NOÇÕES
DE ADMINISTRAÇÃO
GERAL
MPPE - 2012
Prof.ª Elisabete Moreira
“Quanto mais as pessoas acreditam em uma
coisa, quanto ...
1
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
SUMÁRIO
1. Processo organizacional: planejamento, direção, c...
2
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
1.1. Planejamento
 Tem precedência sobre todas as demais fu...
3
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
ESTRATÉGICO TÁTICO OPERACIONAL
Prazo Longo Médio Curto
Ampli...
4
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
1.3. Organização
 Distribui tarefas e recursos, determina a...
5
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
1.6.1 Controle - Elementos
6
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
1.6.2. Controle - Momentos
1.6.3. Controle - Níveis
 Instit...
7
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
Barreiras à Comunicação
Canais de Comunicação
 Formal: os c...
8
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
Características da Boa Comunicação
 Objetividade e assertiv...
9
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
55. (FCC / TCEPR / 2012). Fazer que algo aconteça do modo co...
10
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
 Formalização: grau de controle da organização sobre o ind...
11
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
 Duplicação de custos;
 Enfatiza a coordenação em detrime...
12
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
e) Departamentalização por Processo:
Vantagem:
 Arranjo fí...
13
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
g) Departamentalização Mista:
2.2. Estrutura Organizacional...
14
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
Vantagens:
 Estrutura simples, autoridade linear, unidade ...
15
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
Vantagens:
 Assessoria especializada e inovadora.
 Empres...
16
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
Estrutura Organizacional – Estrutura Matricial
 Estrutura ...
17
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
Estrutura Organizacional – Estrutura em rede – organograma ...
18
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
Vantagens:
 Participação de especialistas;
 Julgamento im...
19
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
TESTES
130. (FCC / TRT/8ª Região/ 2010). Ao definir a estru...
20
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
b) Staff.
c) Funcional.
d) Programático.
e) Empresarial.
35...
21
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
Estratégias de RH:
 Proporcionar um ambiente com pessoas c...
22
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
 Desdobrado em equipes multifuncionais, descentralizado.
...
23
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
Planejamento de RH:
4. Comportamento Organizacional: relaçõ...
24
MPPE - 2012
NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO
PROF. ELISABETE MOREIRA
 Equilíbrio Organizacional: relação entre incentivos (indu...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mppe 2012 aula 01-02

255 visualizações

Publicada em

Aula de administração

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
255
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mppe 2012 aula 01-02

  1. 1. NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO GERAL MPPE - 2012 Prof.ª Elisabete Moreira “Quanto mais as pessoas acreditam em uma coisa, quanto mais se dedicam a ela, mais podem influenciar no seu acontecimento” DOV ÉDEN
  2. 2. 1 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA SUMÁRIO 1. Processo organizacional: planejamento, direção, comunicação, controle e avaliação. 2. Características básicas das organizações formais modernas: tipos de estrutura organizacional, natureza, finalidades e critérios de departamentalização. 3. Noções de Recursos Humanos 4. Comportamento organizacional: relações indivíduo/organização, motivação, liderança e desempenho. 5. Qualidade no atendimento ao público. 6. Noções administração de material, logística. 7. Noções de organização e métodos. 1. Processo Organizacional
  3. 3. 2 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA 1.1. Planejamento  Tem precedência sobre todas as demais funções;  Processo sistemático, permanente, integrado e participativo;  Processo de definição do que deve ser feito e como deve ser feito – objetivos e planos;  Processo de tomada de decisões, que resultam em implicações futuras;  O processo de planejamento promove integração, motivação e aprendizagem. É muito mais importante que o resultado final que é o plano. Tipos de Planos  Estratégico  Tático  Operacional 1.1.1 Planejamento - Tipos
  4. 4. 3 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA ESTRATÉGICO TÁTICO OPERACIONAL Prazo Longo Médio Curto Amplitude Toda a organização Genérico, sintético, holístico, sinergia. Uma unidade ou departamento, área ou setor Uma atividade. Detalhado e analítico, específico. Riscos Maiores Intermediários Menores Nível Hierárquico Alta cúpula - Diretores Média administração - Gerência Baixa administração - Supervisor Flexibilidade Menor Intermediária Maior Atividades Fins e Meios Meios Meios Foco de Atuação Orientação externa: incerteza, imprevisibilidade, criatividade e inovação. Articulação interna. Finalidade de utilização eficiente dos recursos e definição das políticas. Orientação interna: certeza, regularidade, eficiência. 1.2. Planejamento - desdobramentos 1.2.1 Planejamento - filosofias  Satisfação: fazer suficientemente bem, com ênfase na sobrevivência, feito em pouco tempo, custo baixo, baixa capacidade técnica.  Otimização: fazer tão bem quanto possível, utilizando objetivos quantificáveis e técnicas matemáticas;  Filosofia de adaptação: inovativo ou homeostase para adaptar a mudança, cuja necessidade decorre da falta de eficácia administrativa. O conhecimento do futuro pode ser classificado em certeza, incerteza e ignorância e cada uma dessas situações requer um tipo diferente de planejamento
  5. 5. 4 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA 1.3. Organização  Distribui tarefas e recursos, determina a autoridade, a responsabilidade, a comunicação, a integração e a coordenação.  Nível global: desenho organizacional;  Nível departamental: desenho departamental;  Nível operacional: desenho de cargos ou tarefas. 1.4. Execução: responsável pela implementação do planejado. 1.5. Direção  Processo interpessoal relacionado com a administração das relações entre os membros e a organização.  Envolve a orientação, motivação, comunicação, liderança, desenvolvimento das boas condições de trabalho e a resolução de conflitos. 1.6. Controle: ciclo responsável por assegurar a consecução dos objetivos planejados.  Processo que busca garantir o alcance eficiente e eficaz da missão e dos objetivos.  É a última das funções, monitorando e tomando ações corretivas.  Controle preventivo (foco nos insumos e no futuro), controle simultâneo (foco nos processos) e controle posterior (foco nos resultados).  Processo que envolve a definição de parâmetros de desempenho, mensuração do desempenho real, comparação e implementação de medidas corretivas.
  6. 6. 5 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA 1.6.1 Controle - Elementos
  7. 7. 6 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA 1.6.2. Controle - Momentos 1.6.3. Controle - Níveis  Institucional/estratégico: acompanhar a realização da missão, fatores externos e internos – governança corporativa; balanço contábil e relatórios financeiros; balanço social; controle social.  Intermediário: focaliza a área funcional, voltados para quantidade, qualidade, tempo e custo – volume de vendas, participação no mercado, orçamento-programa; contabilidade de custos.  Operacional: focaliza as atividades e o consumo dos recursos - estoque; Just-in-time; quadros de produtividade; controle de qualidade. 1.7. Comunicação: é o processo que coordena todas as demais funções. Os elementos que a compõe são:
  8. 8. 7 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA Barreiras à Comunicação Canais de Comunicação  Formal: os caminhos e meios oficiais para o envio de informações dentro e fora da organização;  Informais: constituem as redes de comunicação não-oficial que complementam os canais formais. Comunicação – Fluxos:
  9. 9. 8 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA Características da Boa Comunicação  Objetividade e assertividade;  Conhecimento do interlocutor (público-alvo) para gerar empatia (colocar-se no lugar no receptor);  Compreensão do interlocutor (saber ouvir);  Redundância ou repetição: usar canais múltiplos;  Linguagem adequada: clara e simples;  Preferência pela voz ativa;  Correção e Concisão;  Fidelidade ao pensamento original;  Dar e buscar feedback ou retroação. Gestão de Redes: TESTES 51. (FCC / TRF 1ª / 2011) Uma característica essencial do planejamento estratégico é: (A) evitar as incertezas ambientais por meio de estratégias detalhadas de ações táticas. (B) centralizar o planejamento nos níveis gerenciais, evitando a descentralização de ações. (C) focar o enfrentamento da instabilidade ambiental de curto prazo. (D) potencializar o efeito sinérgico das competências organizacionais. (E) ser um desdobramento do planejamento operacional setorial da organização. 138. (FCC / TRT/8ª Região/ 2010). O processo administrativo possui quatro funções básicas− planejamento, organização, direção e controle. A função de controle é um processo cíclico composto de quatro fases: (A) análise dos resultados; definição de metas; ações de reforço para aplicação de boas práticas e acompanhamento. (B) definição de objetivos; acompanhamento da execução; avaliação e ações de melhoria. (C) acompanhamento da execução; identificação de inconformidades; definição de novos processos e implantação. (D) monitoração dos processos definidos; identificação de inconsistências; implantação e avaliação. (E) estabelecimento de padrões de desempenho; monitoração do desempenho; comparação do desempenho com o padrão e ação corretiva. 33. (FCC / BAHIAGÁS / 2010). No processo de comunicação, a percepção e interpretação, por parte do receptor, do significado da mensagem recebida é denominada: (A) codificação. (B) feedback positivo. (C) decodificação. (D) tautologia. (E) resposta.
  10. 10. 9 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA 55. (FCC / TCEPR / 2012). Fazer que algo aconteça do modo como foi planejado é a definição de: (A) organizar. (B) coordenar. (C) prospectar estrategicamente. (D) controlar. (E) motivar. 2. Características das Organizações Formais - Estrutura Organizacional  Estrutura formal: representada pelo organograma. Foca o sistema de autoridade, responsabilidade, divisão de trabalho, comunicação e processo decisório.  Estrutura informal: formada pela rede de relações sociais e pessoais e não aparece no organograma, complementa a estrutura formal.  O organograma é a representação gráfica que mostra as funções, os departamentos e os cargos, especificando como se relacionam.  Os retângulos representam a forma de dividir o trabalho e os critérios de departamentalização.  A hierarquia está demonstrada na disposição dos retângulos em níveis.  As linhas se referem a distribuição de autoridade ou à cadeia comando, indicando quem está subordinado a quem. 2.1. Estrutura Organizacional - elementos  Especialização do trabalho: grau em que as tarefas são divididas e padronizadas para serem realizadas por um indivíduo.  Especialização horizontal – especifica número de atividades desempenhadas;  Especialização vertical – especifica a medida da concepção, execução e administração das atividades por uma pessoa.  Cadeia de Comando/Escalar ou linha de comando: a diferenciação vertical especifica a linha que vai do topo até o último nível da hierarquia, mostrando quem responde a quem.  Amplitude de Controle: mede o número de pessoas subordinadas a um administrador, quanto maior menos níveis hierárquicos e menor o número de administradores.  Centralização: decisões são tomadas no topo, enfatizando a cadeia de comando.  Vantagens: Decisões mais consistentes com os objetivos, maior uniformidade de procedimentos, aproveitamento da capacidade dos líderes, redução dos riscos de erros, maior controle do desempenho da organização.  Desvantagens: Decisões e administradores distanciadas dos fatos locais, dependência dos subordinados, diminuição da motivação, criatividade, maior demora na implementação das decisões e maior custo operacional.  Descentralização: decisões distribuídas pelos níveis inferiores.  Vantagens: Maior agilidade e flexibilidade nas decisões, mais adaptadas aos fatos locais; maior motivação, autonomia e disponibilidade dos líderes; maior facilidade do controle do desempenho de unidades e gerentes.  Desvantagens: Perda de uniformidade das decisões, com maiores desperdícios e duplicação de recursos; canais de comunicação mais dispersos; dificuldade de encontrar responsáveis e controlar o desempenho da organização; não aproveitamento dos especialistas.
  11. 11. 10 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA  Formalização: grau de controle da organização sobre o indivíduo, definidas pelas normas e procedimentos, limitando a atuação e o comportamento.  Departamentalização: diferenciação horizontal que permite simplificar o trabalho, aproveitando os recursos de forma mais racional. a) Departamentalização Funcional: Vantagens:  Maior especialização de pessoas e de recursos.  Ideal para atividades rotineiras e estáveis. Desvantagem:  Dificuldade de coordenação interdepartamental. b) Departamentalização de Produtos/ Serviços: Vantagens:  Permite uma intensificação de esforços e coordenação;  Facilita a coordenação interdepartamental Desvantagens:  Enfraquece a especialização.
  12. 12. 11 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA  Duplicação de custos;  Enfatiza a coordenação em detrimento da especialização. c) Departamentalização Base Territorial: Vantagem:  Cada unidade opera como se fosse uma empresa independente, adaptando-se as condições locais. Desvantagens:  Dificuldade de coordenação entre os departamentos;  Dificuldade de visão global da empresa;  Enfraquece a especialização. d) Departamentalização por Clientela: Vantagem:  Foco nas necessidades dos clientes. Desvantagem:  Dificulta a consecução de outros objetivos como eficiência, produtividade.
  13. 13. 12 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA e) Departamentalização por Processo: Vantagem:  Arranjo físico voltado para os recursos e tecnologia. Desvantagem:  Dificuldade de adaptação a novas tecnologias. f) Departamentalização por Projeto: Vantagens:  Estrutura temporária por produto, para resultados.  Voltada para a complexidade. Desvantagem:  Grandes investimentos, tecnologia específica, que envolve altos riscos.
  14. 14. 13 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA g) Departamentalização Mista: 2.2. Estrutura Organizacional - Modelos  Desenho Mecanicista: forma burocrática, autoridade centralizada, regras e procedimentos padronizados, divisão de trabalho, amplitude administrativa estreita e meios formais de coordenação.  Desenho Orgânico: adhocráticos, adaptativos, mais horizontais, autoridade descentralizada, poucas regras e procedimentos, pouca divisão de trabalho, amplitudes administrativas maiores e mais meios pessoais de coordenação. 2.3. Estrutura Organizacional – Variáveis Condicionantes  Ambiente: instável, estável, homogêneo, heterogêneo (estrutura se adapta ao ambiente);  Estratégia: estabilidade ou crescimento (estrutura segue a estratégia);  Tecnologia: massa, processo, unitária; sequencial, mediadora, intensiva (estrutura depende da tecnologia);  Ciclo de vida e tamanho: nascimento, crescimento, juventude, maturidade (estrutura se ajusta ao tamanho);  Pessoas: conhecimento x reposição. 2.4. Tipos de Estrutura Organizacional – Estrutura/Organograma Linear
  15. 15. 14 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA Vantagens:  Estrutura simples, autoridade linear, unidade de comando, centralizada, piramidal;  Responsabilidades e comunicações formais;  Ideal para pequenas empresas;  Ideal para situações de estabilidade. Desvantagens:  Rigidez, dificuldade de inovação e adaptação;  A unidade de comando gera chefes generalistas;  Empresas grandes sofrem com a comunicação. Estrutura Organizacional – Estrutura/Organograma Funcional Vantagens:  Especialização, supervisão funcional, variedade de comando;  Comunicações diretas e sem intermediações;  Separa as funções de planejamento, execução e controle. Desvantagens:  Perda da autoridade de comando, dificuldade de controle, conflito, perda da visão do todo. Estrutura Organizacional – Estrutura/Organograma Linear-Staff
  16. 16. 15 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA Vantagens:  Assessoria especializada e inovadora.  Empresas de médio e grande porte.  Linhas diretas X formais de comunicação. Desvantagens:  Conflitos entre linha e staff por prática versus conhecimento e responsabilidades.  Linha: autoridade p/decidir e alcançar resultados;  Staff: autoridade de assessoria, funcional, de planejamento, controle, consultoria e recomendação. Estrutura Organizacional – Estrutura/Organograma Divisional ou Unidades Estratégicas de Negócios: Vantagens:  Foco no resultado;  Coordenação em razão do produto e serviço;  Favorece a inovação e crescimento. Desvantagens:  Custos elevados, duplicidade de órgãos;  Dificuldade de integração entre unidades.
  17. 17. 16 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA Estrutura Organizacional – Estrutura Matricial  Estrutura para projetos/produtos que necessitem de equipes multidisciplinares;  Estrutura funcional/linear X divisional;  Estrutura dual de autoridade:  Comando horizontal ou transversal: centrado no projeto, que coordena e integra os esforços com pouca autoridade formal;  Comando funcional: vertical e hierárquica, presta consultoria, informações e fornece recursos. Vantagens:  Potencializa a especialização (função) e coordenação (projeto ou produto);  Foco no lucro e nos recursos, eficiência;  Visão orgânica (flexibilidade). Desvantagens:  Viola a unidade de comando;  Dificuldade de cultura de resultados, de apurar responsáveis, de relacionamentos.
  18. 18. 17 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA Estrutura Organizacional – Estrutura em rede – organograma circular ou radial. Vantagens:  Negócios virtuais ou unidades de negócios;  Baixo custo operacional e administrativo;  Competitividade global;  Flexibilidade e adaptabilidade a ambientes complexos.  Rapidez de respostas às demandas ambientais. Desvantagens:  Controle global difícil, riscos e incertezas;  Dificuldade de cultura corporativa e lealdades fracas. Estrutura Organizacional – Estrutura em Comissão
  19. 19. 18 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA Vantagens:  Participação de especialistas;  Julgamento impessoal. Desvantagens:  Decisões demoradas, responsabilidade diluída;  Indicada para organizações grandes (custo elevado). 2. Características das Organizações Formais Era Industrial: paradigma tradicional Era Pós-Industrial: paradigma terceiro milênio Revolução Industrial: potencialização e substituição do trabalho humano por máquinas Revolução Digital ou pós-industrial: potencialização e substituição das funções humanas por computadores; Classe operária numerosa; trabalhador especializado. Trabalhadores do conhecimento, autogeridos e polivalentes. Emprego e carreira estáveis, regras e regulamentos, rigidez e ordem. Empregabilidade, terceirização, empreendedorismo, flexibilidade e inovação. Grandes estruturas organizacionais. Estruturas organizacionais enxutas. Ênfase na eficiência. Ênfase na competitividade. Satisfação do cliente. Modelo Shareholder. Modelo Stakeholder. Recursos organizacionais. Competências essenciais. Redução de custos Geração de valor  Mudanças lentas, drásticas e pedagógicas geram grandes incertezas e:  Cadeias de comando mais curtas e enxutas;  Menos unidades de comando;  Amplitude de controle mais amplas;  Mais participação e “empowerment”;  Ênfase nas equipes de trabalho;  Infoestrutura;  Foco no negócio principal (core business);  Organização como unidade de negócio interdependente.
  20. 20. 19 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA TESTES 130. (FCC / TRT/8ª Região/ 2010). Ao definir a estrutura organizacional de uma empresa, seus administradores devem considerar seis elementos básicos: (A) tecnologia; produto/serviço; análise do trabalho; agrupamento de funções; custos e número de níveis de comando. (B) divisão do trabalho; produtividade; segmento de negócio; tecnologia; distribuição das equipes e localização geográfica. (C) mão de obra necessária; características dos clientes; amplitude do negócio; concentração do trabalho; funções essenciais e agrupamento das tarefas. (D) especialização do trabalho; departamentalização; cadeia de comando; amplitude de controle; centralização/descentralização e formalização. (E) foco do negócio; público alvo; mão de obra especializada; amplitude de controle; divisão de poder e distribuição geográfica. 132. (FCC / TRT/8ª Região/ 2010). O modelo abaixo representa a estrutura de uma: a) centrada no cliente. b) matricial. c) virtual. d) burocrática. e) centrada em equipes. 140. (FCC / TRT/22ª Região/ 2010). Sobre as características básicas das organizações, a estrutura organizacional: (A) determina as relações informais de subordinação, entre as quais os níveis de hierarquia e a amplitude de controle de gerentes e supervisores. (B) não identifica o agrupamento de indivíduos em departamentos e de departamentos na organização como um todo. (C) inclui o projeto de sistema de informação para assegurar comunicação eficaz, coordenação e integração de esforços somente entre os departamentos operacionais e os stakeholders. (D) reflete-se no organograma que mostra apenas as partes operacionais de uma organização e como estas estão interrelacionadas. (E) possui ligações verticais utilizadas para coordenar atividades entre a cúpula e a base da organização. 33. (FCC / TRT 24ª / 2011) O desenho departamental, ou departamentalização, apresenta uma variedade de tipos, dentre eles o: a) Linear.
  21. 21. 20 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA b) Staff. c) Funcional. d) Programático. e) Empresarial. 35. (FCC / TRT 24ª / 2011) Tipo de estrutura organizacional em que cada superior tem autoridade única e absoluta sobre seus subordinados e que não a reparte com ninguém: a) Gerencial. b) Funcional. c) Staff. d) Linear. e) Operacional. 3. Noções de Recursos Humanos  A área de Recursos Humanos é uma especialidade que surgiu do crescimento e complexidade das tarefas organizacionais.  Estuda e estabelece o conjunto de políticas e práticas de uma organização para orientar o comportamento humano e as relações interpessoais no ambiente de trabalho, oferecendo os meios e os serviços de apoio.  É interdisciplinar, contingencial, situacional, adaptável, flexível e sistêmica (sistema aberto).  Era Industrial Clássica: de 1900 a 1950:  Estrutura piramidal, centralizadora, funcional, burocrática, rígida, inflexível, mecanicista;  Cultura com foco no passado, tradicional, teoria X, pessoas como recursos de produção e fornecedores de mão-de-obra;  Ambiente estável, previsível, com poucas mudanças;  Departamento de Pessoal ou de Relações Industriais.  Era Neoclássica: de 1950 a 1990:  Estrutura matricial, com unidades de negócios, flexível, inovadora, dinâmica;  Cultura com foco no presente, na competitividade, na mudança e transição;  Pessoas como recursos que precisam ser administradas;  Departamento de Recursos Humanos.  Era da Informação: após 1990  Estrutura descentralizada, virtual, em rede, equipes multifuncionais, atividades provisórias, baseada em missões e objetivos, flexível, inovadora, dinâmica, adhocrática e orgânica;  Cultura com foco no futuro, competitividade, mudança, transição, turbulência, conhecimento e criatividade, teoria Y;  Pessoas inteligentes e proativas, fornecedoras de conhecimento e competências, como parceiros;  Departamento de Gestão de Pessoas.
  22. 22. 21 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA Estratégias de RH:  Proporcionar um ambiente com pessoas competentes e motivadas para o alcance dos objetivos organizacionais e individuais, pois as pessoas são os únicos recursos vivos capazes de processar os demais recursos.  Desenvolver o capital humano e o capital intelectual – ativos intangíveis da organização;  Desenvolver a gestão do conhecimento: habilidades, competências e tecnologias aplicadas de forma integrada para concretizar a missão e visão.  Formar competências essenciais que atendam às demandas dos diferentes stakeholders, gerando vantagem competitiva. Gestão Estratégica  Planejamento Estratégico: com missão, visão, valores, objetivos e estratégias organizacionais.  Analise ambiente externo e interno de RH;  Analisar os cargos e traçar novos perfis;  Promover programas de treinamento e desenvolvimento;  Acompanhar resultados. Formas de Atuação  Pode funcionar como assessoria da presidência (em nível intermediário), prestando-lhe consultoria e serviços de staff.
  23. 23. 22 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA  Desdobrado em equipes multifuncionais, descentralizado.  Hoje deve ser visto como um consultor de áreas específicas, cuja responsabilidade é da linha e a função de staff.  Responsabilidade de linha: a administração do pessoal cabe ao gerente que decide pelas admissões, promoções, avaliação de desempenho.  Função de Staff: o órgão de RH proporciona orientação, regras, regulamentos sobre como administrar seus subordinados. Presta serviços especializados como recrutamento, seleção, treinamento, informações e recomendações para que a linha tome decisões. Processos de RH:
  24. 24. 23 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA Planejamento de RH: 4. Comportamento Organizacional: relações indivíduo /organização Organização:  Formada de pessoas (recursos X pessoas);  Composta de estruturas formais e informais;  Exercem atividade – processo organizacional. Influências no Comportamento Organizacional:  Fatores externos (como cultura, estrutura, sistemas de recompensas);  Fatores internos (personalidade, aprendizagem, percepção, cognição e motivação).  Para ultrapassar as limitações individuais as pessoas se agrupam para alcançar objetivos organizacionais X individuais – que quase sempre se contrapõem.  Bernard distingue a participação das pessoas na organização:  Eficiência – alcance dos objetivos individuais como promoção pessoal, prestígio, carreira, salário.  Eficácia – alcance dos objetivos organizacionais como produtividade, redução custos, lucro.  Contrato Psicológico: expectativa/norma de reciprocidade entre indivíduo e a organização, o que esperam realizar e ganhar que vai além do contrato formal. É um acordo tácito com direitos, privilégios e obrigações, ideias, sentimentos, habilidades e valores.
  25. 25. 24 MPPE - 2012 NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PROF. ELISABETE MOREIRA  Equilíbrio Organizacional: relação entre incentivos (induzimentos) e contribuições (pagamentos), reflete o êxito da organização em “remunerar” seus integrantes com incentivos adequados e motivá-los a contribuir para garantir a eficácia.  Relações de Intercâmbio: quando há equilíbrio entre expectativas. A pessoa permanece na organização quando percebe que a sua satisfação é maior que os esforços pessoais.  Satisfação – custos = 0  Satisfação/custo = 1  A organização espera que a contribuição de cada pessoa ultrapasse os custos.  Contribuição + custos organizacionais > 0 TESTES 43. (FCC / TRT 8ª / 2010) A Gestão de Pessoas é um conjunto integrado de processos dinâmicos e interativos. Os seis processos básicos de Gestão de Pessoas são os processos de agregar; aplicar; recompensar; desenvolver; manter e monitorar pessoas. O processo de agregar pessoas é utilizado para: (A) incluir novas pessoas na empresa. Podem ser denominados de processos de provisão ou suprimento de pessoal. (B) acompanhar e controlar as atividades das novas pessoas que ingressam na corporação e de verificar seus resultados. (C) capacitar e incrementar a adaptação das novas pessoas às atividades que deverão exercer. Incluem seu treinamento e desenvolvimento, gestão do conhecimento e das competências. (D) incentivar e satisfazer as necessidades individuais mais elevadas de cada novo membro da empresa, por meio do qual se garante a retenção de talentos. (E) criar condições psicológicas satisfatórias para as atividades das pessoas. Incluem pesquisas de clima e programas de qualidade de vida. 55. (FCC / TRT 8ª / 2010) Além do contrato formal de trabalho, a organização e as pessoas que nela trabalham, estabelecem um contrato psicológico de trabalho. Pode-se definir este último como um: (A) compromisso de dedicação das pessoas ao trabalho que executam, garantindo a plena aplicação do potencial individual. (B) entendimento tácito entre indivíduo e organização que estabelece um conjunto de expectativas que devem ser atendidas pelas partes envolvidas. (C) acordo em que a empresa se compromete a investir nos indivíduos que nela trabalham, garantindo oportunidades iguais. (D) pacto emocional entre a empresa e seus funcionários de buscarem resultados que agregam valor para toda a organização. (E) ajuste que torna a empresa e funcionários parceiros na busca de resultados para a organização e satisfação para as pessoas. 38. (FCC / TRT 24ª / 2011) O modelo de gestão de pessoas é a maneira pela qual a empresa se organiza para gerenciar e orientar o comportamento humano no trabalho, sendo composto por processos e práticas, que são classificados quanto a sua natureza, objetivos e parâmetros em três categorias: movimentação, desenvolvimento e valorização. As práticas de capacitação, carreira e desempenho das pessoas estão vinculada: (A) à categoria movimentação. (B) à categoria desenvolvimento. (C) à categoria valorização. (D) às categorias movimentação e valorização. (E) às categorias desenvolvimento e valorização.

×