SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
Autor do mês de  Abril<br />2219960208915 <br />HANS C. ANDERSEN<br />ESCRITOR E POETA DINAMARQUÊS DE HISTÓRIAS INFANTIS            1805-1875 ( Pai da literatura infantil)<br /> A VIDA <br />Há muito, muito tempo … Nasceu na Dinamarca, mais propriamente em Odense, no dia 2 de Abril de 1805, um rapazinho alto e franzino, chamado Hans Christian Andersen. A sua família era pobre. O pai era sapateiro e a mãe lavadeira, por isso a sua vida de menino não foi fácil.                              <br />Porém, tudo se parece complicar para esta criança quando o pai resolve abandonar a família, partindo para a guerra, alistado no exército francês de Napoleão.            <br />Com apenas oito anos de idade, a mãe lera-lhe a sentença: -“ Agora és o homem da casa…”. Esta frase cravou-se-lhe no peito como um punhal. Apesar da sua pouca idade, toda a família olhou para ele, na esperança que os ajudasse a vencer a miséria.             <br />Começou desde logo a trabalhar, mas a dureza do trabalho, associada às suas poucas forças e habilidade - afinal ele ainda era um menino! - transformaram a sua vida num tormento.             <br />A responsabilidade excessiva que pesava nos seus ombros frágeis encheu-lhe a alma de melancolia. Assim, nas horas vagas, em vez de brincar com os seus amigos, refugiava-se num canto a ler e a escrever poemas. <br />Certo dia, um raio de luz e esperança tocou-lhe de mansinho servindo-se da voz de uma feiticeira. Esta, aproximou-se de Christian e sussurrou – lhe ao ouvido: “ Vejo nos teus olhos a glória, a riqueza e a fama”. Depois, pegou-lhe na mão e decifrou nas linhas da vida, uma mensagem que até aqui camuflava o seu destino. Pela sabedoria da vidente o emaranhado das linhas começaram a falar e prometeram a este menino triste e desanimado, muita coisa boa, fama e sucesso…     <br />Pela primeira vez, desde há muito, um brilhozinho inundou de novo o seu olhar e o seu coração de entusiasmo e esperança no futuro. E a partir deste momento nunca mais sossegou, ansioso por ir em busca do destino magnífico que a feiticeira lhe anunciou. Acreditava, porém, que a sua sorte estava na cidade, em Copenhaga. Quis viajar até lá, contudo, a família impediu-o, troçando dos seus sonhos. Mas, a sua determinação foi mais forte acabando por vencer a descrença e hesitação da família. E, com o sonho e a ilusão na algibeira, parte ao encontro do seu destino. <br />Durante a viagem, escancarou as portas da sua imaginação e voou, sonhou que um príncipe o esperava e lhe dava a chave de três magníficos palácios: o palácio da fama e da glória, o palácio da riqueza e o palácio da poesia… Mas, a viagem chegava ao fim, teve de acordar, estava finalmente na capital. Esfregou os olhos, e não viu o príncipe, nem nenhuma comitiva para o receber! …   <br />         Durante muito tempo teve de caminhar sozinho e abandonado, parecia que as dificuldades lhe acorrentavam as pernas e o impediam de atingir a felicidade e a realização dos seus sonhos. Arranjou trabalhos mal pagos, ninguém ligou à sua poesia, representou apenas papéis secundários no teatro, adoeceu e perdeu a voz na véspera de uma audição que o poderia levar a uma carreira teatral mais séria, chegou mesmo a passar fome! … Mas não desistiu, apesar da sua tristeza e algum desencanto!<br /> Mais uma vez procurou a sua amiga e confidente, das horas difíceis, a escrita – a poesia! Escreveu então, lindos poemas! Que acabaram publicados num jornal, foram lidos e apreciados e abriram-lhe a porta risonha do seu destino! Finalmente, o príncipe do seu sonho de viagem parece chegar. Dois poetas famosos e um homem importante, chamado Jonas Collin, interessaram-se por ele; decidiram recomendá-lo ao rei e pagar-lhe os estudos. Acreditando no seu talento, mandam-no para um dos melhores colégios da Dinamarca. Hans não desiludiu os seus protectores e associando ao estudo muitas leituras, faz desabrochar a flor da escrita que desde há muito crescia no seu coração, mas desta vez com um perfume mais intenso e doce e com pétalas mais aveludadas e vistosas!           <br /> As histórias que escreveu foram de apreço geral e, nunca mais lhe faltaram editores! Escreveu livros de poemas, peças de teatro, romances, mas o que mais o celebrizou foram as histórias para crianças! A feiticeira tinha razão. Hans Christian Andersen, concretizou o seu destino de sonho. Conheceu a fama, a riqueza, o respeito e a admiração, daqueles que o conheceram e leram a sua obra.  <br />A OBRA<br />A partir de 1833 começa a publicar obras dramáticas, diários, apontamentos de viagens e alguns romances. Mas a obra que o torna célebre em todo o mundo é “Contos”, traduzidos para uma infinidade de idiomas. Andersen foi o primeiro escritor a criar realmente histórias infantis. Dono de uma profícua imaginação, os textos que produziu com um tom fabuloso, conseguiram e ainda conseguem interagir com a fantasia das crianças e também com a dos adultos.       Em 1935, escreveu seu primeiro trabalho infantil “Contos de fadas e histórias fantásticas”. Desde então, não parou mais de escrever. As suas histórias trazem mensagens de contrastes entre o optimismo e o pessimismo, ensinamentos morais e lições de vida. Serve-se do humor, para criticar as fraquezas humanas.<br />Deixou-nos cerca de 156 contos, os mais clássicos enraizados na tradição popular, traduzidos para mais de 100 idiomas, que através de histórias simples e curtas, fizeram a alegria de muitas crianças. <br />Entre eles destacam-se: “A pequena vendedora de fósforos”, “O fato novo do Imperador”, “A Pequena Sereia”, “O duende”,“O Soldadinho de Chumbo”, “O Patinho Feio”, “A princesa e o grão de ervilha”, “A colina dos elfos, “O rouxinol”, “O abeto”, etc.<br />O Dia Internacional do Livro Infanto-Juvenil, comemorado no dia 2 de Abril, é o dia de seu aniversário. <br />
Autor do Mês de Abril Hans Christian Andersen
Autor do Mês de Abril Hans Christian Andersen

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Ficha para trabalhar o número 100
Ficha para trabalhar o número 100Ficha para trabalhar o número 100
Ficha para trabalhar o número 100
 
O príncipe sapo
O príncipe sapoO príncipe sapo
O príncipe sapo
 
Mário de sá carneiro trabalho de hist
Mário de sá carneiro trabalho de histMário de sá carneiro trabalho de hist
Mário de sá carneiro trabalho de hist
 
Um bocadinho de inverno
Um bocadinho de invernoUm bocadinho de inverno
Um bocadinho de inverno
 
A princesa e o sapo
A princesa e o sapoA princesa e o sapo
A princesa e o sapo
 
Gincana Junina
Gincana JuninaGincana Junina
Gincana Junina
 
A classe dos determinantes ficha de trabalho
A classe dos determinantes   ficha de trabalhoA classe dos determinantes   ficha de trabalho
A classe dos determinantes ficha de trabalho
 
A princesa da chuva
A princesa da chuvaA princesa da chuva
A princesa da chuva
 
Palavras inverno
Palavras invernoPalavras inverno
Palavras inverno
 
Piratinha vol1
Piratinha vol1Piratinha vol1
Piratinha vol1
 
Teste PLNM outubro
Teste PLNM outubroTeste PLNM outubro
Teste PLNM outubro
 
Poesias mostra cultural
Poesias mostra culturalPoesias mostra cultural
Poesias mostra cultural
 
Lengalengas ducla soares_ese_paula.melo_
Lengalengas ducla soares_ese_paula.melo_Lengalengas ducla soares_ese_paula.melo_
Lengalengas ducla soares_ese_paula.melo_
 
Versos de cacaracá
Versos de cacaracáVersos de cacaracá
Versos de cacaracá
 
Poema livro
Poema   livroPoema   livro
Poema livro
 
Teste de preparação
Teste de preparaçãoTeste de preparação
Teste de preparação
 
O Limpa Palavras
O Limpa PalavrasO Limpa Palavras
O Limpa Palavras
 
Trisavó de pistola á cinta e outras histórias
Trisavó de pistola á cinta e outras históriasTrisavó de pistola á cinta e outras histórias
Trisavó de pistola á cinta e outras histórias
 
A maior-flor-do-mundo
A maior-flor-do-mundoA maior-flor-do-mundo
A maior-flor-do-mundo
 
José Saramago
José SaramagoJosé Saramago
José Saramago
 

Semelhante a Autor do Mês de Abril Hans Christian Andersen

Hans christian andersen
Hans christian andersenHans christian andersen
Hans christian andersenElias Garcia
 
Indicações literárias de contos de Hans Christian Andersen - 3º ano A
Indicações literárias de contos de Hans Christian Andersen - 3º ano AIndicações literárias de contos de Hans Christian Andersen - 3º ano A
Indicações literárias de contos de Hans Christian Andersen - 3º ano Aescoladavila
 
Leituras 5ano
Leituras 5anoLeituras 5ano
Leituras 5anobeaerm
 
Indicações literárias de contos de Hans Christian Andersen - 3º ano A
Indicações literárias de contos de Hans Christian Andersen - 3º ano AIndicações literárias de contos de Hans Christian Andersen - 3º ano A
Indicações literárias de contos de Hans Christian Andersen - 3º ano Aescoladavila
 
A Saga de Sophia de Mello Breyner Andresen
A Saga de Sophia de Mello Breyner Andresen A Saga de Sophia de Mello Breyner Andresen
A Saga de Sophia de Mello Breyner Andresen becre-palmeiras
 
Hans cristian andersen abril 18
Hans cristian andersen abril 18Hans cristian andersen abril 18
Hans cristian andersen abril 18AELPB
 
Alicevieira 120523033823-phpapp02
Alicevieira 120523033823-phpapp02Alicevieira 120523033823-phpapp02
Alicevieira 120523033823-phpapp02becastanheiradepera
 
Dia livro infantil - 2 de Abril - Biblioteca Algoz
Dia livro infantil - 2 de Abril - Biblioteca AlgozDia livro infantil - 2 de Abril - Biblioteca Algoz
Dia livro infantil - 2 de Abril - Biblioteca Algozlidia76
 
Hans Christian Andersen (1805 1875)
Hans Christian Andersen (1805 1875)Hans Christian Andersen (1805 1875)
Hans Christian Andersen (1805 1875)TrasimacoSapo
 
Powerpoint apresentação de livro
Powerpoint apresentação de livroPowerpoint apresentação de livro
Powerpoint apresentação de livroCristina Marcelino
 

Semelhante a Autor do Mês de Abril Hans Christian Andersen (20)

H.c.andersen
H.c.andersenH.c.andersen
H.c.andersen
 
Estudo nos planejamentos
Estudo nos planejamentosEstudo nos planejamentos
Estudo nos planejamentos
 
Hans christian andersen
Hans christian andersenHans christian andersen
Hans christian andersen
 
Indicações literárias de contos de Hans Christian Andersen - 3º ano A
Indicações literárias de contos de Hans Christian Andersen - 3º ano AIndicações literárias de contos de Hans Christian Andersen - 3º ano A
Indicações literárias de contos de Hans Christian Andersen - 3º ano A
 
Leituras 5ano
Leituras 5anoLeituras 5ano
Leituras 5ano
 
Indicações literárias de contos de Hans Christian Andersen - 3º ano A
Indicações literárias de contos de Hans Christian Andersen - 3º ano AIndicações literárias de contos de Hans Christian Andersen - 3º ano A
Indicações literárias de contos de Hans Christian Andersen - 3º ano A
 
A Saga de Sophia de Mello Breyner Andresen
A Saga de Sophia de Mello Breyner Andresen A Saga de Sophia de Mello Breyner Andresen
A Saga de Sophia de Mello Breyner Andresen
 
Hans cristian andersen abril 18
Hans cristian andersen abril 18Hans cristian andersen abril 18
Hans cristian andersen abril 18
 
Alice Vieira
Alice VieiraAlice Vieira
Alice Vieira
 
Casa de bonecas
Casa de bonecasCasa de bonecas
Casa de bonecas
 
Contacto 1.º período
Contacto   1.º períodoContacto   1.º período
Contacto 1.º período
 
Sugestões de leitura
Sugestões de leituraSugestões de leitura
Sugestões de leitura
 
Sugestões de leitura
Sugestões de leituraSugestões de leitura
Sugestões de leitura
 
Alicevieira 120523033823-phpapp02
Alicevieira 120523033823-phpapp02Alicevieira 120523033823-phpapp02
Alicevieira 120523033823-phpapp02
 
Dia livro infantil - 2 de Abril - Biblioteca Algoz
Dia livro infantil - 2 de Abril - Biblioteca AlgozDia livro infantil - 2 de Abril - Biblioteca Algoz
Dia livro infantil - 2 de Abril - Biblioteca Algoz
 
Luis Sepúlveda
Luis SepúlvedaLuis Sepúlveda
Luis Sepúlveda
 
Hans Christian Andersen (1805 1875)
Hans Christian Andersen (1805 1875)Hans Christian Andersen (1805 1875)
Hans Christian Andersen (1805 1875)
 
Antologia poética
Antologia poéticaAntologia poética
Antologia poética
 
Rachel de queiroz
Rachel de queirozRachel de queiroz
Rachel de queiroz
 
Powerpoint apresentação de livro
Powerpoint apresentação de livroPowerpoint apresentação de livro
Powerpoint apresentação de livro
 

Último

organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadoA população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadodanieligomes4
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzAlexandrePereira818171
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 

Último (20)

organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoadoA população Brasileira e diferença de populoso e povoado
A população Brasileira e diferença de populoso e povoado
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 

Autor do Mês de Abril Hans Christian Andersen

  • 1. Autor do mês de  Abril<br />2219960208915 <br />HANS C. ANDERSEN<br />ESCRITOR E POETA DINAMARQUÊS DE HISTÓRIAS INFANTIS 1805-1875 ( Pai da literatura infantil)<br /> A VIDA <br />Há muito, muito tempo … Nasceu na Dinamarca, mais propriamente em Odense, no dia 2 de Abril de 1805, um rapazinho alto e franzino, chamado Hans Christian Andersen. A sua família era pobre. O pai era sapateiro e a mãe lavadeira, por isso a sua vida de menino não foi fácil.          <br />Porém, tudo se parece complicar para esta criança quando o pai resolve abandonar a família, partindo para a guerra, alistado no exército francês de Napoleão.            <br />Com apenas oito anos de idade, a mãe lera-lhe a sentença: -“ Agora és o homem da casa…”. Esta frase cravou-se-lhe no peito como um punhal. Apesar da sua pouca idade, toda a família olhou para ele, na esperança que os ajudasse a vencer a miséria.             <br />Começou desde logo a trabalhar, mas a dureza do trabalho, associada às suas poucas forças e habilidade - afinal ele ainda era um menino! - transformaram a sua vida num tormento.             <br />A responsabilidade excessiva que pesava nos seus ombros frágeis encheu-lhe a alma de melancolia. Assim, nas horas vagas, em vez de brincar com os seus amigos, refugiava-se num canto a ler e a escrever poemas. <br />Certo dia, um raio de luz e esperança tocou-lhe de mansinho servindo-se da voz de uma feiticeira. Esta, aproximou-se de Christian e sussurrou – lhe ao ouvido: “ Vejo nos teus olhos a glória, a riqueza e a fama”. Depois, pegou-lhe na mão e decifrou nas linhas da vida, uma mensagem que até aqui camuflava o seu destino. Pela sabedoria da vidente o emaranhado das linhas começaram a falar e prometeram a este menino triste e desanimado, muita coisa boa, fama e sucesso…     <br />Pela primeira vez, desde há muito, um brilhozinho inundou de novo o seu olhar e o seu coração de entusiasmo e esperança no futuro. E a partir deste momento nunca mais sossegou, ansioso por ir em busca do destino magnífico que a feiticeira lhe anunciou. Acreditava, porém, que a sua sorte estava na cidade, em Copenhaga. Quis viajar até lá, contudo, a família impediu-o, troçando dos seus sonhos. Mas, a sua determinação foi mais forte acabando por vencer a descrença e hesitação da família. E, com o sonho e a ilusão na algibeira, parte ao encontro do seu destino. <br />Durante a viagem, escancarou as portas da sua imaginação e voou, sonhou que um príncipe o esperava e lhe dava a chave de três magníficos palácios: o palácio da fama e da glória, o palácio da riqueza e o palácio da poesia… Mas, a viagem chegava ao fim, teve de acordar, estava finalmente na capital. Esfregou os olhos, e não viu o príncipe, nem nenhuma comitiva para o receber! …   <br />         Durante muito tempo teve de caminhar sozinho e abandonado, parecia que as dificuldades lhe acorrentavam as pernas e o impediam de atingir a felicidade e a realização dos seus sonhos. Arranjou trabalhos mal pagos, ninguém ligou à sua poesia, representou apenas papéis secundários no teatro, adoeceu e perdeu a voz na véspera de uma audição que o poderia levar a uma carreira teatral mais séria, chegou mesmo a passar fome! … Mas não desistiu, apesar da sua tristeza e algum desencanto!<br /> Mais uma vez procurou a sua amiga e confidente, das horas difíceis, a escrita – a poesia! Escreveu então, lindos poemas! Que acabaram publicados num jornal, foram lidos e apreciados e abriram-lhe a porta risonha do seu destino! Finalmente, o príncipe do seu sonho de viagem parece chegar. Dois poetas famosos e um homem importante, chamado Jonas Collin, interessaram-se por ele; decidiram recomendá-lo ao rei e pagar-lhe os estudos. Acreditando no seu talento, mandam-no para um dos melhores colégios da Dinamarca. Hans não desiludiu os seus protectores e associando ao estudo muitas leituras, faz desabrochar a flor da escrita que desde há muito crescia no seu coração, mas desta vez com um perfume mais intenso e doce e com pétalas mais aveludadas e vistosas!           <br /> As histórias que escreveu foram de apreço geral e, nunca mais lhe faltaram editores! Escreveu livros de poemas, peças de teatro, romances, mas o que mais o celebrizou foram as histórias para crianças! A feiticeira tinha razão. Hans Christian Andersen, concretizou o seu destino de sonho. Conheceu a fama, a riqueza, o respeito e a admiração, daqueles que o conheceram e leram a sua obra.  <br />A OBRA<br />A partir de 1833 começa a publicar obras dramáticas, diários, apontamentos de viagens e alguns romances. Mas a obra que o torna célebre em todo o mundo é “Contos”, traduzidos para uma infinidade de idiomas. Andersen foi o primeiro escritor a criar realmente histórias infantis. Dono de uma profícua imaginação, os textos que produziu com um tom fabuloso, conseguiram e ainda conseguem interagir com a fantasia das crianças e também com a dos adultos.       Em 1935, escreveu seu primeiro trabalho infantil “Contos de fadas e histórias fantásticas”. Desde então, não parou mais de escrever. As suas histórias trazem mensagens de contrastes entre o optimismo e o pessimismo, ensinamentos morais e lições de vida. Serve-se do humor, para criticar as fraquezas humanas.<br />Deixou-nos cerca de 156 contos, os mais clássicos enraizados na tradição popular, traduzidos para mais de 100 idiomas, que através de histórias simples e curtas, fizeram a alegria de muitas crianças. <br />Entre eles destacam-se: “A pequena vendedora de fósforos”, “O fato novo do Imperador”, “A Pequena Sereia”, “O duende”,“O Soldadinho de Chumbo”, “O Patinho Feio”, “A princesa e o grão de ervilha”, “A colina dos elfos, “O rouxinol”, “O abeto”, etc.<br />O Dia Internacional do Livro Infanto-Juvenil, comemorado no dia 2 de Abril, é o dia de seu aniversário. <br />