Teníase e Esquistossomose

1.922 visualizações

Publicada em

Seminário sobre teníase e esquistossomose

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.922
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Teníase e Esquistossomose

  1. 1. CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO PARÁ ÁREA DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DISCIPLINA: AGENTES PARASITÁRIOS DOCENTE: PATRÍCIA FAGUNDES DISCENTES: JAINE FREITAS, MAURÍCIO COELHO, THAIS KIMMEMGS Belém – PA 2014
  2. 2.  A cisticercose (descrita no séc. XVI) ◦ Desconhecida até a metade do século XIX;  Duas espécies afetam o homem: Taenia solium (suíno) e T. saginata (bovino);  Estima-se: 50 milhões infectados e 50 mil mortes a cada ano;  Endêmica no Brasil. ◦ Maior ocorrência: MG, SP, PR e SC.
  3. 3.  Corpo achatado em forma de fita.  Corpo divido em: ◦ Escoléx ◦ Colo ◦ Estróbilo
  4. 4.  Auto-infecção; ◦ Ocorre durante vômitos ou movimentos retroperistálticos do intestino.  Heteroinfecção.
  5. 5.  Causam fenômenos tóxico-alérgicos, pelas substâncias excretadas, provocam hemorragias através da fixação na mucosa, com isso destroem o epitélio e produzem inflamação;  Competem com o hospedeiro pelo suprimento nutricional.
  6. 6.  Exame de fezes (proglotes ou ovos);  Pode-se também realizar pesquisa de ovos na pele com a técnica da fita adesiva na região periana.
  7. 7.  É uma doença infecciosa potencialmente erradicável (OPAS/OMS); ◦ Ciclo biológico; ◦ Tratamento dos portadores; ◦ Construção de redes de esgoto ou fossas sépticas; ◦ Incentivo e apoio de modernização da suinocultura; ◦ Inspeção rigorosa em abatedouros.
  8. 8.  Infecção parasitária endêmica  Doença parasitária de veiculação hídrica  Importante problema de saúde pública  Pobreza  Baixo desenvolvimento econômico e falta de saneamento básico
  9. 9.  Introduzida no Brasil no século XVI com tráfico de escravos oriundos da África  Parasita encontrou condições ecobiológicas adequadas para sobreviver  Fatores econômicos estimularam a migração interna no país  Regiões nordeste e sudeste  Regiões de alta endemicidade
  10. 10.  OMS estima que 200 milhões de pessoas são infectadas por ano e 600 milhões vivem em risco no mundo  No Brasil 6 milhões são infectados e 25 milhões estão em risco  Existem focos na Colômbia, Venezuela, Porto Rico, Haiti e Suriname  O Brasil é o principal foco endêmico
  11. 11.  Macho ◦ Mede cerca 1 cm; ◦ Cor esbranquiçada; ◦ Corpo dividido em duas regiões:  Anterior (ventosa oral).  Posterior (que inicia logo após a ventosa ventral).  Fêmea ◦ Mede cerca de 1,5 cm ◦ Tem cor escura.
  12. 12.  Miracídio ◦ Forma cilídrica; ◦ Forma ciliada; ◦ Terebratorium.  Cercária ◦ Cauda bifurcada; ◦ Duas ventosas presentes  Ventosa oral  Ventosa ventral.
  13. 13.  Espécie existente no Brasil: ◦ Schistosoma mansoni (Sambon,1907)  Pirajá da Silva (Bahia, 1907): ◦ Schistosoma americanum
  14. 14. Família: Planorbidae Gênero: Biomphalaria
  15. 15.  As cercárias são a forma infectante dos vertebrados  Possuem cauda bifurcada – aparelho locomotor  Glândulas holócrinas – enzimas proteolíticas – dermatite cercariana  Perdem a cauda bifurdada – esquistossômulos – contato interno com o hospedeiro definitivo
  16. 16.  Migram para o fígado passando pelos pulmões e coração utilizando a corrente sanguínea  Sistema porta – adultos e sexualmente ativos  Verme adulto em 4 a 6 semanas  Acasalamento e deposição dos ovos nos vasos mesentéricos  Os ovos são eliminados nas fezes
  17. 17.  Exame de fezes (ovos de S. mansoni); ◦ Histopatológicos; ◦ Sorologicos; ◦ Molecuraes.
  18. 18.  Tratamento da população;  Saneamento básico;  Combate aos caramujos transmissores;
  19. 19.  LEÃO, R. N. Q. et al. Medicina tropical e infectologia na Amazônia. Editora Samauma, Belém, 2013.  NEVES, D. P et al. Parasitologia humana. Editora Atheneu, São Paulo, 2005.  ZOONOSES. Disponível em <http://www.zoonoses.org.br/> Acesso em: 09.jun.2014

×