VIVER
A VIDA

COMPILADO P E L A
CASA UNIVERSAL DE J U S T I Ç A
VIVER A VIDA
VIVER A VIDA
UMA COMPILAÇÃO

Primeira parte:
Orientação dada pelo Guardião.
Segunda parte:
Orientação dada pela Casa Unive...
Direitos Reservados:
Assembléia Espiritual Nacional dos Bahá'ís do Brasil
Rua Engenheiro Gama Lobo, n.° 267
Vila Isabel, R...
INTRODUÇÃO
Ser um bahá'í, de fato, como de nome, demanda de
cada um de nós um esforço muito grande — em estudar os escrito...
"Não é pela força dos números, nem pela
mera exposição de um conjunto de novos e nobres princípios, nem por uma organizada...
EXCERTOS

DOS ESCRITOS DO GUARDIÃO
SOBRE A VIDA BAHÁ'Í

"Quão freqüentemente se ouviu o amado Mestre dizer: Se cada um dos...
trário, seria inútil nos envolvermos em qualquer empreendimento. Também é essencial que nos abstenhamos da
hipocrisia e da...
para as evidências de degradação moral e de conduta frívola das pessoas ao seu redor. Não deveriam contentar-se apenas com...
nos distinguirão das pessoas de mentalidade mundana e farão com que elas perguntem qual é o segredo desta nova
vida em nós...
prestar atenção ao nosso objetivo e nos concentrar em
nossa própria tarefa. Se desviarmos o olhar para o lado a
fim de ver...
volvimento moral e espiritual. Como diz o Mestre, os
pesares são como os sulcos do arado; quanto mais profundos, tanto mai...
cer a Causa no mundo inteiro. Viver para ensinar no presente é como ter sido martirizado naqueles primeiros dias.
É o espí...
alguma profissão e se auto-sustentar. Um bom Bahá'í..
portanto, é aquele que organiza sua vida de modo a devotar tempo tan...
tiva em vosso país tenham permitido que diferenças
e mal-entendidos assumissem tais proporções, especialmente quando os pr...
purificadas e enobrecidas? Permaneça pois confiante de
que suas dificuldades materiais, longe de impedir suas atividades p...
"Seja qual for o campo particular de serviço que escolherdes, de ensino ou administrativo, o essencial é que
persevereis e...
"Vós vos queixastes sobre as condições pouco satisfatórias que prevalecem na Comunidade Bahá'í de. . . ; o
Guardião está b...
co-cidadãos. Devem mostrar seu afastamento dos ódios e
recriminações que estão destroçando o coração da humanidade e demon...
Causa luta a fim de se expandir e estabelecer sua independência, para admitir que despendam desta maneira tanto o
precioso...
"Devemos compreender nossa imperfeição e não nos
permitir ficar demasiadamente perturbados por causa das
coisas que infeli...
ceram amplamente, atrairão o coração do público e testemunharão um rápido crescimento da Sagrada Fé e m . . . A
Assembléia...
espírito da Causa e isto, combinado com o ensino, não
pode deixar de atrair à Fé aqueles que sinceramente buscam a verdade...
''São numerosos os mal-entendidos que surgem em
conseqüência do apaixonado apego dos amigos à Fé e também de sua imaturida...
das, em seus lares, nos negócios, em suas relações sociais,
tanto maior será a atração que exercerão sobre os corações
dos...
ajudando os amigos a compreenderem sua suprema importância."
(De uma carta de 25 de abril de 1945, escrita
em nome de Shog...
"Ele sente que a atual falta de harmonia que prevalece entre vós. . . é muito prejudicial para o progresso da
Causa e só p...
qualquer lugar — é mais amor uns pelos outros e isto.
pode ser adquirido através de um amor maior por BaháVlláh; pois se O...
"Ele sente que de modo especial a juventude deve
constante e determinadamente lutar no sentido de dar
exemplo de vida Bahá...
"A Causa em. . . está crescendo muito rapidamente
e quanto mais ela se espalhar, tanto mais chamará a atenção do público. ...
têm de finalmente depender. Quanto mais enérgico o esforço exercido diária e metodicamente, pelo indivíduo que
labuta na f...
purifica e glorifica nosso verdadeiro eu até que se torne
uma brilhante e maravilhosa realidade."
(De uma carta de 10 de d...
mos sempre pensar que estas coisas foram dadas a todos
os homens para os próximos mil anos. Para as crianças
Bahá'ís que v...
piritual por parte de alguns Bahá'ís e uma espantosa falta
de compreensão e de estudo dos ensinamentos. Viver de
acordo co...
"Ele insiste para que estudeis profundamente os ensinamentos, ensineis os outros, estudeis, com aqueles
Bahá'ís que esteja...
h á V l l á h e o Mestre aceitaram tanto sofrimento, nunca
permitiriam que tais definições e acusações passassem por
seus ...
"Ele insiste junto a todos vós no sentido de promoverdes unidade e amor entre os membros da Comunidade
daí, uma vez que is...
de ambos os lados, que o seu ponto de vista é o certo, pior
se tornará a situação.
"Quando vemos a situação em que se enco...
mais impressionarão o público pela vitalidade espiritual
da Fé em que crêem."
(De uma carta de 20 de outubro de 1953, escr...
cer na alma humana. Esta semente tem de ser regada pelas
chuvas do Espírito Santo. Estas dádivas do espírito são
recebidas...
que de fato trabalham de modo misterioso e eficaz; e que
sempre há ajuda à disposição, que os obstáculos são vencidos e qu...
reza humana, a desentendimentos e às crises de crescimento que cada Comunidade Bahá'í tem de experimentar."
(De uma carta ...
"Não basta que os amigos se desculpem dizendo que
seus melhores instrutores e seus crentes exemplares levantaram-se e resp...
V I V E N D O A VIDA — O R I E N T A Ç Ã O ADICIONAL
Uma carta emitida a todas as Assembléias Espirituais Nacionais a 6 de...
donamento sadio da sociedade humana que elas precisam
ser preservadas sob quaisquer circunstâncias. Compreendendo o grau d...
caráter como também influenciamos aqueles que nos;
cercam.
"Os ensinamentos Bahá'ís sobre relações sexuais são
muito claro...
casamento. Os Bahá'ís não acreditam na supressão do impulso sexual mas na sua regulamentação
e controle."
(De uma carta de...
mente normal através de seu canal legítimo do
casamento."
(De uma carta de 28 de setembro de 1941 a um
crente individualme...
é isto que Bahá'u'lláh estimulou os amigos a fazerem. Porém, o casamento não é, de modo algum, uma obrigação. Em última in...
Se uma pessoa tem de esperar um tempo considerável antes
de encontrar o cônjuge, ou se, finalmente, ele ou ela precisa per...
os anos passam, os psicólogos Bahá'ís, que conhecem, através dos ensinamentos de Bahá'u'lláh, o verdadeiro padrão
de vida ...
índice
Ação / Atos, 8, 9, 11, 29, 34,
35, 41
Aceitação da Causa, 16
Aceitação de Comissões, 38
Acomodação, 42
Acusação, 36...
exemplo bahá'í, 47
família bahá'í, 24
fé bahá'í, 23
grupos bahá'ís, 31
instituições bahá'ís, 35
juventude bahá'í, 29, 43
p...
Crentes jovens, 17
Crescimento,
da Fé, 22
do espírito, 40
Crianças, 33
Crises de crescimento, 42
Crítica, 37, 38
Cruzada M...
Espiritualidade / Espiritual
condição espiritual do mundo, 29
consciência espiritual, 25
crescimento espiritual, 40,
45
de...
Imaturidade, 24, 33-34
Imitação, cega, 8
Imoralidade, sexual, 49
Imperfeições, 21
Incapacidade, 16
Indecência, 29
"Indiges...
Obrigações, uma das maiores,
28
Obstáculos, 15, 18, 41
Ocupações, 13-14
ódio (s), 19, 29, 36
Olhos, que não vêem o pecado,...
Recriminações, 19
Recusas, 32
Regras, e regulamentos, 37
Relações,
espirituais, 37
individuais, 37
sexuais, 46
Religião,
o...
EDITORA BAHA'I DO BRASIL
Viver a vida
Viver a vida
Viver a vida
Viver a vida
Viver a vida
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Viver a vida

320 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
320
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Viver a vida

  1. 1. VIVER A VIDA COMPILADO P E L A CASA UNIVERSAL DE J U S T I Ç A
  2. 2. VIVER A VIDA
  3. 3. VIVER A VIDA UMA COMPILAÇÃO Primeira parte: Orientação dada pelo Guardião. Segunda parte: Orientação dada pela Casa Universal de Justiça. EDITORA BAHÁ'1 BRASIL RIO DE JANEIRO 1975
  4. 4. Direitos Reservados: Assembléia Espiritual Nacional dos Bahá'ís do Brasil Rua Engenheiro Gama Lobo, n.° 267 Vila Isabel, Rio de Janeiro.
  5. 5. INTRODUÇÃO Ser um bahá'í, de fato, como de nome, demanda de cada um de nós um esforço muito grande — em estudar os escritos e em refletir em nossas vidas diárias "o esplendor daqueles princípios eternos proclamados por BaháVlláh". Em sua carta de setembro, 1964, conclamando os Baha ís do mundo para a PARTICIPAÇÃO UNIVERSAL, a Casa Universal de Justiça disse: "todos podem orar, manter suas próprias lutas espirituais, e contribuir ao Fundo. Se cada crente cumprir com estes deveres sagrados, ficaremos atônitos com o aumento de poder que resultará para o corpo t o d o . . ." Mais tarde, em carta datada de 24 de novembro de 1972, com uma compilação consistindo de citações de cartas e escritos do amado Guardião, enfatizaram que "as admoestações morais e espirituais contidas em nossos escritos devem ser disseminadas amplamente, apropriadamente entendidas e os amigos deveriam ser encorajados a segui-las" e eles citam as palavras de Shoghi Effendi: "A humanidade, através o sofrimento e tumulto, está rapidamente caminhando para seu destino; se nos retardarmos, se falharmos em cumprir a nossa parte, certamente outros serão chamados para tomar nosso lugar como ministros para as gritantes necessidades deste mundo aflito.
  6. 6. "Não é pela força dos números, nem pela mera exposição de um conjunto de novos e nobres princípios, nem por uma organizada campanha de ensino — não importa quão universal e elaborada em seu caráter — nem mesmo pela firmeza de nossa fé, ou exaltação de nosso entusiasmo, que poderemos em última instância esperar vindicar aos olhos de um mundo crítico e cético o supremo postulado da Revelação de Abhá. Uma coisa, e somente uma, infalivelmente e única, assegurará o indubitável triunfo desta Causa sagrada, a saber, o grau em que nossa própria vida íntima e caráter privado espelharem em seus inúmeros aspectos o esplendor daqueles eternos princípios proclamados por Bahá'u'lláh." Ao publicar este livreto, a Assembléia Espiritual Nacional dos Bahá'is do Brasil, espera que, com sua leitura freqüente e, acima de tudo, com a incorporação destes ensinamentos em sua vida diária, os amigos Bahá'ís possam atingir, pelo exemplo vivo, os ideais da vida Bahá'i preconizados pelo Amado Guardião e enfatizados pela Casa Universal de Justiça. A.E.N. dos Babais do Brasil
  7. 7. EXCERTOS DOS ESCRITOS DO GUARDIÃO SOBRE A VIDA BAHÁ'Í "Quão freqüentemente se ouviu o amado Mestre dizer: Se cada um dos amigos assumisse a tarefa de cumprir integralmente, e com todas as suas implicações, apenas um dos ensinamentos da Fé, com devoção, desprendimento, constância e perseverança, e o exemplificasse em todos os atos e atividades de sua vida, o mundo se tornaria outro e a face da terra refletiria os esplendores do Paraíso de Abhá. Considerai as mudanças maravilhosas que ocorreriam se os amados do Misericordioso se conduzissem em suas capacidades, tanto individuais como coletivas, de acordo com os conselhos e exortações que fluiram da Pena da Glória." (De uma carta de 12 de janeiro de 1923, de Shoghi Effendi para os Bahá'ís da Pérsia, traduzida do persa.) "Considerai a que ponto os amigos de Deus foram estimulados e exortados na Vontade e Testamento bem como nas Epístolas e Escrituras sagradas a mostrarem retidão, boa vontade, tolerância, santidade, desprendimento em relação a todas as coisas, exceto de Deus, a mostrarem desapego de tudo que pertence a este mundo e darem exemplo de qualidades e características celestiais. Primeiro e antes de tudo deveríamos empregar todos os meios para purificar nossos corações e motivos, pois do con-
  8. 8. trário, seria inútil nos envolvermos em qualquer empreendimento. Também é essencial que nos abstenhamos da hipocrisia e da cega imitação visto que seu mau odor seria logo percebido, por todo homem de compreensão e sabedoria. Ainda mais, os amigos devem observar os tempos específicos para a lembrança de Deus, a meditação, a devoção e prece, porquanto é pouco provável, não, até mesmo impossível que qualquer empresa prospere e desenvolva, se carecer de dádivas e de confirmações divinas. É difícil imaginar a grande influência que o genuíno amor, a veracidade e pureza de motivos exercem sobre as almas dos homens. Porém estas características não podem ser adquiridas a não ser que cada crente faça um esforço diário para obtê-las . . . "É, primariamente, através da potência da nobreza de ações e de caráter, e depois pelo poder da exposição e de provas que os amigos de Deus deveriam demonstrar ao mundo o fato de que aquilo que foi prometido por Deus está destinado a acontecer e já está ocorrendo e que as divinas boas novas são claras, evidentes e completas. De fato, a não ser que algumas almas distinguidas se lancem na arena do serviço e brilhem resplandecentes na assembléia dos homens, a tarefa de demonstrar a verdade desta Causa, ante os olhos dos homens esclarecidos do mundo, seria gigantesca. No entanto, se os amigos se tornassem a personificação do bom caráter e da virtude, as palavras e argumentos seriam desnecessários. Suas próprias ações serviriam de eloqüente testemunho e sua nobre conduta asseguraria a preservação, integridade e glória da Causa de Deus." (De uma carta de Shoghi Effendi de 19 de dezembro de 1923, aos Bahá'ís do Oriente, traduzida do persa.) "Os escolhidos de D e u s . . . não deveriam olhar para a condição depravada da sociedade em que vivem, nem 8
  9. 9. para as evidências de degradação moral e de conduta frívola das pessoas ao seu redor. Não deveriam contentar-se apenas com uma relativa distinção e excelência. Deveriam, ao invés disto, fixar seu olhar sobre alturas mais sublimes, colocando os conselhos e exortações da Pena da Glória como sua meta suprema. Então compreender-se-ia rapidamente quão numerosos são os estágios que ainda restam para serem atravessados e quão distante está a meta desejada -—• meta esta que não é outra senão o exemplo de procedimentos e virtudes celestiais." (De uma carta de Shoghi Effendi de 30 de outubro de 1924 para a Assembléia Espiritual Local de Teerá, traduzida do persa.) "É nosso dever e privilégio traduzir o amor e devoção que temos pela nossa amada Causa em feitos e ações que sejam úteis para o mais alto benefício da humanidade." (De uma carta de Shoghi Effendi de 20 de novembro de 1924 para um crente individualmente. ) "Se lerdes as palavras de Bahá'u'lláh e de 'Abdu'l-Bahá com desprendimento e atenção e nelas vos concentrardes, descobrireis verdades desconhecidas antes e obtereis uma compreensão dos problemas que têm desafiado os maiores pensadores do mundo." (De uma carta de Shoghi Effendi de 30 de janeiro de 1925 a um crente individualmente.) "A coisa mais importante é viver a vida — ter nossas vidas tão saturadas pelos Ensinamentos Divinos e pelo Espírito Bahá'í que as pessoas não podem deixar de ver uma alegria, um poder, um amor, uma pureza, uma radiância, uma eficiência em nosso caráter e trabalho que
  10. 10. nos distinguirão das pessoas de mentalidade mundana e farão com que elas perguntem qual é o segredo desta nova vida em nós. Devemos tornar-nos inteiramente desprendidos e devotados a Deus, de tal modo que todos os dias e em todos os momentos busquemos somente aquilo que Deus gostaria que fizéssemos e da maneira como Ele gostaria que o fizéssemos. Se fizermos isto com sinceridade, teremos perfeita unidade e harmonia com os outros. Onde há deficiência de harmonia, há falta de verdadeiro Espírito Bahá'í. A não ser que possamos demonstrar esta transformação em nossas vidas, este novo poder, este mútuo amor e harmonia, os ensinamentos Bahá'ís serão apenas um nome para nós." (De uma carta de 14 de fevereiro de 1925, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente. ) "Se nós Bahá'ís não podemos obter uma cordial unidade entre nós mesmos, então falhamos em compreender o propósito principal pelo qual o Báb, Bahá'u'lláh e o Amado Mestre viveram e sofreram. "A fim de obter esta unidade cordial, um ponto importante sobre o qual BaháVlláh e Abdu'1-Bahá insistiram é o de que devemos resistir à tendência natural de deixar nossa atenção focalizar as faltas e defeitos dos outros, ao invés dos nossos próprios. Cada um de nós é responsável por uma vida só, e esta é nossa própria . Cada um de nós está ímensuravelmente longe de ser "perfeito como é nosso Pai Celestial" e a tarefa de aperfeiçoar nossa própria vida e caráter requer toda nossa atenção, força de vontade e energia. Se permitirmos que nossa atenção e energia sejam usadas no esforço de manter os outros corretos e remediar suas falhas, estaremos desperdiçando precioso tempo. Somos como lavradores, cada um com sua parelha de animais para conduzir e seu arado para dirigir. A fim de mantermos em linha reta nosso sulco precisamos 10
  11. 11. prestar atenção ao nosso objetivo e nos concentrar em nossa própria tarefa. Se desviarmos o olhar para o lado a fim de ver como Fulano e Sicrano estão agindo e criticar seu trabalho, então nosso próprio sulco seguramente ficará torto. "Em nenhum assunto os Ensinamentos Bahá'ís são tão enfáticos como quanto à necessidade de nos abstermos da crítica e maledicência e de estarmos sempre ansiosos para descobrir e extirpar nossas próprias falhas e de vencermos nossos próprios fracassos. "Se professamos lealdade a BaháVlláh, ao nosso Amado Mestre e ao nosso querido Guardião, então precisamos mostrar nosso amor através da obediência a estes ensinamentos explícitos. Ações, e não palavras, são o que eles exigem e nenhuma intensidade de fervor no uso de expressões de lealdade e de louvor compensarão a falta de vivência no espírito dos ensinamentos." (De uma carta de 12 de maio de 1925, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "Quanto à pergunta se é correto dizer uma mentira a fim de proteger uma outra pessoa, ele sente que em nenhuma circunstância devemos faltar à verdade, mas ao mesmo tempo devemos tentar ajudar a pessoa de uma forma mais legítima. É claro que não é necessário ser demasiadamente aberto até que o assunto nos seja apresentado diretamente." (De uma carta de 21 de dezembro de 1927, escrita em nome de Shoghi Effendi para um crente individualmente.) "Não deveríamos, no entanto, esquecer que uma das características essenciais deste mundo são as adversidades e tribulações e que superando-as conseguimos nosso desen11
  12. 12. volvimento moral e espiritual. Como diz o Mestre, os pesares são como os sulcos do arado; quanto mais profundos, tanto mais abundantes serão os frutos que colheremos." (De uma carta de 5 de novembro de 1931, escrita em nome de Shoghi Effendi para um crente individualmente.) "No Bayan o Báb declara que todas as religiões do= passado foram adequadas para se tornarem universais. A única razão pela qual falharam em atingir este alvo foi a incompetência de seus seguidores. Ele então prossegue fazendo uma promessa definitiva de que este não será o destino da revelação "Daquele que Deus tornará manifesto", de que ela se tornará universal e incluirá todos os povos' do mundo. Isto mostra que no final seremos bem sucedidos. Mas não poderíamos através de nossas limitações, deficiências em nos sacrificarmos e relutância em nos concentrarmos em nossos esforços na disseminação da Causa, atrasar a realização deste ideal? E que significaria isto? Significaria que seríamos responsabilizados perante Deus, que os povos permaneceriam por mais tempo errantes, que as guerras não seriam evitadas tão cedo e que os sofrimentos humanos durariam por mais tempo;" (De uma carta de 20 de fevereiro de 1932, escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Nacional dos Estados Unidos e do Canadá.) "Cada dia tem determinadas necessidades. Naqueles primeiros dias a Causa necessitava de mártires e de pessoas que suportassem toda sorte de torturas e perseguições ao expressarem sua fé e disseminarem a mensagem enviada por Deus. Aqueles dias, no entanto, passaram. Presentemente, a Causa não necessita de mártires que dêem a vida pela sua fé, mas de servos que desejem ensinar e estabele- n
  13. 13. cer a Causa no mundo inteiro. Viver para ensinar no presente é como ter sido martirizado naqueles primeiros dias. É o espírito que os impulsiona que conta, não o ato através do qual este espírito se expressa; e este espírito consiste em servir a Causa de Deus com todo o nosso coração e toda nossa alma." (De uma carta de 3 de agosto de 1932 escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente, citada no "Bahá'í News", n.° 68, novembro de 1932, p. 3.) "Ele sinceramente espera que através destes sacrifícios, aquele edifício será completado e se tornará um foco para o espírito e os ensinamentos da Causa naquele país; que dele a luz da guia se espalhará e trará alegria e esperança ao coração desta humanidade deprimida. "Se estudardes a história de Nabíl vereís como a Fé tem sido alimentada pelos sacrifícios constantes dos amigos. Através de sofrimentos, perseguições e de constantes preocupações a Mensagem de BaháVlláh tem sido estabelecida no mundo inteiro." (De uma carta de 30 de novembro de 1932 escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente, citada no "Bahá'í News", n.° 77, setembro de 1933, p. 1). "O conselho que Shoghi Effendi vos dá quanto à divisão de vosso tempo entre o serviço prestado à Causa e o cumprimento de vossos outros deveres também foi dado a muitos outros amigos tanto por BaháVlláh como pelo Mestre. Há um meio termo entre os dois versículos do Aqdas, um tornando obrigatório que cada Bahá'í sirva à promoção da Fé e o outro de que cada alma deve dedicar-se a uma forma de ocupação que beneficie a sociedade. Em uma de Suas Epístolas, Bahá'u'lláh diz que a forma mais alta de desprendimento neste dia é ocupar-se com U
  14. 14. alguma profissão e se auto-sustentar. Um bom Bahá'í.. portanto, é aquele que organiza sua vida de modo a devotar tempo tanto para as suas necessidades materiais. como para o serviço à Causa." (De uma carta de 21 de fevereiro de 1933, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente. ) "Não é preciso dizer quão profundamente ele deplora o fato de que tantas forças negativas prevaleçam em reuniões Bahá'ís e especialmente numa reunião tão importante quanto é a Convenção. As palavras do Mestre freqüentemente repetidas, quanto à unidade e harmoniosa cooperação entre os amigos deveriam ser cuidadosa e profundamente lembradas, agora mais do que nunca. Nada é mais contrário ao espírito da Causa do que discórdia e luta que são inevitavelmente frutos do egoísmo e da ambição. Desprendimento puro e serviço altruísta deveriam ser os únicos motivos de cada crente verdadeiro. E a não ser que cada um dos amigos consiga traduzir essas qualidades em ação vivificante, nenhuma esperança de posterior progresso poderá ser nutrida. É agora que a unidade de pensamento e de ação é mais necessária. É agora, quando a Causa está entrando numa nova fase de desenvolvimento, quando sua Administração está sendo gradualmente consolidada em meio à confusão e caos de uma civilização cambaleante, que os amigos deveriam apresentar uma frente unida às forças da dissensão interna, as quais, se não forem completamente apagadas, causarão a inevitável destruição de nosso trabalho." (De uma carta de 24 de setembro de 1933, escrita em nome de Shoghi Effendi para um crente individualmente. ) "Ele, em verdade, deplora profundamente o fato de: que os representantes da mais alta instituição administrais
  15. 15. tiva em vosso país tenham permitido que diferenças e mal-entendidos assumissem tais proporções, especialmente quando os princípios e leis da Administração tenham sido, todos e cada um, clara e enfaticamente estabelecidos por ele em tantas comunicações e continuamente desde o passamento do Mestre. Tais dificuldades, se não forem controladas, imediata e vigorosamente, podem causar dano incalculável ao corpo da Causa e podem retardar não somente o fluxo mas também a eficácia de seu espírito no mundo. Se examinada com profundidade e desapaixona damente, a fonte de todas estas dificuldades e disputas é invariavelmente encontrada nos sentimentos de egoísmo e interesse. E a não ser que tais sentimentos perniciosos sejam completamente dominados, não poderá haver esperança para o trabalho e progresso efetivos do mecanismo administrativo da Causa." (De uma carta de 9 de maio de 1934, escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Nacional da índia e Burma.) "Enquanto ele vos estimularia a enfrentar e superar corajosamente os muitos obstáculos que estão em vosso caminho, ele ao mesmo tempo vos aconselharia que no caso de haver malogro, e não importa o que vos aconteça, deveríeis permanecer radiantemente contentes e inteiramente submissos à Vontade Divina. Nossas aflições e provações são, às vezes, bênçãos disfarçadas, pois nos ensinam a ter mais fé e confiança em Deus e nos aproximam mais Dele." (De uma carta de 28 de abril de 1936, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente. ) "Bahá'u'lláh não nos assegurou de que os sofrimentos e privações são bênçãos disfarçadas, de que através deles nossas forças espirituais internas são estimuladas. 15
  16. 16. purificadas e enobrecidas? Permaneça pois confiante de que suas dificuldades materiais, longe de impedir suas atividades para a Causa, concederão ao seu coração um poderoso ímpeto para melhor servir e promover seus interesses." (De uma carta de 22 de novembro de 1936, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "O esforço pessoal é, em verdade, um pré-requisito vital para o reconhecimento e aceitação da Causa de Deus. Não importa quão grande seja a graça Divina, se não for suplementada por um esforço pessoal, constante e inteligente, ela não poderá tornar-se plenamente efetiva e constituir vantagem real e duradoura." (De uma carta de 27 de fevereiro de 1938, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "Tais empecilhos (como enfermidade e outras dificuldades) , não importa quão severos e insuperáveis possam parecer a princípio, podem e deveriam ser efetivamente superados através do poder combinado tanto da oração constante como do esforço determinado e contínuo. BaháVlláh e 'AbduTBahá não nos asseguraram repetidamente de que as hostes Divinas e invisíveis da vitória sempre reforçarão aqueles que valente e confiantemente labutam em Seu nome? Esta promessa deveria, de fato, tornar-vos capazes de superar qualquer sentimento de demérito, de incapacidade para servir e de qualquer limitação interna ou externa que ameace prejudicar vossas atividades pela Causa. Deveríeis, pois, levantar-vos e com o coração cheio de alegria e confiança vos esforçar contribuindo com qualquer parcela que esteja em vosso poder para a difusão mais ampla e maior consolidação de nossa amada Fé. 16
  17. 17. "Seja qual for o campo particular de serviço que escolherdes, de ensino ou administrativo, o essencial é que persevereis e não permitais que qualquer consciência de vossas limitações diminua vosso zelo, muito menos vos detenha de servir alegre e ativamente." (De uma carta de 6 de fevereiro de 1939, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente. ) "Quanto maiores as provações e sofrimentos, tanto mais fortemente deveriam crescer vossa lealdade e devoção pela Causa. Pois é somente através de repetidas tributações e provações que Deus experimenta Seus servos e eles deveriam vê-las como bênçãos disfarçadas e como oportunidades pelas quais podem adquirir uma consciência mais plena da Vontade e Propósito Divinos." (De uma carta de 23 de fevereiro de 1939, escrita em nome de Shoghi Effendi para um crente individualmente. ) "O Guardião sente que o curso sobre a formação do caráter a ser dado p o r . . ., é especialmente importante e deveria receber a devida ênfase e ser estudado com cuidado e profundidade principalmente pelos crentes jovens que estão assistindo à escola. Aqueles padrões de conduta Bahá'í, os quais ele mesmo estabeleceu em sua última epístola geral, "O Advento da Justiça Divina", e cuja defesa e promoção constituem o dever primordial de cada crente leal e consciente, merecem sério estudo e meditação e deveriam formar o tema central do programa deste ano para todas as três Escolas Bahá'ís de Verão, nos Estados Unidos." (De uma carta de 20 de maio de 1939, escrita em nome de Shoghi Effendi ao Comitê da Escola de Verão de Louhelen.) 17
  18. 18. "Vós vos queixastes sobre as condições pouco satisfatórias que prevalecem na Comunidade Bahá'í de. . . ; o Guardião está bem consciente da situação da Causa lá, mas confia que, seja qual for a natureza dos obstáculos com que a Fé se defronta, eles serão finalmente superados. Não deveríeís, sob qualquer circunstância, sentirvos desencorajados e permitir que tais dificuldades, mesmo que sejam o resultado de má conduta ou falta de capacidade e visão de certos membros da Comunidade, vos façam vacilar em vossa fé ou lealdade básica à Causa. Certamente, os crentes, não importa quão qualificados possam ser, como instrutores ou administradores, e não importa quão altos seus méritos intelectuais e espirituais, nunca deveriam ser vistos como um padrão segundo o qual avaliar e medir a divina autoridade e missão da Fé. É nos próprios Ensinamentos e nas vidas dos Fundadores da Causa que os crentes devem buscar guia e inspiração e é somente mantendo rigorosamente tal atitude legítima que eles podem esperar estabelecer sua lealdade a Bahá'u'lláh numa base duradoura e inatacável. Deveríeís, pois, corajosamente e com vigilância inquebrantável e esforço incessante procurar desempenhar vossa parcela completa no desenvolvimento gradativo desta Divina Ordem Mundial." (De uma carta de 23 de agosto de 1939, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente. ) "Estes são, na verdade, os dias em que o heroísmo dos crentes se faz necessário. Sacrifício, coragem, esperança e confiança inabaláveis são as características que eles deveriam demonstrar, por que estes mesmos atributos não podem deixar de chamar a atenção do público e de levá-lo a buscar saber o que, num mundo tão desesperadamente caótico e confuso, faz com que estas pessoas estejam tão seguras, confiantes e cheias de devoção. Cada vez mais, à medida que o tempo passa, as características dos Bahá'ís serão aquilo que cativará a atenção de seus 18
  19. 19. co-cidadãos. Devem mostrar seu afastamento dos ódios e recriminações que estão destroçando o coração da humanidade e demonstrar através de ações e palavras sua profunda crença na futura unificação pacífica da inteira raça humana." (De uma carta de 26 de outubro de 1941 escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "Devemos sempre olhar para a frente e procurar fazer no futuro aquilo em que talvez tenhamos falhado no passado. Fracassos e provações, se usados corretamente, podem tornar-se os meios de purificação de nosso espírito, de fortalecimento de nosso caráter e de nos capacitar a atingir alturas mais elevadas no serviço." (De uma carta de 14 de dezembro de 1941, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "Quanto aos pontos a que vos referistes em vossa carta: a completa e inteira eliminação do ego implicaria em perfeição — a qual o homem jamais pode alcançar completamente — mas o ego pode e deveria ser cada vez mais subordinado ao espírito iluminado do homem, É nisto que o progresso espiritual implica." (De uma carta de 19 de dezembro de 1941, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "Quanto ao apelo d e . . . : o Guardião sente que a melhor maneira de agir em relação a este assunto é solicitar a ambos os crentes envolvidos que perdoem e esqueçam a questão toda. Ele não deseja que os amigos formem o hábito de levantar uma espécie de litígio uns contra os outros. Seus deveres para com a humanidade são demasiadamente sagrados e urgentes nestes dias em que a 19
  20. 20. Causa luta a fim de se expandir e estabelecer sua independência, para admitir que despendam desta maneira tanto o precioso tempo deles como o seu. Pedi-lhes, portanto, para unirem-se, esquecerem o passado e servirem como nunca antes." (De uma carta de 26 de dezembro de 1941, escrita em nome de Shoghi Effendi para a Assembléia Espiritual Nacional da Austrália e Nova Zelândia.) "De fato, os amigos ainda não aprenderam completamente a recorrer ao amor uns dos outros para fortalecimento e consolo em tempo de necessidade. A Causa de Deus é dotada de tremendos poderes e a razão pela qual os crentes não obtêm mais dela é porque não aprenderam a utilizar completamente estas poderosas forças de amor, firmeza e harmonia geradas pela Fé. "Ele vos aconselha a deixar sua a m i g a . . . a sós por agora e a orar por ela. Como no momento ela não deseja vossa ajuda, podeis ajudá-la apenas internamente. "Prestastes valiosos serviços para a Causa e continuais fazendo-o e isto deveria ser vosso maior consolo." (De uma carta de 8 de maio de 1942, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente. ) "Os amigos devem ser pacientes uns com os outros e compreender que a Causa está ainda na sua infância e que suas instituições não estão ainda funcionando perfeitamente. Quanto maiores forem a paciência, a amorosa compreensão e indulgência que os crentes mostrarem uns para com os outros e para com suas limitações, tanto maior será o progresso da Comunidade Bahá'í inteira, conaiderada como um todo." (De uma carta de 11 de fevereiro de 1943. escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) 20
  21. 21. "Devemos compreender nossa imperfeição e não nos permitir ficar demasiadamente perturbados por causa das coisas que infelizmente ocorrem, por vezes, em Convenções, outras vezes, em Assembléias ou em Comitês, etc. Tais coisas são, em essência, superficiais e no decorrer do tempo serão superadas." (De uma carta de 17 de março de 1943, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente. ) "Nem todos somos capazes de servir à Causa da mesma maneira. Porém uma das maneiras em que todo Bahá'í pode disseminar a Fé é pelo exemplo. Isto move os corações das pessoas de um modo tão profundo como as palavras jamais podem. "O amor que mostramos para com os outros, a hospitalidade e compreensão, a boa vontade em ajudá-los, constituem a melhor publicidade sobre a Fé. Eles desejarão conhecê-la quando verem estas coisas em nossas vidas." (De uma carta de 14 de outubro de 1943, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "Ele ficou muito satisfeito de saber que a Convenção teve uma boa freqüência e que os crentes estavam entusiasmados e unidos. Uma das necessidades supremas da Causa em. . . é a de que os amigos deveriam unir-se, deveriam tornar-se realmente conscientes, de modo intenso, do fato de que eles são uma família espiritual, ligada por laços mais sagrados e eternos do que os vínculos físicos que fazem as pessoas pertencerem à mesma família. Se os amigos esquecerem todas as diferenças pessoais e abrirem seus corações para um amor maior uns para com os outros por amor a Bahaulláh, descobrirão que seus poderes cres21
  22. 22. ceram amplamente, atrairão o coração do público e testemunharão um rápido crescimento da Sagrada Fé e m . . . A Assembléia Espiritual Nacional deveria exercer todos os seus poderes para estimular a unidade entre os crentes e educá-los na Administração, pois este é o canal através do qual sua vida comunitária deve fluir e o qual, quando adequadamente compreendido e praticado, possibilitará que o trabalho da Causa avance a passos largos." (De uma carta de 26 de outubro de 1943, escrita em nome de Shoghi Effendi para a Assembléia Espiritual Nacional da índia e Burma.) "Fundamentalmente toda a batalha da vida está dentro do indivíduo. Nenhuma quantidade de organização pode solucionar os problemas internos ou produzir ou evitar, conforme seja o caso, vitória ou fracasso num momento crucial. Em tempos como estes, especialmente, as pessoas são dilaceradas por grandes forças no mundo em geral e vemos alguns fracos tornarem-se, de súbito, míraculosamente fortes, e fortes falharem — podemos apenas tentar, através de amoroso conselho, como vosso Comitê tem feito, provocar de parte do crente, o ato que será para o maior benefício da Causa. Porque obviamente algo mau para a Causa não pode ser o maior benefício para o Bahá'í individualmente." (De uma carta de 17 de dezembro de 1943, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente,) "O mundo de hoje necessita de espírito Bahá'í. As pessoas anseiam por amor, por um alto padrão para o qual olhar, bem como por soluções para seus graves e numerosos problemas. Os Bahá'ís deveriam derramar sobre aqueles que encontram o caloroso e vívificante 22
  23. 23. espírito da Causa e isto, combinado com o ensino, não pode deixar de atrair à Fé aqueles que sinceramente buscam a verdade." (De uma carta de 18 de dezembro de 1943, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "Quanto ao seu comentário de que se necessita de maior unidade entre os amigos, não há dúvida — assim é, e o Guardião sente que um dos principais instrumentos de promovê-la consiste em ensinar aos próprios Bahá'ís, em aulas e através de preceitos, que o amor de Deus e conseqüentemente dos homens, é o fundamento essencial de toda religião, inclusive nossa própria. Um maior grau de amor produzirá maior unidade, porque capacita as pessoas a se tolerarem umas às outras, a serem pacientes e a perdoarem." (De uma carta de 7 de julho de 1944, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente, citada no "Bahá'í News", n.° 173, fevereiro de 1945.) "Ele espera que vos desenvolvais como Bahá'ís tanto em caráter como em fé. O inteiro propósito de Bahá'u'lláh é que deveríamos nos tornar um novo tipo de pessoas, ou seja, pessoas íntegras, bondosas, inteligentes, verazes e honestas e que vivam de acordo com Suas grandes leis. estabelecidas para esta nova época no desenvolvimento do homem. Não basta que chamemos a nós mesmos de Bahá'ís; o âmago de nosso ser deve tornar-se enobrecido e iluminado através da vivência da vida Bahá'í". (De uma carta de 25 de agosto de 1944, escrita em nome de Shoghi Effendi para a "Louhelen School Júnior Sessíon", U.S.A.) 23
  24. 24. ''São numerosos os mal-entendidos que surgem em conseqüência do apaixonado apego dos amigos à Fé e também de sua imaturidade. Por isto devemos ser muito pacientes e amáveis uns para com os outros e tentar estabelecer unidade na família Bahá'í. Ele sente que as divergências . . . que descreveis em vossa carta são causadas pelo descrito acima e não por inimizade pela Fé ou falta de sinceridade. "Ele vos exorta a fazerdes o máximo para criar mais amor e harmonia na comunidade e a perseverardes no ensino da Sagrada Fé." (De uma carta de 17 de outubro de 1944, escrita em nome de Shoghí Effendi a um crente individualmente. ) "Ele ficou muito feliz ao receber notícias vossas e saber que, este ano, Green Acre estava impregnada de amor e de harmonia, os quais foram instrumentos de confirmação de muitas novas almas na Fé. Este amor entre os crentes é o ímã que, acima de tudo, atrairá os corações e trará novas almas para a Causa. A razão é que, obviamente, os ensinamentos, por mais belos que sejam, não podem mudar o mundo a não ser que o espírito do amor de BaháVlláh esteja refletido nas Comunidades Bahá'ís. (De uma carta de 27 de outubro de 1944, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "De fato, se os amigos procurassem e se empenhassem em tornar-se cem por cento Bahá'ís. veriam quanto sua influência sobre outros aumentaria e quão rapidamente a Causa se espalharia. O mundo está buscando, não um meio termo, mas a personificação de um sublime e iluminado ideal. Quanto mais os amigos viverem de acordo com os ensinamentos em todos os aspectos de suas vi24
  25. 25. das, em seus lares, nos negócios, em suas relações sociais, tanto maior será a atração que exercerão sobre os corações dos outros. "Ele vê com prazer que com naturalidade, convicção e boa vontade para com todos, vós vos associastes às pessoas de cor, levando-lhes os ensinamentos. Quando os. Bahá'ís viverem de acordo com os ensinamentos como deveriam, embora isto possa levantar a oposição de alguns, causará, no entanto, com maior intensidade, a admiração, de pessoas de mentalidade justa." (De uma carta de 23 de janeiro de 1945, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "De fato, quando vemos a crescente escuridão do> mundo de hoje, podemos compreender plenamente que, salvo se a Mensagem de Bahá'u'lláh atinja os corações dos. homens e os transforme, não haverá paz nem progressoespiritual no futuro. "Sua constante esperança é que os amigos se conduzirão individualmente e na Comunidade Bahá'í de tal modo que atraiam a atenção de outros para a Causa. O mundo está não só ansioso por elevados princípios e ideais, mas, acima de tudo, ardentemente desejoso de um exemplo brilhante que os Bahá'ís podem e têm que dar." (De uma carta de 22 de fevereiro de 1945, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "Há grande necessidade, em todas as partes do mundo, dentro e fora da Fé, de que uma verdadeira consciência espiritual impregne e motive a vida das pessoas. Nenhuma quantidade de procedimentos administrativos ou de adesão às regras poderá substituir esta característica da alma, esta espiritualidade que é a essência do homem. Ele está muito feliz por ver que enfatizastes isto e que estais 2?
  26. 26. ajudando os amigos a compreenderem sua suprema importância." (De uma carta de 25 de abril de 1945, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "Quanto ao assunto de... e à falta de harmonia entre certos amigos . . . : quando os Bahá'ís permitem que as forças obscuras do mundo penetrem em suas próprias relações dentro da Fé, eles põem seu progresso gravemente em perigo; é o principal dever do crente, das assembléias locais e especialmente das Assembléias Espirituais Nacionais, promover harmonia, compreensão e amor entre os amigos. Todos deveriam estar prontos e dispostos a pôr de lado qualquer sentido de ressentimento pessoal — justificado, ou não — para o bem da Causa, porque as pessoas não a abraçarão enquanto não verem refletido na vida da comunidade aquilo que no mundo está lhes faltando com tanta evidência: amor e unidade." (De uma carta de 13 de maio de 1945, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente. ) "O mais importante de tudo é que amor e unidade predominem na Comunidade Bahá'í, por ser isto que as pessoas mais aspiram no presente estado de escuridão do mundo. Palavras sem o exemplo vivo jamais serão suficientes para insuflar esperança nos corações de uma geração desiludida e, por vezes, cínica." (De uma carta de 20 de outubro de 1945, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "Já que recorrestes a ele para orientação, ele vos dará francamente sua opinião. 26
  27. 27. "Ele sente que a atual falta de harmonia que prevalece entre vós. . . é muito prejudicial para o progresso da Causa e só pode romper e esfriar o interesse dos novos crentes. V ó s . . . deveríeis esquecer vossos ressentimentos pessoais e unir-vos para a proteção da Fé à qual, ele bem o sabe, sois todos lealmente devotados e para a qual estais prontos a vos sacrificar. "Talvez a maior provação à qual os Bahá'ís tenham sido submetidos proceda de outros Bahá'ís; mas por causa do Mestre deveriam estar sempre prontos a tolerar os erros dos outros, desculpá-los por palavras ásperas que tenham proferido, perdoar e esquecer. Ele vos recomenda insistentemente esta maneira de proceder. "Também ele sente que vós e. . . não deveríeis afastar-vos das reuniões e festas e m . . . ; conseguístes agora um grupo entusiástico de jovens Bahá'ís em Port Adelaide e deveríeis mostrar-lhes forte exemplo de disciplina Bahá'í e da unidade que pode e tem de prevalecer na comunidade do Máximo Nome." (De uma carta de 18 de dezembro de 1945, escrita em nome de Shoghi Effendí a um crente individualmente.) "Perguntastes sobre 'índígestão espiritual': og Bahá'ís deveriam procurar ser multi-laterais, normais e bem equilibrados, mental e espiritualmente. Não devemos dar a impressão de sermos fanáticos, porém ao mesmo tempo devemos viver de acordo com nossos princípios." (De uma carta de 12 de março de 1946, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente. ) "Podeis estar certos de que orarei pela unidade dos crentes d e . . . , pois isto é de suprema importância e disto depende o desenvolvimento da Causa aí e O sucesso de todo esforço de ensino. O que os amigos precisam — em 27
  28. 28. qualquer lugar — é mais amor uns pelos outros e isto. pode ser adquirido através de um amor maior por BaháVlláh; pois se O amarmos com suficiente profundidade, jamais permitiremos que sentimentos e opiniões pessoais detenham Sua Causa; estaremos prontos a sacrificar-nos uns pelos outros, por causa da Fé, e a sermos,. como disse o Mestre, uma só alma em muitos corpos. (De uma carta de 5 de setembro de 1946, escrita, em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "Ele concorda sinceramente convosco em sustentarque sem praticarmos os ensinamentos, não poderemos jamais esperar que a Fé cresça, porque o propósito fundamental de todas as religiões — inclusive nossa própria —é aproximar o homem de Deus e transformar seu caráter, o que é da máxima importância. Demasiada ênfase é, muitas vezes, dada a aspectos sociais e econômicos dos. Ensinamentos; porém, o aspecto moral nunca pode ser enfatizado demais." (De uma carta de 6 de setembro de 1946, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente. ) "O fato de que tivestes um curso sobre "O caráter BaháT' causou-lhe grande prazer, pois ele considera que uma das maiores obrigações de vossa geração de crentes é viver a vida Bahá'í; deveis demonstrar por meio de vossos altos padrões morais, vossa cortesia, integridade e nobreza, que vossa Fé não consiste somente de palavras mas que realmente transforma o coração e a conduta doa que a ela aderem." (De uma carta de 19 de setembro de 1946. escrita em nome de Shoghi Effendi à "Louhelen School Júnior Youth Session", U.S.A.) 28
  29. 29. "Ele sente que de modo especial a juventude deve constante e determinadamente lutar no sentido de dar exemplo de vida Bahá'í. No mundo que nos cerca, vemos decadência moral, promiscuidade, indecência, vulgaridade, maus modos — os jovens Bahá'ís devem ser o contrário destas coisas e por sua castidade, retidão, decência, consideração e boas maneiras atrair outros, velhos e jovens, para a Fé. O mundo está cansado de palavras; quer exemplos, e compete à juventude Bahá'í fornecê-los". (De uma carta de 19 de setembro de 1946, escrita em nome de Shoghi Effendi para a Juventude que estava assistindo à Escola de Verão de Green Acre.) "Os amigos devem lembrar todo o tempo que, de certo modo, são como soldados durante um ataque. O mundo está no momento numa condição espiritual extremamente obscura; ódio e preconceito de todo o tipo o estão literalmente despedaçando. Nós, por outro lado, somos os guardas das forças opostas, das forças do amor, da unidade, da paz e integração e devemos estar todo o tempo vigilantes, seja individualmente, seja como assembléia ou comunidade, para que tais forças destrutivas e negativas não entrem em nosso meio. Com outras palavras, devemos acautelar-nos para que a escuridão da sociedade não seja introduzida em nossos atos e atitudes, talvez inconscientemente. O amor uns para com os outros, o profundo sentimento de que somos um novo organismo e os arautos de uma Nova Ordem Mundial, devem constantemente animar nossas vidas Bahá'ís, sendo necessário orar para sermos protegidos da contaminação da sociedade tão corrompida pelos preconceitos." (De uma carta de 5 de fevereiro de 1947, escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Local de Atlanta, Geórgia, citada no "Bahá'í News", n.° 210, agosto de 1948, p. 2.) 29
  30. 30. "A Causa em. . . está crescendo muito rapidamente e quanto mais ela se espalhar, tanto mais chamará a atenção do público. Isto impõe pesada responsabilidade aos crentes, uma vez que devem demonstrar tal espírito de amor e unidade entre si que atrairão os corações de outros e os estimularão a entrarem na Fé em grande número. Devemos estar sempre lembrados de que os Ensinamentos são perfeitos e de que a única razão pela qual maior número de nossos semelhantes ainda não os abraçaram é porque nós Bahá'ís do mundo inteiro ainda não somos espelhos abnegados e radiantes da Verdade de Bahá'u'lláh como deveríamos e poderíamos ser. Devemos constantemente lutar para melhor exemplificar Seus Ensinamentos." (De uma carta de 17 de fevereiro de 1947, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "Devemos nos concentrar no aperfeiçoamento de nosso caráter, individualmente como Bahá'ís, e no amadurecimento de nossa Ordem Mundial, ainda embrionária e ainda não devidamente compreendida; na disseminação da Mensagem, de acordo com o Plano Divino; devemos concentrar-nos na formação de uma Comunidade Mundial Bahá'í firmemente entrelaçada. Somos relativamente poucos em número e temos uma tarefa tão» preciosa, singular e de tanta responsabilidade para cumprir. Devemos concentrar nela todas as nossas forças." (De uma carta de 9 de maio de 1947, escrita em, nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Nacional dos Estados Unidos e Canadá.) "É do crente individual, constituindo-se como unidade fundamental da estrutura da frente doméstica,, que a revitalização, a expansão e o enriquecimento desta. 30
  31. 31. têm de finalmente depender. Quanto mais enérgico o esforço exercido diária e metodicamente, pelo indivíduo que labuta na frente doméstica, para alcançar alturas mais sublimes de consagração, de abnegação, para contribuir, como pioneiro no próprio país, para a multiplicação de centros Bahá'ís isolados, grupos e assembléias e para aumentar, através de esforço diligente, consciencioso e contínuo na conversão de almas receptivas para a Fé que ele desposou, o número de seus ativos e sinceros defensores, tanto mais rapidamente os grandes e numerosos empreendimentos, lançados para além das fronteiras de seu país e agora clamando tão desesperadamente por maior suprimento de homens e meios, serão providos com o necessário apoio que assegurará seu ininterrupto desenvolvimento e apressará sua realização final. " (De uma carta de Shoghi Effendi de 21 de setembro de 1947 para a Assembléia Espiritual Nacional dos Estados Unidos e do Canadá.) "Quanto às suas perguntas: "eu" tem realmente dois significados ou é usado com dois sentidos nos escritos Bahá'ís; um é o "eu" mencionado em tais passagens como "aquele conheceu a Deus que conheceu a si mesmo", etc. O outro "eu" é o ego, a herança obscura e animalesca que todos nós temos, a natureza mais baixa que pode transformar-se num monstro de egoísmo, brutalidade, lascívia e assim por diante. É contra este "eu" que temos de lutar, ou contra este lado de nossa natureza, a fim de fortalecer e libertar o espírito dentro de nos e ajudá-lo a obter perfeição. "Sacrificar-se a si próprio significa subordinar esta natureza mais baixa e seus desejos ao lado mais divino e nobre de nós mesmos. Finalmente, no seu sentido mais alto, esse sacrifício significa dar nossa vontade e tudo nosso a Deus para que Ele faça segundo Lhe apraz. Então Ele 31
  32. 32. purifica e glorifica nosso verdadeiro eu até que se torne uma brilhante e maravilhosa realidade." (De uma carta de 10 de dezembro de 1947, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "É antes a qualidade de devoção e sacrifício de si próprio que traz recompensa no serviço desta Fé e não os meios, capacidades ou apoio financeiro." (De uma carta de 11 de maio de 1948, escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Nacional da Austrália e Nova Zelândia.) "Nunca devemos frisar demasiadamente as atitudes e sentimentos de nossos companheiros na Fé em relação a nós. O mais importante é promover amor e harmonia e não levar em conta quaisquer recusas ou mau acolhimento que possamos receber; deste modo as fraquezas da natureza humana e a peculiaridade ou atitude de qualquer pessoa em particular não serão ampliadas mas reduzem-se a uma ínsignifícância em comparação com nosso serviço conjunto para a Fé que todos amamos." (De uma carta de 19 de setembro de 1948, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "Muitas vezes é difícil para nós fazer as coisas por serem tão diferentes daquilo a que estamos acostumados, não por serem, por si mesmas, especialmente difíceis. Para vós e, de fato, para a maioria dos Bahá'ís que depois de se tornarem adultos aceitam esta gloriosa Fé, algumas das leis, como a do jejum e a da oração diária, são inicialmente, sem dúvida, difíceis de entender e de obedecer. Mas deve32
  33. 33. mos sempre pensar que estas coisas foram dadas a todos os homens para os próximos mil anos. Para as crianças Bahá'ís que vêem estas coisas sendo praticadas em casa, elas parecerão tão naturais e necessárias, como ir à igreja no domingo era para a geração mais piedosa de Cristãos. Bahá'u'lláh não teria nos dado estas coisas, se não fossem de grande benefício para nós, e, assim como crianças que são suficientemente ajuizadas para compreender que seu pai é sábio e faz o que é bom para elas, temos de aceitar e obedecer estas leis, mesmo que a princípio possamos considerá-las desnecessárias. À medida que as obedecermos, veremos gradualmente, em nós mesmos, os benefícios que conferem." (De uma carta de 16 de março de 1949, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) " . . . quando sofremos tais infortúnios, devemos lembrar que os próprios Profetas de Deus não foram imunes a estas coisas que os homens sofrem. Eles conheceram pesar, enfermidade e dor, também. Eles ergueram-se acima destas coisas através de Seu espírito e é isto que também devemos tentar, quando estamos aflitos. As dificuldades deste mundo passam e o que nos resta é o que fizemos de nossa alma; portanto é isto que devemos buscar — tornar-nos mais espirituais, aproximar-nos mais de Deus, não importa aquilo pelo que passem nossas mentes e corpos humanos." (De uma carta de 5 de agosto de 1949, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente, citada no "Bahá'í News". n.° 231, maio de 1950, p. 1.) "Ele ficou pesaroso ao saber de algumas das coisas que descreveís. Elas mostram grande imaturidade es3%
  34. 34. piritual por parte de alguns Bahá'ís e uma espantosa falta de compreensão e de estudo dos ensinamentos. Viver de acordo com os ensinamentos morais de nossa Fé é uma tarefa muito mais difícil do que viver de conformidade com aqueles nobres princípios que o MRA inculca, por excelentes e compreensíveis que sejam! A cada duas palavras as Escrituras de BaháVlláh e de 'Abdu'1-Bahá consistem numa exortação sobre a conduta moral e ética; tudo o mais é a forma, o cálice, dentro do qual o espírito puro deve ser contido; sem o espírito e a ação que deve demonstrá-la, ela é uma forma morta. "Ele julga, do que dizeis, que os amigos ou, pelo menos muitos deles, não foram devidamente ensinados no começo. "Naturalmente não há objeção em se enfatizar os "quatro padrões" do MRA — embora qualquer ensinamento de nossa preciosa Fé entre mais profundamente nestes assuntos e acrescente algo mais a eles. "Quando percebemos que BaháVlláh diz que o adultério retarda o progresso da alma na vida do além — de tão grave que é — e que a bebida destrói a mente, e dela, pois, nem devemos nos aproximar, vemos como são claros nossos ensinamentos sobre estes assuntos. "Não devemos cometer o grande erro de julgar nossa Fé por uma Comunidade que obviamente necessita estudar e obedecer os ensinamentos Bahá'ís. As fraquezas e peculiaridades humanas podem ser uma grande provação. Mas o único modo, ou talvez eu deva dizer, o primeiro e o melhor para remediar tais situações é nós mesmos fazermos o que é direito. Uma alma pode ser a causa da iluminação espiritual de um continente. Agora que vistes em vós e remediastes uma grande falha em vossa própria vida, agora que vedes com mais clareza o que está faltando em vossa própria comunidade, não há nada que vos impeça de vos levantardes e mostrardes um tal exemplo, tal amor e espírito de serviço que inflame os corações de vossos companheiros Bahá'ís. 34
  35. 35. "Ele insiste para que estudeis profundamente os ensinamentos, ensineis os outros, estudeis, com aqueles Bahá'ís que estejam ansiosos por fazê-lo, os ensinamentos mais profundos de nossa Fé, e através de exemplo, esforço e oração provoqueis uma mudança." (De uma carta de 30 de setembro de 1949, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "Sem o espírito de verdadeiro amor por BaháVlláh, pela Sua Fé e pelas instituições atinentes, bem como pelo amor dos crentes uns pelos outros, a Causa jamais poderá realmente atrair grande número de pessoas. Pois o mundo não deseja sermões nem preceitos, mas sim, amor e ação." (De uma carta de 25 de outubro de 1949, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "No entanto, ele sente veementemente que se. . . é no estado que sua carta parece indicar, certamente está conduzindo seus assuntos de modo errôneo. Isto não significa a assembléia, significa cada um. Pois. onde está o amor Bahá'í? Onde está se considerando a unidade e a harmonia em primeiro lugar? Onde a disposição de sacrificar os próprios sentimentos e opiniões pessoais para obter amor e harmonia? Que faz os Bahá'ís pensarem que quando eles sacrificam as leis espirituais, as leis administrativas irão funcionar? "Ele insiste que façais o máximo para conseguir que os. . . Bahá'ís deixem de lado expressões tão desagradáveis como "radical", "conservador", "progressista", "inimigos da Causa", "suprimindo os ensinamentos", etc. Se eles parassem por um momento e pensassem para que propósito o Báb e os mártires deram suas vidas e fia35
  36. 36. h á V l l á h e o Mestre aceitaram tanto sofrimento, nunca permitiriam que tais definições e acusações passassem por seus lábios, quando falassem uns com os outros. Enquanto os amigos brigarem entre si, seus esforços não serão abençoados, porque estão desobedecendo a Deus." (De uma carta de 24 de fevereiro de 1950, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "Há dois tipos de Bahá'ís, poderíamos por assim dizer: aqueles cuja religião é Bahá'í e aqueles que vivem para a Fé. Desnecessário se faz dizer que pertencermos a esta última categoria, estarmos na vanguarda dos heróis, mártires e santos, é mais digno de louvor à vista de Deus," (De uma carta de em nome de Shoghi vidualmente, citada março de 1951, p. 16 de abril de 1950, escrita Effendi para um crente indino "Bahá'í News", n.° 241, 2.) " . . . devemos atingir um plano espiritual em que Deus venha em primeiro lugar e as grandes paixões humanas não nos possam Dele desviar. Todo o tempo vemos pessoas que, ou pela força do ódio ou pelo apaixonado apego que têm por outra pessoa, sacrificam este princípio ou impõem barreiras a si mesmas no Caminho de D e u s . . . "Devemos amar a Deus e, neste estado, um amor generalizado por todos os homens torna-se possível. Não podemos amar cada ser humano por ele mesmo, porém nosso sentimento com relação à humanidade deveria ser motivado por nosso amor pelo Pai que críou todos OS homens." (De uma carta de 4 de outubro de 1950. escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente. ) 36
  37. 37. "Ele insiste junto a todos vós no sentido de promoverdes unidade e amor entre os membros da Comunidade daí, uma vez que isto parece ser sua maior necessidade. "Tantas vezes comunidades jovens, em seu desejo de administrar a Causa, perdem de vista o fato de que estas relações espirituais são muito mais importantes e fundamentais do que as regras e regulamentos que devem governar o procedimento dos assuntos da comunidade." (De uma carta de 4 de outubro de 1950, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "Parece que em todo lugar o que se mais precisa dentro da Causa é incutir nos amigos a necessidade de amor entre eles. Há uma tendência para misturar as funções da Administração e tentar aplicá-la às relações individuais — o que é abortivo, pois a Assembléia é uma Casa de Justiça que está nascendo e à qual compete administrar os assuntos da comunidade de acordo com os Ensinamentos. Porém as pessoas umas com relação às outras são governadas pelo amor, unidade, perdão e por olhos que não vêem o pecado. Uma vez que os amigos venham a entender isto, terão melhor relacionamento; no entanto, continuam brincando de Assembléia Espiritual entre si e esperam que a Assembléia se comporte como um indivíduo. . . " (De uma carta de 5 de outubro de 1950, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente. ) "Quando a crítica e palavras ásperas aparecem na comunidade Bahá'í, não há remédio exceto deixar de lado o passado e persuadir as pessoas envolvidas a começarem nova vida e, por amor a Deus e Sua Fé, absterem-se de mencionar os assuntos que provocaram desentendimento e desunião. Quanto mais os amigos discutirem e afirmarem, n
  38. 38. de ambos os lados, que o seu ponto de vista é o certo, pior se tornará a situação. "Quando vemos a situação em que se encontra o mundo de hoje, devemos certamente esquecer estes distúrbios internos, tão insignificantes, e apressar-nos a conjuntamente salvar a humanidade. Deveríeis insistir para que vossos companheiros na Fé adotem este ponto de vista e vos apoiem num intenso esforço para suprimir qualquer pensamento de crítica e qualquer palavra áspera, a fim de deixar que o espírito de Bahá'u'lláh flua na inteira comunidade e a una em Seu amor e em Seu serviço." (De uma carta de 16 de fevereiro de 1951, escrita em nome de Shoghí Effendi a um crente individualmente.) "O Guardião está seguro de que a contribuição que foi feita por vossa amiga que esteve inativa por um curto período de tempo, será o meio de estimulá-la para um serviço renovado. Não há nada que traga mais sucesso na Fé do que o serviço. É o ímã que atrai as confirmações divinas. Por isso, quando as pessoas são ativas, elas são abençoadas pelo Espírito Santo. Quando são inativas, o Espírito Santo não encontra um repositório em seu ser e assim ficam privadas de seus salutares e estimulantes raios." (De uma carta de 12 de julho de 1952, escrita em nome de Shoghí Effendi a um crente individualmente. ) "O Guardião sente que vossa atitude em relação à prática corrupta de aceitar comissões de colegas médicos e farmacêuticos é das mais admiráveis. Quanto mais corretos e nobres os Bahá'ís forem em sua conduta, tanto 38
  39. 39. mais impressionarão o público pela vitalidade espiritual da Fé em que crêem." (De uma carta de 20 de outubro de 1953, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "Este desafio, tão severo e insistente, e no entanto, tão glorioso, atinge, não há dúvida, primeiro o crente individual de quem, em última análise, depende o destino da inteira comunidade. É ele que constitui a malha da qual o padrão e a qualidade do tecido inteiro têm de depender. É ele que atua como um dos inúmeros elos da imensa cadeia que circunda o globo. É ele que serve como um dos muitos tijolos que apoiam a estrutura e asseguram a estabilidade do edifício administrativo que agora está sendo levantado em todas as partes do mundo. Sem seu apoio, ao mesmo tempo sincero, contínuo e generoso, qualquer medida adotada e qualquer plano formulado pelo corpo que atua como representante nacional da comunidade à qual ele pertence, está fadado a falhar. O próprio Centro Mundial da Fé fica paralisado se tal apoio lhe é negado pelos membros em geral da comunidade. O próprio Autor do Plano Divino é embaraçado em Seu propósito se faltarem os instrumentos adequados para a execução de Seu desígnio. A força sustentadora concedida pelo próprio Bahá'u'lláh, Fundador da Fé, será negada a todo e qualquer indivíduo que falhe, afinal, que deixe de se levantar para fazer a sua parte." (De uma carta de Shoghi Effendi de 28 de julho de 1954 à Assembléia Espiritual Nacional dos Estados Unidos, citada no "Citadel of Faith", pp. 130-131.) "Quando uma pessoa se torna Bahá'í. o que realmente acontece é que a semente do espírito começa a cres39
  40. 40. cer na alma humana. Esta semente tem de ser regada pelas chuvas do Espírito Santo. Estas dádivas do espírito são recebidas através de oração, meditação, estudo das Palavras Sagradas e serviço na Causa de Deus. É que o serviço na Causa é como o arado que lavra o solo físico quando a semente é lançada. É preciso que o solo seja lavrado de modo que possa ser enriquecido e assim causar um crescimento mais forte da semente. Exatamente da mesma forma a evolução do espírito ocorre lavrando-se o solo do coração de modo a refletir constantemente o Espírito Santo. Deste modo o espírito humano cresce e se desenvolve rapidamente. "Naturalmente haverá períodos de sofrimento e dificuldade e até mesmo de severas provas; mas se uma pessoa se volta firmemente em direção ao Manifestante Divino, estuda cuidadosamente Seus ensinamentos espirituais e recebe as bênçãos do Espírito Santo, ela descobrirá que na verdade estas provas e dificuldades foram dádivas de Deus para torná-la capaz de crescer e desenvolver-se. "Assim podeis considerar vossas próprias dificuldades no caminho do serviço. Elas são os meios pelos quais vosso espírito cresce e se desenvolve. Vereis subitamente que superastes muitos dos problemas que vos preocupavam e então vos perguntareis por que razão, afinal, vos atormentaram. A pessoa deve concentrar-se de todo coração e mente no serviço da Causa, de acordo com os altos padrões estabelecidos por BaháVlláh. Quando isto é feito, as Hostes da Assembléia Suprema darão assistência à pessoa r todas as dificuldades e provas serão gradualmente vencidas." (De uma carta de 6 de outubro de 1954, escrita em nome de Shoghí Effendí a um crente indívidualmente.) "A estrada é pedregosa e nela há muitos estorvos; mas, como dissestes, se os amigos aprenderem a viver de acordo com os ensinamentos de Bahá'u'lláh, descobrirão 40
  41. 41. que de fato trabalham de modo misterioso e eficaz; e que sempre há ajuda à disposição, que os obstáculos são vencidos e que o sucesso é assegurado no final." (De uma carta de 23 de abril de 1956, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) 'O próprio indivíduo tem de avaliar seu caráter (o da tarefa), consultar sua própria consciência, em espírito de oração considerar todos os seus aspectos, lutar corajosamente contra a inércia natural, cujo peso o faz vergar-se no seu esforço de se erguer; deve desfazer-se heróica e irrevogavelmente dos apegos triviais e supérfluos que o detêm, esvaziar-se de todo pensamento que possa tender a obstruir seu caminho, e em obediência aos conselhos do Autor de sua Fé, e em imitação Daquele que é seu verdadeiro Exemplar, associar-se a homens e mulheres, em todos os níveis da vida, procurar tocar-lhes os corações através da distinção que caracteriza seus pensamentos, palavras e atos, e conquistá-los — com tato, amor, oração e persistência — para a Fé que ele mesmo desposou." (De uma carta de Shoghi Effendi de 19 de junho de 1956 à Assembléia Espiritual Nacional dos Estados Unidos, citada no "Citadel of Faith", p. 148.) "Ele ficou pesaroso ao saber da falta de harmonia entre os amigos aí; e ele sente que a única maneira sábia de agir é para todos os crentes se devotarem ao ensino da Fé e cooperarem com o seu Corpo Nacional. "Muitas vezes, estas dificuldades e provações, pelas quais todas as Comunidades Bahá'ís inevitavelmente passam, parecem terríveis, no momento, mas em retrospecto, compreendemos que foram devidas à fragilidade da natu41
  42. 42. reza humana, a desentendimentos e às crises de crescimento que cada Comunidade Bahá'í tem de experimentar." (De uma carta de 25 de novembro de 1956, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individualmente.) "Ele está muito feliz em ver que pusestes em prática um dos mais encorajadores preceitos de 'Abdu'1-Bahá em que Ele diz que deveríamos tentar fazer de cada pedra de tropeço um degrau para o progresso. No decorrer de vossa vida passada todos vós tropeçastes gravemente; porém, longe de vos sentírdes amargurados ou derrotados por esta experiência, estais determinados a fazer disto um meio de purificar vossa natureza, aperfeiçoar vosso caráter, capacítando-vos a vos tornardes melhores cidadões no futuro. Isto verdadeiramente é do agrado de Deus." (De uma carta de 26 de março de 1957, escrita em nome de Shoghi Effendi aos Bahá'ís da Prisão de H.M., Fazenda de Kitalya, Uganda.) "Os Bahá'ís devem, em vista das condições do mundo de hoje, sobressair firme e corajosamente como seguidores de BaháVlláh, obedecendo às Suas Leis e tentando construir Sua Ordem Mundial. Através da acomodação nunca seremos capazes de estabelecer nossa Fé ou ganhar os corações dos outros para ela. Isto envolve, muitas vezes, grande sacrifício pessoal, porém, nós sabemos que, quando fazemos o que é certo, Deus nos dá forças para cumpri-lo e atraímos Suas benções. Compreendemos que, por vezes, nossa calamidade é, de fato, um benefício." (De uma carta de 7 de maio de 1957, escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Nacional da Austrália, citada no "Bahá'í News", n.° 335, janeiro de 1959, p. 2.) 42
  43. 43. "Não basta que os amigos se desculpem dizendo que seus melhores instrutores e seus crentes exemplares levantaram-se e responderam ao chamado para pioneiros. O 'melhor instrutor', como o 'crente exemplar', é afinal nada mais nada menos que um Bahá'í comum que se tenha consagrado ao trabalho da Fé, aprofundado seus conhecimentos e compreensão dos Ensinamentos, depositado sua confiança em Bahá'u'lláh e se levantado para servi-Lo da melhor maneira possível de acordo com suas capacidades. Fomos assegurados de que esta é uma porta que se abrirá diante de cada seguidor da Fé que nela bata com suficiente força, por assim dizer. Quando a vontade e o desejo são suficientemente fortes, os meios serão encontrados e aberto o caminho, seja para mais trabalho no plano local, seja para ir a uma nova cidade-meta dentro dos Estados Unidos ou para entrar no campo do pioneirismo fora do p a í s . . . "Vosso Corpo (Administrativo) deve não somente prover o incentivo e liderança necessários, e estimular os amigos a se levantarem e cumprirem sua parte, mas também devem as Assembléias Locais fazer tudo que esteja em seu poder para ajudar os amigos a prosseguirem e a atingirem seus objetivos. Cada Bahá'í individualmente deve da mesma forma sentir que isto é seu dever pessoal para com a Causa, neste momento, bem como seu maior privilégio, e deve perguntar a si mesmo o que pode fazer durante os próximos seis anos, a partir de agora, a fim de apressar a obtenção das metas da Cruzada Mundial. Os Bahá'ís são o fermento de Deus, que deve levedar a massa de sua nação." (De uma carta de 21 de setembro de 1957, escrita em nome de Shoghí Effendi à Assembléia Espiritual Nacional dos Bahá'ís dos Estados Unidos.) 43
  44. 44. V I V E N D O A VIDA — O R I E N T A Ç Ã O ADICIONAL Uma carta emitida a todas as Assembléias Espirituais Nacionais a 6 de fevereiro de 1973 pela Casa Universal de Justiça. Segue-se um excerto de uma carta escrita recentemente em resposta a perguntas de um crente. Por ser ófi interesse geral, o estamos enviando a vós de modo que possais compartilhá-lo com os amigos sob vossa jurisdição, da forma que julgueis prudente e necessária. "Como existem leis que governam nossa vida física, exigindo que nosso corpo seja suprido por certos alimentos, mantido a uma determinada temperatura e assim por diante, se quisermos evitar enfermidades físicas, assim também existem leis que governam nossa vida espiritual. Estas leis são reveladas à humanidade em cada era pelo Manifestante de Deus, e obediência a elas é de importância vital para que cada ser humano e a humanidade em geral se desenvolvam adequada e harmoniosamente. Se uma pessoa violar as leis espirituais do seu próprio desenvolvimento, ela prejudicará não somente a si mesma mas à sociedade em que vive. Assim também, a sociedade tem um efeito direto sobre cada pessoa que nela precisa viver. "Como salientastes, é especialmente difícil seguir as leis de Bahá'u'lláh na sociedade de nossos dias, cujos costumes estabelecidos diferem dos padrões da Fé. No entanto, certas leis são de tal modo fundamentais para o fun44
  45. 45. donamento sadio da sociedade humana que elas precisam ser preservadas sob quaisquer circunstâncias. Compreendendo o grau de fraqueza humana, BaháVlláh estipulou que certas leis sejam aplicadas apenas gradualmente, porém estas também, uma vez aplicadas, deverão ser seguidas; caso contrário, a sociedade não será reformada e cairá numa condição cada vez pior. Cabe aos Bahá'ís a desafiadora tarefa de obedecer à lei de Deus em suas próprias vidas e gradualmente ir conquistando toda a humanidade para sua aceitação. "Ao considerar o efeito da obediência às leis sobre a vida das pessoas, devemos lembrar que o propósito desta vida é preparar a alma para a próxima. Aqui precisamos aprender a controlar e dirigir nossos impulsos animalescos e a não sermos escravos deles. "A vida neste mundo é uma sucessão de provas e realizações, de fracassos e novos avanços espirituais. Por vezes, o percurso poderá parecer muito penoso, porém podemos testemunhar repetidas vezes que a alma quando obedece firmemente à lei de BaháVlláh, por difícil que possa parecer, cresce espiritualmente, enquanto a que ajusta a lei em favor de sua própria felicidade aparente é vista como tendo seguido uma quimera: ela não obtém a felicidade esperada, retarda seu avanço espiritual e, às vezes, atrai novos problemas sobre si. "Para dar um exemplo bastante óbvio: a lei Bahá'í da obtenção do consentimento dos pais para o casamento. Com demasiada freqüência em nossos dias tal consentimento é negado por pais não Bahá'ís por causa da intolerância ou por preconceito racial; no entanto, temos visto, muitas vezes, o efeito profundo nestes mesmos pais da firmeza de seus filhos na lei Bahá'í, a tal ponto que não somente este consentimento é finalmente concedido em muitos casos, mas também o caráter dos pais pode ser atingido e seu relacionamento com o filho grandemente fortalecido "Portanto, seguindo a lei Bahá'í a despeito de todas as dificuldades, não somente fortalecemos nosso próprio 45
  46. 46. caráter como também influenciamos aqueles que nos; cercam. "Os ensinamentos Bahá'ís sobre relações sexuais são muito claros. Elas são permitidas somente entre um homem e a mulher que é sua esposa. Sobre isto partilhamos convosco trechos de quatro cartas escritas em nome do; Guardião, os quais esclarecem vários aspectos do assunto. Um deles contém o parágrafo que transcrevestes em vossa carta. "Com referência à pergunta que fizestes, sobre a atitude Bahá'í quanto ao problema do sexo e sua relação com o casamento. "Os ensinamentos Bahá'ís sobre esta questão, que é de vital importância e sobre a qual há grande divergência de ponto de vista, são» muito claros e enfáticos. Em breves palavras, o conceito Bahá'í de sexo baseia-se na crença de que: a castidade deve ser praticada rigorosamente por ambos os sexos, não somente porque é por si mesmo muitíssimo recomendável eticamente, mas também por ser o único caminho para uma vida conjugai feliz e bem sucedida. Relações sexuais: de qualquer forma, fora do casamento, não são pois permitidas e todo aquele que violar esta regra não somente será responsável perante Deus mas também incorrerá na punição necessária pela sociedade. "A Fé Bahá'í reconhece o valor do impulso sexual, porém condena suas expressões ilegítimas e indecorosas tais como o amor livre, concubinato e outros, os quais considera decididamente prejudiciais ao homem e à sociedade em que vive. O emprego apropriado do instinto sexual é o direito natural de toda pessoa e é precisamente com este propósito que foi estabelecida a instituição de 46
  47. 47. casamento. Os Bahá'ís não acreditam na supressão do impulso sexual mas na sua regulamentação e controle." (De uma carta de 5 de setembro de 1938 a um crente individualmente.) "A questão que levantastes quanto ao lugar que pode ter em nossa vida um laço profundo de amor por alguém que encontramos que não seja o marido ou esposa é facilmente definida do ponto de vista dos ensinamentos. Castidade implica numa vida sexual pura, casta, tanto antes como depois do casamento. Antes do casamento, absolutamente casta; depois, de absoluta fidelidade ao companheiro escolhido. Fiel em todos os atos sexuais, fiel em palavras e ações/' "O mundo de hoje está submerso, entre outras coisas, numa ênfase exagerada quanto à importância do amor físico e numa carência de valores espirituais. Na medida do possível os amigos deveriam tentar compreender isto e levantar-se acima do nível de seus semelhantes, que, — tal como é típico de todos os períodos de decadência da História — estão atribuindo valor exagerado ao lado puramente físico do casamento. Fora de sua vida matrimonial, normal e legítima deveriam buscar o estabelecimento de laços de companheirismo e amor, os quais são eternos e alicerçados na vida espiritual do homem, e não, na sua vida física. Este é um dos muitos setores em que compete aos Bahá'ís dar o exemplo e conduzir ao caminho que leve a um padrão verdadeiramente humano de vida, quando a alma do homem é exaltada e seu corpo apenas o instrumento de seu espírito esclarecido. Desnecessário se faz dizer que isto não impossibilita a vivência de uma vida sexual perfeita47
  48. 48. mente normal através de seu canal legítimo do casamento." (De uma carta de 28 de setembro de 1941 a um crente individualmente.) "Quanto a sua pergunta se existem quaisquer formas legítimas de expressão do instinto sexual fora do casamento; de acordo com os Ensinamentos Bahá'ís nenhum ato sexual pode ser considerado legal a não ser quando realizado entre pessoas legalmente casadas. Fora da vida matrimonial não pode haver uso legal ou salutar do impulso sexual. À juventude Bahá'í deveria, por um lado, ser ensinada a lição do auto-controle, o qual, quando exercido, indubitavelmente tem um efeito saudável sobre o desenvolvimento do caráter e da personalidade em geral, e por outro lado, deveria ser aconselhada, e até mesmo estimulada, a contrair matrimônio enquanto ainda jovem e em plena possessão do seu vigor físico. Fatores econômicos, não há dúvida, são, muitas vezes, obstáculo para casar cedo. porém, na maioria dos casos, são apenas uma desculpa e como tal não deveriam ser demasiadamente enfatizados." (De uma carta de 13 de dezembro de 1940 a um crente individualmente.) "Com relação a vossa pergunta se seria aconselhável e útil casardes novamente; ele sente-se incapaz de vos dar uma resposta definitiva sobre este ponto, por ser isto um assunto essencialmente particular sobre o qual vós e os amigos que vos cercam e vossa assembléia local estão em condições muito melhores para julgar. Naturalmente, em circunstâncias normais, toda pessoa deveria considerar o casamento como seu dever moral. E 48
  49. 49. é isto que Bahá'u'lláh estimulou os amigos a fazerem. Porém, o casamento não é, de modo algum, uma obrigação. Em última instância cabe à pessoa decidir se deseja uma vida em família ou se prefere viver em estado de celibato." (De uma carta de 3 de maio de 1936 a um crente individualmente.) "Expressastes surpresa com relação à referência do Guardião no que diz respeito à punição necessária pela sociedade. No Kitab-i-Aqdas, BaháVlláh proibe a imoralidade sexual e no Anexo àquele Livro declara que os vários graus de ofensas sexuais e as punições para elas deverão ser estabelecidas pela Casa Universal de Justiça. Com relação a isto, deveria ser compreendido que existe uma distinção estabelecida na Fé, entre as atitudes que deveriam caracterizar as pessoas individualmente em suas relações com outras, ou seja, amoroso perdão, indulgência e preocupação pelos próprios, pecados, e não pelos dos outros, e aquelas atitudes que deveriam ser mostradas pelas Assembléias Espirituais, cujo dever é administrar a lei de Deus com justiça. "Vários problemas sexuais tais como homossexualidade e transsexualidade podem ter seus aspectos médicos e nestes casos deve-se certamente recorrer à melhor assistência médica. Porém está claro nos ensinamentos de BaháVlláh que a homossexualidade não é uma condição com a qual uma pessoa deva se conformar, que, ao contrário, é uma distorção de sua natureza, a qual deve ser controlada e vencida. Isto pode exigir uma luta tenaz, mas assim também pode ser a luta de uma pessoa heterossexual para controlar seus desejos. O exercício do autocontrole quanto a isto, como em tantos outros aspectos da vida, tem um efeito benéfico sobre o progresso da alma. Além disso, deveria-se ter em mente que, embora ser casado seja altamente desejável e BaháVlláh o tenha recomendado fortemente, este não é o propósito principal da vida. 49
  50. 50. Se uma pessoa tem de esperar um tempo considerável antes de encontrar o cônjuge, ou se, finalmente, ele ou ela precisa permanecer solteiro ou solteira, não significa que ele ou ela seja por isto incapaz de cumprir o propósito de sua vida." "Em tudo isto estivemos falando sobre a atitude que os Bahá'ís deveriam ter em relação à lei de BaháVlláh. Vós, no entanto, como médico, trabalhando principalmente como conselheiro sobre problemas sexuais e de família, vos ocupareis quase sempre em aconselhar pessoas não Bahá'ís que não aceitam e não vêem razão para seguir as leis de BaháVlláh. Já sois um profissional qualificado no vosso campo, e não há dúvida, dais orientação na base do que aprendestes através de estudos e experiência — um inteiro entrelaçado de conceitos sobre a mente humana, seu crescimento, desenvolvimento e funcionamento adequado, o que aprendestes e deduzistes sem referência aos ensinamentos de BaháVlláh. Agora, como Bahá'í, sabeis que o que BaháVlláh ensina sobre o propósito da vida humana, a natureza do ser humano e a conduta apropriada das vidas humanas é divinamente revelado e portanto verdade. No entanto, inevitavelmente tomará tempo para vós não só estudardes os ensinamentos Bahá'ís de modo a compreendê-los claramente, como também para avaliar como eles modificam vossos conceitos profissionais. Isto não é, naturalmente, uma situação inusitada para um cientista. Quantas vezes no decorrer de uma pesquisa, descobre-se um fator que requer uma revolução do pensamento sobre um vasto campo do esforço humano. Precisais ser orientados, em cada caso, por vosso conhecimento e julgamento profissionais, à medida que sejam iluminados por vosso crescente conhecimento dos ensinamentos Bahá'ís; indubitavelmente descobrireis que vossa própria compreensão dos problemas humanos com que tratais em vosso trabalho se modificará e se desenvolverá e vereís novos e mais aperfeiçoados modos de ajudar as pessoas que recorrem a vós. A Psicologia é ainda uma ciência muito nova e inexata e, à medida que 50
  51. 51. os anos passam, os psicólogos Bahá'ís, que conhecem, através dos ensinamentos de Bahá'u'lláh, o verdadeiro padrão de vida humana, serão capazes de fazer grandes progressos no desenvolvimento desta ciência e ajudarão profundamente a aliviar o sofrimento humano." (Carta de 6 de fevereiro de 1973 da Casa Universal de Justiça a todas as Assembléias Espirituais Nacionais.) 51
  52. 52. índice Ação / Atos, 8, 9, 11, 29, 34, 35, 41 Aceitação da Causa, 16 Aceitação de Comissões, 38 Acomodação, 42 Acusação, 36 Administração, 14, 22, 37 princípios e leis da, 15 Administradores, 18 Admiração, 25 Admoestaçoes, morais e espirituais, 5 Adultério, 34 Advento da Justiça Divina, 17 Adversidades ( dificuldades ), 11, 16 Aflições, 15 Ajuda, 41 Além, vida do, 34 Alívio do sofrimento, 51 Alma ( s ) , 33, 34, 39-40 almas receptivas, 31 Ambição (cobiça), 14 Amor, 8, 9, 20, 21, 22, 23, 24, 26, 28, 29, 32, 34, 35, 37, 38, 47 físico, 47 generalizado, 36 livre, 46 Apego, 24, 36, 41 Arautos (da Aurora) ("Dawn-breakers"), 29 Arena do serviço, 8 Aspectos (econômicos e sociais), 28 (aspecto moral) dos Ensinamentos, 28 Aspereza, (palavras ásperas), 27, 37-38 Assembléia dos homens, 8 Assembléia Suprema, Hostes da, 40 Assembléias, 21, 26, 31, 37, 43, 49 Espirituais Locais, 26, 43 Espirituais Nacionais, (Corpo Nacional), 26, 41 Assuntos da Comunidade, 37 Atitudes, 29, 32, 46, 50 Atração dos corações, 24, 30 Autoridade, 18 Báb, 35 Bahá'í (s) amor bahá'í, 35 assembléias bahá'ís, 31 caráter bahá'í, 23, 28, 30 centros bahá'ís, 31 o comum, 43 comunidade bahá'í, 20, 24, 25, 26, 30, 37, 38, 39, 41, 42 crianças bahá'ís, 33 disciplina bahá'í, 27 dois tipos de, 36 espírito bahá'í, 22 53
  53. 53. exemplo bahá'í, 47 família bahá'í, 24 fé bahá'í, 23 grupos bahá'ís, 31 instituições bahá'ís, 35 juventude bahá'í, 29, 43 psicólogos bahá'ís, 51 vida bahá'í,6, 23, 28 Bahá'ulláh, 23, 25, 33, 38 Bebidas alcoólicas, 34 Bênçãos, 15, 42 Benefício (bem) da Causa, 22, 26 Benefício à sociedade, 13 Brutalidade, 31 Buscadores da Verdade, 23 Calamidade, 42 Caminho de Deus, 36 Campo de serviço, 17 Capacidade (s), 18, 32, 43 Caráter, 6, 8, 17, 18, 19, 23, 28, 30, 45-46 formação do, 17 Características (qualidades, virtudes, celestiais), 7-8, 9,18 Casa de Justiça, 37 Casamento consentimento dos pais para, 45 desejável, 49 fatores econômicos do, 48 na juventude, 48 não obrigatório, 49 não o propósito principal da vida, 49 propósito do, 46-47 relações sexuais fora do, 47, 48 vida sexual no, 47, 48 Castidade, 47 Causa, 12, 13, 14, 16, 17, 18, 20, 21, 22-23, 24, 25, 26, 27, 28, 35, 37, 40 Celibato, 49 54 Centro Mundial da Fé, 39 Cidadãos, 42 Cinismo (geração cínica), 26 Civilização, cambaleante, 14 Comitês, 21 Companheirismo, 47 Compreensão, 21, 26, 34, 43, 50 Comunidade (s), 24, 25, 26, 30, 37, 38, 39, 41-42 conduta (procedimento) da, 7, 37 jovens, 37 Concubinato, 46 Condição, da sociedade, 8, 44 do mundo, 25, 29, 42 Conduta, 7, 8, 25, 28, 34, 37, 38 apropriada, 50 Confiança, 15, 18 Conhecimento dos Ensinamentos, 43 Consagração, 31 Consciência, 41 "Conservador", 35 Consideração, 29 Consolo, 20 Contaminação da sociedade, 29 Contribuição, 38 Controle, dos desejos, 47 auto-controle, 48, 49 Convenção, 14, 21 Cooperação com Corpo Nacional, 41 Cor, pessoas de, 25 Corações, 7, 24, 25, 26, 30, 41 Coragem, 18 Corpo Nacional — cooperação com, 41 Corpos humanos, 33 Corrupção (prática corrupta), 38 Cortesia, 28 Crentes (os amigos), 14, 18, 25, 26, 29, 30, 38, 39, 41, 43
  54. 54. Crentes jovens, 17 Crescimento, da Fé, 22 do espírito, 40 Crianças, 33 Crises de crescimento, 42 Crítica, 37, 38 Cruzada Mundial, 43 Cumprimento dos Ensinamentos, 7, 9 Dádivas, de Deus, 40 do espírito, 40 Decadência, moral, 29 períodos de, 47 Decência, 29 Degradação, moral, 9 Demérito, 16 Desafio, 39 Desarmonia (desunião), 26, 27, 37, 41 Descoberta da verdade, 9 Desenvolvimento da Causa, 14, 27 Desenvolvimento do homem, moral e espiritual, 11-12 nova época no, 23 Desobediência a Deus, 36 Desprendimento, 9, 10, 14 Destino, da humanidade, 5 da comunidade (bahá'í), 39 Destruição, 14 Deus, amor a, 36, 37 Caminho de, 36 Dádivas de, 40 Lei de, 45 Levedo de, 43 Manifestante (Profetas) de, 33, 44 Dever (es), das assembléias, 43 para com a humanidade, 19 o principal, 26 pessoal, de cada bahá'í, 43 Devoção, 9, 17, 18, 32 Diferenças (dissensões), 14-15, 21 Dificuldades, 18, 40 Disciplina, 27 Discórdia, 14 Distúrbios, internos, 38 Divino (a,as) autoridade, 18 confirmações, 38 hostes, da vitória, 16 plano, 30, 39 Dor, 33 Econômico (s), aspectos dos Ensinamentos, 28 Edifício administrativo, 39 Ego (Eu), egoísmo, 14, 15, 19, 31 o verdadeiro eu, 32 Empecilhos, 16, Enfermidade, 16, 33 Ensinamentos / Ensino, 7, 9-10, 12-13, 18, 22-23, 24, 30, 31, 34, 39-40, 41, 43 morais, da Fé, 30 Erros, 27 Escuridão, crescente, 25 Esforço, 8, 16, 35 diário, 8 pessoal, 16 Esperança, 18, 26 Espírito (s), 34, 39-40 crescimento do, 40, 45 dádivas do, 40 de Bahá'u'lláh, 38 de serviço, 34 evolução do, 40 purificação dos, 19 Santo, 38, 40 semente do, 39-40 55
  55. 55. Espiritualidade / Espiritual condição espiritual do mundo, 29 consciência espiritual, 25 crescimento espiritual, 40, 45 desenvolvimento espiritual, 40, ensinamentos espirituais, 40 a essência do homem, 25 família espiritual, 21 iluminação espiritual, 34 imaturidade espiritual, 33-34 "indigestão espiritual", 27 leis espirituais, 35, 44 méritos espirituais, 18 progresso espiritual, 19, 25 relações espirituais, 37 tornar-se espiritual, 33 valores espirituais, 47 vida espiritual, 47 Essência do homem, 25 Estudo dos Ensinamentos, 34, 35, 40 Ética, (a conduta), 34 Evolução do espírito, 40 Exemplar (es), crentes, 43 Exemplo, 21, 25, 26, 34, 35, 47 o melhor remédio, 34 Expansão da Causa, 24 Falta, de capacidade, 18 de compreensão, 34 de estudo dos Ensinamentos, 34 de visão, 18 Faltas (fracassos, defeitos), 10, 11, 19 Família, 21, 24 Fanáticos, 27 Finanças (apoio financeiro,), 32 Forças, negativas, 14, 29 56 obscuras, 26 poderosas, 20 Fortalecimento, de caráter, 19, 45 espiritual (consolo), 20 Fragilidade (fraquezas) da natureza humana, 32, 34, 41-42 Frente doméstica, 30 Frivolidade, 9 Fundadores da Causa, 18 Fundamento, de toda religião, 23 Green Acre, 24 Grupos, 31 Guerras, 12 Harmonia, 10, 14, 24, 26, 32, 35 Heróis / Heroísmo, 18, 36 Hipocrisia, 8 Homossexualidade, 49 Hospitalidade, 21 Hostes Divinas, 16 Humanidade, destino da, 5 deveres para com a, 19 salvação da, 38 Humano ( s ) , alma humana, 39-40 conduta humana, 50 corpos humanos, 33 espírito humano, 40 fraquezas humanas, 34, 41-42 mentes humanas, 50 natureza humana, 32, 41-42 paixões humanas, 36 peculiaridades humanas, 9 problemas humanos, 50 propósito da vida humana, 50 ser humano, natureza do, 50 sofrimentos humanos, 12 Ideal (Ideais), 24, 25 Iluminação, espiritual, 34
  56. 56. Imaturidade, 24, 33-34 Imitação, cega, 8 Imoralidade, sexual, 49 Imperfeições, 21 Incapacidade, 16 Indecência, 29 "Indigestão, espiritual", 27 Indivíduo (s) / Individual, amor ao, 36 atitudes dos, 49 bataiha do, 22 caráter do, 34) conduta do, 7, 25 crente individual, 30-31 deveres do, 41 relações entre indivíduos, 37 Indulgência, 20 Inércia, natural, 41 Influência, sobre os outros. do amor, 8 da pureza de motivos, 8 da veracidade, 8 da vida cem por cento bahá'í, 24 Infortúnios, 33 Inimigos / Inimizade, 24, 35 Insinceridade, 24 Instituições, da Fé (amor pelas) , 35 Instrutor, o melhor, 43 Integração, 29 Integridade, 28 Jejum, 32 Jovens, crentes, 17 comunidades, 37 Juventude, bahá'í, 29 Kitáb-i-Aqdas, 49 Lealdade, 11, 17, 18 Lei (s), 23, 32, 35, 42, 44, 45 administrativas, 15, 35 Levedo, de Deus, 43 Liderança, 43 Luta (discórdia), 14, 27 Maledicência, 11 Mal-entendidos (desentendimentos), 15, 37, 42 Maneiras, boas, 29 Manifestante de Deus, 44 Mártires, 12-13, 35 Maus modos, 29 Médico (conceitos profissionais), 50 Meditação, 8, 17, 40 Mensagem de Bahá'u'lláh, 12, 13, 25, 30 Mentira, 11 Méritos, espirituais e intelectuais, 18 Meta, suprema, 9 Missão da Fé, 18 Motivos, influência dos, 8 purificação dos, 7 únicos do crente verdadeiro, 14 MRA (Rearmamento Moral), 34 Mundo, 29, 30, 33, 42 Natureza, distorção da, 49 do ser humano, 50 purificação de nossa, 42 Necessidades, da Causa, 12-13 materiais, 14 Negócios, 25 Nobreza, de ações e caráter, 8, 28 de conduta, 38 princípios nobres, 34 Nova Ordem Mundial, 18, 29, 30, 42 Obediência, aos Ensinamentos e Leis Bahá'ís, 11, 34, 42 57
  57. 57. Obrigações, uma das maiores, 28 Obstáculos, 15, 18, 41 Ocupações, 13-14 ódio (s), 19, 29, 36 Olhos, que não vêem o pecado, 37 Opiniões, pessoais, 35 Oração constante, 16 diária, 32 meio de receber dádivas do espírito, 40 meio de transformação, 35 poder da, 16 Ordem, Mundial, 18, 29, 30, 42 Organismo, novo, 29 Paciência, 20, 24 Padrões, 17, 18, 22, 28 Paixões, humanas, 36 apego apaixonado, 36 Palavras, 26, 37, 38, 41 Participação, universal, 5 Paz, 25, 29 Peculiaridades, humanas, 34 Pensamentos, 38, 41 Perdão, 23, 27, 37 Perfeição, dos Ensinamentos, 30 Pesar, 33 Pioneiro, trabalho do, 31 Poder da oração, 16 Postulado Supremo da Revelação de Abhá, 6 Potência de, ações nobres, 8 caráter nobre, 8 Prática, dos Ensinamentos, 28 Preconceito, 29 Prejuízo à sociedade, 44 Princípios, elevados (o mundo ansioso p o r ) , 25 eternos de Bahá'u'lláh, 5, 6 58 nobres do MRA, 34 nobres e novos, 6 viver de acordo com nossos, 27 Privações, (dificuldades materiais), 15-16 Privilégio, o maior, 43 Problemas, 22, 40 Procedimento, administrativo, 25 Profetas de Deus, 33 Profissão / Profissional, 13-14 conceitos profissionais, 50 "Progressista", 35 Progresso, da alma, 33, 34 da Comunidade Bahá'í, 20 espiritual, 19, 12, 5 Promiscuidade, 29 Propósito, o fundamental de todas as religiões, 28 da instituição do casamento, 46-47 o principal da vida não é o casamento, 49 da vida humana, 50 Provações, (provas, obstáculos), 15, 16, 18, 19, 27, 34, 40, 41 a maior provação, 27 uma grande provação, 34 Psicólogos, bahá'ís, 51 Publicidade, 21 Punições para ofensas sexuais, 49 Pureza, de motivos, 8 Purificação, do coração, 7 do espírito, 19 Qualidades, celestiais, 7 Realizações, 45
  58. 58. Recriminações, 19 Recusas, 32 Regras, e regulamentos, 37 Relações, espirituais, 37 individuais, 37 sexuais, 46 Religião, o fundamento essencial da, 23 universal, 12 Responsabilidade dos crentes, 30 Ressentimento (s), 26, 27 Retidão, da conduta bahá'í, 38-39 dos jovens bahá'ís, 29 Sacrifício (s), 13, 18, 28, 31, 32, 35, 42 Salvação da humanidade, 38 Santos, 36 Semente do espírito, 39-40 Sentimentos, perniciosos, 15 pessoais, 28, 32, 35 Sermões, 35 Serviço / servir, 8, 12-13, 14 16, 17, 18, 19, 20, 34, 38, 39, 40, 42, 43 Sexo / sexual, no casamento, 48 fora do casamento, 47, 48 imoralidade sexual, 49 ofensas sexuais, 49 relação do, ao casamento, 46 relações sexuais, 46 Sociedade, condição depravada da, 8 influência recíproca, 44 ocupações em benefício da, 13 perigo da contaminação da, 29 Sofrimento, 12, 15, 17 Submissão, à Vontade Divina, 15 Sucesso, no ensino, 27 em vencer os obstáculos, 41 Tipos (dois) de bahá'ís, 36 Transformação, da vida, 10 Trans-sexualidade, 49 Tribulações, 11, 17 Triunfo, da Causa, 6 Unidade / Unir, 10, 14, 20, 21, 22, 23, 26, 27, 29, 30, 35, 37, 38 Unificação, da raça humana, 19 Veracidade, 8 Vida / Viver, Bahá'í, 23, 28, 29 da comunidade, 26 íntima, 6 propósito da, 45, 50 Viver a Vida, 9 59
  59. 59. EDITORA BAHA'I DO BRASIL

×