GregóRio De Matos Caroline

4.331 visualizações

Publicada em

Trabalho de Literatura

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.331
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
130
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

GregóRio De Matos Caroline

  1. 1. Gregório de Matos
  2. 2. Biografia <ul><li>Poeta barroco brasileiro </li></ul><ul><li>Nasceu em Salvador/BA, em 20/12/1623 e morreu em Recife/PE em 1696. </li></ul><ul><li>Foi contemporâneo do Pe. Antônio Vieira. Amado e odiado, é conhecido por muitos como &quot;Boca do Inferno&quot;, em função de suas poesias satíricas, muitas vezes trabalhando o chulo em violentos ataques pessoais. Influenciado pela estética, estilo e sintaxe de Gôngora e Quevedo, é considerado o verdadeiro iniciador da literatura brasileira. </li></ul>
  3. 3. Em 1651 foi para Portugal, onde ingressou, no ano seguinte, na Universidade de Coimbra. Formando-se em 1661, casa-se com Micaela de Andrade e ocupa vários cargos na magistratura portuguesa. Enviúva em 1678 e retorna para o Brasil, abatido e desiludido, em 1681. Em Salvador, leva uma vida desregrada, improvisando poemas acompanhados de viola e satirizando os poderosos.
  4. 4. Tipos de Obra <ul><li>Obras: </li></ul><ul><li>Sacra </li></ul><ul><li>Líricas </li></ul><ul><li>Graciosas </li></ul><ul><li>Satíricas </li></ul><ul><li>Satíricas </li></ul><ul><li>Últimas </li></ul>
  5. 5. S e n h o r a D o n a B a h i a <ul><li>&quot; Ninguém vê, ninguém fala, nem impugna, e é que, quem o dinheiro nos arranca, nos arranca as mãos, a língua, os olhos.&quot; &quot;Esta mãe universal, esta célebre Bahia, que a seus peitos toma, e cria, os que enjeita Portugal&quot; &quot;Cansado de vos pregar cultíssimas profecias, quero das culteranias hoje o hábito enforcar: de que serve arrebentar por quem de mim não tem mágoa? verdades direi como água porque todos entendais, os ladinos e os boçais, a Musa praguejadora. Entendeis-me agora?&quot; </li></ul>
  6. 6. Fotos e Livros

×