OS LIVROS DE SAMUEL

7.273 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
8 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.273
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.554
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
295
Comentários
1
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

OS LIVROS DE SAMUEL

  1. 1. Os livros de Samuel Estabelecimento de Israel como reino Teocrático
  2. 2. Autoria <ul><li>Título </li></ul><ul><li>Devido à 1ª figura humana de destaque neles, Samuel, palavra que significa “nome de Deus” ou possivelmente uma abreviatura de “pedido a Deus”. Originalmente, no cânon hebraico, os dois livros formavam um só volume, “O Livro de Samuel”, mas foram divididos em dois pelos tradutores gregos (Septuaginta) que os chamaram de “1 e 2 Reis”. Os livro que chamamos de 1 e 2 Reis tinham o nome de 3 e 4 Reis. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Autor </li></ul><ul><li>Estes livros, como a maioria dos livros históricos, são anônimos. O profeta Samuel é geralmente considerado o autor de 1 Samuel 1-24, e Natã e Gade os autores da parte restante. As descrições sugerem que os autores foram testemunhas oculares dos acontecimentos. </li></ul><ul><li>1 Crônicas 29.29 . </li></ul>
  4. 4. Cenário Histórico <ul><li>Data envolvidas – 1100 a 970 a.C., aproximadamente. </li></ul><ul><li>Os acontecimentos relatados nos dois livros cobrem o período do nascimento de Samuel até o fim do reinado de Davi. Supondo que Samuel tivesse 30 anos aproximadamente quando começou a sua liderança em 1070 (5 anos após a morte de Eli). O período de tempo para os livros é de cerca de 130 anos. </li></ul><ul><li>Antes da liderança de Samuel, diversos juízes governaram Israel. Sansão, a sudeste governou Judá e Dã; Jefté governou Manassés e Efraim Oriental; Ibsão, Elom e Abdom, jugaram outras partes de Israel, enquanto Samuel crescia em Silo. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Diversos períodos sobrepostos estão envolvidos na história: </li></ul><ul><li>40 anos – opressão dos filisteus 1095 -1055 (juízes 13.1) </li></ul><ul><li>40 anos – magistratura de Eli – 1115 – 1075 (1 Sm. 4.18) </li></ul><ul><li>75 anos – arca em Quiriate-Jearim – 1075 – 1000 (1 Sm. 7.2; 1 Cr. 15.25) </li></ul><ul><li>40 anos – magistratura de Samuel – 1055 – 1015 (1 Sm. 7.14-16) </li></ul><ul><li>40 anos – Reinado de Saul – 1050 – 1010 (At.13.21) </li></ul><ul><li>40 anos – Reinado de Davi – 1010 – 970 (2 Sm. 5,4) </li></ul>
  6. 6. Cenário Religioso em que se achava a nação <ul><li>O período começou com a idolatria e a imoralidade ainda predominante em Israel (1 Sm. 7.3). Embora Eli fosse fiel como sacerdote, ele deixou de honrar a Deus por não disciplinar seus filhos (1 Sm. 2.29) que serviam no tabernáculo de Silo com flagrante de imoralidade e cobiça. Por este motivo, o Senhor proferiu julgamento contra a casa de Eli, dizendo que seria afastado do sacerdócio. (1 Sm. 2.33). </li></ul>
  7. 7. <ul><li>O Tabernáculo e a arca tinham estado em Silo (14km ao norte de Betel) desde os tempos de Josué até os de Eli. Quando na ocasião da morte de Eli a arca foi roubada, esses dois itens principais do sistema religioso de Israel ficaram separados e assim permaneceram durante 75 anos até que Davi fez com que a arca voltasse em 1000 a.C. </li></ul>Tabernáculo Arca Em Gilgal 1405 – 1398 Em Gilgal 1405 – 1398 Em Silo 1398 – 1075 Em Silo 1398 – 1075 Em Nobe 1075 – 1015 Em Filístia 1075 Em Gilbeom 1015 – 1000 Em Quiriate-Jearim 1015 – 1000 Em Jerusalém 1000 - 960 Em Jerusalém 1000 - 960 Templo terminado, 960 Em Jerusalém 960 - 586
  8. 8. Cenário político da união <ul><li>Divisões internas. Foi um época de lideranças divididas e anarquia geral. Desde a morte de Josué, a nação vinha sem liderança central, mas na emegerncias as tribos eram julgadas por juízes indicados por Deus e, às vezes, por governantes sacerdotes (Finéias e Eli). </li></ul><ul><li>Opressões externas. Os filisteus do sudeste fizeram nessa época a maior oposição a Israel, embora outros povos fizessem ataques esporádicos. Os filisteus tormaram-lhe não somente a arca; toda a Jordânia ocidental foi várias vezes quase toda tomada por eles. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Sob o reinado de Davi, os problemas de anarquia interna e opressão externa foram resolvidos aos poucos. Sob sua liderança os filisteus foram expulsos; Edom, Moabe, Amom e Síria tornaram-se vassalos de Israel, e conclui-se um tratado de paz com a Fenícia. </li></ul>
  10. 10. Objetivo do Livro <ul><li>Apresentar a história do desenvolvimento de Israel desde um estado de anarquia até um estado de monarquia teocrática. O motivo dominante é a glória e o poder de uma nação que corresponde ao Senhor soberano. </li></ul>
  11. 11. Esboço de 1 Samuel <ul><li>ASCENSÃO E GOVERNO DE SAMUEL ............... 1-8 </li></ul><ul><li>Samuel preparado para o serviço .................... 1-3 </li></ul><ul><li>Nascimento e consagração .................................. 1 </li></ul><ul><li>Crescimento e chamada para o serviço ............ 2-3 </li></ul><ul><li>Israel unificado por Samuel ............................. 4-7 </li></ul><ul><li>A Arca de Deus julga os filisteus ....................... 4-5 </li></ul><ul><li>A Arca de Deus julga Israel .................................. 6 </li></ul><ul><li>O Senhor derrota os filisteus ............................... 7 </li></ul><ul><li>Samuel rejeitado como líder de Israel ..................8 </li></ul><ul><li>Israel rejeita os filhos de Samuel </li></ul><ul><li>Israel pede um rei como as nações </li></ul>
  12. 12. <ul><li>ASCENSÃO E GOVERNO DE SAUL .................... 9-15 </li></ul><ul><li>Saul escolhido pelo povo ....... ......................... 9-10 </li></ul><ul><li>Bela aparência ..................................................... 9 </li></ul><ul><li>Unção do rei de Israel ....................................... 10 </li></ul><ul><li>Saul confirmado por uma vitória nacional ......... 11 </li></ul><ul><li>Amonitas ameaçam a Transjordânia </li></ul><ul><li>Amonitas vencidos por Saul </li></ul><ul><li>Saul proclamado rei </li></ul><ul><li>Saul rejeitado por Deus ................................ 12-15 </li></ul><ul><li>Discurso final e censura de Samuel .................... 12 </li></ul><ul><li>Conduta insensata de Saul ............................ 13-14 </li></ul><ul><li>Presunção fatal de Saul ...................................... 15 </li></ul>
  13. 13. <ul><li>ASCENSÃO E FUNÇÃO ANTECIPADA DE DAVI . 16-31 </li></ul><ul><li>Treinamento de Davi como pastor ....... ......... 16-17 </li></ul><ul><li>Ungido como futuro rei ..................................... 16 </li></ul><ul><li>Aclamado como futuro rei ................................ 17 </li></ul><ul><li>Serviço de Davi como cortesão ..................... 18-19 </li></ul><ul><li>Desavença com o invejoso Saul ......................... 18 </li></ul><ul><li>Fuga da face do conspirador Saul ...................... 19 </li></ul><ul><li>Provações de Davi como fugitivo ................. 20-31 </li></ul><ul><li>Fuga para longe de Saul ................................ 20-23 </li></ul><ul><li>Davi poupa a vida de Saul ............................. 24-26 </li></ul><ul><li>Na terra dos filisteus ..................................... 27-30 </li></ul><ul><li>Morte de Saul .................................................... 31 </li></ul>
  14. 14. Contribuições singulares de 1 e 2 Samuel <ul><li>Samuel, o unge reis. </li></ul><ul><li>A história do A.T. apresenta-nos 3 levitas notáveis do começo, meio e fim do periodo de Isarel: Moisés, Samuel e Esdras. Todos contribuiram de grande forma à Palavra de Deus: </li></ul><ul><li>Moisés escreveu 5 livros; </li></ul><ul><li>Esdras escreveu os últimos 4 ou 5 livros históricos e organizou o cânon. </li></ul><ul><li>Samuel é o provável autor de 3 livros do meio deste período. </li></ul>
  15. 15. <ul><li>A importância de Samuel, entretanto, vem do fato de que ele ungiu os dois primeiros reis de Israel a mandado do Senhor. Essa continuou a ser uma função especial dos profetas de Israel até a ocasião em que João Batista apresentou a Jesus. </li></ul><ul><li>Famosa oração de Ana e considerações (1 Sm 2.1-10). </li></ul><ul><li>Uma das orações mais notáveis da bíblia. Ana regozija-se na grandeza de Deus e na sua graça de levantar os humildes e insignificantes para confundir os sábios e poderosos. </li></ul>
  16. 16. <ul><li>Nas suas orações ela introduziu o uso de dois importantes nomes do Senhor: </li></ul><ul><li>O 1º é “Senhor dos Exércitos”(1 Sm. 1.3,11), designação usada aproximadamente 300 vezes na parte restante do A.T. A oração de Ana afirma : “O Senhor é o que tira a vida a e dá”(1 Sm. 2.6) aludindo ao seu poder. </li></ul><ul><li>Também se refere ao rei divino como “Seu Ungido” (1 Sm. 2.10), um termo interpretado como o “Messias” em Daniel 9.25-26, e como a origem do nome de “Cristo” no N.T. </li></ul>
  17. 17. <ul><li>Figura trágica de Eli (1 Sm. 2.12-36) </li></ul><ul><li>Eli, o sumo sacerdote, simbolizou a condição em que se achava Israel naquela época: vivia uma forma de piedade sem poder ou disciplina pessoal. </li></ul><ul><li>Eli perdeu o sacerdócio por 2 motivos: </li></ul><ul><li>Por sua soberania Deus tinha dado o sumo sacerdócio a Finéias – filho de Eleazar – como sacerdote perpétuo, e não a casa de Itamar à qual pertencia Eli (Nm. 25.11-13). </li></ul><ul><li>Foi a falha de Eli em disciplinar seus filhos (1 Sm. 3.13), que tiraram proveito do sacerdócio para seu próprio lucro; o Senhor atribuiu a Eli parte da culpa (1 Sm. 2.29). </li></ul>
  18. 18. <ul><li>A Arca perdida: “ICABODE” (1 Sm 4-6) </li></ul><ul><li>Eli e seus filhos trouxeram grande vergonha a Israel pelo uso supersticioso da arca no combate. Não somente perderam a batalha como a arca foi levada pelos filisteus. O nome dado ao neto de Eli, “ Icabode ” (“Foi-se a glória de Israel”, 1 Sm. 4.21) caracterizou muito bom a nação. Durante 75 anos a arca esteve separada do tabernáculo. Durante 7 meses em que ficou na Filístia, foi usada para ensinar aos filisteus algumas profundas lições sobre o Deus de Israel. Quando colocada no templo de Dagom, o deus filisteus caiu 2 vezes por terra perante a arca, quase destruindo-se na 2ª vez. Quando foi mandada as 5 cidades da Filístia, a enfermidade devastou o povo e o temor tomou conta da nação. </li></ul>
  19. 19. <ul><li>Saul, a escolha israelita de um rei “alto” (1 Sm. 9-15). </li></ul><ul><li>A indicação de Saul como rei foi uma característica ou consentimento interessante do Senhor, visto que a cidade e tribo de Saul (Gibeá de Benjamim) tinha sido destruída quase toda 3 séculos antes por causa da imoralidade. A escolha de Saul feita pelo povo, refletia a sua confiança mais na aparência física do que na força espiritual. Os fracassos de Saul foram devidos a fraquezas espirituais: </li></ul>
  20. 20. <ul><li>Ao defrontar-se com os poderosos invasores filisteus, ele impacientou-se com Samuel e imprudentemente usurpou a função sacerdotal do sacrifício; </li></ul><ul><li>Sedento por vitória, tornou-se egoísta nas exigências com as tropas; </li></ul><ul><li>Depois de uma vitória parcial sobre os amalequitas, deixou de obedecer à ordem de Deus para destruir a todos (supondo que um sacrifício posterior compensaria a desobedienci); </li></ul><ul><li>Quando Davi foi bem sucedido onde Saul faltara, teve ciúmes; </li></ul><ul><li>Quando castigo por Deus em virtude de seus erros, tornou-se amargo em vez de humilde. </li></ul><ul><li>O trágico fim de Saul, ao suicidar-se, demonstrou a futilidade da mera aparência na execução da obra de Deus. </li></ul>
  21. 21. <ul><li>Davi e Golias (1 Sm. 16-17). </li></ul><ul><li>O grande contraste entre o “alto” Saul e o “pequeno” Davi está na escolha divina do jovem pastor, a quem a sua própria família não considerava um candidato a rei (1 Sm. 16). Tão grande era a fé de Davi, que respondeu ao desafio de Golias dizendo que daria todo o exercito dos filisteus asa aves e as bestas-feras (17.45-46). Davi sempre perguntava ao Senhor antes de entrar em combate, diferentemente de Saul que tinha a ambição pelas vitórias (1 Sm. 22.10; 23.2,4,10; 30.8; 2 Sm. 2.1; 5.19,23). Ao derrotar Golias, o maio problema de Davi não foi o gigante ou os filisteus, mas a duvida e descrença de Israel. </li></ul>
  22. 22. <ul><li>Extraordinário Davi. </li></ul><ul><li>Talvez não haja na Bíblia um </li></ul><ul><li>homem estimado em tão alto grau </li></ul><ul><li>por Deus e pelos homens. Foi ele </li></ul><ul><li>que estabeleceu o padrão pelo </li></ul><ul><li>qual Deus avaliou todos os reis </li></ul><ul><li>posteriores de Israel. O Senhor o </li></ul><ul><li>usou também para instruir a nação quanto à adoração e o louvor que lhe são devidos. Seus salmos tem inspirado mais pessoas do que qualquer outras composições literárias. Quais eram as chaves da grandeza de Davi? </li></ul>
  23. 23. <ul><li>Tinha um profundo amor por Deus e dedicou-se à sua obra. </li></ul><ul><li>Tinha confiança nas suas convicções e não se atemorizava com a descrença e o negativismo ao seu redor. </li></ul><ul><li>Assumiu o trono real como um “servo do seu povo”, e não como senhor (como Saul havia feito). </li></ul><ul><li>No seu longo período de provação, aprendeu a esperar no Senhor e a deixar por sua conta quaisquer vinganças pessoais. </li></ul><ul><li>Aprendeu a delegar responsabilidades e a dar crédito àqueles que serviram bem. </li></ul><ul><li>Apesar de não ser perfeito em muitas coisas, mostrou uma capacidade notável de aceitar a própria culpa e reagir positivamente ao castigo de Deus. </li></ul>
  24. 24. <ul><li>Aliança Davídica (2 Sm. 7). </li></ul><ul><li>A aliança Davídica foi dada para elaborar o aspecto nacional com referência ao rei. Esta aliança prometeu que os seus descendentes teriam os direitos do trono de Israel para sempre, e que a linhagem seria através de Salomão, o construtor do templo. </li></ul>
  25. 25. <ul><li>O pecado de Davi (2 Sm. 11-12). </li></ul><ul><li>O “caso” no auge do reinado de Davi que se tornou o divisor de águas em sua vida. O ponto onde fez a divisão das suas vitórias e suas dificuldades. O fato de olhar para a esposa do vizinho conduziu-o à cobiça e o arrastou ao adultério. Isso levou-o a falsidade e ao disfarce, ao roubo da esposa de um dos seus oficiais, e ao assassinato, num conspiração contra um dos homens mais nobres de seu exército. Este assassinato foi disfarçado elegantemente como uma consequência de guerra. A poderosa palavra do profeta Natã expôs o sórdido acontecimento. </li></ul>
  26. 26. <ul><li>Quatro foram as consequências desse pecado, duas condenatórias e duas compassivas: </li></ul><ul><li>O julgamento que atingiu o coração de Davi e a perda do filho recém-nascido </li></ul><ul><li>O perdão do Senhor quando Davi confessou seu pecado (2 Sm. 12.13) </li></ul><ul><li>As consequências em sua família. Seu filho mais velho Amnom seduziu sua filha Tamar. A morte de 2 filhos assassinados por outros 2. Absalão usurpou seu reinado e envergonhou as suas concubinas. </li></ul><ul><li>A graça de Deus para com ele depois de seu profundo arrependimento, permitindo-lhe que Bate-Seba tivesse outro filho a quem o trono seria dado. Salmos 32; 51. </li></ul>
  27. 27. <ul><li>O pecado de Davi (2 Sm. 11-12). </li></ul><ul><li>O “caso” no auge do reinado de Davi que se tornou o divisor de águas em sua vida. O ponto onde fez a divisão das suas vitórias e suas dificuldades. O fato de olhar para a esposa do vizinho conduziu-o à cobiça e o arrastou ao adultério. Isso levou-o a falsidade e ao disfarce, ao roubo da esposa de um dos seus oficiais, e ao assassinato, num conspiração contra um dos homens mais nobres de seu exército. Este assassinato foi disfarçado elegantemente como uma consequência de guerra. </li></ul>

×