SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
Baixar para ler offline
Química Analítica Quantitativa- Prática I
TITULAÇÃO DE ÁCIDO – BASE
Cleiciane Silva Novais1
, Luis Fernando da Fonseca1
, Mateus Rodrigues Rocha Duarte1
, Nathila Silva Amaral1
,
Thatiana Carneiro1
.
1
Graduando em Licenciatura Química, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Rodovia
BR 415, Km 03, S/N, 45700-000, Itapetinga-BA, Brasil.
RESUMO
Um dos processos mais apropriados para determinação de uma concentração de uma solução
é a titulação, é uma análise volumétrica, em que, através de medições rigorosas de volumes
utilizados, fica possível a determinação da concentração da solução pesquisada.
Cria-se uma curva de titulação, na qual, utilizando um indicador apropriado, com volumes
rigorosamente medidos, determina-se uma neutralização ácido base, onde um ponto de
equivalência, com utilização do indicador apropriado, vai indicar o ponto de equilíbrio das
soluções, e utilizando linguagem matemática apropriada, a determinação da concentração
desejada.
Palavra chave: Ácido, base, indicador, concentração.
INTRODUÇÃO
O objetivo da titulação de uma solução ácido com uma solução padronizada de uma
base é a determinação da quantidade exata de base que é quimicamente equivalente à
quantidade de ácido presente. O ponto em que isto ocorre é o “ponto de equivalência”, ponto
estequiométrico ou ponto final teórico. A solução resultante contém o sal correspondente. Se
o ácido e a base forem eletrólitos fortes,a solução será neutra no ponto de equivalência e terá
o pH igual a 7. Se o ácido ou a base forem um eletrólito fraco,o sal será hidrolisado até certo
ponto e no ponto e equivalência a solução será ligeiramente básica ou ligeiramente ácida. O
pH exato da solução no ponto de equivalência pode ser prontamente calculado a partir da
constante de ionização do ácido fraco (ou da base fraca) e da concentração da solução. Na
prática, o ponto final correto caracteriza-se por um valor definido da concentração de íons
Química Analítica Quantitativa- Prática I
hidrogênio na solução, valor este que depende da natureza do ácido,da natureza da base e da
concentração da solução.
Um grande número de substâncias, chamadas indicadores de neutralização ou
indicadores ácido-base, muda de cor de acordo com a concentração de íons hidrogênio na
solução. A característica principal destes indicadores é que a mudança da cor observada em
meio ácido para a cor observada em meio básico não ocorre abruptamente, mas dentro de um
pequeno intervalo de pH (normalmente cerca de duas unidade de pH), denominado intervalo
de mudança de cor (faixa de viragem) do indicador. A posição da faixa de viragem na escala
de pH é diferente para cada indicador. É possível selecionar para a maior parte das titulações
ácido-base um indicador que muda de cor em um pH próximo ao do ponto de equivalência.
Calcular o a concentração pratica do ácido HCl e o erro relativo
MATERIAIS E MÉTODOS
No experimento foram utilizados os seguintes materiais:
 Solução de NaOH a 1 mol;
 Solução de ácido clorídrico a 1 mol;
 Fenolftaleína;
 Erlenmayer;
 Béquer;
 Picete;
 Pipeta;
 Bureta;
 Suporte universal.
No experimento foram utilizados os seguintes métodos:
Em primeiro lugar condicionamos as vidrarias que seriam usadas na prática. Logo
após diluímos a solução de NaOH de 1 mol para concentrações de 0,1 e 0,5 mol num volume
de 500 mL. Depois colocamos 5 mL da solução de ácido clorídrico no erlenmayer com 3
gotas de fenolftaleína, na bureta de 100 mL colocamos a base. Iniciou-se o gotejamento da
base no ácido, observando cada gota, o início da formação da cor rosa. Para a concentração
de 0,1 mol na primeira tentativa foi adicionados um total 54 ml da base no erlenmayer, na
segunda foram adicionados 54,2 mL da base. Para a concentração de 0,5 mol a primeira
Química Analítica Quantitativa- Prática I
tentativa foi adicionados 11 mL da base, na segunda foi 10,5 mL e na terceira vez foi 11,0
mL.
Obs.: Não foi possível fazer a triplicata da concentração de 0,1, pois acabou a solução
e os estagiários disseram que não precisava fazer outra solução.
RESULTADO E DISCUSSÃO
Calculo teórico para determinar o volume utilizado da base:
𝑚á𝑐𝑖𝑑𝑜 𝑉á𝑐𝑖𝑑𝑜 = 𝑚 𝑏𝑎𝑠𝑒 𝑉𝑏𝑎𝑠𝑒
1mol x 5 mL = 0,1 x V
V = 50 mL
𝑚á𝑐𝑖𝑑𝑜 𝑉á𝑐𝑖𝑑𝑜 = 𝑚 𝑏𝑎𝑠𝑒 𝑉𝑏𝑎𝑠𝑒
1mol x 5 mL = 0,5 x V
V = 10 mL
Resultado prático:
Concentração 0,1 NaOH Concentração 0,5 NaOH
54 mL 11 mL
54,2 mL 10,5 mL
11 mL
Calculo pratico para determinar a concentração do acido após a titulação
1º) cálculos para 0,1 mol de NaOH(duplicata)
𝑚á𝑐𝑖𝑑𝑜 𝑉á𝑐𝑖𝑑𝑜 = 𝑚 𝑏𝑎𝑠𝑒 𝑉𝑏𝑎𝑠𝑒
M x 5 mL = 0,1 x 54 mL
M = 1,08 mmol de HCl (milimol)
𝑚á𝑐𝑖𝑑𝑜 𝑉á𝑐𝑖𝑑𝑜 = 𝑚 𝑏𝑎𝑠𝑒 𝑉𝑏𝑎𝑠𝑒 Média: 1,082mmol de HCl (após a titulação)
M x 5 mL = 0,1 x 54,2 mL
M = 1,084 mmol de HCl (milimol)
2º) Cálculos para 0,5 mol de NaOH(triplicata)
𝑚á𝑐𝑖𝑑𝑜 𝑉á𝑐𝑖𝑑𝑜 = 𝑚 𝑏𝑎𝑠𝑒 𝑉𝑏𝑎𝑠𝑒
M x 5 mL = 0,5 x 11 mL
M = 1,1mmol de HCl
𝑚á𝑐𝑖𝑑𝑜 𝑉á𝑐𝑖𝑑𝑜 = 𝑚 𝑏𝑎𝑠𝑒 𝑉𝑏𝑎𝑠𝑒
M x 5 mL = 0,5 x 10,5 mL Média: 1,083mmol de HCl (após a titulação)
Química Analítica Quantitativa- Prática I
M = 1,05 mmol de HCl
𝑚á𝑐𝑖𝑑𝑜 𝑉á𝑐𝑖𝑑𝑜 = 𝑚 𝑏𝑎𝑠𝑒 𝑉𝑏𝑎𝑠𝑒
M x 5 mL = 0,5 x 11 mL
M = 1,1mmol de HCl
EXATIDÃO
Refere-se a concordância da medida com um nível de referência ou valor
conhecido (veracidade das medidas).
Quanto menor o erro relativo, maior a exatidão.
Erro relativo = (Valor medido – valor referência) · 1000
(valor referência)
Erro relativo
𝑋̅ − 𝑋 𝑉
𝑋 𝑉
× 1000
1º parte) 0,1 NaOH (Titilante) para HCl(Analito
1,082−1
1
× 1000 = 82 𝑝𝑝𝑚𝑖𝑙 de HCl
2º parte) 0,5 NaOH(Titilante) para HCl(Analito)
1,083−1
1
× 1000 = 83𝑝𝑝𝑚𝑖𝑙 de HCl
CONCLUSÃO
Esta experiência sobre titulação possibilitou apreciar visualmente uma mudança de
característica de uma solução inicialmente ácida, para uma solução neutra.
Com utilização dos indicadores de pH corretos, podemos verificar a concentração inicial de
uma solução ácida.
Com utilização de vidraria adequada, reagentes, indicador e cálculos adequados, realizamos
a prática em que observamos a alteração de cor para determinação de concentração de
íons H+
de uma solução ácida, a alteração do pH reagindo com o indicador nos indica o
ponto exato de equivalência.
Química Analítica Quantitativa- Prática I
Como se trata de uma experiência de neutralização, partiu-se inicialmente de uma solução
ácida forte e o seu neutralizante uma base forte, o ponto de equivalência é de um pH
aproximadamente 7.
O método de titulação apresenta diversas vantagens, custo relativamente baixo e
apreciação visual da alteração química que sofre a solução pesquisada.
Química Analítica Quantitativa- Prática I
REFERENCIA
BRADY, James E., HUMISTON, Gerard E. Química Geral. 2.ed. Rio de Janeiro: Livros
Técnicos e Científicos, 1996.
VOGEL, Arthur I. Análise Inorgânica Quantitativa. Rio de Janeiro. Editora Guanabara, 1986

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relatório - Volumetria de Precipitação
Relatório - Volumetria de PrecipitaçãoRelatório - Volumetria de Precipitação
Relatório - Volumetria de PrecipitaçãoDhion Meyg Fernandes
 
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕESQuimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕESJessica Amaral
 
Relatório experimento 11 e 12 - volumetria de neutralização.docx
Relatório experimento 11 e 12 - volumetria de neutralização.docxRelatório experimento 11 e 12 - volumetria de neutralização.docx
Relatório experimento 11 e 12 - volumetria de neutralização.docxFernanda Borges de Souza
 
Relatorio 3 leite de magnésia
Relatorio 3  leite de magnésiaRelatorio 3  leite de magnésia
Relatorio 3 leite de magnésiaDianna Grandal
 
Relatório - complexometria determinação de cálcio e da dureza da água
Relatório - complexometria determinação de cálcio e da dureza da água Relatório - complexometria determinação de cálcio e da dureza da água
Relatório - complexometria determinação de cálcio e da dureza da água Fernanda Borges de Souza
 
Padronização de HCl e teor de NaOH
Padronização de HCl e teor de NaOHPadronização de HCl e teor de NaOH
Padronização de HCl e teor de NaOHRodrigo Henrique
 
Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2
Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2
Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2Jenifer Rigo Almeida
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃOEzequias Guimaraes
 
Reações Ácido-Base para Separação de Compostos Orgânicos
Reações Ácido-Base para Separação de Compostos OrgânicosReações Ácido-Base para Separação de Compostos Orgânicos
Reações Ácido-Base para Separação de Compostos OrgânicosLuís Rita
 
Determinação de calcio no leite
Determinação de  calcio no leiteDeterminação de  calcio no leite
Determinação de calcio no leiteAdrianne Mendonça
 
Quimica Experimental - Relatorio REAÇÕES COM METAIS
Quimica Experimental - Relatorio REAÇÕES COM METAISQuimica Experimental - Relatorio REAÇÕES COM METAIS
Quimica Experimental - Relatorio REAÇÕES COM METAISJessica Amaral
 
Preparação e propriedades da solução tampão.
Preparação e propriedades da solução tampão.Preparação e propriedades da solução tampão.
Preparação e propriedades da solução tampão.Paulo George
 
Apostila volumetria de oxirredução
Apostila volumetria de oxirreduçãoApostila volumetria de oxirredução
Apostila volumetria de oxirreduçãoGraziela Leal
 
Solubilidade e Miscibilidade
Solubilidade e MiscibilidadeSolubilidade e Miscibilidade
Solubilidade e MiscibilidadeAlex Junior
 

Mais procurados (20)

Relatório - Volumetria de Precipitação
Relatório - Volumetria de PrecipitaçãoRelatório - Volumetria de Precipitação
Relatório - Volumetria de Precipitação
 
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕESQuimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO  E PADRONIZAÇÃO  DE SOLUÇÕES
Quimica experimental - Relatorio PREPARAÇÃO E PADRONIZAÇÃO DE SOLUÇÕES
 
Relatório experimento 11 e 12 - volumetria de neutralização.docx
Relatório experimento 11 e 12 - volumetria de neutralização.docxRelatório experimento 11 e 12 - volumetria de neutralização.docx
Relatório experimento 11 e 12 - volumetria de neutralização.docx
 
Relatorio 3 leite de magnésia
Relatorio 3  leite de magnésiaRelatorio 3  leite de magnésia
Relatorio 3 leite de magnésia
 
Relatorio analitica ii_04
Relatorio analitica ii_04Relatorio analitica ii_04
Relatorio analitica ii_04
 
Relatório - complexometria determinação de cálcio e da dureza da água
Relatório - complexometria determinação de cálcio e da dureza da água Relatório - complexometria determinação de cálcio e da dureza da água
Relatório - complexometria determinação de cálcio e da dureza da água
 
Padronização de HCl e teor de NaOH
Padronização de HCl e teor de NaOHPadronização de HCl e teor de NaOH
Padronização de HCl e teor de NaOH
 
Volumetria de Precipitação
Volumetria de PrecipitaçãoVolumetria de Precipitação
Volumetria de Precipitação
 
Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2
Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2
Relatório 03 - Química Analítica Quantitativa 1 - Dosagem de AAS e Mg(OH)2
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
 
Reações Ácido-Base para Separação de Compostos Orgânicos
Reações Ácido-Base para Separação de Compostos OrgânicosReações Ácido-Base para Separação de Compostos Orgânicos
Reações Ácido-Base para Separação de Compostos Orgânicos
 
Determinação de calcio no leite
Determinação de  calcio no leiteDeterminação de  calcio no leite
Determinação de calcio no leite
 
Quimica Experimental - Relatorio REAÇÕES COM METAIS
Quimica Experimental - Relatorio REAÇÕES COM METAISQuimica Experimental - Relatorio REAÇÕES COM METAIS
Quimica Experimental - Relatorio REAÇÕES COM METAIS
 
Teste de Chama
Teste de ChamaTeste de Chama
Teste de Chama
 
Preparação e propriedades da solução tampão.
Preparação e propriedades da solução tampão.Preparação e propriedades da solução tampão.
Preparação e propriedades da solução tampão.
 
Apostila volumetria de oxirredução
Apostila volumetria de oxirreduçãoApostila volumetria de oxirredução
Apostila volumetria de oxirredução
 
Solubilidade e Miscibilidade
Solubilidade e MiscibilidadeSolubilidade e Miscibilidade
Solubilidade e Miscibilidade
 
Complexos aula 1 (1)
Complexos aula 1 (1)Complexos aula 1 (1)
Complexos aula 1 (1)
 
Obtenção de hidrogenio
Obtenção de hidrogenioObtenção de hidrogenio
Obtenção de hidrogenio
 
Potenciometria
PotenciometriaPotenciometria
Potenciometria
 

Destaque

Base da química analítica – módulo 4
Base da química analítica – módulo 4Base da química analítica – módulo 4
Base da química analítica – módulo 4Adrianne Mendonça
 
Aulas práticas Química Analítica
Aulas práticas Química AnalíticaAulas práticas Química Analítica
Aulas práticas Química AnalíticaWeysser Felipe
 
Identificação dos cátions Cu2+ e Bi3+
Identificação dos cátions Cu2+ e Bi3+Identificação dos cátions Cu2+ e Bi3+
Identificação dos cátions Cu2+ e Bi3+Gabriela Begalli
 
Apostila de quimica analitica ambiental
Apostila de quimica analitica ambientalApostila de quimica analitica ambiental
Apostila de quimica analitica ambientalKelle Gomes
 
Apostila (química analítica quantitativa) 2009
Apostila      (química analítica quantitativa) 2009Apostila      (química analítica quantitativa) 2009
Apostila (química analítica quantitativa) 2009Fernanda Bortoloto
 
Instrumentação Analítica Industrial
Instrumentação Analítica IndustrialInstrumentação Analítica Industrial
Instrumentação Analítica IndustrialAnderson Pontes
 
Grupo I ao VI (Identificação de ânions)
Grupo I ao VI (Identificação de ânions)Grupo I ao VI (Identificação de ânions)
Grupo I ao VI (Identificação de ânions)Sarah Ornellas
 
Base da química analitica – módulo 3
Base  da química analitica – módulo 3Base  da química analitica – módulo 3
Base da química analitica – módulo 3Adrianne Mendonça
 
Apostila analítica_qualitativa_reformulada_28_10_2013
Apostila  analítica_qualitativa_reformulada_28_10_2013Apostila  analítica_qualitativa_reformulada_28_10_2013
Apostila analítica_qualitativa_reformulada_28_10_2013Carla Tinoco
 
Base da química análitica – módulo 1
Base da química análitica – módulo 1Base da química análitica – módulo 1
Base da química análitica – módulo 1Adrianne Mendonça
 
Introdução analise quantitativa
Introdução analise quantitativaIntrodução analise quantitativa
Introdução analise quantitativaCristiane Forte
 

Destaque (20)

Base da química analítica – módulo 4
Base da química analítica – módulo 4Base da química analítica – módulo 4
Base da química analítica – módulo 4
 
Marcaha analitica
Marcaha analiticaMarcaha analitica
Marcaha analitica
 
Aula 28042015
Aula 28042015Aula 28042015
Aula 28042015
 
Sagarana - Guimarães Rosa
Sagarana - Guimarães RosaSagarana - Guimarães Rosa
Sagarana - Guimarães Rosa
 
C2 cervan
C2 cervanC2 cervan
C2 cervan
 
Aulas práticas Química Analítica
Aulas práticas Química AnalíticaAulas práticas Química Analítica
Aulas práticas Química Analítica
 
Qa+aula+2
Qa+aula+2Qa+aula+2
Qa+aula+2
 
Identificação dos cátions Cu2+ e Bi3+
Identificação dos cátions Cu2+ e Bi3+Identificação dos cátions Cu2+ e Bi3+
Identificação dos cátions Cu2+ e Bi3+
 
Uv vis
Uv visUv vis
Uv vis
 
Apostila de quimica analitica ambiental
Apostila de quimica analitica ambientalApostila de quimica analitica ambiental
Apostila de quimica analitica ambiental
 
01 introdução
01 introdução01 introdução
01 introdução
 
Apostila (química analítica quantitativa) 2009
Apostila      (química analítica quantitativa) 2009Apostila      (química analítica quantitativa) 2009
Apostila (química analítica quantitativa) 2009
 
Instrumentação Analítica Industrial
Instrumentação Analítica IndustrialInstrumentação Analítica Industrial
Instrumentação Analítica Industrial
 
Absorcao molecular
Absorcao molecularAbsorcao molecular
Absorcao molecular
 
Grupo I ao VI (Identificação de ânions)
Grupo I ao VI (Identificação de ânions)Grupo I ao VI (Identificação de ânions)
Grupo I ao VI (Identificação de ânions)
 
Base da química analitica – módulo 3
Base  da química analitica – módulo 3Base  da química analitica – módulo 3
Base da química analitica – módulo 3
 
Apostila analítica_qualitativa_reformulada_28_10_2013
Apostila  analítica_qualitativa_reformulada_28_10_2013Apostila  analítica_qualitativa_reformulada_28_10_2013
Apostila analítica_qualitativa_reformulada_28_10_2013
 
Base da química análitica – módulo 1
Base da química análitica – módulo 1Base da química análitica – módulo 1
Base da química análitica – módulo 1
 
Introdução analise quantitativa
Introdução analise quantitativaIntrodução analise quantitativa
Introdução analise quantitativa
 
Aula cations e anions via umida
Aula cations e anions via umidaAula cations e anions via umida
Aula cations e anions via umida
 

Semelhante a Relatório prática 1 (1)

Padronização de H2SO4 e H3PO4 e teor vinagre
Padronização de H2SO4 e H3PO4 e teor vinagrePadronização de H2SO4 e H3PO4 e teor vinagre
Padronização de H2SO4 e H3PO4 e teor vinagreRodrigo Henrique
 
76592979 relatorio-4-dosagem-do-acido-acetilsalicilico-aas-em-medicamentos-po...
76592979 relatorio-4-dosagem-do-acido-acetilsalicilico-aas-em-medicamentos-po...76592979 relatorio-4-dosagem-do-acido-acetilsalicilico-aas-em-medicamentos-po...
76592979 relatorio-4-dosagem-do-acido-acetilsalicilico-aas-em-medicamentos-po...Emílio Dos Santos
 
Aula 3_Volumetria.ppt
Aula 3_Volumetria.pptAula 3_Volumetria.ppt
Aula 3_Volumetria.pptSilvaAdrianny
 
RELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdf
RELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdfRELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdf
RELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdfIarllaSoares
 
Titulação Potenciométrica
Titulação PotenciométricaTitulação Potenciométrica
Titulação PotenciométricaPriscila Siqueira
 
1 preparo de curvas analíticas
1 preparo de curvas analíticas1 preparo de curvas analíticas
1 preparo de curvas analíticasUFSJ
 
Métodos de doseamento
Métodos de doseamentoMétodos de doseamento
Métodos de doseamentoArianne Lopes
 
Métodos+de+doseamento
Métodos+de+doseamentoMétodos+de+doseamento
Métodos+de+doseamentoArianne Lopes
 
Relatório de química
Relatório de químicaRelatório de química
Relatório de químicathayrinnem
 
Titulação potenciométrica
Titulação potenciométricaTitulação potenciométrica
Titulação potenciométricaInstituto Monitor
 
Titulação/ Acid-base volumetry
Titulação/ Acid-base volumetryTitulação/ Acid-base volumetry
Titulação/ Acid-base volumetryZara Hoffmann
 
Padronização naoh e h cl
Padronização naoh e h clPadronização naoh e h cl
Padronização naoh e h clLeandra Alencar
 

Semelhante a Relatório prática 1 (1) (20)

Padronização de H2SO4 e H3PO4 e teor vinagre
Padronização de H2SO4 e H3PO4 e teor vinagrePadronização de H2SO4 e H3PO4 e teor vinagre
Padronização de H2SO4 e H3PO4 e teor vinagre
 
76592979 relatorio-4-dosagem-do-acido-acetilsalicilico-aas-em-medicamentos-po...
76592979 relatorio-4-dosagem-do-acido-acetilsalicilico-aas-em-medicamentos-po...76592979 relatorio-4-dosagem-do-acido-acetilsalicilico-aas-em-medicamentos-po...
76592979 relatorio-4-dosagem-do-acido-acetilsalicilico-aas-em-medicamentos-po...
 
Aula 3_Volumetria.ppt
Aula 3_Volumetria.pptAula 3_Volumetria.ppt
Aula 3_Volumetria.ppt
 
Aula 3_Volumetria.ppt
Aula 3_Volumetria.pptAula 3_Volumetria.ppt
Aula 3_Volumetria.ppt
 
Neutralizacao
NeutralizacaoNeutralizacao
Neutralizacao
 
RELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdf
RELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdfRELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdf
RELATÓRIO PRÁTICA 03 LAB ANALITICA.pdf
 
7 titulacoes
7  titulacoes7  titulacoes
7 titulacoes
 
Titulação Potenciométrica
Titulação PotenciométricaTitulação Potenciométrica
Titulação Potenciométrica
 
1 preparo de curvas analíticas
1 preparo de curvas analíticas1 preparo de curvas analíticas
1 preparo de curvas analíticas
 
Relatorio 5 quimica
Relatorio 5 quimicaRelatorio 5 quimica
Relatorio 5 quimica
 
Métodos de doseamento
Métodos de doseamentoMétodos de doseamento
Métodos de doseamento
 
Métodos+de+doseamento
Métodos+de+doseamentoMétodos+de+doseamento
Métodos+de+doseamento
 
Aas (infantil).docx
Aas (infantil).docxAas (infantil).docx
Aas (infantil).docx
 
Relatório de química
Relatório de químicaRelatório de química
Relatório de química
 
Resultados titulação
Resultados titulaçãoResultados titulação
Resultados titulação
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula 01
 
Volumetrica
VolumetricaVolumetrica
Volumetrica
 
Titulação potenciométrica
Titulação potenciométricaTitulação potenciométrica
Titulação potenciométrica
 
Titulação/ Acid-base volumetry
Titulação/ Acid-base volumetryTitulação/ Acid-base volumetry
Titulação/ Acid-base volumetry
 
Padronização naoh e h cl
Padronização naoh e h clPadronização naoh e h cl
Padronização naoh e h cl
 

Relatório prática 1 (1)

  • 1. Química Analítica Quantitativa- Prática I TITULAÇÃO DE ÁCIDO – BASE Cleiciane Silva Novais1 , Luis Fernando da Fonseca1 , Mateus Rodrigues Rocha Duarte1 , Nathila Silva Amaral1 , Thatiana Carneiro1 . 1 Graduando em Licenciatura Química, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Rodovia BR 415, Km 03, S/N, 45700-000, Itapetinga-BA, Brasil. RESUMO Um dos processos mais apropriados para determinação de uma concentração de uma solução é a titulação, é uma análise volumétrica, em que, através de medições rigorosas de volumes utilizados, fica possível a determinação da concentração da solução pesquisada. Cria-se uma curva de titulação, na qual, utilizando um indicador apropriado, com volumes rigorosamente medidos, determina-se uma neutralização ácido base, onde um ponto de equivalência, com utilização do indicador apropriado, vai indicar o ponto de equilíbrio das soluções, e utilizando linguagem matemática apropriada, a determinação da concentração desejada. Palavra chave: Ácido, base, indicador, concentração. INTRODUÇÃO O objetivo da titulação de uma solução ácido com uma solução padronizada de uma base é a determinação da quantidade exata de base que é quimicamente equivalente à quantidade de ácido presente. O ponto em que isto ocorre é o “ponto de equivalência”, ponto estequiométrico ou ponto final teórico. A solução resultante contém o sal correspondente. Se o ácido e a base forem eletrólitos fortes,a solução será neutra no ponto de equivalência e terá o pH igual a 7. Se o ácido ou a base forem um eletrólito fraco,o sal será hidrolisado até certo ponto e no ponto e equivalência a solução será ligeiramente básica ou ligeiramente ácida. O pH exato da solução no ponto de equivalência pode ser prontamente calculado a partir da constante de ionização do ácido fraco (ou da base fraca) e da concentração da solução. Na prática, o ponto final correto caracteriza-se por um valor definido da concentração de íons
  • 2. Química Analítica Quantitativa- Prática I hidrogênio na solução, valor este que depende da natureza do ácido,da natureza da base e da concentração da solução. Um grande número de substâncias, chamadas indicadores de neutralização ou indicadores ácido-base, muda de cor de acordo com a concentração de íons hidrogênio na solução. A característica principal destes indicadores é que a mudança da cor observada em meio ácido para a cor observada em meio básico não ocorre abruptamente, mas dentro de um pequeno intervalo de pH (normalmente cerca de duas unidade de pH), denominado intervalo de mudança de cor (faixa de viragem) do indicador. A posição da faixa de viragem na escala de pH é diferente para cada indicador. É possível selecionar para a maior parte das titulações ácido-base um indicador que muda de cor em um pH próximo ao do ponto de equivalência. Calcular o a concentração pratica do ácido HCl e o erro relativo MATERIAIS E MÉTODOS No experimento foram utilizados os seguintes materiais:  Solução de NaOH a 1 mol;  Solução de ácido clorídrico a 1 mol;  Fenolftaleína;  Erlenmayer;  Béquer;  Picete;  Pipeta;  Bureta;  Suporte universal. No experimento foram utilizados os seguintes métodos: Em primeiro lugar condicionamos as vidrarias que seriam usadas na prática. Logo após diluímos a solução de NaOH de 1 mol para concentrações de 0,1 e 0,5 mol num volume de 500 mL. Depois colocamos 5 mL da solução de ácido clorídrico no erlenmayer com 3 gotas de fenolftaleína, na bureta de 100 mL colocamos a base. Iniciou-se o gotejamento da base no ácido, observando cada gota, o início da formação da cor rosa. Para a concentração de 0,1 mol na primeira tentativa foi adicionados um total 54 ml da base no erlenmayer, na segunda foram adicionados 54,2 mL da base. Para a concentração de 0,5 mol a primeira
  • 3. Química Analítica Quantitativa- Prática I tentativa foi adicionados 11 mL da base, na segunda foi 10,5 mL e na terceira vez foi 11,0 mL. Obs.: Não foi possível fazer a triplicata da concentração de 0,1, pois acabou a solução e os estagiários disseram que não precisava fazer outra solução. RESULTADO E DISCUSSÃO Calculo teórico para determinar o volume utilizado da base: 𝑚á𝑐𝑖𝑑𝑜 𝑉á𝑐𝑖𝑑𝑜 = 𝑚 𝑏𝑎𝑠𝑒 𝑉𝑏𝑎𝑠𝑒 1mol x 5 mL = 0,1 x V V = 50 mL 𝑚á𝑐𝑖𝑑𝑜 𝑉á𝑐𝑖𝑑𝑜 = 𝑚 𝑏𝑎𝑠𝑒 𝑉𝑏𝑎𝑠𝑒 1mol x 5 mL = 0,5 x V V = 10 mL Resultado prático: Concentração 0,1 NaOH Concentração 0,5 NaOH 54 mL 11 mL 54,2 mL 10,5 mL 11 mL Calculo pratico para determinar a concentração do acido após a titulação 1º) cálculos para 0,1 mol de NaOH(duplicata) 𝑚á𝑐𝑖𝑑𝑜 𝑉á𝑐𝑖𝑑𝑜 = 𝑚 𝑏𝑎𝑠𝑒 𝑉𝑏𝑎𝑠𝑒 M x 5 mL = 0,1 x 54 mL M = 1,08 mmol de HCl (milimol) 𝑚á𝑐𝑖𝑑𝑜 𝑉á𝑐𝑖𝑑𝑜 = 𝑚 𝑏𝑎𝑠𝑒 𝑉𝑏𝑎𝑠𝑒 Média: 1,082mmol de HCl (após a titulação) M x 5 mL = 0,1 x 54,2 mL M = 1,084 mmol de HCl (milimol) 2º) Cálculos para 0,5 mol de NaOH(triplicata) 𝑚á𝑐𝑖𝑑𝑜 𝑉á𝑐𝑖𝑑𝑜 = 𝑚 𝑏𝑎𝑠𝑒 𝑉𝑏𝑎𝑠𝑒 M x 5 mL = 0,5 x 11 mL M = 1,1mmol de HCl 𝑚á𝑐𝑖𝑑𝑜 𝑉á𝑐𝑖𝑑𝑜 = 𝑚 𝑏𝑎𝑠𝑒 𝑉𝑏𝑎𝑠𝑒 M x 5 mL = 0,5 x 10,5 mL Média: 1,083mmol de HCl (após a titulação)
  • 4. Química Analítica Quantitativa- Prática I M = 1,05 mmol de HCl 𝑚á𝑐𝑖𝑑𝑜 𝑉á𝑐𝑖𝑑𝑜 = 𝑚 𝑏𝑎𝑠𝑒 𝑉𝑏𝑎𝑠𝑒 M x 5 mL = 0,5 x 11 mL M = 1,1mmol de HCl EXATIDÃO Refere-se a concordância da medida com um nível de referência ou valor conhecido (veracidade das medidas). Quanto menor o erro relativo, maior a exatidão. Erro relativo = (Valor medido – valor referência) · 1000 (valor referência) Erro relativo 𝑋̅ − 𝑋 𝑉 𝑋 𝑉 × 1000 1º parte) 0,1 NaOH (Titilante) para HCl(Analito 1,082−1 1 × 1000 = 82 𝑝𝑝𝑚𝑖𝑙 de HCl 2º parte) 0,5 NaOH(Titilante) para HCl(Analito) 1,083−1 1 × 1000 = 83𝑝𝑝𝑚𝑖𝑙 de HCl CONCLUSÃO Esta experiência sobre titulação possibilitou apreciar visualmente uma mudança de característica de uma solução inicialmente ácida, para uma solução neutra. Com utilização dos indicadores de pH corretos, podemos verificar a concentração inicial de uma solução ácida. Com utilização de vidraria adequada, reagentes, indicador e cálculos adequados, realizamos a prática em que observamos a alteração de cor para determinação de concentração de íons H+ de uma solução ácida, a alteração do pH reagindo com o indicador nos indica o ponto exato de equivalência.
  • 5. Química Analítica Quantitativa- Prática I Como se trata de uma experiência de neutralização, partiu-se inicialmente de uma solução ácida forte e o seu neutralizante uma base forte, o ponto de equivalência é de um pH aproximadamente 7. O método de titulação apresenta diversas vantagens, custo relativamente baixo e apreciação visual da alteração química que sofre a solução pesquisada.
  • 6. Química Analítica Quantitativa- Prática I REFERENCIA BRADY, James E., HUMISTON, Gerard E. Química Geral. 2.ed. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1996. VOGEL, Arthur I. Análise Inorgânica Quantitativa. Rio de Janeiro. Editora Guanabara, 1986