Modernismo 2º fase

827 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
827
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Modernismo 2º fase

  1. 1. O Modernismo no Brasil – 2ª faseCONTEXTO HISTÓRICO: Recebendo como herança todas as conquistasda geração de 1922, a segunda fase doModernismo brasileiro se estende deincorporando preocupações relativas ao destinodos homens e ao "estar-no-mundo".Período extremamente rico tanto em termos deprodução poética quanto de prosa, reflete umconturbado momento histórico: no planointernacional, vive-se a depressão econômica, oavanço do nazifascismo e a II Guerra Mundial; noplano interno, Getúlio Vargas ascende ao podere se consolida como ditador, no Estado Novo.Assim, a par das pesquisas estéticas, o universotemático se amplia, e surge um novo período nahistória literária do Brasil.
  2. 2. CARACTERÍSTICAS: Na prosa, foi evidente o interesse portemas nacionais, uma linguagem mais brasileira, com umenfoque mais direto dos fatos marcados pelo Realismo –Naturalismo do século XIX. O romance focou o regionalismo, principalmente o nordestino,onde problemas como a seca, a migração, os problemas dotrabalhador rural, a miséria, a ignorância foram ressaltados. Além do regionalismo, destacaram-se também outrastemáticas, surgiu o romance urbano e psicológico, o romancepoético-metafísico e a narrativa surrealista. Entretanto, é na temática que se percebe uma nova posturaartística: passa-se a questionar a realidade com mais vigor e,fato extremamente importante, o artista passa a se questionarcomo indivíduo e como artista em sua "tentativa de explorar ede interpretar o estar no mundo". O resultado é uma literaturamais construtiva e mais politizada, que não quer e não pode seafastar das profundas transformações ocorridas nesse período;daí também o surgimento de uma corrente mais voltada para oespiritualismo e o intimismo, caso de Cecília Meireles, de Jorgede Lima, de Vinícius de Moraes e de Murilo Mendes emdeterminada fase. É um tempo de definições, de compromissos, doaprofundamento das relações entre o "eu" e o mundo, mesmocom a consciência da fragilidade do "eu".
  3. 3. Dentre os muitos poetas e escritores dessa fase destacam-se:Na prosa:- Graciliano Ramos- Rachel de Queiros- Jorge Amado- José Lins do Rego- Érico Veríssimo- Dionélio MachadoNa poesia- Carlos Drummond de Andrade- Murilo Mendes- Jorge de Lima- Cecília Meireles- Vinícius de Morais.
  4. 4. ANÁLISE DE OBRA LITERÁRIA:Vidas Secas:um romance de Graciliano Ramos, escrito entre 1937 e 1938, publicado originalmenteem 1938. O livro, narrado em terceira pessoa, aborda a história de uma família deretirantes que vive em pleno agreste os sofrimentos da estiagem. Universo pobre deum homem (Fabiano), uma mulher (Sinhá Vitória), os filhos e uma cachorra (Baleia). Fabiano, Sinhá Vitória e os filhos são exemplos de seres convertidos em criaturas,animalizados, brutalizados por causa da precariedade de suas condições de vida,enquanto abandonam a terra onde nasceram, ressequida, estéril, procuravam nacidade uma forma de sobrevivência. Um trecho da obra que ilustra a perda de humanidade de Fabiano: "Os seus pés durosquebravam espinhos e não sentiam a quentura da terra. Montado, confundia-se com ocavalo(...)." Ao longo deste romance, é muito comum as vozes do narrador e das personagens seconfundirem, através do discurso indireto livre, um dos mais importantes recursosnarrativos de Graciliano Ramos, cuja retórica, e de muitos verbalismos, parece sealojar no interior das personagens, fundindo homem e paisagem, ação e processosmentais. Por essas razões, Graciliano Ramos significa a maturidade de nossa ficçãoregionalista, a expressão literária, a dimensão política, universal de nossos problemasaparentemente locais.

×