores do Brasil
Artigo: Batalhadores do Brasil
 
Christine lagarde
Christine lagardeChristine lagarde
Christine lagarde
 
Caderno de Resultados (2011/2014)
Caderno de Resultados (2011/2014)Caderno de Resultados (2011/2014)
Caderno de Resultados (2011/2014)
 
Seguridad Nutricional y Alimentaria en Brasil
Seguridad Nutricional y Alimentaria en BrasilSeguridad Nutricional y Alimentaria en Brasil
Seguridad Nutricional y Alimentaria en Brasil
 
Food and Nutrition Security in Brazil
Food and Nutrition Security in BrazilFood and Nutrition Security in Brazil
Food and Nutrition Security in Brazil
 
Bolsa família e desenvolvimento com equilíbrio e inclusão social
Bolsa família e desenvolvimento com equilíbrio e inclusão socialBolsa família e desenvolvimento com equilíbrio e inclusão social
Bolsa família e desenvolvimento com equilíbrio e inclusão social
 
Boletim InfoSUAS 29.04
Boletim InfoSUAS 29.04Boletim InfoSUAS 29.04
Boletim InfoSUAS 29.04
 
Boletim InfoSUAS 28.04
Boletim InfoSUAS 28.04Boletim InfoSUAS 28.04
Boletim InfoSUAS 28.04
 
PAA 10 Anos de Aquisição de Alimentos
PAA 10 Anos de Aquisição de AlimentosPAA 10 Anos de Aquisição de Alimentos
PAA 10 Anos de Aquisição de Alimentos
 
Caderno de resultados da inclusão produtiva rural do Brasil Sem Miséria
Caderno de resultados da inclusão produtiva rural do Brasil Sem MisériaCaderno de resultados da inclusão produtiva rural do Brasil Sem Miséria
Caderno de resultados da inclusão produtiva rural do Brasil Sem Miséria
 
Livro Diversidade no Cadastro Único – Respeitar e Incluir
Livro Diversidade no Cadastro Único – Respeitar e IncluirLivro Diversidade no Cadastro Único – Respeitar e Incluir
Livro Diversidade no Cadastro Único – Respeitar e Incluir
 

Último

DIP - Organizações Internacionais - resolução de questões (8).pdf
DIP - Organizações Internacionais - resolução de questões (8).pdfDIP - Organizações Internacionais - resolução de questões (8).pdf
DIP - Organizações Internacionais - resolução de questões (8).pdfssuser1dab35
 
relatorio para alun o.pdf
relatorio para alun                         o.pdfrelatorio para alun                         o.pdf
relatorio para alun o.pdfHELLEN CRISTINA
 
Pablo Ortellado - Jornal O Globo, Rede Globo e GloboNews
Pablo Ortellado - Jornal O Globo, Rede Globo e GloboNewsPablo Ortellado - Jornal O Globo, Rede Globo e GloboNews
Pablo Ortellado - Jornal O Globo, Rede Globo e GloboNewsfacir18053
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfHELLEN CRISTINA
 
Documento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodrigues
Documento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo RodriguesDocumento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodrigues
Documento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodriguesfebiris841
 
tabela com a lista de mortos e desaparecidos
tabela com a lista de mortos e desaparecidostabela com a lista de mortos e desaparecidos
tabela com a lista de mortos e desaparecidosvnunes5k
 
Documento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodrigues
Documento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo RodriguesDocumento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodrigues
Documento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodriguesfebiris841
 

Último (8)

DIP - Organizações Internacionais - resolução de questões (8).pdf
DIP - Organizações Internacionais - resolução de questões (8).pdfDIP - Organizações Internacionais - resolução de questões (8).pdf
DIP - Organizações Internacionais - resolução de questões (8).pdf
 
Ofício denunciando perfis na internet.pdf
Ofício denunciando perfis na internet.pdfOfício denunciando perfis na internet.pdf
Ofício denunciando perfis na internet.pdf
 
relatorio para alun o.pdf
relatorio para alun                         o.pdfrelatorio para alun                         o.pdf
relatorio para alun o.pdf
 
Pablo Ortellado - Jornal O Globo, Rede Globo e GloboNews
Pablo Ortellado - Jornal O Globo, Rede Globo e GloboNewsPablo Ortellado - Jornal O Globo, Rede Globo e GloboNews
Pablo Ortellado - Jornal O Globo, Rede Globo e GloboNews
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
Documento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodrigues
Documento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo RodriguesDocumento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodrigues
Documento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodrigues
 
tabela com a lista de mortos e desaparecidos
tabela com a lista de mortos e desaparecidostabela com a lista de mortos e desaparecidos
tabela com a lista de mortos e desaparecidos
 
Documento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodrigues
Documento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo RodriguesDocumento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodrigues
Documento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodrigues
 

Diálogos Governo-Sociedade Civil 6ª edição

  • 1. Reduzindo Fome, Pobreza e Desigualdade
  • 2. PERFIL DA EXTREMA POBREZA Núcleo duro da pobreza  71% de negros e negras  60% na região Nordeste  40% de crianças e adolescentes (0 a 14 anos)
  • 3. EIXOS DO PLANO BRASIL SEM MISÉRIA MAPA DA POBREZA Melhoria da renda Aumento do bem-estar Garantia de renda Inclusão Produtiva Urbana e Rural Acesso a serviços Aumento de capacidades e oportunidades
  • 4. GARANTIA DE RENDA 22 milhões de brasileiros saíram da extrema pobreza Bolsa Família: Benefício médio mensal aumentou 84% acima da inflação Mais de 1,37 milhão de famílias localizadas e incluídas no Cadastro Único com a Busca Ativa
  • 5. INCLUSÃO PRODUTIVA URBANA 1,5 milhão de matrículas no PRONATEC/BSM 3,6 milhões de operações de microcrédito com beneficiários do Bolsa Família 478 mil empresas de microempreendedores geridas por beneficiários do Bolsa Família
  • 6. INCLUSÃO PRODUTIVA RURAL Assistência técnica, recursos financeiros e insumos para 354 mil famílias 750 mil cisternas instaladas desde o início do Plano Brasil Sem Miséria 1,1 milhão de cisternas nos Governos Lula e Dilma 88,1 mil cisternas de produção e outras tecnologias sociais entregues
  • 7. ACESSO A SERVIÇOS Desenvolvimento da Primeira Infância: 702 mil crianças do Bolsa Familia matriculadas em creches 66% de aumento de recursos destinados à alimentação escolar 9,1 milhões de crianças beneficiadas com a distribuição de Sulfato Ferroso e Vitamina A
  • 9. Cai em 24% a taxa dos chefes de domicílios sem instrução em todo o Brasil. A queda entre os 5% mais pobres chega em 36% Pessoas de referência dos domicílios sem instrução (%) 17.5 13.3 34.3 21.9 40 35 30 25 20 15 10 5 0 2002 2004 2008 2013 Total 5% mais pobres Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 36% 24%
  • 10. Entre os mais pobres cresceu em 138% o número de pessoas com ensino fundamental completo Pessoas de referência dos domicílios com nível fundamental completo (%) 37.2 52.7 14.5 34.4 60 50 40 30 20 10 0 42% 2002 2004 2008 2013 Total 5% mais 138% pobres Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS
  • 11. A frequência à escola das crianças entre 6 e 14 anos foi quase o dobro entre os 5% mais pobres População de 6 a 14 anos que frequênta escola (%) 95.8 98.4 92.5 97.5 99.0 98.0 97.0 96.0 95.0 94.0 93.0 92.0 91.0 90.0 2,8% 2002 2004 2008 2013 Total 5% mais pobres 5,5% Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS
  • 12. Sendo quase 5 vezes mais rápido o avanço no acesso da população 5% mais pobre à rede geral de água Domicílios com acesso à água por rede geral com canalização interna (%) 79.1 84.0 51.4 67.7 90 80 70 60 50 40 30 6,3% 2002 2004 2008 2013 Total 5% mais pobres Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 31,6%
  • 13. O avanço no acesso à água em geral foi 5 vezes mais rápido entre os mais 5% mais pobres Domicílios com acesso à água por rede geral, cisterna, poço ou nascente 88.6 94.6 59.7 79.9 100.0 90.0 80.0 70.0 60.0 50.0 40.0 30.0 6,8% 2002 2004 2008 2013 Total 5% mais pobres com canalização (%) Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 33,8%
  • 14. Foi 3 vezes mais rápido o avanço no acesso ao escoamento sanitário entre os 5% mais pobres Domicílios com escoamento sanitário adequado (%) 67.9 76.0 35.2 54.0 80.0 70.0 60.0 50.0 40.0 30.0 20.0 10.0 0.0 11,9% 2002 2004 2008 2013 Total 5% mais pobres Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 53,4%
  • 15. O acesso à energia elétrica avançou 5 vezes mais rápido entre os 5% mais pobres Domicílios com energia elétrica (%) 96.5 99.3 84.0 97.6 105.0 100.0 95.0 90.0 85.0 80.0 75.0 3,0% 2002 2004 2008 2013 Total 5% mais pobres Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 16,1%
  • 16. Acesso a geladeira ou freezer dos 5% mais pobres aumentou em 68% Domicílios com geladeira ou freezer (%) 87.3 97.6 52.8 88.7 100.0 80.0 60.0 40.0 20.0 0.0 11,9% 2002 2004 2008 2013 Total 5% mais pobres Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 68,0%
  • 17. O avanço no acesso ao telefone celular de quase 700% no período para a população 5% mais pobre Pessoas de referência dos domicílios com posse de telefone celular (%) 34.6 89.8 9.4 75.7 100.0 90.0 80.0 70.0 60.0 50.0 40.0 30.0 20.0 10.0 0.0 159% 2002 2004 2008 2013 Total 5% mais pobres Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 709%
  • 18. EVOLUÇÃO DA POBREZA CRÔNICA - PNUD 6.6% 6.0% 5.9% 5.3% 4.8% 4.7% 4.0% 3.7% 3.1% 2.9% 2.8% 8.0% 7.0% 6.0% 5.0% 4.0% 3.0% 2.0% 1.0% 0.0% 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2011 2012 2013 Pobreza crônica, OPHI/PNUD
  • 19. Terceira maior redução do número de pessoas subalimentadas no mundo – 2002/2014 - FAO BRASIL - POPULAÇÃO EM SUBALIMENTAÇÃO (%) % População 15 10 5 0 Fonte: FAO, 2014 – elaboração SAGI/MDS. 1,7 82% de redução Brasil deixou o Mapa Mundial da Fome em 2014
  • 20. EVOLUÇÃO DA TAXA DE EXTREMA POBREZA 7.9% 7.8% 2002/2013 - SÉRIE ORIGINAL 7.6% 7.0% 5.7% 5.7% 4.8% 4.6% 4.4% 3.6% 4.0% 7.5% 7.5% 7.2% 6.7% 5.4% 5.3% 4.5% 4.3% 4.2% 3.4% 3.8% 8.2% 8.2% 8.0% 7.4% 6.0% 6.1% 5.1% 4.9% 4.6% 3.8% 4.2% 9.0% 8.0% 7.0% 6.0% 5.0% 4.0% 3.0% 2.0% 1.0% 0.0% Erro amostral de +/-0,22 Erro amostral de +/-0,4 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2011 2012 2013 Taxa de extrema pobreza Limite Inferior Limite Superior Fonte: PNAD 2013. Elaboração: SAGI/MDS
  • 21. 7.3% EVOLUÇÃO DA POBREZA CRÔNICA 7.1% 6.7% 6.0% 4.8% 4.1% 3.2% 2.7% 2.0% 1.6% 1.4% 8.3% 8.1% 7.8% 7.0% 5.4% 4.4% 3.4% 2.9% 1.8% 1.5% 1.1% 9.0% 8.0% 7.0% 6.0% 5.0% 4.0% 3.0% 2.0% 1.0% 0.0% 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2011 2012 2013 Pobreza crônica, Banco Mundial Pobreza crônica, SAGI/MDS Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS e Banco Mundial
  • 22. INDICADOR DE POBREZA MULTIDIMENSIONAL CRÔNICA POR REGIÃO 18.1 17.3 13.4 12.1 9.6 9.1 7.2 6.2 5.2 17.9 17.8 15.3 14.5 11.3 9.1 7.2 5.8 3.5 2.3 1.9 2.3 2.1 1.8 1.6 20 18 16 14 12 10 8 6 4 2 1.0 0.8 0.6 0 0.4 0.2 0.2 0.1 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS
  • 23. INDICADOR DE POBREZA MULTIDIMENSIONAL CRÔNICA 4.5 4.1 3.8 3.4 2.6 2.2 1.8 1.4 0.9 0.6 0.5 12.6 12.5 11.6 10.8 8.1 6.7 5.2 4.3 2.9 2.1 1.7 14.0 12.0 10.0 8.0 6.0 4.0 2.0 0.0 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Branco e Amarelo Preto, pardo e índigenas Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS POR RAÇA/COR
  • 24. INDICADOR DE POBREZA MULTIDIMENSIONAL CRÔNICA 13.4 13.3 POR TIPO DE FAMÍLIA 12.8 12.3 9.8 8.0 6.5 5.4 3.6 2.6 2.1 2.0 2.0 1.7 1.6 1.1 1.0 0.7 0.6 0.4 0.3 0.3 15.0 13.0 11.0 9.0 7.0 5.0 3.0 1.0 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 -1.0 Pelo menos 1 filho com 6 anos ou menos Pelo menos 1 filho com idade entre 7 e 14 anos Todos os filhos com 6 anos ou menos Todos os filhos com idade entre 7 e 14 anos Todos os filhos com idade entre 15 e 24 anos Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS
  • 25. INDICADOR DE POBREZA MULTIDIMENSIONAL CRÔNICA URBANA E RURAL 4.7% 4.5% 3.8% 3.4% 30.0% 25.0% 20.0% 15.0% 10.0% 5.0% Fonte: PNAD/IBGE 2013. Elaboração: SAGI/MDS 2.5% 1.9% 1.4% 1.3% 0.7% 0.5% 0.4% 28.6% 27.1% 25.5% 24.4% 18.9% 16.8% 13.7% 10.9% 8.4% 6.1% 4.9% 0.0% 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2011 2012 2013 urbano rural
  • 26. EVOLUÇÃO DA POBREZA MONETÁRIA URBANA E RURAL 7.2 6.5 6.8 Taxa de Extrema Pobreza Original 5.4 4.9 3.8 4.1 3.3 3.3 3.1 2.6 3.1 24.0 21.6 21.2 17.8 16.9 15.1 13.4 11.9 11.3 11.3 9.2 9.1 30.0 25.0 20.0 15.0 10.0 5.0 0.0 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2011 2012 2013 Urbano Rural Fonte: PNAD/IBGE 2013. Elaboração: SAGI/MDS