SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 36
ELETROQUÍMICA
Matheus Von
5105904
Introdução: o que é eletroquímica?
 A eletroquímica é o estudo das reações químicas
envolvendo o que é denominado como eletricidade. As
reações podem produzir eletricidade ou, pelo caminho
inverso, a eletricidade que leva as reações químicas a
acontecerem.
Revisão: Oxirredução
 Uma reação iônica feita pela transição de elétrons;
 Ganho de elétrons de um componente da reação e perda
de elétrons de outro;
 Ganho de elétrons = redução; perda de elétrons =
oxidação.
Revisão: Oxirredução
Na (s) + Cl (g)  2 NaCl (s)
 Na perde elétron (ganha carga positiva) para o Cl (ganha
carga negativa) e assim se forma a ligação.
 Na oxida por causa de Cl, portanto Cl é o agente oxidante;
Cl reduz por causa de Na, então Na é o agente redutor.
Revisão: Oxirredução
Resumindo:
 Oxidação = perda de elétrons;
 Redução = ganho de elétrons;
 Oxirredução = reação onde há redução e oxidação ao
mesmo tempo;
 Agente oxidante = o reagente que provoca a oxidação;
 Agente redutor = o reagente que provoca a redução.
Revisão: Oxirredução
Regras dos Números de Oxidação
1ª regra
O número de oxidação de um elemento ou
substância simples é sempre zero
2ª regra
O número de oxidação do hidrogênio é, na
maioria dos casos, igual a +1
3ª regra
O número de oxidação do oxigênio é, na maioria
dos casos, -2
4ª regra
Metais alcalinos e alcalino-terrosos apresentam,
respectivamente, NOX +1 e +2
5ª regra
Determinados apresentam NOX fixo. São eles: Ag
= +1; Zn = +2; Al = +3; F, Cl, Br e I = -1
6ª regra
O somatório do NOX dos elementos, em
substâncias sem carga, sempre será igual à zero.
No caso de íons, o resultado do somatório será
esta carga.
Revisão: Oxirredução
 Exemplo: Calcule o NOX dos elementos das seguintes
substâncias:
1. FeCl3
2. H3PO4
3. HNO3
4. SO4
-2
Células Galvânicas
 Também conhecidas como Células Eletroquímicas;
 Reações espontâneas;
 As reações químicas geram energia elétrica.
Células Galvânicas
Células Galvânicas
 No experimento demonstrado, ocorreu uma reação de
substituição:
Zn0 + CuSO4  ZnSO4 + Cu0
 Simplificando-a:
Zn0 + Cu2+  Zn2+ + Cu0
Células Galvânicas
 A carga de Zn aumentou: oxidou-se/é o agente redutor
Zn0  Zn2+ + 2e-
 A carga de Cu diminuiu: reduziu-se/é o agente oxidante
Cu2+ + 2e-  Cu0
Células Galvânicas
 Para que se monte uma pilha baseada nesse exemplo, é
feito o seguinte esquema:
Células Galvânicas
 Ou ainda, com a ponte salina:
Células Galvânicas
 A pilha após um tempo de funcionamento:
Células Galvânicas
 Resumindo, neste caso, ocorre a mesma reação de substituição
apresentada antes:
Zn0 + CuSO4  ZnSO4 + Cu0
 Cu reduz-se. O eletrodo que sofre redução é chamado de
catodo, e é o polo positivo;
 Zn sofre oxidação, portanto é chamado de anodo, e é o polo
negativo.
 Os elétrons fluem do polo negativo (anodo) ao polo positivo
(catodo).
Células Eletrolíticas
 Enquanto as células galvânicas se baseiam no conceito de
transformar energia química em energia elétrica, nas
células eletrolíticas ocorre processo conhecido como o
caminho inverso à este: a eletrólise. A reação, aqui, é
provocada pela corrente elétrica.
Células Eletrolíticas
 Exemplo: deseja-se realizar o inverso da seguinte reação:
Na + Cl  NaCl. Sabe-se que seu potencial elétrico é de
1,35 V. Porém, como se obteve esse valor?
 Para calcular o valor da energia potencial elétrica dos
eletrodos, consulta-se a tabela dos potenciais-padrão de
eletrodo. A energia potencial elétrica dos eletrodos é a
diferença entre o potencial elétrico do anodo e o
potencial elétrico do catodo.
Células Eletrolíticas
 Matematicamente:
ΔE0 (força eletromotriz) = E0
anodo – E0
catodo
 Aplicando os valores na fórmula: ΔE0 = -1,36 – (-2,71) =
1,35 V
 Esta será a potencia elétrica necessária para que se possa
realizar a eletrólise.
Células Eletrolíticas
 A potência elétrica desejada é obtida através de um
gerador:
Células Eletrolíticas
 A eletrólise apresenta determinados pré-requisitos para ser
feita
 A energia fornecida pelo gerador deve ser constante e igual ou
superior ao potencial elétrico da substância em questão;
 Há necessidade de estímulo na mobilidade dos íons por fusão
(eletrólise ígnea) ou por dissolução em solução (eletrólise em
solução)
Eletrólise Ígnea
 Gerador com maior potencial elétrico que o dos eletrodos;
 É feita a fusão completa da substância para que haja
liberdade no movimento dos íons;
 No caso do exemplo do NaCl:
 Funde-se à 808ºC
 Gerador com potência de 1,35V
Eletrólise Ígnea
Esquema da Eletrólise Ígnea
Eletrólise Ígnea
 As reações:
Catodo/polo negativo/reação de redução: Na+ + e-  Na
Anodo/polo positivo/reação de oxidação: Cl-  ½ Cl2 + e-
Somando as reações, se tem: Na+ + Cl-  Na + ½ Cl2.
 O fluxo de elétrons é do polo negativo (catodo) ao polo
positivo (anodo).
Eletrólise em Solução Aquosa
 Gerador com potencial superior ao dos eletrodos;
 Faz uso do composto que se quer provocar a eletrólise em
solução aquosa;
 A dissociação da água também participa da reação.
Eletrólise em Solução Aquosa
 Pode-se prever quem será mais facilmente descarregado
através da fila das tensões eletrolíticas:
Eletrólise em Solução Aquosa
 Reações de dissociação:
NaCl  Na+ + Cl-
H2O  H+ + OH-
 Preferências de descarga: H+ e Cl-. Portanto:
Polo positivo: 2 Cl-  Cl2(g) + 2e-
Polo negativo: 2 H+ + 2e-  H2(g)
Eletrólise em Solução Aquosa
 Definindo a reação global:
 1º passo: Identificar as reações iniciais de dissociação: NaCl
 Na+ + Cl- ; H2O  H+ + OH-
 2º passo: Identificar as reações dos polos: 2 Cl-  Cl2(g) +
2e- ; 2 H+ + 2e-  H2(g)
 3º passo: Somam-se as quatro reações.
Eletrólise em Solução Aquosa
2NaCl  2Na+ + 2Cl-
2H2O  2H+ + 2OH-
2Cl-  Cl2(g) + 2e-
2H+ + 2e-  H2(g)
---------------------------------
 Reação global: 2NaCl + 2H2O  Cl2 + H2 + NaOH
Eletrólise em Solução Aquosa
Exercícios
Exercícios
Dados os eletrodos da pilha no exercício anterior, calcule o
potencial elétrico da mesma, utilizando a tabela de
potenciais-padrão do eletrodo.
Resposta:
2Ag+ + 2e-  2Ag E0
catodo = +0,80V (x2) = 1,60V
Cu  Cu2+ + 2e- E0
anodo = +2,87V
------------------------------------------------------
2Ag+ + Cu  2Ag + Cu2+
ΔE0 = E0
anodo – E0
catodo  ΔE0 = 1,60 – 2,87 = -1,27V
Exercícios
Seguindo os passos para obter a reação global de eletrólise
em solução aquosa de uma substância, obtenha a reação
global do H2SO4.
Exercícios
Em uma célula eletroquímica, ocorre a seguinte reação
espontânea:
Fe2+ (aq) + Ag+ (aq)  Ag(s) + Fe3+ (aq) ΔE0 = + 0,028V
O que acontece na reação se for instalada, na corrente
elétrica, uma fonte externa de 0,030V?
Revisão
Pra vocês a eletroquímica eu vou ensinar
Não adianta fazer música se eu não rimar
E essa não é matéria pra se decorar, é para entender
Que numa pilha a gente tem dois diferentes lados
O anodo é o polo negativo e fica oxidado
O seu eletrodo fica um tanto corroído
E o catodo fica lá, reduzido
Já que o anodo é negativo, o catodo é positivo
Se “solução” fosse macho, “ficaria diluído”
O anodo é ainda mais chique que doutor
Não é à toa que o chamam de agente redutor
O catodo não fica atrás nem por um instante
Tanto é que o chamam de agente oxidante
Mas a brincadeira agora vai mudar
Na eletrólise, com o gerador, a gente inverte a reação
Pode ser ígnea ou em solução
Aqui, o que muda, são os polos, meus amigos
O catodo é negativo e o anodo positivo
E pra saber a reação global da “em solução”
Identifique as reações de dissociação
E a dos polos também precisam ser identificadas
Pra que no fim, todas sejam somadas
Bibliografia
 FELTRE, Ricardo. Química: vol. 2. 6ª ed. São Paulo: Moderna,
2004. 418 p.
 SUZUKI, Ricardo. Ligações químicas: Introdução. 2007.
Disponível em:
<http://www.passeiweb.com/estudos/sala_de_aula/quimica/li
gacoes_quimicas_aula_1>. Acesso em: 02 mai. 2015, 17:32:00.
 ROCHA, Jennifer. Exercícios sobre a Pilha de Daniell. Disponível
em: <http://exercicios.brasilescola.com/exercicios-
quimica/exercicios-sobre-pilha-daniell.htm>. Acesso em: 03
mai. 2015, 20:15:00.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Pilhas (básico)
Pilhas (básico)Pilhas (básico)
Pilhas (básico)
 
Eletroquimica e eletrolise
Eletroquimica e eletroliseEletroquimica e eletrolise
Eletroquimica e eletrolise
 
Solubilidade
SolubilidadeSolubilidade
Solubilidade
 
Oxirreducao
OxirreducaoOxirreducao
Oxirreducao
 
Deslocamento de Equilíbrio
Deslocamento de EquilíbrioDeslocamento de Equilíbrio
Deslocamento de Equilíbrio
 
Número de oxidação (Nox)
Número de oxidação (Nox)Número de oxidação (Nox)
Número de oxidação (Nox)
 
Cinetica quimica
Cinetica quimicaCinetica quimica
Cinetica quimica
 
Soluções e Solubilidade
Soluções e SolubilidadeSoluções e Solubilidade
Soluções e Solubilidade
 
Equilíbrio iônico
Equilíbrio iônicoEquilíbrio iônico
Equilíbrio iônico
 
Aula Digital de Química - Condutividade Elétrica de Soluções Aquosas
Aula Digital de Química - Condutividade Elétrica de Soluções AquosasAula Digital de Química - Condutividade Elétrica de Soluções Aquosas
Aula Digital de Química - Condutividade Elétrica de Soluções Aquosas
 
Oxirredução
Oxirredução Oxirredução
Oxirredução
 
Aula funções oxigenadas
Aula  funções oxigenadasAula  funções oxigenadas
Aula funções oxigenadas
 
Propriedades coligativas
Propriedades coligativasPropriedades coligativas
Propriedades coligativas
 
Reações Químicas
Reações QuímicasReações Químicas
Reações Químicas
 
Eletroquímica
EletroquímicaEletroquímica
Eletroquímica
 
Termoquímica
TermoquímicaTermoquímica
Termoquímica
 
Quimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEsQuimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEs
 
Aula Digital de Química - Ácidos e Bases
Aula Digital de Química - Ácidos e BasesAula Digital de Química - Ácidos e Bases
Aula Digital de Química - Ácidos e Bases
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
 
Estequiometria
EstequiometriaEstequiometria
Estequiometria
 

Semelhante a Eletroquímica

Apostila de Química
Apostila de QuímicaApostila de Química
Apostila de QuímicaFelicio1956
 
Aula de Eletroquímica
Aula de Eletroquímica Aula de Eletroquímica
Aula de Eletroquímica Felicio1956
 
Apostila de Química
Apostila de QuímicaApostila de Química
Apostila de QuímicaFelicio1956
 
Eletroquimica 2 em[1]
Eletroquimica 2 em[1]Eletroquimica 2 em[1]
Eletroquimica 2 em[1]leveson
 
Aula i fbaiano_eletroquimica
Aula i fbaiano_eletroquimicaAula i fbaiano_eletroquimica
Aula i fbaiano_eletroquimicaSaulo Luis Capim
 
Equilibrio oxidação e redução
Equilibrio oxidação e  reduçãoEquilibrio oxidação e  redução
Equilibrio oxidação e reduçãoAdrianne Mendonça
 
Eletroquímica eletrólise
Eletroquímica   eletróliseEletroquímica   eletrólise
Eletroquímica eletróliseQuimica Ensino
 
Eletroquímica: pilha e eletrólise - Prof. Fernando Abreu
Eletroquímica: pilha e eletrólise - Prof. Fernando AbreuEletroquímica: pilha e eletrólise - Prof. Fernando Abreu
Eletroquímica: pilha e eletrólise - Prof. Fernando AbreuFernando Abreu
 
Aulão-Primandade-Química-Mychel-Eletroquimica-AULAO-02-06.pptx
Aulão-Primandade-Química-Mychel-Eletroquimica-AULAO-02-06.pptxAulão-Primandade-Química-Mychel-Eletroquimica-AULAO-02-06.pptx
Aulão-Primandade-Química-Mychel-Eletroquimica-AULAO-02-06.pptxsintiasousa3
 
Relatório pilhas e eletrólise
Relatório pilhas e eletrólise Relatório pilhas e eletrólise
Relatório pilhas e eletrólise Railane Freitas
 
Química - Eletrólise
Química - EletróliseQuímica - Eletrólise
Química - EletróliseCarson Souza
 
Eletroquímica - células eletrolíticas
Eletroquímica  -  células eletrolíticasEletroquímica  -  células eletrolíticas
Eletroquímica - células eletrolíticasstagewd
 

Semelhante a Eletroquímica (20)

Apostila de Química
Apostila de QuímicaApostila de Química
Apostila de Química
 
Aula de Eletroquímica
Aula de Eletroquímica Aula de Eletroquímica
Aula de Eletroquímica
 
Apostila de Química
Apostila de QuímicaApostila de Química
Apostila de Química
 
Leveson
LevesonLeveson
Leveson
 
Aula+escrita+eletrólise
Aula+escrita+eletróliseAula+escrita+eletrólise
Aula+escrita+eletrólise
 
Leveson
LevesonLeveson
Leveson
 
Eletroquimica 2 em[1]
Eletroquimica 2 em[1]Eletroquimica 2 em[1]
Eletroquimica 2 em[1]
 
Aula i fbaiano_eletroquimica
Aula i fbaiano_eletroquimicaAula i fbaiano_eletroquimica
Aula i fbaiano_eletroquimica
 
Eletroquimica
EletroquimicaEletroquimica
Eletroquimica
 
Equilibrio oxidação e redução
Equilibrio oxidação e  reduçãoEquilibrio oxidação e  redução
Equilibrio oxidação e redução
 
Pr tica 9
Pr tica 9Pr tica 9
Pr tica 9
 
Eletrólise_ Fundamentos
Eletrólise_ FundamentosEletrólise_ Fundamentos
Eletrólise_ Fundamentos
 
Eletroquímica eletrólise
Eletroquímica   eletróliseEletroquímica   eletrólise
Eletroquímica eletrólise
 
Eletroquimica
EletroquimicaEletroquimica
Eletroquimica
 
Eletroquímica: pilha e eletrólise - Prof. Fernando Abreu
Eletroquímica: pilha e eletrólise - Prof. Fernando AbreuEletroquímica: pilha e eletrólise - Prof. Fernando Abreu
Eletroquímica: pilha e eletrólise - Prof. Fernando Abreu
 
Aulão-Primandade-Química-Mychel-Eletroquimica-AULAO-02-06.pptx
Aulão-Primandade-Química-Mychel-Eletroquimica-AULAO-02-06.pptxAulão-Primandade-Química-Mychel-Eletroquimica-AULAO-02-06.pptx
Aulão-Primandade-Química-Mychel-Eletroquimica-AULAO-02-06.pptx
 
Relatório pilhas e eletrólise
Relatório pilhas e eletrólise Relatório pilhas e eletrólise
Relatório pilhas e eletrólise
 
Química - Eletrólise
Química - EletróliseQuímica - Eletrólise
Química - Eletrólise
 
Eletroquímica
EletroquímicaEletroquímica
Eletroquímica
 
Eletroquímica - células eletrolíticas
Eletroquímica  -  células eletrolíticasEletroquímica  -  células eletrolíticas
Eletroquímica - células eletrolíticas
 

Eletroquímica

  • 2. Introdução: o que é eletroquímica?  A eletroquímica é o estudo das reações químicas envolvendo o que é denominado como eletricidade. As reações podem produzir eletricidade ou, pelo caminho inverso, a eletricidade que leva as reações químicas a acontecerem.
  • 3. Revisão: Oxirredução  Uma reação iônica feita pela transição de elétrons;  Ganho de elétrons de um componente da reação e perda de elétrons de outro;  Ganho de elétrons = redução; perda de elétrons = oxidação.
  • 4. Revisão: Oxirredução Na (s) + Cl (g)  2 NaCl (s)  Na perde elétron (ganha carga positiva) para o Cl (ganha carga negativa) e assim se forma a ligação.  Na oxida por causa de Cl, portanto Cl é o agente oxidante; Cl reduz por causa de Na, então Na é o agente redutor.
  • 5. Revisão: Oxirredução Resumindo:  Oxidação = perda de elétrons;  Redução = ganho de elétrons;  Oxirredução = reação onde há redução e oxidação ao mesmo tempo;  Agente oxidante = o reagente que provoca a oxidação;  Agente redutor = o reagente que provoca a redução.
  • 6. Revisão: Oxirredução Regras dos Números de Oxidação 1ª regra O número de oxidação de um elemento ou substância simples é sempre zero 2ª regra O número de oxidação do hidrogênio é, na maioria dos casos, igual a +1 3ª regra O número de oxidação do oxigênio é, na maioria dos casos, -2 4ª regra Metais alcalinos e alcalino-terrosos apresentam, respectivamente, NOX +1 e +2 5ª regra Determinados apresentam NOX fixo. São eles: Ag = +1; Zn = +2; Al = +3; F, Cl, Br e I = -1 6ª regra O somatório do NOX dos elementos, em substâncias sem carga, sempre será igual à zero. No caso de íons, o resultado do somatório será esta carga.
  • 7. Revisão: Oxirredução  Exemplo: Calcule o NOX dos elementos das seguintes substâncias: 1. FeCl3 2. H3PO4 3. HNO3 4. SO4 -2
  • 8. Células Galvânicas  Também conhecidas como Células Eletroquímicas;  Reações espontâneas;  As reações químicas geram energia elétrica.
  • 10. Células Galvânicas  No experimento demonstrado, ocorreu uma reação de substituição: Zn0 + CuSO4  ZnSO4 + Cu0  Simplificando-a: Zn0 + Cu2+  Zn2+ + Cu0
  • 11. Células Galvânicas  A carga de Zn aumentou: oxidou-se/é o agente redutor Zn0  Zn2+ + 2e-  A carga de Cu diminuiu: reduziu-se/é o agente oxidante Cu2+ + 2e-  Cu0
  • 12. Células Galvânicas  Para que se monte uma pilha baseada nesse exemplo, é feito o seguinte esquema:
  • 13. Células Galvânicas  Ou ainda, com a ponte salina:
  • 14. Células Galvânicas  A pilha após um tempo de funcionamento:
  • 15. Células Galvânicas  Resumindo, neste caso, ocorre a mesma reação de substituição apresentada antes: Zn0 + CuSO4  ZnSO4 + Cu0  Cu reduz-se. O eletrodo que sofre redução é chamado de catodo, e é o polo positivo;  Zn sofre oxidação, portanto é chamado de anodo, e é o polo negativo.  Os elétrons fluem do polo negativo (anodo) ao polo positivo (catodo).
  • 16. Células Eletrolíticas  Enquanto as células galvânicas se baseiam no conceito de transformar energia química em energia elétrica, nas células eletrolíticas ocorre processo conhecido como o caminho inverso à este: a eletrólise. A reação, aqui, é provocada pela corrente elétrica.
  • 17. Células Eletrolíticas  Exemplo: deseja-se realizar o inverso da seguinte reação: Na + Cl  NaCl. Sabe-se que seu potencial elétrico é de 1,35 V. Porém, como se obteve esse valor?  Para calcular o valor da energia potencial elétrica dos eletrodos, consulta-se a tabela dos potenciais-padrão de eletrodo. A energia potencial elétrica dos eletrodos é a diferença entre o potencial elétrico do anodo e o potencial elétrico do catodo.
  • 18.
  • 19. Células Eletrolíticas  Matematicamente: ΔE0 (força eletromotriz) = E0 anodo – E0 catodo  Aplicando os valores na fórmula: ΔE0 = -1,36 – (-2,71) = 1,35 V  Esta será a potencia elétrica necessária para que se possa realizar a eletrólise.
  • 20. Células Eletrolíticas  A potência elétrica desejada é obtida através de um gerador:
  • 21. Células Eletrolíticas  A eletrólise apresenta determinados pré-requisitos para ser feita  A energia fornecida pelo gerador deve ser constante e igual ou superior ao potencial elétrico da substância em questão;  Há necessidade de estímulo na mobilidade dos íons por fusão (eletrólise ígnea) ou por dissolução em solução (eletrólise em solução)
  • 22. Eletrólise Ígnea  Gerador com maior potencial elétrico que o dos eletrodos;  É feita a fusão completa da substância para que haja liberdade no movimento dos íons;  No caso do exemplo do NaCl:  Funde-se à 808ºC  Gerador com potência de 1,35V
  • 23. Eletrólise Ígnea Esquema da Eletrólise Ígnea
  • 24. Eletrólise Ígnea  As reações: Catodo/polo negativo/reação de redução: Na+ + e-  Na Anodo/polo positivo/reação de oxidação: Cl-  ½ Cl2 + e- Somando as reações, se tem: Na+ + Cl-  Na + ½ Cl2.  O fluxo de elétrons é do polo negativo (catodo) ao polo positivo (anodo).
  • 25. Eletrólise em Solução Aquosa  Gerador com potencial superior ao dos eletrodos;  Faz uso do composto que se quer provocar a eletrólise em solução aquosa;  A dissociação da água também participa da reação.
  • 26. Eletrólise em Solução Aquosa  Pode-se prever quem será mais facilmente descarregado através da fila das tensões eletrolíticas:
  • 27. Eletrólise em Solução Aquosa  Reações de dissociação: NaCl  Na+ + Cl- H2O  H+ + OH-  Preferências de descarga: H+ e Cl-. Portanto: Polo positivo: 2 Cl-  Cl2(g) + 2e- Polo negativo: 2 H+ + 2e-  H2(g)
  • 28. Eletrólise em Solução Aquosa  Definindo a reação global:  1º passo: Identificar as reações iniciais de dissociação: NaCl  Na+ + Cl- ; H2O  H+ + OH-  2º passo: Identificar as reações dos polos: 2 Cl-  Cl2(g) + 2e- ; 2 H+ + 2e-  H2(g)  3º passo: Somam-se as quatro reações.
  • 29. Eletrólise em Solução Aquosa 2NaCl  2Na+ + 2Cl- 2H2O  2H+ + 2OH- 2Cl-  Cl2(g) + 2e- 2H+ + 2e-  H2(g) ---------------------------------  Reação global: 2NaCl + 2H2O  Cl2 + H2 + NaOH
  • 32. Exercícios Dados os eletrodos da pilha no exercício anterior, calcule o potencial elétrico da mesma, utilizando a tabela de potenciais-padrão do eletrodo. Resposta: 2Ag+ + 2e-  2Ag E0 catodo = +0,80V (x2) = 1,60V Cu  Cu2+ + 2e- E0 anodo = +2,87V ------------------------------------------------------ 2Ag+ + Cu  2Ag + Cu2+ ΔE0 = E0 anodo – E0 catodo  ΔE0 = 1,60 – 2,87 = -1,27V
  • 33. Exercícios Seguindo os passos para obter a reação global de eletrólise em solução aquosa de uma substância, obtenha a reação global do H2SO4.
  • 34. Exercícios Em uma célula eletroquímica, ocorre a seguinte reação espontânea: Fe2+ (aq) + Ag+ (aq)  Ag(s) + Fe3+ (aq) ΔE0 = + 0,028V O que acontece na reação se for instalada, na corrente elétrica, uma fonte externa de 0,030V?
  • 35. Revisão Pra vocês a eletroquímica eu vou ensinar Não adianta fazer música se eu não rimar E essa não é matéria pra se decorar, é para entender Que numa pilha a gente tem dois diferentes lados O anodo é o polo negativo e fica oxidado O seu eletrodo fica um tanto corroído E o catodo fica lá, reduzido Já que o anodo é negativo, o catodo é positivo Se “solução” fosse macho, “ficaria diluído” O anodo é ainda mais chique que doutor Não é à toa que o chamam de agente redutor O catodo não fica atrás nem por um instante Tanto é que o chamam de agente oxidante Mas a brincadeira agora vai mudar Na eletrólise, com o gerador, a gente inverte a reação Pode ser ígnea ou em solução Aqui, o que muda, são os polos, meus amigos O catodo é negativo e o anodo positivo E pra saber a reação global da “em solução” Identifique as reações de dissociação E a dos polos também precisam ser identificadas Pra que no fim, todas sejam somadas
  • 36. Bibliografia  FELTRE, Ricardo. Química: vol. 2. 6ª ed. São Paulo: Moderna, 2004. 418 p.  SUZUKI, Ricardo. Ligações químicas: Introdução. 2007. Disponível em: <http://www.passeiweb.com/estudos/sala_de_aula/quimica/li gacoes_quimicas_aula_1>. Acesso em: 02 mai. 2015, 17:32:00.  ROCHA, Jennifer. Exercícios sobre a Pilha de Daniell. Disponível em: <http://exercicios.brasilescola.com/exercicios- quimica/exercicios-sobre-pilha-daniell.htm>. Acesso em: 03 mai. 2015, 20:15:00.