Formação de sistemas de rega

16.442 visualizações

Publicada em

1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Gostaria de saber quais elementos necessário para dimensionamento de um sistema de rga
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
16.442
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
204
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
440
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Formação de sistemas de rega

  1. 1. ConceitosBásicos Formação de Sistemas de Rega 1
  2. 2. Porquê regar?Quais as mais valias dum Sistema de Rega?Será que Economizo agua e energia? 2
  3. 3. Dados Básicos a DominarCAUDAL / DIAMETRO DA ADUÇÃOPRESSÃOETPTIPO DE SOLO e VEGETAÇÃOVENTODECLIVES DO TERRENOLIGAÇÃO ELÉCTRICA 3
  4. 4. CAUDAL Volume de agua que passepor um orifício num dadoespaço de tempoUnidades:metros cúbicos por hora (m3/h)oulitros por segundo (l/s)1 l/s = 3.6 m3/hComo fazer uma medição de caudal de uma forma simples e eficaz em qualquersitução.- Utilizar um balde vulgar exemplo de 10 lts- Abrir a torneira ou válvula, é conveniente que seja o mais junto possível do pontode agua, junto da Bomba ou o mais junto possível do Contador.- Depois da torneira aberta colocar o balde a encher e cronometrar o tempo deenchimento, exemplo 10lts em 15 segundos, logo vamos ter 2400 l/h, disponíveis. 4
  5. 5. CAUDALTabela de caudais máximos em cada diametro deTubagemEquivalenc ia D EX T Q. MAX P. CARGA (100 MT ) PRESSÃO (KG/CM2 ) 3/8" 16 0,8 8 0,8 1/2" 20 1,3 18 1,8 3/4" 25 2,2 13 1,3 1" 32 3,4 10 1 1 1/4" 40 5,6 7,5 0,75 1 1/2" 50 8,67 5,6 0,56 2" 63 13,8 4,2 0,42 2 1/2" 75 19,5 3,4 0,34 3" 90 28,1 2,7 0,27 4" 110 42 2,3 0,23 5" 125 54 1,8 0,18 5
  6. 6. PRESSÃO Peso de uma coluna de agua sobreuma superfícieUnidades :BAR = (kg/cm2)oum.c.a. = (Metros de coluna de agua)1 bar = 1 kg/cm2 = 10 mcaComo fazer uma medição da pressão:-Utilizar um manómetro de pressão,pode ser de leitura de 0 a 10BAR.- Ligar no ponto de agua (torneira ou tubo) onde se tenciona ir buscar a agua parafornecer o sistema de rega. 6
  7. 7. PERDAS DE CARGAAs perdas de pressão são causadas por Turbulências provocadaspela fricção da agua contra as paredes interiores dos tubos eacessórios.Não nos podemos esquecer que nas diferenças de cotas tambémpodem existir perdas de carga. 7
  8. 8. PERDAS DE CARGATabela de perdas de Carga nas tubagens DIAM ETRO DO TUBO INTERIOR ( POLIETILENE ) CAUDAL M 3/H 20 25 32 40 50 63 75 90 0,22 1,13 0,45 4,15 0,68 8,53 0,9 *14,75 1,13 22,14 5,76 1,36 30,9 7,84 1,58 10,6 1,81 *13,37 2,04 16,83 2,27 20,29 6,22 2,49 24,21 7,61 2,72 8,76 2,95 *10,14 3,17 11,76 3,4 13,37 3,63 17,99 3,92 3,86 4,38 4,08 4,84 4,31 5,53 4,54 5,99 4,99 *7,14 5,45 8,3 5,67 8,99 4,38 5,9 9,91 4,61 6,35 5,3 6,81 *5,99 1,77 7,94 8,07 2,3 9,08 10,14 3,69 10,21 12,68 *4,61 1,59 11,35 6,45 1,91 13,62 8,53 2,76 15,89 10,84 *3,69 1,24 18,16 4,61 1,59 20,43 5,76 1,98 22,71 6,91 *2,3 27,25 3,45 Valores em m.c.a, equivalencia 10m.c.a. = 1bar 8
  9. 9. ETP - EvapoTransPiraçãoA ETP representa a quantidade de agua evaporada por umacobertura vegetal regular.A rega deve compensar a etp (a quantidade de agua evaporada)ETP (EvapoTransPiração)O VALOR MÉDIO DE ETP = 5 a 6 mm/dia 3 a 4mm/dia para o norte de Portugal 6 a 8 Para o sul de PortugalO que influencia e determina o ETP:TemperaturaPluviometria (chuva)HumidadeVelocidade do ventoRadiação solar 9
  10. 10. TIPO DE SOLO SOLOS NÃO COESIVOS (ARENOSOS) – Retêm muito rápido a agua, coloca-se mais arranques e menos tempos de rega SOLOS MISTOS – Arranques normais e tempos normais SOLOS COESIVOS – Encharca rapidamente, plano de rega como nos solos arenososO TIPO DE SOLO DÁ-NOS UMA IDEIA DA AGUA RETIDA PELO SOLOTIPO DE VEGETAÇÃOSaber a necessidade de agua das plantas a regar Relva / Arvores / Arbustos / PlantasSaber o crescimento das plantas em altura 10
  11. 11. DECLIVESOrigina perdas de cargaO escorrimento de agua provoca erosão do soloTODOS OS SECTORES QUE FICAREM EM ZONAS COM INCLINAÇÕES DEVERÃOQUE SER EQUIPADOS COM VÁLVULAS SAM PARA SUSTER A AGUA NO MÁXIMODE 3 M.C.A.PONTOS DE CORRENTE ELECTRICAEXISTE CORRENTE ELECTRICA A 220V? Se sim, pode-se colocar um programador de parede a 220V e electrovalvulas de 24V Se não, teremos que colocar programador de 9V e electrovalvulas de 9V 11
  12. 12. PROJECTO DE UM SISTEMA DE REGAAnalisar o terreno a regarDimensões;Declives;Tipo de vegetação e de solo;Pontos de agua e de corrente eléctrica.Executar no levantamentoUm projecto detalhado comtodas as medidas.A medição do caudal e dapressão disponível.DIMENSIONAR O SISTEMA DE REGA 12
  13. 13. PROJECTO DE UM SISTEMA DE REGAImplantar os aspersores e pulverizadores no terrenoTodos os aparelhos têm um determinado alcance…Ao escolhermos a posição deles no terreno, nunca nos podemosesquecer: Temos que respeitar o alcance máximo de cada um Colocar sempre os aparelhos o mais nos cantos e beiras possíveis Espaça-los no máximo o alcance deles de forma a criar uma uniformidade perfeita 13
  14. 14. Material de Rega 14
  15. 15. SISTEMA DE REGACOMO ESCOLHEMOS OS APARELHOS A REGAR?Se temos zonas do terreno com larguras inferira 5mts utilizamos PULVERIZADORES PULVERIZADOR – APARELHO DE JACTO FIXOSe temos zonas do terreno com larguras superiora 5mts utilizamos ASPERSORES ASPERSORES – APARELHO DE JACTO ROTATIVOSe temos arvores , arbustos ou plantas, podemossempre utilizar rega localizada em cada caso REGA LOCALIZADA 15
  16. 16. PulverizadorAparelho que faz alcance de 0,5mt até5mts;Aparelho que rega em jacto fixo;Neste aparelho é aplicado vários tipos deBico cada bico equivale a um alcance derega; 16
  17. 17. AspersorAspersores de turbina com alcance Rotativo;Alcance de 5mt até 15mts;Varias Alturas de elevação;Disponibilizam vários bicos para cada ângulo; 17
  18. 18. Rega Localizada GOTA-A-GOTAVantagens•Poupa água (evita percas por percolação e evaporação).•Pequenas dotações de água aplicadas (melhor assimilação).•Corte nos custos de substituição de materiais partidos e vandalizados.•Reduz a aplicação de químicos.•Economia do sistema• Espaços irregulares ou longos e estreitos• Zonas com declives• Rega em zonas ventosas 18
  19. 19. Rega Localizada GOTA-A-GOTARega à Superfície Rega Subterrânea 19
  20. 20. Rega Localizada GOTA-A-GOTAComprimento máximo de linha em terreno plano (m) Rega Subterrânea Pressão de Tipo de Tubo Espaçamentos entre gotejadores (cm) entrada (mca) 33 40 50 15 79 92 113 UniTechline 20 90 106 130 16/120 30 108 127 155 35 120 135 174 Pressão de Rega Superfície Tipo de Tubo Espaçamento entre gotejadores (cm) entrada (mca) 33 50 10 83 117 TechNet 15 102 145 16/100 c/ 2,0L/h 20 117 165 25 124 181 30 138 195 20
  21. 21. Rega Localizada GOTA-A-GOTA Pulverizadores vs Tubo UnitechlineUniTechline Pulverizadores Em Faixas estreitas, fica mais económico tubo enterrado 21
  22. 22. Rega Localizada GOTA-A-GOTAQue materiais aplicar num sistema enterrado… Filtro discos com tecnologia TECHFILTER c/ trifluralina Tubo distribuidor Conector inicial UniTechline Válvula de ar/vácuo em caixa de válvulas CPX-708 Tubo colector Válvula de Lavagem em caixa de válvulas CPX-708 22
  23. 23. Rega Localizada GOTA-A-GOTATipos de Instalações 23
  24. 24. Rega Localizada GOTA-A-GOTATipos de Instalações 24
  25. 25. ElectroválvulaAs electrovalvulas servem para abrir e fecher electricamente os sectores de rega, segundo ordem do programador.• Entrada de ¾”, 1”, 1 ½”, 2” e 3”• Rosca macho ou fêmea• c/ ou s/ regulador caudal• Solenoide de 24V ou 9V 25
  26. 26. Programadores 24 VExistem programador para o numero de estações que fornecessario, dendo os mais convencionais de 4 a 12 estações, nossistemas de rega domesticosPermitem varios arranquesTrabalham com solenoides de 24V.Gestão de percentagem de regaAlgum permite trabalhar com calendário e fazer a gestão anual 26
  27. 27. Como ligar um programador de Rega? COLOCAÇÃO DE VISOR PILHAS123 LIGAÇÃO AO SAIDA DE TESTE DE TRANSFORMADOR ELECTROVALVULAS4 LIGAÇÃO DO PULVIOMETRO 27
  28. 28. Programadores 9V-Programador alimentado por corrente de 9V.-Capacidade até 8 arranques por dia e até 2 programas independentes.-Capacidade de ligar o pluviómetro.TODOS OS MODELOS COM CERTIFICAÇÃO IP68,POSSIVEL DE SUBMERCER EM AGUA ATE 2 MTS DE PROFUNDIDADE.DISTANCIA MAXIMA PARA AS VALVULAS 25 METROS 28
  29. 29. PROJECTO DE UM SISTEMA DE REGA CONSUMO DE AGUA DE CADA PULVERIZADOR E ASPERSOR Cada aparelho tem um débito de agua Os débito é dependente do ângulo que cada um está a fazer (90º, 180º, 270º…) Nos pulverizadores o ajuste é automático Nos aspersores, é necessário mudar o bico, para que a zona que regue a 180º tenha a mesma quantidade de agua da de 90º e assim O bico 4 tem um débito de 320l/h e o bico 7 tem um débito de 610l/h, O DOBRO… O Correcto seria utilizar o bico 4 em zonas em que o aspersor faça 90º e o bico 7 em zonas de 180º. A Área de 180º é o dobro da área de 90º Aspersor a 90º Aspersor a 180º 29
  30. 30. Qual a quantidade de agua disponível? 30
  31. 31. Agua da companhia?Se Sim… qual o diâmetro do contador?CONDUTA DE DIAMETRO DO DISPONIBILIDADE DISPONIBILIDADE ENTRADA CONTADOR L/M M3/H 3/4" 5/8" 30 -35 L/MIN 1,8 - 2,1 3/4" 3/4" 35-40 L/MIN 2,1 -2,4 1" 3/4" 55-60 L/MIN 3,3 -3,6 1" 1" 60-70 L/MIN 3,6 -4,2 1 1/4" 1" 90-100 L/MIN 5,4 - 6,0 1 1/2" 1" 105-120 L/MIN 6,3 - 7,2 1 1/2" 1 1/2" 130-150 L/MIN 7,8 - 9,0 2" 1 1/2" 170-200 L/MIN 10,2 - 12,0 2" 2" 220-250 L/MIN 13,2 - 15,0 3" 3" 480-540 L/MIN 28,8 - 32,4 31
  32. 32. PROJECTO DE UM SISTEMA DE REGAPORQUÊ DIVIDIR EM VARIOS SECTORES? PONTO DE AGUAPorque não temos caudal disponível pararegar todo o jardim ao mesmo tempo! ELECTROVALVULASVamos supor que o caudal de entrada são 3m3/h.O débito de todos os aparelhos de rega é 9M3/H. SECTOR 1 SECTOR 2 SECTOR 3Logo temos que dividir em 3 sectores, para que cada umfique com o máximo de 3m3/h.O que comanda cada sector é uma electroválvula atravésdum programador que gere as aberturas e fechos.NUNCA MISTURE ASPERSORES E PULVERIZADOR NOMESMO SECTOR, POIS TÊEM TEMPOS DE REGA DIFERENTES!!!
  33. 33. PROJECTO DE UM SISTEMA DE REGADEPOIS DE DIVIDIR EM SECTORES VAMOSDIMENSIONAR AS TUBAGENS Temos que saber o caudal que passa nas tubagens: Tubagem principal (a que vai do ponto de agua até as electrovalvulas) Tubagem secundaria (a que vai das electrovalvulas até aos aparelhos de rega) Vamos utilizar o exemplo anterior… 3 m3/h = 3000l/h Que tubagem colocamos? Obviamente aquela que tiver uma menos perda de carga… vamos consultar a tabela… SEM DUVIDA, UM TUBO DE 32mm 40
  34. 34. PERDAS DE CARGATabela de perdas de Carga nas tubagens DIAM ETRO DO TUBO INTERIOR ( POLIETILENE ) CAUDAL M 3/H 20 25 32 40 50 63 75 90 0,22 1,13 0,45 4,15 0,68 8,53 0,9 *14,75 1,13 22,14 5,76 1,36 30,9 7,84 1,58 10,6 1,81 *13,37 2,04 16,83 2,27 20,29 6,22 2,49 24,21 7,61 2,72 8,76 2,95 *10,14 3,17 11,76 3,4 13,37 3,63 17,99 3,92 3,86 4,38 4,08 4,84 4,31 5,53 4,54 5,99 4,99 *7,14 5,45 8,3 5,67 8,99 4,38 5,9 9,91 4,61 6,35 5,3 6,81 *5,99 1,77 7,94 8,07 2,3 9,08 10,14 3,69 10,21 12,68 *4,61 1,59 11,35 6,45 1,91 13,62 8,53 2,76 15,89 10,84 *3,69 1,24 18,16 4,61 1,59 20,43 5,76 1,98 22,71 6,91 *2,3 27,25 3,45 Valores em m.c.a, equivalencia 10m.c.a. = 1bar 41
  35. 35. 42

×