SlideShare uma empresa Scribd logo

Agrupamento vertical de escolas dr

1 de 16
Baixar para ler offline
Agrupamento vertical de escolas dr
Agrupamento vertical de escolas dr
A Síndroma da Imunodeficiência Adquirida (SIDA) é uma
Doença Sexualmente Transmissível (DST) sendo a fase
final da infecção pelo Vírus da Imunodeficiência
Humana (VIH). Este vírus ataca as células responsáveis
pela protecção do corpo a infecções destruindo o
sistema imunológico. É esta falta de protecção que leva
à morte devido a doenças oportunistas.
O VIH pode ser transmitido pelo sangue. Normalmente a
via de transmissão é o sexo anal ou vaginal e a partilha
de utensílios infectados com sangue. Também é
possível o contágio durante o sexo oral. Um número
importante dos casos iniciais de infecção foram
devidos a sangue e produtos derivados
(principalmente os hemofílicos) mas os testes actuais
diminuíram drasticamente as infecções por esta via.
Se bem que inicialmente fosse considerada uma doença
dos homossexuais actualmente o maior número de
infecções é devido a sexo entre homem e mulher. O
vírus não se transmite através do contacto social do dia
a dia incluindo o beijo.
No caso de uma picada (pessoal de saúde) os riscos de
infecção são aproximadamente de 30% para a hepatite
B, 3% para a hepatite C e 0,3% para o VIH.
Embora a infecção seja muitas vezes acompanhada de
sintomas como febre ligeira e dores de cabeça os
mesmos são normalmente demasiado suaves para
serem tomados em conta. Alguns sintomas (que podem
só aparecer passados vários anos da infecção inicial)
possíveis são perda de peso sem explicação aparente,
infecções recorrentes, náuseas, problemas intestinais,
aumento persistente dos gânglios linfáticos.
Anúncio

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Hiv
HivHiv
Hiv
 
AIDS
AIDSAIDS
AIDS
 
HIV/AIDS
HIV/AIDSHIV/AIDS
HIV/AIDS
 
HIV vs. AIDS
HIV vs. AIDSHIV vs. AIDS
HIV vs. AIDS
 
O que é HIV ? Como se contrai o vírus? O que é AIDS?
O que é HIV ? Como se contrai o vírus?  O que é AIDS?O que é HIV ? Como se contrai o vírus?  O que é AIDS?
O que é HIV ? Como se contrai o vírus? O que é AIDS?
 
Aula aids 2005 ok
Aula   aids 2005 okAula   aids 2005 ok
Aula aids 2005 ok
 
Aids
AidsAids
Aids
 
Imunologia palestra sobre aids
Imunologia   palestra sobre aidsImunologia   palestra sobre aids
Imunologia palestra sobre aids
 
HIV
HIVHIV
HIV
 
Apresentaoaids 140327164349-phpapp01
Apresentaoaids 140327164349-phpapp01Apresentaoaids 140327164349-phpapp01
Apresentaoaids 140327164349-phpapp01
 
AIDS - The Skeletons
AIDS - The SkeletonsAIDS - The Skeletons
AIDS - The Skeletons
 
Aids
AidsAids
Aids
 
AIDS
AIDSAIDS
AIDS
 
Aids e a bioética
Aids e a bioéticaAids e a bioética
Aids e a bioética
 
Aids
AidsAids
Aids
 
Hiv
Hiv Hiv
Hiv
 
Aula Infeccao por HIV acompanhamento e tratamento
Aula Infeccao por HIV acompanhamento e tratamentoAula Infeccao por HIV acompanhamento e tratamento
Aula Infeccao por HIV acompanhamento e tratamento
 
Breve Histórico do HIV
Breve Histórico do HIVBreve Histórico do HIV
Breve Histórico do HIV
 
Projeto AIDS - João Victor
Projeto AIDS - João VictorProjeto AIDS - João Victor
Projeto AIDS - João Victor
 
aids
 aids aids
aids
 

Destaque (20)

Pitagoras
PitagorasPitagoras
Pitagoras
 
Comercializacion Del Flamenco
Comercializacion Del FlamencoComercializacion Del Flamenco
Comercializacion Del Flamenco
 
Puente Levadizo
Puente LevadizoPuente Levadizo
Puente Levadizo
 
Fenomenal
Fenomenal Fenomenal
Fenomenal
 
Spaguettis
SpaguettisSpaguettis
Spaguettis
 
Web social para organizaciones
Web social para organizacionesWeb social para organizaciones
Web social para organizaciones
 
EducacióN Clase 1
EducacióN Clase 1EducacióN Clase 1
EducacióN Clase 1
 
Tiendas Antiguas De Madrid
Tiendas Antiguas De MadridTiendas Antiguas De Madrid
Tiendas Antiguas De Madrid
 
Powerpoint tics
Powerpoint ticsPowerpoint tics
Powerpoint tics
 
Amitadessssssss
AmitadessssssssAmitadessssssss
Amitadessssssss
 
Sobre a amazônia
Sobre a amazôniaSobre a amazônia
Sobre a amazônia
 
ENCOAD 2015: 50 Anos de Administração de Pessoas no Brasil: Avanços e Perspec...
ENCOAD 2015: 50 Anos de Administração de Pessoas no Brasil: Avanços e Perspec...ENCOAD 2015: 50 Anos de Administração de Pessoas no Brasil: Avanços e Perspec...
ENCOAD 2015: 50 Anos de Administração de Pessoas no Brasil: Avanços e Perspec...
 
Cross Country "Valle de Azapa"
Cross Country "Valle de Azapa"Cross Country "Valle de Azapa"
Cross Country "Valle de Azapa"
 
Yury bolado
Yury boladoYury bolado
Yury bolado
 
Yury da penha
Yury da penhaYury da penha
Yury da penha
 
The Service Factory - Factoría de Servicios
The Service Factory - Factoría de Servicios The Service Factory - Factoría de Servicios
The Service Factory - Factoría de Servicios
 
àS vezes
àS vezesàS vezes
àS vezes
 
Estudio de Banda Ancha
Estudio de Banda AnchaEstudio de Banda Ancha
Estudio de Banda Ancha
 
Eps guía didáctica
Eps guía didácticaEps guía didáctica
Eps guía didáctica
 
Pitagoras
PitagorasPitagoras
Pitagoras
 

Semelhante a Agrupamento vertical de escolas dr

Semelhante a Agrupamento vertical de escolas dr (20)

Sida nascimento
Sida nascimentoSida nascimento
Sida nascimento
 
Texto de imuno iii
Texto de imuno iiiTexto de imuno iii
Texto de imuno iii
 
A Sida
A SidaA Sida
A Sida
 
HIV/SIDA
HIV/SIDAHIV/SIDA
HIV/SIDA
 
A SIDA
A SIDAA SIDA
A SIDA
 
Hiv
HivHiv
Hiv
 
sida
sidasida
sida
 
HIV"Sida"
HIV"Sida"HIV"Sida"
HIV"Sida"
 
O que é aids
O que é aidsO que é aids
O que é aids
 
Aids ane (2)
Aids ane (2)Aids ane (2)
Aids ane (2)
 
Hiv sida
Hiv sidaHiv sida
Hiv sida
 
Trabalho de pesquisa SIDA biologia 12º ano
Trabalho de pesquisa SIDA biologia 12º anoTrabalho de pesquisa SIDA biologia 12º ano
Trabalho de pesquisa SIDA biologia 12º ano
 
7- HIV e aids.pptx
7- HIV e aids.pptx7- HIV e aids.pptx
7- HIV e aids.pptx
 
HISTÓRIA DA MEDICINA HIV PORTUGUES ret.pdf
HISTÓRIA DA MEDICINA HIV PORTUGUES ret.pdfHISTÓRIA DA MEDICINA HIV PORTUGUES ret.pdf
HISTÓRIA DA MEDICINA HIV PORTUGUES ret.pdf
 
Aids
AidsAids
Aids
 
Aids 1 E
Aids 1 EAids 1 E
Aids 1 E
 
Trab sida
Trab sidaTrab sida
Trab sida
 
DSTs
DSTsDSTs
DSTs
 
Primeiros Socorros Modulo VI
Primeiros Socorros Modulo VIPrimeiros Socorros Modulo VI
Primeiros Socorros Modulo VI
 
ApresentaçãO1
ApresentaçãO1ApresentaçãO1
ApresentaçãO1
 

Agrupamento vertical de escolas dr

  • 3. A Síndroma da Imunodeficiência Adquirida (SIDA) é uma Doença Sexualmente Transmissível (DST) sendo a fase final da infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH). Este vírus ataca as células responsáveis pela protecção do corpo a infecções destruindo o sistema imunológico. É esta falta de protecção que leva à morte devido a doenças oportunistas.
  • 4. O VIH pode ser transmitido pelo sangue. Normalmente a via de transmissão é o sexo anal ou vaginal e a partilha de utensílios infectados com sangue. Também é possível o contágio durante o sexo oral. Um número importante dos casos iniciais de infecção foram devidos a sangue e produtos derivados (principalmente os hemofílicos) mas os testes actuais diminuíram drasticamente as infecções por esta via.
  • 5. Se bem que inicialmente fosse considerada uma doença dos homossexuais actualmente o maior número de infecções é devido a sexo entre homem e mulher. O vírus não se transmite através do contacto social do dia a dia incluindo o beijo. No caso de uma picada (pessoal de saúde) os riscos de infecção são aproximadamente de 30% para a hepatite B, 3% para a hepatite C e 0,3% para o VIH.
  • 6. Embora a infecção seja muitas vezes acompanhada de sintomas como febre ligeira e dores de cabeça os mesmos são normalmente demasiado suaves para serem tomados em conta. Alguns sintomas (que podem só aparecer passados vários anos da infecção inicial) possíveis são perda de peso sem explicação aparente, infecções recorrentes, náuseas, problemas intestinais, aumento persistente dos gânglios linfáticos.
  • 7. O VIH é diagnosticado através de testes que detectam a presença de anticorpos no sangue. A detecção de anticorpos no sangue pode não ser possível mesmo após 6 meses da infecção. Este teste pode ser pedido pelo médico assistente mas também já existem centros de testes anónimos.
  • 8. Sim. Se não for iniciado atempadamente o tratamento adequado o indivíduo infectado costuma morrer passados alguns anos devido a infecções oportunistas ou cancros que atacam devido à inexistência de defesas do organismo na fase avançada da doença. Os tratamentos actualmente existentes não são, mesmo assim, uma garantia de isenção de problemas além de originarem em muitos casos graves efeitos secundários.
  • 9.  Neste momento o tratamento comunalmente aceite consiste numa combinação de três elementos antiretorvíricos de forma a atacar o VIH em diferentes fases da sua replicação. As terapias com apenas dois ou um elemento não são recomendadas pois levam rapidamente ao desenvolvimento de resistência à medicação por parte do vírus.
  • 10. É essencial manter a regularidade do regime seleccionado e não falhar as tomas de forma a evitar o desenvolvimento de resistência do VIH e consequente falha no tratamento. A evolução da infecção é controlado testando não só o estado do sistema imunológico como também a presença de vírus no sangue.
  • 11. Se bem que os tratamentos actuais consigam limitar o número de partículas virais no sangue a valores quase indetectáveis isto não significa que o VIH não se encontre em grandes quantidades em outros locais do corpo. Mesmo com uma óptima resposta ao tratamento continuam a existir partículas do VIH no sangue e no sémen obrigando portanto a medidas de forma a evitar o contágio.
  • 12. De acordo com o estado do sistema imunológico do paciente podem ser recomendados tratamentos e vacinas adicionais de forma a evitar outras infecções que podem ser por si perigosas ou potenciar o desenvolvimento do VIH.
  • 13. É também importante evitar a re-infecção pois facilita a evolução da infecção e pode originar novas variantes do vírus resistentes ao tratamentos actuais. Assim mesmo quando os dois parceiros são VIH positivos devem ter comportamentos que evitem a transmissão do vírus.
  • 14. * o uso de preservativo (feminino ou masculino) é uma forma, mas não 100% segura (devido a quebra no preservativo), de evitar o contágio no caso de sexo oral, evitar o mesmo quando existam lesões na boca e a ejaculação para a boca do parceiro. O uso de preservativo nesta situação é uma segurança adicional. Tenha cuidado com a partilha de utensílios que possam estar contaminados com sangue ou sémen infectado.
  • 15. • Fale sobre as DSTs com o seu parceiro * Fale acerca da suas intenções de ter sexo protegido ( preservativo masculino ou feminino ) sugira um teste a várias DSTs para ambos antes de terem relações sexuais (lembre-se, no entanto, que existe um período que varia de dias até 6 meses em que muitas DSTs não são inidentificáveis num teste embora estejam presentes)