Via Sacra Campanha da Fraternidade 2010

8.484 visualizações

Publicada em

Campanha da Fraternidade 2010

Publicada em: Espiritual
2 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • olá...adorei essa apresentação...teria como enviá-la para eu poder trabalhar com meus alunos?
    o e-mail é: itjpdb.pastoral@dombosco.net
    muito obrigado!
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Parabens muito lindo.....
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.484
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
51
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
120
Comentários
2
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Via Sacra Campanha da Fraternidade 2010

  1. 1. VIA SACRA<br />
  2. 2. SAUDAÇÃO<br /><ul><li>Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. </li></ul>- Amém!<br />
  3. 3. - Nesta Via-Sacra, queremos, com Jesus, percorrer o caminho do Calvário. Hoje, Ele caminha em tantos "Calvários" de nossa sociedade. Iluminados pela Palavra de Deus e pelo texto<br />
  4. 4. base da CFE deste ano meditaremos os últimos passos de Jesus até sua morte. Que a graça de Deus nos acompanhe durante toda esta Quaresma no caminho da vida e da ressurreição.<br />
  5. 5. CANTO DE ENTRADA<br />Jesus Cristo anunciava por primeiro um novo Reino de justiça e seus valores: <br />“Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro e muito menos agradar a dois senhores.<br />
  6. 6. 1. Voz de um profeta contra o ídolo e a cobiça: “Endireitai hoje os caminhos do Senhor!”<br />Produzi frutos de partilha e de<br />justiça! Chegou o Reino: Convertei-vos ao amor!<br />
  7. 7. Jesus Cristo anunciava por primeiro um novo Reino de justiça e seus valores: <br />“Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro e muito menos agradar a dois senhores.<br />
  8. 8. 2. Não é a riqueza nem o lucro sem medida que geram paz e laços de fraternidade; Mas todo o gesto de partilha em nossa<br />vida que faz a fé se transformar em caridade.<br />
  9. 9. Jesus Cristo anunciava por primeiro um novo Reino de justiça e seus valores: <br />“Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro e muito menos agradar a dois senhores.<br />
  10. 10. 3. No Evangelho encontrareis a luz divina, não no supérfluo, na ganância e na ambição. <br />Ide e vivei a Boa Nova que ilumina e a palavra da fraterna comunhão.<br />
  11. 11. Jesus Cristo anunciava por primeiro um novo Reino de justiça e seus valores: <br />“Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro e muito menos agradar a dois senhores.<br />
  12. 12. 1ª Estação <br />Jesus é condenado a morte<br />
  13. 13. Dirigente: Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. <br />- Porque, pela vossa santa cruz, remiste o mundo.<br />
  14. 14. Leitor(a) 1- "Pilatos perguntou: 'Que farei com Jesus, que é chamado o Cristo? Todos gritaram: 'Seja crucificado'. Pilatos falou: 'Mas que mal ele fez?'. Eles porém, gritaram com mais força: 'Seja crucificado'.<br />
  15. 15. Pilatos viu que nada conseguia e que poderia haver uma revolta. Então mandou trazer água, lavou as mãos diante da multidão, e disse: 'Eu não sou responsável pelo sangue deste homem! <br />
  16. 16. A responsabilidade é vossa!'. O povo todo respondeu: 'Que o sangue dele recaia sobre nós e sobre nossos filhos'. Então Pilatos soltou Barrabás, mandou açoitar Jesus e entregou-o para ser crucificado"<br />
  17. 17. (Silêncio) <br />
  18. 18. Leitor(a) 2- Hoje, Jesus continua sendo condenado na pessoa de todos os excluídos e margina-lizados. O desafio da Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano é tentarmos responder as perguntas:<br />
  19. 19. "Em que medida o sistema econômico afeta a vida dos filhos e filhas de Deus e do seu meio ambiente vital?"; "Como vivemos nossa fé no contexto de miséria e de fome, de falta de<br />
  20. 20. saúde e moradia, de precariedade no trabalho e insegurança de um grande número de pessoas que convivem conosco no Brasil?“ <br />
  21. 21. (Silêncio) <br />
  22. 22. Dirigente: Ó Deus, nossa Justiça, tende piedade de nós e vinde em socorro de todos os vossos filhos e filhas que têm seus direitos humanos violados. Ajudai-nos a promover a vida e a justiça para todos. <br />
  23. 23. Pedimos isto, pelos méritos da paixão e morte de Jesus, vosso Filho amado, Cristo nosso Senhor. <br />- Amém. <br />
  24. 24. CANTO<br />A morrer crucificado,<br />Teu Jesus é condenado, <br />Por teus crimes, pecador (bis).<br />Ó Senhor, Caminho e Vida<br />O Brasil pede perdão,<br />Pelas mortes e agressões (bis).<br />
  25. 25. 2ª Estação <br />Jesus carrega a cruz<br />
  26. 26. Dirigente: Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. <br />- Porque, pela vossa santa cruz, remiste o mundo.<br />
  27. 27. Leitor(a) 1- “Pilatos, então, lhes entregou Jesus para ser crucificado. Eles tomaram conta de Jesus. Carregando a sua cruz, ele saiu para o lugar chamado Calvário (em hebraico: Gólgota). <br />
  28. 28. Lá, eles o crucificaram com outros dois, um de cada lado, ficando Jesus no meio”<br />
  29. 29. (Silêncio) <br />
  30. 30. Leitor(a) 2- As comunidades cristãs não existem para si mesmas, mas são chamadas a servir. Nesse serviço não cabem competições por poder, mas devem se destacar os testemunhos de solidariedade. <br />
  31. 31. As Igrejas estão a serviço dessa missão, quando cooperando com as iniciativas renovadoras da sociedade, estimulam as experiências de economia solidária. Hoje, estar ao lado dos pequenos, como pediu<br />
  32. 32. Jesus, não e somente dar esmola ou distribuir comida, mas criar consciência dos direitos e incluir na cidadania, valorizar o trabalho, inventar novas formas de trabalho produtivo, integrar todas as<br />
  33. 33. pessoas em necessidade.<br />
  34. 34. (Silêncio) <br />
  35. 35. Dirigente: Ó Deus, defesa dos pequenos, vos pedimos por todos aqueles que sofrem as causas da idolatria pelo dinheiro. Cuidai desses nossos irmãos e irmãs, pequenos e frágeis. <br />
  36. 36. Dai a nós a solidariedade necessária para auxiliar estes vossos filhos e filhas. Pedimos isso, pelos méritos da paixão e morte de Jesus, vosso Filho, nosso Senhor. Amém. <br />
  37. 37. CANTO<br />Com a cruz é carregado<br />Vai sofrendo resignado.<br />Vai morrer por teu amor (bis).<br />Ó Senhor, Caminho e Vida<br />O Brasil pede perdão,<br />Pelas mortes e agressões (bis).<br />
  38. 38. 3ª Estação <br />Jesus cai pela<br />primeira vez<br />
  39. 39. Dirigente: Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. <br />- Porque, pela vossa santa cruz, remiste o mundo.<br />
  40. 40. Leitor(a) 1- “Vejam! Tão desfigurado estava que já não parecia mais gente, tinha perdido toda a sua aparência humana. As nações numerosas levaram um susto. Diante deles os reis vão fechar a boca”<br />
  41. 41. (Silêncio) <br />
  42. 42. Leitor(a) 2- Uma sociedade que se fundamenta apenas em critérios econômicos acaba por se tomar uma sociedade de privilégios, garantidos pelo poder aquisitivo. <br />
  43. 43. Assim, todos têm direito a saúde, porem alguns têm direitos a clínicas especiais e hospitais de primeiro mundo, enquanto outros não tem nada por causa da precariedade da saúde pública. <br />
  44. 44. (Silêncio) <br />
  45. 45. Dirigente: Ó Deus, promessa de paz, escutai a prece do vosso povo e o lamento da nossa oração. Sede atento aos gritos dos jovens e das crianças que morrem por falta de assistência. Fazei novas todas as coisas e<br />
  46. 46. que o mal presente no mundo seja vencido. Pedimos isso, pelos méritos da paixão e morte de Jesus, vosso Filho, nosso Senhor. Amém. <br />
  47. 47. CANTO<br />Sob o peso desmedido,<br />Cai Jesus desfalecido,<br />Pela tua salvação (bis).<br />Ó Senhor, Caminho e Vida<br />O Brasil pede perdão,<br />Pelas mortes e agressões (bis).<br />
  48. 48. 4ª Estação <br />Jesus se encontra com sua mãe<br />
  49. 49. Dirigente: Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. <br />- Porque, pela vossa santa cruz, remiste o mundo.<br />
  50. 50. Leitor(a) 1- “Simeão disse a Maria, mãe de Jesus: ‘Este menino vai ser causa de queda e elevação de muitos em Israel. Ele será um sinal de com-tradição. Quanto a você, uma espada há de atravessar-lhe a<br />
  51. 51. alma. Assim serão revelados os pensamentos de muitos cora-ções”<br />
  52. 52. (Silêncio) <br />
  53. 53. Leitor(a) 2- Maria Santíssima chorou a dor de seu Filho. Hoje, mães choram a morte de seus filhos que viraram mercadoria para os traficantes de drogas. Nós não somos mercadoria e nossa vida não tem preço e não<br />
  54. 54. depende dos bens que possuímos. "Não é pelo fato de um homem ser rico que ele tem a vida garantida pelos seus bens". <br />
  55. 55. (Silêncio) <br />
  56. 56. Dirigente: Ó Deus dos aflitos, ouvi o grito e o lamento de todas as mães, que procuram dar a seus filhos condições de uma vida digna. Transformai essas lágrimas em vida e dai-nos a graça de lutar por novo<br />
  57. 57. céu e por nova terra. Pedimos isso, pelos méritos da paixão e morte de Jesus, vosso Filho, nosso Senhor.<br />Amém. <br />
  58. 58. CANTO<br />Vê a dor da Mãe amada,<br />Que se encontra desolada,<br />Com seu Filho em aflição. (bis)<br />Ó Senhor, Caminho e Vida<br />O Brasil pede perdão,<br />Pelas mortes e agressões. (bis)<br />
  59. 59. 5ª Estação<br />Simão Cirineu ajuda Jesus a carregar a cruz<br />
  60. 60. Dirigente: Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. <br />- Porque, pela vossa santa cruz, remiste o mundo.<br />
  61. 61. Leitor(a) 1- “Enquanto levaram Jesus para ser crucificado, pe-garam certo Simão, da cidade de Cirene, que voltava do cam-po, e o forçaram a carregar a cruz atrás de Jesus. Uma gran-de multidão do povo o seguia”<br />
  62. 62. (Silêncio) <br />
  63. 63. Leitor(a) 2- Para ser irmão, é preciso comprometer-se com o irmão. O que se conforma com um sistema econômico que marginaliza e gera desemprego, não esta sendo de fato irmão. <br />
  64. 64. De modo irônico, o povo as vezes comenta essa tal incoerência através da expressão "amigos, amigos, negócios a parte". Para a fraternidade cristã, entretanto, os "negócios", o comércio, o sistema que atinge tantos filhos<br />
  65. 65. e filhas de Deus, não pode ser algo "a parte", independente de nossas opções de fé. Nossa fraternidade tem que incluir tudo que atinge a família humana. Em nossa comunidade, quem são os Cireneus?<br />
  66. 66. (Silêncio) <br />
  67. 67. Dirigente: Ó Deus de ternura e compaixão, vosso Filho Jesus assumiu o caminho do calvário carregando a cruz. Fazei com que, no meio das aflições deste mundo, nos entreguemos mais profundamente ao trabalho<br />
  68. 68. solidário junto aos irmãos e irmãs desanimados pelo peso dos sofrimentos. Pedimos isso, pelos méritos da paixão e morte de Jesus, vosso Filho, nosso Senhor. Amém. <br />
  69. 69. CANTO<br />No caminho do calvário,<br />Um auxilio necessário,<br />Não lhe nega Cireneu (bis).<br />Ó Senhor, Caminho e Vida<br />O Brasil pede perdão,<br />Pelas mortes e agressões (bis).<br />
  70. 70. 6ª Estação<br />Verônica enxuga o rosto de Jesus<br />
  71. 71. Dirigente: Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. <br />- Porque, pela vossa santa cruz, remiste o mundo.<br />
  72. 72. Leitor(a) 1- “Ele não tinha aparência nem beleza para atrair o nosso olhar, nem simpatia para que pudéssemos apreciá-lo. Desprezado e rejeitado pelos homens, homem do sofrimento e experimentado na dor, como<br />
  73. 73. Indivíduo de quem a gente esconde o rosto”<br />
  74. 74. (Silêncio) <br />
  75. 75. Leitor(a) 2- Em nossa sociedade, tanto a vida humana como o meio ambiente, onde se desenvolvem os seres vivos, sofrem ameaças diretas e indiretas. O modo de organização da sociedade, na<br />
  76. 76. "economia e na política, nas leis e nos governos, afeta direta-mente a dignidade humana e a capacidade dos indivíduos de se aperfeiçoarem em família e na sociedade. Cada pessoa tem o direito fundamental à vida e, <br />
  77. 77. portanto, o direito a todos os elementos necessários para uma vida de qualidade. As pessoas têm direito de viver e de satisfazer suas necessidades básicas. Essas consistem não apenas em alimentação, <br />
  78. 78. vestuário e moradia, mas também em trabalho, educação, saúde, segurança, lazer, garantias econômicas e a possibilidade de desenvolvi-mento de todas as capacidades de que é dotada uma pessoa, <br />
  79. 79. conforme assegurado pelo artigo 6º de nossa Constituição Federal. <br />
  80. 80. (Silêncio) <br />
  81. 81. Dirigente: Ó Deus, fonte de vida, dirigi nosso olhar de ternura a todos os rostos desfigurados que estão entre nós. Livrai-nos do preconceito e da discrimi-nação e ajudai-nos a transfigu-rar, em vida plena, as pessoas<br />
  82. 82. atingidas pelo sofrimento. Pedimos isso, pelos méritos da paixão e morte de Jesus, vosso Filho, nosso Senhor. Amém. <br />
  83. 83. CANTO<br />Eis o rosto ensanguentado,<br />Por Verônica enxugado,<br />Que no pano apareceu. (bis)<br />Ó Senhor, Caminho e Vida<br />O Brasil pede perdão,<br />Pelas mortes e agressões. (bis)<br />
  84. 84. 7ª Estação<br />Jesus cai pela segunda vez<br />
  85. 85. Dirigente: Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. <br />- Porque, pela vossa santa cruz, remiste o mundo.<br />
  86. 86. Leitor(a) 1- “Era o mais desprezado e abandonado de todos, homem do sofrimento, experimentado na dor, indivíduo de quem a gente desvia o olhar, repelente, dele nem tomamos conhecimento”<br />
  87. 87. (Silêncio) <br />
  88. 88. Leitor(a) 2- A economia existe para a pessoa e para o bem comum da sociedade, não a pessoa para a economia. Tem havido uma inversão de valores. A economia é simplesmente um instrumento que deve estar a<br />
  89. 89. serviço das pessoas e não o contrário. O lema desta Campanha, a afirmação de Jesus registrada no Evangelho segundo Mateus: "Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro”, nos propõe uma<br />
  90. 90. escolha entre os valores do plano de Deus e a rendição diante do dinheiro, visto como valor absoluto dirigindo a vida. O problema não é dinheiro em si, mas o uso que dele se faz. <br />
  91. 91. E útil como instrumento destinado ao serviço e intercâmbio de bens de uso. Mas não pode ser o supremo comandante dos nossos atos, o critério absoluto das decisões dos indivíduos e dos governos. <br />
  92. 92. Deve ser usado para servir ao bem das pessoas, na partilha e na solidariedade. <br />
  93. 93. (Silêncio) <br />
  94. 94. Dirigente: Ó Deus, vosso Filho Jesus caiu sob o peso da cruz. Tantas são nossas recaídas, de infidelidade, injustiça, escravi-dão, consumismo e relativismo. Senhor, tende piedade de nós e ajudai­nos a sermos discípulos<br />
  95. 95. missionários, carregando nossa cruz. Pedimos isso, pelos méritos da paixão e morte de Jesus, vosso Filho, nosso Senhor. Amém. <br />
  96. 96. CANTO<br />Novamente desmaiado,<br />Sob a cruz que vai levando,<br />Cai por terra o Salvador.(bis)<br />Ó Senhor, Caminho e Vida<br />O Brasil pede perdão,<br />Pelas mortes e agressões. (bis)<br />
  97. 97. 8ª Estação<br />Jesus consola as mulheres de Jerusalém<br />
  98. 98. Dirigente: Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. <br />- Porque, pela vossa santa cruz, remiste o mundo.<br />
  99. 99. Leitor(a) 1- “Uma grande multidão de povo o seguia. E mulheres batiam no peito, e choravam por Jesus. Ele, porém, voltou-se, e disse: ‘Mulheres de Jerusalém, não chorem por mim! <br />
  100. 100. Chorem por vocês mesmas e por seus filhos! Porque dias virão em que se dirá: Felizes das mulheres que nunca tiveram filhos, dos ventres que nunca deram à luz e dos seios que nunca amamentaram”<br />
  101. 101. (Silêncio) <br />
  102. 102. Leitor(a) 2- Diante de tanta desigualdade que perpetua a presença de pobres e famintos, como Dom Helder Câmara perguntamo-nos todos: por que tanta desigualdade? Por que tantos indigentes?<br />
  103. 103. É aos pobres do Brasil e do mundo que se dirige, em primeiro lugar, a atenção dos cristãos e cristãs nesta Campanha ecumênica. Quere-mos estender mãos fraternas a todas as pessoas que buscam o<br />
  104. 104. necessário para viver dignamente e juntos caminhar com os quem trabalham sem ganhar o necessário, com os enfermos que não conseguem remédios e cuidados, com os moradores de rua sem­teto, os<br />
  105. 105. acampados sem terra, os desempregados e famintos. Com o coração, a palavra e a ação, igrejas cristãs, religiões e pessoas de boa-vontade se comprometem a fazer tudo quanto esteja ao seu alcance, <br />
  106. 106. para contribuir com a construção de uma sociedade mais justa e solidária.<br />
  107. 107. (Silêncio) <br />
  108. 108. Dirigente: Ó Deus, no vosso rosto contemplamos o rosto desfigurado do oprimido. Ajudai-nos a vencer os preconceitos e a discriminação e a ter compaixão de quem espera consolo e acolhida. <br />
  109. 109. Pedimos isso, pelos méritos da paixão e morte de Jesus, vosso Filho, nosso Senhor. Amém. <br />
  110. 110. CANTO<br />Das mulheres que choravam,<br />Que fiéis o acompanhavam,<br />É Jesus consolador.(bis)<br />Ó Senhor, Caminho e Vida<br />O Brasil pede perdão,<br />Pelas mortes e agressões. (bis)<br />
  111. 111. 9ª Estação<br />Jesus cai pela terceira vez<br />
  112. 112. Dirigente: Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. <br />- Porque, pela vossa santa cruz, remiste o mundo.<br />
  113. 113. Leitor(a) 1- “Eram na verdade os nossos sofrimentos que ele carregava, eram as nossas dores que levava às costas. E a gente achava que ele era um castigado, alguém por Deus ferido e massacrado”<br />
  114. 114. (Silêncio) <br />
  115. 115. Leitor(a) 2- A solidariedade quer promover uma nova cultura política para a construção de uma economia que atenda as necessidades dos cidadãos em todos os níveis e respeite as exigências de conservação da<br />
  116. 116. natureza. A ação contra a exclusão está intimamente associada ao objetivo de recriar e recompor laços sociais, laços de humanidade. É, portanto, um caminho diferente em relação a cultura do enriquecimento com<br />
  117. 117. exploração, da acumulação que provoca a carência de muitas pessoas e do consumismo egoísta e materialista que coloca em risco a vida na Terra. <br />
  118. 118. A solidariedade aumenta nossa sensibilidade à dor e à humilhação de outros seres humanos.<br />
  119. 119. (Silêncio) <br />
  120. 120. Dirigente: Ó Deus, nosso Pai, dirigi vosso olhar de compaixão e piedade para as pessoas vítimas de preconceitos e injustiças raciais. Ensinai-nos a acolher a todos. Queremos paz em nossa terra. <br />
  121. 121. Pedimos isto, pelos méritos da paixão e morte de Jesus, vosso Filho, nosso Senhor. Amém. <br />
  122. 122. CANTO<br />Cai exausto o bom Senhor,<br />Esmagado pela dor,<br />Dos pecados e da cruz.(bis)<br />Ó Senhor, Caminho e Vida<br />O Brasil pede perdão,<br />Pelas mortes e agressões. (bis)<br />
  123. 123. 10ª Estação<br />Jesus é despido de suas vestes<br />
  124. 124. Dirigente: Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. <br />- Porque, pela vossa santa cruz, remiste o mundo.<br />
  125. 125. Leitor(a) 1- “Depois que crucificaram Jesus, os soldados pegaram suas vestes e as dividiram em quatro partes, uma para cada soldado. A túnica era feita sem costura, uma peça só de cima abaixo. <br />
  126. 126. Eles combinaram: ‘Não vamos rasgar a túnica. Vamos tirar sorte para ver de quem será’. Assim cumpriu-se a Escritura: ‘Repartiram entre si as minhas vestes e tiraram a sorte sobre minha túnica”<br />
  127. 127. (Silêncio) <br />
  128. 128. Leitor(a) 2- Para meditarmos esta Estação, escutemos, na página seguinte, o poema de dom Helder Câmara: <br />
  129. 129. APELO A LÁZARO <br />Pelo amor que tenho aos ricos -a quem não devo julgar, a quem não posso julgar e que custaram o sangue de Cristo - eu te peço, Lázaro, não fiques<br />
  130. 130. nas escadas e não te deixes enxotar... Irrompe banquete adentro, vai provocar náuseas nos saciados convivas. <br />
  131. 131. Vai levar-lhes a face desfigurada de Cristo de que tanto precisam sem saber e sem crer. <br />(D. Helder Câmara: Mil Razões para Viver. RJ: Civilização Brasileira. 1979) <br />
  132. 132. (Silêncio) <br />
  133. 133. Dirigente: Ó Deus, em Jesus fostes também vós despojado de tudo. Livrai-nos da concentração dos bens nas mãos de poucos. Ajudai-nos a colocar, fraternalmente, nossos bens a serviço do povo desta<br />
  134. 134. terra. Pedimos isso, pelos méritos da paixão e morte de Jesus, vosso Filho, nosso Senhor. Amém. <br />
  135. 135. CANTO<br />Já das vestes despojado<br />As sangrentas pobres vestes,<br />Vão tirar do bom Jesus.(bis)<br />Ó Senhor, Caminho e Vida<br />O Brasil pede perdão,<br />Pelas mortes e agressões. (bis)<br />
  136. 136. 11ª Estação<br />Jesus é pregado na cruz<br />
  137. 137. Dirigente: Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. <br />- Porque, pela vossa santa cruz, remiste o mundo.<br />
  138. 138. Leitor(a) 1- “Quando chegaram ao chamado ‘lugar da caveira’, aí crucificaram Jesus e os criminosos, um à sua direita e outro à sua esquerda. Todos os conhecidos de Jesus, assim como as mulheres que o<br />
  139. 139. acompanhavam desde a Galiléia, ficaram à distância, olhando essas coisas”<br />
  140. 140. (Silêncio) <br />
  141. 141. Leitor(a) 2- Hoje, somos "pregados" pela cultura do consumismo. Vivemos em uma economia de mercado que coloca o aspecto financeiro acima de todos os demais e <br />
  142. 142. transforma tudo em mercadoria, que valoriza pessoas pelo seu padrão de consumo, que cria vícios de acúmulo do supérfluo como forma de alguém se sentir importante. Isso ameaça pobres e não pobres, sacrifica famílias, <br />
  143. 143. deforma valores e torna as pessoas vulneráveis a uma propaganda consumista insaciável.<br />
  144. 144. (Silêncio) <br />
  145. 145. Dirigente: Ó Deus Pai de bondade, olhai nossa terra. Abençoai e fortalecei todos os que trabalham pela pátria mãe que acolhe e quer vida para todos seus filhos e filhas. <br />
  146. 146. Reconciliai a humanidade e ajudai-nos a superar toda discórdia. Pedimos isso, pelos méritos da paixão e morte de Jesus, vosso Filho, nosso Senhor. Amém. <br />
  147. 147. CANTO<br />Sois por mim na cruz pregado,<br />Insultado, blasfemado,<br />Com cegueira e com furor.(bis)<br />Ó Senhor, Caminho e Vida<br />O Brasil pede perdão,<br />Pelas mortes e agressões. (bis)<br />
  148. 148. 12ª Estação<br />Jesus morre na cruz<br />
  149. 149. Dirigente: Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. <br />- Porque, pela vossa santa cruz, remiste o mundo.<br />
  150. 150. Leitor(a) 1- “Então Jesus deu um forte grito: ‘Pai em tuas mãos entrego o meu espírito’. Dizendo isso, expirou. O centurião viu o que tinha acontecido, e glorificou a Deus, dizendo: “De fato! Esse homem<br />
  151. 151. era justo! ’E todas as multidões que estavam aí, e que tinham vindo para assistir, viram o que havia acontecido e voltaram para casa, batendo no peito”<br />
  152. 152. (Silêncio) <br />
  153. 153. Leitor(a) 2- Façamos um momento de silêncio meditando sobre a máxima entrega de Jesus por nós, dando-nos sua própria vida. <br />
  154. 154. (Silêncio) <br />
  155. 155. Dirigente: Ó Deus, Jesus entregou sua vida por nós. Olhai por todos que arriscam suas vidas na defesa dos direitos humanos e se consagram, com o melhor de suas energias, a construir um mundo de paz. <br />
  156. 156. Sustentai suas lutas e renovai suas forças. Pedimos isso, pelos méritos da paixão e morte de Jesus, Filho, nosso Senhor. Amém. <br />
  157. 157. CANTO<br />Por meus crimes padecestes.<br />Meu Jesus por mim morrestes,<br />Quanta angústia, quanta dor!(bis)<br />Ó Senhor, Caminho e Vida<br />O Brasil pede perdão,<br />Pelas mortes e agressões. (bis)<br />
  158. 158. 13ª Estação<br />Jesus é descido da cruz<br />
  159. 159. Dirigente: Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. <br />- Porque, pela vossa santa cruz, remiste o mundo.<br />
  160. 160. Leitor(a) 1- Maria recebe em seus braços o Filho de Deus, descido da cruz. Lembramos a profecia de Simeão: "uma espada de dor vai transpassar o seu coração". <br />
  161. 161. (Silêncio) <br />
  162. 162. Leitor(a) 2- No Brasil, a exploração do trabalho infantil e do trabalho escravo são ainda chagas vergonhosas. A organi-zação do trabalho permanece precária. É grande o trabalho informal, inseguro, instável e<br />
  163. 163. não protegido pela lei. As lutas dos trabalhadores, homens e mulheres, e os esforços dos sindicatos tem levado ao reconhecimento de direitos que muitas vezes, porem, acabam por ser ignorados. <br />
  164. 164. A eliminação permanente de postos de trabalho, as dificuldades de acesso ao emprego e o surgimento de novos processos de exclusão social, o enfraquecimento dos sindicatos de trabalhadores e de<br />
  165. 165. suas penosas conquistas, desafiam o ideal de cidadania ligada ao trabalho. Sejamos solidários. <br />
  166. 166. (Silêncio) <br />
  167. 167. Dirigente: Deus, cremos que Jesus nos salvou entregando sua vida por nós. Cremos que muitos irmãos e irmãs passam da morte para a vida, por causa de sua opção pelo projeto do Pai que é de vida plena, vida em<br />
  168. 168. abundância. Ajudai-nos a ser instrumentos de paz! Pedimos isso, pelos méritos da paixão e morte de Jesus, vosso Filho, nosso Senhor. Amém. <br />
  169. 169. CANTO<br />Do madeiro vos tiraram<br />E à Mãe vos entregaram,<br />Com que dor e compaixão.(bis)<br />Ó Senhor, Caminho e Vida<br />O Brasil pede perdão,<br />Pelas mortes e agressões. (bis)<br />
  170. 170. 14ª Estação<br />Jesus é sepultado<br />
  171. 171. Dirigente: Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. <br />- Porque, pela vossa santa cruz, remiste o mundo.<br />
  172. 172. Leitor(a) 1- “Havia um homem bom e justo, chamado José. Ele era de Arimatéia. José foi a Pilatos, e pediu o corpo de Jesus. Desceu o corpo da cruz, enrolou-o num lençol e o colocou num túmulo escavado<br />
  173. 173. na rocha, onde ninguém ainda tinha sido colocado”<br />
  174. 174. (Silêncio) <br />
  175. 175. Leitor(a) 2- São visíveis os sinais que confirmam o consenso dos cientistas em relação ao estado do planeta Terra. A ganância e a falta de cuidado com o sistema natural, o desleixo e a exploração<br />
  176. 176. predatória dos ecossistemas e biomas ameaçam a própria produção agrícola, as condições ambientais de vida e o desenvolvimento humano. Esse uso irresponsável dos recursos do meio ambiente não somente<br />
  177. 177. ameaça a capacidade de alimentação e de vida dos atuais habitantes do Planeta, mas também põe em risco a vida das gerações futuras. <br />
  178. 178. (Silêncio) <br />
  179. 179. Dirigente: Ó Deus de compaixão, que criastes a terra para ser a casa de todos vossos filhos e filhas. Ajudai-nos a respeitar as pessoas que nele habitam. Sustentai as pessoas e grupos que lutam pela justiça e<br />
  180. 180. pela paz. Pelos méritos da paixão e morte de Jesus, vosso Filho, nosso Senhor. Amém. <br />
  181. 181. CANTO<br />No sepulcro vos puseram,<br />Mas os homens tudo esperam,<br />Do mistério da paixão.(bis)<br />Ó Senhor, Caminho e Vida<br />O Brasil pede perdão,<br />Pelas mortes e agressões. (bis)<br />
  182. 182. 15ª Estação<br />Jesus Ressuscitou<br />
  183. 183. Dirigente: Nós vos adoramos, Senhor Jesus Cristo, e vos bendizemos. <br />- Porque, pela vossa santa cruz, remiste o mundo.<br />
  184. 184. Leitor(a) 1- “Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo que cai na terra não morre, ele fica só. Mas, se morre, produz muito fruto”<br />
  185. 185. (Silêncio) <br />
  186. 186. Leitor(a) 2- Neste momento em que recordamos a ressurreição do Senhor, lembramos uma declaração do Conselho Mundial de Igrejas:<br />
  187. 187. "No contexto da globalização neoliberal, as igrejas são chamadas a assumir um compromisso explicito e público em palavras de fé e atos: assumindo um posicionamento de fé quando os poderes da<br />
  188. 188. injustiça e da destruição questionarem a própria integridade do Evangelho; professando sua fé dizendo um "NÃO!" muito claro aos poderes e principados; solidarizando-se com as pessoas sofredoras e<br />
  189. 189. com a Terra e resistindo aos poderes da injustiça e destruição; compartilhando o sofrimento e a dor das pessoas e da terra na companhia do Espírito, que esta gemendo com toda a Criação (Romanos 8, 22-23)<br />
  190. 190. Onde formos cúmplices de sistemas de dominação e injustiça, precisamos arrepender-nos. Nesse sentido o papel das igrejas face a globalização neoliberal não e exclusivamente uma questão de ministério<br />
  191. 191. profético e justiça social a serviço da vida. Na verdade, a tarefa atinge o âmago da vocação evangélica das próprias igrejas: de intermediar o chamado de Deus ao arrependimento do pecado e da<br />
  192. 192. morte e a abraçar o reino de Deus e sua justiça e vida para todos". <br />( CMI, Globalização Alternativa comprometida com a humanidade e o planeta - Um documento de base, p. 6-7, Genebra 2005). <br />
  193. 193. Dirigente: Entreguemos num momento de silêncio e prece esses compromissos ao nosso Deus, como oferta agradável aos seus olhos. <br />
  194. 194. (Silêncio) <br />
  195. 195. - Pai Nosso...<br />
  196. 196. Dirigente: Deus, promessa de paz, sede vós mesmo a nossa paz. Transformai nossos critérios de julgamento, nossos valores de pensar e agir. Convertei-nos, nosso Deus e Salvador! <br />
  197. 197. Isso vos pedimos, pelos méritos da paixão e morte de Jesus Cristo, vosso Filho amado e nosso Senhor! Amém. <br />
  198. 198. CANTO<br />Quando o dia da paz renascer Quando o Sol da esperança brilhar, Eu vou cantar<br />Quando o povo nas ruas sorrir e a roseira de novo florir, Eu vou cantar<br />
  199. 199. Quando as cercas caírem no chão<br />Quando as mesas se encherem de pão, Eu vou cantar<br />Quando os muros que cercam os jardins, destruídos então os jasmins vão perfumar<br />
  200. 200. Vai ser tão bonito se ouvir a canção. Cantada de novo no olhar da gente a certeza de irmãos reinado do povo (2x)<br />
  201. 201. Quando as armas da destruição destruídas em cada nação, Eu vou sonhar e o decreto que encerra a opressão assinado só no coração vai triunfar. Quando a voz da verdade se ouvir e a mentira não mais existir será enfim. Tempo novo de eterna justiça sem mais ódio sem sangue ou cobiça vai ser assim.<br />
  202. 202. Vai ser tão bonito se ouvir a canção. Cantada de novo no olhar da gente a certeza de irmãos reinado do povo (2x)<br />
  203. 203. Formatação: Vanessa – Paróquia São Vicente<br />

×