Diretrizes bioclimaticas para tfg ecovila e eco parque naturista

2.000 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.000
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
52
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Diretrizes bioclimaticas para tfg ecovila e eco parque naturista

  1. 1. Diretrizes Bioclimáticas para o Trabalho Final de Graduação – Ecovila e Eco Parque Naturista.MASSARANDUPIÓENTRE RIOS, BA Mariana Maria Rodrigues Oliveira Laboratório de Conforto Ambiental I Faculdade de Arquitetura da UFBA Professora: Denise Vaz 2012.2
  2. 2. Localização Entre Rios é um município localizado na Linha Verde (BA-099) no Litoral Norte da Bahia. A implantação da Ecovila e do Eco Parque fica próximo à praia Naturista no povoado de Massarandupió a cerca de 50Km do centro da cidade, a região esta localizada na latitude -12,28, longitude -37,89 e altitude 41,33.
  3. 3. MassarandupióO povoado de Massarandupió é constituído por uma localidade inicialmente habitada pelosíndios da tribo Tupinambá, colonizados pelas missões Franciscanas no período de 1831(STIFELMAN, 1997). Atualmente é formada por uma comunidade cuja população é deaproximadamente 565 habitantes, cerca de 125 famílias (Pesquisa de campo, maio de 2009realizada pela Associação dos Moradores e Amigos de Massarandupió - AMAM).O terreno de implantação fica a cerca de 9 km do povoado.ECOVILA E ECOPARQUE MASSARANDUPIÓ - POVOADO PRAIA NATURISTA
  4. 4. Comparando Aracaju com Salvador A região apresenta clima caracterizado como úmido, úmido a subúmido e seco a subúmido, temperatura média anual de 24,7°C e pouca variação durante o ano. As chuvas ocorrem entre os meses de abril e junho. Dados de temperatura média e umidade relativa dos anos de 1961-1990. Fonte: INMETLocalizada a cerca de 88km de Salvador e 150 deAracajú vamos comparar os dados climáticos dasduas capitais para estimar a região em estudo.Com isso, podemos perceber no grafico a lado quea temperatura média entre essas duas cidades e osindices de umidade tem oscilação parecida.
  5. 5. Salvador e Aracajú temperaturas máxima e mínima e dados pluviométricos A precipitação se difere entre as duas cidades onde a diferença é cerca de 50mm nos períodos máximo e mínimo.A temperatura entre as duas cidades seguecom oscilação parecida, embora Aracajuapresente uma queda no mês de fevereiro,os índices e o período de menortemperatura são próximos (diferença deapenas aproximadamente 1ºC)
  6. 6. Salvador ventosA predominância dos ventos em Salvador é sudeste seguido de leste e sul comvelocidade média anual que varia de 2,9 m/s a 3,4 m/s.Há maior oferta e velocidade nos ventos é nos meses quentes de outubro, novembro edezembro, quando o sentido predominante é leste. O vento leste se mantém nosmeses de verão até março, quando começa a descer para sudeste até se aproximar dadireção sul nos meses de inverno.
  7. 7. Aracajú ventosA predominância dos ventos em Aracajú é leste seguido de sudeste e leste novamentecom velocidade média anual que varia de 2,9 m/s a 3,4 m/s.Há maior oferta e velocidade nos ventos é nos meses quentes novembro e dezembro,quando o sentido predominante é leste. O vento leste se mantém abril e desce para adireção sudeste nos meses de inverno.
  8. 8. Gráfico de distribuição dos ventos predominantes nos meses de dezembro e junho – solstício de verão e solstício de inverno, respectivamente. Salvador ventos Aracajú ventosDados baseados em observações feitas entre 10/2002 - 2/2013. Fonte: windfinder.com
  9. 9. Massarandupió Percurso Aparente do SolA região situa-se entre na latitude -12o28’.
  10. 10. Massarandupió Zona Bioclimática 8 Tomando como base a NBR-15220 -3 de Desempenho térmico de edificações - Parte 3:Zoneamento bioclimático brasileiro e diretrizes construtivas para habitações unifamiliares de interesse social, a qual classifica a região estudada como zona 8 (Z8):
  11. 11. Massarandupió Carta Bioclimática - Zona 8 LITORAL NORTE DA BAHIA As estratégias de condicionamento térmico para essa zona são as seguintes: F- Desumidificação dos ambientes, obtida através da renovação do ar interno por ar externo através da ventilação dos ambientes. I e J- A ventilação cruzada é obtida através da circulação de ar pelos ambientes da edificação. Essas conclusões indicam que a alternativa da ventilação cruzada com atenção ao estudo dos ventosdominantes é a melhor opção a ser considerada no projeto arquitetônico para construções na região em estudo, a qual compreende o clima quente e úmido. A norma adotada indica também aberturas de vão grandes e sombreamento nas aberturas para proteção dos raios diretos do sol na zona em estudo.
  12. 12. Alternativas para Zona 8 Clima Quente e Úmido - Ventilação cruzada; - Atenção ao estudo dos ventos dominantes; - Aberturas de vão grandes;- Sombreamento nas aberturas para proteção dos raios diretos do sol.FONTE: http://processoarquitetura.blogspot.com.br/2011/09/como-resolver-o-problema-da-incidencia.html
  13. 13. ImplantaçãoProposta Urbanística
  14. 14. Implantação Proposta Urbanística• As edificações foram implantadas de forma a não desfavorecer a ventilação natural entre elas, no Eco Parque os edifícios foram concentrados e implantados em uma área de pouca vegetação com a preocupação econômica e ambiental.• 30% da área total do terreno é de preservação ambiental e as demais áreas possuem limite de construção.• O sistema viário foi desenvolvido de forma que ocupasse a menor área possível• A ciclovia foi proposta com a intenção de interação a qualquer momento entre Ecovila e Eco Parque.
  15. 15. Análise do terreno
  16. 16. Projeto Ecovila - ResidênciasA intenção é de propor residências junta às arvores para criarambientes de interação com a natureza. Foram definidos epicentroscom raio de construção permitida de 8m entre as árvores de formaque o projeto evite ao máximo a retirada das mesmas e se encaixedentro do limite permitido na intenção de não se aproximar da casavizinha e permitir que a separação entre casas seja feita pela própriavegetação.A Ecovila esta proposta em duas etapas onde na primeira alocalização das casas foi identificada conforme clareiras jáexistentes. Foto das clareiras escolhidas para o desenvolvimento do projeto arquitetônico das residências. Foto: autora
  17. 17. ProjetoEcovila - Residências Para a implantação das residências foi feito um levantamento em campo de triangulação das arvores próximas ao raio limite de construção estabelecido e em seguida um estudo bioclimatico.
  18. 18. ProjetoEcovila – Residências – Casa 01
  19. 19. Estratégias BioclimáticasEcovila – Residências – Casa 01 O projeto foi desenvolvido nos espaços vazios entre as árvores com aberturas nas fachadas de ventilação predominante e brises móveis nas fachadas poentes para ventilação cruzada e controle da entrada de iluminação zenital.
  20. 20. Estratégias BioclimáticasEcovila – Residências – Casa 01
  21. 21. ProjetoEcovila – Residências – Casa 02
  22. 22. Estratégias BioclimáticasEcovila – Residências – Casa 02 Aberturas nas fachadas de ventilação predominante e varanda e brise na fachada poente para ventilação cruzada e controle da entrada de iluminação dos raios solares.
  23. 23. Estratégias Bioclimáticas Ecovila – Residências – Casa 02 NA SALA FORAM COLOCADOSBRISES MÓVEIS PARA CONTROLE DA ILUMINAÇÃO
  24. 24. Estratégias BioclimáticasEcovila – Residências – Casa 02
  25. 25. ProjetoEco Parque Os edifícios do Eco Parque foram distribuídos de forma a priorizar a ventilação entre eles e foram implantados em uma área de pouca vegetação concentrado no terreno para evitar grandes retiradas da vegetação.
  26. 26. Projeto Eco ParqueBEIRAIS PROLONGADOS NAS FACHADAS POENTE NA REGIÕES QUE POSSUEM FACHADA DE POUCO BEIRAL E VEGETAÇÃO – BRISES NA REGIÃOESQUADRIAS DAS JANELAS PARA PROTEÇÃO DOS RAIOS DIRETOS DO SOL FORMA PARA PRIORIZAR A VENTILAÇÃO POR EFEITO CHAMINÉ
  27. 27. Considerações finaisA trabalho apresentado tem o objetivo de propor uma forma de habitar e conviverdiferente do convencional, inserida à natureza de forma complementar evitandomaiores impactos causados pelo homem e ao mesmo tempo lembrando que omesmo também faz parte da natureza.O desenho Arquitetônico e Urbanístico foi desenvolvido com preocupaçãoAmbiental e pensamento Bioclimático com soluções construtivas definidas naintenção do aproveitamento tecnológico para suprir as necessidades climáticas eecológicas.
  28. 28. Referências1) NBR-15220 -3 de Desempenho térmico de edificações - Parte 3: Zoneamentobioclimático brasileiro e diretrizes construtivas para habitações unifamiliares deinteresse social2) ESTRATÉDIAS BIOCLIMÁTICAS – UFSC3) LabEEE – Laboratório de Eficiência Energética em Edificações.

×