SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 39
Assembleia de Deus em Florânia - RN
Maxsuel Aquino
TEXTO BÍBLICO
TEXTO BÍBLICO
TEXTO BÍBLICO
TEXTO BÍBLICO
NO EPISÓDIO DE HOJE...
I. AS AUTORIDADES CONSTITUÍDAS E A SUBMISSÃO A ELAS
II. DANIEL, EXEMPLO DE SERVO NO EXÍLIO
III. JOSÉ, ADMINISTRADOR NO EGITO
INTRODUÇÃO
0 homem é um ser político, e, como tal, tem
necessidade de se relacionar com outros de sua
espécie.
Até que ponto os cristãos devem se sujeitar às
autoridades?
Quais são as obrigações delas diante de Deus?
INTRODUÇÃO
Deve o cristão envolver-se em política partidária?
É possível um cristão ser do meio governamental e
manter sua integridade?
E os deveres dos cristãos para com os governos?
O QUE É POLÍTICA?
A palavra “política” provém do grego “politéia ”. Tal
palavra era usada para se referir a tudo relacionado
a polis (Cidade-estado) e à vida em coletividade.
É a arte de GOVERNAR.
O QUE É POLÍTICA?
“Aqueles que afirmam não gostar de política,
desconhecem que é exatamente ela quem define os
temas que afetam o nosso dia a dia.”
A IGREJA E A POLÍTICA
Dupla cidadania do cristão
“Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também
esperamos o Salvador, o Senhor Jesus
Cristo”.(Filipenses 3.20)
"Não peço que os tires do mundo, mas que os livres
do mal” (Jo 17.15)
A IGREJA E A POLÍTICA
Qual deve ser a postura da Igreja com relação a
política partidária?
Deve haver separação entre Estado e Igreja?
“A melhor atuação política da igreja deve restringir-
se à conscientização e orientação dos seus
membros, para que votem com ética e
discernimento.”
1.1 OS DEVERES DAS AUTORIDADES
Autoridades existem para trazer ordem para a
sociedade.
Bons governantes são queridos pelo povo. mas os
maus são uma vergonha para qualquer nação
1.2 ORANDO PELAS AUTORIDADES
Também temos o dever orar pelos nossos governantes!
“1 Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam
deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por
todos os homens;
2 Pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para
que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a
piedade e honestidade;” (1 Timóteo 2:1,2)
1.3 A SUJEIÇÃO AS AUTORIDADES
A sujeição às autoridades é um mandamento bíblico
(Rm 13.1).
A Bíblia nos ensina que devemos OBEDECER E RESPEITAR as
AUTORIDADES.
Uma de nossas obrigações, como cidadãos, é escolher
aqueles que nos governarão.
1.3 A SUJEIÇÃO AS AUTORIDADES
“Sujeitai-vos, pois, a toda a ordenação humana por amor do
Senhor; quer ao rei, como superior;” (1 Pedro 2.13)
“A obrigação que o cristão tem de obedecer é válida até que
o governo o obrigue a pecar contra os mandamentos
divinos”. (Dietrich Bonhoeffer).
PENSE
A história da Bíblia nos mostra que uma pessoa
sem o temor de Deus, colocada em posição de
poder, faz com que sua nação sofra.
IMPORTANTE
As pessoas que ocupam cargos públicos devem
saber que há um Deus nos céus, que a tudo
observa e recompensa, tanto em relação ao bem
quanto em relação ao mal
A RESPONSABILIDADE POLÍTICA DO CRISTÃO
Dever cívico:
“Votar é o nosso primeiro dever cívico. Se você não vota
está abandonando a obrigação bíblica de ser um cidadão
responsável“ (Charles Colson).
Voto consciente
“Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas
cada qual também para o que é dos outros.”(Filipenses 2.4)
A RESPONSABILIDADE POLÍTICA DO CRISTÃO
“Participar da política é uma responsabilidade Bíblica.”
Quando os BONS se OMITEM, os MAUS assumem o PODER!
Temos dois exemplo clássicos nas Santas Escrituras de que
um Cristão pode sim, participar do meio político sem negar
os princípios Bíblicos.
2.1 DANIEL
Era um jovem hebreu levado à Babilônia depois que
Jerusalém foi sitiada por Nabucodonosor (Dn 1.1).
As características eram bem especificas e inerentes à
vida política: Saber viver no palácio com inteligência e
sabedoria.
2.2 DANIEL, O PROFETA
Esse servo de Deus passou por três imperadores, e se
manteve íntegro em seu trabalho político.
"Portanto, ó rei, aceita o meu conselho e desfaze os teus
pecados pela justiça e as tuas iniquidades, usando de
misericórdia para com os pobres, e talvez se prolongue a
tua tranquilidade" (Dn 4 27)
2.3 DANIEL, O HOMEM PÚBLICO
Daniel foi um homem público conhecido por sua
integridade
Daniel era um homem de comprovada integridade moral e
espiritual.
PENSE
Tanto quanto profeta, Daniel foi um exemplo de
administrador público em toda a sua vida.
IMPORTANTE
É possível ser um homem ou mulher que tome decisões
que agradem a Deus em qualquer lugar, inclusive nos
meios políticos e governamentais.
3.1 JOSÉ
José, cujo nome, quer dizer, "aquele que acrescenta" era
filho de Jacó e Raquel, nascido na cidade de Harã, tinha
uma irmã chamada Diná e onze irmãos.
Do cárcere, Deus o exaltou, levando-o à presença de Faraó,
onde foi colocado como o segundo homem no comando do
Egito.
3.2 JOSÉ, LÍDER NO EGITO
Após chegar a uma posição de destaque. José teve de
lidar com a política egípcia para colocar seus
projetos em voga, conseguindo estocar alimentos
para os períodos de fome na terra (Gn 4148.49)
3.3 JOSÉ, O GOVERNADOR.
Como governador do Egito, José poderia usar de suas
prerrogativas políticas para castigar seus irmãos pelo mal
que lhe fizeram.
Mesmo podendo se utilizar do poder que tinha nas mãos.
punindo seus próprios irmãos por tudo o que fizeram, José
preferiu lembrar das promessas feitas a Abraão, e rogou
pelos filhos de Israel sobre a terra que Deus lhes daria.
PENSE
Deus fez José prosperarem lugares pouco
prováveis, e recompensou sua integridade
guardando-o da morte e tornando-o uma pessoa
importante em terra estranha.
IMPORTANTE
José, em seus últimos dias. falou da fidelidade de
Deus em relação a retirar o povo de Israel do Egito
e leva-lo à Terra Prometida.
CONCLUSÃO
É possível a uma pessoa, em posição de autoridade no
mundo político, ser íntegra e trabalhar pelo bem do
povo. E. como cristãos, devemos orar por tais pessoas,
para que exerçam com sabedoria a vocação para a
qual foram chamadas.
HORA DA REVISÃO
1)Quais são os deveres das autoridades?
2)Faça um resumo do nosso sistema político.
3)É nosso dever orar pelas autoridades? Justifique a
resposta com um texto bíblico.
4)A sujeição as autoridades é um dever bíblico?
5)Cite exemplos de servos que exerceram um papel político.
http://atitudedeaprendiz.blogspot.com.br/
https://proflucasneto.files.wordpress.com
http://euvoupraebd.blogspot.com.br/
http://ebdweb.com.br/
http://portalebd.org.br/
http://www.estudantesdabiblia.com.br/licoes_cpad/2002/2002-03-13.htm
https://pt.slideshare.net/maxsuelaquino/lio-12-os-discpulos-de-jesus-e-a-participao-poltica

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 4 - Amós - A Justiça Social como Parte da Adoração
Lição 4 - Amós - A Justiça Social como Parte da AdoraçãoLição 4 - Amós - A Justiça Social como Parte da Adoração
Lição 4 - Amós - A Justiça Social como Parte da Adoração
Ailton da Silva
 
Apresentao bases biblicas de misses ii novo testamento
Apresentao   bases biblicas de misses ii novo testamentoApresentao   bases biblicas de misses ii novo testamento
Apresentao bases biblicas de misses ii novo testamento
Jairosoliveira
 

Mais procurados (13)

Aula1
Aula1Aula1
Aula1
 
Humildade
HumildadeHumildade
Humildade
 
Aula o mundo na época de Jesus
Aula o mundo na época de JesusAula o mundo na época de Jesus
Aula o mundo na época de Jesus
 
Lição 4 - Amós - A Justiça Social como Parte da Adoração
Lição 4 - Amós - A Justiça Social como Parte da AdoraçãoLição 4 - Amós - A Justiça Social como Parte da Adoração
Lição 4 - Amós - A Justiça Social como Parte da Adoração
 
Apresentao bases biblicas de misses ii novo testamento
Apresentao   bases biblicas de misses ii novo testamentoApresentao   bases biblicas de misses ii novo testamento
Apresentao bases biblicas de misses ii novo testamento
 
O dom de linguas
O dom de linguasO dom de linguas
O dom de linguas
 
O Poder e os Reinos Deste Mundo_2019 LBJ 2 TRI Lição 10
O Poder e os Reinos Deste Mundo_2019 LBJ 2 TRI Lição 10O Poder e os Reinos Deste Mundo_2019 LBJ 2 TRI Lição 10
O Poder e os Reinos Deste Mundo_2019 LBJ 2 TRI Lição 10
 
Lição 05- Predições de Juízo e Glória
Lição 05- Predições de   Juízo e GlóriaLição 05- Predições de   Juízo e Glória
Lição 05- Predições de Juízo e Glória
 
A HistóRia De Israel
A HistóRia De IsraelA HistóRia De Israel
A HistóRia De Israel
 
EBD - Lição 1 - A Terra de Jesus - Revista Jovens - CPAD - 2º Trimestre de ...
EBD - Lição 1 - A Terra de Jesus - Revista Jovens - CPAD - 2º Trimestre de ...EBD - Lição 1 - A Terra de Jesus - Revista Jovens - CPAD - 2º Trimestre de ...
EBD - Lição 1 - A Terra de Jesus - Revista Jovens - CPAD - 2º Trimestre de ...
 
Violência Urbana
Violência UrbanaViolência Urbana
Violência Urbana
 
História de israel
História de israelHistória de israel
História de israel
 
Lição 02- O Contexto da Profecia de Isaías
Lição 02- O Contexto da Profecia de IsaíasLição 02- O Contexto da Profecia de Isaías
Lição 02- O Contexto da Profecia de Isaías
 

Destaque

Coursera projects101 2016
Coursera projects101 2016Coursera projects101 2016
Coursera projects101 2016
Marwan Shehata
 

Destaque (20)

Reserve Bank of India
Reserve Bank of IndiaReserve Bank of India
Reserve Bank of India
 
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
 
Lição 01- A Origem e Desenvolvimento da Igreja
Lição 01- A Origem e Desenvolvimento da IgrejaLição 01- A Origem e Desenvolvimento da Igreja
Lição 01- A Origem e Desenvolvimento da Igreja
 
Lição 08- A Igreja e Os Dons Espirituais
Lição 08- A Igreja e Os Dons EspirituaisLição 08- A Igreja e Os Dons Espirituais
Lição 08- A Igreja e Os Dons Espirituais
 
Erica villa
Erica villaErica villa
Erica villa
 
Bb Tour ANZ 2017 - Workshop - Effective Use of Blackboard Collaborate
Bb Tour ANZ 2017 - Workshop - Effective Use of Blackboard CollaborateBb Tour ANZ 2017 - Workshop - Effective Use of Blackboard Collaborate
Bb Tour ANZ 2017 - Workshop - Effective Use of Blackboard Collaborate
 
Thank you 3.12.2017
Thank you 3.12.2017Thank you 3.12.2017
Thank you 3.12.2017
 
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃOLIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
 
LBJ Lição 13 - O que posso fazer por minha igreja
LBJ Lição 13 - O que posso fazer por minha igrejaLBJ Lição 13 - O que posso fazer por minha igreja
LBJ Lição 13 - O que posso fazer por minha igreja
 
Lição 12- Os Discípulos de Jesus e a Participação Política
Lição 12- Os Discípulos de Jesus e a Participação PolíticaLição 12- Os Discípulos de Jesus e a Participação Política
Lição 12- Os Discípulos de Jesus e a Participação Política
 
Lição 11- Profecias da Consumação da História
Lição 11- Profecias da Consumação da HistóriaLição 11- Profecias da Consumação da História
Lição 11- Profecias da Consumação da História
 
Lição 04- O Juízo de Judá e de Jerusalém
Lição 04- O Juízo de Judá e de JerusalémLição 04- O Juízo de Judá e de Jerusalém
Lição 04- O Juízo de Judá e de Jerusalém
 
Lição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de Judá
Lição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de JudáLição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de Judá
Lição 06- A Parábola do Castigo e Exílio de Judá
 
68 estudo panorâmico da bíblia (o livro de isaías - parte ii)
68   estudo panorâmico da bíblia (o livro de isaías - parte ii)68   estudo panorâmico da bíblia (o livro de isaías - parte ii)
68 estudo panorâmico da bíblia (o livro de isaías - parte ii)
 
Presentación Ivan Marchant - eRetail Day México 2015
Presentación Ivan Marchant - eRetail Day México 2015Presentación Ivan Marchant - eRetail Day México 2015
Presentación Ivan Marchant - eRetail Day México 2015
 
Coursera projects101 2016
Coursera projects101 2016Coursera projects101 2016
Coursera projects101 2016
 
Certificate
CertificateCertificate
Certificate
 
Zahran - Training Final Report
Zahran - Training Final ReportZahran - Training Final Report
Zahran - Training Final Report
 
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 04E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 04
 
Southkey Place Alabang - Studio Sample Computation
Southkey Place Alabang - Studio Sample ComputationSouthkey Place Alabang - Studio Sample Computation
Southkey Place Alabang - Studio Sample Computation
 

Semelhante a Lição 11 - A Igreja e a Política

Ética cristã slides aula 2
Ética cristã   slides aula 2Ética cristã   slides aula 2
Ética cristã slides aula 2
Jose Ventura
 
O Cristão e as Autoridades Cívis
O Cristão e as Autoridades CívisO Cristão e as Autoridades Cívis
O Cristão e as Autoridades Cívis
Helder Mequima
 

Semelhante a Lição 11 - A Igreja e a Política (20)

Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICALição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
Lição 11 - A IGREJA E A POLÍTICA
 
LBJ Lição 11 - A igreja e a política
LBJ Lição 11 - A igreja e a políticaLBJ Lição 11 - A igreja e a política
LBJ Lição 11 - A igreja e a política
 
O CRISTÃO COMO IGREJA E A POLITICA
O CRISTÃO COMO IGREJA E A POLITICAO CRISTÃO COMO IGREJA E A POLITICA
O CRISTÃO COMO IGREJA E A POLITICA
 
LBA LIÇÃO 12 - ÉTICA CRISTÃ E POLÍTICA
LBA LIÇÃO 12 - ÉTICA CRISTÃ E POLÍTICALBA LIÇÃO 12 - ÉTICA CRISTÃ E POLÍTICA
LBA LIÇÃO 12 - ÉTICA CRISTÃ E POLÍTICA
 
Lição 7 - Política e corrupção na perspectiva cristã
Lição 7 - Política e corrupção na perspectiva cristãLição 7 - Política e corrupção na perspectiva cristã
Lição 7 - Política e corrupção na perspectiva cristã
 
Ética cristã slides aula 2
Ética cristã   slides aula 2Ética cristã   slides aula 2
Ética cristã slides aula 2
 
O cristão e a política
O cristão e a políticaO cristão e a política
O cristão e a política
 
Deus e a Política
Deus e a PolíticaDeus e a Política
Deus e a Política
 
Lição 4 - O Relacionamento do Cristão com o Estado e com os Superiores
Lição 4 - O Relacionamento do Cristão com o Estado e com os SuperioresLição 4 - O Relacionamento do Cristão com o Estado e com os Superiores
Lição 4 - O Relacionamento do Cristão com o Estado e com os Superiores
 
PROFETAS__MAIORES__-__Aula__Primeira 01_
PROFETAS__MAIORES__-__Aula__Primeira 01_PROFETAS__MAIORES__-__Aula__Primeira 01_
PROFETAS__MAIORES__-__Aula__Primeira 01_
 
Lição 12 os discípulos de jesus e a participação política ebd
Lição 12   os discípulos de jesus e a participação política  ebdLição 12   os discípulos de jesus e a participação política  ebd
Lição 12 os discípulos de jesus e a participação política ebd
 
Amós
AmósAmós
Amós
 
04 2 t17
04 2 t1704 2 t17
04 2 t17
 
07ago2016 timoteo
07ago2016 timoteo07ago2016 timoteo
07ago2016 timoteo
 
Lição 3. O Crente e os Movimentos Sociais. 2º Trimestre de 2018.
Lição 3. O Crente e os Movimentos Sociais. 2º Trimestre de 2018.Lição 3. O Crente e os Movimentos Sociais. 2º Trimestre de 2018.
Lição 3. O Crente e os Movimentos Sociais. 2º Trimestre de 2018.
 
2016 3 TRI LIÇÃO 4 - O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM
2016 3 TRI LIÇÃO 4 -  O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM2016 3 TRI LIÇÃO 4 -  O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM
2016 3 TRI LIÇÃO 4 - O JUÍZO DE JUDÁ E DE JERUSALÉM
 
O Cristão e as Autoridades Cívis
O Cristão e as Autoridades CívisO Cristão e as Autoridades Cívis
O Cristão e as Autoridades Cívis
 
Panorama do AT - Amós
Panorama do AT - AmósPanorama do AT - Amós
Panorama do AT - Amós
 
Mente e vontade
Mente e vontadeMente e vontade
Mente e vontade
 
O Cristão e a Política
O Cristão e a Política O Cristão e a Política
O Cristão e a Política
 

Mais de Maxsuel Aquino

Mais de Maxsuel Aquino (20)

Lição 02- Nem pobreza nem riqueza, mas o necessário
Lição 02- Nem pobreza nem riqueza, mas o necessárioLição 02- Nem pobreza nem riqueza, mas o necessário
Lição 02- Nem pobreza nem riqueza, mas o necessário
 
Lição 04 - Curando o filho de um oficial
Lição 04 - Curando o filho de um oficialLição 04 - Curando o filho de um oficial
Lição 04 - Curando o filho de um oficial
 
Lição 02 - O propósito dos milagres no ministério de Jesus
Lição 02 - O propósito dos milagres no ministério de JesusLição 02 - O propósito dos milagres no ministério de Jesus
Lição 02 - O propósito dos milagres no ministério de Jesus
 
Física: Conhecimentos básicos e fundamentais
Física: Conhecimentos básicos e fundamentaisFísica: Conhecimentos básicos e fundamentais
Física: Conhecimentos básicos e fundamentais
 
Lição 08- Primeiras Profecias Messiânicas
Lição 08- Primeiras Profecias MessiânicasLição 08- Primeiras Profecias Messiânicas
Lição 08- Primeiras Profecias Messiânicas
 
Lição 01- Conhecendo o Livro de Isaías
Lição 01- Conhecendo o Livro de IsaíasLição 01- Conhecendo o Livro de Isaías
Lição 01- Conhecendo o Livro de Isaías
 
Aula 02- O Cânon Sagrado
Aula 02- O Cânon SagradoAula 02- O Cânon Sagrado
Aula 02- O Cânon Sagrado
 
Lição 08- Conflitos Familiares
Lição 08- Conflitos FamiliaresLição 08- Conflitos Familiares
Lição 08- Conflitos Familiares
 
Lição 07- O Papel da Esposa na Família
Lição 07- O Papel da Esposa na FamíliaLição 07- O Papel da Esposa na Família
Lição 07- O Papel da Esposa na Família
 
Lição 05- Deixando Pai e Mãe
Lição 05- Deixando Pai e MãeLição 05- Deixando Pai e Mãe
Lição 05- Deixando Pai e Mãe
 
Lição 04- Preparando-se para Construir uma Família
Lição 04- Preparando-se para Construir uma FamíliaLição 04- Preparando-se para Construir uma Família
Lição 04- Preparando-se para Construir uma Família
 
Lição 03- As Diferentes Mudanças Sociais da Família
Lição 03- As Diferentes Mudanças Sociais da FamíliaLição 03- As Diferentes Mudanças Sociais da Família
Lição 03- As Diferentes Mudanças Sociais da Família
 
Lição 01- A Instituição da Família
Lição 01- A Instituição da FamíliaLição 01- A Instituição da Família
Lição 01- A Instituição da Família
 
Lição 07- Adão e o Pecado
Lição 07- Adão e o PecadoLição 07- Adão e o Pecado
Lição 07- Adão e o Pecado
 
Lição 06- Bênçãos da Justificação
Lição 06-  Bênçãos da JustificaçãoLição 06-  Bênçãos da Justificação
Lição 06- Bênçãos da Justificação
 
Lição 03- A Necessidade Espiritual dos Judeus
Lição 03- A Necessidade Espiritual dos JudeusLição 03- A Necessidade Espiritual dos Judeus
Lição 03- A Necessidade Espiritual dos Judeus
 
Lição 02- A Necessidade dos Gentios
Lição 02- A Necessidade dos GentiosLição 02- A Necessidade dos Gentios
Lição 02- A Necessidade dos Gentios
 
Lição 01- Conhecendo a Carta aos Romanos
Lição 01- Conhecendo a Carta aos RomanosLição 01- Conhecendo a Carta aos Romanos
Lição 01- Conhecendo a Carta aos Romanos
 
Lição 13- Relacionamento com Deus
Lição 13- Relacionamento com DeusLição 13- Relacionamento com Deus
Lição 13- Relacionamento com Deus
 
Lição 12- Relacionamentos Solidários
Lição 12- Relacionamentos SolidáriosLição 12- Relacionamentos Solidários
Lição 12- Relacionamentos Solidários
 

Último

Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
andreaLisboa7
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdfAPOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
lbgsouza
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
FLAVIA LEZAN
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
LindinhaSilva1
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 

Último (20)

Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdfAPOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasInsegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 

Lição 11 - A Igreja e a Política

  • 1. Assembleia de Deus em Florânia - RN Maxsuel Aquino
  • 2.
  • 3.
  • 8. NO EPISÓDIO DE HOJE... I. AS AUTORIDADES CONSTITUÍDAS E A SUBMISSÃO A ELAS II. DANIEL, EXEMPLO DE SERVO NO EXÍLIO III. JOSÉ, ADMINISTRADOR NO EGITO
  • 9. INTRODUÇÃO 0 homem é um ser político, e, como tal, tem necessidade de se relacionar com outros de sua espécie. Até que ponto os cristãos devem se sujeitar às autoridades? Quais são as obrigações delas diante de Deus?
  • 10. INTRODUÇÃO Deve o cristão envolver-se em política partidária? É possível um cristão ser do meio governamental e manter sua integridade? E os deveres dos cristãos para com os governos?
  • 11. O QUE É POLÍTICA? A palavra “política” provém do grego “politéia ”. Tal palavra era usada para se referir a tudo relacionado a polis (Cidade-estado) e à vida em coletividade. É a arte de GOVERNAR.
  • 12. O QUE É POLÍTICA? “Aqueles que afirmam não gostar de política, desconhecem que é exatamente ela quem define os temas que afetam o nosso dia a dia.”
  • 13.
  • 14. A IGREJA E A POLÍTICA Dupla cidadania do cristão “Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo”.(Filipenses 3.20) "Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal” (Jo 17.15)
  • 15. A IGREJA E A POLÍTICA Qual deve ser a postura da Igreja com relação a política partidária? Deve haver separação entre Estado e Igreja? “A melhor atuação política da igreja deve restringir- se à conscientização e orientação dos seus membros, para que votem com ética e discernimento.”
  • 16.
  • 17. 1.1 OS DEVERES DAS AUTORIDADES Autoridades existem para trazer ordem para a sociedade. Bons governantes são queridos pelo povo. mas os maus são uma vergonha para qualquer nação
  • 18. 1.2 ORANDO PELAS AUTORIDADES Também temos o dever orar pelos nossos governantes! “1 Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens; 2 Pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade;” (1 Timóteo 2:1,2)
  • 19. 1.3 A SUJEIÇÃO AS AUTORIDADES A sujeição às autoridades é um mandamento bíblico (Rm 13.1). A Bíblia nos ensina que devemos OBEDECER E RESPEITAR as AUTORIDADES. Uma de nossas obrigações, como cidadãos, é escolher aqueles que nos governarão.
  • 20. 1.3 A SUJEIÇÃO AS AUTORIDADES “Sujeitai-vos, pois, a toda a ordenação humana por amor do Senhor; quer ao rei, como superior;” (1 Pedro 2.13) “A obrigação que o cristão tem de obedecer é válida até que o governo o obrigue a pecar contra os mandamentos divinos”. (Dietrich Bonhoeffer).
  • 21. PENSE A história da Bíblia nos mostra que uma pessoa sem o temor de Deus, colocada em posição de poder, faz com que sua nação sofra.
  • 22. IMPORTANTE As pessoas que ocupam cargos públicos devem saber que há um Deus nos céus, que a tudo observa e recompensa, tanto em relação ao bem quanto em relação ao mal
  • 23. A RESPONSABILIDADE POLÍTICA DO CRISTÃO Dever cívico: “Votar é o nosso primeiro dever cívico. Se você não vota está abandonando a obrigação bíblica de ser um cidadão responsável“ (Charles Colson). Voto consciente “Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros.”(Filipenses 2.4)
  • 24. A RESPONSABILIDADE POLÍTICA DO CRISTÃO “Participar da política é uma responsabilidade Bíblica.” Quando os BONS se OMITEM, os MAUS assumem o PODER! Temos dois exemplo clássicos nas Santas Escrituras de que um Cristão pode sim, participar do meio político sem negar os princípios Bíblicos.
  • 25.
  • 26. 2.1 DANIEL Era um jovem hebreu levado à Babilônia depois que Jerusalém foi sitiada por Nabucodonosor (Dn 1.1). As características eram bem especificas e inerentes à vida política: Saber viver no palácio com inteligência e sabedoria.
  • 27. 2.2 DANIEL, O PROFETA Esse servo de Deus passou por três imperadores, e se manteve íntegro em seu trabalho político. "Portanto, ó rei, aceita o meu conselho e desfaze os teus pecados pela justiça e as tuas iniquidades, usando de misericórdia para com os pobres, e talvez se prolongue a tua tranquilidade" (Dn 4 27)
  • 28. 2.3 DANIEL, O HOMEM PÚBLICO Daniel foi um homem público conhecido por sua integridade Daniel era um homem de comprovada integridade moral e espiritual.
  • 29. PENSE Tanto quanto profeta, Daniel foi um exemplo de administrador público em toda a sua vida.
  • 30. IMPORTANTE É possível ser um homem ou mulher que tome decisões que agradem a Deus em qualquer lugar, inclusive nos meios políticos e governamentais.
  • 31.
  • 32. 3.1 JOSÉ José, cujo nome, quer dizer, "aquele que acrescenta" era filho de Jacó e Raquel, nascido na cidade de Harã, tinha uma irmã chamada Diná e onze irmãos. Do cárcere, Deus o exaltou, levando-o à presença de Faraó, onde foi colocado como o segundo homem no comando do Egito.
  • 33. 3.2 JOSÉ, LÍDER NO EGITO Após chegar a uma posição de destaque. José teve de lidar com a política egípcia para colocar seus projetos em voga, conseguindo estocar alimentos para os períodos de fome na terra (Gn 4148.49)
  • 34. 3.3 JOSÉ, O GOVERNADOR. Como governador do Egito, José poderia usar de suas prerrogativas políticas para castigar seus irmãos pelo mal que lhe fizeram. Mesmo podendo se utilizar do poder que tinha nas mãos. punindo seus próprios irmãos por tudo o que fizeram, José preferiu lembrar das promessas feitas a Abraão, e rogou pelos filhos de Israel sobre a terra que Deus lhes daria.
  • 35. PENSE Deus fez José prosperarem lugares pouco prováveis, e recompensou sua integridade guardando-o da morte e tornando-o uma pessoa importante em terra estranha.
  • 36. IMPORTANTE José, em seus últimos dias. falou da fidelidade de Deus em relação a retirar o povo de Israel do Egito e leva-lo à Terra Prometida.
  • 37. CONCLUSÃO É possível a uma pessoa, em posição de autoridade no mundo político, ser íntegra e trabalhar pelo bem do povo. E. como cristãos, devemos orar por tais pessoas, para que exerçam com sabedoria a vocação para a qual foram chamadas.
  • 38. HORA DA REVISÃO 1)Quais são os deveres das autoridades? 2)Faça um resumo do nosso sistema político. 3)É nosso dever orar pelas autoridades? Justifique a resposta com um texto bíblico. 4)A sujeição as autoridades é um dever bíblico? 5)Cite exemplos de servos que exerceram um papel político.