SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Colégio Souza Leão
Quase deuses – resumo
Recife – 2015
Matheus Phelipe Alves Pinto
Quase deuses – resumo
Recife – 2015
Resumo ministrado pelo
professor Sóstenes França,
referido à disciplina de Biologia
para fins avaliativos.
Sumário
1. Qual é a proposta do filme? -------------------------------------------04
2. Ficha técnica--------------------------------------------------------------05
3. O desenrolar--------------------------------------------------------------05
3.1 O preconceito---------------------------------------------------------05
3.2 A síndrome do Bebê Azul------------------------------------------05
3.3 O reconhecimento tardio ------------------------------------------05
4. O que podemos concluir? ----------------------------------------------06
Qual é a proposta do filme?
Seu principal objetivo é retratar a uma épocaque a ciência
estava em uma crescente fase de descobertas cientificas para conferir os
melhores avanços. Já havia o pensamento de fundir a ciência e a
tecnologia, melhorando o tratamento de doenças e de novos processosde
intervenção cirúrgica.
Além disso, o preconceito racial se mostrava bem expressivo nessa
época– os negros não podiam frequentar os mesmos lugares que os
brancos e muito menos tinham boas oportunidades para obter
conhecimento. Em contrapartida, a trama mostra a reviravolta ocorrida pelo
faxineiro negro Vivian Thomas.
Ficha técnica – Quase deuses (2004)
O desenrolar
Thomas era negro, carpinteiro e alimentava o grande sonho de ser
médico. Com isso, juntava suas economias, lia livros e, por consequência, adquiriu
muitos conhecimentos sem ao menos ter cursado algum curso do gênero
pretendido. Thomas consegue um emprego de faxineiro na clínica do Doutor
Alfred Blalock – médico pesquisador que realizava experimentos em animais. Lá
na clínica Vivian pôde mostrar suas habilidades médicas, chamando a atenção do
Doutor, começando então, a auxilia-lo como técnico de laboratório. Sua mente era
brilhante, Thomas trabalhava em prol da medicina. Blalock era ambicioso, queria
mais reconhecimento pelo seu trabalho que havia formulado. Juntos, desafiaram
regras, realizaram várias experiências, inclusive na tentativa de descobrir a melhor
maneira de realizar cirurgias cardíacas, derrubando o mito do “coração intocável”.
Ao longo do filme, Thomas sofrediversos preconceitos,por ser negro e por não
ter nenhum diploma médico para atuar legalmente, ele realizava os experimentos
com sucesso e não obtinha nenhum reconhecimento satisfatório – nem mesmo do
Doutor Blalock.
Ambos, apesar de diferentes quanto a raça e a classe, trabalhavam juntos no
caso da síndrome do Bebê Azul, onde foram assistidos por toda a comunidade
médica na realização da primeira intervenção cardíaca do mundo. Ao final dela,
Blalock recebeu todos os méritos do sucesso enquanto Thomas nem chegou a ser
mencionado. Decepcionado, pensou em largar tudo, porém não se abateu, mesmo
traído pelo próprio colega.
Sem nenhuma formação, Thomas atuou como um dos melhores profissionais,
revolucionando a história da medicina. Foi reconhecido anos depois, já velho,
recebendo um título importante e ficando consagrado no rol dos médicos mais
talentosos e importantes diante todos os preconceitos, normas e padrões obsoletos
impostos pela sociedade da época.
Dirigido por Joseph Sargent
Com
Kyra Sedgwick, Alan
Rickman, Charles S. Dutton mais
Gênero Biografia, Drama
Nacionalidade EUA
O que podemos concluir?
O filme buscafundir as tentativas de avanços científicos e as questões
preconceituosas da época. Com isso, observamos as dificuldades
encontradas pelos médicos negros e pobres em ter boas oportunidades para
estudar e ocuparcargos merecidos – a importância do diploma se torna algo
exclusivamente excludente. Observamos a garra de Thomas, que mesmo
tendo tantas decepções, não desiste de seus sonhos. A dificuldade que um
profissional tem em ser reconhecido pelo que faz é extremamente restritiva
quando se trata de algo inovador. A união e as experiências mostraram-se
fundamentais para o sucesso de seus estudos demonstrando que o talento, a
ousadia, a força e a perseverança não são impossíveis pois Vivian Thomas
sem muitas oportunidades nem conhecimento cientifico conseguiu
revolucionar a medicina, desafiando regras e tradições de uma época,
continuando firme até a sua realização ser evidente.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015
Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015
Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015Proqualis
 
Relatório de estágio
Relatório de estágioRelatório de estágio
Relatório de estágioRosane Garcia
 
Tcc a atuação do enfermeiro na prevenção do câncer de mama na atenção primária
Tcc   a atuação do enfermeiro na prevenção do câncer de mama na atenção primáriaTcc   a atuação do enfermeiro na prevenção do câncer de mama na atenção primária
Tcc a atuação do enfermeiro na prevenção do câncer de mama na atenção primáriaFernanda Silva
 
Medicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. Rilva
Medicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. RilvaMedicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. Rilva
Medicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. RilvaRilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De PesquisaComo Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisamauricio aquino
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do pacienteHIAGO SANTOS
 
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemFernando Dias
 
Resenha uma mente brilhante
Resenha uma mente brilhanteResenha uma mente brilhante
Resenha uma mente brilhanteFlávia Nolasco
 
Pse - Programa Saúde na Escola
Pse - Programa Saúde na EscolaPse - Programa Saúde na Escola
Pse - Programa Saúde na EscolaAna Luzia
 
Relatório do filme sicko
Relatório do filme sickoRelatório do filme sicko
Relatório do filme sickoAlex Jonathan
 

Mais procurados (20)

Resenha de filme pdf
Resenha de filme   pdfResenha de filme   pdf
Resenha de filme pdf
 
Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015
Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015
Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015
 
Florence Nightingale
Florence NightingaleFlorence Nightingale
Florence Nightingale
 
Relatório de estágio
Relatório de estágioRelatório de estágio
Relatório de estágio
 
Tcc a atuação do enfermeiro na prevenção do câncer de mama na atenção primária
Tcc   a atuação do enfermeiro na prevenção do câncer de mama na atenção primáriaTcc   a atuação do enfermeiro na prevenção do câncer de mama na atenção primária
Tcc a atuação do enfermeiro na prevenção do câncer de mama na atenção primária
 
Medicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. Rilva
Medicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. RilvaMedicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. Rilva
Medicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. Rilva
 
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De PesquisaComo Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
 
Apresentação acidente vascular cerebral
Apresentação acidente vascular cerebralApresentação acidente vascular cerebral
Apresentação acidente vascular cerebral
 
Segurança do Paciente em Pediatria
Segurança do Paciente em PediatriaSegurança do Paciente em Pediatria
Segurança do Paciente em Pediatria
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do paciente
 
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da Enfermagem
 
Aula vacina esus
Aula vacina esusAula vacina esus
Aula vacina esus
 
Humanização
 Humanização Humanização
Humanização
 
Principios da bioetica
Principios da bioeticaPrincipios da bioetica
Principios da bioetica
 
Saúde do Adulto: enfermagem
Saúde do Adulto: enfermagemSaúde do Adulto: enfermagem
Saúde do Adulto: enfermagem
 
Resenha uma mente brilhante
Resenha uma mente brilhanteResenha uma mente brilhante
Resenha uma mente brilhante
 
Apresentando TCC
Apresentando TCCApresentando TCC
Apresentando TCC
 
Pse - Programa Saúde na Escola
Pse - Programa Saúde na EscolaPse - Programa Saúde na Escola
Pse - Programa Saúde na Escola
 
Relatorio 1
Relatorio 1Relatorio 1
Relatorio 1
 
Relatório do filme sicko
Relatório do filme sickoRelatório do filme sicko
Relatório do filme sicko
 

Destaque

Analise critica do filme o contador de história
Analise critica do filme o contador de históriaAnalise critica do filme o contador de história
Analise critica do filme o contador de históriapretaaline
 
Resenha crítica modelo
Resenha crítica   modeloResenha crítica   modelo
Resenha crítica modelotaise_paz
 
Critica ao filme Uma Verdade Inconveniente
Critica ao filme Uma Verdade InconvenienteCritica ao filme Uma Verdade Inconveniente
Critica ao filme Uma Verdade InconvenienteValmir Almenara
 
Resenha critica do filme o clube do imperador
Resenha critica do filme   o clube do imperadorResenha critica do filme   o clube do imperador
Resenha critica do filme o clube do imperadormarioferreiraneto
 
Exemplo de Capa e contra capa
Exemplo de Capa e contra capaExemplo de Capa e contra capa
Exemplo de Capa e contra capaFulgêncio Artur
 
Resenha acadêmica
Resenha acadêmicaResenha acadêmica
Resenha acadêmicamegainfoin
 

Destaque (6)

Analise critica do filme o contador de história
Analise critica do filme o contador de históriaAnalise critica do filme o contador de história
Analise critica do filme o contador de história
 
Resenha crítica modelo
Resenha crítica   modeloResenha crítica   modelo
Resenha crítica modelo
 
Critica ao filme Uma Verdade Inconveniente
Critica ao filme Uma Verdade InconvenienteCritica ao filme Uma Verdade Inconveniente
Critica ao filme Uma Verdade Inconveniente
 
Resenha critica do filme o clube do imperador
Resenha critica do filme   o clube do imperadorResenha critica do filme   o clube do imperador
Resenha critica do filme o clube do imperador
 
Exemplo de Capa e contra capa
Exemplo de Capa e contra capaExemplo de Capa e contra capa
Exemplo de Capa e contra capa
 
Resenha acadêmica
Resenha acadêmicaResenha acadêmica
Resenha acadêmica
 

Semelhante a Quase deuses - resumo

Comunicação de má notícias - Como sistematizar?
Comunicação de má notícias - Como sistematizar?Comunicação de má notícias - Como sistematizar?
Comunicação de má notícias - Como sistematizar?Daniel Valente
 
Atlas fotográfico de Anatomia.pdf
Atlas fotográfico de Anatomia.pdfAtlas fotográfico de Anatomia.pdf
Atlas fotográfico de Anatomia.pdfAlineLopesRJ
 
Por detrás do último ato da ciência espetáculo as células-tronco embrionárias
Por detrás do último ato da ciência espetáculo as células-tronco embrionáriasPor detrás do último ato da ciência espetáculo as células-tronco embrionárias
Por detrás do último ato da ciência espetáculo as células-tronco embrionáriasThuane Sales
 
Aula evidências prm 2012
Aula evidências prm 2012Aula evidências prm 2012
Aula evidências prm 2012enofilho
 
Dossier de pré-produção
Dossier de pré-produçãoDossier de pré-produção
Dossier de pré-produçãoSara Faria
 
Dossier Pré-Produção
 Dossier Pré-Produção Dossier Pré-Produção
Dossier Pré-ProduçãoCarinaAfonso27
 

Semelhante a Quase deuses - resumo (7)

Comunicação de má notícias - Como sistematizar?
Comunicação de má notícias - Como sistematizar?Comunicação de má notícias - Como sistematizar?
Comunicação de má notícias - Como sistematizar?
 
Atlas fotográfico de Anatomia.pdf
Atlas fotográfico de Anatomia.pdfAtlas fotográfico de Anatomia.pdf
Atlas fotográfico de Anatomia.pdf
 
Por detrás do último ato da ciência espetáculo as células-tronco embrionárias
Por detrás do último ato da ciência espetáculo as células-tronco embrionáriasPor detrás do último ato da ciência espetáculo as células-tronco embrionárias
Por detrás do último ato da ciência espetáculo as células-tronco embrionárias
 
Aula evidências prm 2012
Aula evidências prm 2012Aula evidências prm 2012
Aula evidências prm 2012
 
Dossier de pré-produção
Dossier de pré-produçãoDossier de pré-produção
Dossier de pré-produção
 
Dossier Pré-Produção
 Dossier Pré-Produção Dossier Pré-Produção
Dossier Pré-Produção
 
Prata Coloidal
Prata ColoidalPrata Coloidal
Prata Coloidal
 

Mais de Matheus Alves

Estudo bíblico - Feridas na alma
Estudo bíblico - Feridas na almaEstudo bíblico - Feridas na alma
Estudo bíblico - Feridas na almaMatheus Alves
 
Inglês - Cronograma de estudos e gramática
Inglês - Cronograma de estudos e gramáticaInglês - Cronograma de estudos e gramática
Inglês - Cronograma de estudos e gramáticaMatheus Alves
 
Sustentabilidade - resumo (Pablo Pessoa)
Sustentabilidade - resumo (Pablo Pessoa)Sustentabilidade - resumo (Pablo Pessoa)
Sustentabilidade - resumo (Pablo Pessoa)Matheus Alves
 
Links úteis para estudar a bíblia
Links úteis para estudar a bíbliaLinks úteis para estudar a bíblia
Links úteis para estudar a bíbliaMatheus Alves
 
Técnicas assistivas - seminário(diabetes)
Técnicas assistivas - seminário(diabetes)Técnicas assistivas - seminário(diabetes)
Técnicas assistivas - seminário(diabetes)Matheus Alves
 
Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 2
Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 2Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 2
Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 2Matheus Alves
 
Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 3
Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 3Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 3
Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 3Matheus Alves
 
Resumo - CAP1 - As regras do método sociológico[Durkheim]
Resumo - CAP1 - As regras do método sociológico[Durkheim]Resumo - CAP1 - As regras do método sociológico[Durkheim]
Resumo - CAP1 - As regras do método sociológico[Durkheim]Matheus Alves
 
Linguagem C - Arquivos [exercícios]
Linguagem C - Arquivos [exercícios]Linguagem C - Arquivos [exercícios]
Linguagem C - Arquivos [exercícios]Matheus Alves
 
Linguagem C - Alocação Dinâmica [exercícios]
Linguagem C - Alocação Dinâmica [exercícios]Linguagem C - Alocação Dinâmica [exercícios]
Linguagem C - Alocação Dinâmica [exercícios]Matheus Alves
 
Linguagem C - Ponteiros [exercícios]
Linguagem C - Ponteiros [exercícios]Linguagem C - Ponteiros [exercícios]
Linguagem C - Ponteiros [exercícios]Matheus Alves
 
Linguagem C - Recursão [exercícios]
Linguagem C - Recursão [exercícios]Linguagem C - Recursão [exercícios]
Linguagem C - Recursão [exercícios]Matheus Alves
 
Linguagem C - Structs [exercícios]
Linguagem C - Structs [exercícios]Linguagem C - Structs [exercícios]
Linguagem C - Structs [exercícios]Matheus Alves
 
Linguagem C - Strings [exercícios]
Linguagem C - Strings [exercícios]Linguagem C - Strings [exercícios]
Linguagem C - Strings [exercícios]Matheus Alves
 
Linguagem C - Vetores e matrizes [exercícios]
Linguagem C - Vetores e matrizes [exercícios]Linguagem C - Vetores e matrizes [exercícios]
Linguagem C - Vetores e matrizes [exercícios]Matheus Alves
 
Linguagem C - Comandos condicionais [exercícios]
Linguagem C - Comandos condicionais [exercícios]Linguagem C - Comandos condicionais [exercícios]
Linguagem C - Comandos condicionais [exercícios]Matheus Alves
 
Diferença entre computadores analógicos e digitais
Diferença entre computadores analógicos e digitaisDiferença entre computadores analógicos e digitais
Diferença entre computadores analógicos e digitaisMatheus Alves
 
Silogismo e subjetividade - breve definição
Silogismo e subjetividade - breve definiçãoSilogismo e subjetividade - breve definição
Silogismo e subjetividade - breve definiçãoMatheus Alves
 
Lista de exercícios - vetores(Alguns gabaritos estão errados)
Lista de exercícios -  vetores(Alguns gabaritos estão errados)Lista de exercícios -  vetores(Alguns gabaritos estão errados)
Lista de exercícios - vetores(Alguns gabaritos estão errados)Matheus Alves
 
Matemática elementar volume 7 (Geometria Analítica)
Matemática elementar volume 7 (Geometria Analítica)Matemática elementar volume 7 (Geometria Analítica)
Matemática elementar volume 7 (Geometria Analítica)Matheus Alves
 

Mais de Matheus Alves (20)

Estudo bíblico - Feridas na alma
Estudo bíblico - Feridas na almaEstudo bíblico - Feridas na alma
Estudo bíblico - Feridas na alma
 
Inglês - Cronograma de estudos e gramática
Inglês - Cronograma de estudos e gramáticaInglês - Cronograma de estudos e gramática
Inglês - Cronograma de estudos e gramática
 
Sustentabilidade - resumo (Pablo Pessoa)
Sustentabilidade - resumo (Pablo Pessoa)Sustentabilidade - resumo (Pablo Pessoa)
Sustentabilidade - resumo (Pablo Pessoa)
 
Links úteis para estudar a bíblia
Links úteis para estudar a bíbliaLinks úteis para estudar a bíblia
Links úteis para estudar a bíblia
 
Técnicas assistivas - seminário(diabetes)
Técnicas assistivas - seminário(diabetes)Técnicas assistivas - seminário(diabetes)
Técnicas assistivas - seminário(diabetes)
 
Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 2
Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 2Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 2
Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 2
 
Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 3
Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 3Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 3
Apostila de Cálculo (UFRPE) - Volume 3
 
Resumo - CAP1 - As regras do método sociológico[Durkheim]
Resumo - CAP1 - As regras do método sociológico[Durkheim]Resumo - CAP1 - As regras do método sociológico[Durkheim]
Resumo - CAP1 - As regras do método sociológico[Durkheim]
 
Linguagem C - Arquivos [exercícios]
Linguagem C - Arquivos [exercícios]Linguagem C - Arquivos [exercícios]
Linguagem C - Arquivos [exercícios]
 
Linguagem C - Alocação Dinâmica [exercícios]
Linguagem C - Alocação Dinâmica [exercícios]Linguagem C - Alocação Dinâmica [exercícios]
Linguagem C - Alocação Dinâmica [exercícios]
 
Linguagem C - Ponteiros [exercícios]
Linguagem C - Ponteiros [exercícios]Linguagem C - Ponteiros [exercícios]
Linguagem C - Ponteiros [exercícios]
 
Linguagem C - Recursão [exercícios]
Linguagem C - Recursão [exercícios]Linguagem C - Recursão [exercícios]
Linguagem C - Recursão [exercícios]
 
Linguagem C - Structs [exercícios]
Linguagem C - Structs [exercícios]Linguagem C - Structs [exercícios]
Linguagem C - Structs [exercícios]
 
Linguagem C - Strings [exercícios]
Linguagem C - Strings [exercícios]Linguagem C - Strings [exercícios]
Linguagem C - Strings [exercícios]
 
Linguagem C - Vetores e matrizes [exercícios]
Linguagem C - Vetores e matrizes [exercícios]Linguagem C - Vetores e matrizes [exercícios]
Linguagem C - Vetores e matrizes [exercícios]
 
Linguagem C - Comandos condicionais [exercícios]
Linguagem C - Comandos condicionais [exercícios]Linguagem C - Comandos condicionais [exercícios]
Linguagem C - Comandos condicionais [exercícios]
 
Diferença entre computadores analógicos e digitais
Diferença entre computadores analógicos e digitaisDiferença entre computadores analógicos e digitais
Diferença entre computadores analógicos e digitais
 
Silogismo e subjetividade - breve definição
Silogismo e subjetividade - breve definiçãoSilogismo e subjetividade - breve definição
Silogismo e subjetividade - breve definição
 
Lista de exercícios - vetores(Alguns gabaritos estão errados)
Lista de exercícios -  vetores(Alguns gabaritos estão errados)Lista de exercícios -  vetores(Alguns gabaritos estão errados)
Lista de exercícios - vetores(Alguns gabaritos estão errados)
 
Matemática elementar volume 7 (Geometria Analítica)
Matemática elementar volume 7 (Geometria Analítica)Matemática elementar volume 7 (Geometria Analítica)
Matemática elementar volume 7 (Geometria Analítica)
 

Último

PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamentalgeone480617
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfNoções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfdottoor
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfNoções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 

Quase deuses - resumo

  • 1. Colégio Souza Leão Quase deuses – resumo Recife – 2015
  • 2. Matheus Phelipe Alves Pinto Quase deuses – resumo Recife – 2015 Resumo ministrado pelo professor Sóstenes França, referido à disciplina de Biologia para fins avaliativos.
  • 3. Sumário 1. Qual é a proposta do filme? -------------------------------------------04 2. Ficha técnica--------------------------------------------------------------05 3. O desenrolar--------------------------------------------------------------05 3.1 O preconceito---------------------------------------------------------05 3.2 A síndrome do Bebê Azul------------------------------------------05 3.3 O reconhecimento tardio ------------------------------------------05 4. O que podemos concluir? ----------------------------------------------06
  • 4. Qual é a proposta do filme? Seu principal objetivo é retratar a uma épocaque a ciência estava em uma crescente fase de descobertas cientificas para conferir os melhores avanços. Já havia o pensamento de fundir a ciência e a tecnologia, melhorando o tratamento de doenças e de novos processosde intervenção cirúrgica. Além disso, o preconceito racial se mostrava bem expressivo nessa época– os negros não podiam frequentar os mesmos lugares que os brancos e muito menos tinham boas oportunidades para obter conhecimento. Em contrapartida, a trama mostra a reviravolta ocorrida pelo faxineiro negro Vivian Thomas.
  • 5. Ficha técnica – Quase deuses (2004) O desenrolar Thomas era negro, carpinteiro e alimentava o grande sonho de ser médico. Com isso, juntava suas economias, lia livros e, por consequência, adquiriu muitos conhecimentos sem ao menos ter cursado algum curso do gênero pretendido. Thomas consegue um emprego de faxineiro na clínica do Doutor Alfred Blalock – médico pesquisador que realizava experimentos em animais. Lá na clínica Vivian pôde mostrar suas habilidades médicas, chamando a atenção do Doutor, começando então, a auxilia-lo como técnico de laboratório. Sua mente era brilhante, Thomas trabalhava em prol da medicina. Blalock era ambicioso, queria mais reconhecimento pelo seu trabalho que havia formulado. Juntos, desafiaram regras, realizaram várias experiências, inclusive na tentativa de descobrir a melhor maneira de realizar cirurgias cardíacas, derrubando o mito do “coração intocável”. Ao longo do filme, Thomas sofrediversos preconceitos,por ser negro e por não ter nenhum diploma médico para atuar legalmente, ele realizava os experimentos com sucesso e não obtinha nenhum reconhecimento satisfatório – nem mesmo do Doutor Blalock. Ambos, apesar de diferentes quanto a raça e a classe, trabalhavam juntos no caso da síndrome do Bebê Azul, onde foram assistidos por toda a comunidade médica na realização da primeira intervenção cardíaca do mundo. Ao final dela, Blalock recebeu todos os méritos do sucesso enquanto Thomas nem chegou a ser mencionado. Decepcionado, pensou em largar tudo, porém não se abateu, mesmo traído pelo próprio colega. Sem nenhuma formação, Thomas atuou como um dos melhores profissionais, revolucionando a história da medicina. Foi reconhecido anos depois, já velho, recebendo um título importante e ficando consagrado no rol dos médicos mais talentosos e importantes diante todos os preconceitos, normas e padrões obsoletos impostos pela sociedade da época. Dirigido por Joseph Sargent Com Kyra Sedgwick, Alan Rickman, Charles S. Dutton mais Gênero Biografia, Drama Nacionalidade EUA
  • 6. O que podemos concluir? O filme buscafundir as tentativas de avanços científicos e as questões preconceituosas da época. Com isso, observamos as dificuldades encontradas pelos médicos negros e pobres em ter boas oportunidades para estudar e ocuparcargos merecidos – a importância do diploma se torna algo exclusivamente excludente. Observamos a garra de Thomas, que mesmo tendo tantas decepções, não desiste de seus sonhos. A dificuldade que um profissional tem em ser reconhecido pelo que faz é extremamente restritiva quando se trata de algo inovador. A união e as experiências mostraram-se fundamentais para o sucesso de seus estudos demonstrando que o talento, a ousadia, a força e a perseverança não são impossíveis pois Vivian Thomas sem muitas oportunidades nem conhecimento cientifico conseguiu revolucionar a medicina, desafiando regras e tradições de uma época, continuando firme até a sua realização ser evidente.