A escola e a sociedade

4.422 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.422
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
46
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
63
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A escola e a sociedade

  1. 1. Grupo de História
  2. 2. 1.4 A Escola e o Sistema Educativo 1.4.1 Sociedades Igualitárias – Realidade ou Ilusão 1.4.2 A Educação e a Mudança de Mentalidades 1.4.3 A Escola e a Sociedade 1.4.4 A Escola e o Estado 1.4.5. Educação não institucionalizada
  3. 4. Sociedades Igualitárias – Dificuldades reais
  4. 5. Será necessário EDUCAR as novas gerações, desde cedo, num modelo que promova a aquisição de competências criadoras e geradoras de mudança de mentalidades, maximizando desta forma o domínio de saberes e competências em resposta ao desenvolvimento pessoal e integração social de cada um. Educação e Mudança de Mentalidades Sociedades cujo modelo educativo é o ocidental Exigências: <ul><li>Aptidões técnicas </li></ul><ul><li>Adaptabilidade de conhecimentos específicos e genéricos </li></ul><ul><li>Formação de capacidades/competências </li></ul><ul><li>Agilidade física e intelectual que permita assimilar ao longo da vida novos saberes e competências aliadas às já apreendidas. </li></ul>Dificuldades a vários níveis Solução
  5. 7. Estado e a Educação De acordo com os objectivos da Unesco Empenho contra a ignorância Alfabetização De acordo com as necessidades económicas e a promoção do desenvolvimento. Analisar a lei de bases da Educação de S. Tomé e Príncipe Entre as tarefas da UNESCO no âmbito da sua missão, encontra-se a de promover a expansão e a melhoria da qualidade da educação , entendida como direito fundamental do indivíduo e instrumento essencial para uma política de diálogo entre os cidadãos e os Estados . O lema Educação Para Todos implica o combate às discriminações no acesso ao ensino e a educação contínua ao longo da vida, como meio de melhorar a adaptação às transformações do mundo actual .
  6. 8. A Educação “– Saber – Conhecer – Fazer –“ não significa necessariamente a existência de uma Instituição Educativa Desenvolve-se no seio familiar No trabalho Junto de um mestre Prefigura a imagem da escola Constrói o Saber – conhecer – fazer Está dependente das relações afectivas que se estabelecem neste contexto. Ternura Agressividade Estamos perante o Saber-Feito Tem uma função educativa especializada
  7. 9. Currículos Métodos Instrumentos Professores Direcção e Gestão ESCOLA Maior acessibilidade Melhores infra-estruturas e mais instrumentos de trabalho Pré-escolar 1º ciclo 2º ciclo 3º ciclo Secundário Universitário Ensino Especial Ensino de Adultos Ensino Profissional Residências escolares MELHOR QUALIDADE DE ENSINO CRIAÇÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MELHOR QUALIDADE DE ENSINO CRIAÇÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MELHOR QUALIDADE DE ENSINO REDIMENSIONAMENTO DA REDE ESCOLAR Reforma curricular Formação de professores Informação e orientação vocacional dos alunos Novos espaços Desportivos Novos espaços informáticos Novos espaços de obtenção de informação Bibliotecas Mediatecas Centro de recursos diversos
  8. 10. Idades Organização do Sistema Educativo segundo orientação Ocidental Doutoramento Mestrado Pós-Graduação Ensino Superior Ensino Superior Licenciatura Licenciatura Universitária Licenciatura / ensino Politécnico Diploma Diploma Diploma 3º ciclo 7, 8, 9º anos 2º ciclo 5, e 6º anos 1º ciclo 1, 2, 3 e 4º anos Diploma Diploma De carácter geral 10, 11, 12º Anos De carácter tecnológico 17 16 15 14 13 12 11 10 9 8 7 Ensino Pré-escolar 3,4,5
  9. 11. <ul><li>Autonomia da Escola </li></ul><ul><ul><li>Regulamento Interno </li></ul></ul><ul><ul><li>Projecto Educativo </li></ul></ul><ul><ul><li>Plano Anual </li></ul></ul>Conferem uma Identidade particular à escola dentro comunidade Educativa global, respondendo às necessidades particulares do meio onde se insere.
  10. 12. Quadro comparativo de conceitos Regulamento Interno, Projecto Educativo, Plano Anual Regulamento interno Projecto educativo Plano Anual Documento jurídico – administrativo e laboral Documento de carácter pedagógico Instrumento de planificações das actividades escolares Elaborado pela comunidade educativa Elaborado pela comunidade educativa Elaborado pela comunidade educativa Estável e normativo Temporário mas com uma durabilidade superior a um ano Temporário (um ano lectivo) sequencial, coerente e articulando Expressa as regras ou preceitos que regulamentam o funcionamento interno de um estabelecimento de ensino Expressa os pressupostos que dão coerência à acção educativa Constitui respostas adequadas às necessidades da comunidade educativa
  11. 13. O que é um Projecto Educativo? O Projecto Educativo de uma Escola não é um documento acabado e inalterável Define as linhas de fundo de actua ção da Comunidade Educativa Dá identidade à Escola Os elementos dos Projectos Educativos indicam as finalidades e objectivos que se pretendem atingir e as estrat égias a seguir Está vinculado às pessoas que o vão realizar, aos alunos sobre os quais vai incidir e à Comunidade envolvente da Escola Implica uma certa actua ção educativa. D á unidade aos crit érios de actuação da Escola A organiza ção dos recursos humanos e materiais da Escola estruturam-se de acordo e em fun ção dos elementos do Projecto Educativo Implica a revisão após aplicação, unificação e análise dos resultados (feedback) Não é só uma formulação de objectivos ou intenções, são propósitos educativos necessários para conseguir o tipo de Escola que se pretende e o conjunto de actuações necessárias para que o Projecto Educativo se leve à prática. O horizonte temporal de um Projecto Educativo não poderá ser inferior a um ano lectivo.
  12. 14. Projecto Educativo – Qual a sua necessidade? Análise do contexto em que se encontra a Escola Meio local (social, cultural, geográfica, infra-estrutural) Enquadramento legal Elementos materiais (edifício, dependências) Elementos humanos (alunos, professores, pessoal n/docente, pais Objectivos Gerais : Âmbito pedagógico (metodologia, interdisciplinaridade) Âmbito humano (relações humanas, convivência) Âmbito institucional (formação de professores, relações com a Comunidade) Âmbito administrarivo-financeiro (orçamentos, canais de comunicação) Determinação de estrutura organizacional e funcional Na organização global (órgãos fundamentais, organigrama) Na organização de âmbito técnico-didáctico (turmas, estrutura curricular) Na organização administrativo-financeira Na organização de âmbito interdisciplinar e interdisciplinar Regulamento Interno Disposições finais Divulgação do Projecto Avaliação do Projecto Revisão do Projecto
  13. 15. O Plano Anual de Escola resultará das propostas de actividades que cada grupo disciplinar apresenta em Conselho Pedagógico, que as ordena, aprecia e aprova. Verificação dos resultados obtidos por meio de reflexão no seio da comunidade escolar docente Actividades, técnicas, estratégias e métodos delineados de forma a atingir as metas pré-estabelecidas Forma de execução dos meios para atingir os fins Objectivos gerais e específicos a atingir Metas Expectativas e Problemas existentes Proceder a uma Avaliação
  14. 16. A escola que temos Análise de factores positivos e negativos Análise conjunta

×