O slideshow foi denunciado.

Jornal CEBS da Diocese de São José dos Campos - SP

3.582 visualizações

Publicada em

Jornal CEBS da Diocese de São José dos Campos - SP

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Jornal CEBS da Diocese de São José dos Campos - SP

  1. 1. CEBs - Informação e Formação para animadores 1 Lá vem o Trem das CEBs... FORMAÇÃO E INFORMAÇÃO PARA ANIMADORES Diocese de São José dos Campos - SP - Informativo das CEBs - Ano VII - Junho de 2011 - Nº 68 Romaria das CEBs, povo de Deus que caminha... “Para nós o intuito é que esta ro- maria esteja dentro das Comunidades Eclesiais de Base como um alimento espiritual, como Nossa Senhora é na vida de todo o povo de Deus. E vie- mos à Casa da Mãe para buscarmos mais força, para que Ela nos ajude neste trabalho.” LEIA + NA PÁGINA 6 2 Palavra do Assessor LEIA + NA PÁGINA 2 Identidade 3 das CEBs LEIA + NA PÁGINA 3 4 Espaço do Animador LEIA + NA PÁGINA 4 Festas 5 Litúrgicas LEIA + NA PÁGINA 5 7 30 anos da Diocese LEIA + NA PÁGINA 7Foto: Bernadete Mota Irá 8 Acontecer LEIA + NA PÁGINA 8
  2. 2. 2 CEBs - Informação e Formação para animadores Palavra do Assessor Foto: Bernadete Mota Estimado(a) Animador(a) de Peque- trabalharmos há anos atrás a questão da sária uma justa distribuição de renda emnas Comunidades, Paz e bem! superação da fome e da miséria. O que nosso “mundão” e em casa. Há um canto do Zé Vicente conhecido foi feito até agora? O que devemos ou po- Partilhar o pão é expressão de irman-por muitos, que afirma, logo no começo, demos fazer a partir desse momento? Sei dade, de solidariedade. São Tiago, em suao seguinte: “A mesa tão grande e vazia que não está tudo resolvido e que a fome carta (2, 1-9), questionou a Comunidadede amor e de paz - de paz! / Aonde há não entra somente na dimensão mate- de seu tempo e nos questiona até hoje:luxo de alguns alegria não há - jamais! / A rial.... Mas sei também que se faz neces- fazer acepção de pessoas numa reuniãomesa da Eucaristia nos quer ensinar - á, á de “irmãos”; Paulo também o faz (1Cor/ que a ordem de Deus, nosso Pai, é o pão 11, 7-19.33), quando alguns celebravampartilhar”, com o refrão: “Pão em todas a Ceia do Senhor, mas viviam acumulan- Baixe os hinos e cânti-as mesas, / da Páscoa a nova certeza: / a do bens, sem distribuí-los. cos dos encontros, nofesta haverá / e o povo a cantar, aleluia! É um grande desafio para nós, mas(2x)”. Tiro para nossa reflexão a expressão é um caminho seguro e necessário para Blog das CEBs:“A mesa da Eucaristia nos quer ensinar gerarmos mais vida (em todos os senti- http://tremdascebs.blogspot.com/que a ordem de Deus, nosso Pai, é o pão dos). Com minhas atitudes pessoais, in-partilhar”. Por quê? Porque estamos cele- dividuais, e com minha participação nabrando nesse mês (dia 23) Corpus Christi, defesa e promoção de políticas públicasa celebração do Corpo e do Sangue do que favoreçam a todos, especialmente os Siga nos no Twitter:Senhor, doado e derramado para a liber- excluídos, é uma resposta de amor e detação da humanidade. fraternidade. Pense nisso e boa celebra- https://twitter.com/tremdascebs E, ao celebrarmos essa liturgia, deve- ção do mistério da Eucaristia.....mos aprender o que o Pai de todos nósnos ensina: o pão partilhar. Lembro quan- Pe. Ronildo - Assessor diocesano das CEBsdo a Igreja, na mesma celebração, propôs Assista aos videos dos principais acontecimen- tos das CEBs, dos encontros de comunidades Dinamizando o Encontro de Comunidade nas paróquias, das Regiões Pastorais... Quem jamais te esqueceria. http://www.youtube.com/user/bernadetecebsO novo Código Florestal esquece qualquer sustentabilidade. Esqueceram do planeta Terra e no dia acordo com o código atual, não se admi- proprietários poderão destruí-las e utili-5 de junho, Dia mundial do Meio Ambien- te nenhuma atividade nelas, econômica zá-las como desejarem e os senhores não http://www.facebook.com/profile.te, vivemos esse triste esquecimento, ou não. Esses locais de preservação per- estarão sujeitos a multas e muito menos, php?id=100001269450280principalmente, dos nossos governantes manente estão em toda a parte, em zo- a suspensão de atividades produtivas.em Brasília, com o projeto de um Novo nas rurais e urbanas e tem a função de Resultado da mudança do Código Flo-Código Florestal, cujo objetivo atenderá garantir a existência de recursos naturais restal, desastres ambientais, escassez desomente aos interesses dos grandes em- essenciais a nós. São exemplos de áreas recursos necessários à manutenção dapresários da agricultura e dos latifundiá- de preservação permanente, as margens vida e, consequentemente, o desequilí- Albuns de fotos:rios, ávidos por lucros e lucros a qualquer de rios, entorno de nascentes, encostas e brio ambiental será devastador.custo, mesmo que as mudanças sejam topos de morro. Diante desse quadro, nós, participan- http://picasaweb.google.com/CEBsMariadesastrosas ao meio ambiente. Não o bastante, há outro aspecto que tes das Comunidades Eclesiais de Base, O Código Florestal é uma das mais querem mudar, é a reserva legal, no atual devemos, em primeiro lugar, ter ciênciaantigas e importantes leis ambientais do Código Florestal, os produtores rurais são de tal fato e lembrar-se da passagempaís e limita bastante a exploração econô- obrigados a manter um percentual de ve- bíblica, “Porque, a quem muito se deu,mica em áreas fundamentais para o equi- getação nativa 80% na Amazônia Legal, muito se exigirá. Quanto mais se confiarlíbrio ecológico, ou seja, barra qualquer 35% no Cerrado e 20% nas demais regi- a alguém, dele mais se há de exigir”( Lu-ação em locais que contenham recursos ões. E a nova lei... Acabará com tudo isso. cas 12- 48, a necessidade da vigilância)naturais necessários para nós vivermos Haverá grandes extensões de terra e começar de alguma forma, por nós, abem. sem ao menos uma nascente, uma en- cobrança, a exigência desses governan- No entanto, para os grandes senho- costa, ou um morro, isso significa mais tes corruptos, elaboradores de um proje-res do agronegócio, o Código Florestal uma triste realidade: Não poderá haver to desumano, preocupados apenas comem vigor não os favorece. Eles não têm mais reserva legal de vegetação em ne- a preservação de seus cargos, violandomais espaços para desmatar, para abrir nhum lugar do país, não precisarão man- o meio ambiente, o povo, com o Novopastagens, plantar soja - inclusive a trans- ter se quer uma única arvorezinha em pé. Código Florestal, esquecendo de nós, es-gênica - eucalipto, vender madeira e es- Além disso, perdão aos desmatado- quecendo da TERRA.pecular com a terra; querem avançar res, e nos lugares onde há reserva legal Cintia Maria Paivasobre as áreas protegidas, áreas que de de vegetação, não precisará mais tê-la, os Equipe diocesana de comunicação das CEBs
  3. 3. CEBs - Informação e Formação para animadores 3 Identidade das CEBs Notícias da CNBB Foto: Divulgação CEBs da América Latina se Reuniram no Chile Aprovadas as novas Diretrizes da Ação Evangelizadora da 13 de maio nomia e liberdade”, acrescentou Padre dre recordou ainda que é preciso dar Igreja no Brasil Concluiu-se na última sexta-feira, dia Vidal. Os compromissos assumidos pelos novo impulso indo ao encontro dos aban-13 de maio, em Santiago do Chile, o en- participantes do encontro destacam a donados, afirmando a opção preferencial A CNBB aprovou, no dia 09 de maio,contro de bispos e delegados das Confe- preocupação com a identidade das CEBs, pelos pobres no mundo urbano e dos jo- as novas Diretrizes da Ação Evangeliza-rências Episcopais da América Latina e sua missão, formação e articulação. vens, nas famílias e testemunhar os valo- dora da Igreja no Brasil (DGAE) para oCaribe, representantes das Comunidades “Nossa referência e raiz são as primei- res do Reino, além do compromisso com quadriênio 2011-2015. O DocumentoEclesiais de Base (CEBs) e a Articulação ras comunidades cristãs; o centro é Jesus a ecologia e defesa da vida. obteve 271 votos dos 274 votantes.Nacional das CEBs. O encontro foi promo- Sobre a formação, Padre Vidal escla- Houve um voto contrário e dois emvido pelo Departamento de Comunhão rece que é preciso assumir o processo branco.Eclesial e Diálogo do Conselho Episcopal formativo no espírito da missão perma- “Evangelizar, a partir de Jesus Cris-Latino-americano e reuniu, desde o dia 9, nente em seus diferentes níveis - paro- to e na força do Espírito Santo, como43 pessoas da Argentina, Bolívia, Brasil, quial, regional, nacional e continental. Igreja discípula, missionária e proféti-Costa Rica, Chile, Equador, México, Nica- Já a comunhão e a articulação visam a ca, alimentada pela Palavra de Deus eragua, Panamá, Paraguai, Peru, República “fortalecer e criar espaços de comunhão pela Eucaristia, à luz da evangélica op-Dominicana, Uruguai e Venezuela. e articulação nas paroquiais, regiões, na- ção preferencial pelos pobres, para que “No primeiro dia nos debruçamos em cional e continental”. O padre lembrou, todos tenham vida (Jo 10,10), rumo aoanalisar a mudança de época na América ainda, a necessidade de continuar a ex- Reino definitivo”.Latina e Caribe”, explicou o padre Vileci periência de comunhão entre Articulação Este é o objetivo geral que abre asVidal, coordenador do 13º Intereclesial Continental de CEBs e o Celam e “que novas Diretrizes cujo texto é dividido emde CEBs, que se realizará em Crato (CE) e sua profecia; a Palavra de Deus nos cada Conferencia Episcopal da América cinco partes, além de uma introdução eem 2014. Ele representou o Brasil junta- alimenta, ilumina e conduz ao compro- Latina e Caribe institua uma coordenação uma conclusão. O Documento tem cer-mente com o Padre Joimar Sella, articula- misso; vivemos a fé na comunidade de de CEBs”. (SP-CNBB) ca de 50 páginas e 130 parágrafos.dor das CEBs no Cone Sul. maneira profética e missionária compro- Veja, abaixo, o esquema geral das “A Igreja hoje na América Latina é metida com a justiça e o bem comum”, Colaboração Maria Matsutacke novas Diretrizesmarcada pela censura entre a moderni- explicou Padre Vidal ao falar do primeiro Fonte: Radio Vaticano OBJETIVO GERALdade e catolicismo, onde a ciência torna- compromisso, a identidade das CEBs. INTRODUÇÃO-se necessária para o alcance da auto- Em relação à missão das CEBs, o pa- I – PARTIR DE JESUS CRISTO II – MARCAS DE NOSSO TEMPO Aconteceu III – URGÊNCIAS NA AÇÃO EVANGELIZA- DORAEncontro Mundial das CEBs Foto: Divulgação 3.1. Igreja em estado permanente de mis- CELAM (ITEPAL), um curso sobre os desa- sãode 31 de março a 09 de abril no Chile fios que as Comunidades de Base enfren- tam no contexto social e eclesial. O curso 3.2. Igreja: casa da iniciação à vida cristã 3.3. Igreja: lugar de animação bíblica da CEBs criarão escola à distância para alunos. será em Bogotá, na Colômbia, nos dias 5 vida e da pastoralformação bíblica e teológica “A escola busca responder a uma das a 25 de setembro deste ano. 3.4. Igreja: comunidade de comunidades A criação de uma escola à distância principais urgências, que é a qualificação Os articuladores das CEBs decidiram 3.5. Igreja a serviço da vida plena para to-para formação bíblica e teológica para de animadores e animadoras das CEBs”, ainda dar continuidade ao processo de dosas CEBs foi uma das decisões tomadas explica o assessor do Mutirão para a Su- fortalecimento das CEBs na América Lati- IV – PERSPECTIVAS DE AÇÃOpelos participantes do 9º Encontro In- peração da Fome e da Miséria, da CNBB, na e Caribe e realizar o 9º Encontro Lati- 4.1. Igreja em permanente estado detercontinental de Articuladores das Co- padre Nelito Dornelas, membro da Equi- no-americano de CEBs, na cidade de São missãomunidades Eclesiais de Base (CEBs), que pe Ampliada das CEBs. Pedro Sula, em Honduras. O evento será 4.2. Igreja: casa da iniciação à vida cristãterminou neste dia 9 de abril , no Chile. Além da Escola, as CEBs promoverão de 16 a 22 de junho de 2012, com vagas 4.3. Igreja: lugar de animação bíblica daA escola terá o nome do arcebispo de El também, em parceria com o Instituto Te- para 200 participantes. vida e da pastoralSalvador, assassinado em 1980, Oscar Ar- ológico de Pastoral Latino-americano do Padre Nelito destacou a reunião no 4.4. Igreja: comunidade de comunidadesnulfo Romero. Chile como momento forte de “oração, 4.5. Igreja a serviço da vida plena para O encontro reuniu, desde 31 de mar- reflexão, estudo, convivência fraterna, todosço, assessores e assessoras das CEBs dos partilha de experiências”. “Foram dez V – INDICAÇÕES DEquatro continentes. Do Brasil participa- dias de profunda atenção aos sinais dos OPERACIONALIZAÇÃOram oito pessoas, representando a CNBB, tempos que o Espírito vem suscitando na 5.1. O plano como fruto de um processoa Equipe Ampliada das CEBs e a articula- Igreja nos últimos cinquenta anos, impul- de planejamentoção do Cone Sul das CEBs. sionados pelo Concílio Vaticano II, a Con- 5.2. Passos metodológicos A Escola Oscar Arnulfo Romero co- ferência de Medellín e os planos de pas- CONCLUSÃO: COMPROMISSO DEmeçará a funcionar em janeiro do pró- toral em cada continente”, conta o padre. UNIDADE NA MISSÃOximo ano e se estenderá até dezembro SIGLASde 2014. Serão abertas vagas para 40 Fonte: CNBB Fonte: CNBB
  4. 4. 4 CEBs - Informação e Formação para animadores45º Dia Mundial das Comunicações 45º Dia Mundial da Comunicação 05 de junho de 2011Verdade, anúncio e autenticidade de vida, na era digital O papa Bento XVI divulgou, no site tribuir para satisfazer o desejo de senti- contato humano direto com as pes-oficial do Vaticano, a Mensagem para 45º do, verdade e unidade que permanece a soas, em todos os níveis da nossaDia Mundial das Comunicações Sociais, aspiração mais profunda do ser humano”, vida”.intitulada “Verdade, anúncio e autentici- destaca o papa. O papa finaliza sua mensagemdade de vida, na era digital”. O papa pede Bento XVI diz que as novas tecnolo- afirmando que a web está contri-que as novas formas de comunicação se- gias estão mudando “não só o modo de buindo para o desenvolvimento dejam utilizadas apenas pensando no bem comunicar, mas a própria comunicação formas novas e mais complexas decoletivo, destacando a verdade na atua- em si mesma. As novas tecnologias per- consciência intelectual e espiritual.ção dos participantes das Redes Sociais e mitem que as pessoas se encontrem para ”Somos chamados a anunciar, nes-principalmente o papel dos jovens na Era além dos confins do espaço e das próprias te campo também, a nossa fé: queDigital. culturas, inaugurando deste modo todo Cristo é Deus, o Salvador do homem “As novas tecnologias da comunica- um novo mundo de potenciais amizades”. e da história, Aquele em quem to- Verdade, anúncio e autenticidade de vida,ção pedem para ser postas ao serviço do O papa faz um alerta, dizendo que “é das as coisas alcançam a sua perfei- na era digitalbem integral da pessoa e da humanidade importante nunca esquecer que o conta- ção (cf. Ef 1, 10)”.inteira. Usadas sabiamente, podem con- to virtual não pode nem deve substituir o Fonte: CNBB Espaço do Animador Dom ZumbíFotos: Bernadete Mota Dia oito de maio passado foi singu- senta para a nossa Igreja um ícone na luta sua homilia, e também nas horaslarmente especial para a comunidade da pela igualdade, justiça e liberdade. Entre de retorno até Aparecida, falou-Paróquia São José Operário, de Jacareí. suas lutas está a luta contra o preconcei- -nos do Cristo que liberta e querPrimeiramente, em todas as suas celebra- to racial, inclusive dentro das Igrejas. Na a igualdade com justiça e liber-ções, a liturgia trouxe a presença da mu- história da resistência aos regimes autori- dade das pessoas. Falou sobre alher, a Mãe: nas leituras e nas místicas! Dia tários no Brasil, ele foi um lutador junta- Pedagogia de Jesus que sempre sedas Mães! E como todas as Mães mere- mente com outros bispos e padres, entre aproximava das pessoas aceitan-cem sempre presentes, esta Comunidade eles Dom Helder Câmara. do-as como elas eram e aí trans-Paroquial recebeu um grande presente: Nas organizações de base e nas pas- formando suas vidas. Nisto Domcelebrar a Eucaristia com o querido Dom torais sociais ele também foi parceiro e Zumbí, de forma didática, disseJosé Maria Pires, o Dom Zumbí. Ele é Bispo companheiro de Pe. José Comblin. Em em sua homilia que Jesus brincavaEmérito da Paraíba e atualmente mora em todos os momentos D. Zumbi se apre- de “esconder” com as pessoas, aBelo Horizonte, Minas Gerais. Pe. Afonso, sentou com grande alegria, vigor físico e quem ele aparecia após sua Res-ao saber da presença de Dom Zumbi na mental. Presenteou-nos a todos com sua surreição: ora se parecia com um49ª Assembléia da CNBB, em Aparecida, o sabedoria e grande vivência pastoral e de jardineiro, ora se parecia com umconvidou para celebrar em sua Comunida- fé. Desde o início da viagem, às 16:00h, viajante, forasteiro ou pescador.de Paroquial. a partir da cidade de Aparecida, durante Conversou conosco sobre as CEBs. Dom Zumbí, com seus 92 anos, repre- as horas que passou na comunidade, em Com muita ternura, seu jeito na- tural de ser, falou das Comunidades Ecle- siais de Base, no seu papel importante de dos anos 70 e 80 e nos dias de hoje. Es- ser Igreja na base. tas realidades marcam muitas diferenças Sobre a identidade das CEBs na forma de ser Igreja hoje. Dom Zumbí, ele nos levou a todos a fazer nosso Deus lhe pague!!! uma analise de conjuntura, refletindo sobre a realida- Paulo José de Oliveira (Paulinho) de social enfrentada pelas Membro da Equipe Diocesana de bases da Igreja nas décadas Comunicação das CEBs.
  5. 5. CEBs - Informação e Formação para animadores 5 Festas Litúrgicas Vida Conjugal Fotos: Bernadete Mota :: PENTECOSTES (At 2,1-11; Sl 103; 1Cor 12,3-7.12-13; Jo 20,19-23) Em Pentecostes, coroa do Ciclo da Páscoa, todosnascemos e renascemos continuamente. Nascemospara a vida no Espírito e renascemos para o projetode Deus, procurando falar a linguagem do Espíritopara o mundo de hoje. Bebendo o mesmo Espíri-to que foi a base da ação e da palavra de Jesus, acomunidade cristã provoca o julgamento de Deus(Evangelho). Reunida pelo Espírito de Jesus, torna--se a epifania de Deus, proclamando suas maravi-lhas (I leitura), levando o projeto de Deus a todos ospovos. Forma o corpo de Cristo e bebe do único Es-pírito. Por isso, na comunidade crista, cada pessoa éum dom do Espírito para formar a comum-unidade(II leitura). Ninguém possui plenamente o Espírito,e ninguém está privado dele. Na união de todos, é que se forma o corpo de Cristo, Casais Bem-aventuradoso templo do Espírito Santo. Bem-aventurados são os casais que continuam carinhosos, considerando e aman- do, mesmo depois que os sinos de núpcias tenham cessado de ressoar. :: SANTÍSSIMA TRINDADE Bem-aventurados são os casais que são corteses e educados uns para com os ou- tros, assim, como são com os amigos. Ó Senhor, eu cantarei, eternamente o vosso Bem-aventurado é o casal que possui senso de humor, para que este atributo seja amor um útil amortecedor de choques. (Ex 34,4-6.8-9; Cânt. Dn 3,52-56; 2Cor 13,11-13; Bem-aventurados são eles quando amam seus cônjuges mais do que qualquer ou- Jo 3,16-18) tra pessoa neste mundo, e que alegremente cumprem seus votos de casamento, de (19/06/2011) viverem fiéis e num cooperativismo mútuo. Festa da Trindade, festa da comunidade! A Trin- Bem-aventurados são eles quando todos os dias agradecem a Deus pelo alimento dade, comunhão perfeita é o ideal da comunidade diário e juntos se assentam para ler a Bíblia e orar em nome de Jesus. crista. A Trindade existe para se relacionar com a Bem-aventurados são os casais que nunca alteram a voz para dirigir-se um para humanidade. Perguntando-nos quem é Deus, te- com o outro, e que fazem do lar um lugar onde nunca se ouve uma palavra desen- mos a resposta de quem é o ser humano. Deus corajadora. é aquele que deseja se encontrar com a comuni- Bem-aventurados são os casais que reservam tempo para juntos irem ao templo de dade, revelando-lhe seu amor e fidelidade, cami- culto, para adorarem a Deus. nhando com ela, abrindo-lhe o acesso à libertação Bem-aventurados são os casais que resolvem seus problemas de ajustamento sem(I leitura) e à vida em plenitude (Evangelho). Aceitar Deus, é possuir a vida, é com- interferência de parentes.prometer-se com Seu projeto de liberdade e vida para todos. O Deus de amor está Bem-aventurados são os casais que possuem controle e entendimento acerca depresente na comunidade crista – o corpo de Cristo – chamando-a à comunhão e so- finanças.lidariedade perfeitas, mediante a comunhão do Espírito (II leitura). A Comunidade Bem-aventurados são os casais que dedicam suas vidas a Cristo e, que constroem oTrinitária é o futuro da comunidade cristã. Só ela pode garantir vida plena, capaz de lar, aplicando diariamente o princípio cristão em suas vidas e na vida dos seus filhos.superar inclusive a morte. Texto da diocese de Caçador. :: CORPUS CHRISTI (23/06/2011) “Quem come deste pão, viverá para sempre” (Dt 8,2-3.14-16; Sl 146; 1Cor 10,16-17; Jo 6,51-58) “Todas as vezes que comemos deste pão e bebe-mos deste cálice, anunciamos, Senhor, a vossa mor-te, enquanto esperamos vossa vinda”. Festa da Eu-caristia, festa de um só pão para um só corpo. Comooutrora, no deserto, Deus alimentou seu povo como maná (I leitura), alimenta-nos hoje com a carne eo sangue do seu Filho, alimento que dura e faz vi-ver para sempre (Evangelho). Eucaristia é comunhãocom o Senhor e com cada membro do Seu corpoeclesial (II leitura). Transformemo-nos naquilo querecebemos. Fonte: Diocese de Caçador
  6. 6. 6 CEBs - Informação e Formação para animadores Fotos: Bernadete Mota Romaria das CEBs reúne oito mil pessoas no Santuário Nacional No domingo, dia quinze de maio últi- Vileci pode ser vista no You Tube:mo, aconteceu a 11ª Romaria Estadual http://www.youtube.com/watch?v=WCg-hdPjj7Udas CEBs, do Regional Sul I da CNBB, em Segundo o assessor das CEBs do esta-Aparecida, cujo tema foi: “CEBs Romeira do de São Paulo e um dos organizadoresna Casa de Maria, em Defesa do Planeta”. da romaria, padre Félix Manoel dos San- O evento teve início com a concentra- tos, a motivação da peregrinação é for-ção às seis horas da manhã, no Porto de talecer a Fé, tendo Nossa Senhora comoItaguaçu, onde houve partilha e orações, modelo. “Para nós o intuito é que estainiciando em seguida a caminhada rumo romaria esteja dentro das comunidadesao Santuário. Às oito horas aconteceu a de base como um alimento espiritual,Celebração Eucarística com transmissão como Nossa Senhora é na vida de todoao vivo pela TV Aparecida e TV Cultura. o povo de Deus. E viemos à Casa da MãeEsta Eucaristia foi presidida por Dom Ray- para buscarmos mais força, para que Elamundo Damasceno, o novo Presidente da nos ajude neste trabalho.” Esta mensa-CNBB, concelebrada por Dom Mauricio gem pode também ser vista em vídeo doGrotto, Pe. Felix Manoel dos Santos e por You Tube:vários outros padres vindos de várias dio- http://www.youtube.com/watch?v=NRbNVkbUto8ceses. Pe. Ronildo Aparecido da Rosa nos- Em síntese, a 11ª Romaria Estadu-so assessor diocesano das CEBs, também al das CEBs, para nossa Diocese, foi umse fez presente. “momento novo”, um encontro e reen-A romaria contou com a presença do pa- contro de muitos animadores de comuni-dre Vileci Vidal, da Diocese de Crato, Cea- dade de todo o estado de São Paulo, umrá. Ele representou o Secretariado Nacio- ardor do compromisso de ser Igreja “na”nal do 13º Intereclesial de CEBs do Brasil, e “com” a comunidade. Sem dúvidas, oque acontecerá em 2014, com o lema: grande fruto da romaria foi ter reforçado“CEBs, Romeira do Reino no Campo e na o compromisso de ser cristão, nos diasCidade”. Ao final da celebração Pe. Vileci atuais, defendendo a vida do Planeta eVidal esteve com membros da equipe de promovendo o Reino.comunicação das CEBs de nossa diocese,momento em que lhe entregamos mate- Maria Bernadete de P. Mota Oliveirariais das CEBs utilizados em nossa dioce- Equipe de Comunicação das CEBsse, juntamente com uma carta da equipe.A mensagem gravada em vídeo por Pe.
  7. 7. CEBs - Informação e Formação para animadores 7 30 ANOS DA DIOCESE DE SÃO JOSé DOS CAMPOS Foto: Bernadete Mota Homilia de Dom Moacir na Missa pelos 30 anos de nossa Diocese Estamos reunidos em torno do altar do pão e nas orações. tornar-se autênticas escolas de oração,do Senhor, celebrando a Eucaristia, pela O ensinamento dos apóstolos não é onde o encontro com Cristo não se ex-qual rendemos graças a Deus, nosso Se- uma mera repetição das palavras de Je- prima apenas em pedidos de ajuda, masnhor pelos 30 anos de nossa querida e sus, mas uma reflexão a partir da Vida e também em ação de graças, louvor, ado-amada Diocese de São José dos Campos, obra de Jesus, que se adapta às diversas ração, contemplação, escuta, afetos dapor todos os dons e graças que Ele der- circunstâncias e ao público a que se diri- alma, até se chegar a um coração verda-ramou sobre esta porção do seu povo ao ge. deiramente apaixonado”.longo desses anos. Para perseverarmos no ensinamento O Evangelho nos apresenta duas Rendemos graças a Deus pelos 30 dos Apóstolos precisamos voltarmo-nos aparições do ressuscitado: uma no diaanos de Ordenação Episcopal do nosso para as fontes, para as palavras do Novo mesmo da ressurreição e outra, oitocaríssimo Cardeal Dom Eusébio Oscar Testamento, sem cair numa mera repeti- dias depois. Isso testemunha para nósScheid, Arcebispo emérito do Rio de Ja- ção, mas acolhendo o seu dinamismo. um fato: desde o dia da ressurreição aneiro e nosso primeiro Bispo Diocesano. A primeira comunidade perseverava comunidade cristã se reúne para encon-São 30 anos de incansável serviço na edi- na comunhão fraterna. A palavra comu- trar-se com o seu Senhor. A comunidadeficação da Igreja de nosso Senhor, a ser- nhão, nos Atos dos Apóstolos, é usada, reunida é o lugar da experiência do Se-viço da construção do Reino de Deus, a antes de tudo, para indicar a comunhão nhor ressuscitado.serviço da salvação das almas. dos fiéis com Cristo. A comunhão dos São João chama a atenção para a Rendemos graças a Deus pelos 25 cristãos com Cristo gera a comunhão en- incredulidade do Apóstolo São Tomé.anos de Ordenação de nossos caríssimos tre eles, a comunhão fraterna. A comu- Será que foi só Tomé que teve dificulda-Diáconos: Hamilton Simões de Souza, nhão com Cristo e a comunhão fraterna de para acreditar na ressurreição? Cer-José Antônio Monteiro de Carvalho (Zico), levam também à comunhão de bens ma- tamente não. No Evangelho de MarcosJosé Arantes Lima, Jurandyr Nogueira da teriais, como testemunha a 1ª leitura. A encontramos a afirmação de que JesusSilva, Mauricio Barbosa Lima, Otilio Rai- comunhão de bens é a expressão natural “censurou-lhes a incredulidade de co- do, na comunidade reunida. Para nós nãomundo de Souza e Orival de Souza Titico. da realidade da fé e a medida do amor ração por não acreditarem nos que o ti- é diferente. É aqui, na comunidade reuni- Rendemos graças a Deus pela Beatifi- a Deus e da união a Cristo, aos irmãos, à nham visto ressuscitado. Em Lc 24,38, Je- da para celebrar a Eucaristia que fazemoscação de João Paulo II, neste dia de hoje. humanidade. sus diz: “Por que estais perturbados e por a experiência do Cristo vivo; é aqui queFoi ele quem criou a nossa Diocese no dia Os primeiros cristãos perseveravam que surgem dúvidas no vosso coração?” partilhamos a fé com os irmãos e, por isso30 de janeiro de 1981 com a Constituição na fração do pão. Fração do pão é a ex- e Mt 28,17 anota “alguns ainda duvida- mesmo, crescemos na fé. A ComunidadeApostólica Qui in Beati Petri; foi ele quem pressão usada para designar a Eucaristia. vam”. Tomé representa todos aqueles é lugar do encontro com Cristo e o lugarnomeou os três primeiros Bispos desta A Ceia eucarística tornou-se o centro da que tiveram ou têm dificuldade para crer da partilha da fé.Diocese. Ele pisou o solo joseense no dia vida comunitária dos cristãos. na ressurreição. Por fim, nosso louvor à Trindade San-4 de julho de 1980, quando ia de Apa- O Beato João Paulo II ao apresentar No tempo em que o Evangelho de ta.recida a Porto Alegre. Agora, glorificado as prioridades pastorais para a Igreja no João foi escrito, já fazia bastante tempo Louvor a Vós Trindade Santa por todasjunto de Deus pedimos que ele continue inicio do novo milênio, nos falou da Eu- que Cristo havia ressuscitado. Em algu- as pessoas que deram o melhor de si naa olhar com carinho para esta Igreja par- caristia dominical, dizendo que é preciso mas comunidades alguns reclamavam construção de nossa história eclesial.ticular de São José dos Campos. dar particular relevo à Eucaristia domini- por não terem visto o Senhor ressuscita- Louvor a Vós Trindade Santa pelos 30 anos de caminhada eclesial, 30 cal e ao próprio domingo, considerando-o do. É por isso que São João nos apresenta nossos dois primeiros Bispos: Dom Eu-anos de evangelização. Percorremos um um dia especial de festa, dia do Senhor Tomé. Com isto João diz para aquelas co- sébio Oscar Scheid, SCJ e Dom Nelsonbonito caminho; muita gente deu sua ressuscitado e do dom do Espírito Santo, munidades e para nós também o seguin- Westrupp, SCJ que com sabedoria, entu-contribuição para este caminhar de nossa como atesta o Evangelho de hoje. te: o Ressuscitado tem uma Vida que não siasmo, fortaleza e muito amor gastaramDiocese. Por isso, coloco sobre este altar Dizia o Papa, desejo insistir em que a pode ser apalpada com as mãos e nem parte de suas vidas conduzindo os desti-e no coração de Deus todas as pessoas participação na Eucaristia seja verdadei- vista com os olhos. Só pode ser objeto da nos desta Igreja Particular.que fizeram acontecer este caminho ecle- ramente, para cada batizado, o coração fé. Isto vale também para os Apóstolos, Louvor a Vós Trindade Santa por to-sial e evangelizador. do domingo: um compromisso irrenun- embora tenham tido uma experiência dos os padres, diáconos, seminaristas, A Palavra de Deus que ouvimos nesta ciável, assumido não só para obedecer a única do Ressuscitado. religiosos e religiosas, por todos os leigoscelebração nos convida a refletir sobre um preceito, mas como necessidade para Onde Tomé encontra a fé? Onde ob- e leigas que, segundo a condição própriaa comunidade como lugar do encontro uma vida cristã verdadeiramente cons- tém a certeza de que Jesus ressuscitou e de cada um, contribuíram na construçãocom o Cristo Ressuscitado, como lugar da ciente e coerente. Ao congregar semanal- está vivo? Na comunidade. desses trinta anos de nossa história.experiência da fé. mente os cristãos como família de Deus à Jesus poderia ter aparecido a Tomé Louvor a Vós Trindade Santa por todos A primeira leitura nos apresenta al- volta da mesa da Palavra e do Pão de vida, num momento em que ele estivesse so- que deram o melhor de si na preparaçãogumas características da primeira comu- a Eucaristia dominical é também o antí- zinho, na oração, face a face com Deus. e realização desta Celebração.nidade cristã; características que somos doto mais natural contra o isolamento; é Mas o Ressuscitado não quer se manifes- Louvor a Vós Trindade Santa por todosconvidados a reproduzi-las em nossa co- o lugar privilegiado onde a comunhão é tar ao individuo isolado, privilegiando um os dons e graças concedidos a esta por-munidade eclesial. Neste nosso aniversá- constantemente anunciada e fomentada. só discípulo ou incentivando-o a guardar ção do vosso Povo ao longo desses trintario de 30 anos, elas nos convidam a um As primeiras comunidades persevera- a fé para si mesmo. Não! Jesus chama anos. Obrigado Trindade Santa. Amém!exame de consciência pessoal e comuni- vam na oração. Nos Atos dos Apóstolos, seus discípulos para que juntos formem atário. a oração acompanha tudo, como na Vida comunidade, o novo povo de Deus, como Dom Moacir Silva A primeira comunidade era perseve- de Jesus. Aqui retomamos as palavras testemunhas do amor fraterno que não Bispo Diocesano de São José dos Camposrante em ouvir o ensinamento dos após- do Beato João Paulo II: “Nossas comuni- pode ser separado do amor a Deus. Fonte: Site da Diocesetolos, na comunhão fraterna, na fração dades, amados irmãos e irmãs, devem Tomé fez a experiência do Ressuscita-
  8. 8. 8 CEBs - Informação e Formação para animadores Reflexão Irá acontecer Quando aceitamos a exploração rumo ao como coisa normal 2º Grito dos Explorar e ser explorado podem ter vi-rado coisas normais. Eis alguns exemplos, Enquanto tem um “tolo” que faz sozi- nho o serviço e se chiar, fazendo de conta Excluídosna família: a exploração do filho ou domarido que acham normal atirar meias que não estamos enxergando, seja em casa, no trabalho, na escola e até mesmo da diocEsEsujas pela casa, jogar toalha molhada em nas coisas da igreja. Pior ainda é quandocima da cama, largar migalhas de pão na enxergamos e abusamos, socando mais dE são josémesa ou no chão, porque a sujeira sem- peso no balaio alheio.pre “desaparece; a exploração da mulherfrívola que não sabe dar o valor ao suor Somos ótimos para reconhecer nos- sos direitos e péssimos para admitir nos- dos camposdo marido e gasta desmedidamente no sos deveres, sejam de cidadãos ou decartão de crédito; a exploração dos paisque obrigam crianças a responsabilidades cristãos. Aceitamos de bom grado as flores 7 de Setembro de 2011demasiadamente pesadas, tirando-lhes o que nos oferecem gratuitamente, mas Participe! não queremos ajudar a cultivá-las. Sacrifício virou coisa de Cristo, nós te- mos horror a essa palavra. Tem gente que diz que só Deus faz coisas de graça, que até a igreja que fa- lam em seu nome cobram... A lei de Ger- son está enraizada em nós que estamos Baile das CEBs 2011 correndo o risco de ir atrás do que é fa- vorável, sem questionar se vem de Deus ou do diabo. 29 de julho de 2011 Horário: a partir das 21h às 2h Viramos adeptos da seita do minmo Haverá esforço e máximo proveito. Local: Nova Era- Av. 23 de Maio, 95 venda Sabemos que o Reino é gratuidade de Vila Maria - São José dos Campos de bebidasdireito à infância; a exploração de irmãos Deus e não mérito de nossa parte. Mas e salgadostiranos, subjugam os mais novos... como Deus nos confiará coisas grandio- no local Adquira o seu No ambiente de trabalho, tem chefeque confunde “ auxiliar de serviços ge- sas, se não somos leais e honestos nas pequenas? Convite: convite com os coordenadoresrais com “desclassificados” e não perce- R$ 10,00 paroquiais.be que por trás do uniforme há um ser Yumi Sakatihumano. Por outro lado, tem funcionário Paróquia N. Sra. do Bonsucesso Realização:descontente que se convence de que ga- Monteiro Lobato Equipe diocesana de coordenação das CEBsnha pouco e, para compensar, torna-se Fonte: Informativo da Paróquia ESTACIONAMENTO GRÁTIS!desonesto. MÃOS NA MASSA 2 copos de açúcar maçãs picadas (previamente deixadas no 3 copos de farinha de trigo suco de limão para não escurecerem) e BOLO DE MAÇÃ 1 colher de sopa de fermento em pó junte as claras batidas em neve. 3 maçãs grandes sem casca picadas Leve ao forno médio previamente Ingredientes: Modo de Fazer aquecido por aproximadamente 1/2 4 ovos Bata as claras em neve separadas; hora, verificando sempre. 3/4 copo de óleo Bata as gemas açúcar e óleo na bate- Polvilhe com açúcar e canela ainda 1 xicara de leite deira junte o resto dos ingredientes, as quente. Expediente: Publicação Mensal das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) da Diocese de São José dos Campos – Diretor: Dom Moacir Silva – Diretor Técnico: Pe. Ronildo Aparecido da Rosa - Jornalista Responsável: Ana Lúcia Zombardi - Mtb 28496 – Equipe de Comunicação das CEBs: Coordenadora: Maria Bernadete P. Mota de Oliveira - Vice Coordenador: Luiz Antonio de Oliveira - Integrantes: Maria Aparecida Matsutacke, Paulo José de Oliveira e Rosana de Paula Rosa - Colaboradores: Madalena das Graças Mota e Celso Correia - Diagramação: Maria Bernadete de Paula Mota Oliveira - Correção: Cintia Maria Paiva - Revisão: Pe. Ronildo - Arte Final, Editoração e Impressão: Katú Editora Gráfica - Tiragem: 6.200 Exemplares Sugestões, críticas, artigos, envie para Bernadete. Fale com a Redação... Av. Ouro Fino, 1.840 - Bosque dos Eucalíptos CEP 12.233-401 - S. J. Campos - SP Esperamos seu contato! E-mail do informativo: tremdascebs@diocesesjc.org.br

×