Cenários e tendências

678 visualizações

Publicada em

quimica

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
678
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cenários e tendências

  1. 1. Ralf M. Ehmke CENÁRIOS E TENDÊNCIASCENÁRIOS E TENDÊNCIAS MUNDIAISMUNDIAIS Planejamento EstratégicoPlanejamento Estratégico
  2. 2. Recursos Naturais Expectativa de vida Produção de Petróleo População Mundial Produção industrial Poluição Alimentos População estimada sem colapso Com colapso 210020301900 1990 Meadows,1991 Departamento de energia-EUA em www.doe.gov (set 1997)
  3. 3. Plano da ExposiçãoPlano da Exposição  Conceitos de ReferênciaConceitos de Referência  Tendências e Cenários de Longo PrazoTendências e Cenários de Longo Prazo (2020)(2020)  A Escolha Estratégica sob CenáriosA Escolha Estratégica sob Cenários
  4. 4. Conceitos de ReferênciaConceitos de Referência
  5. 5. Onde estamos ? (A) Presente Cenário BCenário A Cenário DCenário C Estratégia Como evoluir de “A”para “B” ? Aonde pretendemo s chegar ? (B) Futuro Estratégia: um conjunto de grandes escolhas que orienta o gerenciamento do presente e a construção do futuro num horizonte de longo prazo e sob condições de incerteza. É uma resposta consistente a três grandes questões:
  6. 6. Atributos fundamentais de uma boa estratégiaAtributos fundamentais de uma boa estratégia  AntecipaçãoAntecipação  Enxergar além do próximo lance. Pensar noEnxergar além do próximo lance. Pensar no “campeonato”, em seguida na próxima partida e nos“campeonato”, em seguida na próxima partida e nos próximos lances, nesta ordempróximos lances, nesta ordem  SeletividadeSeletividade  Identificar e focar apenas o que “faz a diferença”Identificar e focar apenas o que “faz a diferença”  FlexibilidadeFlexibilidade  Considerar os cenários prováveis nas escolhasConsiderar os cenários prováveis nas escolhas estratégicas e assegurar boa capacidade de “pilotagem”estratégicas e assegurar boa capacidade de “pilotagem”  SustentabilidadeSustentabilidade  Apoiar-se em fatores estruturais e balancear asApoiar-se em fatores estruturais e balancear as oportunidades e ameaças externas com as vocações eoportunidades e ameaças externas com as vocações e limites internoslimites internos
  7. 7. As melhores práticas em estratégia nosAs melhores práticas em estratégia nos indicam queindicam que  É impossível eliminar a incerteza: o máximo queÉ impossível eliminar a incerteza: o máximo que podemos fazer é reduzi-la a um leque finito depodemos fazer é reduzi-la a um leque finito de alternativas mais prováveisalternativas mais prováveis  Qualquer formulação estratégica consistente e de boaQualquer formulação estratégica consistente e de boa qualidade requer uma acurada análise prospectiva equalidade requer uma acurada análise prospectiva e de cenáriosde cenários  A estratégia é muito mais um roteiro geral, comA estratégia é muito mais um roteiro geral, com margens de flexibilidade e manobra (sem mudançamargens de flexibilidade e manobra (sem mudança de rumo) do que um programa detalhado.de rumo) do que um programa detalhado.  O monitoramento sistemático do que estáO monitoramento sistemático do que está acontecendo e a qualidade da equipe de pilotagemacontecendo e a qualidade da equipe de pilotagem (gestão) são tão importantes quanto os cenários e as(gestão) são tão importantes quanto os cenários e as estratégias (“cartas de navegação”)estratégias (“cartas de navegação”)
  8. 8. Tendências e Cenários deTendências e Cenários de Longo PrazoLongo Prazo
  9. 9. Macrotendências Mundiais.Macrotendências Mundiais. 1.1. Revolução científica e tecnológicaRevolução científica e tecnológica  Cinco ondas tecnológicas no horizonte 2020:Cinco ondas tecnológicas no horizonte 2020:  computadores pessoais,computadores pessoais,  telecomunicações,telecomunicações,  biotecnologia,biotecnologia,  nanotecnologia enanotecnologia e  energia alternativaenergia alternativa
  10. 10. 2. Emergência da economia virtual.2. Emergência da economia virtual. Consolidação do comércio eletrônicoConsolidação do comércio eletrônico Macrotendências Mundiais.Macrotendências Mundiais.
  11. 11. 3. Integração de mercados e3. Integração de mercados e internacionalização da produção.internacionalização da produção.  Ampliação do comércio mundial e queda sistemáticaAmpliação do comércio mundial e queda sistemática das barreiras alfandegárias.das barreiras alfandegárias.  Intensa oligopolização das indústrias que seIntensa oligopolização das indústrias que se consolidam em grandes corporações transnacionais.consolidam em grandes corporações transnacionais. Macrotendências Mundiais.Macrotendências Mundiais.
  12. 12. 4.4. Redução das margens de manobra dosRedução das margens de manobra dos Estados-Nação.Estados-Nação. Macrotendências Mundiais.Macrotendências Mundiais. Governo – Empresas - Sociedade civilGoverno – Empresas - Sociedade civil  A sociedade evolui por estágios e as relações de poder construídas na macro-A sociedade evolui por estágios e as relações de poder construídas na macro- estrutura combinam-se em cada fase.estrutura combinam-se em cada fase. Barbárie Governo fraco x sociedade fraca Sociedade tutelada Governo forte x sociedade fraca Sociedade evoluída Governo fraco x sociedade forte ? Governo forte x sociedade forte Tensão constante de um equilíbrio frágil democracia
  13. 13.  A evolução da sociedade educada impõe reformas naA evolução da sociedade educada impõe reformas na macroestrutura existente nos estágios anteriores omacroestrutura existente nos estágios anteriores o aumento da complexidade das relações que sãoaumento da complexidade das relações que são construídas e a estrutura de poder deveconstruídas e a estrutura de poder deve horizontalizar-se para atender as novas demandas.horizontalizar-se para atender as novas demandas.   NAVEGANDO EM VEZ DE REMARNAVEGANDO EM VEZ DE REMAR  A palavra governo vem de um vocábulo grego queA palavra governo vem de um vocábulo grego que significa “navegar”. O papel do governo é navegar esignifica “navegar”. O papel do governo é navegar e não remar. Prestar serviços é remar e o governo nãonão remar. Prestar serviços é remar e o governo não é bom remadoré bom remador” –” –  E.S.E.S. Savas,Savas, O Governo Catalizador:O Governo Catalizador:
  14. 14. Ralf M. Ehmke Arquitetura do MovimentoArquitetura do Movimento Qualidade de Vida da População Ambiência Competitiva Competitividade Desenvolvimento Sustentável Terceiro Setor Setor Público Setor Privado
  15. 15. Maximização de Retorno Redução de Risco Valor adicionado Certificações de Qualidade Relatório Ambiental Papel da empresa socialmente responsávelPapel da empresa socialmente responsável Economicamente Viável Sustentável SA8000 Socialmente Justo Ambientalmente Correto ISO14001 Balanço Social
  16. 16. 5. Instabilidade do sistema financeiro5. Instabilidade do sistema financeiro mundial.mundial. Alto endividamento e financeirização da economia.Alto endividamento e financeirização da economia. Ocorrência de “bolhas” - rico de “crash”Ocorrência de “bolhas” - rico de “crash” Macrotendências Mundiais.Macrotendências Mundiais.
  17. 17. 6. Emergência de países com grande potencial6. Emergência de países com grande potencial econômico.econômico.  4 “Baleias” (China, Índia, Rússia e Brasil) mais México4 “Baleias” (China, Índia, Rússia e Brasil) mais México e Coréia do Sule Coréia do Sul Macrotendências Mundiais.Macrotendências Mundiais.
  18. 18. CHINACHINA
  19. 19. CHINACHINA  a China passou de 3,9% das exportações mundiaisa China passou de 3,9% das exportações mundiais em 2000 para 6% em 2002 e passou a ser o principalem 2000 para 6% em 2002 e passou a ser o principal destino dos fluxos mundiais de investimento diretodestino dos fluxos mundiais de investimento direto estrangeiro desde 2002, tendo ultrapassado osestrangeiro desde 2002, tendo ultrapassado os próprios Estados Unidos.próprios Estados Unidos.  Em 2004 tornou-se o segundo maior “estoque"Em 2004 tornou-se o segundo maior “estoque" mundial acumulado de capital estrangeiro em termosmundial acumulado de capital estrangeiro em termos de, logo a seguir aos Estados Unidos.de, logo a seguir aos Estados Unidos.
  20. 20. CHINACHINA  Segundo um estudo do Deutsche Bank Research, aSegundo um estudo do Deutsche Bank Research, a China (juntamente com Hong Kong e Macau) já lideraChina (juntamente com Hong Kong e Macau) já lidera o mercado mundial em 8 das 12 categorias deo mercado mundial em 8 das 12 categorias de produtos da eletrônica de consumo - mais de 50% doprodutos da eletrônica de consumo - mais de 50% do mercado de leitores de DVD, mais de 30% dosmercado de leitores de DVD, mais de 30% dos gravadores de DVD, dos computadores de secretáriagravadores de DVD, dos computadores de secretária e dos "notebooks", mais de 25% nos telemóveis, TVe dos "notebooks", mais de 25% nos telemóveis, TV a cores, PDA (assistentes pessoais digitais) e auto-a cores, PDA (assistentes pessoais digitais) e auto- rádios.rádios.  Também no campo do software, segundo a revistaTambém no campo do software, segundo a revista Business Week (Agosto de 2003), a China poderáBusiness Week (Agosto de 2003), a China poderá alcançar a posição da Índia - o principal local doalcançar a posição da Índia - o principal local do mundo de "outsourcing" nesta área - em 2006-2007.mundo de "outsourcing" nesta área - em 2006-2007.
  21. 21. EUAEUA  Dependência EUA-CHINADependência EUA-CHINA  O fato da Ásia ser responsável por 4/5 doO fato da Ásia ser responsável por 4/5 do déficit comercial dos EUA (a China, só por si,déficit comercial dos EUA (a China, só por si, alimenta 1/5) e da China deter 45% dasalimenta 1/5) e da China deter 45% das obrigações do tesouro norte-americanas.obrigações do tesouro norte-americanas.  «Isto tudo só ameaça os EUA com a«Isto tudo só ameaça os EUA com a bancarrota. O último infortúnio dabancarrota. O último infortúnio da hegemonia dos EUA vai ser a ruínahegemonia dos EUA vai ser a ruína financeira. O que vai levar certamente afinanceira. O que vai levar certamente a uma crise»uma crise»
  22. 22. EUAEUA  O déficit da contaO déficit da conta corrente atingiu oscorrente atingiu os 614 bilhões de614 bilhões de dólares em 2004, oudólares em 2004, ou seja 5,2% do PIB.seja 5,2% do PIB.  O déficit poderáO déficit poderá chegar a 7,8% dochegar a 7,8% do PIB em 2008 e 13%PIB em 2008 e 13% em 2010, com umem 2010, com um valor recorde de 1valor recorde de 1 trilhão, atrilhão, a continuarem ascontinuarem as atuais tendências. Oatuais tendências. O dólar estádólar está atualmente 30%atualmente 30% mais barato do que omais barato do que o euroeuro OS NÚMEROS DO DIABO (em bilhões US$) Indicadores 2001 2002 2003 2004 Déficit corrente -385 -474 -531 -614 Déficit comercial -363 -422 -497 -559 Dívida liquida dos EUA 2212 2729 3380 4144 Obrigações do Tesouro na posse de estrangeiros 1040 1239 1528 1799 Fonte: Brad Setser e Nouriel Roubini, The US as a Net Debtor, Setembro 2004
  23. 23. 7.7. Explosão de guerras, tensões e conflitos regionais.Explosão de guerras, tensões e conflitos regionais. Guerras pelos RecursosGuerras pelos Recursos «a próxima fronteira do petróleo»,«a próxima fronteira do petróleo», em que refere o movimentoem que refere o movimento estratégico norte-americano de posicionamento econômico eestratégico norte-americano de posicionamento econômico e militar na região do Mar Cáspio e das antigas repúblicasmilitar na região do Mar Cáspio e das antigas repúblicas soviéticas da Ásia Central, onde as reservas de petróleosoviéticas da Ásia Central, onde as reservas de petróleo (Azerbaijão, Casaquistão) e gás (Casaquistão, Uzbequistão,(Azerbaijão, Casaquistão) e gás (Casaquistão, Uzbequistão, Turquemenistão) poderão fazer a diferença nas próximasTurquemenistão) poderão fazer a diferença nas próximas décadas. O objetivo é diminuir a dependência estratégica emdécadas. O objetivo é diminuir a dependência estratégica em relação ao Golfo Pérsico (recorde-se que em 2008 terá o domíniorelação ao Golfo Pérsico (recorde-se que em 2008 terá o domínio da oferta via OPEP). Os 3% de oferta mundial a partir do Cáspioda oferta via OPEP). Os 3% de oferta mundial a partir do Cáspio poderão fazer toda a diferença a partir de 2010.poderão fazer toda a diferença a partir de 2010. Business Week (2002)Business Week (2002) Macrotendências Mundiais.Macrotendências Mundiais.
  24. 24. 8.8. Aumento do número de pessoas atingidasAumento do número de pessoas atingidas pela exclusão social.pela exclusão social. • A concentração do poder tecnológico, financeiro, político eA concentração do poder tecnológico, financeiro, político e militar em um conjunto de países (G-7) consolida umamilitar em um conjunto de países (G-7) consolida uma “globalização desigual” onde 20% da humanidade“globalização desigual” onde 20% da humanidade controla 83% das rendas mundiais e os 20% mais pobrescontrola 83% das rendas mundiais e os 20% mais pobres dispõem apenas de 1,4% dessas mesmas rendas.dispõem apenas de 1,4% dessas mesmas rendas. Macrotendências Mundiais.Macrotendências Mundiais.
  25. 25. 9. Globalização do narcotráfico e da economia9. Globalização do narcotráfico e da economia da contravenção.da contravenção. ““Guerra perdida”- possibilidades deGuerra perdida”- possibilidades de minimização regionalminimização regional Máfia globalizadaMáfia globalizada Macrotendências Mundiais.Macrotendências Mundiais.
  26. 26. 7.7. Agudização do desafio da sustentabilidade.Agudização do desafio da sustentabilidade. • Aceleração do esgotamento dos recursos não-Aceleração do esgotamento dos recursos não- renováveis.renováveis. • Emergência na criação e desenvolvimento de novosEmergência na criação e desenvolvimento de novos materiais substitutos.materiais substitutos. biomateriaisbiomateriais • Controle e responsabilidade ambientalControle e responsabilidade ambiental - àgua- àgua - energia- energia -poluição-poluição Macrotendências Mundiais.Macrotendências Mundiais.
  27. 27.  DATAS A CONSIDERAR NOS CENÁRIOSDATAS A CONSIDERAR NOS CENÁRIOS  Cenário de fragmentação políticaCenário de fragmentação política  2006 - Choque petrolífero e risco de crise econômica mundial2006 - Choque petrolífero e risco de crise econômica mundial 2010 - Retoma e período de preços do barril abaixo dos 15 dólares2010 - Retoma e período de preços do barril abaixo dos 15 dólares Cenário de globalizaçãoCenário de globalização 2005-2012 - Preços do barril de petróleo abaixo dos 20 dólares2005-2012 - Preços do barril de petróleo abaixo dos 20 dólares 2010 - Gás natural ultrapassa carvão2010 - Gás natural ultrapassa carvão 2013 - Médio Oriente detém 55% do mercado do petróleo2013 - Médio Oriente detém 55% do mercado do petróleo 2015 - Choque Petrolífero e última cartada do Médio Oriente2015 - Choque Petrolífero e última cartada do Médio Oriente 2020 - Gás ultrapassa petróleo e hipótese de crise econômica mundial2020 - Gás ultrapassa petróleo e hipótese de crise econômica mundial (cenário de Harry Dent)(cenário de Harry Dent)  Datas de referência no futuro energético2020Datas de referência no futuro energético2020  - 20% do consumo total de energia da União Europeia é fornecido por- 20% do consumo total de energia da União Europeia é fornecido por importações de gásimportações de gás 2025 - Ano da encruzilhada nas opções estratégicas2025 - Ano da encruzilhada nas opções estratégicas 2025 - pico do gás natural2025 - pico do gás natural 2025-2050 - planalto de estagnação do crescimento do gás2025-2050 - planalto de estagnação do crescimento do gás 2025-2040 - zona de cenários de pico da produção do petróleo2025-2040 - zona de cenários de pico da produção do petróleo 2040 - Biocombustíveis líquidos afirmam-se2040 - Biocombustíveis líquidos afirmam-se 2050 - Energias renováveis detém 1/3 da energia primária mundial2050 - Energias renováveis detém 1/3 da energia primária mundial
  28. 28. Trajetória mundial mais provávelTrajetória mundial mais provável  –– lenta e irregular evolução de um quadro atual bastantelenta e irregular evolução de um quadro atual bastante contraditório - combinando tendência recessiva, crise decontraditório - combinando tendência recessiva, crise de confiança no sistema financeiro e sinais de protecionismoconfiança no sistema financeiro e sinais de protecionismo com avanços nas negociações em torno de um sistema decom avanços nas negociações em torno de um sistema de regulação mundial - para um processo de redefinição eregulação mundial - para um processo de redefinição e consolidação de novas regras e mecanismos de controle,consolidação de novas regras e mecanismos de controle, na medida em que vai mudando o jogo de poder quena medida em que vai mudando o jogo de poder que decorre da emergência da China e outras naçõesdecorre da emergência da China e outras nações intermediárias, como o Brasil. Desta forma, no curto prazo,intermediárias, como o Brasil. Desta forma, no curto prazo, a economia mundial deve apresentar, ainda, grandesa economia mundial deve apresentar, ainda, grandes instabilidades e uma irregular incorporação de mecanismosinstabilidades e uma irregular incorporação de mecanismos de regulação e gestão econômica; na medida em que estesde regulação e gestão econômica; na medida em que estes mecanismos se consolidam e geram resultados, no longomecanismos se consolidam e geram resultados, no longo prazo, deve ser iniciado um processo de retomada de umprazo, deve ser iniciado um processo de retomada de um novo ciclo de crescimento econômico com redução dasnovo ciclo de crescimento econômico com redução das desigualdades entre as nações, combinando os grandesdesigualdades entre as nações, combinando os grandes avanços tecnológicos com o fortalecimento das instituiçõesavanços tecnológicos com o fortalecimento das instituições mundiais de regulação que implementam políticas globaismundiais de regulação que implementam políticas globais de desenvolvimento.de desenvolvimento.
  29. 29. Ralf M. Ehmke CENÁRIOS E TENDÊNCIASCENÁRIOS E TENDÊNCIAS PARA O BRASILPARA O BRASIL
  30. 30. Eixos do Desenvolvimento e Integração NacionalEixos do Desenvolvimento e Integração Nacional
  31. 31. Eixos do Desenvolvimento e Integração NacionalEixos do Desenvolvimento e Integração Nacional
  32. 32. Eixos do Desenvolvimento e Integração NacionalEixos do Desenvolvimento e Integração Nacional
  33. 33. 2.2. Envelhecimento da populaçãoEnvelhecimento da população  Mudança nas estruturas de mercado e no perfil daMudança nas estruturas de mercado e no perfil da demandademanda 1990 2025 2000 2050 Macrotendências nacionais – horizonte 2020Macrotendências nacionais – horizonte 2020
  34. 34. 3.3. Universalização das telecomunicações eUniversalização das telecomunicações e massificação dos computadoresmassificação dos computadores  Crescimento 2000Crescimento 2000 2002: telefones fixos: 29%;2002: telefones fixos: 29%; celulares: 36%; base computadores: 67%; e usuárioscelulares: 36%; base computadores: 67%; e usuários Internet: 71%Internet: 71% 4. Essencialidade da educação para a4. Essencialidade da educação para a competitividade, empregabilidade e integraçãocompetitividade, empregabilidade e integração socialsocial  Segmentos com maior potencial de crescimento: educaçãoSegmentos com maior potencial de crescimento: educação profissional, ensino de pós graduação ‘lato sensu’ – cursosprofissional, ensino de pós graduação ‘lato sensu’ – cursos de especialização e de atualizaçãode especialização e de atualização Macrotendências nacionais – horizonte 2020Macrotendências nacionais – horizonte 2020
  35. 35. 5.5. Alta relevância do esforço exportadorAlta relevância do esforço exportador únicaúnica alternativa viável para sustentação doalternativa viável para sustentação do crescimentocrescimento  É baixa a probabilidade de atração de grandes volumes deÉ baixa a probabilidade de atração de grandes volumes de investimentos externos por longo tempoinvestimentos externos por longo tempo  Há limites e restrições (inclusive de balanço deHá limites e restrições (inclusive de balanço de pagamentos) ao crescimento baseado apenas no mercadopagamentos) ao crescimento baseado apenas no mercado internointerno  É inevitável a busca de superávits comerciais expressivos eÉ inevitável a busca de superávits comerciais expressivos e continuados como principal meio de:continuados como principal meio de:  redução da vulnerabilidade externa (implicandoredução da vulnerabilidade externa (implicando inclusive em menores custos de captação de recursos)inclusive em menores custos de captação de recursos)  sustentação do crescimento econômicosustentação do crescimento econômico  Crescimento exportações entre 1985 e 2000: China = 800%; CoréiaCrescimento exportações entre 1985 e 2000: China = 800%; Coréia do Sul = 500%; Brasil =114%do Sul = 500%; Brasil =114% Macrotendências nacionais – horizonte 2020Macrotendências nacionais – horizonte 2020
  36. 36. Balanço de Pagamentos -Balanço de Pagamentos - indicadores para um crescimento sustentável?indicadores para um crescimento sustentável? -8000,00 -6000,00 -4000,00 -2000,00 0,00 2000,00 4000,00 6000,00 8000,00 1995 12 1996 12 1997 12 1998 12 1999 12 2000 12 2001 12 2002 12 2003 12 2004 12 Saldo final de ano US$milhões Conta capital e financeira Transações correntes
  37. 37. 6.6. Emergência do combate à pobreza e à violênciaEmergência do combate à pobreza e à violência como as questões estratégicas prioritárias nocomo as questões estratégicas prioritárias no campo socialcampo social  Segmentos com alto potencial de crescimento:operação eSegmentos com alto potencial de crescimento:operação e gestão de programas sociais; implementação de sistemasgestão de programas sociais; implementação de sistemas inteligentes de repressão e prevenção ao crimeinteligentes de repressão e prevenção ao crime A evolução da pobreza segundo o IPEA (1992 – 2001) Em % 40,79 41,71 33,92 35,54 33,88 32,67 33,96 33,64 1992 1993 1995 1996 1997 1998 1999 2001 Macrotendências nacionais – horizonte 2020Macrotendências nacionais – horizonte 2020
  38. 38. Emergência do combate à pobreza e à violência comoEmergência do combate à pobreza e à violência como as questões estratégicas prioritárias no campo socialas questões estratégicas prioritárias no campo social
  39. 39. Macrotendências nacionaisMacrotendências nacionais – horizonte 2020– horizonte 2020 7.7. Crescentes pressões pela resolução e/ouCrescentes pressões pela resolução e/ou controle de questões ambientaiscontrole de questões ambientais  Focos prioritários: água, esgotos e limpeza urbanaFocos prioritários: água, esgotos e limpeza urbana  Segmentos com maior potencial de crescimento:Segmentos com maior potencial de crescimento: saneamento, indústria de reciclagem, gestão esaneamento, indústria de reciclagem, gestão e controle ambientalcontrole ambiental
  40. 40. 8.8. Amadurecimento político da sociedade,Amadurecimento político da sociedade, consolidação da democracia e dos valoresconsolidação da democracia e dos valores republicanosrepublicanos  Eleições como rotina, transições transparentes, respeito aosEleições como rotina, transições transparentes, respeito aos poderes constituídospoderes constituídos Macrotendências nacionais – horizonte 2020Macrotendências nacionais – horizonte 2020
  41. 41. Brasil: incertezas críticas para o longo prazo –Brasil: incertezas críticas para o longo prazo – 2005-20202005-2020  Qual será a intensidade daQual será a intensidade da inserçãoinserção dodo BrasilBrasil no contexto econômico mundialno contexto econômico mundial ??  Com que extensão e intensidade se dará aCom que extensão e intensidade se dará a inclusão socialinclusão social no Brasil neste horizonte deno Brasil neste horizonte de tempo ?tempo ?
  42. 42.  O Brasil apresenta também graves estrangulamentos estruturais que tendem a comprometer sua competitividade sistêmica no contexto internacional em acelerada mudança; as restrições estruturais, portanto de lenta maturação, residem principalmente nos baixos níveis de escolaridade e de qualificação da mão de obra e nas limitações do sistema de inovação e desenvolvimento tecnológico, embora tenham havido avanços setoriais muito importantes. Combinado com o processo de degradação da infra-estrutura econômica (especialmente transporte, mas também energia) e com o complexo e inadequado sistema tributário brasileiro, forma-se o “custo Brasil” que inibe a sua capacidade de inserção competitiva no mercado mundial.
  43. 43. Quatro cenários para o Brasil 2005-2020Quatro cenários para o Brasil 2005-2020 AmplaAmpla RestritaRestritaAmplaAmpla Desenvolvimento Integrado Desenvolvimento Integrado RestritaRestrita Estagnação e Pobreza Estagnação e Pobreza Crescimento Endógeno Crescimento Endógeno Modernização com Exclusão Social Modernização com Exclusão Social Inclusão Social InserçãoExterna
  44. 44. Brasil: incertezas críticas para o curto prazo –Brasil: incertezas críticas para o curto prazo – 2005-20062005-2006  Incerteza externaIncerteza externa:: as dificuldades em relação aoas dificuldades em relação ao Brasil acentuam ou arrefecem ?Brasil acentuam ou arrefecem ?  Incerteza internaIncerteza interna:: as condições deas condições de governabilidade e governança do país (operaçãogovernabilidade e governança do país (operação do Governo Lula) serão boas ou precárias ?do Governo Lula) serão boas ou precárias ?
  45. 45. Quatro Cenários para o Brasil em 2005-2006 Curto prazo Arrefecem (65%) Arrefecem (65%) Precárias (25%)Precárias (25%)Boas (75%)Boas (75%) TRAVESSIA Transição para a Recuperação TRAVESSIA Transição para a Recuperação Aumentam (35%) Aumentam (35%) NAUFRÁGIO Crise e Desorganização Econômica e Política NAUFRÁGIO Crise e Desorganização Econômica e Política TURBULÊNCIA Navegando em Mar Revolto TURBULÊNCIA Navegando em Mar Revolto PILOTAGEM PROBLEMÁTICA Tropeçando nas Próprias Pernas PILOTAGEM PROBLEMÁTICA Tropeçando nas Próprias Pernas Condições de Governabilidade e Governança DificuldadesExternas
  46. 46.  Conflito Estados Unidos x Iraque evolui sem grandesConflito Estados Unidos x Iraque evolui sem grandes complicaçõescomplicações  Quadro de dificuldades econômicas mundiais e aQuadro de dificuldades econômicas mundiais e a desconfiança dos investidores externos em relação ao Brasildesconfiança dos investidores externos em relação ao Brasil vão se dissipando gradualmentevão se dissipando gradualmente  Governo Lula mantém gestão macro-econômica austeraGoverno Lula mantém gestão macro-econômica austera ((superávitsuperávit primário, metas de inflação, flutuação cambial)primário, metas de inflação, flutuação cambial)  Ação política eficaz para aplacar e diluir as fortes demandasAção política eficaz para aplacar e diluir as fortes demandas emergentesemergentes  Aprovação das reformas da previdência, tributária eAprovação das reformas da previdência, tributária e trabalhista e da autonomia operacional do Banco Centraltrabalhista e da autonomia operacional do Banco Central  Sucesso na implementação de ações sociaisSucesso na implementação de ações sociais  Queda no custo de rolagem das dívidas externa e internaQueda no custo de rolagem das dívidas externa e interna  Início de um ciclo virtuoso da economia em 2004Início de um ciclo virtuoso da economia em 2004 TRAVESSIA: Transição para a RecuperaçãoTRAVESSIA: Transição para a Recuperação
  47. 47.  Crescimento moderado e modernização econômica com exclusão e persistência das desigualdades sociais e regionais, continuidade dos conflitos e violência urbana e aumento dos impactos ambientais, decorrente da configuração de um projeto político liberal que prioriza a estabilidade econômica e a integração competitiva com limitada regulação do mercado e moderados investimentos públicos. Com a redução do papel do Estado a espaços restritos e seletivos de regulação e garantia de funcionamento do mercado, tende a combinar modernização tecnológica e reestruturação produtiva com integração econômica mundial e manutenção da concentração de riqueza e pequena melhoria do nível geral de renda da população brasileira, persistindo parcelas importantes de pobres e excluídos do consumo, e acelerada integração externa. TRAVESSIA: Transição para a RecuperaçãoTRAVESSIA: Transição para a Recuperação
  48. 48. Mensagem finalMensagem final ““Apesar de tudo, à medida em queApesar de tudo, à medida em que avançamos para a terra desconhecida doavançamos para a terra desconhecida do amanhã, é melhor ter um mapa geral eamanhã, é melhor ter um mapa geral e incompleto, sujeito a revisões, do que nãoincompleto, sujeito a revisões, do que não ter mapa nenhum”ter mapa nenhum” Alvin ToflerAlvin Tofler

×