Arranjos Físico

89.730 visualizações

Publicada em

Essa apresentação aborda conteúdos em relação aos variados tipos de Arranjos Físico em diversos processos produtivos

Publicada em: Educação

Arranjos Físico

  1. 1. Arranjos Físicos Bianca Carvalho Fabiana Caires Felipe Mascarenhas Thais Berbert
  2. 2. O que é Arranjo Físico? • Diz respeito ao posicionamento físico dos recursos transformadores de uma empresa, onde serão colocados todas as instalações, equipamentos e pessoal da operação.
  3. 3. O que faz um bom Arranjo Físico • Conforto para o funcionários: Ambiente de trabalho ventilado, iluminado e agradável; • Coordenação gerencial • Acessibilidade: Todas as máquinas devem apresentar um nível de acessibilidade suficiente para limpeza e manutenção; • Usa adequado do espaço; • Flexibilidade de longo prazo: os arranjos devem ser alterados periodicamente a medida que as necessidades da operação mudem.
  4. 4. O que faz um bom Arranjo Físico • Segurança inerente: Saídas de emergências claramente sinalizadas, e sinalizações claramente definidas; • Extensão do fluxo: O fluxo de informações, materiais devem atender ao objetivo da operação; • Clareza de fluxo: Todo fluxo deve ser sinalizado de forma clara para os funcionários;
  5. 5. Tipos básicos de Arranjo Físico • Arranjo físico posicional • Arranjo físico de processo • Arranjo físico celular • Arranjo físico por produto
  6. 6. Arranjo Físico Posicional • Também conhecido como arranjo de posição fixa. • Em vez de materiais e informações fluírem para uma operação, quem sofre procedimento fica estacionário, enquanto equipamentos, maquinários, instalações movem-se na medida do necessário.
  7. 7. Arranjo Físico Posicional • Exemplo: Construção de uma rodovia, onde o produto é grande demais para ser movido; • Exemplo: Manutenção de computadores de grande porte, onde o produto também é muito grande para ser movido e o cliente pode negar trazê-lo para manutenção.
  8. 8. Arranjo Físico por Processo • Conhecido também como arranjo funcional (Jobbing). • Máquinas agrupadas com as mesmas funções ou operações e montagens semelhantes. • Formam um departamento por onde caminham os produtos, onde procuram os diferentes processos de cada área necessária.
  9. 9. Arranjo Físico por Processo
  10. 10. Arranjo Físico por Processo • Produção por lotes ou encomendas. • Facilmente encontrado em prestadores de serviço e organizações do tipo comercial.
  11. 11. Arranjo Físico por Processo • Projeto detalhado • O principal fator que leva a essa complexidade é o número muito grande de diferentes alternativas. • Na prática, dificilmente encontradas. soluções ótimas • A relação é fatorial. N! = N x (N - 1) x (N - 2) x .... podem ser
  12. 12. Arranjo Físico por Processo Informações essenciais para Arranjo Físico por Processo 1 - A área requerida por centro de trabalho; 2 - As restrições sobre a forma da área a ser alocada para cada centro de trabalho; 3 - O nível e a direção do fluxo entre cada par de centros de trabalho (número de jornadas, carrega-mentos ou custo do fluxo por unidade de distância percorrida); 4 - O quão desejável é manter centros de trabalho próximos entre si ou próximos de algum ponto fixo do arranjo físico.
  13. 13. Arranjo Físico por Processo • Objetivo • Minimizar os custos para a operação, associados com o fluxo de recursos transformados ao longo da operação. • Fabricante de móveis • Hospital • Maximizar a receita associada ao fluxo, mais do que minimizar custos. • Operações de varejo • Operações de lazer
  14. 14. Arranjo Físico por Processo •
  15. 15. Arranjo Físico por Processo •
  16. 16. Arranjo Físico por Processo Método geral de projeto Passo 1 - Coletar as informações sobre os centros de trabalho e os fluxos entre eles. Passo 2 - Desenhar um arranjo físico esquemático, mostrando os centros de trabalho e os fluxos entre eles. Passo 3 - Ajustar o arranjo físico esquemático de forma a levar em conta as restrições da área dentro da qual o arranjo físico deve caber. Passo 4 - Desenhar o arranjo físico mostrando as áreas reais dos centros de trabalho e as distâncias que os materiais e as pessoas devem per- correr. Passo 5 – Checar se a troca da localização de quaisquer dos centros faz reduzir a distância total percorrida ou o custo total de movimentação.
  17. 17. Arranjo Físico por Produto • Preocupa-se com a localização dos recursos produtivos transformadores inteiramente segundo a melhor conveniência do recurso que está sendo transformado. Também chamado de Arranjo físico em “fluxo” ou “linha”. (SLACK, 2002)
  18. 18. Arranjo Físico por Produto • MONTAGEM DE AUTOMÓVEIS - quase todas as variantes dos mesmo modelo requerem sequência de processos. Fábrica da GM terá capacidade para produzir 120 mil motores e 200 mil cabeçotes , que abastecerá as unidades de Gravatá (RS) e Rosário na Argentina (Foto: Fabio Gonzalez/divulgação) Fonte: Portal do Trânsito
  19. 19. Arranjo Físico por Produto • PROGRAMA DE VACINAÇÃO EM MASSA - todos os clientes requerem sequências de atividades burocráticas (preenchimento das cadernetas de vacinação) médicas e de aconselhamento ( resguardo necessário).
  20. 20. Arranjo Físico por Produto • RESTAURANTE SELF-SERVICE - geralmente a sequência requerida pelo cliente(entrada, prato principal) é comum, mas o arranjo físico também mantém o controle sobre o fluxo dos clientes.
  21. 21. Arranjo Físico por Produto • Sequência de processos na manufatura de papel - Cada processo será arranjado fisicamente com a mesma sequência. Fonte: SLACKS, Nigel . Administração da produção
  22. 22. Arranjo Físico por Produto • Centro de alistamento militar usando arranjo físico por produto Arranjo físico por produto – Centro de alistamento militar Fonte: SLACKS, Administração da produção
  23. 23. Arranjo Físico por Produto • Projeto detalhado • No arranjo físico por produto , a decisão é mais sobre “o que localizar onde” A decisão do Projeto é chamada de balanceamento de linha. • 1. 2. 3. 4. 5. Essas decisões são as seguintes : Que tempo de ciclo é necessário? Quantos estágios são necessários? Como lidar com as variações no tempo para cada tarefa? Como balancear o arranjo físico? Como arranjar estágios?
  24. 24. Arranjo Físico por Produto Projeto detalhado • Tempo de Ciclo • O que é? • Como calculado? tempo de ciclo= Tempo disponível Quantidade a ser processada • Exemplo: Um banco esta projetando uma operação que vai processar as solicitações de empréstimos hipotecados . O número de solicitações a serem processadas é de 160 por semana e o tempo disponível para processar as solicitações é 40 horas por semana.
  25. 25. Arranjo Físico por Produto Projeto detalhado • Número de estágios : • O número de estágios é a próxima tomada de decisão do projeto detalhado • Como calcular: N de estágios = Conteúdo total de trabalho Ciclo de tempo necessário • Exemplo: Usando o mesmo exemplo, o conteúdo total de trabalho de processar uma solicitação de empréstimo é de 60 minutos. Tendo um o tempo de ciclo de 15 minutos.
  26. 26. Arranjo Físico por Produto Projeto detalhado • Variação do tempo de tarefa : •O que é? • Grande número de fatores: - Cada produto ou serviço processado pode ser diferente dos outros - Produtos ou serviços em série , embora essencialmente semelhantes, podem requerer pequenas diferenças de tratamento. - Geralmente ocorre variações na coordenação física e no esforço da pessoa que executa. • Causando a: - Criação de filas temporárias - Perda de tempo disponível do trabalho
  27. 27. Arranjo Físico por Produto Projeto detalhado Balanceamento da distribuição de tempo : •O que é o balanceamento de linha ? • Em situações práticas, é impossível obter um mesmo ciclo de tempo, havendo assim um desbalanceamento no trabalho distribuído a cada estágio. • Perda de balanceamento – é a medida da eficácia da atividade do balanceamento de linha. * Técnicas de balanceamento • Diagrama de precedência – é o ponto de partida para a maioria das técnicas de balanceamento de linha. - o que é? - como é feito
  28. 28. Arranjo Físico por Produto Projeto detalhado Arranjando os estágios :
  29. 29. Arranjo Físico por Produto • Vantagens do arranjo longo - magro: - Fluxo controlado de materiais e clientes - Manuseio simples de materiais - Requisito de capital mais moderado - Operação mais eficiente • Vantagens do arranjo curto – gordo: - Maior flexibilidade de mix - Maior flexibilidade de volume - Maior robustez - Trabalho menos monótono
  30. 30. Arranjo Físico por Célula - Definição “Tentativa de trazer alguma ordem para a complexidade de fluxo que caracteriza o arranjo físico por processo.”
  31. 31. Arranjo Físico por Célula Exemplos de Arranjo físico celular: • Algumas empresas manufatureiras de componentes de computador • Área para produtos específicos em supermercados • Maternidade em um hospital
  32. 32. Arranjo Físico por Célula Princípios para Serviços :
  33. 33. Arranjo Físico por Célula Vantagens x Desvantagens do Arranjo físico por célula: • Vantagens : Desvantagens : • Aumento da flexibilidade quanto ao tamanho de lotes por produto • Específico para uma família de produtos • Diminuição de transporte de material • Dificuldade em elaborar o arranjo • Diminuição dos estoques • Maior satisfação no trabalho
  34. 34. Arranjo Físico por Célula Projeto de Arranjo físico celular : • Porte e natureza das células • Alocação de recursos às células
  35. 35. Arranjo Físico por Célula Agrupa processos necessários para uma família de produtos : Tipos de célula :
  36. 36. Arranjo Físico Mistos Arranjo físico em linha = bandejão Arranjo físico celular = Buffet Arranjo físico posicional = A La Carte
  37. 37. Volume –Variedade e Tipo de Arranjo Físico Posição do processo no contínuo volume- variedade influencia seu arranjo físico e, consequentemente o fluxo dos recursos transformados. Fonte: SLACKS, Administração da produção (UNIP – AOP – 2010 – Arranjo Físico e Fluxo)
  38. 38. Vantagens e desvantagens Vantagens Desvantagens Posicional - Flexibilidade de mix e - Custos unitários muito altos produto muito alta - Produto ou cliente não movido ou perturbado - Alta variedade de tarefas para mão-de-obra Produto - Programação de espaço e atividades complexa -Movimentação de equipamentos e mão-de-obra - Produção em massa com grande produtividade ,custo unitário baixo para altos volumes -Especialização de equipamentos - Garante boa movimentação de materiais e clientes Baixa ou nenhuma flexibilidade do mix - Pode parar se alguma etapa parar - Trabalho repetitivo
  39. 39. Avaliação dos custos envolvidos na implantação do arranjo físico, e na sua operação. Custos fixos: implantação de um arranjo físico. O arranjo físico posicional é o que apresenta o menor custo fixo. Por outro lado, o arranjo físico por produto necessita de grande investimento inicial, pois utiliza até máquinas que são feitas de forma customizada, para produção exclusiva do produto em questão – Exemplo: açúcar e álcool Custos variáveis: São os custos que envolvem mão de obra, matériaprima, energia elétrica, materiais de consumo, entre outros itens necessários para produzir aquilo que a organização se propõe. Quanto maior o volume produzido, maior o custo variável.
  40. 40. Conclusão • O gestor precisa ter uma visão ampla para decidir qual arranjo físico adotar , para que não ocorra erros, porque é um processo de alto valor e de difícil execução , podendo ter um grande impacto direto nos custos de uma operação produtiva devido aos altos investimentos que são necessários para construir ou modificar o layout produtivo , quando ele e ineficiente.
  41. 41. Referências • SLACK , Nigel; Administração da produção , 2 Edição • MOREIRA, Daniel Augusto. Administração da produção e operações. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2008. 624 p.

×