SlideShare uma empresa Scribd logo
Tecnologias Digitais: contributos para percursos de
sucesso de estudantes não tradicionais no Ensino Superior
Marta Pinto, Carlinda Leite
mpinto@fpce.up.pt, carlinda@fpce.up.pt
Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto
I Seminário Internacional CAFTe
Currículo, Avaliação, Formação e Tecnologias educativas
9 e 10 de julho, 2018
Local: FPCEUP
SFRH/BPD/116440/2016
I Seminário Internacional CAFTe
Enquadramento
As Tecnologias Digitais têm cons1tuído um dos focos de uma nova geração de polí/cas de
educação na União Europeia, cons1tuindo mesmo um dos eixos prioritários da Agenda 2020.
Poderão cons1tuir um apoio à criação de um Espaço Europeu de Ensino Superior, em linha
com o que é esperado pelo processo de Bolonha, de valorização dos processos de
aprendizagem a1vos e autónomos dos/as estudantes, baseado no desenvolvimento de
competências.
Neste processo as TD assumem um papel relevante, nomeadamente pelas condições que
oferecem aos estudantes, quer pela ampliação do acesso à informação, aquisição e par1lha
de conhecimentos, promoção da sua autonomização, colaboração, par1cipação e interação
com os diversos espaços de aprendizagem em registos presenciais e a distância.
SFRH/BPD/116440/2016
I Seminário Internacional CAFTe
O Decreto Lei n.º 85/2009, de 27/08, no ar8go nº 5 decreta que têm acesso ao
ensino superior os maiores de 23 anos que, não sendo 8tulares da habilitação de
acesso ao ensino superior, façam prova de capacidade para a sua frequência
através da realização de provas especialmente adequadas, realizadas pelos
estabelecimentos de ensino superior.
23+
É reconhecido que nas úl8mas décadas chegaram ao Ensino Superior estudantes
com situações muito diversas,
os mesmos estudantes que vivem imersos em medias digitais em todos os
aspetos da sua vida e que con8nuarão a usá-las nas suas experiências de
integração e par8cipação académica e social..
SFRH/BPD/116440/2016
I Seminário Internacional CAFTe
Que Tecnologias Digitais são usadas pelos estudantes do ES +23?
Quais são as Tecnologias Digitais ‘oficiais’ e ‘não-oficiais’ u<lizadas
pelos estudantes?
Qual a relação de uso das Tecnologias Digitais com o sucesso
académico dos estudantes?
Que uso fazem dessas Tecnologias Digitais como suporte à construção
de aprendizagens?
SFRH/BPD/116440/2016
I Seminário Internacional CAFTe
Entrevistas Análise dos
discursos
SFRH/BPD/116440/2016
I Seminário Internacional CAFTe
Caracterização dos estudantes +23
FLUP FEUP
3
24 61
36
2
SFRH/BPD/116440/2016
I Seminário Internacional CAFTe
Que Tecnologias Digitais são usadas pelos estudantes do ES +23?
Disposi8vos u"lizados para os estudos
Pessoal (5) Pessoal (1)
Ins8tucional (4)
SFRH/BPD/116440/2016
I Seminário Internacional CAFTe
Tecnologias Digitais ‘não-oficiais’ u3lizadas pelos estudantes
1
1
1
1
2
3
3
4
Software específico
Dr opbox
What sApp
Wikipédia
Documentos…
Vídeos
Wor d processador …
Facebook "O Facebook eu uso muito. Já temos um grupo de
História criado, criado pelo grupo de alunos de
História da FLUP de vários anos. Onde se par?lha e
recebe informação."
“Um colega que vai par?lhar no grupo do Facebook
um vídeo muito bom que responderá a uma das
perguntas de um trabalho que temos que fazer a
uma das disciplinas.”
“Costumo ir sempre procurar na internet, seja
Wikipédia, ver vídeos no Youtube, é o que costumo
fazer.”
SFRH/BPD/116440/2016
I Seminário Internacional CAFTe
Tecnologias Digitais ‘oficiais’ u1lizadas pelos estudantes
“O Webmail é mais para usar com os professores.”
“Recebo os mails da comunidade no meu e-mail
ins9tucional e são posteriormente e
automá9camente reencaminhados para o meu e-
mail pessoal. sinto-me bastante próximo e
informado do que vai acontecendo.”
1
2
3
3
5
Softwares
específicos da …
Mood le
Site s de pesquisa
bibliográ fica
Document os
eletró nicos (e-…
Email
"informação de suporte à disciplina (no Moodle)."
“É muito raro os professores u9lizarem tecnologia,
exporem imagens. Quando u9lizam é sobretudo no
1º ano para nos mostrarem a biblioteca, mostrar os
livros e como se pesquisava...as bases de dados,
encontrar ar9gos.”
SFRH/BPD/116440/2016
I Seminário Internacional CAFTe
Que uso fazem dessas tecnologias como suporte à construção de
aprendizagens?
• par%lha de informação,
conteúdos e materiais de
aprendizagem – documentos,
links, ou vídeos.
• comunicação entre estudantes
sobre questões relacionadas com
o curso, professores ou estudos.
• aceder a outras formas
de explicação de
conteúdos.
• melhor compreender e
aprofundar o seu
conhecimento .
• consulta de informação.
• esclarecer dúvidas.
• pesquisa bibliográfica.
• consulta de documentos.
• acesso a documentos
de apoio à disciplina.
• a%vidades de avaliação.
• comunicar com os docentes.
• receber informação
ins%tucional.
SFRH/BPD/116440/2016
I Seminário Internacional CAFTe
Tecnologias Digitais ‘não oficiais’
• as mais u(lizadas pelos
estudantes.
• u(lizadas con(nuamente no apoio
aos estudos.
• uso em grupo.
• consideradas úteis.
• u(lizadas pontualmente.
• uso de acordo com os requisitos das
unidades curriculares ou
necessidade de comunicação com o
docente.
• uso individual.
• consideradas úteis.
Tecnologias Digitais ‘oficiais’
flexibilidade do local e tempo dedicado ao estudo. rápido no acesso a
materiais curriculares. apoio ao estudo em sala de aula mas sobretudo fora da
sala de aula. interação diferenciada com os conteúdos.
SFRH/BPD/116440/2016
I Seminário Internacional CAFTe
Qual a relação de uso das Tecnologias Digitais com o sucesso académico
dos estudantes?
“Por sucesso académico entendemos não apenas o sucesso escolar ou educa3vo mas
também o sucesso pessoal, social e comunitário que deverá a3ngir o estudante
universitário durante o tempo da sua vida no interior da academia” (Tavares, 2008)
Fatores de sucesso (Alarcão, 2000): Estudante, Professor, Currículo, Ins3tuição.
Estudante
• Autonomia na gestão do estudo: pode estudar em qualquer momento e lugar –
todas as ferramentas, incluindo Wifi/Eduroam; acesso ao Moodle.
• Cooperação entre alunos: par3lha de materiais de estudo – Facebook.
• Trabalhador estudante.
"Acho que seria possível ter sucesso sem acesso às tecnologias, mas seria
com mais esforço. Teria que fazer mais deslocações. As tecnologias dão-
nos um pouco mais de comodismo, dão-nos mais tempo para estudar."
"Com o tablet posso estudar em quer lugar e a qualquer hora. Posso
inclusivamente estudar em pequenos intervalos no trabalho que vá
fazendo ao longo do dia."
SFRH/BPD/116440/2016
I Seminário Internacional CAFTe
Currículo
• Qualidade dos recursos didá0cos: alguns fornecidos pelos professores, outros
escolhidos e par4lhados entre estudantes, uso de so5wares específicos.
• Tempo despendido entre ensino e aprendizagem.
Professor
• Despistagem de desajustes e dificuldades: contacto facilitado com
professores através do Email
"Temos que mandar uma mensagem aos professores quando podemos passar lá
para 3rar umas dúvidas. E eles se 3verem tempo passamos lá e 3ramos umas
dúvidas, ou podemos enviar-lhes um email (com as dúvidas) e ver se eles
respondem."
"Como vantagem (de uso das tecnologias) o rápido acesso aos conteúdos da
cadeira."
"(...) os profs fizeram essas referências. Sites fidedignos e que têm um conjunto
de teses de inves3gação a nível mundial."
SFRH/BPD/116440/2016
I Seminário Internacional CAFTe
Ins$tuição
• Integração ins$tucional dos estudantes: espaços de gestão - Sigarra -, emails
da Universidade, Faculdade, Associação de estudantes
• Existência de espaços de estudo: Moodle; Wifi – Eduroam.
"Recebo os mails da comunidade no meu e-mail ins1tucional e são
posteriormente e automá1camente reencaminhados para o meu e-mail pessoal.
Sinto-me bastante próximo e informado do que vai acontecendo."
SFRH/BPD/116440/2016
I Seminário Internacional CAFTe
Apresentação e discussão dos resultados
Muito do uso e u)lidade das tecnologias parecem formatados por modelos
‘transmissivos’ de aprendizagem, ampliação do acesso à informação e par)lha de
conhecimentos e materiais, mas sem cumprir um papel no desenvolvimento de novas
abordagens de ensino e aprendizagem.
Estudantes +23 )nham perfis idên)cos de uso das TD no suporte à aprendizagem.
Emergiu claramente um perfil do estudante com mobilidade, servindo-se para isso do
uso de disposi)vos móveis, sobretudo o computador portá)l pessoal.
O uso das TD revela os estudantes num perfil de u)lizadores ‘básicos’, podendo estes
resultados ser um ponto de par)da para a discussão sobre o modo como as TD são
usadas no Ensino Superior, e o incen)vo que fazem a esse )po de uso.
As TD adotadas são diversas. As TD ‘não-oficiais’ encontram um espaço no quo)diano
do estudante, numa combinação entre um uso para fins pessoais e fins de suporte ao
estudo académico.
SFRH/BPD/116440/2016
I Seminário Internacional CAFTe
As TD foram retratadas com um uso transversal e menos direcionado para unidades
curriculares específicas.
Contudo, para o que é esperado pelo processo de Bolonha no Ensino Superior, as TD têm
contribuído para os processos de aprendizagem aCvos e autónomos dos estudantes,
revelando sobretudo o desenvolvimento de competências de pesquisa de informação e
seleção das fontes de informação, referidas pelos estudantes e assumidas pelos mesmos
como tendo sido desenvolvidas.
As relações do seu uso com o sucesso académico estabelece-se através do suporte à
autonomia do estudante na gestão do tempo e local estudo, à cooperação e comunicação
entre alunos através da parClha de materiais de estudo, na comunicação com os
docentes e no uso de espaços digitais insCtucionais para o estudo.
SFRH/BPD/116440/2016
Tecnologias Digitais: contributos para percursos de
sucesso de estudantes não tradicionais no Ensino Superior
Marta Pinto, Carlinda Leite
mpinto@fpce.up.pt, carlinda@fpce.up.pt
Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto
I Seminário Internacional CAFTe
Currículo, Avaliação, Formação e Tecnologias educativas
9 e 10 de julho, 2018
Local: FPCEUP
SFRH/BPD/116440/2016

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

DEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEM
DEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEMDEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEM
DEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEM
Renata Vasconcellos
 
Relatorio atividade gp_para marilene - 2013
Relatorio atividade gp_para marilene - 2013Relatorio atividade gp_para marilene - 2013
Relatorio atividade gp_para marilene - 2013
lenepop
 
Relatório final isabel morais.doc 1
Relatório final isabel morais.doc 1Relatório final isabel morais.doc 1
Relatório final isabel morais.doc 1
isamorais54
 
Apresentação do Programa Proinfo
Apresentação do Programa ProinfoApresentação do Programa Proinfo
Apresentação do Programa Proinfo
carmelitalh
 
Apostila Educação Digital
Apostila Educação DigitalApostila Educação Digital
Apostila Educação Digital
Sônia Aparecida Bonfim de Souza
 
Apresentação do curso Introdução a Educação Digital
Apresentação do curso Introdução a Educação DigitalApresentação do curso Introdução a Educação Digital
Apresentação do curso Introdução a Educação Digital
Ana Cristina Farias
 
Comunicação e linguagem no AVA
Comunicação e linguagem no AVAComunicação e linguagem no AVA
Comunicação e linguagem no AVA
maritania.linux
 
Projetooficina Tla M Iv1[1]
Projetooficina Tla M Iv1[1]Projetooficina Tla M Iv1[1]
Projetooficina Tla M Iv1[1]
sanrose18
 
Af excel-s01
Af excel-s01Af excel-s01
Af excel-s01
nuno.jose.duarte
 
Laboratorio de informatica
Laboratorio de informaticaLaboratorio de informatica
Laboratorio de informatica
Deusirene Magalhaes
 
O Uso do Computador Nas Escolas Brasileiras Como Recurso ´Pedagógico
O Uso do Computador Nas Escolas Brasileiras Como Recurso ´PedagógicoO Uso do Computador Nas Escolas Brasileiras Como Recurso ´Pedagógico
O Uso do Computador Nas Escolas Brasileiras Como Recurso ´Pedagógico
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
Informática na Educação
Informática na EducaçãoInformática na Educação
Informática na Educação
Tajra Assessoria Educacional Ltda
 
Computadores para educar
Computadores para educarComputadores para educar
Computadores para educar
zilmavieira
 
Slides Proinfo
Slides ProinfoSlides Proinfo
Trabalho de informatica
Trabalho de informaticaTrabalho de informatica
Trabalho de informatica
acmr20
 
Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem
Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem
Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem
Sandra Oliveira
 
Proinfo integrado aqz
Proinfo integrado aqzProinfo integrado aqz
Proinfo integrado aqz
Evenio Matos
 
ProInfo Integrado
ProInfo IntegradoProInfo Integrado
ProInfo Integrado
donicleo
 
Projeto Linux - E.E.B Melo e Alvim
Projeto Linux - E.E.B Melo e AlvimProjeto Linux - E.E.B Melo e Alvim
Projeto Linux - E.E.B Melo e Alvim
Lucas Wanderlei Pratto
 
O uso de tecnologias em sala de aula
O uso de tecnologias em sala de aulaO uso de tecnologias em sala de aula
O uso de tecnologias em sala de aula
Nana De Carvalho
 

Mais procurados (20)

DEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEM
DEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEMDEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEM
DEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEM
 
Relatorio atividade gp_para marilene - 2013
Relatorio atividade gp_para marilene - 2013Relatorio atividade gp_para marilene - 2013
Relatorio atividade gp_para marilene - 2013
 
Relatório final isabel morais.doc 1
Relatório final isabel morais.doc 1Relatório final isabel morais.doc 1
Relatório final isabel morais.doc 1
 
Apresentação do Programa Proinfo
Apresentação do Programa ProinfoApresentação do Programa Proinfo
Apresentação do Programa Proinfo
 
Apostila Educação Digital
Apostila Educação DigitalApostila Educação Digital
Apostila Educação Digital
 
Apresentação do curso Introdução a Educação Digital
Apresentação do curso Introdução a Educação DigitalApresentação do curso Introdução a Educação Digital
Apresentação do curso Introdução a Educação Digital
 
Comunicação e linguagem no AVA
Comunicação e linguagem no AVAComunicação e linguagem no AVA
Comunicação e linguagem no AVA
 
Projetooficina Tla M Iv1[1]
Projetooficina Tla M Iv1[1]Projetooficina Tla M Iv1[1]
Projetooficina Tla M Iv1[1]
 
Af excel-s01
Af excel-s01Af excel-s01
Af excel-s01
 
Laboratorio de informatica
Laboratorio de informaticaLaboratorio de informatica
Laboratorio de informatica
 
O Uso do Computador Nas Escolas Brasileiras Como Recurso ´Pedagógico
O Uso do Computador Nas Escolas Brasileiras Como Recurso ´PedagógicoO Uso do Computador Nas Escolas Brasileiras Como Recurso ´Pedagógico
O Uso do Computador Nas Escolas Brasileiras Como Recurso ´Pedagógico
 
Informática na Educação
Informática na EducaçãoInformática na Educação
Informática na Educação
 
Computadores para educar
Computadores para educarComputadores para educar
Computadores para educar
 
Slides Proinfo
Slides ProinfoSlides Proinfo
Slides Proinfo
 
Trabalho de informatica
Trabalho de informaticaTrabalho de informatica
Trabalho de informatica
 
Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem
Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem
Plataformas Colaborativas e de Aprendizagem
 
Proinfo integrado aqz
Proinfo integrado aqzProinfo integrado aqz
Proinfo integrado aqz
 
ProInfo Integrado
ProInfo IntegradoProInfo Integrado
ProInfo Integrado
 
Projeto Linux - E.E.B Melo e Alvim
Projeto Linux - E.E.B Melo e AlvimProjeto Linux - E.E.B Melo e Alvim
Projeto Linux - E.E.B Melo e Alvim
 
O uso de tecnologias em sala de aula
O uso de tecnologias em sala de aulaO uso de tecnologias em sala de aula
O uso de tecnologias em sala de aula
 

Semelhante a Tecnologias Digitais: contributos para percursos de sucesso de estudantes não tradicionais no Ensino Superior

Pré-Projeto O uso da Tecnologia no processo de ensino/aprendizagem
Pré-Projeto O uso da Tecnologia no processo de ensino/aprendizagemPré-Projeto O uso da Tecnologia no processo de ensino/aprendizagem
Pré-Projeto O uso da Tecnologia no processo de ensino/aprendizagem
Bruno Vieira Borges
 
O uso das novas Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) por professores...
O uso das novas Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) por professores...O uso das novas Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) por professores...
O uso das novas Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) por professores...
Angelo Branco
 
Apresentação Recife Hipertexto 2013
Apresentação Recife Hipertexto 2013Apresentação Recife Hipertexto 2013
Apresentação Recife Hipertexto 2013
Yanna Dias
 
Design pedagógico na EAD e a integração de mídias
Design pedagógico na EAD e a integração de mídiasDesign pedagógico na EAD e a integração de mídias
Design pedagógico na EAD e a integração de mídias
Renata Aquino
 
Encontro 4 exclusão digital e recursos que facilitam a apropriação das tecno...
Encontro 4  exclusão digital e recursos que facilitam a apropriação das tecno...Encontro 4  exclusão digital e recursos que facilitam a apropriação das tecno...
Encontro 4 exclusão digital e recursos que facilitam a apropriação das tecno...
Bianca Santana
 
Eebluizdelfino ativ5 plac2_30.03.15a
Eebluizdelfino ativ5 plac2_30.03.15aEebluizdelfino ativ5 plac2_30.03.15a
Eebluizdelfino ativ5 plac2_30.03.15a
ProfCarpes
 
Apresentação JEALAV 2016_dalcim_hoyos_vieira
Apresentação JEALAV 2016_dalcim_hoyos_vieiraApresentação JEALAV 2016_dalcim_hoyos_vieira
Apresentação JEALAV 2016_dalcim_hoyos_vieira
Maria Glalcy Fequetia Dalcim
 
Wq
WqWq
Apresentacao Mestrado Tecn Ed PUC-SP
Apresentacao Mestrado Tecn Ed PUC-SPApresentacao Mestrado Tecn Ed PUC-SP
Apresentacao Mestrado Tecn Ed PUC-SP
PUC-SP PPG Educacao Curriculo
 
E folio a-joséviegas_t1_1200100
E folio a-joséviegas_t1_1200100E folio a-joséviegas_t1_1200100
E folio a-joséviegas_t1_1200100
Faria Viegas
 
Slide 1ª formação ped ii 03-02-12
Slide 1ª formação ped ii   03-02-12Slide 1ª formação ped ii   03-02-12
Slide 1ª formação ped ii 03-02-12
ntemsv
 
O uso da tecnologia na escola. grupo estudo cecierj 2015
O uso da tecnologia na escola. grupo estudo cecierj 2015O uso da tecnologia na escola. grupo estudo cecierj 2015
O uso da tecnologia na escola. grupo estudo cecierj 2015
UFRGS
 
Sobradinho - Viviane Guidotti
Sobradinho - Viviane GuidottiSobradinho - Viviane Guidotti
Sobradinho - Viviane Guidotti
CursoTICs
 
O uso das novas tecnologias da informação na
O uso das novas tecnologias da informação naO uso das novas tecnologias da informação na
O uso das novas tecnologias da informação na
Marlene Araujo
 
DEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEM
DEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEMDEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEM
DEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEM
Pedro Magalhaes
 
O USO DO PODCAST NO PROCESSO INTERDISCIPLINAR DE ENSINO-APRENDIZAGEM
O USO DO PODCAST NO PROCESSO INTERDISCIPLINAR DE ENSINO-APRENDIZAGEMO USO DO PODCAST NO PROCESSO INTERDISCIPLINAR DE ENSINO-APRENDIZAGEM
O USO DO PODCAST NO PROCESSO INTERDISCIPLINAR DE ENSINO-APRENDIZAGEM
Echirley
 
O uso de um ambiente virtual de aprendizagem no ensino de inglês: além dos li...
O uso de um ambiente virtual de aprendizagem no ensino de inglês: além dos li...O uso de um ambiente virtual de aprendizagem no ensino de inglês: além dos li...
O uso de um ambiente virtual de aprendizagem no ensino de inglês: além dos li...
Claudio Franco
 
Texto exemplo
Texto exemploTexto exemplo
Texto exemplo
231511
 
Projeto oficina
Projeto oficinaProjeto oficina
Projeto oficina
sanrose18
 
Portfolio de curso adão
Portfolio de curso  adãoPortfolio de curso  adão
Portfolio de curso adão
adao1
 

Semelhante a Tecnologias Digitais: contributos para percursos de sucesso de estudantes não tradicionais no Ensino Superior (20)

Pré-Projeto O uso da Tecnologia no processo de ensino/aprendizagem
Pré-Projeto O uso da Tecnologia no processo de ensino/aprendizagemPré-Projeto O uso da Tecnologia no processo de ensino/aprendizagem
Pré-Projeto O uso da Tecnologia no processo de ensino/aprendizagem
 
O uso das novas Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) por professores...
O uso das novas Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) por professores...O uso das novas Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) por professores...
O uso das novas Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) por professores...
 
Apresentação Recife Hipertexto 2013
Apresentação Recife Hipertexto 2013Apresentação Recife Hipertexto 2013
Apresentação Recife Hipertexto 2013
 
Design pedagógico na EAD e a integração de mídias
Design pedagógico na EAD e a integração de mídiasDesign pedagógico na EAD e a integração de mídias
Design pedagógico na EAD e a integração de mídias
 
Encontro 4 exclusão digital e recursos que facilitam a apropriação das tecno...
Encontro 4  exclusão digital e recursos que facilitam a apropriação das tecno...Encontro 4  exclusão digital e recursos que facilitam a apropriação das tecno...
Encontro 4 exclusão digital e recursos que facilitam a apropriação das tecno...
 
Eebluizdelfino ativ5 plac2_30.03.15a
Eebluizdelfino ativ5 plac2_30.03.15aEebluizdelfino ativ5 plac2_30.03.15a
Eebluizdelfino ativ5 plac2_30.03.15a
 
Apresentação JEALAV 2016_dalcim_hoyos_vieira
Apresentação JEALAV 2016_dalcim_hoyos_vieiraApresentação JEALAV 2016_dalcim_hoyos_vieira
Apresentação JEALAV 2016_dalcim_hoyos_vieira
 
Wq
WqWq
Wq
 
Apresentacao Mestrado Tecn Ed PUC-SP
Apresentacao Mestrado Tecn Ed PUC-SPApresentacao Mestrado Tecn Ed PUC-SP
Apresentacao Mestrado Tecn Ed PUC-SP
 
E folio a-joséviegas_t1_1200100
E folio a-joséviegas_t1_1200100E folio a-joséviegas_t1_1200100
E folio a-joséviegas_t1_1200100
 
Slide 1ª formação ped ii 03-02-12
Slide 1ª formação ped ii   03-02-12Slide 1ª formação ped ii   03-02-12
Slide 1ª formação ped ii 03-02-12
 
O uso da tecnologia na escola. grupo estudo cecierj 2015
O uso da tecnologia na escola. grupo estudo cecierj 2015O uso da tecnologia na escola. grupo estudo cecierj 2015
O uso da tecnologia na escola. grupo estudo cecierj 2015
 
Sobradinho - Viviane Guidotti
Sobradinho - Viviane GuidottiSobradinho - Viviane Guidotti
Sobradinho - Viviane Guidotti
 
O uso das novas tecnologias da informação na
O uso das novas tecnologias da informação naO uso das novas tecnologias da informação na
O uso das novas tecnologias da informação na
 
DEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEM
DEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEMDEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEM
DEVICES COMO FERRAMENTAS DE APRENDIZAGEM
 
O USO DO PODCAST NO PROCESSO INTERDISCIPLINAR DE ENSINO-APRENDIZAGEM
O USO DO PODCAST NO PROCESSO INTERDISCIPLINAR DE ENSINO-APRENDIZAGEMO USO DO PODCAST NO PROCESSO INTERDISCIPLINAR DE ENSINO-APRENDIZAGEM
O USO DO PODCAST NO PROCESSO INTERDISCIPLINAR DE ENSINO-APRENDIZAGEM
 
O uso de um ambiente virtual de aprendizagem no ensino de inglês: além dos li...
O uso de um ambiente virtual de aprendizagem no ensino de inglês: além dos li...O uso de um ambiente virtual de aprendizagem no ensino de inglês: além dos li...
O uso de um ambiente virtual de aprendizagem no ensino de inglês: além dos li...
 
Texto exemplo
Texto exemploTexto exemplo
Texto exemplo
 
Projeto oficina
Projeto oficinaProjeto oficina
Projeto oficina
 
Portfolio de curso adão
Portfolio de curso  adãoPortfolio de curso  adão
Portfolio de curso adão
 

Mais de Marta Pinto

From LIBEs’ framework to users experience of LIBE courses: analysing the Port...
From LIBEs’ framework to users experience of LIBE courses: analysing the Port...From LIBEs’ framework to users experience of LIBE courses: analysing the Port...
From LIBEs’ framework to users experience of LIBE courses: analysing the Port...
Marta Pinto
 
Dia Aberto da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da UP | Proje...
Dia Aberto da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da UP | Proje...Dia Aberto da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da UP | Proje...
Dia Aberto da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da UP | Proje...
Marta Pinto
 
Key Competences and Skills for Young Low Achievers: Hearing the Voices Of Stu...
Key Competences and Skills for Young Low Achievers: Hearing the Voices Of Stu...Key Competences and Skills for Young Low Achievers: Hearing the Voices Of Stu...
Key Competences and Skills for Young Low Achievers: Hearing the Voices Of Stu...
Marta Pinto
 
Oficina improvavel: infografia e visualização
Oficina improvavel: infografia e visualizaçãoOficina improvavel: infografia e visualização
Oficina improvavel: infografia e visualização
Marta Pinto
 
U-TRACER Mapear Tecnologias da Comunicação no Ensino Superior
U-TRACER Mapear Tecnologias da Comunicação no Ensino SuperiorU-TRACER Mapear Tecnologias da Comunicação no Ensino Superior
U-TRACER Mapear Tecnologias da Comunicação no Ensino Superior
Marta Pinto
 
U tracer
U tracerU tracer
U tracer
Marta Pinto
 
Seminário 2ºano PDMME
Seminário 2ºano PDMMESeminário 2ºano PDMME
Seminário 2ºano PDMME
Marta Pinto
 

Mais de Marta Pinto (7)

From LIBEs’ framework to users experience of LIBE courses: analysing the Port...
From LIBEs’ framework to users experience of LIBE courses: analysing the Port...From LIBEs’ framework to users experience of LIBE courses: analysing the Port...
From LIBEs’ framework to users experience of LIBE courses: analysing the Port...
 
Dia Aberto da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da UP | Proje...
Dia Aberto da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da UP | Proje...Dia Aberto da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da UP | Proje...
Dia Aberto da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da UP | Proje...
 
Key Competences and Skills for Young Low Achievers: Hearing the Voices Of Stu...
Key Competences and Skills for Young Low Achievers: Hearing the Voices Of Stu...Key Competences and Skills for Young Low Achievers: Hearing the Voices Of Stu...
Key Competences and Skills for Young Low Achievers: Hearing the Voices Of Stu...
 
Oficina improvavel: infografia e visualização
Oficina improvavel: infografia e visualizaçãoOficina improvavel: infografia e visualização
Oficina improvavel: infografia e visualização
 
U-TRACER Mapear Tecnologias da Comunicação no Ensino Superior
U-TRACER Mapear Tecnologias da Comunicação no Ensino SuperiorU-TRACER Mapear Tecnologias da Comunicação no Ensino Superior
U-TRACER Mapear Tecnologias da Comunicação no Ensino Superior
 
U tracer
U tracerU tracer
U tracer
 
Seminário 2ºano PDMME
Seminário 2ºano PDMMESeminário 2ºano PDMME
Seminário 2ºano PDMME
 

Último

Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 

Tecnologias Digitais: contributos para percursos de sucesso de estudantes não tradicionais no Ensino Superior

  • 1. Tecnologias Digitais: contributos para percursos de sucesso de estudantes não tradicionais no Ensino Superior Marta Pinto, Carlinda Leite mpinto@fpce.up.pt, carlinda@fpce.up.pt Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto I Seminário Internacional CAFTe Currículo, Avaliação, Formação e Tecnologias educativas 9 e 10 de julho, 2018 Local: FPCEUP SFRH/BPD/116440/2016
  • 2. I Seminário Internacional CAFTe Enquadramento As Tecnologias Digitais têm cons1tuído um dos focos de uma nova geração de polí/cas de educação na União Europeia, cons1tuindo mesmo um dos eixos prioritários da Agenda 2020. Poderão cons1tuir um apoio à criação de um Espaço Europeu de Ensino Superior, em linha com o que é esperado pelo processo de Bolonha, de valorização dos processos de aprendizagem a1vos e autónomos dos/as estudantes, baseado no desenvolvimento de competências. Neste processo as TD assumem um papel relevante, nomeadamente pelas condições que oferecem aos estudantes, quer pela ampliação do acesso à informação, aquisição e par1lha de conhecimentos, promoção da sua autonomização, colaboração, par1cipação e interação com os diversos espaços de aprendizagem em registos presenciais e a distância. SFRH/BPD/116440/2016
  • 3. I Seminário Internacional CAFTe O Decreto Lei n.º 85/2009, de 27/08, no ar8go nº 5 decreta que têm acesso ao ensino superior os maiores de 23 anos que, não sendo 8tulares da habilitação de acesso ao ensino superior, façam prova de capacidade para a sua frequência através da realização de provas especialmente adequadas, realizadas pelos estabelecimentos de ensino superior. 23+ É reconhecido que nas úl8mas décadas chegaram ao Ensino Superior estudantes com situações muito diversas, os mesmos estudantes que vivem imersos em medias digitais em todos os aspetos da sua vida e que con8nuarão a usá-las nas suas experiências de integração e par8cipação académica e social.. SFRH/BPD/116440/2016
  • 4. I Seminário Internacional CAFTe Que Tecnologias Digitais são usadas pelos estudantes do ES +23? Quais são as Tecnologias Digitais ‘oficiais’ e ‘não-oficiais’ u<lizadas pelos estudantes? Qual a relação de uso das Tecnologias Digitais com o sucesso académico dos estudantes? Que uso fazem dessas Tecnologias Digitais como suporte à construção de aprendizagens? SFRH/BPD/116440/2016
  • 5. I Seminário Internacional CAFTe Entrevistas Análise dos discursos SFRH/BPD/116440/2016
  • 6. I Seminário Internacional CAFTe Caracterização dos estudantes +23 FLUP FEUP 3 24 61 36 2 SFRH/BPD/116440/2016
  • 7. I Seminário Internacional CAFTe Que Tecnologias Digitais são usadas pelos estudantes do ES +23? Disposi8vos u"lizados para os estudos Pessoal (5) Pessoal (1) Ins8tucional (4) SFRH/BPD/116440/2016
  • 8. I Seminário Internacional CAFTe Tecnologias Digitais ‘não-oficiais’ u3lizadas pelos estudantes 1 1 1 1 2 3 3 4 Software específico Dr opbox What sApp Wikipédia Documentos… Vídeos Wor d processador … Facebook "O Facebook eu uso muito. Já temos um grupo de História criado, criado pelo grupo de alunos de História da FLUP de vários anos. Onde se par?lha e recebe informação." “Um colega que vai par?lhar no grupo do Facebook um vídeo muito bom que responderá a uma das perguntas de um trabalho que temos que fazer a uma das disciplinas.” “Costumo ir sempre procurar na internet, seja Wikipédia, ver vídeos no Youtube, é o que costumo fazer.” SFRH/BPD/116440/2016
  • 9. I Seminário Internacional CAFTe Tecnologias Digitais ‘oficiais’ u1lizadas pelos estudantes “O Webmail é mais para usar com os professores.” “Recebo os mails da comunidade no meu e-mail ins9tucional e são posteriormente e automá9camente reencaminhados para o meu e- mail pessoal. sinto-me bastante próximo e informado do que vai acontecendo.” 1 2 3 3 5 Softwares específicos da … Mood le Site s de pesquisa bibliográ fica Document os eletró nicos (e-… Email "informação de suporte à disciplina (no Moodle)." “É muito raro os professores u9lizarem tecnologia, exporem imagens. Quando u9lizam é sobretudo no 1º ano para nos mostrarem a biblioteca, mostrar os livros e como se pesquisava...as bases de dados, encontrar ar9gos.” SFRH/BPD/116440/2016
  • 10. I Seminário Internacional CAFTe Que uso fazem dessas tecnologias como suporte à construção de aprendizagens? • par%lha de informação, conteúdos e materiais de aprendizagem – documentos, links, ou vídeos. • comunicação entre estudantes sobre questões relacionadas com o curso, professores ou estudos. • aceder a outras formas de explicação de conteúdos. • melhor compreender e aprofundar o seu conhecimento . • consulta de informação. • esclarecer dúvidas. • pesquisa bibliográfica. • consulta de documentos. • acesso a documentos de apoio à disciplina. • a%vidades de avaliação. • comunicar com os docentes. • receber informação ins%tucional. SFRH/BPD/116440/2016
  • 11. I Seminário Internacional CAFTe Tecnologias Digitais ‘não oficiais’ • as mais u(lizadas pelos estudantes. • u(lizadas con(nuamente no apoio aos estudos. • uso em grupo. • consideradas úteis. • u(lizadas pontualmente. • uso de acordo com os requisitos das unidades curriculares ou necessidade de comunicação com o docente. • uso individual. • consideradas úteis. Tecnologias Digitais ‘oficiais’ flexibilidade do local e tempo dedicado ao estudo. rápido no acesso a materiais curriculares. apoio ao estudo em sala de aula mas sobretudo fora da sala de aula. interação diferenciada com os conteúdos. SFRH/BPD/116440/2016
  • 12. I Seminário Internacional CAFTe Qual a relação de uso das Tecnologias Digitais com o sucesso académico dos estudantes? “Por sucesso académico entendemos não apenas o sucesso escolar ou educa3vo mas também o sucesso pessoal, social e comunitário que deverá a3ngir o estudante universitário durante o tempo da sua vida no interior da academia” (Tavares, 2008) Fatores de sucesso (Alarcão, 2000): Estudante, Professor, Currículo, Ins3tuição. Estudante • Autonomia na gestão do estudo: pode estudar em qualquer momento e lugar – todas as ferramentas, incluindo Wifi/Eduroam; acesso ao Moodle. • Cooperação entre alunos: par3lha de materiais de estudo – Facebook. • Trabalhador estudante. "Acho que seria possível ter sucesso sem acesso às tecnologias, mas seria com mais esforço. Teria que fazer mais deslocações. As tecnologias dão- nos um pouco mais de comodismo, dão-nos mais tempo para estudar." "Com o tablet posso estudar em quer lugar e a qualquer hora. Posso inclusivamente estudar em pequenos intervalos no trabalho que vá fazendo ao longo do dia." SFRH/BPD/116440/2016
  • 13. I Seminário Internacional CAFTe Currículo • Qualidade dos recursos didá0cos: alguns fornecidos pelos professores, outros escolhidos e par4lhados entre estudantes, uso de so5wares específicos. • Tempo despendido entre ensino e aprendizagem. Professor • Despistagem de desajustes e dificuldades: contacto facilitado com professores através do Email "Temos que mandar uma mensagem aos professores quando podemos passar lá para 3rar umas dúvidas. E eles se 3verem tempo passamos lá e 3ramos umas dúvidas, ou podemos enviar-lhes um email (com as dúvidas) e ver se eles respondem." "Como vantagem (de uso das tecnologias) o rápido acesso aos conteúdos da cadeira." "(...) os profs fizeram essas referências. Sites fidedignos e que têm um conjunto de teses de inves3gação a nível mundial." SFRH/BPD/116440/2016
  • 14. I Seminário Internacional CAFTe Ins$tuição • Integração ins$tucional dos estudantes: espaços de gestão - Sigarra -, emails da Universidade, Faculdade, Associação de estudantes • Existência de espaços de estudo: Moodle; Wifi – Eduroam. "Recebo os mails da comunidade no meu e-mail ins1tucional e são posteriormente e automá1camente reencaminhados para o meu e-mail pessoal. Sinto-me bastante próximo e informado do que vai acontecendo." SFRH/BPD/116440/2016
  • 15. I Seminário Internacional CAFTe Apresentação e discussão dos resultados Muito do uso e u)lidade das tecnologias parecem formatados por modelos ‘transmissivos’ de aprendizagem, ampliação do acesso à informação e par)lha de conhecimentos e materiais, mas sem cumprir um papel no desenvolvimento de novas abordagens de ensino e aprendizagem. Estudantes +23 )nham perfis idên)cos de uso das TD no suporte à aprendizagem. Emergiu claramente um perfil do estudante com mobilidade, servindo-se para isso do uso de disposi)vos móveis, sobretudo o computador portá)l pessoal. O uso das TD revela os estudantes num perfil de u)lizadores ‘básicos’, podendo estes resultados ser um ponto de par)da para a discussão sobre o modo como as TD são usadas no Ensino Superior, e o incen)vo que fazem a esse )po de uso. As TD adotadas são diversas. As TD ‘não-oficiais’ encontram um espaço no quo)diano do estudante, numa combinação entre um uso para fins pessoais e fins de suporte ao estudo académico. SFRH/BPD/116440/2016
  • 16. I Seminário Internacional CAFTe As TD foram retratadas com um uso transversal e menos direcionado para unidades curriculares específicas. Contudo, para o que é esperado pelo processo de Bolonha no Ensino Superior, as TD têm contribuído para os processos de aprendizagem aCvos e autónomos dos estudantes, revelando sobretudo o desenvolvimento de competências de pesquisa de informação e seleção das fontes de informação, referidas pelos estudantes e assumidas pelos mesmos como tendo sido desenvolvidas. As relações do seu uso com o sucesso académico estabelece-se através do suporte à autonomia do estudante na gestão do tempo e local estudo, à cooperação e comunicação entre alunos através da parClha de materiais de estudo, na comunicação com os docentes e no uso de espaços digitais insCtucionais para o estudo. SFRH/BPD/116440/2016
  • 17. Tecnologias Digitais: contributos para percursos de sucesso de estudantes não tradicionais no Ensino Superior Marta Pinto, Carlinda Leite mpinto@fpce.up.pt, carlinda@fpce.up.pt Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto I Seminário Internacional CAFTe Currículo, Avaliação, Formação e Tecnologias educativas 9 e 10 de julho, 2018 Local: FPCEUP SFRH/BPD/116440/2016