Lição 10- A ascensão econômica

1.352 visualizações

Publicada em

Slide da Lição 10- A ascensão econômica
Lições Bíblicas Jovens 3º trimestre de 2015.
Tema: Novos Tempos, Novos Desafios- conhecendo os desafios do século XXI
Se gostou, comente, curta e compartilhe.
Se não gostou, comente. Receberemos as críticas e veremos o que pode ser melhorado/modificado.
http://maxsuelaquino.blogspot.com.br
https://www.facebook.com/maxsuel.aquino
https://twitter.com/emaxsuel

Publicada em: Educação
2 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.352
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
131
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
58
Comentários
2
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lição 10- A ascensão econômica

  1. 1. Lnçózs Biàucns DVB-I IS : E à ü 'a _ . : 41:: - . /': IÃJ”/ Í:/ ' ü L Í! - v ' _Í-: É " Axsséfmb1e1adç: LDeus em _ *ÍíFlorâniég-IÊN; A *. a okê; Q i A “Maxsuel Aq1_1_1no , * I l_ ___ A reja í undo Novo Ço ndo os esafios do Século XXI
  2. 2. ›' í( 7/7 o l ^ _ *JIT K” r k . -. , l / l ' / ' Recaptulndo V egLmd guns uando foi que, de-fato, Por que Jesus _ referiu-se aos escriba o formaqnegatlva? ,' / / á
  3. 3. Quem são os “desigrejados” ? , s Qual e a plot causa da rejeição da igreja Q t' peles _ “desigrejadosW
  4. 4. M» Quais sã? os sê? ? estágios da igeja Cite uma das características que *É _Q " a, igreja emergente _ mais valoriza - 4,. , ç.
  5. 5. Lição 10o- A ascensão econômica TEXTO DO DIA “E dissemlhes: Acautelai-mvos e guardaiwvos da avareza, porque a vida de qualquer não consiste m abundância do que possui. " (Lc 12.15)
  6. 6. ü étia e amoralicristãs são tãq a i senciaisquxatoa i' 74 ~ Tjustiçasocial. e g-J .
  7. 7. TEXTO BÍBLICO 1 Timóteo 6.7-1O 7 Porque nada trouxemos para este mundo e manifesto é que nada podemos levar dele. 8 Tendo, porém, sustento e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes.
  8. 8. TEXTO BÍBLICO 1 Timóteo 6.7-1O 9 Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. 10 Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se idesviaram da fé e se traspassaram a si o_ mesmos com muitas dores.
  9. 9. No episódio hoje. . I- A justiça social e o profetismo H- A política econômica III- Oeperigo do casamento da Igrejacom o estado
  10. 10. Hoj e, ~refletiremos acerca das mudanças políticas que vêm alterando a . sf organização familiar É_ , , e social. e 'i . ç já. ,
  11. 11. É_ lnuodução 541601159; pente 9 populismo não está “dando com uma IU T Êifh* T É* mao pagçiitirar com de? ouuasf, faíeñdó com queiioatéçççi mesrn7o j_ , _ ã íílofalidãdé íejã; f* *r . Q extinta? _
  12. 12. Como anda a política social na sua cidade e no seu estado? POLTICAS socms Investimento em moradia N 'Educação pggblica; dfçjçqualidadeççgçtçn : l T” gratuita¡ : i Atendimento hospitalar e odontológico para toda a população renda Gs1ra«9ã0 die empn= ›g0s e Lazer e cultura Saneamento básicozs Transporte publico Illllli O
  13. 13. Qual 2 seria o papel do governo em relação às políticas sociais? «six › . ç Ç'
  14. 14. Ce1sesieeJe de Senhor: entre devemos fazer í does _íJAL . 1.' . ir ' governos não têm políticas sociais i Justas? 0.6x › . ç já. .
  15. 15. I - A JUSTIÇA SOCIAL E o PROFETISMO
  16. 16. 1. O cuidado divino com a justiça social «iara › ç t 'A 2-' . J '
  17. 17. 1. O cuidado divino com a justiça social «iara › ç t 'A 2-' . J '
  18. 18. 1. O cuidado divino com a justiça social «iara › ç t 'A 2-' . J '
  19. 19. Êxodo 22:25-27 25 Se emprestares dinheiro ao meu povo, ao pobre que está contigo, não te haverás com ele como um usurário; não lhe irnporeis usura. 26 Se tomares em penhor a roupa do teu próximo, lho restituirás antes do pôr do sol, 27 Porque aquela é a sua cobertura, e o vestido da sua pele; em que se deitaria? Será pois que, quando clamar a mim, eu o ouvirei, porque sou misericordioso.
  20. 20. “E Pirangi §Tír; '.f_r'<fÍle›s el *r : illertrel »Em ~'~f›e§. §:ál ? Hmh Tião *¡~xr, i›z: ;_»': ;c* »i'm 3351114 *IêMIÊVLSK @ou umup», . . _ . A . _ . A *naomi *v rlrxagrase* : :ea Hsãnlgieze_ *íãtj* Ene* »ia me: saga 'rzçjru Tx» lili* e *Tongro 'mlêãtjfêr rsgànr” ? tê jüllrí *ir* _r 7 7 7 ; ” 77 77 TM o _ . *l e _ . v* LU. P** W ri u l* lí v' »fio ÍHPR.
  21. 21. . _, , m çmHL ) "à p, 1,_ . __l. "5“r ^ f? . “~ »ea T“, ..à¡ T vçiilêyqc¡ l, Kali' , r 3» " ' l' srwzyw
  22. 22. . Y_ 2, Justiça divina nao é paternalismo écvx › n¡ . ' . J -
  23. 23. . Y_ 2, Justiça divina nao é paternalismo écvx › ç 'i A' l? n
  24. 24. do teu povo, e da sobra comam os 1M* 3. O ministério profético e a justiça social 10 Também seis anos semearás tua terra, e recolherás os seus ñutos; ll Mas ao sétimo a dispensarás e deixarás descansar, para que possam comer os pobres ais do campo. Assim farás com a tua vinha e com o teuolival. j* Êxodo 23:l0,ll
  25. 25. 3. O ministério profético e a justiça social écvx › n¡ . ' . J -
  26. 26. ENE_ › n11 . L 2( o_ , _ , hit i I A __ _ 11 v_ u I , , , e. _ J A hn Br» s. Cera. .. J e. .ur, .Tuma, . rl, .r , r na. o, .r . Pl. I_ V, Ê H. . , Ik , Í a . g t . LPT nl, Í. , . ». › ll, , f. . . .TL a m1,, u¡ . ul_ . Tv . l . mal ri JA 1)( , t v 2.-. , . 4 Talk. . . Fx T VL. , l». V! ! . rt, Ur . .rh v FTA. : . fx . r l ; e r. R,
  27. 27. 3. O ministério profético e a justiça social
  28. 28. Bo É e ç r a . x r . n. a O ministerio profetico e a justiça social «o , -~›-+ ÕTPortanto, ó rei, aceita o meu conselho, e põe aos teus pecados, pratioando a justiça, e às tuas iniquidadeausando de rniseriçórdia cornos pobres,
  29. 29. .T . , . r , _ v . ..T o u. w i › . o , P! T TTTT . T e. . l. , . .. a . , nr TTTTTT. . hn, .l, r, l P. ._ , TT. .__ l __ . TTTT, .. FX u. . nlTL. .I d , , _TTT r , . TX J b. . , TTT. III . ,a . e. . TT. T T_ , . . .FT , , . c A
  30. 30. 3. O ministério profético e a justiça , social Cp: 'Qi
  31. 31. vegjrsqnuervixr 1;( l ^ Â “k ; Y YTÍ, V hr j KW §| tkl_h, ¡kpi. ili. iit, fo, T _ f¡ h í ñ gdllw j L - y à q] 'tj mr¡ @É ' .
  32. 32. . V Imporítaate! 0.6x › ç_
  33. 33. n - A POLÍTICA ECONÔMICA
  34. 34. . governo e a justiça social
  35. 35. . V . governo e a justiça social
  36. 36. . governo e a justiça social 0.6x › n¡ . ' . J -
  37. 37. . 3_ 2.0 governo e as classes populares
  38. 38. 'r . i '; "" ' e 250 govemo a asfclassespopulares
  39. 39. [3, O perigo dio populismo O que é populismo? É quando um líderi estabelece não laços racionais, mas emocionais com as pessoas. 0.6x › . o c'
  40. 40. ç H1 Tatrzenqpíi» T . e “rota, v5? “i'°vli'fll* lê¡ JJ = “í I* ¡Íleiij si: s; ç,T; TLe›fi; _f_xTrjlTr~ s; m? “f“Íij9:Êf: T.L[fí'f_I; T“ (U1 Elos: : Ir I; _j:9;; : nr T *Jill : o: if» TÍleLTJic Iüigrexrízlzi. , T . .. (-9 ' ' line
  41. 41. .o já. ,
  42. 42. . V Imporítaiite! 0.6x › . o já. ,
  43. 43. @C93 R160 eAsnNTo DAIGJA QQMTGTSTADO_ _ É-v-_VY __ . : , ~"_ r - - ' u" e' , . r _ç _ -_
  44. 44. 0.6x › _ . o Ç'
  45. 45. 1.0 artifício romano para *obter o apoio dos líderes religiosos
  46. 46. 1.0 artifício romano para *obter o apoio dos líderes religiosos
  47. 47. . V ç ' , a D, j' f" 2, , A era Constantino
  48. 48. O cuidado da / Igrej atual
  49. 49. O cuidado da / Igrej atual
  50. 50. .TT, .__ m. M. . . TK T. ,T _ ÍTI. . e. . L» l , TT. _ , M_ T v, ve m», T» c, E_ o V. . T ›r. .T _T_ T, T HT» 4 TAi. n, r. TT . l T. rTT an” TTl NTI». .T »TT , _, . VI L_ T. ,. TT . .TTT. ,, É TT. , T a T T Mw ve. u. . . r T T TTT! .fTJ, Tal¡ _rT y ! TT 2.( . .fly ; Vl T ri T TT u! !k T J¡ ›T T TIK. T TTT. , Jr. . . Tfkr TTTTT . TTÀ, TT». T . .r a_ Í o. _l_ _T x1, _T _ w . TTT T : uv l. T T _ r. TTT. .T : avi MK, . T T. . à o Ti . Tv N_ t TTT TTT . ll. , ç_ TWTT _ T, .. Jah . , 1 . TT _ T T TK , ,TTT_, h l . TTT T c. . à) m? , , TT . o. . T . r ln.
  51. 51. . 3_ Imporítaiite!
  52. 52. u' ' T Conclusao W Não háduvida de que a função do governo é proporcionar melhores condições para a população ter assegurada Ka sua qualidade de vida. ^ 0.6x › Ci: 'Qi
  53. 53. . V ' T Conclus u' ão 0.6x › , q . o c'
  54. 54. Tina na rzvTsão* 1. Cite um dos principais cuidados divinos. 2; Õ assistencialismõ resolve o problema da W pobreza? , T e <ÍP= .(2.
  55. 55. L F rn/ Tsão* 3. Em sua opinião, qual seria o papel do governo em relação aos pobres: alimenta- los ou pioporcionar-lhes uabalho? -=Explique. T e <ð= .(2.
  56. 56. 4, Como deve ser a nossa relação com os políticos? _T5, De acordo com a _ lição, qual deve ser a s o V T função do governo? ' 'i - <ð= s: _z T' P*
  57. 57. i9'. T u' A o T ore l p§or; T
  58. 58. i T -Tw , Ç , , T¡ íkiu¡ -itfãr l_ ht! yu l LJ rá] TT , Tlñs (T TIEmsp @aãlâãlííãâgmã©onnoãíãoil, tloâüm, httirllatitudedeaprendiz blogspot com br/

×