Osasco 1

402 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
402
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
59
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Osasco 1

  1. 1. CAMINHOS DA REESCRITA
  2. 2. OBJETIVOS  Refletir sobre quais dimensões da língua devem ou deveriam ser consideradas no momento da elaboração da produção/reescrita textual;  Esclarecer os conceitos de escrita e reescrita subjacentes ao processo de produção textual;  Levar os alunos à oportunidade de voltar ao seu texto, revêlo, corrigindo, acrescent ando ou excluindo a fim de melhorá-lo;  Participar de interações que envolvem os usos da linguagem;  Desenvolver um comportamento de autor de seu próprio dizer, e;  Recuperar os principais elementos da narrativa com base na linguagem que se usa para escrever.
  3. 3. ETAPA UM  Exposição da sequência didática;  Finalidade do projeto;  Revisão das características do gênero “narrativa de aventura”;  Sugestões de temas: • viagens; • passeios a parques, museus, lugares estranhos; • gigantes, anões, robôs, dinossauros, animais selvagens; • ida ao futuro; • corrida de carro, de moto;  Produção de texto individual, no primeiro material oferecido – folha pautada com abas.
  4. 4. INTERVENÇÕES  Intervenções nas abas da folha pautada. Legenda: • fonética; • ortografia; • coerência e coesão; • pontuação; • paragrafação; • discurso direto; • segmentação; • nome próprio; • início de período; • concordância verbal; • concordância nominal; • ambiguidades.
  5. 5. ETAPA DOIS  Aula expositiva explicando as legendas (o que o aluno deve perceber ao identificar as palavras da legenda, que tipo de reflexão/correção será exigida dele);  Roda de conversa para investigar a novidade da intervenção nas abas;  Reescrita do texto original (neste momento os alunos serão cobrados a refletir sobre os comentários e apontamentos feitos nas abas);  Professor faz as intervenções individuais quando solicitado.
  6. 6.  Intervenções no post-it;  Neste momento as intervenções são pontuais, mais específicas quanto à ortografia, fonética, pontuação, gra mática prescritiva.
  7. 7. ETAPA TRÊS  Roda de conversa para investigar a novidade do post-it;  Breve comentário sobre as dificuldades apresentadas na produção original, que permaneceram na primeira reescrita;  Reescrita do texto baseada nos apontamentos feitos no post-it;  Os alunos que obtiveram sucesso na primeira reescrita tiveram a oportunidade de ajudar àqueles que apresentaram maior dificuldade.
  8. 8. • • • • • • • Sequência Didática com os seguintes itens: * Fábulas variadas; * Atividades de pontuação; * Atividades de ortografia; * Atividades de reorganização do texto; * Escolha de uma fábula para ser reescrita coletivamente; * Reescrita individual de uma das fábulas apresentadas.
  9. 9. CONCLUSÃO Os alunos entenderam as propostas de reescrita e lidaram satisfatoriamente com os recursos apresentados. Os materiais utilizados facilitaram a visualização dos equívocos cometidos por eles, bem como a reflexão sobre sua própria prática de escrita. Esse trabalho possibilitou a verificação da importância do aluno–autor se colocar no papel de leitor de si mesmo e constatei que eu, ao me colocar como leitora interessada pela escrita do aluno, desempenho função essencial na formação do educando, pois aponto os caminhos que levam esse aluno a decidir sobre as alterações que podem fazê-lo enriquecer sua produção.
  10. 10. Percebe-se que os alunos internalizam e escrevem com certa autonomia o gênero sugerido, narrativa de aventura, suas especificações e estruturas. Os educandos apresentaram dificuldades de paragrafação, ortografia e uso da norma culta quanto à estrutura gramatical, logo minhas intervenções se concentraram nesse sentido. Por fim, essa atividade proporcionou momentos significativos de união entre a reflexão teórica e a prática reflexiva da língua.

×