09 Java Script - As formas de usar

561 visualizações

Publicada em

09 Java Script - As formas de usar

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
561
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
118
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

09 Java Script - As formas de usar

  1. 1. PáginasWeb com: HTML, CSS e JavaScript Profª. Marlene da Silva Maximiano de Oliveira & Profª. Alessandra Aparecida da Silva
  2. 2. Formas de usar JavaScript Há três maneiras de incluir JavaScript em uma páginaWeb: • Dentro de blocos HTML <SCRIPT> ... </SCRIPT> em várias partes da página: para definir funções usadas pela página, gerar HTML em novas páginas ou alterar o procedimento normal de interpretação do HTML da página pelo browser. • Em um arquivo externo, importado pela página: para definir funções que serão usadas por várias páginas de um site. • Dentro de descritores HTML sensíveis a eventos: para tratar eventos do usuário em links, botões e componentes de entrada de dados, durante a exibição da página. As três formas podem ser usadas em uma mesma página.
  3. 3. 1ª forma - Blocos <SCRIPT> embutidos na página A forma mais prática de usar JavaScript é embutindo o código na página dentro de um bloco delimitado pelos descritores HTML <SCRIPT> e </SCRIPT>. Pode haver vários blocos <SCRIPT> em qualquer lugar da página. <script> ... instruções JavaScript ... </script>
  4. 4. 1ª forma - Blocos <SCRIPT> embutidos na página O descritor <SCRIPT> possui um atributo LANGUAGE que informa o tipo e versão da linguagem utilizada. O atributo LANGUAGE é necessário para incluir blocos em outras linguagens como VBScript. É opcional para JavaScript: <SCRIPT LANGUAGE="VBScript"> ... código emVBScript ... </SCRIPT> <SCRIPT LANGUAGE="JavaScript"> ... código JavaScript ... </SCRIPT> <SCRIPT> ... código JavaScript ... </SCRIPT>
  5. 5. 1ª forma - Blocos <SCRIPT> embutidos na página A versão 1.1 de JavaScript possui estruturas inexistentes nas versões anteriores. Um browser Netscape 2.0 ou Internet Explorer 3.0 que tentar interpretar o código entre <script> e </script> pode provocar erros. O atributo LANGUAGE com o valor “JavaScript1.1” pode ser usado para identificar um bloco que só será usado por browsers que suportem JavaScript 1.1: <BODY> <p>Última modificação: <script language="JavaScript1.1"> <!-- autor = “Professora Marlene"; document.write("<b>" + document.lastModified + "</b>"); document.write("<p>Autor: " + autor); // --> </script> </BODY> Tudo o que está em negrito, na listagem acima, é Java Script. O que não está em negrito é código HTML.
  6. 6. 1ª forma - Blocos <SCRIPT> embutidos na página O código JavaScript foi colocado entre comentários HTML <!-- e -->. Isto é usado para proteger contra browsers antigos, que não suportam JavaScript, e podem exibir o código na página em vez de executá-lo ou ignorá-lo. Browsers que suportam JavaScript ignoram os comentários HTML dentro de blocos <SCRIPT> e tentam interpretar o código. Browsers que suportam uma versão inferior a Java Script 1.1 irão ignorar todo o bloco.
  7. 7. 1ª forma - Blocos <SCRIPT> embutidos na página No código anterior, autor é uma variável que recebe por atribuição o texto “Professora Marlene”; document é um objeto Java Script que representa a página da janela atual do browser. lastModified é uma propriedade da página (texto contendo a data de última modificação do arquivo) e write() é um método que escreve o texto passado como parâmetro na página representada por document. O ponto (.) é usado para que se possa ter acesso a propriedades e métodos de um objeto. O sinal “+” é usado para concatenar caracteres e strings. As duas barras (//) representam um comentário JavaScript. Ao se carregar a página HTML contendo o código acima em um browser, obtém-se uma página com a informação a seguir.
  8. 8. Exemplo 1
  9. 9. 2ª forma - Arquivos importados Muitas vezes é necessário realizar um mesmo tipo de tarefa mais de uma vez. Para esse tipo de problema Java Script permite que o programador crie funções que podem ser chamadas de outras partes da página várias vezes. As funções geralmente ficam em um bloco <SCRIPT> separado, antes de todos os outros blocos, para que sejam carregadas antes que a página seja exibida. Se várias páginas usam as mesmas funções Java Script definidas pelo autor da página, uma boa opção é colocá-las em um arquivo externo e importá-lo nas páginas que precisarem delas. Este arquivo deve ter a extensão “.js” e conter apenas código Java Script (não deve ter descritores HTML, como <SCRIPT>). Por exemplo, suponha que o arquivo biblio.js possua o seguinte código Java Script:
  10. 10. 2ª forma - Arquivos importados function soma(a, b) { return a + b; } Criar este arquivo no bloco de notas e salvar com o nome teste.js
  11. 11. 2ª forma - Arquivos importados Para carregar esta função e permitir que seja usada em outra página, usa-se o atributo SRC do descritor <SCRIPT>: <html> <head> <title>JavaScript </title> <script LANGUAGE=JavaScript SRC="teste.js"></script> </head> <script> resultado = soma(25, 36); document.write("<P>A soma de 25 e 36 é " + resultado); </script> </BODY> </html> Obs. Salvar este arquivo com o nome exe02.htnl. Os 2 arquivos (teste.js e exe02.html devem estar na mesma pasta.
  12. 12. 2ª forma - Arquivos importados • Exemplo 02
  13. 13. 3ª forma -Tratamento de eventos A linguagem JavaScript introduziu no HTML como extensão 13 novos atributos, que permitem a captura de eventos disparados pelo usuário, como o arrasto de um mouse, o clique de um botão, etc. Quando ocorre um evento, um procedimento de manuseio do evento é chamado. O que cada procedimento irá fazer pode ser determinado pelo programador. A linguagem HTML já possui três eventos nativos não programáveis, que são: • clique sobre um link ou imagem mapeada • clique em um botão submit (para envio de formulário) • clique sobre um botão reset (que limpa o formulário)
  14. 14. 3ª forma -Tratamento de eventos Em Java Script 1.1, há 13 eventos adicionais programáveis através de atributos HTML especialmente criados para manuseio de eventos. No caso de conflito, eles têm precedência sobre os eventos do HTML. Os atributos de eventos se aplicam a elementos HTML específicos e sempre começam com o prefixo “ON”. Os valores recebidos por esses atributos é código Java Script. Por exemplo:
  15. 15. 3ª forma -Tratamento de eventos <html> <head> <title>JavaScript </title> </head> <BODY> <FORM> <INPUTTYPE="button" ONCLICK="alert('Oh não, você acionou o sistema de autodestruição!')"VALUE="Não aperte este botão"> </FORM> </BODY> </html>
  16. 16. 3ª forma -Tratamento de eventos • Exemplo 03
  17. 17. 3ª forma -Tratamento de eventos Tudo o que aparece entre as aspas duplas do atributo ONCLICK é JavaScript. ONCLICK é um atributo HTML, criado como extensão para dar suporte ao evento de clicar o botão. O código JavaScript que está em negrito será interpretado quando o usuário apertar o botão com o mouse (onclick). A instrução alert() cria uma janela de alerta com a mensagem passada como parâmetro (entre parênteses e aspas no código em negrito). Observe que as aspas usadas dentro do método alert() são aspas simples já que aspas duplas já estão sendo usadas para representar o atributo HTML.

×