O rapaz de bronze

4.203 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.203
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
94
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O rapaz de bronze

  1. 1. O Rapaz de Bronze 1
  2. 2. Índice Breve Biografia Da Autora……………………………………….3-4 Obras Da Autora………………………………………………………5-6 Contos Infantis………………………………………………….7 Introdução………………………………………………………………….8 Resumo Da Obra……………………….…………………………..9-12 Análise Da Obra………………………….……………………….13-20 Personagens……………………………………………………………..21 Conclusão…………………………………………………………..…….22 Bibliografia………………………………………………………….……23 2
  3. 3. Breve Biografia Da Autora Sophia de Mello Breyner Andresen nasceu na cidade do Porto, em 1919, viveu em Lisboa, onde estudou e tirou o curso de Filologia Clássica e faleceu no dia 2 de Julho de 2004. É considerada uma das poetisas e escritoras de livros para crianças, mais importantes da Literatura Portuguesa. 3
  4. 4. Possui uma obra vastíssima, que inclui, contos e obras poéticas. Os seus livros relatam as vivências da autora, durante a infância. Em 1999, Sophia de Mello Breyner Andresen recebeu o Prémio Camões, sobre o qual, muito se falou e se escreveu na altura. 4
  5. 5. Obras Da Autora Poesia (1945) O Dia do Mar (1947) Coral (1950) No Tempo Dividido (1954) Mar Novo (1958) Livro Sexto (1962) O Cristo Cigano (1961) Geografia (1967) Grades (1970) 11 Poemas (1971) Dual (1972) 5
  6. 6. Antologia (1975) O Nome das Coisas (1977) Navegações(1983) Ilhas (1989) Musa (1994) Signo (1994) O Búzio de Cós (1997) Primeiro Livro de Poesia (1999) Mar (2001) Orpheu e Eurydice (2001) 6
  7. 7. Contos Infantis A Menina do Mar (1958) A Fada Oriana (1958) Noite de Natal(1959) O Cavaleiro da Dinamarca (1964) O Rapaz de Bronze (1965) A Floresta (1968) O Tesouro (1970) A Árvore (1985) 7
  8. 8. Introdução Vou apresentar-vos o meu trabalho sobre o “Rapaz de Bronze”. Gostei muito de o ter lido e espero que quando o leiam, também gostem tanto quanto eu. Esta obra está ligada à valorização da natureza e toda a obra baseia-se numa personificação em que as flores falam e têm sentimentos, tal como as pessoas. 8
  9. 9. Resumo da Obra Era uma vez um jardim onde à noite, todas as plantas ganhavam vida. Os gladíolos estavam muito na moda e eram as flores mais colhidas. Certo dia, nasceu um Gladíolo que ficou muito contente por saber que ia ser colhido. Mas, ele ouviu a dona da casa a dizer ao jardineiro para não colher mais gladíolos, porque faziam falta ao jardim. 9
  10. 10. Então, o Gladíolo decidiu fazer uma festa para não ficar tão triste. Ele tinha de pedir autorização ao Rapaz de Bronze que era o dono do jardim, durante a noite. Este autorizou a festa e o Gladíolo convidou todas as flores. Mas um ou dois dias antes da festa, eles pensaram que como as pessoas punham flores nas jarras, eles tinham de pôr uma pessoa numa jarra. Então, decidiram que seria a Florinda, uma menina de sete anos que era filha do jardineiro. 10
  11. 11. Na noite da festa, o Rapaz de Bronze foi ao quarto da Florinda e perguntou-lhe se ela queria ir a uma festa. Ela ficou surpreendida por uma estátua estar a falar com ela, mas aceitou. Quando ela chegou à festa, nem queria acreditar no que estava a ver, mas o Rapaz de Bronze disse para ela se sentar na jarra e começou a contar como é que eles ganhavam vida. No dia seguinte, quando a menina foi para a escola, contou às amigas. Elas não acreditaram e disseram que ela tinha sonhado. Então, ela também começou a pensar que tinha sonhado. 11
  12. 12. Passaram muitos anos. Quando a Florinda tinha quinze anos, o pai dela pediu-lhe para ir levar ovos a casa da cozinheira. Já era de noite quando ela vinha para casa. O Rapaz de Bronze veio ter com ela, perguntou-lhe se ela se lembrava dele e se se lembrava da festa. Ela disse que sim. Os dois deram as mãos e foram assim a andar pelo jardim. 12
  13. 13. Análise da Obra 1º Capítulo – As Flores É a Introdução da obra (descrição do jardim e apresentação das flores). Espaço – Um jardim maravilhoso. Tempo – Incerto; Indefinido: “Era uma Vez…”. As Personagens – As plantas e as flores do jardim (destacam-se os gladíolos). O jardim é grande, contém uma grande variedade de flores e está dividido em pequenos jardins de buxo. 13
  14. 14. O jardim é composto por uma estufa, ruas compridas com muros de camélias, um pomar, um campo de trigo com papoilas e um grande parque com plátanos, lagos e grutas. Recursos Expressivos Personificação – “- Nos jardins antigos – diziam os gladíolos – há sempre azulejos.” Enumeração – “(…) um jardim maravilhoso cheio de grandes tílias, bétulas, carvalhos, magnólias e plátanos.” 14
  15. 15. 2º Capítulo – O Gladíolo (desenvolvimento) No jardim nasce um Gladíolo, ainda mais vaidoso que os outros. Ele deseja ser colhido para uma festa, mas tal nunca acontece. Então, fica triste e pede autorização ao Rapaz de Bronze para organizar uma festa no jardim. O Rapaz de Bronze é uma estátua que fica no jardim, numa ilha pequena, no meio de um lago. É o “rei do jardim” e todas as plantas obedecem-lhe. De dia, não se pode mexer, mas de noite salta, dança e fala. Autoriza o gladíolo a dar uma festa. 15
  16. 16. Tempo – Há uma oposição entre o dia e a noite que reflete no comportamento das personagens. Durante o dia - As flores e as plantas estão presas e não se mexem( é a sua noite). No jardim, manda a dona de casa e o jardineiro. Durante a noite – As flores ficam libertas e podem andar( é o seu dia). No jardim, manda o Rapaz de Bronze. Recursos Expressivos Comparação – “ (…) tem uma casa toda feita de vidros como uma estufa.” 16
  17. 17. 3º Capítulo – Florinda (desenvolvimento) Este capítulo é composto pela organização da festa. O espaço é a Clareira dos Plátanos. A música é constituída por uma orquestra de cucos, rãs, pica-paus, rouxinóis, melros, moscardos, sapos-tambores. A Iluminação está a cargo dos pirilampos. 17
  18. 18. Neste capítulo aparece também uma nova personagem: Florinda. Ela tem 7 anos. É a filha do jardineiro. Por ser uma pessoa e ser muito bonita, é escolhida para decorar uma jarra na festa. O Jardim é um local mágico: -Durante a noite, as flores e as plantas saem do seu lugar, falam, dançam, saltam… -Durante o dia, as flores também falam, apesar de estarem presas à terra. 18
  19. 19. 4º Capítulo – A Festa (desenvolvimento e conclusão) Na festa, o Gladíolo está interessado na Tulipa, mas esta recusa-se a dançar com ele e não lhe dá atenção nenhuma. Florinda conhece o Rapaz de Bronze e descobre a magia do jardim. O galo canta e termina a festa. O Rapaz de Bronze leva Florinda a casa, antes do dia nascer. No dia seguinte, Florinda pensa que tudo não passou de um sonho. Recursos Expressivos Sensação Auditiva – “Os passos do rapaz de bronze faziam estalar no chão, os ramos secos”. 19
  20. 20. Há um avanço de oito anos na ação. Florinda tem agora, quinze anos e numa noite, ela passa pelo jardim e o Rapaz de Bronze transforma-se e aparece para falar com ela. Florinda, finalmente, acredita em tudo o que viu e passou. Fim da História: Florinda e o Rapaz de Bronze dão as mãos e vão passear pelo jardim. 20
  21. 21. Personagens Personagens Principais: O Gladíolo, O Rapaz de Bronze e Florinda. Personagens Secundárias: a dona de casa, o jardineiro, a Orquídea, a Begónia, a Túlipa, o Nardo, o Cravo, a Rosa, os Buxos, o Carvalho, a mãe da Florinda, a Glicínia e o Rouxinol. 21
  22. 22. Conclusão Quando se lê esta história, o tempo varia sempre entre a realidade e o sonho. Observamos também que é durante a infância que existe a predominância do sonho. Por isso, como nós somos crianças, nunca devemos deixar de sonhar. 22
  23. 23. Obrigado Pela Vossa Atenção! 23

×