Um EspaçO, Uma EstóRia ApresentaçãO Final

659 visualizações

Publicada em

Apresentação realizada no âmbito da unidade curricular de escrita criativa.

Publicada em: Tecnologia, Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
659
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
33
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Um EspaçO, Uma EstóRia ApresentaçãO Final

  1. 1. Um espaço, uma “estória”
  2. 2.  Organização narrativa onde se assegura a coerência dos eventos que se sucedem no tempo e atravessam as necessárias transformações, desde o seu estado inicial até a um desenlace.  Uma sequência de transformações organizada de acordo com a relação entre o sujeito e o objecto.
  3. 3.  Ponto de vista narrativo (1ª pessoa);  Personagem (protagonista);  Narrador (narrador - personagem);  Tempo (cronológico e psicológico);  Espaço (físico e temporal);  Elementos circunstanciais (quem, o quê, como, onde, quando, porquê e porque);  Organização da narrativa (exposição, complicação, clímax e desenlace).
  4. 4.  Exposição – introdução do personagem, época, lugar e as circunstâncias em que decorre o relato.  Complicação – o estado inicial se transforma de modo aparentemente irreversível, o sentido das coisas passa a ter novas conjunturas.  Gradação – a viragem do enredo  Desfecho – dar ao leitor o que ele quer, mas não de forma como ele espera.
  5. 5.  Exposição – jovem, espaço físico do quarto, época actual (hoje)  “Deitado na minha cama confortável, de lençóis macios e quentes, vejo as ondas de calor a percorrerem o quarto.”
  6. 6.  Complicação – quando o jovem se vê obrigado a sair do conforto da cama  “Oiço vozes a chamar por mim. Lá vem a minha mãe outra vez. Confesso que agora ela tem razão, já passa muito das 13horas e tenho mesmo que fazer a minha higiene pessoal, para depois comer a comidinha saborosa que ela nos prepara, mas sempre a lamentar-se. “
  7. 7.  Gradação – o narrador tem mesmo que decidir, ou sai ou não de casa. Será que vai ter com a Anita?  “Lá vou eu escolher a roupa de domingo, responder às mensagens da Anita e tentar marcar um café com ela para o fim da tarde.”
  8. 8.  Desfecho – culminar da narração, o narrador decide finalmente sair do quarto  “Já vou, mãe. Estou mesmo a ir. Já saí do meu quarto e estou na direcção certa, a casa de banho para tomar banho. Sim mãe, é rápido. Sim, mãe não demoro. Sim, mãe!”
  9. 9.  Do personagem - jovem do sexo masculino;  Do ambiente - quarto do jovem;  Descrição das paisagens - mundo exterior visualizado através da janela do quarto;  Ponto de vista afectivo - relação com elementos familiares, amigos;  Ponto de vista físico - estado físico – tempo e espaço - em que se encontra no momento da descrição
  10. 10.  Ponto de vista afectivo – descrição do quarto do narrador , enquanto este faz referência ao seu passado, presente, relações familiares e de amizades.  Descrição dos personagens –  “...meu gato fiel e selvagem que tantas vezes...;”  “Tem uma vista linda, só de fechar os olhos, consigo ver os meus jardins cheios de cor na primavera, os campos verdes que rodeiam o exterior ...”  “…minha égua chama-se Bonita, é de raça Puro Lusitana, castanha de porte altivo,...”
  11. 11.  Identificação do objecto descrito  a descrição exaustiva feita pelo narrador do seu próprio quarto, visto por dentro e por fora.  Espaço físico  narração feita em tempos actuais, feita no aqui e agora, no que se está a passar no exacto momento, quando o narrador refere que acabara de acordar, embora faça constantes referências a memórias passadas
  12. 12.  Associação livre;  Escrita automática;  Visualização das imagens

×