PESQUISA DE OPINIÃO COM LIDERANÇAS E A POPULAÇÃO DA AMAZÔNIA
Desenvolvimento e Conservação do Meio Ambiente
Pesquisa de opinião com lideranças e a população da Amazônia
Realização:                               WWF-Brasil – Programa Amazônia
                                          ISER - ...
D452c   Desenvolvimento e Conservação do Meio Ambiente: pesquisa de opinião com lideranças e a
        população da Amazôn...
ÍNDICE

Apresentação                                                                    7

Sumário                        ...
3. Indicadores de pressão antrópica                                                                                  58
  ...
APRESENTAÇÃO

Esta publicação traz os resultados mais significativos da am-   ver esta pesquisa foi o de buscar um quadro ...
Sumário
Os temas                                                          ridades e recorrências de alguns conjuntos de respostas/...
Em todos os       •   A diferença de visão do que vem a ser o desenvolvimento            pertório utilizado para definir o...
ra da soja na Amazônia não deve ser ampliada. Foram                ras, burocratas de Brasília e o “ pessoal do Sudeste qu...
A população têm muita          entanto, minimizado quando a população mais ampla é          2. Evitar a construção de estr...
Pesquisa Amazonia01
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pesquisa Amazonia01

960 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
960
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pesquisa Amazonia01

  1. 1. PESQUISA DE OPINIÃO COM LIDERANÇAS E A POPULAÇÃO DA AMAZÔNIA
  2. 2. Desenvolvimento e Conservação do Meio Ambiente Pesquisa de opinião com lideranças e a população da Amazônia
  3. 3. Realização: WWF-Brasil – Programa Amazônia ISER - Programa de Meio Ambiente e Desenvolvimento Coordenação geral: Samyra Crespo/ ISER Regina Vasquez / WWF-Brasil Rosa Lemos de Sá / WWF-Brasil Pesquisa com lideranças Coordenação de campo: Ângela Arruda Entrevistadores: Laila Souza Mendes Philippe Layrargues Grupos focais Moderadora e Relatora: Regina Novaes Assistente: Neyla Vaserstein Pesquisa domiciliar com a população Coordenação geral: Leandro Piquet Carneiro (USP) Coordenação de campo: Neyla Vaserstein Estatístico: Marcelo de Souza Nascimento Supervisores de campo: Desirée Luzia Martins da Silva Jurandir Chamusca Filho Programação visual, arte e diagramação: André Ramos/WWF-Brasil Pesquisa fotográfica: Shirley Carvalhedo/ WWF-Brasil Fotografias: Juan Pratiginestós Edward Parker
  4. 4. D452c Desenvolvimento e Conservação do Meio Ambiente: pesquisa de opinião com lideranças e a população da Amazônia. [ Coordenação: Rosa L. de Sá e Regina Vasquez] – [Brasília]: WWF- Brasil, c2001. 100p.:il. Color.; 29,7x21 cm. 1. Amazônia. 2. Pesquisa de opinião. 3. Desenvolvimento Sustentável. 4. Ambientalismo. 5. Conser vação do Meio Ambiente CDU 303.2.425 (811.3)
  5. 5. ÍNDICE Apresentação 7 Sumário 9 I. Pesquisa com Lideranças e Formadores de Opinião 15 Mapa – Universo da pesquisa 16 1. O ambientalismo 17 Tabela 1.1: As entidades ambientalistas mais conhecidas na Amazônia 21 Tabela 1.2: A confiabilidade das entidades ambientalistas na Amazônia 22 2. O desenvolvimento sustentável 22 3. As vocações da Amazônia 23 4. Os principais problemas ambientais da Amazônia 30 5. As soluções 33 6. O antiambientalismo 36 7. O papel da sociedade civil e das ONGs 39 8. Cenários futuros 39 9. Metodologia e características da amostra 41 Tabela 1.3 – Distribuição das entrevistas por setor 42 Tabela 1.4 – Distribuição das entrevistas por Estado 42 Tabela 1.5 - Localização dos entrevistados na Amazônia 43 II. Pesquisa com ribeirinhos, extrativistas, colonos assentados e madeireiros 45 Mapa – Localização dos grupos pesquisados 46 1. Os segmentos escolhidos 47 2. Percepção de atores e instituições 48 Tabela 2.1 – Distribuição de participantes por categoria e localidade 48 Tabela 2.2 – Características dos grupos 48 Tabela 2.3 – Avaliação de instituições e atores 50 3. Conceitos, valores e o papel de cada grupo 49 4. Os principais problemas 51 5. Pauta de prioridades 52 Tabela 2.4 – As prioridades de cada grupo 52 III. Pesquisa Domiciliar com a População 55 Mapa - Distribuição das entrevistas 56 1. A valorização da floresta 57 2. Normas e valores frente ao meio ambiente 57 Tabela 3.1 – Valores frente ao meio ambiente 58
  6. 6. 3. Indicadores de pressão antrópica 58 Tabela 3.2 – Indicadores de pressão antrópica 59 Tabela 3.3 - Atividades agrícolas e criação de animais 59 Gráfico 3.1 – Consumo de carne de caça e prática de pesca 60 4. Qualidade e problemas ambientais 61 Gráfico 3.2 – Principais problemas ambientais observados 61 Tabela 3.4 – Avaliação e percepção das mudanças nas condições ambientais 62 5. Prioridades e atores 61 Gráfico 3.3 – Prioridades da região amazônica 62 Tabela 3.5 – Prioridade número um da região amazônica por município 63 Tabela 3.6 – Prioridade número dois da região amazônica por município 63 Gráfico 3.4 – Primeira prioridade da região amazônica destacando as alternativas de desenvolvimento sustentável 63 Gráfico 3.5 – Segunda prioridade da região amazônica destacando as alternativas de desenvolvimento sustentável 63 Tabela 3.7 – O que mais prejudica a região amazônica 64 Quadro 1 - Conhecimento e conceito de desenvolvimento sustentável 64 Tabela 3.8 – Instituições que mais se preocupam com a região amazônica 65 Tabela 3.9 – Atitudes diante das ONGs e disposição para participar na solução dos problemas ambientais 65 6. As instituições de defesa do meio ambiente 65 Tabela 3.10 – Instituições ambientalistas mais conhecida 65 Tabela 3.11 – Disposição para ajudar na solução dos problemas ambientais 66 7. Conhecimento sobre meio ambiente 66 Gráfico 3.6 – Auto-classificação do nível de informação sobre temas de meio ambiente 66 Gráfico 3.7A – Meios utilizados para informar-se sobre o meio ambiente 66 Gráfico 3.7 B – Meios utilizados para informar-se sobre o meio ambiente (horário de TV) 67 8. As condições de vida da população 67 Gráfico 3.8 - Acesso aos serviços públicos 67 Tabela 3.12 – Características dos domicílios por município (%) 68 9. Metodologia 69 Anexos: 71 Anexo I - Lista dos Entrevistados na Pesquisa com Lideranças e Formadores de Opinião 73 Anexo II - Glossário de Siglas 75
  7. 7. APRESENTAÇÃO Esta publicação traz os resultados mais significativos da am- ver esta pesquisa foi o de buscar um quadro mais compreen- pla pesquisa de opinião realizada pelo WWF-Brasil em par- sivo de como o debate sobre o desenvolvimento da Amazônia ceria com o Programa de Meio Ambiente e Desenvolvimento está se dando no seio das suas próprias elites e dos movi- do ISER - Instituto de Estudos da Religião, junto à popula- mentos sociais locais, contrastando-o com a opinião da popu- ção e lideranças da região amazônica sobre desenvolvimen- lação em geral. to e meio ambiente. Entendendo que a divulgação dos principais resultados inte- O principal objetivo do estudo f oi, de um lado, obter a opi- ressam a todos aqueles que atuam na região, ou fora dela, para nião da população sobre a relação entre conservação do que a opção do desenvolvimento sustentável se torne realida- meio ambiente e desenvolvimento sócio-econômico e, de de, o WWF-Brasil resolveu destacar, nesta publicação, os as- outro, uma visão mais qualificada dessa discussão por par- pectos mais diretamente relacionados a dois eixos temáticos: te de segmentos sociais relevantes da região, formadores quais concepções sobre desenvolvimento estão hoje em jogo de opinião e com grande influência na formulação das cha- e quais as bases sociais de apoio ao projeto de uma Amazô- madas políticas de desenvolvimento. A pesquisa procurou nia sustentável e à conservação do meio ambiente. verificar até que ponto o paradigma da sustentabilidade está presente, ou não, nas agendas e no elenco de prioridades Esperamos com isso contribuir positivamente para aumentar o que estes mesmos segmentos são capazes de constituir. conhecimento sobre os processos sociais, ambientais e políti- cos em curso na Amazônia, favorecendo as estratégias de con- Em outras palavras, o interesse do WWF-Brasil ao desenvol- servação da biodiversidade e desenvolvimento para a região. Dr. Garo Batmanian Secretário Geral do WWF- Brasil
  8. 8. Sumário
  9. 9. Os temas ridades e recorrências de alguns conjuntos de respostas/opi- niões, assim como das diferenças observadas. A pesquisa foi desenvolvida através de três diferentes módulos que tiveram em comum os seguintes blocos temáticos: Os resultados desta publicação enfatizam, sempre que cabí- vel, as recorrências e regularidades entre as três modalidades. a) conhecimento e avaliação dos ambientalistas na região amazônica Os Problemas e as Prioridades na Amazônia b) conhecimento dos problemas ambientais da Amazônia e • A pesquisa mostra que a preservação da floresta é uma pauta de prioridades dos atores/segmentos das prioridades da população que vive na região, mas que há uma série de outros problemas afetando o seu desen- c) visão sobre o futuro da Amazônia e sobre as estratégias volvimento e a sua qualidade de vida. Para 34% da popu- de desenvolvimento sustentável lação, a prioridade número um para a Amazônia é conser- var a floresta e nenhuma outra alternativa superou este O método percentual. Foram utilizadas três técnicas de abordagem: • Entre os problemas estritamente ambientais, foram iden- tificados por ordem: a) o desmatamento e as queimadas; a) grupos focais em áreas selecionadas com quatro seg- b) a contaminação dos r ios; c) a falta de saneamento nas mentos de especial interesse para o WWF-Brasil: ribeiri- cidades e vilas que povoam uma Amazônia cada vez mais nhos, colonos assentados, madeireiros e extrativistas. urbanizada. A destruição da floresta aparece como o prin- cipal problema ambiental da região nas três partes da b) pesquisa qualitativa com formadores de opinião, cobrin- pesquisa. do 9 segmentos: empresários, cientistas, técnicos e gestores governamentais, ambientalistas, parlamentares, militares, • Em geral, os principais problemas são aqueles clássicos profissionais da imprensa e líderes dos movimentos soci- da falta de desenvolvimento: baixa oferta e baixa qualida- ais atuantes na região. Ao todo, foram realizadas 90 entre- de dos serviços de saúde, educação, vistas em profundidade com estes setores. infra-estrutura. Foram mencionadas especificamente a falta de estradas c) Pesquisa quantitativa de opinião (survey), num total de e transporte, a falta de saneamento 2.049 entrevistas com a população acima de 16 anos em básico e as más condições urbanas áreas rurais e urbanas de 9 municípios, incluindo as capi- (ruas sem asfalto, enchentes, lixo, tais, nos estados do Acre, Rondônia e Pará. Os resultados etc.). Foram ainda citadas a falta de podem ser desagregados por cada um dos municípios pes- segurança e a alta criminalidade . quisados. Houve destaque também para os problemas de energia, sobretudo nas Cada uma das técnicas acima mencionadas possui a sua áreas rurais, onde o serviço é escas- especificidade e oferece diferentes resultados para análise, so e ineficiente. O desemprego apa- daí uma comparação linear entre os três módulos não ser rece apenas nas perguntas fecha- 11 metodologicamente correta. No entanto, é possível uma in- das, onde as opções de resposta vi- terpretação global da pesquisa realizada, a partir das regula- nham previamente listadas.
  10. 10. Em todos os • A diferença de visão do que vem a ser o desenvolvimento pertório utilizado para definir o que é, e o que não é, “meio da Amazônia em bases sustentáveis e o interesse real de ambiente” é bastante restrito. Naturalmente, segmentos segmentos ouvidos cada público demarcam a pauta de prioridades. T odos os com maior escolaridade tendem a usar um repertório mais na pesquisa de atores afirmam desejar uma melhoria significativa nas con- amplo e mais complexo. opinião é nítida a dições de vida da população. Contudo, percebe-se uma tensão entre as pautas de preservação do meio ambiente • O desenvolvimento da Amazônia é visto como ”estratégi- consciência de que é e de desenvolvimento. co para o próprio desenvolvimento nacional” (militares); preciso usar os “estratégico para o mundo” (ambientalistas) e “essencial e recursos naturais da • Transporte e conservação das vias urbanas, bem como o legítimo, primeiramente para os próprios amazônidas” (em- saneamento, foram selecionadas como prioridades tanto presários, movimentos sociais e parlamentares). floresta de forma pela população como pelas lideranças. Como terceiro item, sustentável a população enfatizou os problemas com o fornecimento A Vocação Econômica da Região de energia; já as lideranças destacaram a necessidade de estabelecer uma política de crédito para o incentivo à agri- • Há um forte consenso, verificado em todos os módulos da cultura sustentável. pesquisa, em torno da necessidade de explorar de forma sustentável a floresta. Ela é tida por todos como um dos O Desenvolvimento Sustentável grandes recursos da região e o principal vetor na defini- ção da sua vocação econômica. A pesquisa mostra que o conceito de desenvolvimento sus- tentável já é manejado com desenvoltura pela elite amazônida, • A visão predominante, contudo, é a de que a Amazônia é considerados todos o segmentos. Este conceito tornou-se o mais do que a sua floresta, comportando vocações múlti- discurso de consenso para quem fala de meio ambiente e plas, não devendo priorizar uma única estratégia de de- desenvolvimento, independente do credo e do partido. Entre senvolvimento. Os atores usam diferentes parâmetros para a população, a expressão desenvolvimento sustentável é pou- falarem do potencial econômico da região. co conhecida. No entanto, mais da metade dos entrevistados declarou que não considera o progresso mais importante do • Os militares destacam a existência dos recursos minerais que conservar a natureza, discorda da idéia de que o Brasil e o enorme potencial de energia renovável, representado não pode dar-se ao luxo de se preocupar com problemas pelos recursos hídricos abundantes na região; ecológicos e está consciente de que é preciso controlar o uso dos recursos naturais. • Os movimentos sociais e os ambientalistas enfatizam a importância da economia baseada na explor ação susten- • As dimensões valorizadas da sustentabilidade, variam tável da floresta e a necessidade de reforçar práticas de conforme o grupo de interesse. Os empresários valorizam “ag ricultura sustentável”, baseada sobretudo na pequena a dimensão econômica, os cientistas e ambientalistas ten- produção e voltada para o mercado interno. dem a enfatizar a dimensão ecológica. Os movimentos sociais tendem a colocar em relevo a dimensão cultural e • Os empresários defendem a idéia de que a agricultura e a também a econômica, enquanto as organizações religio- pecuária são necessárias e possíveis na região, sobretu- sas insistem nos aspectos éticos. do em áreas já desmatadas. 12 • Verificou-se que, na população mais ampla, meio ambi- • Há um consenso generalizado entre as pessoas ouvidas ente ainda é fundamentalmente fauna e flora e que o re- nos dois módulos qualitativos da pesquisa de que a cultu-
  11. 11. ra da soja na Amazônia não deve ser ampliada. Foram ras, burocratas de Brasília e o “ pessoal do Sudeste que feitas severas críticas ao Plano Brasil em Ação do gover- nunca viu a floresta de perto”) e o desenvolvimento da no federal, bem como aos “eixos de desenvolvimento” nos Amazônia pelo e para os próprios amazônidas. quais ele se baseia. O Futuro • A maior parte da população afirma não estar disposta a conviver com mais poluição, ainda que isso signifique mais • Entre os que têm uma visão mais otimista, aí incluindo-se a empregos. população mais ampla, a importância que a Amazônia tem para o mundo e para a humanidade é quase um passapor- Os “Vilões” te alvissareiro para o futuro. Para os otimistas a consciên- cia ambiental aumenta no País e na região, e os próprios • Foram apontados como principais entraves ao desenvol- movimentos sociais incorporaram a preservação do meio vimento: a) a vastidão do território amazônico; b) a situa- ambiente em suas lutas pela melhora das condições de vida. ção crítica dos recursos para investimentos no País: c) a Para eles, a importância estratégica da região tende a au- falta de um projeto coerente para a região. Segundo os mentar interna e exter namente, e a impunidade que hoje entrevistados, “o desenvolvimentismo dos anos 70 foi aban- impera nas agências de desenvolvimento ali existentes tem donado sem que se tenha colocado nada no lugar”. os dias contados. • Vários entrevistados em todos os segmentos, com exce- • A crença de que “a Amazônia não é uma prioridade na ção dos militares e dos religiosos, insistiram em que o Pla- agenda pública nacional” e de que faltam políticas coeren- no Brasil em Ação é “um pilar do desenvolvimento errado”. tes par a região faz com que o futuro da Amazônia seja visto com pessimismo por expressiva parte das lideran- • Os madeireiros se ressentem de estarem sendo “massa- ças ouvidas. Acreditam, ainda, que o desmatamento vem crados pela opinião pública”, vítimas do governo (IBAMA), aumentando e que a pobreza da população na região ten- da mídia jornalística e dos ambientalistas, eleitos injusta- de a pressionar ainda mais os recursos ali existentes. Os mente como os grandes “vilões” na luta pela preservação mais catastrofistas acreditam que, no futuro, a Amazônia do meio ambiente na Amazônia. será um colar de cidades pobres entremeadas por unidades de conser- • Outros “vilões” apontados, sobretudo na parte qualitativa vação, remanescentes da floresta. da pesquisa, foram: pecuaristas, latifundiários, grileiros e empresários do “ falso” turismo ecológico. O Papel das ONGs e da Sociedade Civil • Também foram mencionadas com indignação, sobretudo • Na construção de uma sociedade por militares, empresários e parlamentares, aquelas ONGs amazônica sustentável foi valorizado que disseminam “uma imagem distorcida”, construída pe- o papel das ONGs e outras organiza- los “de fora”, de que na Amazônia só existem “índios e ções da sociedade civil, tidas como seringueiros, e os tais povos da floresta, uma invenção de “comprometidas”, independentes e antropólogos e ongueiros” . fundamentais para ampliação da consciência ambiental. Este papel 13 • Foi detectada uma forte tensão entre o que seria uma “Ama- impor tante a ser desempenhado pe- zônia sustentável” segundo “os de fora” (ONGs estrangei- las organizações da sociedade é, no
  12. 12. A população têm muita entanto, minimizado quando a população mais ampla é 2. Evitar a construção de estradas, sobretudo na Amazônia ouvida. A pesquisa domiciliar (survey) mostra, nas 9 ci- Ocidental simpatia pelas dades pesquisadas, que a maior par te dos entrevistados organizações (61%) atribui ao governo – em seus diferentes níveis e 3. Consolidar um Código Florestal específico para a região ambientalistas em geral, esferas de competência – a responsabilidade pela solu- ção dos problemas ambientais e pelo sucesso ou fracas- 4. Melhorar a Lei de Acesso aos Recursos Genéticos mas as ONGs são so do processo de desenvolvimento da região. pouco conhecidas do 5. Aplicar o Zoneamento Econômico Ecológico em bases grande público • Em toda a parte qualitativa da pesquisa — nas entrevistas participativas e incentivar os processos de construção da com as lideranças e nos grupos focais — foram valoriza- Agenda 21 local dos o papel e a atuação das ONGs que nâo sâo “xiitas” e que “ não preferem macaquinho ao índio”, numa clara res- 6. Rever a política de assentamentos na Amazônia, sobretudo tr ição às organizações que possuem uma pauta os da reforma agrária, priorizando as áreas já desmatadas preservacionista. As organizações que gozam de prestí- gio são aquelas que associam as questões sociais com 7. Proteger as populações tradicionais e as populações as questões ambientais. Essa associação é, inclusive, indígenas reivindicada como uma característica do ambientalismo amazônida, chamado de sócio-ambiental. 8. Implementar programas de capacitação técnica para os produtores rurais • Ouvindo a população, são poucos os que conseguem lem- brar o nome de uma organização não-governamental que 9. Formular uma política de desenvolvimento urbano para a se dedica à proteção do meio ambiente. Computando os região três estados, a instituição ambiental mais conhecida é o Ibama. 10.Acelerar a reforma do Estado e das agências técnicas de controle e fiscalização do meio ambiente • Foi detectado, no entanto, por parte da população, um ele- vado grau de simpatia (76% dos entrevistados) pelas or- 11.Ampliar, através de campanhas, o reconhecimento da im- ganizações que trabalham com as questôes ambientais. portância da Amazônia junto à opinião pública nacional e Um percentual expressivo dos entrevistados declarou-se internacional disposto a ajudar com trabalho voluntário e doações. 12.Melhorar as estratégias e as coalizões das “forças Propostas sustentabilistas” existentes dentro e fora da Amazô- nia, que estão presentes em todos os setores, e de- Algumas ações concretas foram suger idas pelas lideranças dos senvolver práticas de lobby a favor da conservação da setores entrevistados como passos importantes e inadiáveis floresta para mudar o paradigma atual de desenvolvimento da região: 13.Promover a renovação da classe política através de cam- 1. Repensar o Avança Brasil para a Amazônia panhas pelo “voto responsável”. 14

×