TRABAHLO SOBRE IRAQUE NOMES: ANA PAULA, MARLISE  DISCIPLINA :GEOGRAFIA  PROF º :LEONARDO  DATA:05/11/09 Pesquisa:wikipédia...
IRAQUE : Sob controle   europeu,surge o nacionalismo.Com o fim do império otomano os europeus traçam fronteiras artificiai...
O  principal recurso econômico do Iraque é a exportação de petróleo. A exploração das ricas jazidas petrolíferas de Kirkuk...
O Iraque é um país de uma cultura espetacular! Bagdá ainda é a cidade das mil e uma noites! Apesar de haver integrantes de...
.  A religião predominante é o Islã. A regiam é dividida entre Sunitas e Xiitas, que guerreiam entre si numa guerra civil ...
-A cultura do Iraque se confunde com a história da Humanidade.  Destaca-se a arte  milenar do artesanato tradicional iraqu...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Iraque

1.536 visualizações

Publicada em

Pesquisa sobre o continente Asiático

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.536
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
21
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Iraque

  1. 1. TRABAHLO SOBRE IRAQUE NOMES: ANA PAULA, MARLISE DISCIPLINA :GEOGRAFIA PROF º :LEONARDO DATA:05/11/09 Pesquisa:wikipédia e livros
  2. 2. IRAQUE : Sob controle europeu,surge o nacionalismo.Com o fim do império otomano os europeus traçam fronteiras artificiais que deixam de lado as reivindicações dos curdos e dos assírios. O império otomano sai da primeira guerra derrotado e passa quase todo (inclusive o Iraque)para o domínio britânico. As revoltas árabes levam á Independência do país,mas não garantem estabilidade política. Após uma série de golpes, Saddam Hussein chega ao poder e instaura uma ditadura com os Opositores. Fim do mandato britânico. O país se torna independente Como monarquia.
  3. 3. O principal recurso econômico do Iraque é a exportação de petróleo. A exploração das ricas jazidas petrolíferas de Kirkuk, Rumayla e Mosul, começou em 1.912, sob o controle da Turkish Petroleum Company. Hoje é o Iraque que produz e comercializa seu petróleo através da Iraqui National Oil Company (nacionalizada em 1.972). A rede conta com importantes oleodutos conectados aos principais portos do Golfo Pérsico e do Líbano. A agricultura (12% do território iraquiano é cultivável) produz trigo, cevada, cana-de-açúcar e arroz (em quantidades insuficientes para o consumo interno, fato que obriga o Iraque a importar grandes quantidades de cereais, produtos lácteos, entre outros). As tâmaras representam um produto importante, bem como o tabaco, o ópio e o algodão. Nas estepes daquele país as criações de gado bovino, ovino, caprino, de búfalos e de camelos. O setor industrial responde pela produção de alimentos preparados, produtos têxteis (lã, algodão e seda), calçados, cigarros, papel, fertilizantes e materiais de construção, este último tem sido responsável pela expansão da construção civil e, portanto, por melhores condições de de 2.007, o Iraque tem reservas da ordem de 115 bilhões de barris. habitação para o povo iraquiano. Na mineração podemos destacar a produção de enxofre e calcário. ‘ Medicamentos e máquinas são produtos que merecem destaque nas importações iraquianas. Para que se tenha uma noção da importância do petróleo na economia daquele país, é preciso ter em mente que o Iraque consome menos de 300.000 barris/dia e produz 2,11 milhões de barris/dia. Segundo estimativas
  4. 4. O Iraque é um país de uma cultura espetacular! Bagdá ainda é a cidade das mil e uma noites! Apesar de haver integrantes de várias religiões no país, ele é dominado melo islamismo. Os hábitos religiosos são muito rígidos e possuem penitencias como forma de purificação da alma, desde “testadas” no chão na hora de orar, até o alto-flagelamento. As mulheres não podem sair se suas casas com o rosto descoberto, dependendo do esposo, ela é obrigada a usar a “barca”, uma espécie de vestido longo que cobre a mulher da cabeça aos pés. Os integrantes do islamismo se dividem em dois grupos: os Xiitas e os Sunitas. Os Sunitas consideram-se descendentes diretos do profeta Maomé, Já os Xiitas não concordam, alegando que o sucessor de Maomé seria Ali, seu genro. E, por causa de tanta divergência numa mesma religião, ocorrem conflitos internos com muita freqüência. Ainda não sei até quando eles irão brigar por causa disso, mas acho que atentados e homens-bomba não resolvem muita coisa.
  5. 5. . A religião predominante é o Islã. A regiam é dividida entre Sunitas e Xiitas, que guerreiam entre si numa guerra civil interminável, só porque um grupo quer provar que são descendentes diretos de Maomé, o grande profeta, e o outro grupo nega as afirmações. Fora esses conflitos internos, as cidades iraquianas são muito bonitas, com uma arquitetura islâmica, tudo feito artesanalmente. Uma alegria só para os olhos. A cultura iraquiana é muito diversificada, graças a formação da cidade de Bagdá. Cidade do conto das mil e uma noites, ela foi planejada para receber visitantes de todo o mundo, para se haver trocas de experiências, hábitos, diversificação cultural em geral. Pena que os EUA estão brincado de achar bombas nucleares e petróleo lá, tornando o Iraque uma das zonas de conflitos mais perigosas do mundo atual. Quem sabe, no dia que a guerra acabar, Bagdá não volte a ser a cidade das mil e um noites?
  6. 6. -A cultura do Iraque se confunde com a história da Humanidade. Destaca-se a arte milenar do artesanato tradicional iraquiano, do qual os melhores exemplos são os tapetes, baseia-se no rico legado da cultura árabe. Além do artesanato, os iraquianos são voltados para a literatura, tanto em prosa como em poesia. Destaca-se o poeta Nazik al- Malaaikah . Na escultura e na pintura sobressaíram Khaled al-Rahhal, Jawad Salim, Akram Shukri e Hafidh al- Durubi . Com o advento da invasão do Iraque pelos estadunidenses, ainda não se tem conhecimento sobre os impactos do conflito sobre os museus e tesouros guardados desde a antiguidade pelo povo iraquiano, mas crê-se que serão grandes. Olhar Brasil Paraty.JPG

×