Ciência, Tecnologia eEducação no Século XXI                                Marla T.B.Geller       Coordenadora e Professor...
Ciência, Tecnologia eEducação no Século XXI –Polêmico; –Complexo; –Abrangente.
Ciência, Tecnologia e    Educação no Sec. XXI• ECTS x PCT;• Ética e Educação para a C&T no  século XXI;• Tecnologias para ...
Papel da C&T no sec. XXI• a melhoria da qualidade de vida da população;• o aumento do nível educacional e cultural da  pop...
No Brasil...planos?O PACTI (Plano de Ação para Ciência, Tecnologia eInovação, 2007-2010) tem quatro prioridadesestratégica...
Produção de Conhecimento• Em termos relativos e absolutos, o país  está entre as referências mundiais em  várias áreas do ...
Inovação           http://www.dw-world.de/dw/article/0,,15226780,00.html
Ciência x InovaçãoApesar da acelerada evolução do conhecimento científico nopaís, toda essa sabedoria produzida em territó...
Como estamos...
Educação...• Antes de reformar e consolidar uma  política de ciência e tecnologia é  preciso considerar o  homem, fornecen...
Desenvolvimento endógeno• Valorização do potencial interno  como:  – capital social,  – capital humano,  – conhecimento,  ...
Estratégias• Esforços para criação de leis  estaduais de inovação;• No Pará – implantação de um  sistema de desenvolviment...
Algumas Ações• Parque Tecnológico do Guamá -  Belém,• Parque Tecnológico do Tocantins –  Marabá;• Parque Tecnológico do Ta...
Informática e os Desafios para uma Formação           Superior de Qualidade                  EDUCAÇÃO PARA TECNOLOGIA
Déficit no mercado     Hoje o Brasil precisa de 71 mil     profissionais de Tecnologia daInformação, e que no ano de 2013 ...
Desafios...• Afinal, por que está mais difícil atrair  e reter interessados em uma área  que está tão em evidência e que  ...
O que acontece?• "O glamour da profissão  acabou", sentencia Carlos Eduardo  Ferreira(USP), e faz uma analogia  descontraí...
Perspectiva Geral• Questões pré universitárias  – Jovens com conhecimento autodidata em informática;  – Imagem distorcida ...
Evasão• Percepção equivocada do curso;• Complexidade das disciplinas nas primeiras  fases do curso (matemática e lógica);•...
Desafios...• O que queremos dos alunos no primeiro  ano de um curso de computação?1) Que aprendam a pensar de forma algorí...
Novos referenciais para os cursos de               computação• CQ 2009 –A SBC apresenta a SESU uma versão  para os referen...
Novos referenciais para os cursos de computação:           uma visão multidisciplinar  • Necessidade de perfis profissiona...
Alternativas para um modelo multidisciplinar• 1º momento: Inclusão de disciplinas de  outras áreas de aplicação aos curríc...
Restrições Como alinhar as diretrizes curriculares e o processo de avaliação (ENADE) com a necessidade de formar profissio...
Desafio...“A denominação legal de um conjuntorestrito de denominações curricularesjamais conseguirá acompanhar, navelocida...
Desafio regionalDesenvolvimento  Sustentável                                           PCT Tapajós -                      ...
...é necessário que cada homem que pensa tenha apossibilidade de participar com toda a lucidez dosgrandes problemas cientí...
Ciência, tecnologia e educação para o século xxi
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ciência, tecnologia e educação para o século xxi

4.329 visualizações

Publicada em

Uso das tecnologias e os desafios da educação no século XXI.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.329
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
57
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ciência, tecnologia e educação para o século xxi

  1. 1. Ciência, Tecnologia eEducação no Século XXI Marla T.B.Geller Coordenadora e Professora do Curso de Sistemas de Informação – CEULS/ULBRA
  2. 2. Ciência, Tecnologia eEducação no Século XXI –Polêmico; –Complexo; –Abrangente.
  3. 3. Ciência, Tecnologia e Educação no Sec. XXI• ECTS x PCT;• Ética e Educação para a C&T no século XXI;• Tecnologias para a Educação no sec.XXI;• Educando para produzir Ciência e Tecnologia no século XXI.• ...
  4. 4. Papel da C&T no sec. XXI• a melhoria da qualidade de vida da população;• o aumento do nível educacional e cultural da população;• a promoção de um cuidado verdadeiro para com o meio ambiente e os recursos naturais;• a criação de mais oportunidades de emprego e de maior qualificação dos recursos humanos;• o aumento da competitividade econômica e a redução dos desequilíbrios regionais. A Ciência para o século XXI. UNESCO 2003. 3a impressão: 2005.
  5. 5. No Brasil...planos?O PACTI (Plano de Ação para Ciência, Tecnologia eInovação, 2007-2010) tem quatro prioridadesestratégicas, norteadas pela Política Nacional deC,T&I: I - Expansão e Consolidação do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação; II - Promoção da Inovação Tecnológica nas Empresas; III - Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em Áreas Estratégicas; e IV - Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Social.
  6. 6. Produção de Conhecimento• Em termos relativos e absolutos, o país está entre as referências mundiais em várias áreas do conhecimento tecnológico. – Agricultura; – Saúde (doenças tropicais e Aids); – Aeronáutica; – Mineração. Moreira, G. et al. Onde está a Inovação no Brasil? http://www.slideshare.net/bmoreira/onde-est-a-inovao-no-brasil
  7. 7. Inovação http://www.dw-world.de/dw/article/0,,15226780,00.html
  8. 8. Ciência x InovaçãoApesar da acelerada evolução do conhecimento científico nopaís, toda essa sabedoria produzida em território nacionalnão foi transformada em riqueza na mesma proporção. "Somos um povo criativo, mas isso não quer dizer inovador. Inovar é transformar esse potencial de criatividade em negócios. Associar isso à geração de produtos, processos, definir novas funcionalidades para produtos antigos...." Ronaldo Mota, secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério de Ciência e Tecnologia
  9. 9. Como estamos...
  10. 10. Educação...• Antes de reformar e consolidar uma política de ciência e tecnologia é preciso considerar o homem, fornecendo-lhe condições sociais, morais, humanas, destacand o a educação como prioridade.
  11. 11. Desenvolvimento endógeno• Valorização do potencial interno como: – capital social, – capital humano, – conhecimento, – pesquisa e desenvolvimento, – informação e instituições. Ex: Faculdade de Engenharia de Minas e Meio Ambiente da UFPA (Marabá).
  12. 12. Estratégias• Esforços para criação de leis estaduais de inovação;• No Pará – implantação de um sistema de desenvolvimento regional sustentável, que use a ciência, a tecnologia e a inovação para melhorar o aproveitamento dos recursos naturais e a produção.
  13. 13. Algumas Ações• Parque Tecnológico do Guamá - Belém,• Parque Tecnológico do Tocantins – Marabá;• Parque Tecnológico do Tapajós – Santarém;• NavegaPará;• MetroBel.
  14. 14. Informática e os Desafios para uma Formação Superior de Qualidade EDUCAÇÃO PARA TECNOLOGIA
  15. 15. Déficit no mercado Hoje o Brasil precisa de 71 mil profissionais de Tecnologia daInformação, e que no ano de 2013 serão 200 mil. (www.ebusiness.com.br).O mercado para profissionais desta área cresce a 15% ao ano. Apenas 1% dos jovens brasileiros se dedicam a carreira em C& T.
  16. 16. Desafios...• Afinal, por que está mais difícil atrair e reter interessados em uma área que está tão em evidência e que oferece grande oferta de empregos?• Qual o motivo da diminuição da procura por cursos de graduação na área da computação?• Qual o motivo do alto índice de evasão nos cursos de computação?
  17. 17. O que acontece?• "O glamour da profissão acabou", sentencia Carlos Eduardo Ferreira(USP), e faz uma analogia descontraída para mostrar isso: "A maioria nasceu e o computador já estava em casa. E ninguém tem muito fascínio por um eletrodoméstico. Ninguém aqui pensaria em fazer umagraduação em liquidificador. Enfim, acho que o fascínio acabou".
  18. 18. Perspectiva Geral• Questões pré universitárias – Jovens com conhecimento autodidata em informática; – Imagem distorcida do profissional da computação e da carreira que ele pode desenvolver; – Necessidade de perfil do jovem muito específico - talento; – Influência das gerações anteriores ao crescimento da demanda do mercado – modismo; – Prática do trabalho informal na área; – Alunos ingressam nos cursos sem conhecê-los; – Deficiências de conhecimento no ensino Fundamental.
  19. 19. Evasão• Percepção equivocada do curso;• Complexidade das disciplinas nas primeiras fases do curso (matemática e lógica);• Alto índice de reprovação nas disciplinas de lógica e programação;• Falta de informação sobre as possibilidades no mercado de trabalho.
  20. 20. Desafios...• O que queremos dos alunos no primeiro ano de um curso de computação?1) Que aprendam a pensar de forma algorítmica;2) Que aprendam a programar;3) Que aprendam alguma linguagem de programação a, b ou C...;4) Que se sintam motivados para os próximos 4 anos (afinal nem tudo serão flores). Esteban Walter Gonzalez Clua Instituto de Computação / Universidade Federal Fluminense Apresentado em: CSBC 1010
  21. 21. Novos referenciais para os cursos de computação• CQ 2009 –A SBC apresenta a SESU uma versão para os referenciais dos cursos de Computação: – Ciência da Computação, – Engenharia da Computação, – Engenharia de Software, – Licenciatura em Computação e – Sistemas de Informação.• Segundo Mirella Moro (diretora de educação da SBC): “Com uma definição clara de cada curso, primeiro se tentará encaixá- los nas denominações já existentes. Somente se não for possível, será estudada a criação.”
  22. 22. Novos referenciais para os cursos de computação: uma visão multidisciplinar • Necessidade de perfis profissionais multidisciplinares para solução de problemas nas áreas da saúde, educação, meio ambiente, biologia, energia, ciências sociais, engenharias, e comunicação. • Exemplo da fusão multidisciplinar: – Curso de Sistemas de Informação – formação multidisciplinar (Computação e Administração) – consolidado pela necessidade do mercado. Flavio Rech Wagner – CSBC2009 Instituto de Informática da UFRGS
  23. 23. Alternativas para um modelo multidisciplinar• 1º momento: Inclusão de disciplinas de outras áreas de aplicação aos currículos; – Adequação das disciplinas;• 2º momento: Modelo de “majors” e “minors” ; – Considerar a vocação da região;• 3º momento: Criação de cursos completos de graduação; – Ex: Biotecnologia (UFRGS). Flavio Rech Wagner –CSBC2009
  24. 24. Restrições Como alinhar as diretrizes curriculares e o processo de avaliação (ENADE) com a necessidade de formar profissionais de acordo com as demandas no mercado?
  25. 25. Desafio...“A denominação legal de um conjuntorestrito de denominações curricularesjamais conseguirá acompanhar, navelocidade necessária, a evolução daciência, da tecnologia e domercado. O marco legal de um país nãopode se sobrepor à realidade dasociedade”. Flávio Rech Wagner – diretor do IF da URGS – CSBC 2009.
  26. 26. Desafio regionalDesenvolvimento Sustentável PCT Tapajós - Potencial para implantação Amazônia de núcleo de Desenvolvimento Software. Indústria não poluente! Exemplos de Recife e de Campina Grande.
  27. 27. ...é necessário que cada homem que pensa tenha apossibilidade de participar com toda a lucidez dosgrandes problemas científicos da sua época, mesmo se suaposição social não lhe permita consagrar uma parte deseu tempo e de sua energia à reflexão científica. Ésomente quando cumpre essa importante missão que aciência adquire, do ponto de vista social, o direito deexistir. Albert Einstein, 1924

×