Dossier Prod B B

200 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
200
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dossier Prod B B

  1. 1. UNIVERSIDADE DE TRÁS OS MONTES E ALTO DOURO COMUNICAÇÃO E MULTIMÉDIADOSSIER DE PRODUÇÃO BASIC BLACK PROPER ETHIC Maria Miguel Carvalho nº 39005 Sandrina Borges Machado nº 39389 UC: Produção Audiovisual
  2. 2. Nome da banda:Basic BlackTítulo:Proper EthicPúblico-alvo:Jovens dos 16 aos 25 anosTítulo:Proper EthicIntervenientes/Personagens:Basic BlackAmbientes/LocaisVila Pouca de AguiarEquipamentos necessários:Câmara, tripé, reflector, laboratório, projector.História da bandaA banda Basic Black foi formada em 2007, em Vila Pouca de Aguiar. Éconstituída por Filipe Mourão, Francisco Violante, Tiago Fernandes eTiago Mourão. O tema “proper ethic” faz parte do seu novo álbum,num género rock. A banda vê na música um refúgio onde expressa osseus sentimentos, e procura transmiti-los ao público.
  3. 3. IDEIA/CONCEITOA banda Basic Black está em ascensão para o sucesso. A banda querpopularizar-se cada vez mais a banda através da realização de umvideoclip, que procure chamar a atenção do seu público-alvo. Sendo ogénero rock, é importante que o videoclip contenha cenas commovimento e que conte a história do tema. Para a realização donosso projecto, queremos interagir com o público, criando para oefeito um blog http://projectobasicblack.blogspot.com/ em que serápublicado várias perspectivas das filmagens do vídeo que irá permitirao público “criar” um videoclip ao seu gosto. Pretendemos tambémusar no início do videoclip uma animação, visto que a narrativa contaa história de uma cena irreal que envolve a personagem principal.Posteriormente, haverá uma “passagem” do irreal para o real.Queremos usar várias escalas de planos, essencialmente plano fixo,plano sequência, plano pormenor, plano geral, grande plano e planoamericano. Pretendemos usar os ângulos normais, picados e contra-picados. Relativamente aos movimentos da câmara, vamos utilizar osmovimentos panorâmicos e o ponto de vista normal.
  4. 4. PESQUISASDividimos as nossas pesquisas em duas fundamentais partes:pesquisa de videoclips e pesquisa de locais para possíveis momentosde rodagem.A nível de pesquisa musical, tivemos como principal selecçãoArcaidFire, Chris Cunnigham, Red Hot Chili Peppers e Michel Gondry.Como pesquisa de locais, visitamos o Parque Corgo, Jardim daCarreira e Parque Florestal, estes três situados em Vila Real.Em Amarante, Costa Grande e Parque Florestal.Em Vila Pouca de Aguiar, vimos o parque Florestal e o jardim dasPedras Salgadas.
  5. 5. SINOPSEFilipe, está a viver um momento de ruptura do seu namoro. Numamor não correspondido, este tenta de tudo para tentar recuperar.Filipe está em agonia e não sabe mais o que fazer. Ele sente-se comoum super-herói sem poder, disposto a dar uma última chance ao seuamor que acredita que ainda pode resultar.
  6. 6. GUIÃOANIMAÇÃORelógio com o tempo a passar lentamente.ANIMAÇÃOPlano Geral com panorâmica vertical do topo dos prédios até à rua.(ANIMAÇÃO) EXTERIOR – RUA – DIAPersonagem a deambular na rua sozinho e triste(ANIMAÇÃO) EXTERIOR – RUA – DIAVê-se a personagem a levantar voo para o céu.(ANIMAÇAO) EXTERIOR – RUA – DIAVista das nuvens. Ao fazer o movimento de câmara panorâmico navertical, a imagem passa gradualmente da animação para o real.INTERIOR – ESTÚDIO – DIAEm conjunto com a cena anterior, vê-se os elementos da banda emcontra-luz.EXTERIOR – JARDIM PEDRAS SALGADAS – DIAVê-se todos os elementos da banda a tocar.EXTERIOR - JARDIM PEDRAS SALGADAS – DIAJoelho direito da personagem a cair num charco de água e as gotas asalpicar.EXTERIOR – JARDIM PEDRAS SALGADAS – DIAJoelho esquerdo a cair num charco de água e as gotas a salpicar.
  7. 7. EXTERIOR – JARDIM PEDRAS SALGADAS – DIAMão direita a cair no chão.EXTERIOR – JARDIM PEDRAS SALGADAS – DIAPormenor da mão a cair no chãoEXTERIOR – JARDIM PEDRAS SALGADAS – DIAMão esquerda a cair no chão.EXTERIOR – JARDIM PEDRAS SALGADAS – DIAEm primeiro plano encontra-se o rapaz e a rapariga num momento degrande cumplicidade e carinho. Em segundo plano está a banda atocar. Os dois planos serão gravados separadamente eposteriormente será feita uma sobreposição de vídeo.EXTERIOR – JARDIM PEDRAS SALGADAS – DIAEm primeiro plano a rapariga afasta-se do rapaz. Em segundo planoestá a banda a tocar.EXTERIOR – JARDIM PEDRAS SALGADAS – DIABoca a gritarEXTERIOR – JARDIM PEDRAS SALGADAS – DIAVê-se a rapariga de costas num plano médio.EXTERIOR – JARDIM PEDRAS SALGADAS – DIAVê-se a rapariga de costas num plano médio, vê-se a mão do rapaz atocar no ombro da rapariga.EXTERIOR – JARDIM PEDRAS SALGADAS – DIAVê-se duas mãos em lados opostos que se tentam aproximar. Masque acabam por se afastar. Esta cena será feita em stop motion.
  8. 8. EXTERIOR – JARDIM PEDRAS SALGADAS – DIAEm primeiro plano encontra-se o vocalista a cantar e em 2º plano, abanda está a tocar. Será feita posteriormente uma sobreposição devídeos.EXTERIOR – JARDIM PEDRAS SALGADAS – DIAPersonagem fica de pé imóvel, com ar desesperado.
  9. 9. STORYBOARD
  10. 10. AUTORIZAÇÕESAinda não foi possível obter autorização assinada por parte de todosos elementos da banda.
  11. 11. ORÇAMENTOSCusto da chamada para reunião com todosos elementos dos Basic Black ………………………………………..……€ 2,37Custo de deslocação de instrumentos ………………………..………€ 25,00Deslocação aos locais para rodagem …………………………..…….€ 80,00Despesas de alojamento …………………………………………..….……. €45,00Refeições ………………………………………………………………………………. €30,00Total………………………………………………………………………………………..€182.37
  12. 12. REPÉRAGES

×