ESCOLA MUNICIPAL SANTA MARIA

ALUNOS DO 7º ANO TURNO VESPERTINO

Arte e Culinária Afro-Brasileira:
Conhecer para Valorizar...
ESCOLA MUNICIPAL SANTA MARIA

ALUNOS DO 7º ANO TURNO VESPERTINO

ARTE E CULINÁRIA AFRO-BRASILEIRA: CONHECER PARA VALORIZAR...
ESCOLA MUNICIPAL SANTA MARIA

ARTE E CULINÁRIA AFRO-BRASILEIRA: CONHECER PARA VALORIZAR

Relatório apresentado a Escola Mu...
Dedicamos esta pesquisa primeiramente a Deus,
nossos queridos professores, amigos e familiares que
nos ajudaram a realizar...
AGRADECIMENTO
Agradecemos a Deus, por este momento grandioso, pelo dom maravilhoso do aprendizado,
pela vida, inteligência...
A definição do homem que servirá e do homem a ser
servido faz com que se recorra a uma diferenciação
natural entre eles, (...
RESUMO

O projeto “Arte e culinária afro-brasileira: conhecer para valorizar” visa despertar o interesse pela
arte e culin...
SUMÁRIO

Resumo
1. Introdução ...............................................................................................
1. INTRODUÇÃO
Sabe-se que a cultura afro-brasileira é o resultado do desenvolvimento da cultura
africana no Brasil, inclui...
3. ARTE E CULINÁRIA AFRO-BRASILEIRA: CONHECER PARA VALORIZAR

Denomina-se cultura afro-brasileira o conjunto de manifestaç...
4. CULINÁRIA
A cozinha brasileira deriva em grande parte da cozinha africana, mesclada com
elementos da cozinha indígena e...
místico e importante na arte africana sendo usadas nos rituais e funerais. As máscaras são
confeccionadas em barro, marfim...
6. METODOLOGIA
O projeto será desenvolvido na Escola Municipal Santa Maria, com os alunos do 7º
ano, que entre outras ativ...
8. BIBLIOGRAFIA
ALVARENGA, Mary. A influência africana na culinária brasileira. Slideshare. Disponível
em: <http://www.sli...
ANEXOS
Arte Africana
Os povos africanos faziam seus objetos de arte utilizando diversos elementos da natureza
Culinária afro-brasileira
Relatório do projeto Arte e Culinária Afro-Brasileira:  Conhecer para Valorizar
Relatório do projeto Arte e Culinária Afro-Brasileira:  Conhecer para Valorizar
Relatório do projeto Arte e Culinária Afro-Brasileira:  Conhecer para Valorizar
Relatório do projeto Arte e Culinária Afro-Brasileira:  Conhecer para Valorizar
Relatório do projeto Arte e Culinária Afro-Brasileira:  Conhecer para Valorizar
Relatório do projeto Arte e Culinária Afro-Brasileira:  Conhecer para Valorizar
Relatório do projeto Arte e Culinária Afro-Brasileira:  Conhecer para Valorizar
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Relatório do projeto Arte e Culinária Afro-Brasileira: Conhecer para Valorizar

15.983 visualizações

Publicada em

O projeto “Arte e culinária afro-brasileira: conhecer para valorizar” visa despertar o interesse pela arte e culinária afro-brasileira, bem como atender a Lei federal 10. 639/03 que determina que seja ensinada nas escolas brasileiras a História da África e a Cultura Afro-brasileira e, sobretudo reconhecer a importância dos povos africanos na história do Brasil. Com isso levar o educando a reconhecer, respeitar e valorizar as contribuições do negro na formação da cultura brasileira.

Publicada em: Educação
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • gostei quero parabenizar esta turma que vem me motivar a criar uma feira de artes e culinária dia 07 de maio em Espigão D'Oeste - RO
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
15.983
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
219
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatório do projeto Arte e Culinária Afro-Brasileira: Conhecer para Valorizar

  1. 1. ESCOLA MUNICIPAL SANTA MARIA ALUNOS DO 7º ANO TURNO VESPERTINO Arte e Culinária Afro-Brasileira: Conhecer para Valorizar IMPERATRIZ 2013
  2. 2. ESCOLA MUNICIPAL SANTA MARIA ALUNOS DO 7º ANO TURNO VESPERTINO ARTE E CULINÁRIA AFRO-BRASILEIRA: CONHECER PARA VALORIZAR Relatório apresentado a Escola Municipal Santa Maria – para socialização na IV FEIEMSAMA Orientadora: Mary Alvarenga Co-orientadora: Luciana Lima IMPERATRIZ 2013
  3. 3. ESCOLA MUNICIPAL SANTA MARIA ARTE E CULINÁRIA AFRO-BRASILEIRA: CONHECER PARA VALORIZAR Relatório apresentado a Escola Municipal Santa Maria – para socialização na IV FEIEMSAMA Orientadora: Mary Alvarenga Co-orientadora: Luciana Lima ______________________________________________ ______________________________________________ _______________________________________________ ________________________________________________ Parecer do comitê Avaliador da Pesquisa
  4. 4. Dedicamos esta pesquisa primeiramente a Deus, nossos queridos professores, amigos e familiares que nos ajudaram a realizar esse belíssimo trabalho.
  5. 5. AGRADECIMENTO Agradecemos a Deus, por este momento grandioso, pelo dom maravilhoso do aprendizado, pela vida, inteligência e coragem. A nossa família, nossos professores e amigos que estiveram do nosso lado durante a realização deste trabalho, pelo apoio, incentivo e compreensão.
  6. 6. A definição do homem que servirá e do homem a ser servido faz com que se recorra a uma diferenciação natural entre eles, (...) a desigualdade social é apenas uma decorrência de uma desigualdade que se iniciou no âmbito físico; cabe à sociedade usufruir dessa desigualdade em proveito próprio (SANTOS, 2002, p. 42).
  7. 7. RESUMO O projeto “Arte e culinária afro-brasileira: conhecer para valorizar” visa despertar o interesse pela arte e culinária afro-brasileira, bem como atender a Lei federal 10. 639/03 que determina que seja ensinada nas escolas brasileiras a História da África e a Cultura Afro-brasileira e, sobretudo reconhecer a importância dos povos africanos na história do Brasil. Com isso levar o educando a reconhecer, respeitar e valorizar as contribuições do negro na formação da cultura brasileira. Foram realizados pesquisas, aulas expositivas, leitura e interpretação de textos, organização de livrinhos com receitas culinárias afros, cartazes, confecção de máscaras e desenhos africanos, consultas em acervos bibliográficos e Internet. Nessa perspectiva, conclui-se que esse projeto foi de suma importância, pois através do mesmo foi possível compreender que a histórica do povo africano é rica, e que apesar do sofrimento e das grandes batalhas por direitos, os negros se tornaram componentes fundamentais na construção do Brasil de hoje. Palavras-chave: cultura afro-brasileira – cidadania - Brasil
  8. 8. SUMÁRIO Resumo 1. Introdução ........................................................................................................ 09 2. Objetivos ......................................................................................................... 09 2.1 Geral................................................................................................................ 09 2.2 Específicos ....................................................................................................... 09 3. Arte e Culinária Afro-brasileira: Conhecer para Valorizar ............................. 10 4. Culinária .......................................................................................................... 11 5. Arte .................................................................................................................. 11 5.1 As formas de arte africana ............................................................................... 12 6. Metodologia ..................................................................................................... 13 7. Conclusão ........................................................................................................ 13 8. Referências bibliográficas ............................................................................... 14 Anexos ............................................................................................................. 15
  9. 9. 1. INTRODUÇÃO Sabe-se que a cultura afro-brasileira é o resultado do desenvolvimento da cultura africana no Brasil, incluindo as influências recebidas das culturas portuguesa e indígena que se manifestam em diversas expressões como, por exemplo: arte, música, dança, religião e culinária. Inicialmente, todas as manifestações culturais afro-brasileiras eram proibidas, desprezadas, desestimuladas e perseguidas. Entretanto, a partir de meados do século XX, as expressões culturais afro-brasileiras começaram a ser gradualmente aceitas, admiradas e celebradas pelas elites brasileiras como expressões artísticas verdadeiramente nacionais. Assim sendo, criou-se esse projeto cuja finalidade é despertar o interesse dos alunos pela arte e culinária afro-brasileira, bem como atender a Lei federal 10. 639/03 que determina que seja ensinada nas escolas brasileiras a História da África e a Cultura Afrobrasileira e, sobretudo reconhecer a importância dos povos africanos na história do Brasil. Com isso levar o educando a reconhecer, respeitar e valorizar as contribuições do negro na formação da cultura brasileira. 2. OBJETIVOS 2.1 Geral  Reconhecer, respeitar e valorizar a cultura africana, bem como desenvolver criatividade artística do aluno ampliando seu conhecimento cultural. a 2.2 Específicos  Orientar os alunos da importância do conhecimento da a Lei 10.639/03;  Ampliar os conhecimentos a respeito da arte e culinária brasileira tomando como referencial as contribuições dos negros ao longo da nossa história;  Coletar várias receitas afro-brasileiras e compor um pequeno livro;  Estimular a pesquisa e a reflexão a respeito da origem da culinária brasileira;  Reconhecer a arte e a culinária afro-brasileira e sua inclusão no dia-a-dia do povo brasileiro;  Incentivar a criação artística através da arte afro-brasileira;  Respeitar e valorizar as manifestações da cultura africana em nosso espaço cotidiano;  Identificar contribuições da cultura africana para a cultura brasileira;  Conhecer de que forma a cultura africana influência a cultura brasileira;  Conhecer pratos típicos da culinária africana.
  10. 10. 3. ARTE E CULINÁRIA AFRO-BRASILEIRA: CONHECER PARA VALORIZAR Denomina-se cultura afro-brasileira o conjunto de manifestações culturais do Brasil que sofreram algum grau de influência da cultura africana desde os tempos do Brasil colônia até a atualidade. A cultura da África chegou ao Brasil, em sua maior parte, trazida pelos escravos negros na época do tráfico transatlântico de escravos. A história dos africanos é parte da história do povo brasileiro. Desde quando chegaram ao Brasil, os africanos passaram a contribuir para a história do país, suas culturas se intercambiaram com a do povo que já habitava aqui, transformando o Brasil num país multicultural. Traços fortes da cultura africana podem ser encontrados hoje em variados aspectos da cultura brasileira, como a música popular, a religião, a culinária, o folclore e as festividades populares. Os estados do Maranhão, Pernambuco, Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul foram os mais influenciados pela cultura de origem africana, tanto pela quantidade de escravos recebidos durante a época do tráfico, como pela migração interna dos escravos após o fim do ciclo da cana-de-açúcar na região Nordeste. Sobre a influência africana Freyre (2001, p. 343) destaca que: Quantas "mães-pretas", amas de leite, negras cozinheiras e quitandeiras influenciaram crianças e adultos brancos (negros e mestiços também), no campo e nas áreas urbanas, com suas histórias, com suas memórias, com suas práticas religiosas, seus hábitos e seus conhecimentos técnicos? Medos, verdades, cuidados, forma de organização social e sentimentos, senso do que é certo e do que é errado, valores culturais, escolhas gastronômicas, indumentárias e linguagem, tudo isso conformou-se no contato cotidiano desenvolvido entre brancos, negros, indígenas e mestiços na Colônia. Ainda de acordo com Freyre (2001, p. 346), a nossa herança cultural africana é visível no jeito de andar e no falar do brasileiro, pois: Na ternura, na mímica excessiva, no catolicismo em que se deliciam nossos sentidos, na música, no andar, na fala, no canto de ninar menino pequeno, em tudo que é expressão sincera de vida, trazemos quase todos a marca da influência negra. Da escrava ou sinhama que nos embalou. Que nos deu de mamar. Que nos deu de comer, ela própria amolegando na mão o bolão de comida. Da negra velha que nos contou as primeiras histórias de bicho e de mal-assombrado. Da mulata que nos tirou o primeiro bicho- de- pé de uma coceira tão boa. De que nos iniciou no amor físico e nos transmitiu, ao ranger da cama- devento, a primeira sensação completa de homem. Do muleque que foi o nosso primeiro companheiro de brinquedo. (Freyre (2001,p. 348) Desse modo, observa-se que a contribuição do povo africano para a formação da cultura brasileira foi primordial, tanto na composição física da população quanto na conformação do que viria a ser cultura, isso inclui várias dimensões, como a culinária, língua, música, religião, estética, valores sociais e estruturas mentais.
  11. 11. 4. CULINÁRIA A cozinha brasileira deriva em grande parte da cozinha africana, mesclada com elementos da cozinha indígena e portuguesa. Na Bahia existem duas maneiras de se preparar os pratos "afros". Uma mais simples, sem muito tempero, que é feita nos terreiros de candomblé para serem oferecidos aos Orixás, e a outra, fora dos terreiros, onde as comidas são preparadas e vendidas pela baiana do acarajé, nos restaurantes, e nas residências, que são mais carregadas no tempero e mais saborosas. A culinária baiana é a que mais demonstra a influência africana nos seus pratos típicos como acarajé, vatapá e moqueca. A feijoada é considerada o prato nacional do Brasil. É basicamente a mistura de feijões pretos e carne de porco. Começou, certamente, quando escravos negros tentaram reproduzir pratos típicos da culinária portuguesa da região do Porto que misturavam feijão branco com carne de porco. Os escravos negros modificaram a receita, pois só tinham acesso a feijões pretos, às partes rejeitadas do porco que eram salgadas (pés, rabos, orelhas) e à carne-seca. A feijoada é acompanhada pela farofa, prato a base de farinha de mandioca, com origem indígena e couve refogada. O africano introduziu na cozinha o leite de coco, o azeite de dendê, confirmou a excelência da pimenta malagueta sobre o reino; deu ao Brasil o feijão preto, o quiabo, ensinou a fazer vatapá, mungunzá, acarajé, angu e pamonha. O africano contribuiu com a difusão do inhame, da cana de açúcar e do dendezeiro, do qual se faz o azeite-de-dendê. O leite de coco, de origem polinésia, foi trazido pelos negros, assim como a pimenta malagueta e a galinha de Angola. Os africanos trouxeram ao Brasil o gosto por novos temperos e a habilidade de improvisar receitas, misturando ingredientes europeus e indígenas. Na falta de inhame usavam mandioca, na falta de pimenta africana, abusavam do azeite de dendê. Na dieta do brasileiro, a influência africana pode ser percebida em dois aspectos: no modo de preparo e na introdução de ingredientes, como o coco e o milho. A cozinha africana privilegia os assados e não as frituras. O caldo é um item importante, proveniente do alimento assado ou simplesmente preparado com água e sal. No Brasil, esta pratica popularizou o pirão. A cozinha africana, pequena, mas forte, fez valer os seus temperos, os verdes, a sua maneira de cozinhar. Modificou os pratos portugueses, substituindo ingredientes; fez a mesma coisa com os pratos da terr. E finalmente criou a cozinha brasileira, ensinando a fazer pratos com macarrão seco e a usar as panelas de barro e a colher de pau. 5. ARTE A arte africana chegou ao Brasil através dos escravos, que foram trazidos para cá pelos portugueses durante os períodos colonial e imperial. Em muitos casos, os elementos artísticos africanos fundiram-se com os indígenas e portugueses, para gerar novos componentes artísticos de uma magnífica arte afro-brasileira. A arte africana representa os usos e costumes das tribos africanas. O objeto de arte é funcional e expressam muita sensibilidade. Nas pinturas, assim como nas esculturas, a presença da figura humana identifica a preocupação com os valores étnicos, morais e religiosos. A escultura foi uma forma de arte muito utilizada pelos artistas africanos usando-se o ouro, bronze e marfim como matéria prima. Representando um disfarce para a incorporação dos espíritos e a possibilidade de adquirir forças mágicas, as máscaras têm um significado
  12. 12. místico e importante na arte africana sendo usadas nos rituais e funerais. As máscaras são confeccionadas em barro, marfim, metais, mas o material mais utilizado é a madeira. A arte africana envolve um espectro diferenciado, desde representações em pinturas, esculturas e objetos ornamentais de uso permanente e cotidiano para comemorar os ancestrais, cultuar as forças naturais, invocar forças vitais, propiciar boas colheitas, até objetos em geral que acompanham os ritos, as danças e as cerimônias religiosas em sua ampla gama de singularidades. 5.1 AS FORMAS DE ARTE AFRICANA A pintura é empregada na decoração das paredes dos palácios reais, celeiros, das choupas sagradas. Seus motivos, muito variados, vão desde formas essencialmente geométricas até a reprodução de cenas de caça e guerra. Serve também para o acabamento das máscaras e para os adornos corporais. A mais importante manifestação da arte africana é, porém, a escultura. A madeira é um dos materiais preferidos. Ao trabalhá-la, o escultor associa outras técnicas (cestaria, pintura, colagem de tecidos).  Máscaras: As máscaras são confeccionadas em barro, marfim, metais, mas o material mais utilizado é a madeira. Para estabelecer a purificação e a ligação com a entidade sagrada, são modeladas em segredo na selva. Para os africanos, a máscara representava um disfarce místico com o qual poderiam absorver forças mágicas dos espíritos e assim utilizá-las na cura de doentes, em rituais fúnebres, cerimônias de iniciação, casamentos e nascimentos.  Pintura: A pintura parece ser atividade bastante apreciada por essas tribos, realizadas em superfícies como pedras. O melhor exemplo desse tipo de prática pode ser dado pelas pedras decoradas do Sahara, pintadas durante interrompidos períodos de tempo. Essas pinturas eram realizadas por nômades pastores que por ali passavam e, muito provavelmente, fazia parte de seus ritos de iniciação para a vida adulta, tema frequente da arte primitiva.  Escultura A escultura foi uma forma de arte muito utilizada pelos artistas africanos usandose o ouro, bronze e marfim como matéria prima. Representando um disfarce para a incorporação dos espíritos e a possibilidade de adquirir forças mágicas, as máscaras têm um significado místico e importante na arte africana sendo usadas nos rituais e funerais.
  13. 13. 6. METODOLOGIA O projeto será desenvolvido na Escola Municipal Santa Maria, com os alunos do 7º ano, que entre outras atividades, serão realizadas:  Aulas expositivas;  Leitura e interpretação de textos;  Montagem de um painel com figuras que ilustrem a arte e a culinária afro brasileira; procurando dar destaque aquelas que são mais presentes em nosso meio;  Montagem de um mercado com produtos que foram trazidos da África para o Brasil;  Escrever receitas e organizar livrinhos culinários afros;  Apresentação de uma dança afro;  Pesquisas navegando livremente em sites sobre a cultura afro-brasileira;  Elaboração de cartazes ilustrativos;  Elaboração de slides com textos e imagens;  Apresentação de pratos típicos;  Confeccionar máscaras;  Exposição de artes visuais africanas. 7. CONCLUSÃO Conclui-se que a histórica do povo africano é rica, e que apesar do sofrimento e das grandes batalhas por direitos, os negros se tornaram componentes fundamentais na construção do Brasil de hoje.
  14. 14. 8. BIBLIOGRAFIA ALVARENGA, Mary. A influência africana na culinária brasileira. Slideshare. Disponível em: <http://www.slideshare.net/Alvarenga-48/culinria-afrobrasileira-14346412> Acesso em 28 de outubro de 2013. ALVARENGA, Mary. A influência do negro na cultura brasileira. Portal do professor Disponível em: <http://portaldoprofessor.mec.gov.br/ fichaTecnicaAula.html?aula=35034> Acesso em 29 de outubro de 2013 BENJAMIN, Roberto Emerson Câmara. Á África está em nós: história e cultura afrobrasileira / Roberto Benjamin. – João Pessoa, PB. Editora Grafset, 2004. 168p.; 210x280mm Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana. MEC, Brasília - 2005. FERREIRA, Márcio Carvalho C. A influência africana no processo de formação da cultura afro-brasileira Disponível em < http://www.acordacultura.org.br/artigos/29082013/influ%C3%AAncia-africana-no-processode-forma%C3%A7%C3%A3o-da-cultura-afro-brasileira> Acesso em 10 de outubro de 2013. WIKIPEDIA. Cultura afro-brasileira. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Cultura_afro-brasileira> Acesso em: 20 de outubro de 2013.
  15. 15. ANEXOS
  16. 16. Arte Africana Os povos africanos faziam seus objetos de arte utilizando diversos elementos da natureza
  17. 17. Culinária afro-brasileira

×