Trabalho 4 Semestre e 5 Semestre 2015

268 visualizações

Publicada em

Trabalho 4 e 5 Semestre unopar 2015

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
268
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho 4 Semestre e 5 Semestre 2015

  1. 1. Viçosa-MG 2015 SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS RODRIGO MARINHO DA SILVA FUNDAMENTOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Portfólio Individual
  2. 2. RODRIGO MARINHO DA SILVA FUNDAMENTOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Portfólio Individual Atividade Interdisciplinar em Grupo apresentado à Universidade Norte do Paraná - UNOPAR, referente ao segundo semestre com o eixo temático Fundamentos de Tecnologia da Informação. Orientadores: Marcio Roberto Chiaveli, Luis Claúdio Perini, Veronice de Freitas e Marco Hisatomi.
  3. 3. SUMÁRIO 1. Introdução ...........................................................................................3 2. Objetivos ..............................................................................................3 3. Desenvolvimento..................................................................................4 4. Conclusão.........................................................................................10 5. Referências .......................................................................................10
  4. 4. 1. Introdução Este trabalho tem por finalidade aplicar os conceitos ensinados relacionados as matérias de Metodologia de Ensino e Pesquisa, Sistema de Computação e Informação, Html, linguagem de programação, segurança da Informação. Para isso, utilizaremos como cenário, “SISTEMA DE CONTROLE DE ENTREGA DE PIZZA”. Com base no cenário proposto do enunciado do trabalho, aplicaremos os ensinamentos, de forma a atender o que é solicitado. 2. Objetivos Este trabalho tem como o objetivo o desenvolvimento Textual individual,Do primeiro semestre de ADS, No cenário “SISTEMADE CONTROLE DE ENTREGADE PIZZA , Com base nas questões implantadas para o desenvolvimento textual-individual, e aprofundar o conhecimento em Sistemas de Informação, Programação, Html Ética, e Segurança da informação e que quais requisitos necessário para trabalhar em segurança,Tipos de sistemas usados para a organização. 3. Desenvolvimento 3.1 Como são chamados os comandos em HTML? Os comandos em HTML são chamados de tags. O HTML é uma linguagem baseada em marcação. Nós marcamos os elementos para mostrar quais informações a página exibe. Por exemplo, um título importante. Aquele título do artigo, da manchete do site, nós marcamos com uma tag/elemento chamado H1. Veja um exemplo: 1. <h1>Aqui vai o texto do título</h1> Perceba que o texto está entre duas marcações. Essas marcações são chamadas de TAGS. As tags são abertas e depois fechadas. No exemplo acima abrimos a tag com <h1> e fechamos com </h1>. O que está dentro é o conteúdo mostrado para o usuário. O parágrafos são marcados com a tag P. Assim: 1. <p>Aqui vai o texto do parágrafo. 2. Geralmente parágrafos tem muitas palavras, 3. letras menores que as do título</p> Utilizando as tags, nós dizemos para o navegador o que é cada informação. O que é um título, o que é um parágrafo, o que é um botão, um formulário etc. Dizemos também o que é cada coisa para os sistemas de busca, como o Google. O Google, nesse caso, para exibir os resultados de busca, ele precisa saber o que é um parágrafo e o que é um título. Ele sabe disso através das tags. 3.2 Como melhorar a aparência de um documento, como inserir imagens, vídeos, tabelas e links para navegação.
  5. 5. Antigamente os desenvolvedores personalizavam a aparência da página no próprio HTML, porém atualmente estamos fazendo isso pelo arquivo CSS. Algumas tag's possuem propriedades que podem possuir valores. Um exemplo claro é a tag de imagem que possui o caminho da imagem. <img src="caminhoImg.jpg" /> Script para adicionar o arquivo de vídeo simples na página <!DOCTYPE html> <html> <head> <title>HTML Video Tag Example</title> </head> <body> <video width="320" height="240" controls="controls" autoplay="autoplay"> <source src="Yes Bank Advertisment.mp4" type="video/mp4"> <object data="" width="320" height="240"> <embed width="320" height="240" src="Yes Bank Advertisment.mp4"> </object> </video> </body> </html> Inserindo Tabelas As tabelas são definidas com a tag <table>. Uma tabela é dividida em linhas (com a tag <tr>), e cada linha é dividida em células de dados (com a tag <td>). As letras td significam "table data," que é o conteúdo de uma célula de dados. Uma célula de dados pode conter texto, imagens, listas, parágrafos, formulários, filetes horizontais, tabelas, etc. <table border="1"> <tr> <td>linha 1, célula 1</td> <td>linha 1, célula 2</td> </tr> <tr> <td>linha 2, célula 1</td> <td>linha 2, célula 2</td> </tr> </table> Links são os pontos clicáveis do documento HTML que levam a qualquer outro documento da sua página ou site na Internet. Podemos fazer links internos, para documentos no mesmo servidor, links externos para qualquer lugar na Web, ou até mesmo links para um mesmo ponto dentro de uma página. Ambos dependem da tag: <a href="nome-do-lugar-a-ser-levado">descrição</a>
  6. 6. A linguagem PHP é uma linguagem de programação de domínio específico, ou seja, seu escopo se estende a um campo de atuação que é o desenvolvimento web, embora tenha variantes como o PHP-GTK. Seu propósito principal é de implementar soluções web velozes, simples e eficientes. Características: Velocidade e robustezEstruturado e orientação a objetoPortabilidade – independência de plataforma – escreva uma vez, rode em qualquer lugar;Tipagem fracaSintaxe similar a Linguagem C/C++ e o PERL. 3.3 Linguagens de Programação e sua Características PHP é uma linguagem de programação de domínio específico, ou seja, seu escopo se estende a um campo de atuação que é o desenvolvimento web, embora tenha variantes como o PHP-GTK. Seu propósito principal é de implementar soluções web velozes, simples e eficientes. Características: Velocidade e robustezEstruturado e orientação a objetoPortabilidade – independência de plataforma – escreva uma vez, rode em qualquer lugar;Tipagem fracaSintaxe similar a Linguagem C/C++ e o PERL. JAVA a simplicidade é uma de suas mais importantes características. É isso que possibilita que a sua aprendizagem possa ocorrer sem necessidade de treinamento intensos ou larga experiência anterior. Programadores com conhecimento das linguagens C e C++ encontrarão muitas semelhanças destas com o Java e o assimilarão de forma ainda mais rápida. Além disso, o código escrito com o Java é muito mais limpo do que aquele escrito em C ou C++. Java é orientado a objetos e, com exceção dos tipos primitivos, tudo é representado na forma de objetos. Até mesmo os tipos primitivos podem ser encapsulados em objetos sempre que isso for necessário. Os programas são compostos por classes, que representam categorias de objetos e podem herdar atributos e métodos de outras classes. A ausência de herança múltipla é compensada com uma solução muito melhor: o uso de interfaces, onde uma classe pode herdar características de uma superclasse e ainda implementar métodos de uma ou mais interfaces. Toda a variável ou método pertence a uma classe ou objeto e só pode ser invocada através dessa classe ou objeto. Isso reforça seu forte caráter orientado a objeto. O Java também garante a confiabilidade dos programas produzidos. O processo de compilação elimina uma gama enorme de possíveis problemas e uma checagem dinâmica (realizada em tempo de execução) contorna muitas situações que poderiam gerar erros. A confiabilidade dos programas escritos com o Java também é incrementada com um mecanismo eficiente para contornar situações inesperadas que podem ocorrer em tempo de execução. Essas condições excepcionais, chamas exceções, podem ser devidamente tratadas para evitar que o programa aborte, mesmo frente a situações de erro. A segurança é outro ponto muito forte do Java. Um programa sempre é verificado antes de ser executado. Essa verificação também é realizada nos navegadores e visa impedir que os applets possam provocar quaisquer danos ao computador do usuário.
  7. 7. Ademais, como o Java não permite acesso direto à memória, impede seu uso para desenvolvimento de vírus. O Java também, é mais dinâmico que o C/C++. Ele foi projetado para se adaptar facilmente a ambientes em constante evolução (como a Internet). A inclusão de novos métodos e atributos a classes existentes pode ser feita livremente e o tipo de objeto pode ser pesquisado em tempo de execução. Como se não bastasse tudo isso, o Java contém recursos que permitem o desenvolvimento de sistemas extremamente robustos. Dentre estes recursos, destaca- se o suporte a multiprocessamento, que possibilita a um programa a realização de mais de uma tarefa ao mesmo tempo. O resultado disso é o aumento da sensibilidade interativa dos programas e seu comportamento em tempo real. Além de todas as vantagens anteriores, o Java ainda oferece facilidades para programação de sistemas cliente-servidor e sistemas distribuídos. Sua API contém uma biblioteca de classes e interfaces muito rica para se trabalhar com sockets, TCP/IP, RMI e muitos outros recursos correlatos. Devido à diversas características que o Java possui, a sua tecnologia tem provocado mudanças significativas nos processos de engenharia de software e tende a alterar até o modo como os programas são produzidos, distribuídos e utilizados. ASP.NET , o Framework .NET (responsável pelo funcionamento do ASP.NET no nosso servidor), é oferecida para o IIS 5.0, 4.0, assim como para as versões pessoais Windows 95 e Windows 98. O ASP.NET deu um grande passo na arquitetura existente do ASP antigo. Toda a infra-estrutura permite o desenvolvimento e estrutura de aplicações. Os formulários trazem um modelo de desenvolvimento que é mais intuitivo e simples de usar. Os "Server Controls" possuem funcionalidades comuns e aperfeiçoaram bastante as funcionalidades já existentes, de uma forma muito simples. A estrutura do ASP.NET é muito diferente das versões anteriores. O ASP.NET agora é praticamente modularizado e baseado em componentes, e cada página, objeto, ou elemento HTML pode ser usado como um componente em tempo-real. O ASP.NET permitem uma nova era no desenvolvimento de aplicações Internet. Permitindo aos programadores, produzir aplicações mais dinâmicas escaláveis, que vão mais de encontro às necessidades das regras de negócio das empresas, assim como providenciar um ambiente de desenvolvimento mais rico. À primeira vista, as novas funcionalidades dão a entender que a escrita de aplicações é mais difícil, porém, muitos aspectos do desenvolvimento ASP.NET são muito simples. Vamos então conhecer algumas das funcionalidades do ASP.NET. Linguagens compiladas, o ASP antigo, é baseado em scripting como o VBScript ou Javascript. Constituindo assim dois problemas: é interpretado, e não muito fortes nas funções base. O ASP.NET introduziu suporte para linguagens compiladas. Podemos usar além do Visual Basic e C++, a nova linguagem C#, ou outras externas, como o Java, Perl, Cobol etc. Web Forms (formulários), são páginas Internet que nos permitem escrever código como o fazemos hoje com o ASP antigo. Mais do que isso, os formulários ASP.NET são desenhados em cima de um modelo de programação orientado por objetos.
  8. 8. Fazendo o código ser reutilizável, e separando o conteúdo da programação. No ASP antigo não é possível, porque não existe uma ligação entre os elementos do desenho e o código do servidor. Com o ASP.NET, existe uma ligação permanente, basta usarmos o atributo runat="server" onde quisermos. As páginas ASP.NET, são arquivos de texto, com a extensão .aspx. Podem ser executadas por um diretório virtual do IIS. Quando um browser pede uma página .aspx, o componente ASP.NET faz parsing e compila o código. O arquivo .aspx só é compilado uma vez, a primeira vez que ele for pedido. Automaticamente detecta quando esse foi alterado, e voltará a compilar uma única vez, no primeiro acesso à nova versão. Usando Web Controls (Controles Internet/Web) Um dos grandes problemas do programador hoje em dia é a compatibilidade entre browsers, das suas aplicações, e a complexidade das mesmas que têm de criar. É realmente um ponto difícil tentar a compatibilidade entre todos os browsers. Para isto, o ASP.NET introduz o conceito dos server controls (controles do servidor), que englobam tarefas comuns e providenciam um modelo de programação bastante limpo. Estes controles, enviam puro HTML para o browser, não existe de alguma forma scripts do lado do cliente, e mesmo que hajam por exemplo nos controles de validação esses só ficam em browsers onde funcionem, tudo automaticamente. O objetivo disto, foi o de permitir melhor compatibilidade com os elementos do HTML 3.2. O ASP.NET é editado com 5 famílias de controles Web: . Controles que mapeiam para os seus elementos HTML equivalente; . Lista de controles, que providenciam o fluxo dos dados pela página; . Controles ricos, que providenciam conteúdo rico para conteúdo de interface; . Controles de validação, para se poder validar campos em formulários; . Controles móveis, que englobam tags de WML para aparelhos móveis. Os Controles que mapeiam para os seus elementos HTML equivalente são similares aos controles HTML. Os controles de lista vão fazer uma fácil criação de listas e radio buttons, assim como checkboxes. Os controles ricos, consistem num calendário bastante flexível, e no AdRotator, quem programa ASP antigo sabe do que se trata. O controle Calendar (calendário) vai criar um output de puro HTML para browsers de baixo nível, ou DHTML para browsers de alto nível. Os controles de validação vão disponibilizar formas simples para os programadores construírem validações nos formulários. E não estará limitado a usar os controles existentes de raíz, é bastante simples criar os seus próprios controles. Ligação de dados Um dos controles Internet é o DataGrid, que foi construído para suportar processamento de dados. Para gerar uma tabela HTML de um resultado de dados em SQL, só temos de usar os objetos ADO.NET e executar o comando para obtermos os dados, que usamos como fonte para o grid. Usar caching ASP.NET
  9. 9. Para construir Web site escaláveis de alta performance, poderemos usar algumas formas de caching. Algumas operações de construção de páginas são dispendiosas para construir, e fazendo caching delas de uma vez, salva recursos e permite que essas sejam servidas mais rapidamente. Existem vários truques para aumentar a velocidade das páginas ASP, mas nenhum foi tão longe como as funcionalidades que o ASP.NET inclui: . Caching no nível de página; . Caching de dados, que permite que porções de páginas fiquem em cache; . Cache de API, que permite aos programadores aceder à cache do motor. O "Page caching" (Caching no nível de página) é o mais simples, e permite que as páginas dinâmicas sejam postas em cache, e assim são servidas diretamente, em vez de estarem a ser sempre processadas. Caching de dados, oferece o mesmo nível de controle sobre porções individuais de uma página ASP.NET. Ambas as técnicas usam a cache de API, que é exposta para o programador a fazer cache dos seus próprios objetos. Eventos das Páginas (Page Events) As ASP.NET foram re-escritas com um pensamento de orientação a objetos. No topo temos um objeto no topo da árvore, que é o objeto Page. Cada controle ASP.NET, application, e página são descendentes de Page. Isto significa que cada página é uma instância do objeto Page. Isto é importante quando tomamos conta que o evento Load de Page é algo a que podemos responder, como no Visual Basic. Durante a interação do usuário, outros eventos são criados, e assim o evento UnLoad é disparado quando se sai da página. Debug e Tracing Um dos objetivos das ASP.NET é fazer a escrita das aplicações fáceis, e fazer debug é fundamental no desenvolvimento. A forma como as ASP.NET são compiladas permitem-nos o uso do COM+ nas mesmas enquanto estas estão em execução, e providenciam um ambiente rico de debug. O tracing também é importante durante o desenvolvimento. O ASP.NET providencia dois níveis de tracing, que facilitam tudo: . Page-level Tracing - A este nível os programadores, podem usar o TraceContext para escrever declarações de debug adaptadas, que aparecem no fim do output do cliente, no browser. Porque o tracing pode ser ativo ou não, as declarações podem ser deixadas no código de produção para uma página sem impacto na performance; . Application-level Tracing - Este permite uma visualização dos inputs e outputs duma página, como formulários e variáveis querystring, ou cabeçalhos, assim como algumas importantes estatísticas sobre a execução da página (hierarquia de controles, session e application). Esta é ativada via a configuração do sistema do ASP.NET, e acedida como um URL especial mapeado na aplicação trace.axd. Quando o tracing da aplicação estiver ativado, o "Page-level" tracing é também automaticamente ativado para todas as páginas na aplicação. Configuração
  10. 10. A configuração das ASP.NET, é guardada em arquivos XML. Se alterar um destes arquivos, por sua vez para atualizar a configuração, o componente vai automaticamente executar a alteração em todos os locais apropriados. O ASP.NET também vão suportar o uso de aplicações compiladas. A vantagem é que nenhum do código fonte fica visível ao administrador do servidor Web. A conclusão é que devido ao custo benefício o php é a melhor opção, possui servidores mais baratos, na internet são encontradas muitas informações como como artigos e dicas, encontramos vários fóruns, grupos, etc... 4. Conclusão Este trabalho mostrou uma visão geral sobre os fundamentos da informação, justificá-los. Esses sistemas podem auxiliar as empresas a estender seu alcance a locais distantes, oferecer novos produtos e serviços, reorganizar fluxos de tarefas e trabalho e, talvez, transformar radicalmente o modo como conduzem os negócios. Isso facilitará saber que ferramentas são ideais para determinadas atividades, que resultados poderão colher com a correta aplicação destas ferramentas e onde encontrar as informações que necessita para tomadas de decisões. 5. Referências htmlstaff.org: http://www.htmlstaff.org/ver.php?id=3446 http://www.htmlstaff.org/ver.php?id=1284 tableless: http://tableless.com.br/java-principais-caracteristicas http://tableless.com.br/o-que-html-basico/ Igordeveloper: http://www.igordeveloper.com/blog/php-principais-caracteristicas/ clem.ufba.br: http://www.clem.ufba.br/tuts/html/c09.htm DevMedia: http://www.devmedia.com.br/html-video-como-adicionar-e-reproduzir- videos-em-html-utilizando-dom/28790 Linha de Código: http://www.linhadecodigo.com.br/artigo/81/html-basico.aspx

×