Terceira Reunião de Avaliação da Estratégia

405 visualizações

Publicada em

O evento reúne todos os agentes da Comunidade Comex, para uma avaliação das ações do Comércio Exterior de Minas Gerais.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
405
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Terceira Reunião de Avaliação da Estratégia

  1. 1. Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais Central Exportaminas III Reunião de Avaliação da Estratégia
  2. 2. Agenda do dia Abertura do evento: Dra. Dorothea Werneck Dr. Antônio Eduardo Leite Dra. Mônica Neves Cordeiro Dr. Maurício de Oliveira Cecílio Dr. Ivan Barbosa Netto Dr. Frederico Pace Drumond Apresentação dos resultados e propostas do Mapa Estratégico de Comércio Exterior 2009 / 2030: Dr. Ivan Barbosa Netto e Equipe de Estratégia Entrega do Estudo de Unidades Aduaneiras: Frederico Pacce Drumond Paulo Március Campos
  3. 3. Sociedad e Aumen tar a empreg oferta de o e rend a Partes interess ad as Aumen tar a do terr atratividade itório m ineiro Diminui r as sociais diferenças e region ais Aumen tar que atua a participação das em m em M • Agilid • Gestã internac inas Gerais no presas o públic ade • Previsib iona s flu Oferece a voltada ilidade r Diferenc is de negócios xos nos Eixo de a resulta competiti um ambiente de dos • Re negócios • Hon iais Competit vo ao Inteligên senvolvimento ivos ferência estidad com o ex s negócios cia Com e e cred em prod terior ercial e Compe ibilida utos e se titiva rviços de de • Referê Diversific ncia em alta qu ca ação e alidade Aperfe Agregaç • Respon pacitação técn ão de Va inteligên içoar a ica sabilidad lor e social Fomen fluxos in cia sobre os e ambien te a agrega tar Fomenta tal comérci rnacionais de ção de va r o e inve à pauta lo investim Promoç stimento Promov exportad r ão er a inse s ora produti entos Aprofund rção vos para internac ar o conh o ecimento Comex Ambien sobre o de novo ional Desenvo MG te de N pote s produt lv egócios os internac ncial de a promoç er e serviç Projetar iona Construi os a im produtos ão de da base lização r um am produtiva e serviç instituci de um Es agem biente os onal e re ta Otimiza gulatório competiti do Ampliar r o proc competiti vo a oferta esso vo de com estudos de ér so Ampliar Infraest com o ex cio de compebre fatores rutura terior titividade a financi o acesso Aumenta am do territó Fomenta o comér entos para rio de empr r o número cio exte es envolvid r o desenvolvim rior e proces as, produtos os no pr sos ocesso ad ento dos fiscos Base pa entidad certificados e ra o de uaneiro Fomenta es certific senvolvi no Estado Conhec r o dese mento adoras imento e integr e Cultu ação do nvolvimento ra Empr s modai esarial s logísti Capacita Desenvo cos r profi lv (técnico logístico er pólos , comer ssionais s no Esta cial e ge do rencial) Fomenta Comun idade Co r a cultu comérci mex o com o ra de Promov exterior er o com e integr ação do prometimento s com o co agentes envo lvid mércio Aplicar exterior os métodos de apoio à gestão O que é um Mapa Estratégico? O Mapa Estratégico de Comércio Exterior de Minas Gerais define a visão de futuro compartilhada, e quais meios serão necessários para o Estado dar um salto em competitividade e ser referência nos negócios com o exterior.
  4. 4. • Integrante do Programa de Assistência Técnica do Banco Mundial ao Governo de MG • Início da elaboração do Mapa: agosto de 2009 • Lançamento: março de 2010 • Comunidade COMEX-MG: • 22 instituições – governo estadual, federal, entidades de classe, empresas públicas • Coordenação do Núcleo de Apoio à Gestão: SEDE-MG / Exportaminas • Monitoramento: Reuniões de Avaliação da Estratégia - RAE
  5. 5. SOCIEDADE Objetivos que atendem à sociedade PARTES INTERESSADAS Objetivos que as partes Interessadas demandam Diferenciais Competitivos EIXO DE DESENVOLVIMENTO Diversificação Promoção Inteligência Comercial e Ambiente de Negócios Competitiva Infraestrutura BASE PARA O DESENVOLVIMENTO Conhecimento e Cultura Empresarial Comunidade Comex
  6. 6. Sociedade Diminuir as diferenças sociais e regionais Aumentar a oferta de emprego e renda Partes interessadas Aumentar a participação das empresas Oferecer um ambiente que atuam em Minas Gerais nos fluxos competitivo aos negócios internacionais de negócios com o exterior Diferenciais Competitivos • Agilidade • Previsibilidade nos negócios • Honestidade e credibilidade • Referência em capacitação técnica • Gestão pública voltada a resultados • Referência em produtos e serviços de alta qualidade • Responsabilidade social e ambiental Aumentar a atratividade do território mineiro Eixo de desenvolvimento Inteligência Comercial e Competitiva Aperfeiçoar a inteligência sobre os fluxos internacionais de comércio e investimentos Aprofundar o conhecimento sobre o potencial de internacionalização da base produtiva Ampliar a oferta de estudos sobre fatores de competitividade do território Fomentar a agregação de valor à pauta exportadora Fomentar investimentos produtivos para o Comex MG Promover a inserção internacional de novos produtos e serviços Desenvolver a promoção de produtos e serviços Projetar a imagem de um Estado competitivo Ambiente de Negócios Construir um ambiente institucional e regulatório competitivo Otimizar o processo de comércio com o exterior Ampliar o acesso a financiamentos para o comércio exterior Aumentar o número de empresas, produtos e processos certificados e entidades certificadoras Infraestrutura Fomentar o desenvolvimento dos fiscos envolvidos no processo aduaneiro no Estado Base para o desenvolvimento Conhecimento e Cultura Empresarial Capacitar profissionais (técnico, comercial e gerencial) Promoção Diversificação e Agregação de Valor Fomentar o desenvolvimento e integração dos modais logísticos Desenvolver pólos logísticos no Estado Comunidade Comex Fomentar a cultura de comércio com o exterior Promover o comprometimento e integração dos agentes envolvidos com o comércio exterior Aplicar métodos de apoio à gestão
  7. 7. Outras iniciativas estão em andamento!
  8. 8. Indicadores Estratégicos
  9. 9. PRINCIPAIS METAS PARA 2030 Aumentar a participação de Minas Gerais nas exportações brasileiras Triplicar o número de MPEs exportadoras de 13,8%(2012) para 18,0% (2030) de 734 (2011) para 2.610 (2030) Aumentar a corrente de comércio exterior per capita Aumentar o número de certificações de conformidade internacionais válidas Duplicar o número de produtos da pauta exportadora mineira de 2.961 (2012) para 5.722 (2030) Reduzir a dependência das empresas mineiras em relação aos mercados tradicionais de 274 (2012) para 1.897 (2030) Aumentar a % de carga com desembaraço aduaneiro em MG EXP: de 3,1% (2012) para 10,0% (2030) IMP: de 34,0% (2012) para 70,0% (2030) Reduzir custos médios para exportar e importar de 72,5 % (2012) para 33,0% (2030) EXP: de US$ 2.275* (2012) para US$ 1.089 (2030) IMP: de US$ 3.090* (2012) para US$ 1.145 (2030) Triplicar o valor das exportações de serviços Aumentar a participação do interior no comércio exterior de Minas Gerais de US$ 683,0 miilhões (2011) para US$ 2.000 miilhões (2030) *ctn 20’ de US$ 2.321 (2012) para US$ 4.023 (2030) de 42,6 % (2012) para 67,0% (2030) As metas de longo prazo sinalizam para a Comunidade COMEX, o tamanho do desafio para alcançar a visão de futuro.
  10. 10. INDICADORES ESTRATÉGICOS Comunidade COMEX Para o alcance dos objetivos, foram identificadas iniciativas (programas / projetos / ações) que O sucesso na execução destas iniciativas é que possibilitará alcançar a visão de futuro para o Comércio Exterior de MG.
  11. 11. Iniciativa Estratégica: Aumentar o número de unidades aduaneiras em MG Infraestrutura Ambiente de Negócios Fomentar o desenvolvimento dos fiscos envolvidos no processo aduaneiro no Estado Otimizar o processo de comércio com o exterior Fomentar ações coordenadas que contribuam para a maior eficiência e eficácia dos procedimentos aduaneiros, beneficiando as aduanas e os usuários Articular e promover ações para maior agilidade nos processos de desembaraço de mercadorias e para superação de entraves às operações de comércio exterior, o que leva à otimização dos recursos empregados nas operações Indicador   Indicador Indicador   Unidades  Aduaneiras   Unidades  Aduaneiras   em  MG   em  MG   Fonte:  SRF   Fonte:  SRF   2009   META   2009 META 2009   META   8   8   15   15   Indicador   2009   META   Processos  desembaraçados   67.648   em  MG   202.944   Custo  médio  para  importar   (US$)   1.440   1.145   Custo  médio  para  exportar   (US$)   1.540   1.089  
  12. 12. Iniciativa Estratégica: Aumentar o número de unidades aduaneiras em MG » CONTEXTO A rede mineira de recintos aduaneiros foi implementada em 1990. Desde então, as exportações se multiplicaram por oito e as importações por 14. Além do aumento em regiões com unidades, novas regiões emergiram no comércio exterior desde então (Norte, Alto Paranaíba, Noroeste, Rio Doce, etc.). » AÇÃO NECESSÁRIA Estudo de manutenção e demandas por novos recintos aduaneiros com base na legislação vigente. » STATUS • Estudo realizado pela SEDE/INDI/EXPORTAMINAS, FIEMG/CIN, CODACA, SDAMG. • Economia de aproximadamente R$ 500.000,00, possibilitado pela ação conjunta de oito instituições da comunidade de comércio exterior de Minas Gerais.
  13. 13. Outras iniciativas relacionadas ESTUDO DE DEMANDAS POR NOVAS UNIDADES ADUANEIRAS AUMENTO DO USO DO REGIME DE TRÂNSITO ADUANEIRO DOCUMENTO ÚNICO DE COMÉRCIO EXTERIOR INTEGRADO COM A NOTA FISCAL ELETRÔNICA
  14. 14. Iniciativa Estratégica: Aumento da utilização de crédito ao comércio exterior » CONTEXTO Embora o custo financeiro seja apontado pelas empresas como um fator de forte impacto à competitividade, o uso de linhas oficiais como o PROEX, com baixo custo, é ainda muito limitado. » AÇÃO NECESSÁRIA • Aumentar esforços de divulgação junto às empresas • Criar soluções alternativas para o fornecimento de garantias » STATUS • Negociações em curso entre BB e BDMG para reativar convênio • Permitir o acesso ao Proex para empresas que utilizam o regime simplificado de exportação
  15. 15. Como realizar o monitoramento? É necessário avaliar se: » Os projetos estão sendo executados conforme cronograma; » Os resultados esperados pelos projetos estão viabilizando o alcance das metas; » Os objetivos estratégicos estão sendo alcançados;
  16. 16. Análise de Indicadores
  17. 17. Inteligência Comercial e Competitiva Mede o grau de concentração das exportações mineiras nos dez principais mercados de destino Objetivo Aperfeiçoar a inteligência sobre os fluxos internacionais de comércio e investimentos
  18. 18. Inteligência Comercial e Competitiva Real 60% Meta 33% 51% 66% 73% 67% 76% 69% 74% 70% 71% Concentração das exportações nos 10 maiores mercados consumidores 2009 2010 2011 2012 2015 2020 2030 Meta de 66%, e avaliação de 73% em 2012. Na passagem de 2011 para 2012, houve redução de 3%, fator positivo.
  19. 19. Diversificação e Agregação de Valor Mede a atratividade de Minas Gerais aos investimentos estrangeiros, tendo como base a média do Brasil Objetivo Fomentar investimentos produtivos para o Comex MG
  20. 20. Diversificação e Agregação de Valor Relação do estoque de investimento estrangeiro em MG Meta 0,1 0,38 1.10 Real 2009 2010 2011 2012 2015 2020 2030 No ano de 2012, o investimento estrangeiro sobre o PIB de Minas Gerais foi de R$ 5,48 bilhões. No Brasil o montante foi de R$ 688,6 bilhões.
  21. 21. Ambiente de Negócios Mede o grau de concentração das exportações mineiras nos dez principais mercados de destino Objetivo Aumentar o número de empresas, produtos e processos certificados, e entidades certificadoras
  22. 22. Ambiente de Negócios Organismos acreditados para certificação dos ISOs séries 14000 e 9000 Meta 2009 2010 2011 998 818 553 758 718 698 588 699 1.298 1.898 Real 2012 2015 2020 2030 No ano de 2012 foram emitidos 553 certificados, número menor que o desejado, 818.
  23. 23. Infraestrutura Mede o peso das exportações embarcadas em voos Objetivo Desenvolver polos logísticos no Estado
  24. 24. Infraestrutura Carga exportada por MG via modal aéreo (KG) 2009 2010 2011 2012 2015 Meta 5.470.684 3.206.024 1.847 .228 2.230.360 1.394.296 1.140.016 941.364 1.131.797 488.432 10.000.000 Real 2020 2030 Em 2012, houve uma elevação expressiva na quantidade de carga exportada: 2.230.360 kg. A meta proposta foi de 1.847 .228 kg.
  25. 25. Infraestrutura Carga total de MG com desembaraço aduaneiro de exportação no Estado Meta 2011 2012 4,92% 4,13% 3,54% 2010 3,08% 1,93% 2009 2,66% 2,16% 7 ,22% 11,92% Real 2015 2020 2030 Minas Gerais contribuiu com 13,8% do total das exportações brasileiras em 2012. 4,13% da carga teve o despacho realizado pelas unidades aduaneiras mineiras. A meta era avaliada em 3,54.
  26. 26. Infraestrutura Carga total de MG com desembaraço aduaneiro de importação no Estado 61,85% 61,95% 62,15% 2010 61,79% 2009 2012 2015 2020 2011 Meta 2030 26,69% 61,77% 35,27% 57 ,99% 61,73% Real Com 5,4% do total importado pelo Brasil, Minas desembaraçou 26,69% dentro do Estado. Esse indicador ficou bem abaixo da meta, fixada em 61,79%.
  27. 27. Conhecimento e Cultura Empresarial Empresas envolvidas em programas de comércio exterior: PEIEX, Sibratec Progex, Sebraetec, Softex/Funsoft, PAIIMPE, ABDI, entre outros. Objetivo Fomentar a cultura de comércio com o exterior
  28. 28. Conhecimento e Cultura Empresarial Empresas envolvidas em programas de comércio exterior 5.684 Real 2.306 2009 2010 1.055 2.288 Meta 2011 2012 2015 2020 2030 Em 2012 o número de empresas envolvidas em programas de comércio exterior foi de 1055. Em relação a 2011, houve uma diminuição no número de empresas envolvidas nessas ações.
  29. 29. Atividade Prática
  30. 30. O que precisa ser feito em cada eixo do Mapa Estratégico? O que minha entidade pode fazer para que os objetivos de cada eixo possam ser alcançados? Em que prazo essas ações irão gerar resultados? • Até final de 2015 • Até final de 2017 • Até final de 2019
  31. 31. Exemplo no eixo de Conhecimento e Cultura Empresarial: » Oferecer ao mercado cursos co-criados pela Comunidade COMEX, com instrutores das várias entidades ministrando um único curso; » Fornecer a infraestrutura para os cursos; » Cursos oferecidos ao mercado até final de 2019.
  32. 32. No quadro do Mapa Estratégico de Comércio Exterior identificar em quais eixos sua instituição poderá contribuir.
  33. 33. PROPOSTA DE TRABALHO Cada entidade da Comunidade COMEX deverá monitorar as ações de cada um dos eixos do Mapa Estratégico, para: • Coordenar reuniões de análise dos resultados do eixo; • Fomentar a realização de programas/projetos/ações conjuntas; • Incentivar as organizações a promover o compartilhamento do conhecimento. Reuniões periódicas R.A.E = anual 2 reuniões por eixo = quadrimestral (abr/2014 e ago/2014)
  34. 34. Belo Horizonte/MG, 6 de novembro de 2013
  35. 35. A distribuição geográfica dos regimes aduaneiros, recintos aduaneiros, centros de serviços, centros logísticos, centros logísticos de integração e por fim plataformas logísticas. Na realidade faz-se necessário listar algumas possibilidades, antes de realizar os comentários finais: Centros Logísticos Industriais Aduaneiros: GRANBEL (USIFAST) Betim; Uberlândia (Grupo Libra) e Sul Minas (Grupo NECOM) Varginha, (*) Divinópolis - MG; Portos Secos: Uberaba e Juiz de Fora; REDEX: Poços de Caldas / Guaxupé; (*)(Aguardando deferimento do MF/ 6ª SRF);
  36. 36.     Municípios Pontuação Unaí 11 Teófilo  Otoni   16 Montes   18 Claros Pirapora 13 Araguari 12 Ituiutaba 13 Frutal 9                               Tipologias  de  estruturas  possíveis   Centro  Logís-co  Integrado. Plataforma  Logís-ca. Plataforma   Logís-ca,   Porto   Seco   e   ou   CLIA. Centro  Logís-co  Integrado. Centro  Logís-co  Integrado. Centro  Logís-co  Integrado. Centro  Logís-co  Integrado.               Quadro 83: Bloco 1 - Resultado da análise de critérios para manutenção e ou instalação de Unidades Aduaneiras em Minas Gerais. Fonte: SEDE/Central Exportaminas, IEL/FIEMG/CIN, SDAMG, CODACA, INDI. Belo Horizonte: 2013.
  37. 37.       Municípios Patrocínio Divinópolis Varginha Itajubá Extrema Santa  Rita  do  Sapucaí São  SebasDão  do  Paraíso             Pontuação 12 17 20 15 8 10 14                   Tipologias  de  estruturas  possíveis Plataforma  Logís0ca  ou  Porto  Seco. Plataforma  Logís0ca. Porto  Seco  /  CLIA. Plataforma  Logís0ca. Centro  Logís0co  Integrado. Centro  Logís0co  Integrado. Centro  Logís0co  Integrado.             Quadro 84: Bloco 2 - Resultado da análise de critérios para manutenção e ou instalação de UnidadesAduaneiras em Minas Gerais. Fonte: SEDE/Central Exportaminas, IEL/FIEMG/CIN, SDAMG, CODACA, INDI. Belo Horizonte: 2013.
  38. 38.   Municípios Be8m Belo  Horizonte Contagem Confins Pedro  Leopoldo Vespasiano Sete  Lagoas Sarzedo     Pontuação 15 24 -­‐ 6 10 6 13 3                                 Tipologias  de  estruturas  possíveis Porto  Seco  /  CLIA. Plataforma  Logís:ca. Porto  Seco  /  CLIA. Aeroporto  Industrial. Centro  de  Serviços. Centro  de  Serviços. Plataforma  Logís:ca  /  Porto  Seco  /  CLIA. Centro  de  Serviços.                 Quadro 85: Bloco 3 - Resultado da análise de critérios para manutenção e ou instalação de UnidadesAduaneiras em Minas Gerais. Fonte: SEDE/Central Exportaminas, IEL/FIEMG/CIN, SDAMG, CODACA, INDI. Belo Horizonte: 2013.
  39. 39. Núcleo de Apoio à Estratégia e Atendimento ao Exportador Ivan Barbosa Netto diretor@exportaminas.mg.gov.br Paulo Március Campos exportacao@exportaminas.mg.gov.br Daniel Pedersoli daniel.pedersoli@desenvolvimento.mg.gov.br Isadora Resende estrategia1@exportaminas.mg.gov.br Avenida Afonso Pena, 2910 – Funcionários Belo Horizonte – Minas Gerais – 30.130-007 (31) 3269-5500 - www.exportaminas.mg.gov.br

×