Firm Resources and Sustained Competitive Advantage

1.056 visualizações

Publicada em

Barney, J. (1991). Firm Resources and Sustained Competitive Advantage. Journal of Management, 17, 99-120

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.056
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
30
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Firm Resources and Sustained Competitive Advantage

  1. 1. Mestrado 2014 Organização da Produção Sustentável PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PROFESSOR: CARLOS ANDRÉ DA SILVA MÜLLER, DR
  2. 2. Mestrado 2014 Mestrandos Fernando Alves da Silva Maximiliano Barroso Bonfá Paulo Roberto Meloni Monteiro
  3. 3. Mestrado 2014 Firm Resources and Sustained Competitive Advantage Barney, 1991 Source: Barney, J. (1991). Firm Resources and Sustained Competitive Advantage. Journal of Management, 17, 99-120.
  4. 4. Resumo • Baseando-se nas premissas de que os recursos estratégicos são distribuídos heterogeneamente entre as empresas e que estas diferenças são estáveis ​​ao longo do tempo • Este artigo examina a ligação entre os recursos empresariais e a vantagem competitiva sustentável. • Aponta quatro potenciais indicadores empíricos competitivos dos recursos empresariais que geram vantagem competitiva sustentável: Valor, Raridade, Imitabilidade e Substituibilidade. • O modelo é aplicado pela analise do potencial dos vários recursos empresariais para a geração de vantagens competitivas sustentáveis. • O artigo conclui examinando as implicações deste modelo de recurso empresarial de vantagem competitiva sustentável para outras áreas de negócio
  5. 5. Introdução • Desde 1960, um quadro de organização único tem sido usado para estruturar a pesquisa em administração estratégica. – Isolando oportunidades e ameaças de uma empresa – Descrevendo Pontos fortes e fracos da empresa – Analisando como estes são combinados para escolher estratégias
  6. 6. PONTOS FORTES FRAQUEZAS OPORTUNIDADES AMEAÇAS ANALISE INTERNA ANALISE EXTERNA MODELO BASEADO EM RECURSOS MODELO AMBIENTAL DE VANTAGEM COMPETITIVA Relação Entre o Modelo Baseado em Recursos e o Modelo Ambiental de Vantagem Competitiva
  7. 7. Introdução • Embora ambas as análises internas e externas tenham recebido alguma atenção na literatura. • Trabalhos recentes tendem a centrar-se essencialmente na análise de oportunidades e ameaças de uma empresa em seu ambiente competitivo. • Este trabalho tem tentado descrever as condições ambientais que favorecem a altos níveis de desempenho da empresa.
  8. 8. Introdução • O modelo ambiental de vantagem competitiva atribui ênfase no impacto dos atributos idiossincráticos na posição competitiva de uma empresa. 1. Empresas dentro de uma indústria (ou de um grupo estratégico) são idênticos em termos de recursos e estratégias de relevância 2. A heterogeneidade de recursos em uma indústria ou grupo será muito curta já que os recursos são altamente móveis (mercado de fatores ou seja competitivo)
  9. 9. Introdução • Visão baseada em recursos 1. Empresas dentro de uma indústria (ou grupo) pode ser heterogênea em relação aos recursos estratégicos 2. Estes recursos podem não ser perfeitamente móveis entre as empresas.
  10. 10. CONCEITOS-CHAVE
  11. 11. Recursos Empresariais • Todos os ativos, capacidades, processos organizacionais, atributos empresariais, conhecimento informacional, entre outros, que são controlados por uma empresa e permitem conceber ou implementar estratégias que melhorem sua eficiência e eficácia. • Recursos Físicos: a tecnologia, instalações e equipamentos, localização geográfica, acesso a matéria-prima
  12. 12. Recursos Empresariais • Recursos humano: treinamento, experiência, julgamento, inteligência, relacionamentos, a introspecção de gerente e trabalhadores individuais • Recursos organizacionais: estrutura formal de relatórios, planejamento formal e informal, controladores, sistemas, bem como as relações informais de coordenação entre os grupos dentro da empresa e entre a empresa e seu ambiente
  13. 13. A vantagem competitiva • Implementação de uma estratégia de criação de valor não implementada simultaneamente por todos os concorrentes atuais ou potenciais. • Vantagem competitiva sustentável (SCA) – Além do conceito acima exposto, soma-se o fato de quando essas outras empresas são incapazes de duplicar os benefícios desta estratégia. – 'Sustentável' não se refere ao período de tempo, mas no que depende da possibilidade de duplicação competitiva.
  14. 14. A vantagem competitiva • Uma vantagem competitiva é sustentável somente se ela continua a existir depois que os esforços para duplicar essa vantagem cessaram. • Neste sentido, esta definição de vantagem competitiva sustentável é uma definição de equilíbrio. • “Sustentavel” não significa que ele vai "durar para sempre." • “Schumpeterian Shocks“ - Revoluções estruturais de uma indústria que redefine os atributos de uma empresa.
  15. 15. Concorrência com Recursos Homogêneos e Perfeitamente Móveis • As empresas não podem esperar obter SCAs quando os recursos estratégicos estão uniformemente distribuídos em todas as empresas concorrentes. • Não é possível para qualquer empresa obter uma vantagem competitiva inédita, por definição: – A existência de first-mover significa recursos heterogêneos. • Não é possível para qualquer empresa obter uma vantagem competitiva de Barreiras de Mobilidade / Entrada, por definição: – A existência de barreiras de mobilidade / entrada significa que os recursos são heterogêneos e imóveis
  16. 16. Concorrência com Recursos Homogêneos e Perfeitamente Móveis • Assim, para se compreender as fontes de vantagem competitiva sustentável, é pressuposto necessário que os recursos das empresas sejam heterogêneos e imóveis.
  17. 17. Recursos Empresariais e Vantagem Competitiva Sustentável • Para que os recursos empresariais mantenham o potencial de vantagem competitiva sustentável, um recurso empresarial deve ter quatro atributos: – Valioso – Raros – Inimitável – Insubstituível
  18. 18. Recursos Empresariais e Vantagem Competitiva Sustentável • Valioso: Capaz de ativar uma empresa para conceber ou implementar estratégias que melhorem sua eficiência e eficácia • Raros: Mesmo que esse recurso for possuído por outras empresas, e cada uma dessas empresas explorar esse recurso da mesma maneira, e implementar a mesma estratégia. – Desde que o número de empresas que possuem um recurso valioso seja menor do que o número de empresas necessárias para gerar dinâmicas de concorrência perfeita em uma indústria, o recurso tem o potencial de gerar uma vantagem competitiva.
  19. 19. Recursos Empresariais e Vantagem Competitiva Sustentável • Inimitável : torna os recursos competitivos sustentáveis – Condições históricas únicas – Ambiguidade causal – Complexidade social: relações interpessoais entre os gestores de uma empresa, a cultura de uma empresa, a reputação de uma empresa, entre fornecedores e clientes • Insubstituível: torna os recursos competitivos sustentáveis – Duas formas: similares ou muito diferentes
  20. 20. APLICANDO O FRAMEWORK
  21. 21. HETEROGENIEDADE DOS RECURSOS EMPRESARIAIS IMOBILIDADE DE RECURSOS EMPRESARIAIS VALOR RARIDADE IMITABILIDADE IMPERFEITA - História Dependente - Ambiguidade Causal - Complexidade Social PERMUTABILIDADE VANTAGEM COMPETITIVA SUSTENTÁVEL Relação Entre a Heterogeneidade e Imobilidade de Recursos e a Vantagem Competitiva Sustentável
  22. 22. Aplicando o Framework • Planejamento estratégico formal não é suscetível de ser uma fonte de SCAs em si (valioso, mas não é raro e não imitável) – Informal processo de tomada de estratégia pode ser uma fonte de SCAs (valioso, raro, socialmente complexo tão imperfeitamente imitável) o planejamento formal não é substituto para a elaboração da estratégia informal.
  23. 23. Aplicando o Framework • Sistema de Processamento de Informação podem realizar o potencial de SCAs (relativamente poucas empresas criando estreita interface do gerenciador de computador e sistema socialmente complexo) – Apesar do substituto próximo (a uma estreita malha altamente experiente de equipes de gestão), esse substituto é raro e socialmente complexo.
  24. 24. Aplicando o Framework • Reputações positivas podem proporcionar potencial de SCAs (raro, depende evento histórico, relações sociais informais) – Se garantia e contrato de longo prazo não é um substituto para eles
  25. 25. Conclusão • No modelo ambiental de vantagens competitivas, as preocupações à assistência Social foram abandonados em favor da criação de indústrias de concorrência imperfeita. – Visão baseada em recursos sugerem que a pesquisa de gestão estratégica é coerente com as preocupações tradicionais de assistência social desde uma empresa com vantagens de recursos está se comportando de uma maneira eficiente e eficaz. – Rendas de Eficiência VS rendas de monopólio • Ao contrário dos modelos econômicos dos fenômenos organizacionais, RBV sugerem que a Teoria das Organizações ou do Comportamento Organizacional pode ser uma rica fonte de descobertas e teorias sobre SCAs • RBV enfatiza a importância empresarial da dotação de recursos na criação de SCAs. – Desde pressuposto implícito na RBV é que os gestores são limitados em sua capacidade de manipular todos os atributos e características de suas empresas
  26. 26. Perguntas
  27. 27. Mestrado 2014 Obrigado!

×