VÍRUS       Os vírus são seres muito simples e pequenos (medem menos de 0,2µm), formados basicamente por uma cápsula prote...
São as moléculas de proteínas virais que determinam qual tipo de célulao vírus irá infectar. Geralmente, o grupo de célula...
qualquer atividade biossintética. Eles obviamente se reproduzem, masdiferentemente de células, que crescem, duplicam seu c...
qualquer definição provavelmente será evasiva ou arbitrária, dificultando assimuma definição exata a respeito dos vírus.  ...
A     região   ocupada      pelo   cromossomo    bacteriano   costuma    serdenominadanucleóide. Externamente à membrana p...
noturna    Cólera       VibrioCholerae   Contaminação Forte diarréia,                                  fecal da água      ...
Protozoários ameboides – deslocando-se e capturando alimentos através depseudópodes. Na classificação tradicional tratado ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Vírus

1.139 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.139
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vírus

  1. 1. VÍRUS Os vírus são seres muito simples e pequenos (medem menos de 0,2µm), formados basicamente por uma cápsula proteica envolvendo o materialgenético, que, dependendo do tipo de vírus, pode ser o DNA, RNA ou os doisjuntos (citomegalovírus). A palavra vírus vem do Latim vírus que significa fluídovenenoso outoxina. Atualmente é utilizada para descrever os vírus biológicos,além de designar, metaforicamente, qualquer coisa que se reproduza de formaparasitária, como ideias. O termo vírus de computador nasceu por analogia. Apalavra vírion ou víron é usada para se referir a uma única partícula viral queestiver fora da célula hospedeira. Das 1.739.600 espécies de seres vivos conhecidos, os vírusrepresentam 3.600 espécies. Vírus é uma partícula basicamente proteica que pode infectarorganismos vivos. Vírus são parasitas obrigatórios do interior celular e issosignifica que eles somente se reproduzem pela invasão e possessão docontrole da maquinaria de auto-reprodução celular. O termo vírus geralmenterefere-se às partículas que infectam eucariontes (organismos cujas células têmcarioteca), enquanto o termo bacteriófago ou fago é utilizado para descreveraqueles que infectamprocariontes (domínios bacteria e archaea). Tipicamente, estas partículas carregam uma pequena quantidade deácido nucleico (seja DNA ou RNA, ou os dois) sempre envolto por uma cápsulaproteica denominada capsídeo. As proteínas que compõe o capsídeo sãoespecíficas para cada tipo de vírus. O capsídeo mais o ácido nucleico que eleenvolve são denominados nucleocapsídeo. Alguns vírus são formados apenaspelo núcleo capsídeo, outros no entanto, possuem um envoltório ou envelopeexterno ao nucleocapsídeo. Esses vírus são denominados vírus encapsuladosou envelopados. O envelope consiste principalmente em duas camadas de lipídiosderivadas da membrana plasmática da célula hospedeira e em moléculas deproteínas virais, específicas para cada tipo de vírus, imersas nas camadas delipídios.
  2. 2. São as moléculas de proteínas virais que determinam qual tipo de célulao vírus irá infectar. Geralmente, o grupo de células que um tipo de vírus infectaé bastante restrito. Existem vírus que infectam apenas bactérias,denominadas bacteriófagos, os que infectam apenas fungos, denominadosmicófagos; os que infectam as plantas e os que infectam os animais,denominados, respectivamente, vírus de plantas e vírus de animais. ESQUEMA DO VÍRUS HIV Os vírus não são constituídos por células, embora dependam delas paraa sua multiplicação. Alguns vírus possuem enzimas. Por exemplo o HIV tem aenzima Transcriptase reversa que faz com que o processo de Transcriçãoreversa seja realizado (formação de DNA a partir do RNA viral). Esse processode se formar DNA a partir de RNA viral é denominado retrotranscrição, o quedeu o nome retrovírus aos vírus que realizam esse processo. Os outros vírusque possuem DNA fazem o processo de transcrição (passagem da linguagemde DNA para RNA) e só depois a tradução. Estes últimos vírus são designadosde adenovírus. Vírus são parasitas intracelulares obrigatórios: a falta de hialoplasma eribossomos impede que eles tenham metabolismo próprio. Assim, paraexecutar o seu ciclo de vida, o vírus precisa de um ambiente que tenha essescomponentes. Esse ambiente precisa ser o interior de uma célula que,contendo ribossomos e outras substâncias, efetuará a síntese das proteínasdos vírus e, simultaneamente, permitirá que ocorra a multiplicação do materialgenético viral. Em muitos casos os vírus modificam o metabolismo da célula queparasitam, podendo provocar a sua degeneração e morte. Para isso, é precisoque o vírus inicialmente entre na célula: muitas vezes ele adere à parede dacélula e "injeta" o seu material genético ou então entra na célula porenglobamento - por um processo que lembra a fagocitose, a célula "engole" ovírus e o introduz no seu interior. Vírus não têm qualquer atividade metabólica quando fora da célulahospedeira: eles não podem captar nutrientes, utilizar energia ou realizar
  3. 3. qualquer atividade biossintética. Eles obviamente se reproduzem, masdiferentemente de células, que crescem, duplicam seu conteúdo para entãodividir-se em duas células filhas, os vírus replicam-se através de umaestratégia completamente diferente: eles invadem células, o que causa adissociação dos componentes da partícula viral; esses componentes entãointeragem com o aparato metabólico da célula hospedeira, subvertendo ometabolismo celular para a produção de mais vírus. Há grande debate na comunidade científica sobre se os vírus devem serconsiderados seres vivos ou não, e esse debate e primariamente um resultadode diferentes percepções sobre o que vem a ser vida, em outras palavras, adefinição de vida. Aqueles que defendem a ideia que os vírus não são vivosargumentam que organismos vivos devem possuir características como ahabilidade de importar nutrientes e energia do ambiente, devem termetabolismo (um conjunto de reações químicas altamente inter-relacionadasatravés das quais os seres vivos constroem e mantêm seus corpos, crescem eperformam inúmeras outras tarefas, como locomoção, reprodução, etc.);organismos vivos também fazem parte de uma linhagem contínua, sendonecessariamente originados de seres semelhantes e, através da reprodução,gerar outros seres semelhantes (descendência ou prole), etc. Os vírus preenchem alguns desses critérios: são parte de linhagenscontínuas, reproduzem-se e evoluem em resposta ao ambiente, através devariabilidade e seleção, como qualquer ser vivo. Porém, não têm metabolismopróprio, por isso deveriam ser considerados "partículas infecciosas", ao invésde seres vivos propriamente ditos. Muitos, porém, não concordam com essaperspectiva, e argumentam que uma vez que os vírus são capazes dereproduzir-se, são organismos vivos; eles dependem do maquinário metabólicoda célula hospedeira, mas até ali todos os seres vivos dependem de interaçõescom outros seres vivos. Outros ainda levam em consideração a presençamassiva de vírus em todos os reinos do mundo natural, sua origem -aparentemente tão antiga como a própria vida - sua importância na histórianatural de todos os outros organismos, etc. Conforme já mencionado,diferentes conceitos a respeito do que vem a ser vida formam o cerne dessadiscussão. Definir vida tem sido sempre um grande problema, e já que
  4. 4. qualquer definição provavelmente será evasiva ou arbitrária, dificultando assimuma definição exata a respeito dos vírus. REINO MONERAO reino monera é formado porbactérias, cianobactérias earqueobactérias(também chamadas arqueas), todos seres muito simples,unicelulares e com célula procariótica (sem núcleo diferenciado). Esses seresmicroscópios são geralmente menores do que 8 micrômetros ( 1µm = 0,001mm).As bactérias (do gregobakteria: bastão) são encontrados em todos osecossistemas da Terra e são de grande importância para a saúde, para oambiente e a economia. As bactérias são encontradas em qualquer tipo demeio: mar, água doce, solo, ar e, inclusive, no interior de muitos seres vivos.Exemplos da importância das bactérias: Nadecomposição de matéria orgânica morta. Esse processo é efetuado tanto aeróbia, quanto anaerobiamente; agentes que provocam doença no homem; em processos industriais, como por exemplo, os lactobacilos, utilizados na indústria de transformação do leite em coalhada; no ciclo do nitrogênio, em que atuam em diversas fases, fazendo com que o nitrogênio atmosférico possa ser utilizado pelas plantas; em Engenharia Genética e Biotecnologia para a síntese de várias substâncias, entre elas a insulina e o hormônio de crescimento.Estrutura das BactériasBactérias são microorganismos unicelulares, procariotos, podendo viverisoladamente ou construir agrupamentos coloniais de diversos formatos. Acélula bacterianas contém os quatro componentes fundamentais a qualquercélula: membrana plasmática, hialoplasma, ribossomos e cromatina, no caso,uma molécula de DNA circular, que constitui o único cromossomo bacteriano.
  5. 5. A região ocupada pelo cromossomo bacteriano costuma serdenominadanucleóide. Externamente à membrana plasmática existe umaparede celular (membrana esquelética, de composição química específica debactérias).É comum existiremplasmídios- moléculas de DNA não ligada ao cromossomobacteriano - espalhados pelo hialoplasma. Plasmídios costumam conter genespara resistência a antibióticos.Algumas espécies de bactérias possuem, externamente à membranaesquelética, outro envoltório, mucilaginoso, chamado de cápsula. É o caso dospneumococos (bactérias causadoras de pneumonia). Descobriu-se que apericulosidade dessas bactérias reside na cápsula em um experimento, ratosinfectados com pneumococo sem cápsula tiveram a doença porém nãomorreram, enquanto pneumococos capsulados causaram pneumonia letal.A parede da célula bacteriana, também conhecida como membranaesquelética, reveste externamente a membrana plasmática, e é constituída deuma substância química exclusiva das bactérias conhecidacomomureína (ácido n-acetilmurâmico). Principais doenças bacterianas do homem Doença Bactéria Transmissão Sintoma Vacina Tétano Clostridium Tetani Ferimentos Intoxicação Tríplice profundos, aguda com Bacilo provocados enrijecimento por objetos muscular contaminados Difteria Corynebacteriumdiphteriae Secreções do Placas na Tríplice nariz e Faringe e (Bacilo) garganta garganta Coqueluche Haemophiluspertussis Saliva. Acesso de Tríplice Secreções da tosse longa e (tosse (Bacilo) laringe e prolongada comprida) brônquios. Tuberculose Mycobacterium Saliva e Tosse, tuberculosis Catarro expectoração, inapetência, (bacilo de Koch) cansaço, sudorese
  6. 6. noturna Cólera VibrioCholerae Contaminação Forte diarréia, fecal da água com (Vibrião) e alimentos desidratação, e prostração Lepra Mycobacterium Secreções em Lesões contato com cutâneas, Leprae narinas, boca perda da e pele. sensibilidade, (bacilo de Hansen) manchas na pele. Pneumonia Diplococos pneumoniae Secreções Febre alta, e nasobucais fortes dores pulmonares na região dorsal. REINO PROTOCTISTAReino de seres vivos que reúne os protozoários, organismos heterotróficos quepodem obter seus alimentos por absorção ou por ingestão; e algasfotossintetizantes.No geral, são organismos eucariontes, unicelulares, coloniais ou multicelulares,não possuindo tecidos verdadeiros, alimentando-se por ingestão ou absorção.Anteriormente esse grupo era subdividido em quatro filos distintos, de acordocom a estrutura locomotora. Porém, atualmente são considerados cerca dedezesseis filos cujas relações filogenéticas ainda não estão bemcompreendidas.Em função da complexa caracterização desses filos, realizada com base nacomparação entre as sequências de bases nitrogenadas do RNA e DNA, bemcomo da ultraestrutura celular, os protozoários são simplificadamenteclassificados em:
  7. 7. Protozoários ameboides – deslocando-se e capturando alimentos através depseudópodes. Na classificação tradicional tratado como Filo Sarcodina; e namoderna reúne cerca de cinco filos.Protozoários flagelados – locomoção e obtenção de alimentos por meio debatimento flagelar. Antigamente tratados como um único filo (Flagelata ouMastigophora); hoje considerados em oito filos com características próprias.Protozoários ciliados – que se deslocam ou obtêm alimentos por meio de cílios.Esse é o único grupo que mantém a classificação tradicional (Filo Ciliophora).Protozoários apicomplexos, ou esporozoários – não possuem estruturaslocomotoras e, em algum estágio do ciclo de vida, apresentam uma estruturaproeminente: o complexo apical. Muitas dessas espécies formam esporos.Quanto às algas, podem ser do Filo Chlorophyta (algas verdes), FiloPhaeophyta (algas pardas ou marrons), Filo Rhodophyta (algas vermelhas),Filo Bacillariophyta (diatomáceas), Filo Chrysophyta (algas douradas), FiloEuglenophyta (euglenas), Filo Dinophyta (dinoflagelados) e Filo Charophyta(carofíceas).

×