Artigo

813 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
813
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Artigo

  1. 1. A APLICAÇÃO E A IMPORTÂNCIA DA INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO Marinês ZanellaRESUMO: O presente artigo é um alerta para a inserção da informática na educação, vindo acontribuir sobre a importância que esta tem nas esferas escolares, servindo este meio tecnológico deauxilio para o trabalho do professor, bem como, utilizar o mesmo em seu cotidiano escolar; favorecero desenvolvimento do processo de ensino aprendizagem, onde sua formação e seu desenvolvimentopessoal, já estão rodeados pela tecnologia. O artigo ainda vem a fazer com que professores que senteminsegurança em utilizar os meios tecnológicos em suas aulas, estejam cientes que ao inserir ocomputador na realidade da escola, como um meio e não um fim para o processo de ensinoaprendizagem. Estarão colocando os alunos na era digital. Neste trabalho, buscaram-se bibliografiasque tivessem dizeres relativos à tecnologia presente na escola. Por este motivo, fez um apanhado sobreo material a ser utilizado, pesquisando referências com colegas e ao acesso a web. Selecionaram-seentão bibliografias relacionadas ao tema proposto. Ressalta-se que a formação do professor para quese chegue a este processo evolutivo, agregue aos seus conhecimentos pedagógicos, mais este recurso,que veio para a escola para somar e transformar a vida dos envolvidos. Assim sendo, este trabalhobibliográfico, apresenta ideias de diversos autores, onde estes apresentam pontos relevantes eessenciais para a aplicação da informática na educação. Ao fim deste, conclui-se que, todos devemestar engajados na perspectiva de inserir este meio na educação, em especial na sala de aula, paraassim promover o processo de ensino aprendizagem, trazendo o aluno para a realidade cotidiana,incluindo-o na era digital.PALAVRAS-CHAVE: PROFESSOR, INFORMÁTICA, ALUNOABSTRACT THE APPLICATION AND THE IMPORTANCE OF INFORMATION TECHNOLOGY IN EDUCATIONThis article is a warning to the inclusion of computers in education, it been contributing to theimportance that this has in the school ball, serving this technological means how assistance to theteachers work, as well, using the same in their daily school life; encourage the development ofteaching-learning process, where his training and personal development, are already surrounded bytechnology. The article also has to make teachers feel insecure in using technological means in theirclasses, be aware that the computer actually enter the school as a means not an end to the teaching-learning process. They are putting students in the digital age. In this work, bibliographies were soughtwho had words relating to technology in this school. For this reason, it made an overview on thematerial to be used with colleagues and researching references to access the web. It was selectedbibliographies related to the proposed theme. It is noteworthy that the formation of the teacher to cometo this evolutionary process, add to their pedagogical knowledge, more this feature, who came toschool to add and transform the lives of those involved. Thus, this literature review, presents ideas ofvarious authors, where they have relevant and essential points for the application of computers ineducation. After this, it follows that everyone should be engaged in the prospect of entering thismedium in education, especially in the classroom, in order to promote the teaching-learning process,bringing the student to everyday reality, including the in-digital age.KEY-WORDS: TEACHER; COMPUTERS; STUDENTS.
  2. 2. 1. INTRODUÇÃO O referido trabalho, foi o de perceber que fatores preponderantes fazem com que a escola ou oprofessor, ainda não tenham sido inseridos na era digital. Ou melhor, exemplificando, que ambos nãofaçam uso contínuo deste meio, da informática dentro da esfera educacional. Tendo a problemática da inclusão da mídia informática na realidade escolar, buscou-se autoresque se defendem está ideia, na contribuição da mídia informática nas esferas escolares, pois, a escola éuma instituição onde a criança por um bom tempo em sua vida: aprende troca experiências, conhececoisas novas, aprende várias culturas. Desta maneira, ela é essencial para a vida do indivíduo, e deveser atrativa para os alunos, pois, é a escola, o meio que pode mudar a realidade das crianças em nossasociedade. Partindo deste pressuposto, e necessário colocar em prática o quanto antes este fato, sendoque, a atual sociedade, presencia as mudanças tecnológicas que afetam todo um meio, mesmo que osindivíduos estejam indiferentes à chegada das mesmas, é inevitável que ocorra esta inserção ao meiotecnológico, e a escola não deixa de estar inserida neste meio, mesmo que as dificuldades para queisso aconteça, sejam maiores que elas as pode suportar. Servindo este como auxilio para o trabalho do professor, foram relacionadas referências queviessem mostrar alguns pontos em que esta mídia, a informática, pode ser aproveitada como meiotecno-pedagógico, podendo auxiliar no processo de ensino aprendizagem. Também se pesquisou autores que refletissem a questão da mídia informática presente naescola e na vida do professor, para que assim pudesse se ter um apanhado geral que se pode fazer parapromover a mudança, escolhendo aqueles que mais identificação tiveram com o artigo em questão. As ideias dos autores presentes neste artigo vem a fortalecer que a mídia informática, veiopara estabelecer uma conexão entre a escola e a sociedade, entre o novo e a teoria, agregados asexperiências teóricas, de conhecimento de informações, que o professor tem que o professor possui emsua bagagem.2. IMPORTÂNCIA DA INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO Por onde andamos, a tecnologia está em toda parte. Está tudo informatizado, estamos na era dainformatização. Quando entramos em um banco, vemos caixas eletrônicos ou não, tendo em sua base atecnologia. Dentro de um supermercado, por exemplo, não deixa de ser diferente, a tecnologia, ainformática, se faz presente. Assim sendo é preciso lembrar-se da escola, e de como ela esta reagindo frente a estasmudanças, pois, acredito que, a escola faz parte da comunidade, sendo esta um meio que muitasfamílias encontram de se transformarem em cidadãos. Neste aspecto, entra o papel do professor, que deve usar inúmeros meios para fazer com que oaluno aprenda, tendo o foco principal no seu desenvolvimento e na sua aprendizagem. Na era da tecnologia, na era da informática, não pode a escola ficar fora desta transformação,precisando ler o mundo que a cerca de outras maneiras. “Os recursos tecnológicos atuais, os novos meios digitais – a multimídia, a Internet, atelemática -, trazem novas formas de ler, de escrever e, portanto pensar e agir.” (SALTO PARA OFUTURO, 1998, p. 58) Cabe lembrar também que muitas vezes o professor acredita ser um empecilho para a suaformação profissional, não compreender quase nada de informática, mas sim, aprender a dominar amáquina, a ponto de saber utilizá-la, usando suas ferramentas dentro dos aspectos pedagógicos, comos quais ele sabe trabalhar e para os quais teve sua formação acadêmica. O mundo globalizado, a atual conjuntura da sociedade, faz-nos refletir qual o papel doseducadores, diante de uma sociedade evolutiva, desenvolvida e tecnológica, é devido a este fato que "aescola não pode ignorar o que se passa no mundo”. (PERRENOUD, 2000, p. 125) De alguma maneira, a escola deve fazer parte desta realidade, deste meio, pois ao fazer partedeste conjunto, ela e todos os envolvidos só tem a ganhar, com saberes diversificados e formas novasde ver e analisar o mundo, não ficando no marasmo de quadro e giz, entre outros. Tanto quanto o saber, a informação precisa estar presente em nosso dia a dia, no cotidiano dosalunos. Nesta situação, “nós educadores, temos de nos preparar e preparar nossos alunos para enfrentar
  3. 3. as exigências desta nova tecnologia [...]” (SALTO PARA O FUTURO, 1998, p. 49), sendo que estatecnologia permite-nos estar conectada com o mundo, com as pessoas próximas ou distantes de nós,tornando o nosso mundo, às vezes virtual e pequeno diante da imensidão que o mundo se apresentapara nós. Cabe lembrar que “explorar bem o imenso potencial das novas tecnologias nas situações deensino aprendizagem, podem trazer contribuições tanto para os estudantes quanto para os professores”(COSCARELLI, 2008, p. 01), mas para explorar todo este aparato tecnológico deve o professor terdeterminado conhecimento sobre este, aplicando as informações necessárias a cada segmento da mídiainformática que utilizará. Desta maneira, pode haver um consenso entre professor e escola para a utilização docomputador em sala de aula, pois para a análise deste aspecto faz-se necessário um envolvimento detodos os envolvidos no processo de ensino aprendizagem, para que assim os envolvidos não percam aessência do processo de conhecimento, promovendo a aprendizagem um nível elevado, sendovivenciada por cada aluno que deste usufruir. Este envolvimento, este compromisso, diante da sociedade, será possível visualizar, quandoeste meio tecnológico não for mais uma grande novidade, mas sim uma realidade diária, constante quepode ser acrescentadas coisas novas todos os dias. Ao ser uma realidade diária, este aparato tecnológico, transformará toda uma geração dealunos, que muitas vezes nem se quer tem um computador em suas residências, em seu cotidiano,vendo estes apenas na escola, e aponte para tal, esta representada na figura do professor. De acordo com Lopes (2007, p. 26) “[...] não se deve forçar o professor a uma mudança deatitude da potencialidade expressa pelo computador. É o momento do contato, de domínio, em que eleprecisa estar seguro diante da introdução da informática.” Parece-nos claro que o computador veio para estabelecer uma nova visão entre as formascomo o professor usa os materiais diversos para ensinar seus alunos em sala de aula. É nesse contexto,que se espera que o professor tome as rédeas da situação, não se deixando levar pela insegurança epelo apelo de muitas pessoas, que o computador é uma máquina que não deve ser usada em sala deaula. Em contrapartida a este fato, Papert (1980, p. 21 apud MOTA, 2007, p. 60) diz que “[...] oscomputadores podem acelerar o processo de desenvolvimento cognitivo, alterando a fronteira entre oconcreto e o formal, permitindo que as crianças façam a transição para o pensamento formal [...]”. É necessário salientar, que o computador, nada mais é do que uma máquina que deve ser bemguiada e usada pelo professor, para que assim o processo de desenvolvimento da aprendizagem, reflitano aluno, enquanto indivíduo instruído pelo professor, que fará do computador um meio diferenciadopara a busca do processo de ensino aprendizagem. Ao utilizar o computador frente às suas aulas, como meio tecnológico e como ferramenta queajuda no processo de ensino aprendizagem, o professor tem que estar à frente de toda essa estruturatecnológica, sendo que desta maneira surge mais um quesito para ele estar inserindo no meio digital,como Cox (2003, p. 75), este fato nos remete a “preparação dos docentes”, refletindo para a suaeducação tecnológica. Dentro de uma visão mais técnica, o professor não precisa tornar-se um profissional técnico,até porque o professor tem a didática em seu currículo; o que pode influenciar a sua atuação é o fatorde que ele promoverá a mudança, se beneficiando dele, do computador, capacitando-se e repassando oque aprendeu aos seus colegas e alunos, desta forma, estará inserido na era digital. “A capacitação de professores é requisito indispensável a toda construção e/ou reconstruçãodo processo educacional [...] em conjunto com o aluno [...]” (COX, 2003, p. 107), pois, ambos são osprincipais agentes transformadores da educação, e quando acontece esta harmonia, fazem da educação,seu maior desejo realizado, em âmbito e em nível de sociedade, aplicando aquilo que sabem, mudandosua realidade e dos demais ao seu redor. Ao mudar esta realidade, estarão ambos buscando um processo de ensino aprendizagemdiferenciados, pois querendo ou não, estarão muito mais além que muitos indivíduos que não estãoinseridos na era digital. Não esquecendo, que o computador por si só não promoverá está mudança,deve haver um empenho e dedicação destes, enquanto seres participativos e envolvidos no processo deensino aprendizagem.
  4. 4. Cabe refletir que: “[...] a matéria-prima do computador é a informação. Então, ele armazena,recupera, trata e exibe informações.” (FERREIRA, 2000, s/p), e estas informações devem serassimiladas pelo professor, pelo aluno, e transformar-se em aprendizagem, para que assim possaaplicar o que de fato aprendeu em sua realidade, transformando o mundo que estes estarão inseridos eque farão a diferença na vida de muitas pessoas. Concordo com Ferreira (2000), quando cita que o computador nos passa apenas informações.Desta maneira é preciso que o professor insira-se a nova “mudança, a transformação pedagógica [...]”(COX, p. 75), sendo que esta mudança promoverá um novo aprendizado em cima daquilo que ela jádomina pedagogicamente: técnicas, conhecimentos, para anexar aos novos, com o uso do computador. Nessa realidade, aplicando o que sabe e domina em seu mundo, torna-se importante incluirnela, na realidade escolar, o computador, sendo que as escolas “[...] procuram responder a umanecessidade de mudança em seus métodos de uso da tecnologia,” (MICROSOFT EDUCAÇÃO, 2010,s/p), atentando para o fato que esta tecnologia, na questão em estudo, que “os computadores podemencorajar uma aprendizagem multifacetada, isto é, criar oportunidades para que as ideias sejamconsideradas a partir de múltiplas perspectivas.” (COSCARELLI, 2008, p. 17) O uso da informática pode criar muitas oportunidades, permitirá que a aula que o professorpassa a sua turma, seja mais dinâmica, diferente, sem contar que esse fato, pode auxiliar nodesenvolvimento social e cultural dos alunos e de todos os indivíduos envolvidos deste processo,caminhando assim a escola para uma nova era, para a era digital. Ao auxiliar no desenvolvimento de cada indivíduo, o uso do computador em sala de aula,provocando uma transformação educacional, mudando dentro do contexto escolar, para que assim istopossa ser refletido no meio em que está inserido, pode e promove um compromisso do professor paracom a sua formação e a formação de seus alunos. “A informática vem adquirindo cada vez mais relevância no cenário educacional. Suautilização como instrumento de aprendizagem [...] vem aumentando de forma rápida [...]” (LOPES,2008, p. 7) O que ao autor levanta, é muito relevante devido ao fato que, em muitas escolas já existemlaboratórios de informática, mas o profissional que precisa estar preparado para este fim e meio, oprofessor, muitas vezes não está apto para trabalhar com todo este aparato tecnológico. Percebe-se que no início, o professor deve assimilar, deve apropriar-se desta nova tecnologia,sendo assim a “[...] perspectiva transformadora do uso do computador em Educação, a atuação doprofessor não se limita a fornecer informações aos alunos [...]. (SALTO PARA O FUTURO, 1998, p.66) Conforme o citado acima é preciso haver uma troca de experiências entre todos os envolvidosno processo de ensino aprendizagem, desta maneira, o aluno construirá seu conhecimento e estaráinserido no mundo digital. Destaca-se ainda que, no mundo digital, o objeto de estudo quando for utilizado, ou seja,qualquer assunto ou conteúdo devem ser aproveitados ou para se iniciar uma aula ou para chamaratenção a alguns fatos essenciais do assunto. Utilizando o computador, por exemplo, como lembra Chaves (2010, s/p), “com umprocessador de texto razoável, a criança não precisa se preocupar o tempo todo com caligrafia, rasuras,e com a apresentação do texto. [...] pode alterar sua redação até que esta fique de seu agrado,” e “otexto não precisa ser re-escrito todas às vezes e esta facilidade pode estabelecer uma relação diferenteentre o aprendiz e o texto.” (SALTO PARA O FUTURO, 1998, p. 101) Para se escrever uma história com um processador de textos, pode-se ganhar tempo e fazercom que os alunos fiquem prestando atenção nas aulas, sem haver aquela dispersão da aula. Almeida e Almeida (2000, p. 37), ainda com os recursos do MS - Word destacam que todas asescolas podem criar o seu próprio jornal. Mas, ao propor esta atividade, o professor deve ter em menteimportantes objetivos:DESENVOLVER A CAPACIDADE do aluno de procurar, organizar, inter-relacionar e apresentar ainformação, estabelecendo relações entre os fatos;PROMOVER A COOPERAÇÃO e a parceria entre alunos, professores e comunidade;INCENTIVAR A LEITURA crítica e o desenvolvimento da fluência na escrita;INTEGRAR E INTER-RELACIONAR disciplinas e conteúdos por meio de trocas entre professores ealunos;
  5. 5. ESTIMULAR OS ALUNOS a uma produção significativa. O uso das tecnologias, em especial o computador, possui um leque de opções para que oprofessor possa utilizá-las em suas aulas. Desde um processador de textos, até a produção de planilhaeletrônica, sendo que “[...] ao final, quase todo o emprego do computador na educação pode trazerresultados pedagogicamente benéficos.” (CHAVES, 2009, s/p), pois o empenho e o esforço que oaluno fará para mostrar que conhece e domina a máquina, refletirá nas ações cotidianas e escolares quedemonstrará o aprendizado dele enquanto ser que quer aprender. Utilizada desta maneira, a informática facilitará o trabalho do professor e a dinâmica da aulaque este usa para ensinar seus alunos. A aula então passa a ser mais interessante e proveitosa. O professor poderá trabalhar com o MS – Excel, que “[...] é uma planilha eletrônica comrecursos para elaborar tabelas, gráficos, formular projeções e gerar números a partir de variáveis. Acriação de uma planilha substitui o processo de cálculo manual e fornece os gráficos relativos aosdados representados [...]” (ALMEIDA; ALMEIDA p. 43) O enunciado acima, por si só, transmite o pensamento que os professores devem ter ao utilizara informática na educação, em especial, ao desenvolver problemas e cálculos, tabelas e gráficos, quepossibilitam que o professor deixe um pouco de lado o quadro branco, para assim entrar de vez na erada tecnologia. Em vez de se rabiscar ou desenhar com régua e lápis, tabelas e gráficos, por que não usar asplanilhas apresentadas no computador? Por que não trabalhar com projeções de cálculos diversos?Tudo será mais fácil e sem contar que a criança será atraída por este meio, tendo a aula um atrativomuito mais significante para seu desenvolvimento. Como diz Chaves (2010, s/p), O computador pode ser um instrumento poderoso e versátil na área da educação. Se usado com inteligência, pode-se tornar um excelente recurso pedagógico à disposição do professor em sala de aula. De que maneira os professores usarão o computador [...] mas, também, de seu conhecimento do potencial dos computadores [...] Certamente, a informática veio para ficar, veio para mudar a prática docente, mas como alertaChaves (2010, s/p), o professor deve saber do seu potencial como profissional e ter em mente opotencial do computador em suas aulas e, em que isso poderá beneficiar a si mesmo e ao seu aluno. O fato em questão, o uso de computadores em sala de aula, deve ser tratado com seriedade,deve ser encarado de frente, diante das possibilidades e das várias conexões que está ferramenta podeproporcionar ao professor e em especial aos alunos, que no relacionamento com a máquina conhecem-na de maneira geral, mas que aos poucos podem dominá-la e usufruir de tudo aquilo que há de bomque ela pode fazer em sua vida escolar. Deve o professor estar preparado para esta mudança, para este meio que vem a influenciaruma realidade toda e em especial a realidade escolar.3. LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: UM CELEIRO DO CONHECIMENTO O favorecimento da aplicação das novas tecnologias na sala de aula é que, de uma maneira oude outra, as escolas estão recebendo os laboratórios de informática, para o seu manuseio e suautilização com alunos e professores, o que nos leva a refletir que as tecnologias que hoje estãopresentes ou ainda chegarão às esferas escolares, farão dos envolvidos neste processo, terem umapostura visionária deste meio que aos poucos deverá dar forma a nova escola que terá de adaptar-seaos poucos a esta novidade. Ao estar dentro de um laboratório de informática, a criança desmistifica-o, percebendo que asua escola possui computadores, e que estes são de uso exclusivo dos alunos, aprendendo assim acuidar da máquina que será usada em seu beneficio, em sua aprendizagem. É no laboratório de informática, que a criança terá experiências diversas com seus colegas emuito mais com seu professor, que deve ser o mediador neste processo de desenvolvimento, nestenovo caminho do aprender.
  6. 6. Nota-se que esta novidade, deve ser empregada de maneira a auxiliar a todos os envolvidos,pois para Almeida (2000, p. 12), [...] o emprego da tecnologia computacional promove a aquisição do conhecimento, o desenvolvimento de diferentes modos de representação e de compreensão do pensamento. Os computadores possibilitam representar e testar ideias ou hipóteses, que levam à criação de um mundo abstrato e simbólico [...] Dentro deste celeiro do conhecimento, apesar de o professor apresentar resistência a este, nãodeve privar-se e privar seu aluno desta realidade, tendo que adotar uma metodologia adequada ao usodeste no âmbito escolar, uma metodologia que de certa forma atenda a demanda escolar, não perdendoa essência da aula, pois como dito anteriormente, o professor é formado para dar aula, transmitir seuconhecimento de uma maneira que faça com que o aluno compreenda o significado da aprendizagem,aplicando-a para toda a sua vida o que aprendeu. Desta forma, como lembra Chaves (1992, p. 04) [...] o computador é fundamentalmente uma poderosa ferramenta de aprendizagem que, bem utilizada, pode levar ao aprendizado não só de fatos importantes sobre o próprio computador bem como sobre outros conteúdos, mas, e mais importante, pode levar à aprendizagem de princípios, técnicas, habilidades que ajudarão o aluno em seu aprendizado subsequente, que farão dele um melhor solucionador de problemas [...] Ao ser um ser ativo solucionador de problemas, tendo uma base forte: o uso do computadorcomo meio de aprendizagem; percebe-se que desta maneira, o computador sendo bem utilizado, fará adiferença nas esferas na escola, e também proporcionará um aprendizado que mudará a referência daescola dentro da sociedade contemporânea. Pelo apresentado até o momento, Ferreira (2000, s/p), lembra que “[...] máquina algumapoderá pensar como um ser humano, pois jamais o conhecimento ‘produzido’ por ela será capaz destadimensão inconsciente que envolve a inteligência e o processo de aprender.” Em geral, as escolas dependem de vários fatores para a permanência dos computadores naescola: à sua manutenção, o espaço físico, o interesse por parte dos professores em usá-los, e o decomo acrescentá-lo em suas aulas, que é um fator que pesa no dia-a-dia e na realidade do professor,mas que não deve se perder no decorrer do caminho. “Não podemos ignorar que a maioria das escolas brasileiras tem instalações inadequadas, nãotem recursos para material de consumo e para o mais elementar material didático, etc.” (CHAVES,2009, s/p), o que dirá para poder manter o computador ou uma sala de informática na escola, semcontar com todo o cuidado que se deve ter em não quebrar o estragar este recurso tecnológico quedeve fazer presente da realidade escolar. Os fatores: capacitação do professor, manutenção do equipamento e a colocação deste, nasaulas ministradas pelo professor, que fazem com que o computador possa estar inserido na realidadeescolar, nos predispõe a pensar que: “o desafio diante do qual os educadores ora se encontram é o dedefinir o espaço e a competência do uso do computador para realizar e construir o grande objetivo daeducação” (SALTO PARA O FUTURO, 1998, p. 51), lembrando também que “a integração docomputador ao processo educacional depende da atuação do professor, que nada fará se atuarisoladamente. São necessários o envolvimento e o apoio de toda a comunidade [...] (Idem) A escola é indispensável para o desenvolvimento do indivíduo, por que não torná-la parteintegrante da sociedade? Por que não inseri-la na era digital? É uma tarefa difícil, mas com o uso da mídia informática e de recurso direcionados a estamídia, pode tornar-se uma realidade presente. Dentro do laboratório e informática, o professor deve ser o maestro a conduzir seusaprendizes, pois, destaca Chaves (1992, p 21), o seguinte: Se os educadores não se propuserem a assumir esta introdução, outros o farão, e os educadores, mais uma vez, ficarão na posição de meros observadores de um processo conduzido por quem tem iniciativa [...]. O mesmo acontecerá em relação à
  7. 7. utilização de computadores na educação se a questão não for enfrentada com realismo, inteligência e decisão. O fato em questão, deve ser tratado com seriedade, deve ser encarado de frente, diante daspossibilidades e das várias conexões que está ferramenta pode proporcionar ao professor e em especialaos alunos, que no relacionamento com a máquina conhecem-na de maneira geral, mas que aos poucospodem dominá-la e usufruir de tudo aquilo que há de bom que ela pode fazer em sua vida escolar. Este envolvimento, este compromisso, diante da sociedade, será possível visualizar, quandoeste meio tecnológico não for mais uma grande novidade, mas sim uma realidade diária. Assim sendo,é preciso pensar utopicamente da seguinte maneira, como mostra Ferreira (2000 s/p): O computador dentro das salas de aula, junto com o quadro, o giz, o vídeo, a tv, o som, os mapas, os livros, os gibis, as revistas, os jogos pedagógicos, a cola, a tesoura, o lápis de cor. O computador dentro da sala de aula junto com o professor e com os alunos, dentro de uma proposta pedagógica da escola. Apesar ainda das colocações serem de cunho utópico, acima de tudo, na realidade em quevivemos, a escola deve manter discussões diversas sobre o tema, fazendo com que esta realidade sejaefetivada o quanto antes.4. INTERNET E EDUCAÇÃO Estar conectado nos dias atuais é uma questão de sobrevivência, são poucas as pessoas quenão utilizam deste meio para comunicar-se, seja através de e-mails ou de mensagens, não importa. Oque vale ressaltar é que a internet a cada dia que passa quebra tabus, muda a forma de pensar dediversas pessoas. “Com a internet estamos começando a ter de modificar a forma de ensinar e de aprender, tantonos cursos presenciais quanto nos de Educação continuada à distância.” (SALTO PARA O FUTURO,1998, p. 81) Percebe-se assim que será inevitável o ensino, tanto dentro como fora de sala de aula com ouso da internet. Seja qual for o local em que o aluno está desenvolvendo o seu aprendizado terá deacontecer, de forma a modificar a sua realidade e a realidade do seu meio social. Para que este aprendizado aconteça, é de grande importância que oprofessor/educador/informatizado, seja capaz de usar os mecanismos diversos que a internet oferece,possibilitando ao educando/informatizado um aprendizado impar, uma viagem ao conhecimento quese bem trabalhada pelo professor proporcionará uma aprendizagem que modificará seu destino. Segundo Kock, 1998, “as pessoas (aquelas que têm acesso a rede mundial) buscaminformações onde e quando desejam, e também criam e publicam informações”. (SEED/MEC, 2008,s/p). O professor/educador/informatizado, deve ter um bom domínio para utilizar mais este recurso emsala de aula, pois quando a utiliza, o aluno fica maravilhado com o que vê, e é neste momento que oprofessor não pode perder o foco da aula. Ao refletir em suas aulas este foco, caberá ao professor trazer um pouco da realidade do alunopara a realidade da escola, associada ao ensino com o uso da internet, fazendo um elo entre estesmeios, proporcionando ao aluno, uma aprendizagem que vem a transformar e mudar seus conceitos. Segundo Fernanda M. P. Freire, “a internet [...] como um espaço de produção deconhecimento [...] tem algumas relações sócio-culturais levando, em alguns contextos, a umacrescente descentração de um poder reservado [...]” (SEED/MES, 2008, s/p). Quer dizer que, quem tem acesso a informações on-line, tem um conhecimento amplo devários assuntos, de forma a conhecer e dominar aquilo que lhes é pedido para pesquisar ou para setrabalhar, desde um trabalho individual até um trabalho em grupo. A internet na educação, é algo de suma importância para todos. Com relação a isso, destaca-se“a internet é uma tecnologia que facilita a motivação dos alunos, pela novidade e pelas possibilidadesinesgotáveis de pesquisa que oferece” (SALTO PARA O FUTURO, 1998, p. 86) Acarreta-se então, que o papel do professor, ao usar a internet, é de ser o mediador destaferramenta em conexão com o aluno, podendo mudar o foco daquilo que está ensinando, mas não
  8. 8. deixando de ensinar. Usar a internet de maneira segura e cautelosa, sem perder a essência de ensinaralgo aos seus alunos, sendo que ao se fazer a pesquisa, deve-se fazê-la de modo a torná-la significativaà sua aula, ao seu conteúdo. Esse algo significativo é um pouco complexo. Perceber a qualidade e qual o motivo de seensinar determinado assunto ao aluno, seja na interação ou na busca de informações, é um caminhoque pode provocar desacertos entre professor e aluno. É preciso que haja uma liberdade, uma interação entre o professor e o aluno, devido ao fatoque, de um lado o professor quer e deve ensinar e de outro lado, o aluno tentará de todas as formasmudar esse foco, mesmo acreditando que ele está aprendendo algo, significativo para a sua vida, masque não diz respeito à aula dada pelo professor. Para finalizar, destaca-se a visão de Moran (2010, s/p), quando fala um pouco deaprendizagem: Aprendemos mais combinando de forma equilibrada a interação e a interiorização. As pessoas estão tão solicitadas pela ação externa, que se esquecem de si mesmas, estão todo o tempo navegando, viajando, todo tempo falando com as pessoas, indo de um lugar para outro, estão sempre ocupadas. Conforme cita o autor, se aprendemos a todo o momento, devemos aprender sim e muito como uso da internet na sala de aula, e mais ainda, com o perfeito domínio e conhecimento do professor amais este meio pedagógico de aprendizagem, a escola só tem a ganhar. É necessário que todos se sintam inseridos neste meio: professor, aluno, escola, pais, para queassim ao transformar conhecimento em aprendizagem, o aluno esteja apto para enfrentar sua futuraacadêmica e profissional, de igual para igual, com todos os que lhe cruzarem o caminho.5. CONSIDERAÇÕES FINAIS A educação, na atual sociedade contemporânea, não se compreende apenas na escola, vistoque considera a família e todo o meio social em que se está inserida, pois as informações chegam atodo o momento com grande rapidez, formando e quebrando conceitos. Então, não dá mais para negar que a importância da mídia informática nas redes escolares, éde solução impar, pois, faz com que o aluno veja na escola, uma aliada para que através desta, possaestar inserido na sociedade tecnologia, podendo ser competitivo no mercado de trabalho. Cabe lembrar sobre a importância que a informática tem na e para a sociedade da educação,pois através dele o professor pode ter mais um recurso para efetivação no processo de ensinoaprendizagem, bem como, fazer com que a rotina das quatro paredes da sala de aula, sejam quebradas,e o conhecimento seja algo efetivo na formação do aluno. Conforme Almeida (2000, p. 20) salienta: Muitos dos desafios enfrentados atualmente têm a ver com a fragmentação dos conhecimentos, que resulta tanto, de nossa especialidade quanto, e principalmente, do processo educacional do que participamos. Ambos estão diretamente relacionados ás limitações causadas por uma visão mecanicista [...] Considera-se necessário lembrar que ao se ter computadores na escola, para uso do professor edo aluno, devem ser gradativos, devido ao fato que o professor não tem formação específica na área deinformática, mas que sua capacitação pessoal e profissional deve ser feita individualmente e aospoucos; sendo que muito professor não tem tempo para frequentar um curso de informática, pensandoassim que sua formação deve ser na própria escola, com trocas de experiências ou algo similar. Mas que, no entanto, mesmo tendo um número relativo baixo de máquinas nas escolas, oprofessor deve ter a ousadia de usá-las, em beneficio do aluno, para que assim se possa desenvolver deuma maneira diversificada o processo de aprendizagem. No entanto, essa mudança deve ser pautada e acompanhada através de recursos diversos quepossibilitarão à escola, desenvolver projetos que atendam a demanda escolar, e os anseios na formaçãodos envolvidos no processo de ensino aprendizagem, tendo a capacidade de estes repensarem seudesenvolvimento.
  9. 9. Pensar que a inserção da informática na educação é um fato isolado, é pensar pobre, é pensarque a situação demorará a mudar, e que este recurso possa ser adquirido com um esforço que envolvatodos que acreditam na evolução e na permanência da escola na atual sociedade contemporânea.REFERÊNCIASALMEIDA, Maria Elizabeth. Proinfo: Informática e formação de professores. Secretaria deEducação à Distância. Brasília: Ministério da Educação, SEED, 2000. 93 p.ALMEIDA, Fernando José de; ALMEIDA, Maria Terezinha Bianconcini de. Aprender construindo– A informática se transformando com os professores. Ministério da Educação. 2000. 76 p.CHAVES, Eduardo O. C. O computador na educação. Programa Mídias na Educação. 2009.Disponível em: www.eproinfo.mec.gov.com.br/. Acesso em: 04 fev. 2011.__________________. Computadores: máquinas de ensinar ou ferramentas para aprender.Texto: Curso de informática na educação, São Paulo: UNICAMP. 1992. 60 p.COSCARELLI, Carla Viana. O uso da informática como instrumento de ensino aprendizagem.Artigo. 2008, 25 p.COX, Kenia Kodel. Informática na educação escolar. Campinas: Autores Associados, 2003.(Polêmicas do nosso tempo, 87).FERREIRA, Patrícia Vasconcellos Pires. O computador nas escolas. 2000. Disponível em:http://www.psicopedagogia.com.br/artigos/artigo.asp?entrID=37 Acesso em 20 jan 2011.LOPES, José Junior. A introdução da informática no ambiente escolar. 2008, 10 p.MICROSOFT EDUCAÇÃO. Usando o laptop. Disponível em:<http://www.microsoft.com/brasil/educacao/espaco/aal_laptop.mspx?pf=true. Acesso em: 25 jan.2011.MORAN, José Manuel. A Internet na Educação. Entrevista para o portal Educacional. Disponívelem: http://www.eca.usp.br/prof/moran/entrev.htm. Acesso em 03 fev. 2011.__________________. Novos desafios na educação - a Internet na educação presencial e virtual.Disponível em: http://www.eca.usp.br/prof/moran/novos.htm. Aceso em 03 fev. 2011.MOTA, Anelise Bertuzzi. Criança e mídia: O Acesso Ao Computador E Seus Reflexos NosSaberes Da Criança De Educação Infantil. Curitiba, 2007. Disponível em: http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/bitstream/1884/12067/1/Microsoft%20Word%20-%20trabalho%20completo.pdf Acesso em05 fev. 2011.PERRENOUD, Philippe. Dez novas competências para ensinar. 8 ed. Porto Alegre: Artes Médicas,2000. 234 p.SALTO PARA O FUTURO: Tv e informática na educação/ Secretaria de educação à distância.Brasília: Ministério da Educação e do Desporto, SEED, 1998. 112 p.SEED/MEC. Programa de formação continuada mídias na educação. Brasília – Brasil. Ministérioda Educação, 2008. CD – ROM.

×