Não guardo mágoa,mas guardo todo o resto…Mariana Nobre
Sou garimpeira, pesquisadora e articuladora cultural. Trabalho com Tendências deComportamento e Inovação, mas também sou u...
Uma paixão pela descobertaFaz de mim alguém que querinspirar pessoas a recuperarculturas de tempos atrás e olharpara o fut...
Senta que lá vem história!Meus olhos brilharam quando roubeiuma coleção de revistas Manchete daminha avó, aos 10 anos. Não...
E, ao passo em que eu descobria mais sobre este‘mundo novo’, tentava convencer os outros de queaquilo era mágico (que é o ...
Passei da criança que colecionava revistas, cédulas e moedas àadolescente ‘fashionista’ que comprava roupas legais nos bre...
Cheguei na cidade nova. Ganhei olhos deturista. Olhava pra todos os lugares, pratodos os cantinhos dessa cidade imensa.Mas...
Eu não sabia muito bem o nome dele. Naverdade, eu só sabia que os prédios que eletinha feito eram os que me hipnotizavam n...
Fui atrás do nome dele. Me apaixonei por suahistória. Era engraçado como tudo isso melevava para um mundo de sonho. (Acho ...
Foi um bom tempo na espera. Mas umdia apareceu. A luz que vinha da janelaera linda. É aqui! É aqui!E esse apartamento tão ...
Mas ainda faltava contar pra todo mundoquem era este grande sonhador. "Mesmo que “todo mundo” fossem só osmeus amigos.
Mas, de amigo em amigo, conheci o professorRuy Debs. Ele estava publicando o primeirolivro sobre a vida e a obra do Artach...
Palestra Artacho JuradoSetembro de 2008Ed. Planalto
Eram móveis de grandes designersbrasileiros. Tudo isso vindo decolecionadores e antiquários queacreditaram nesse encontro....
Cartaz:arteRafaelteixeira
Continua…Veja as próximas apresentações nos links a seguir [slideshare]
[Mari Nobre Historia Garimpos] Cap 1 Artacho Jurado
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

[Mari Nobre Historia Garimpos] Cap 1 Artacho Jurado

650 visualizações

Publicada em

Um dos meus clientes me pediu uma apresentação sobre a minha história. Nesta série de ppts, conto como adquiri meu olhar investigativo e sobre os meus interesses a respeito dos vintagismos e resgate da cidade.

Publicada em: Carreiras
2 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
650
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
145
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
2
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

[Mari Nobre Historia Garimpos] Cap 1 Artacho Jurado

  1. 1. Não guardo mágoa,mas guardo todo o resto…Mariana Nobre
  2. 2. Sou garimpeira, pesquisadora e articuladora cultural. Trabalho com Tendências deComportamento e Inovação, mas também sou uma entusiasta dos Movimentos deVolta ao Passado e Resgate das Ruas.Mariana NobreFeppaRodrigues
  3. 3. Uma paixão pela descobertaFaz de mim alguém que querinspirar pessoas a recuperarculturas de tempos atrás e olharpara o futuro através dos lastrosda história.
  4. 4. Senta que lá vem história!Meus olhos brilharam quando roubeiuma coleção de revistas Manchete daminha avó, aos 10 anos. Não ligava paraos dedos que ficavam sujos, nem para asbroncas que a minha mãe me dava porisso. O que me encantavam eram aquelasfotos, propagandas e uma sensação deviagem ao mundo dos sonhos, que tudoaquilo me proporcionava.
  5. 5. E, ao passo em que eu descobria mais sobre este‘mundo novo’, tentava convencer os outros de queaquilo era mágico (que é o que eu faço até hoje!),mas nem eu sabia o porquê...  
  6. 6. Passei da criança que colecionava revistas, cédulas e moedas àadolescente ‘fashionista’ que comprava roupas legais nos brechós.Em uma época em que sebos, antiquários e todo o comércio de ítensusados eram tidos como depósitos de peças indesejadas…O status de descolado, na verdade, escondia o que havia de maisprecioso em tudo isto: o resgate. Peças recuperadas poderiam ter suahistória continuada, passavam a colaborar com uma retraçãoeconômica necessária e tinham papel fundamental no rompimento comos paradigmas da obsolescência.Mas ainda era cedo pra se falar em tudo isso. Me mudei pra São Paulo.
  7. 7. Cheguei na cidade nova. Ganhei olhos deturista. Olhava pra todos os lugares, pratodos os cantinhos dessa cidade imensa.Mas um dia, andando e observando tudo,olhei pro céu…… e reencontrei Artacho Jurado.GalOppido
  8. 8. Eu não sabia muito bem o nome dele. Naverdade, eu só sabia que os prédios que eletinha feito eram os que me hipnotizavam naorla da praia de Santos. “Só alguem muitofeliz pode fazer um prédio tão colorido.Parecia coisa de ET…”GalOppido
  9. 9. Fui atrás do nome dele. Me apaixonei por suahistória. Era engraçado como tudo isso melevava para um mundo de sonho. (Acho queestou me repetindo…)Mas eu só queria que mais gente soubesse.Soubesse o quanto tudo isso é tão mágico…Thais  N  F  Morales  
  10. 10. Foi um bom tempo na espera. Mas umdia apareceu. A luz que vinha da janelaera linda. É aqui! É aqui!E esse apartamento tão esperado – o primeiroque era só meu – abrigou todos os meuscacarecos, tudo o que eu gosto de guardar…HelioSiqueira
  11. 11. Mas ainda faltava contar pra todo mundoquem era este grande sonhador. "Mesmo que “todo mundo” fossem só osmeus amigos.
  12. 12. Mas, de amigo em amigo, conheci o professorRuy Debs. Ele estava publicando o primeirolivro sobre a vida e a obra do Artacho. Juntos, fizemos uma noite só para celebraresta história e contá-la pra mais gente!
  13. 13. Palestra Artacho JuradoSetembro de 2008Ed. Planalto
  14. 14. Eram móveis de grandes designersbrasileiros. Tudo isso vindo decolecionadores e antiquários queacreditaram nesse encontro.(Meus imensos agradecientos ao Ricardo Dembosch, da London335, que fez o bar com lindos objetos dos anos 50 e 60, e ao AugustoTiese, da 5 Décadas, que levou estes móveis raríssimos ao evento!(Estas em primeiro plano são originais Zanine)Andréluy
  15. 15. Cartaz:arteRafaelteixeira
  16. 16. Continua…Veja as próximas apresentações nos links a seguir [slideshare]

×