CEBs e sua pratica na comunidade

2.043 visualizações

Publicada em

CEBs e sua pratica na comunidade

  • Seja o primeiro a comentar

CEBs e sua pratica na comunidade

  1. 1. vjs2012
  2. 2. CEBs e a sua prática na ComunidadeIntrodução Contextualização  Existe uma preocupação da Igreja em falar do Amor de Deus de maneira eficaz, de forma a atingir todas as pessoas em seus ambientes, sem impor-lhes pesos ou alterar a sua cultura.  O Concílio Vaticano II, levou a Igreja a repensar seu modelo de ser, a buscar novos meios de evangelização respeitando as culturas dos povos, o que chamamos de INCULTURAÇÃO;  As Igrejas latino americanas, principalmente a brasileira, conseguiram atender esse apelo conciliar e a CEBs é um modelo hoje admirado por toda a Igreja. vjs2012
  3. 3. CEBs e a sua prática na ComunidadeVer de perto tomar consciência Conforme a Palavra de Deus, “qual é o objeto de toda a Evangelização?” O Ser Humano (as pessoas), que devem ser conhecidas e ajudadas. vjs2012
  4. 4. CEBs e a sua prática na ComunidadeA Pessoa Humana, criação de Deus! O corpo Deve ser recriada e completada A presença O belo Física O feio O agir O raciocínio As sensações Psíquica Os estímulos Os medos A coragem Espiritual É entrega É Perdão É Alegria É busca É desprendimento É esperança e fé vjs2012
  5. 5. CEBs e a sua prática na ComunidadeO Mundo! Fruto de nossas ações Direitos = Todos querem ter SOCIEDADE Dever = Ninguém quer ter SISTEMAS ECONÔMICOS (Bolsa de Valores) INFORMAÇÕES À SERVIÇO DE... ONDE ESTÁ DEUS? Pronto Socorro Religiões Servidor / escravo vjs2012
  6. 6. CEBs e a sua prática na ComunidadeCEBs! jeito eficaz de ser Igreja COMUNIDADE  de por em Comum  de Partilhar  encontrar o melhor para todos ECLESIAL  Unidade com a Igreja de Cristo;  Celebrar juntos;  para Glorificação de Deus;  para Santificação dos Homens; BASE  a partir do povo;  a Palavra sendo semeada;  debaixo para cima. vjs2012
  7. 7. CEBs e a sua prática na ComunidadeNosso campo de missão INDIVIDUALISMO “vencer em nossa rua”  Eu me basto ;  Tenho tudo que necessito. COMODISMO  minha casa, meu paraíso;  não quero ser incomodado. PRECONCEITO  não quero me misturar;  sou diferente e especial;  os outros não são dignos. ISOLAMENTO  medo;  angustia;  vergonha. FALTA DE CHAMADO vjs2012
  8. 8. CEBs e a sua prática na ComunidadeComo realizar essa missão“sair de si mesmo”  O JEITO DE FAZER É O MESMO;  IR ATÉ O SEU VIZINHO;  INICIAR UM RELACIONAMENTO CORDIAL; DEMONSTRAR INTERESSE POR ELE (A);  FALAR DA SUA VIDA COM DEUS;  FALAR DA VIDA COMUNITÁRIA;  CONVIDÁ-LO PARA AS REUNIÕES;  VALORIZAR A SUA PARTICIPAÇÃO;  INTEGRÁ-LO A VIDA PAROQUIAL. SER: SAL, FERMENTO E LUZ PARA AS OUTRAS PESSOAS vjs2012
  9. 9. CEBs e a sua prática na ComunidadeO Método (VER, JULGAR e AGIR) algo que brotou do Espírito Santo VER (ter um olhar crítico)  a realidade humana;  suas necessidades;  suas dificuldades;  suas influências e  seus direitos e deveres. JULGAR (a Luz da Palavra de Deus)  o que está afetando o indivíduo;  o que está afetando a comunidade;  o que deve ser mudado e alterado;  a vida comunitária é primordial. AGIR (a partir do Julgar) vjs2012
  10. 10. CEBs e a sua prática na ComunidadeResultados esperados a partir da base DIÁLOGO (linguagem dos anjos)  quebrar obstáculos e barreiras. INCLUSÃO (inculturação)  fazer parte do Povo de Deus. SOLIDARIEDADE (mão de Deus)  sentir-se instrumento de Deus. FORMAÇÃO (promoção humana)  ser preparado para algo maior. SERVIÇO (a partir do Julgar)  servir a comunidade – ser útil. FRATERNIDADE (participação) TRANSFORMAÇÃO (Salvação) vjs2012
  11. 11. CEBs e a sua prática na ComunidadeA CEBs e a Paróquia Coração de Jesus formação e integração Formou LIDERANÇA; Estruturou as PASTORAIS; Estruturou os MOVIMENTOS; Organizou-se em SETORES; Contribuiu para as VOCAÇÕES; Constituiu uma COMUNIDADE; Formou uma COMUNIDADE SANTA; Somos uma Paróquia MODELO; vjs2012
  12. 12. CEBs e a sua prática na ComunidadeMas, estamos bem? É o melhor que fizemos? Qual é a nossa Motivação? Qual é o nosso Limite? Qual é a nossa Meta? Qual é o nosso Objetivo? vjs2012
  13. 13. CEBs e a sua prática na ComunidadeDe onde vem as CEBs? “modelo que deu certo” Dom Helder “É graça divina começar bem. Graça maior é persistir na caminhada certa. Mas graça das graças é não desistir nunca.” vjs2012
  14. 14. CEBs e a sua prática na ComunidadeProfeta do nosso tempo “lutou com a Igreja e pela Igreja” Dom Hélder Pessoa Câmara OFS (Fortaleza, 07/02/1909 — 27 /08/1999)  Foi Bispo e Arcebispo;  Fundador da CNBB (modelo para a Igreja no mundo);  Participou e Articulou no Concílio Vaticano II;  Defensor dos Direitos Humanos;  Pregação voltada para os pobres e a não-violência;  Indicado quatro vezes para o Prêmio Nobel da Paz;  Reconhecido como o Santo Rebelde. vjs2012
  15. 15. CEBs e a sua prática na ComunidadeProfeta do nosso tempo “alguns Pensamentos”  Não há penitência melhor do que aquela que Deus coloca em nosso caminho todos os dias.  A maneira de ajudar os outros é provar-lhes que eles são capazes de pensar.  Feliz de quem atravessa a vida inteira tendo mil razões para viver. vjs2012
  16. 16. CEBs e a sua prática na ComunidadeProfeta do nosso tempo “alguns Pensamentos”  As pessoas são pesadas demais para serem levadas nos ombros. Levo-as no coração.  Quando dou comida aos pobres, me chamam de santo. Quando pergunto porque eles são pobres, chamam-me de comunista.  Feliz de quem entende que é preciso mudar muito pra ser sempre o mesmo. vjs2012
  17. 17. CEBs e a sua prática na ComunidadeProfeta do nosso tempo vjs2012
  18. 18. CEBs e a sua prática na ComunidadeFinalizando o tema “Deus está na CEBs” “O Amor de Cristo se difunde na CEBs” “O Espírito Santo irradia e transforma na CEBs” Porque então você esta fora da CEBs? vjs2012

×