Intoxicacao alimentar

1.425 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.425
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Intoxicacao alimentar

  1. 1. O que é Intoxicação alimentar? A intoxicação alimentar ocorre ao ingerir alimentos ou água contaminados com certos tipos de bactérias, parasitas, vírus ou toxinas. A maioria dos casos de intoxicação alimentar é provocada por bactérias comuns como Staphylococcus ou Escherichia coli. Causas A intoxicação alimentar ocorre com mais frequência após o indivíduo comer em piqueniques, refeitórios, grandes eventos sociais ou restaurantes. Uma ou mais pessoas podem ficar doentes. A intoxicação alimentar é causada por certas bactérias, vírus, parasitas ou toxinas. Entre os tipos de intoxicação alimentar estão: • Botulismo (Clostridium botulinum) • Enterite associada à Campylobacter • Cólera • Enterite associada à E. coli • Intoxicação por peixe contaminado • Listeria • Staphylococcus aureus • Salmonella • Shigella As bactérias podem ficar na comida de diferentes maneiras: • A carne vermelha ou branca pode entrar em contato com as bactérias dos intestinos durante o processamento • A água usada durante a produção ou o envio pode conter dejetos animais ou humanos • Manejo ou preparação inadequados do alimento A intoxicação alimentar geralmente ocorre por meio da ingestão de: • Qualquer alimento preparado por alguém que não seguiu as técnicas adequadas de higiene das mãos • Qualquer alimento preparado com utensílios, tábuas de cortar ou outros itens sujos • Laticínios ou alimentos que contêm maionese (como salada de repolho ou de batatas) que foram mantidos fora da geladeira por muito tempo • Alimentos congelados ou refrigerados que não foram armazenados na temperatura adequada ou não foram reaquecidos de forma apropriada • Peixe cru ou ostra • Frutas ou vegetais crus que não foram bem lavados • Vegetais crus ou sucos de fruta e laticínios • Carne ou ovos mal cozidos • Água de poço, rio ou de uma região sem tratamento Crianças e idosos correm mais risco de serem acometidos por intoxicação alimentar. Você também corre um risco maior, se: • Apresentar alguma enfermidade séria, como doença renal ou diabetes • Estiver com o sistema imunológico debilitado
  2. 2. Exames Você será examinado pelo médico em busca de sinais de intoxicação alimentar, como dor no estômago e sinais de que o corpo não tem a quantidade de água e líquidos da qual necessita. Isso é denominado desidratação. Você também será questionado sobre o que comeu recentemente. Podem ser feitos exames de sangue, fezes, vômito ou na comida ingerida para determinar a causa dos sintomas. Contudo, pode ser que eles não provem que você está com intoxicação alimentar. Em casos raros, porém graves, o médico poderá solicitar uma sigmoidoscopia, procedimento no qual um tubo fino é colocado no ânus para verificar a origem do sangramento ou da infecção. Sintomas de Intoxicação alimentar O desenvolvimento dos sintomas depende da causa exata da intoxicação alimentar. Os tipos mais comuns de intoxicação alimentar geralmente têm início de 2 a 6 horas após a ingestão do alimento. Os possíveis sintomas incluem: Cólicas abdominais Diarreia (podendo conter sangue) Febre e calafrios Dor de cabeça Náusea e vômito Fraqueza (podendo ser grave e levar a uma parada respiratória, com no caso do botulismo) Buscando ajuda médica Marque uma consulta com seu médico se você tiver: Sangue ou pus nas fezes Fezes escurecidas Dor no estômago que não cessa após a evacuação Sintomas de desidratação (sede, tontura, vertigem) Diarreia com febre acima de 39 °C (38 °C em crianças) Viajado recentemente para um país estrangeiro e tido diarreia Também procure seu médico se: A diarreia piorar ou não melhorar em 2 dias no caso de crianças ou 5 dias no caso de adultos Uma criança com mais de 3 meses tiver vomitado por mais de 12 horas No caso de bebês menores, procure assim que o vômito ou a diarreia tiverem iniciado Vá para o pronto-socorro ou ligue para o número de emergência local (como o 192) se: Suas fezes apresentarem sangramento excessivo ou estão avermelhadas ou enegrecidas Você acreditar que pode ter se intoxicado por cogumelos, peixes ou botulismo Você apresentar taquicardia, palpitação ou batimentos irregulars
  3. 3. Tratamento de Intoxicação alimentar • Não coma alimentos sólidos até que a diarreia tenha passado, e evite produtos de laticínios, que podem piorar o quadro de diarreia (devido a um estado temporário de intolerância à lactose). • Beba líquidos (exceto leite e bebidas cafeinadas) para repor os líquidos perdidos devido à diarreia e ao vômito. • Dê às crianças uma solução de eletrólitos, que pode ser encontrada em farmácias. Complicações possíveis • A desidratação é a complicação mais comum. Ela pode ocorrer em qualquer um dos casos de intoxicação alimentar. • As complicações menos comuns e mais sérias dependem da bactéria causadora da intoxicação alimentar. Elas podem incluir artrite, problemas de sangramento, problemas nos rins, danos ao sistema nervoso e inchaço ou irritação do tecido em torno do coração. Prevenção Em primeiro lugar, é preciso conhecer a origem dos alimentos que vai oferecer à família, dentro ou fora de casa; Mantenha a cozinha sempre limpa; Lave as mãos antes de cozinhar, depois de ir ao banheiro ou trocar a fralda do bebê; Ferva a água para beber e cozinhar, caso o fornecimento de sua cidade não for confiável; Conserve os alimentos em local apropriado e, se possível, prepare a quantia exata de alimentos que a família for consumir, pouco antes da refeição; Não misture alimentos de origens diferentes, como carnes e verduras, em cima da pia; Não use a mesma faca durante a preparação de diferentes alimentos; Frutas e verduras devem ser lavados com água corrente antes do consumo. Caso vá ingerir os vegetais crus, deixe-os de molho por 15 minutos em produto indicado para desinfecção (como hipoclorito de sódio). Vinagre doméstico não mata as bactérias! Cozinhe bem os alimentos (principalmente as carnes). Sempre aqueça as sobras antes de ingeri- las (a 70o); Lave latinhas de refrigerantes ou outras bebidas com água e sabão; Lave bem as mãos do seu filho depois de brincar ou cuidar dos animais de estimação (faça o mesmo); Antes de colocar qualquer item no carrinho do supermercado, por exemplo, leia o rótulo do produto. Além da data de fabricação, verifique se a embalagem está limpa. Há algum furo ou lacre rompido? Evite comprar enlatados cuja lata se encontra amassada ou estufada. Por último, veja se o alimento possui o endereço do fabricante ou algum tipo de certificação, como o SIF (Serviço de Inspeção Federal) no caso das carnes ou o selo verde para os orgânicos;
  4. 4. .

×