Me põem asas II

632 visualizações

Publicada em

Me põem asas é uma série de livretos com poemas de Mate Trotamundo e arte gráfica de Renata Cardamoni. Com textos curtinhos e desenhos poéticos, a série de poemas segue o ritmo que a vida urbana tem: cada poema é uma pilula de efeito imediato, apressado, sem dar chance de pausa entre uma página e outra. Mas não confunda com fast-food: aprecie, são alimentos de alma orgânica.

Este é o segundo livreto da série.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Me põem asas II

  1. 1. Faça seu dever de cidadão: pirateie esse livreto! Copie, tire xerox e distribua livremente. Baixe a versão digital e deixe um recadinho no blog: http://mepoemasas.wordpress.com/ poemas de Mate Trotamundo mmccpp@gmail.com arte e design de Renata Cardamoni re.cardamoni@gmail.com
  2. 2. Sinceras desculpas se sou breve. É século 21, tantas preocupações maiores: Mesmo para quem ousa ter tempo pouco resta de paciência para escrever.
  3. 3. Na tela do notebook tantas janelas abertas e nenhum horizonte...
  4. 4. estudar quando jovem trabalhar enquanto presta turistar no mês de férias descansar após os sessenta. Onde, na segmentação da vida, perdemos a seção de poesia?
  5. 5. cobra-me postura de homem são paulo é moça machista esquece que sou poeta.
  6. 6. No papel impresso, um bicho que era e que não é mais. - Eu o matei.
  7. 7. Agora,quemeresta? Rimavaziaecadenciada Auroradefimdefesta Melancoliaemaisnada.
  8. 8. rima pobre, poema vadio. poema nobre, verso vazio.
  9. 9. Digo romântico "não há ninguém como você" soo canalha "não há ninguém como você"
  10. 10. Para os conservadores, somos, homo sapiens: por isso, pouco humano. nada animal muito gente
  11. 11. Espelho lho devolve de reflexo: Vai idade, vaidade... Vaidade dá de cara com espelho e diz: Vai, idade! Vai, idade!
  12. 12. tu alegas razão eu alegro coração
  13. 13. cabelelero cabeleleiro cabelereiro cablereiro caberereiro cabeleirero Corta logo esse cabelo!
  14. 14. não tolerando as estrelas curvei os olhos ao chão maldita, entre mar e areia te vi.
  15. 15. Ela amava ternura, camisura de linho e gravatura.
  16. 16. És Leda ilusão ledo engano erro ledo alegre desvio do bom caminho.
  17. 17. Quando ninguém prestava culto e o bispo fechado preparava o salão não se ouviu, mas o microfone testou: - Dízimo, dízimo, dízimo!
  18. 18. Casamento em dois atos: Pregação e pegação.
  19. 19. em busca do diferente http://saiadosistema.blog.br/ O "Saia do Sistema" é um projeto que mistura jornalismo e cicloviagem. A partir de agosto de 2012, serão dois anos viajando de bicicleta pela América do Sul, em busca de personagens e iniciativas que representem algum tipo de mudança em nossa sociedade. Saiba mais e apoie!
  20. 20. Mais escritor que jornalista e mais cidadão da estrada que escritor, Me põem asas é, não um livreto de poesias, mas uma muleta para que Mate Trotamundo possa realizar suas viagens.

×