SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Luziânia,
Novembro de 2016.
Maria Cecília Silva de Amorim
Coordenadora Pedagógica
Como professor, sou um ‘aventureiro’ responsável,
predisposto à mudança, à aceitação do diferente.
Nada do que experimentei em minha atividade
docente deve necessariamente repetir-se (...) me
experimento enquanto ser cultural, histórico,
inacabado e inconsciente do inacabamento.
Paulo Freire
 A Secretaria Municipal de Educação de Luziânia
com vistas a garantir a formação continuada no
exercício da docência na Rede Municipal de
Educação, apresenta pelo quarto ano proposta
de formação continuada. Para 2017, vincula-se
às didáticas e práticas de ensino pautadas
numa visão de escola como espaço de
formação.
 Assim, pretende “ alcançar níveis mais elevados na
educação formal ou aprofundar como continuidade
dos conhecimentos que os professores já possuem.”
(PRADA, 1997, p. 88 -9), favorecendo a abordagem
de subtemas sugeridos pelas Unidades Escolares a
partir de consulta pública realizada no site da
Secretaria Municipal de Educação, baseado num
modelo de formação contínua, colaborativa e
autônoma, trabalhando mais diretamente com os
supervisores, auxiliando-os a lidar e gerir situações
problema no “chão da escola”.
 Coordenadores pedagógicos, supervisores
escolares, diretores escolares, professores do
1º ao 5º ano.
 Coordenadores pedagógicos: Tutores
 Supervisores Escolares: Formadores nas
Unidades Escolares.
 Janeiro a novembro de 2017.
 Duração de 30 encontros presenciais e
complementação em EAD.
 Unidades Escolares.
 Fomentar e garantir a formação continuada dos
profissionais da educação na Rede Municipal de
Ensino do 1º ao 5º ano , a partir da reflexão-ação
sobre o fazer docente subsidiado pela didática e a
prática de ensino, considerando novas tendências
no campo educacional.
 Proporcionar momentos de formação continuada,
planejamento e registro na escola, junto aos
professores de 1º ao 5º ano do ensino fundamental,
sendo às quartas-feiras, no momento de
coordenação pedagógica;
 Realizar planejamento, com apoio de coordenadores
pedagógicos, junto aos supervisores escolares de
acordo com calendário previamente definido;
 Elaborar e utilizar “Plano de Formação” para
direcionar a abordagem teórico-metodológica dos
encontros, considerando temática, objetivos,
metodologia, cronograma e referencial teórico;
 Discutir temas da didática e prática de ensino,
voltados à qualidade da educação sob a abordagem
ação-reflexão-ação;
 Propor oficinas pedagógicas que atendam aos
anseios da equipe docente, fortalecendo as boas
práticas de ensino;
 Fortalecer, por meio da discussão dos temas, o
papel do supervisor escolar como principal
responsável pela formação da equipe docente;
 Fazer registros utilizando instrumentos de
controle de participação e aplicação do tema em
sala de aula, sendo planejamento, relato de
experiência e portfólio da escola;
 Utilizar a plataforma moodle para realização de
atividades em EAD – Educação à Distância,
mensalmente, sob tutoria.
 A aplicabilidade da Formação Continuada é de
fundamental importância na vida do educador devido à
necessidade de um aprimoramento diário em relação aos
conteúdos específicos e cotidianos que levam a
aprendizagem tanto do educador quanto do aluno. Essa
troca de informações entre os professores é de suma
importância para o enriquecimento da prática cultural e
pedagógica. Através da Plataforma o professor busca
aprimorar seus conhecimentos com a troca de ideias,
discussões e experiências, colocando em prática na vida
acadêmica, promovendo uma aprendizagem significativa
aos educandos. A Plataforma também fortalece a
perspectiva de uma constante formação continuada de
forma significativa para uma atuação profissional
inovadora e transformadora na vida dos educandos.
 Escola Municipal Ramiro Aguiar.
 A dinâmica das formações da escola, em
relação a teoria e prática, na nossa visão não
atendeu às necessidades de aprofundamento
dos docentes de hoje, pois os mesmos
necessitam de uma tempo maior para
aprofundamento teórico e de formações em
formato de oficina que facilitariam a
aplicabilidade.
 Escola Municipal Laudimiro Roriz.
 Nas quartas-feiras, no momento de coordenação
pedagógica, a formação ocorrerá de acordo com as etapas
descritas abaixo:
 Planejamento: Será realizado uma vez ao mês, com o tutor
designado e supervisores pedagógicos para que o tema
possa ser ministrado por eles ou seus parceiros na escola;
 Apresentação do tema: Momento voltado aos cursistas,
realizado na escola, ministrado pelo supervisor ou parceiro
previamente destacado;
 Planejamento e registro de relato de experiência:
Momentos utilizados pelos cursistas para preparar
aplicação prática na sala de aula e realizar seu registro;
 EAD – Educação à distância: Registro em plataforma
moodle, mensalmente, de acordo com os temas do
arcabouço teórico da Didática.
Diário de formação/ Portfólio
Instrumentos de controle de participação dos cursistas organizados pelos supervisores, sob orientação dos tutores. O
portfólio deverá constar o plano de formação , planejamentos individuais e relatos de experiência dos cursistas por tema
trabalhado utilizando formulário próprio.
Registro do relato de experiência/cursistas
Descrição da aplicação da aula ou atividade proposta a partir do tema da formação.
Planejamento individual/ supervisor-cursistas
Aplicação a partir do tema apresentado na formação, direcionado ao aluno.
Plano de formação/ tutor- supervisores
Elaborado de acordo com os temas escolhidos pela escola.
 Os subtemas abaixo serão trabalhados em
janeiro e fevereiro de forma coletiva com os
supervisores, em seguida ministrados na escola.
Planejamento coletivo (tutor-supervisor),
apresentação na escola (supervisor-cursistas),
planejamento individual(cursistas- alunos),
registro do relato de experiência(cursistas), EAD
(cursistas).
 O papel da didática na formação do educador.
 Planejamento e organização do trabalho
Pedagógico.
 Oficina de estrutura e elaboração de Sequências Didáticas.
 Oficina de incentivo à leitura e ao letramento.
 Oficina de produção e revisão textual com a utilização da
gramática aplicada ao texto.
 Prática de ensino com base na realidade e o ideal de escola.
 Oficina de Projetos Didáticos com foco na resolução de
problemas.
 Indisciplina na sala de aula.
 Educação especial e escola inclusiva.
 Competências socioemocionais.
 Oficina de teatro, elaboração de recursos para contação de
histórias.
 Oficina de jogos didáticos pedagógicos.
 Oficina de leitura e escrita.
 Coordenadores pedagógicos: 120 horas
referentes a pesquisa e acompanhamento dos
supervisores.
 Cursistas: 113 horas referentes a parte
presencial e EAD.
 Supervisores: 150 horas referentes a
planejamento, apresentação de temas,
organização de registros e EAD.
 Certificação a partir de 75% de
aproveitamento anual.
DATA SUGERIDA
MÊS Descrição das atividades Formação na escola junto ao
corpo docente
JAN O planejamento em janeiro e
fevereiro deverá ser coletivo.
Sendo os demais, agendados
com o tutor. As atividades
serão divididas em :
Planejamento coletivo,
apresentação do tema,
planejamento individual,
relato de experiência. Para
EAD não há data específica,
devendo ocorrer durante o
curso de acordo com
agendamento.
18 e 25
FEV 01,08,15,22
MAR 15, 22, 29
ABRIL 12, 19, 26
MAIO 10,17, 24
JUN 07,14,21
AGO 09, 16, 23
SET 06, 13, 20
OUT 04, 18,25
NOV 01, 08, 29
 A formação continuada, direito dos professores garantido pela LDBN
9394/96, traz à tona a importância de aprofundamento em didáticas e
práticas de ensino em 2017, procurando atender às diversas realidades
contidas na Rede de Ensino fortalecendo a autonomia escolar e o papel do
Supervisor Escolar como principal formador da equipe docente.
 A carga horária deverá ser um ponto de fortalecimento do planejamento dos
professores, sendo esta voltada para a realização de práticas na sala de aula,
visando garantir a aplicação dos temas estudados coletivamente junto aos
alunos.
 O tema central irá dar abertura para a elaboração de planos de formação,
contextualizados com as características da escola, fomentando a melhoria da
prática docente a partir da escolha de subtemas, oriundos da consulta
pública anteriormente realizada na Rede de Ensino.
 O monitoramento dos resultados dar-se-á pelo registro do plano de
formação, registro da aplicabilidade dos temas na sala de aula e também via
plataforma EAD.
 Esse modelo de formação pretende oportunizar o desenvolvimento da
autonomia escolar com suporte e acompanhamento voltados à realidade
sócio cultural e a preservação da identidade da comunidade escolar. Espera-
se que seja um trabalho que possa atender principalmente aos alunos, que
poderão se beneficiar com a melhoria da qualidade da educação e a
complementação dos procedimentos de ensino propostos pelos professores.
 ALMEIDA, Isabel. Formação contínua de professores. Boletim 13. Salto para o
Futuro, 2015. Disponível em
http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:LdUGQV7n7_4J:cdnbi.tv
escola.org.br/resources/VMSResources/contents/document/publicationsSeries/15
0934FormacaoCProf.pdf+&cd=3&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br. Acesso em
07/11/2016.
 FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa.
São Paulo: Paz e Terra, 1996. 21ª ed.
 IMBERNÓN. Francisco. Formação docente e profissional: formar-se para a
mudança e a incerteza. 4.ed. São Paulo: Cortez, 2004.
 _________________. Formação permanente do professorado: novas tendências. São
Paulo : Cortez, 2015.
 NÓVOA, António. (org.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote,
1992.
 ROCHA, Issana Nascimento. “O Plano Nacional de Educação e a formação de
professores.” In GOMES, Ana Valeska, BRITTO,Tatiana Feitosa de (Orgs). Plano
Nacional de Educação: construção e perspectivas. Brasília: Câmara dos Deputados,
2015.
 VEIGA, Ilma Passos de Alencastro (Coor.). Repensando a Didática. Campinas, SP:
Papirus, 2014 .21.ed rev. e atual.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Texto de apresentação do PIP EF
Texto de apresentação do PIP EFTexto de apresentação do PIP EF
Texto de apresentação do PIP EF
pedagogicosjdelrei
 
1º encontro de coordenadores pedagógicos de seropédica 2013 m.
1º encontro de coordenadores pedagógicos de seropédica 2013 m.1º encontro de coordenadores pedagógicos de seropédica 2013 m.
1º encontro de coordenadores pedagógicos de seropédica 2013 m.
smece4e5
 
Matemática matriz curricular
Matemática matriz curricularMatemática matriz curricular
Matemática matriz curricular
Nero Cachorro
 
{E1 cd6af7 e5ff-43ae-a5a3-ca40a6c67f29}-cartilha final
{E1 cd6af7 e5ff-43ae-a5a3-ca40a6c67f29}-cartilha final{E1 cd6af7 e5ff-43ae-a5a3-ca40a6c67f29}-cartilha final
{E1 cd6af7 e5ff-43ae-a5a3-ca40a6c67f29}-cartilha final
Celia Leite
 

Mais procurados (20)

Reunião com equipe_gestora_emei
Reunião com equipe_gestora_emeiReunião com equipe_gestora_emei
Reunião com equipe_gestora_emei
 
Plano de ação 2011
Plano de ação 2011Plano de ação 2011
Plano de ação 2011
 
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
 
Texto de apresentação do PIP EF
Texto de apresentação do PIP EFTexto de apresentação do PIP EF
Texto de apresentação do PIP EF
 
Formacao inicial 4horas_2015 revisado 03.04 (1)
Formacao inicial 4horas_2015 revisado 03.04 (1)Formacao inicial 4horas_2015 revisado 03.04 (1)
Formacao inicial 4horas_2015 revisado 03.04 (1)
 
Reunião PedagóGica Colegiado De Curso 2010 1
Reunião PedagóGica   Colegiado De Curso   2010 1Reunião PedagóGica   Colegiado De Curso   2010 1
Reunião PedagóGica Colegiado De Curso 2010 1
 
Projeto para Formação continuada na escola 2016
Projeto para Formação continuada na escola 2016 Projeto para Formação continuada na escola 2016
Projeto para Formação continuada na escola 2016
 
1º encontro de coordenadores pedagógicos de seropédica 2013 m.
1º encontro de coordenadores pedagógicos de seropédica 2013 m.1º encontro de coordenadores pedagógicos de seropédica 2013 m.
1º encontro de coordenadores pedagógicos de seropédica 2013 m.
 
Plano de ao do spaece 2012 elaborado pelos professores e gestores
Plano de ao do spaece 2012 elaborado pelos professores e gestoresPlano de ao do spaece 2012 elaborado pelos professores e gestores
Plano de ao do spaece 2012 elaborado pelos professores e gestores
 
Matemática matriz curricular
Matemática matriz curricularMatemática matriz curricular
Matemática matriz curricular
 
Articulador Pedagógico
Articulador PedagógicoArticulador Pedagógico
Articulador Pedagógico
 
Plano pedagogo 2014
Plano pedagogo 2014Plano pedagogo 2014
Plano pedagogo 2014
 
PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)
PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)
PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)
 
{E1 cd6af7 e5ff-43ae-a5a3-ca40a6c67f29}-cartilha final
{E1 cd6af7 e5ff-43ae-a5a3-ca40a6c67f29}-cartilha final{E1 cd6af7 e5ff-43ae-a5a3-ca40a6c67f29}-cartilha final
{E1 cd6af7 e5ff-43ae-a5a3-ca40a6c67f29}-cartilha final
 
Portifólio do PACTO - Orientações
Portifólio do PACTO - OrientaçõesPortifólio do PACTO - Orientações
Portifólio do PACTO - Orientações
 
Plano De IntervençãO PedagóGica 2008
Plano De IntervençãO PedagóGica 2008Plano De IntervençãO PedagóGica 2008
Plano De IntervençãO PedagóGica 2008
 
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
Plano Anual de Ação da Orientação Escolar
 
PLANO DE AÇÃO PROEMI/JF
PLANO DE AÇÃO PROEMI/JFPLANO DE AÇÃO PROEMI/JF
PLANO DE AÇÃO PROEMI/JF
 
Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)
Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)
Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)
 
24 prática de ensino ii - letras
24 prática de ensino ii - letras24 prática de ensino ii - letras
24 prática de ensino ii - letras
 

Semelhante a Projeto didáticas e práticas de ensino

PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIPPLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
www.estagiosupervisionadofip.blogspot.com
 
Slidesdo3encontro2011 110809182748-phpapp01
Slidesdo3encontro2011 110809182748-phpapp01Slidesdo3encontro2011 110809182748-phpapp01
Slidesdo3encontro2011 110809182748-phpapp01
Jhosyrene Oliveira
 
Projeto de apoio a leitura
Projeto de apoio a leituraProjeto de apoio a leitura
Projeto de apoio a leitura
Miguel Dias
 
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docxPrograma-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
MaxLuisEspinosa
 
Orientações Suporte pedagógico
Orientações Suporte pedagógicoOrientações Suporte pedagógico
Orientações Suporte pedagógico
fafc17
 
83539926 proposta-coordenacao
83539926 proposta-coordenacao83539926 proposta-coordenacao
83539926 proposta-coordenacao
Eduardo Lopes
 

Semelhante a Projeto didáticas e práticas de ensino (20)

Supervisor Escolar
Supervisor EscolarSupervisor Escolar
Supervisor Escolar
 
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIPPLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
PLANO DE CURSO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 7° PERÍODO DE PEDAGOGIA DAS FIP
 
PLANO_DE_CURSO_2022_ANOS_FINAIS.pdf
PLANO_DE_CURSO_2022_ANOS_FINAIS.pdfPLANO_DE_CURSO_2022_ANOS_FINAIS.pdf
PLANO_DE_CURSO_2022_ANOS_FINAIS.pdf
 
Slidesdo3encontro2011 110809182748-phpapp01
Slidesdo3encontro2011 110809182748-phpapp01Slidesdo3encontro2011 110809182748-phpapp01
Slidesdo3encontro2011 110809182748-phpapp01
 
Coordenador Pedagógico
Coordenador PedagógicoCoordenador Pedagógico
Coordenador Pedagógico
 
Cópia de Plano de Ação_EE Coronel 2023.docx
Cópia de Plano de Ação_EE Coronel 2023.docxCópia de Plano de Ação_EE Coronel 2023.docx
Cópia de Plano de Ação_EE Coronel 2023.docx
 
PlanodeacaodoCoordenador.pdf
PlanodeacaodoCoordenador.pdfPlanodeacaodoCoordenador.pdf
PlanodeacaodoCoordenador.pdf
 
Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015
Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015
Planejamento Pedagógico - EE República do Suriname 2015
 
Projeto para Formação continuada na escola 2016
Projeto para Formação continuada na escola 2016Projeto para Formação continuada na escola 2016
Projeto para Formação continuada na escola 2016
 
Projeto de apoio a leitura
Projeto de apoio a leituraProjeto de apoio a leitura
Projeto de apoio a leitura
 
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docxPrograma-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
Programa-de-Acao-PEI 2022_MARIA EUGENIA_atualizado.docx
 
Proposta Pedagogica 2013
Proposta Pedagogica 2013Proposta Pedagogica 2013
Proposta Pedagogica 2013
 
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
5ºATPC de Linguagens - Planejando as Aulas.pptx
 
Plano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógicaPlano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógica
 
Orientações Suporte pedagógico
Orientações Suporte pedagógicoOrientações Suporte pedagógico
Orientações Suporte pedagógico
 
83539926 proposta-coordenacao
83539926 proposta-coordenacao83539926 proposta-coordenacao
83539926 proposta-coordenacao
 
PPT_Orientação da diversificada 01.ppt
PPT_Orientação da diversificada 01.pptPPT_Orientação da diversificada 01.ppt
PPT_Orientação da diversificada 01.ppt
 
64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)
64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)
64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)
 
64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)
64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)
64470 olimpio camargo prof 2014630 (1)
 
Metodologias do Ensino Superior.pdf
Metodologias do Ensino Superior.pdfMetodologias do Ensino Superior.pdf
Metodologias do Ensino Superior.pdf
 

Mais de Maria Cecilia Silva

Mais de Maria Cecilia Silva (20)

Oficina contação de histórias virtuais itumbiara
Oficina contação de histórias virtuais itumbiaraOficina contação de histórias virtuais itumbiara
Oficina contação de histórias virtuais itumbiara
 
Ler e contar histórias: reverberações do mestrado
Ler e contar histórias: reverberações do mestradoLer e contar histórias: reverberações do mestrado
Ler e contar histórias: reverberações do mestrado
 
Ensino remoto: desafios e possibilidades
Ensino remoto: desafios e possibilidadesEnsino remoto: desafios e possibilidades
Ensino remoto: desafios e possibilidades
 
Aula palestra sobre ler e contar - Centro universitário Uni cathedral
Aula palestra sobre ler e contar - Centro universitário Uni cathedralAula palestra sobre ler e contar - Centro universitário Uni cathedral
Aula palestra sobre ler e contar - Centro universitário Uni cathedral
 
Mulheres escritoras: cenário digital e a contação de histórias
Mulheres escritoras: cenário digital e a contação de históriasMulheres escritoras: cenário digital e a contação de histórias
Mulheres escritoras: cenário digital e a contação de histórias
 
Projeto de extensão Unidos pela histórias: poster Conpeex 2021
Projeto de extensão Unidos pela histórias: poster Conpeex 2021Projeto de extensão Unidos pela histórias: poster Conpeex 2021
Projeto de extensão Unidos pela histórias: poster Conpeex 2021
 
Comunidade de prática a/r/tográfica: era uma vez um grupo de estudos que se u...
Comunidade de prática a/r/tográfica: era uma vez um grupo de estudos que se u...Comunidade de prática a/r/tográfica: era uma vez um grupo de estudos que se u...
Comunidade de prática a/r/tográfica: era uma vez um grupo de estudos que se u...
 
A contação de histórias na cena
A contação de histórias na cenaA contação de histórias na cena
A contação de histórias na cena
 
Circuito de saberes sobre o ensino remoto - Relato de Experiência
Circuito de saberes sobre o ensino remoto - Relato de ExperiênciaCircuito de saberes sobre o ensino remoto - Relato de Experiência
Circuito de saberes sobre o ensino remoto - Relato de Experiência
 
Estado da arte da pesquisa
Estado da arte da pesquisaEstado da arte da pesquisa
Estado da arte da pesquisa
 
Autobiografia: proposta de produção textual
Autobiografia: proposta de produção textualAutobiografia: proposta de produção textual
Autobiografia: proposta de produção textual
 
A ARTE DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS NO FOCO DA CENA: DISCUSSÃO INICIAL SOBRE UMA ...
A ARTE DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS NO FOCO DA CENA: DISCUSSÃO INICIAL SOBRE UMA ...A ARTE DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS NO FOCO DA CENA: DISCUSSÃO INICIAL SOBRE UMA ...
A ARTE DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS NO FOCO DA CENA: DISCUSSÃO INICIAL SOBRE UMA ...
 
Congresso Internacional de Literatura Infantil e Juvenil - CelliJ
Congresso Internacional de Literatura Infantil e Juvenil - CelliJCongresso Internacional de Literatura Infantil e Juvenil - CelliJ
Congresso Internacional de Literatura Infantil e Juvenil - CelliJ
 
Arte e educação na cena: Repercussões de um projeto didático
Arte e educação na cena: Repercussões de um projeto didáticoArte e educação na cena: Repercussões de um projeto didático
Arte e educação na cena: Repercussões de um projeto didático
 
Comunicação oral no II Seminar - Arte de contar histórias no foco da cena
Comunicação oral no II Seminar - Arte de contar histórias no foco da cenaComunicação oral no II Seminar - Arte de contar histórias no foco da cena
Comunicação oral no II Seminar - Arte de contar histórias no foco da cena
 
Seminarios integrados de pesquisa - Aproximações investigativas de duas pesq...
Seminarios integrados de pesquisa  - Aproximações investigativas de duas pesq...Seminarios integrados de pesquisa  - Aproximações investigativas de duas pesq...
Seminarios integrados de pesquisa - Aproximações investigativas de duas pesq...
 
Seminario performances em Arte Educação
Seminario performances em Arte EducaçãoSeminario performances em Arte Educação
Seminario performances em Arte Educação
 
Seminarios integrados de_pesquisa: entrelugares em arteducação
Seminarios integrados de_pesquisa: entrelugares em arteducaçãoSeminarios integrados de_pesquisa: entrelugares em arteducação
Seminarios integrados de_pesquisa: entrelugares em arteducação
 
Metodologia de pesquisa em Arte: entrelugares, saberes-fazeres
Metodologia de pesquisa em Arte: entrelugares, saberes-fazeresMetodologia de pesquisa em Arte: entrelugares, saberes-fazeres
Metodologia de pesquisa em Arte: entrelugares, saberes-fazeres
 
Oficina Recursos para contação de histórias online
Oficina Recursos para contação de histórias onlineOficina Recursos para contação de histórias online
Oficina Recursos para contação de histórias online
 

Último

atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
profbrunogeo95
 

Último (20)

atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 

Projeto didáticas e práticas de ensino

  • 1. Luziânia, Novembro de 2016. Maria Cecília Silva de Amorim Coordenadora Pedagógica
  • 2. Como professor, sou um ‘aventureiro’ responsável, predisposto à mudança, à aceitação do diferente. Nada do que experimentei em minha atividade docente deve necessariamente repetir-se (...) me experimento enquanto ser cultural, histórico, inacabado e inconsciente do inacabamento. Paulo Freire
  • 3.  A Secretaria Municipal de Educação de Luziânia com vistas a garantir a formação continuada no exercício da docência na Rede Municipal de Educação, apresenta pelo quarto ano proposta de formação continuada. Para 2017, vincula-se às didáticas e práticas de ensino pautadas numa visão de escola como espaço de formação.
  • 4.  Assim, pretende “ alcançar níveis mais elevados na educação formal ou aprofundar como continuidade dos conhecimentos que os professores já possuem.” (PRADA, 1997, p. 88 -9), favorecendo a abordagem de subtemas sugeridos pelas Unidades Escolares a partir de consulta pública realizada no site da Secretaria Municipal de Educação, baseado num modelo de formação contínua, colaborativa e autônoma, trabalhando mais diretamente com os supervisores, auxiliando-os a lidar e gerir situações problema no “chão da escola”.
  • 5.  Coordenadores pedagógicos, supervisores escolares, diretores escolares, professores do 1º ao 5º ano.  Coordenadores pedagógicos: Tutores  Supervisores Escolares: Formadores nas Unidades Escolares.
  • 6.  Janeiro a novembro de 2017.  Duração de 30 encontros presenciais e complementação em EAD.  Unidades Escolares.
  • 7.  Fomentar e garantir a formação continuada dos profissionais da educação na Rede Municipal de Ensino do 1º ao 5º ano , a partir da reflexão-ação sobre o fazer docente subsidiado pela didática e a prática de ensino, considerando novas tendências no campo educacional.
  • 8.  Proporcionar momentos de formação continuada, planejamento e registro na escola, junto aos professores de 1º ao 5º ano do ensino fundamental, sendo às quartas-feiras, no momento de coordenação pedagógica;  Realizar planejamento, com apoio de coordenadores pedagógicos, junto aos supervisores escolares de acordo com calendário previamente definido;  Elaborar e utilizar “Plano de Formação” para direcionar a abordagem teórico-metodológica dos encontros, considerando temática, objetivos, metodologia, cronograma e referencial teórico;  Discutir temas da didática e prática de ensino, voltados à qualidade da educação sob a abordagem ação-reflexão-ação;
  • 9.  Propor oficinas pedagógicas que atendam aos anseios da equipe docente, fortalecendo as boas práticas de ensino;  Fortalecer, por meio da discussão dos temas, o papel do supervisor escolar como principal responsável pela formação da equipe docente;  Fazer registros utilizando instrumentos de controle de participação e aplicação do tema em sala de aula, sendo planejamento, relato de experiência e portfólio da escola;  Utilizar a plataforma moodle para realização de atividades em EAD – Educação à Distância, mensalmente, sob tutoria.
  • 10.  A aplicabilidade da Formação Continuada é de fundamental importância na vida do educador devido à necessidade de um aprimoramento diário em relação aos conteúdos específicos e cotidianos que levam a aprendizagem tanto do educador quanto do aluno. Essa troca de informações entre os professores é de suma importância para o enriquecimento da prática cultural e pedagógica. Através da Plataforma o professor busca aprimorar seus conhecimentos com a troca de ideias, discussões e experiências, colocando em prática na vida acadêmica, promovendo uma aprendizagem significativa aos educandos. A Plataforma também fortalece a perspectiva de uma constante formação continuada de forma significativa para uma atuação profissional inovadora e transformadora na vida dos educandos.  Escola Municipal Ramiro Aguiar.
  • 11.  A dinâmica das formações da escola, em relação a teoria e prática, na nossa visão não atendeu às necessidades de aprofundamento dos docentes de hoje, pois os mesmos necessitam de uma tempo maior para aprofundamento teórico e de formações em formato de oficina que facilitariam a aplicabilidade.  Escola Municipal Laudimiro Roriz.
  • 12.
  • 13.  Nas quartas-feiras, no momento de coordenação pedagógica, a formação ocorrerá de acordo com as etapas descritas abaixo:  Planejamento: Será realizado uma vez ao mês, com o tutor designado e supervisores pedagógicos para que o tema possa ser ministrado por eles ou seus parceiros na escola;  Apresentação do tema: Momento voltado aos cursistas, realizado na escola, ministrado pelo supervisor ou parceiro previamente destacado;  Planejamento e registro de relato de experiência: Momentos utilizados pelos cursistas para preparar aplicação prática na sala de aula e realizar seu registro;  EAD – Educação à distância: Registro em plataforma moodle, mensalmente, de acordo com os temas do arcabouço teórico da Didática.
  • 14. Diário de formação/ Portfólio Instrumentos de controle de participação dos cursistas organizados pelos supervisores, sob orientação dos tutores. O portfólio deverá constar o plano de formação , planejamentos individuais e relatos de experiência dos cursistas por tema trabalhado utilizando formulário próprio. Registro do relato de experiência/cursistas Descrição da aplicação da aula ou atividade proposta a partir do tema da formação. Planejamento individual/ supervisor-cursistas Aplicação a partir do tema apresentado na formação, direcionado ao aluno. Plano de formação/ tutor- supervisores Elaborado de acordo com os temas escolhidos pela escola.
  • 15.  Os subtemas abaixo serão trabalhados em janeiro e fevereiro de forma coletiva com os supervisores, em seguida ministrados na escola. Planejamento coletivo (tutor-supervisor), apresentação na escola (supervisor-cursistas), planejamento individual(cursistas- alunos), registro do relato de experiência(cursistas), EAD (cursistas).  O papel da didática na formação do educador.  Planejamento e organização do trabalho Pedagógico.
  • 16.  Oficina de estrutura e elaboração de Sequências Didáticas.  Oficina de incentivo à leitura e ao letramento.  Oficina de produção e revisão textual com a utilização da gramática aplicada ao texto.  Prática de ensino com base na realidade e o ideal de escola.  Oficina de Projetos Didáticos com foco na resolução de problemas.  Indisciplina na sala de aula.  Educação especial e escola inclusiva.  Competências socioemocionais.  Oficina de teatro, elaboração de recursos para contação de histórias.  Oficina de jogos didáticos pedagógicos.  Oficina de leitura e escrita.
  • 17.  Coordenadores pedagógicos: 120 horas referentes a pesquisa e acompanhamento dos supervisores.  Cursistas: 113 horas referentes a parte presencial e EAD.  Supervisores: 150 horas referentes a planejamento, apresentação de temas, organização de registros e EAD.  Certificação a partir de 75% de aproveitamento anual.
  • 18. DATA SUGERIDA MÊS Descrição das atividades Formação na escola junto ao corpo docente JAN O planejamento em janeiro e fevereiro deverá ser coletivo. Sendo os demais, agendados com o tutor. As atividades serão divididas em : Planejamento coletivo, apresentação do tema, planejamento individual, relato de experiência. Para EAD não há data específica, devendo ocorrer durante o curso de acordo com agendamento. 18 e 25 FEV 01,08,15,22 MAR 15, 22, 29 ABRIL 12, 19, 26 MAIO 10,17, 24 JUN 07,14,21 AGO 09, 16, 23 SET 06, 13, 20 OUT 04, 18,25 NOV 01, 08, 29
  • 19.  A formação continuada, direito dos professores garantido pela LDBN 9394/96, traz à tona a importância de aprofundamento em didáticas e práticas de ensino em 2017, procurando atender às diversas realidades contidas na Rede de Ensino fortalecendo a autonomia escolar e o papel do Supervisor Escolar como principal formador da equipe docente.  A carga horária deverá ser um ponto de fortalecimento do planejamento dos professores, sendo esta voltada para a realização de práticas na sala de aula, visando garantir a aplicação dos temas estudados coletivamente junto aos alunos.  O tema central irá dar abertura para a elaboração de planos de formação, contextualizados com as características da escola, fomentando a melhoria da prática docente a partir da escolha de subtemas, oriundos da consulta pública anteriormente realizada na Rede de Ensino.  O monitoramento dos resultados dar-se-á pelo registro do plano de formação, registro da aplicabilidade dos temas na sala de aula e também via plataforma EAD.  Esse modelo de formação pretende oportunizar o desenvolvimento da autonomia escolar com suporte e acompanhamento voltados à realidade sócio cultural e a preservação da identidade da comunidade escolar. Espera- se que seja um trabalho que possa atender principalmente aos alunos, que poderão se beneficiar com a melhoria da qualidade da educação e a complementação dos procedimentos de ensino propostos pelos professores.
  • 20.  ALMEIDA, Isabel. Formação contínua de professores. Boletim 13. Salto para o Futuro, 2015. Disponível em http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:LdUGQV7n7_4J:cdnbi.tv escola.org.br/resources/VMSResources/contents/document/publicationsSeries/15 0934FormacaoCProf.pdf+&cd=3&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br. Acesso em 07/11/2016.  FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996. 21ª ed.  IMBERNÓN. Francisco. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 4.ed. São Paulo: Cortez, 2004.  _________________. Formação permanente do professorado: novas tendências. São Paulo : Cortez, 2015.  NÓVOA, António. (org.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.  ROCHA, Issana Nascimento. “O Plano Nacional de Educação e a formação de professores.” In GOMES, Ana Valeska, BRITTO,Tatiana Feitosa de (Orgs). Plano Nacional de Educação: construção e perspectivas. Brasília: Câmara dos Deputados, 2015.  VEIGA, Ilma Passos de Alencastro (Coor.). Repensando a Didática. Campinas, SP: Papirus, 2014 .21.ed rev. e atual.