1 ocupação antrópica - zonas de vertente

6.261 visualizações

Publicada em

0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.261
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
790
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1 ocupação antrópica - zonas de vertente

  1. 1. OCUPAÇÃO ANTRÓPICA ZONAS DE VERTENTE MARGARIDA BARBOSA TEIXEIRA
  2. 2. Ocupação Antrópica2 O crescimento da população gerou a ocupação de grandes áreas da superfície terrestre pelo Homem – Ocupação Antrópica – que acarretou alterações nas paisagens naturais. A ocupação desordenada do território, considerando os espaços urbanos e rurais, acarretou vários impactos negativos ao meio ambiente. Para evitar que a ocupação antrópica acentue cada vez mais os impactos negativos, é necessário definir regras de Ordenamento do Território.
  3. 3. Ocupação Antrópica3 O Ordenamento do Território é o conjunto de processos integrados de organização do espaço biofísico, tendo como objetivo a sua ocupação, utilização e transformação de acordo com as capacidades do referido espaço. A ocupação antrópica gera situações de risco especialmente no que se refere a:  bacias hidrográficas,  zonas costeiras,  zonas de vertente.
  4. 4. Zonas de Vertente4  Causas da alteração das vertentes  Erosão hídrica  desgaste mais ou menos lento e gradual dos solos devido ao impacto da chuva e escoamento das águas ao longo das vertentes.  Movimentos em massa  deslizamento, geralmente brusco e repentino, de uma grande massa de materiais sólidos ao longo de uma vertente.
  5. 5. Zonas de Vertente5  Movimentos em massa  Madeira – Fevereiro 2010
  6. 6. Zonas de Vertente6  Causas dos movimentos em massa  Naturais,  Antrópicos.  Estas causas podem estar relacionadas com:  Fatores condicionantes Condições mais ou menos permanentes que podem favorecer os movimentos em massa;  Fatores desencadeantes Resultam de alterações que foram introduzidas numa vertente e que podem despoletar um movimento em massa.
  7. 7. Zonas de Vertente7 Causas dos movimentos em massa  Fatores condicionantes  Força da gravidade;  Inclinação do terreno;  Contexto geológico;  Caraterísticas geomorfológicas da região.
  8. 8. Zonas de Vertente8 Causas dos movimentos em massa  Fatores desencadeantes  Precipitação - quantidade de água existente no solo,  Sismos,  Tempestades,  Ação antrópica.
  9. 9. Zonas de Vertente9 Causas dos movimentos em massa  Naturais  Força da gravidade  Numa vertente, atuam duas forças opostas:  a gravidade,  o atrito.  A força da gravidade pode ser decomposta em 2 componentes principais:  GN – gravidade normal,  GT – tangencial.
  10. 10. Zonas de Vertente10 Causas dos movimentos em massa  Naturais  Força da gravidade  Forças de resistência (atrito, coesão das partículas…) opõem-se ao movimento, impedindo a movimentação dos materiais.  Quando a força da gravidade “vence” o atrito podem ocorrer movimentos em massa.
  11. 11. Zonas de Vertente11 Causas dos movimentos em massa  Naturais  Força da gravidade  À medida que a inclinação aumenta:  GT aumenta,  GN diminui.  A componente tangencial da gravidade é a responsável pela eventual movimentação.
  12. 12. Zonas de Vertente12 Causas dos movimentos em massa  Naturais  Força da gravidade  Fator de Segurança (FS) = Força de Resistência (FR) / Componente Tangencial (GT)  Movimentos em massa ocorrem quando FS<1,  Ocupação humana só deve ocorrer quando FS>10.
  13. 13. Zonas de Vertente13 Causas dos movimentos em massa  Naturais  Força da gravidade  (FS) = (FR) / (GT)  FS>1  (FS) = (FR) / (GT)  FS>1  (FS) = (FR) / (GT)  FS>1  Fator de Segurança (FS) = Força de Resistência (FR) / Componente Tangencial (GT)
  14. 14. Zonas de Vertente14  Causas dos movimentos em massa  Naturais  Inclinação do terreno • Se o declive da área for muito pronunciado, o risco de ocorrência de um movimento de massa será mais elevado. • São frequentes deslizamentos em vertentes urbanizadas com pendores superiores a 15%.
  15. 15. Zonas de Vertente15  Causas dos movimentos em massa  Naturais  Quantidade de água no solo Se a concentração de água no solo atingir níveis que conduzam à sua saturação, a tensão por ela exercida leva a que as partículas do solo se afastem, criando instabilidade que pode gerar o movimento em massa ao longo da vertente.
  16. 16. Zonas de Vertente16  Causas dos movimentos em massa  Naturais  Contexto geológico • Características litológicas das rochas • Alguns solos contêm grandes quantidades de argilas que, quando molhadas, incorporam moléculas de água na sua estrutura cristalina, aumentando de volume. • Quando secam dá-se o processo inverso, com libertação das moléculas de água e redução de volume. perda das forças de resistência do solo movimento ao longo de uma vertente.
  17. 17. Zonas de Vertente17  Causas dos movimentos em massa  Naturais  Contexto geológico • Disposição no terreno, em particular a orientação e inclinação das camadas, ou da clivagem xistenta - se a inclinação das camadas for paralela à vertente, estas podem funcionar com superfícies de deslizamento, (particularmente se a água entrar ao longo destas superfícies reduzindo a coesão). • Grau de alteração e de fracturação dos materiais rochosos – ao longo das fraturas podem soltar-se blocos e deslizar vertente abaixo.
  18. 18. Zonas de Vertente18  Causas dos movimentos em massa  Naturais  Precipitação • Elevada precipitação durante um curto período de tempo, • Precipitação moderada durante um longo período alteram o equilíbrio em que se encontramos solos e as formações rochosas podem conduzir a movimentos em massa.
  19. 19. Zonas de Vertente19  Causas dos movimentos em massa  Naturais  Sismos e tempestades • Sismos e tempestades poderão atuar sobre formações rochosas que se encontram em posições instáveis conduzindo a movimentos em massa.
  20. 20. Zonas de Vertente20  Causas dos movimentos em massa  Naturais  Incêndios • Os incêndios destroem a vegetação e os sistemas radiculares, enfraquece ndo o solo e tornando-o suscetível à erosão conduzindo a movimentos em massa.
  21. 21. Zonas de Vertente21  Causas dos movimentos em massa  Antrópicas  Destruição da cobertura vegetal dos terrenos, com consequente aumento da erosão do solo;  Remoção, não controlada, de terrenos para urbanização ou abertura de estradas;  Saturação dos terrenos por excesso de irrigação.
  22. 22. Zonas de Vertente22  Causas dos movimentos em massa  Antrópicas  Movimento em massa em Janeiro de 2010, junto à CREL
  23. 23. Zonas de Vertente23  Medidas de prevenção  Medidas de contenção Muro de suporte Pregagem Sistema de drenagem
  24. 24. Zonas de Vertente24  Medidas de prevenção  Medidas de contenção Pregagem
  25. 25. Zonas de Vertente25  Medidas de prevenção  Medidas de remoção As camadas instáveis foram removidas
  26. 26. Zonas de Vertente26  Medidas de prevenção  Estudo das características geológicas e geomorfológicas do local para avaliação do seu potencial de risco;  Elaboração de cartas de risco geológico (evidenciando as áreas com probabilidade de ocorrência de movimentos em massa);  Elaboração de cartas de ordenamento do território (definindo as áreas onde podem ser exercidas as diferentes atividades humanas – zonas habitacionais, zonas agrícolas, vias de comunicação…);  Remoção ou contenção dos materiais geológicos que possam constituir risco.

×