Ppcyb2 t4 alunos_o_publico_eoprivadonociberespaco

293 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Ppcyb2 t4 alunos_o_publico_eoprivadonociberespaco

  1. 1. CIBERCULTURA E COMUNICAÇÃO Tema 4: o público e o privado no ciberespaçoMarcus Vinicius Santos Kucharski, Ed.Ph.D.
  2. 2. Delimitando o assunto• Quais são as esferas pública e privada da sua própria vida? Se fosse traçar um limite representado por uma linha, o que estaria em cada lado?
  3. 3. Paradigma do público x privado • Na sociedade da informação, onde se traça o limite entre vida privada e vida pública? O que define este limite?
  4. 4. Hannah Arendt e a questão do público x privado • Hannah Arendt (1906-1975): filósofa alemã. – “A condição humana” (1958): • Âmbito privado: necessidades biológicas, sobrevivência, perpetuação da vida. • Âmbito público: interações sociais que Surge a terceira esfera: social. extrapolam a condição natural; busca de Seus debates, os assuntos visibilidade e liberdade no mundo. • Primeira questão: a família e suas relações a ela pertinentes não equivalem pertencem a qual âmbito? Por quê? “ao público nem ao privado” • Segunda questão: as interações sociais (VELLOSO, 2008, p.104) realizadas no plano virtual pertencem a qual âmbito? Por quê? • Terceira questão: você concorda com a divisão feita por Arendt ou proporia algo diferente?
  5. 5. Eric Hobsbawm e o século XX• Eric Hobsbawm (1917 - ...): historiador egípcio. – “O Breve Século XX” (2006): • Ausência de nexos articuladores com o passado e de visão prospectiva – origem de um “presente contínuo”. que Parada filosófica: será Hobsbawm se mostranão responde • A razão, hipertrofiada, excessiva- mais, sozinha, às angústias humanas. mente pessimista em relação • Instituições públicas e comportamento à globalização? Você coletivo humano não são capazes de acompanhar a velocidade das concorda com ele? transformações tecnológicas. • A “aldeia global” que se forma muito pouco tem a ver com a conquista de igualdades, mas de mundialização da lógica de consumo.
  6. 6. O ciberespaço: qualidades• Ciberespaço redefine territorialidades: físicas, virtuais, políticas e culturais. Possibilita vivência de multiterritorialidades sem necessidade de movimentação física.• No ciberespaço, predominam as dimensões simbólicas – ou seja, culturais, convencionais – cada vez mais mundializadas.
  7. 7. O ciberespaço: qualidades• Cibercidadão não é mais um cidadão local. Sua subjetividade, no mundo virtual, pode ser escondida ou abertamente publicada conforme os cenários e intenções.• Para Manuel Castells, “o ciberespaço tornou-se agora uma ágora eletrônica global em que a diversidade da divergência humana explode em uma cacofonia de sotaques.” Um espaço de militância!
  8. 8. Etnografia Virtual: uma possibilidade do ciberespaço de existência• Proposição teórica de Christine Hine (2005 e 2008): – o caso Matthew Eappen e Louise Woodward; no Parada filosófica: se – a pressão de grupos ciberespaço as questões locais não têm mais ona Internet, pró e organizados mesmo peso, contra a absolvição; o que justifica a formação de – a culturais específicos nele?grupossentença do juiz Hiller Zobel; – o grupo de estudos da Universidade de Surrey (Inglaterra).
  9. 9. FIM(?)
  10. 10. Ágora grega• Local de reunião dos cidadãos para, em conjunto, discutirem e decidirem o futuro das cidades (pólis). Das Ágoras das Pólis gregas surgiu o conceito atual de política.

×