Lpt2 revisao1

842 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
842
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lpt2 revisao1

  1. 1. Revisão para avaliação do 1° bimestre.Prof. Marcus Vinicius Santos Kucharski, Ed. Ph.D. Leitura e Produção de Textos
  2. 2. A grade das perguntas!Perguntas 1 2 3 4 5 A B C D E Extras
  3. 3. A1Na teoria semiótica de Charles Peirce, o que é um ícone? Dê um exemplo. BÔNUS DE 5 PONTOS!!!
  4. 4. A2Um profissional da linguagem precisa saber a diferenciação básica entre esta e o conceito de língua. Explique onde reside a diferença essencial entre ambos. BÔNUS DE 5 PONTOS!!!
  5. 5. A3Diga o que é e dê um exemplo de variação de registro da língua. BÔNUS DE 5 PONTOS!!!
  6. 6. A4Diga o que é e dê um exemplo de variação regional da língua.
  7. 7. A5Qual o sentido da afirmação deMikhail Bakhtin de que “A língua (...) é única somente como sistema gramatical abstrato de formas normativas, abstraída das percepções ideológicasconcretas que a preenchem e da contínua evolução histórica da linguagem viva”? BÔNUS DE 5 PONTOS!!!
  8. 8. B1Diga o que é e dê um exemplo de variação diacrônica (histórica) da língua. BÔNUS DE 5 PONTOS!!!
  9. 9. B2Na teoria semiótica de Charles Peirce, o que é um índice? Dê um exemplo. BÔNUS DE 5 PONTOS!!!
  10. 10. B3Diga o que é e dê um exemplo de uma variação social da língua. BÔNUS DE 5 PONTOS!!!
  11. 11. B4“A bandeira nacional hasteada é um exemplo claro de índice.” Essa afirmação está correta? Por quê
  12. 12. B5Um apartamento vazio, no mesmo andar que o seu, que de repente começa a ser limpo e pintado de novo pode funcionar, para sua percepção, como um índice. Essa afirmação está correta? Por quê
  13. 13. C1O que caracteriza a função poética da língua, pela teoria de Roman Jakobson? Dê um exemplo. BÔNUS DE 5 PONTOS!!!
  14. 14. C2O que caracteriza a função fática da língua, pela teoria de Roman Jakobson? BÔNUS DE 5 PONTOS!!!
  15. 15. C3Na teoria semiótica de Charles Peirce, o que é um símbolo? Dê um exemplo. BÔNUS DE 5 PONTOS!!!
  16. 16. C4“A hóstia consagrada da Igreja Católica é um exemplo claro de símbolo.” Essa afirmação está correta? Por quê?
  17. 17. C5O que caracteriza a função metalinguística da língua, pela teoria de Roman Jakobson? Dê um exemplo. BÔNUS DE 5 PONTOS!!!
  18. 18. D1Defina o que é um gênero textual. BÔNUS DE 5 PONTOS!!!
  19. 19. D2O que caracteriza a função referencial da língua, pela teoria de Roman Jakobson? Dê um exemplo. BÔNUS DE 5 PONTOS!!!
  20. 20. D3O que caracteriza a função conativa da língua, pela teoria de Roman Jakobson? Dê um exemplo. BÔNUS DE 5 PONTOS!!!
  21. 21. D4O que caracteriza o gênero textual do tipo argumentativo? Cite dois exemplos. BÔNUS DE 5 PONTOS!!!
  22. 22. D5O que caracteriza o gênero textual do tipo expositivo? Cite dois exemplos. BÔNUS DE 5 PONTOS!!!
  23. 23. E1O que caracteriza a função expressiva da língua, pela teoria de Roman Jakobson? Dê um exemplo. BÔNUS DE 5 PONTOS!!!
  24. 24. E2O que são textos de gênero ficcional? Dê dois exemplos.
  25. 25. E3 Virgule adequadamente os períodos abaixo. b. Todas as reservas de acordo com o agente seriam feitas para hotéis de Miami Flórida. c. O que eu digo a você Roberval é que as principais rodovias estarão fechadas.d. Na regra da boa escrita não se deve iniciar um período com pronome oblíquo. e. Quatro em cada cinco atores não fizeram escola profissional de atuação. BÔNUS DE 5 PONTOS!!!
  26. 26. E4O que são textos de gênero de relato? Dê dois exemplos.
  27. 27. E5O que são textos de gênero prescritivo? Dê dois exemplos.
  28. 28. FIM(?)
  29. 29. Atividades extras de revisão.
  30. 30. Considerando uma igrejacomo cenário de análise,cite dois exemplos deícones, índices esímbolos que poderiamser encontradas dentrodela.
  31. 31. A qual gênero textual pertence o trecho abaixo?“Era uma vez uma agulha, que disse a um novelo de linha:- Por que você está com esse ar, toda cheia de si, todaenrolada, para fingir que vale alguma cousa neste mundo?- Deixe-me senhora.- Que a deixe? Que a deixe por quê? Por que lhe digo queestá com um ar insuportável? Repito que sim, e o falareisempre que me der na cabeça.- Que cabeça, senhora? A senhora não é alfinete, é agulha.Agulha não tem cabeça. Que lhe importa o meu ar? (...)”
  32. 32. A qual gênero textual pertence o trecho abaixo?“Todo telespectador tem o direito de:1. Ser informado de modo independente, recebendo osdados necessários para que forme sua própria opinião. (...)Concessão pública, o canal de TV deve estar proibido desonegar fatos de relevância pública evidente (..).2. Estar protegido do sensacionalismo que potencializa aviolência e criminalidade. Ter pleno conhecimento dosdireitos e ter acesso aos mecanismos que os fazem valer sãoatributos básicos da cidadania. (...)”
  33. 33. A qual gênero textual pertence o trecho abaixo?“Sou a favor a redução da maioridade penal, pois os ladrõese assassinos praticam seus atos a sangue frio e podem sermenores de idade. Como no caso de João Hélio, menino de6 anos, morto em um ato brutal praticado por, dentreoutros, um menor.Os infratores justificam seus crimes bárbaros, comnaturalidade, culpando as condições em que foram criadospor seus familiares. No entanto, existem pessoas de famíliashumildes, que mesmo com a criação "livre" que tiveram,tornam-se dignas e trabalhadoras.”
  34. 34. A qual gênero textual pertence o trecho abaixo?“Durante muitos anos de minha vida, eu passei parte das fériasescolares em São José dos Campos, na casinha pequena de meusavós japoneses às margens da Via Dutra. Quase toda a família sereunia por lá nessa época. Muita comida, muitos presentes, muitascadeiras na garagem com gente conversando e vendo a vida passar.Tenho lembranças dos jogos de queimada e vôlei na rua, do rodíziode duas bicicletas para doze primos, do medo de atravessar apassarela de madeira e ferro sobre uma das estradas maismovimentadas do país pra irmos todos juntos "ver o que tem dooutro lado". Os quartinhos da casa se amontoavam de colchões,futons, gibis e malas pelo chão.”
  35. 35. A qual gênero textual pertence o trecho abaixo?O telefone celularA história do celular é recente, mas remonta ao passado –– e às telas decinema. A mãe do telefonemóvel é a austríaca Hedwig Kiesler (mais conhecida pelo nome artístico HedyLamaar), uma atriz de Hollywood que estrelou o clássico Sansão e Dalila (1949).Hedy tinha tudo para virar celebridade, mas pela inteligência. Ela foi casadacom um austríaco nazista fabricante de armas. O que sobrou de uma relaçãodesgastante foi o interesse pela tecnologia. Já nos Estados Unidos, durante aSegunda GuerraMundial, ela soube que alguns torpedos teleguiados da Marinha haviam sidointerceptados por inimigos. Ela ficou intrigada com isso, e teve a ideia: umsistema no qual duas pessoas podiam se comunicar mudando o canal, para quea conversanão fosse interrompida. Era a base dos celulares, patenteada em 1940.”
  36. 36. (UDESC 2008)Identifique a ordem em que os períodos devem aparecer, para que constituam um texto coeso ecoerente. (Texto de Marcelo Marthe: Tatuagem com bobagem. Veja, 05 mar. 2008, p. 86.)I – Elas não são mais feitas em locais precários, e sim em grandes estúdios onde há cuidado coma higiene.II – As técnicas se refinaram: há mais cores disponíveis, os pigmentos são de melhor qualidade eferramentas como o laser tornaram bem mais simples apagar uma tatuagem que já não se quermais.III – Vão longe, enfim, os tempos em que o conceito de tatuagem se resumia à velha âncora demarinheiro.IV – Nos últimos dez ou quinze anos, fazer uma tatuagem deixou de ser símbolo de rebeldia deum estilo de vida marginal .Assinale a alternativa que contém a seqüência correta, em que os períodos devem aparecer.A) II, I, III, IVB) IV, II, III, IC) IV, I, II, IIID) III, I, IV, IIE) I, III, II, IV
  37. 37. (UDESC 2008)Identifique a ordem em que os períodos devem aparecer, para que constituam um texto coeso ecoerente. (Texto de Marcelo Marthe: Tatuagem com bobagem. Veja, 05 mar. 2008, p. 86.)I – Elas não são mais feitas em locais precários, e sim em grandes estúdios onde há cuidado coma higiene.II – As técnicas se refinaram: há mais cores disponíveis, os pigmentos são de melhor qualidade eferramentas como o laser tornaram bem mais simples apagar uma tatuagem que já não se quermais.III – Vão longe, enfim, os tempos em que o conceito de tatuagem se resumia à velha âncora demarinheiro.IV – Nos últimos dez ou quinze anos, fazer uma tatuagem deixou de ser símbolo de rebeldia deum estilo de vida marginal .Assinale a alternativa que contém a seqüência correta, em que os períodos devem aparecer.A) II, I, III, IVB) IV, II, III, IC) IV, I, II, IIID) III, I, IV, IIE) I, III, II, IV
  38. 38. (FCC 2007)O emprego do elemento sublinhado compromete a coerência da frase:A) Cada época tem os adolescentes que merece, pois estes são influenciados pelos valores socialmente dominantes.B) Os jovens perderam a capacidade de sonhar alto, por conseguinte alguns ainda resistem ao pragmatismo moderno.C) Nos tempos modernos, sonhar faz muita falta ao adolescente, bem como alimentar a confiança em sua própria capacidade criativa.D) A menos que se mudem alguns paradigmas culturais, as gerações seguintes serão tão conformistas quanto a atual.E) Há quem fique desanimado com os jovens de hoje, porquanto parece faltar- lhes a capacidade de sonhar mais alto.
  39. 39. (FCC 2007)O emprego do elemento sublinhado compromete a coerência da frase:A) Cada época tem os adolescentes que merece, pois estes são influenciados pelos valores socialmente dominantes.B) Os jovens perderam a capacidade de sonhar alto, por conseguinte alguns ainda resistem ao pragmatismo moderno.C) Nos tempos modernos, sonhar faz muita falta ao adolescente, bem como alimentar a confiança em sua própria capacidade criativa.D) A menos que se mudem alguns paradigmas culturais, as gerações seguintes serão tão conformistas quanto a atual.E) Há quem fique desanimado com os jovens de hoje, porquanto parece faltar- lhes a capacidade de sonhar mais alto.
  40. 40. (UFPR 2010) - Entrou em vigor a lei que converte em presunção de paternidade a recusa dos homensem fazer teste de DNA. Assinale a alternativa cujo texto pode ser concluído coerentemente com essaafirmação. Sara Mendes deu início a um processo na justiça, para que Tiago Costa assuma a paternidade de seu filho Cássio. Tiago não fez o exame de DNA, mas assume como muito provável ser ele o pai do menino. CássioA) alega que o exame não é conclusivo, pois entrou em vigor a lei que converte em presunção de paternidade a recusa dos homens em fazer teste de DNA. Adriano é um rapaz muito presunçoso e não admite que lhe cobrem nada. A namorada lhe pediu um exame de DNA, para esclarecer a paternidade de Amanda, sua filha. Adriano disse que não faria o exame.B) A namorada disse que toda essa presunção serviria para o juiz atestar a paternidade, pois entrou em vigor a lei que converte em presunção de paternidade a recusa dos homens em fazer teste de DNA. Carlos de Almeida responde processo na justiça por não querer reconhecer como seu o filho de Diana Santos, sua ex-namorada. Carlos se recusou a fazer o exame de DNA, o que permite ao juiz lavrar aC) sentença que o indica como pai da criança, porque entrou em vigor a lei que converte em presunção de paternidade a recusa dos homens em fazer teste de DNA. Alessandro presume que Caio seja seu filho. Sugeriu a Telma um exame de DNA. Telma disse não serD) necessário, pois entrou em vigor a lei que converte em presunção de paternidade a recusa dos homens em fazer teste de DNA. Mário e Felipe são primos. Mário é extremamente vaidoso, pretensioso. Felipe é um rapaz calmo e muito simples. Os dois namoraram Teresa na mesma época. Teresa teve uma filha e entrou na justiça paraE) exigir dos dois primos um exame de DNA. O juiz disse que não era necessário, pois entrou em vigor a lei que converte em presunção de paternidade a recusa dos homens em fazer teste de DNA.
  41. 41. (UFPR 2010) - Entrou em vigor a lei que converte em presunção de paternidade a recusa dos homensem fazer teste de DNA. Assinale a alternativa cujo texto pode ser concluído coerentemente com essaafirmação. Sara Mendes deu início a um processo na justiça, para que Tiago Costa assuma a paternidade de seu filho Cássio. Tiago não fez o exame de DNA, mas assume como muito provável ser ele o pai do menino. CássioA) alega que o exame não é conclusivo, pois entrou em vigor a lei que converte em presunção de paternidade a recusa dos homens em fazer teste de DNA. Adriano é um rapaz muito presunçoso e não admite que lhe cobrem nada. A namorada lhe pediu um exame de DNA, para esclarecer a paternidade de Amanda, sua filha. Adriano disse que não faria o exame.B) A namorada disse que toda essa presunção serviria para o juiz atestar a paternidade, pois entrou em vigor a lei que converte em presunção de paternidade a recusa dos homens em fazer teste de DNA. Carlos de Almeida responde processo na justiça por não querer reconhecer como seu o filho de Diana Santos, sua ex-namorada. Carlos se recusou a fazer o exame de DNA, o que permite ao juiz lavrar aC) sentença que o indica como pai da criança, porque entrou em vigor a lei que converte em presunção de paternidade a recusa dos homens em fazer teste de DNA. Alessandro presume que Caio seja seu filho. Sugeriu a Telma um exame de DNA. Telma disse não serD) necessário, pois entrou em vigor a lei que converte em presunção de paternidade a recusa dos homens em fazer teste de DNA. Mário e Felipe são primos. Mário é extremamente vaidoso, pretensioso. Felipe é um rapaz calmo e muito simples. Os dois namoraram Teresa na mesma época. Teresa teve uma filha e entrou na justiça paraE) exigir dos dois primos um exame de DNA. O juiz disse que não era necessário, pois entrou em vigor a lei que converte em presunção de paternidade a recusa dos homens em fazer teste de DNA.
  42. 42. (ENEM 2010: Prova Reaplicada) A biosfera, que reúne todos os ambientesonde se desenvolvem os seres vivos, se divide em unidades menoreschamadas ecossistemas, que podem ser uma floresta, um deserto e até umlago. Um ecossistema tem múltiplos mecanismos que regulam o número deorganismos dentro dele, controlando sua reprodução, crescimento emigrações.(DUARTE, M. O guia dos curiosos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.)Predomina no texto a função da linguagema) emotiva, porque o autor expressa seu sentimento em relação à ecologia.b) fática, porque o texto testa o funcionamento do canal de comunicação.c) poética, porque o texto chama a atenção para os recursos de linguagem,d) conativa, porque o texto procura orientar comportamentos do leitor.e) referencial, porque o texto trata de noções e informações conceituais.
  43. 43. (ENEM 2010: Prova Reaplicada) A biosfera, que reúne todos os ambientesonde se desenvolvem os seres vivos, se divide em unidades menoreschamadas ecossistemas, que podem ser uma floresta, um deserto e até umlago. Um ecossistema tem múltiplos mecanismos que regulam o número deorganismos dentro dele, controlando sua reprodução, crescimento emigrações.(DUARTE, M. O guia dos curiosos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.)Predomina no texto a função da linguagema) emotiva, porque o autor expressa seu sentimento em relação à ecologia.b) fática, porque o texto testa o funcionamento do canal de comunicação.c) poética, porque o texto chama a atenção para os recursos de linguagem,d) conativa, porque o texto procura orientar comportamentos do leitor.e) referencial, porque o texto trata de noções e informações conceituais.
  44. 44. "Vozes dÁfrica" (fragmento)Castro Alves"Deus! Ó Deus! onde estás que não respondes?Em que mundo, em qestrela tu tescondesEmbuçado nos céus?Há dois mil anos te mandei meu grito.Que embalde, desde então, corre o infinito...Onde estás, Senhor meu Deus?...“Responda às seguintes questões:a) Que função da linguagem prevalece nesta estrofe? Por quê?b) O que o emissor comunica ao receptor nesta estrofe?c) Considerando o título do poema, o eu poético representa alguém que tem reivindicações a fazer.Quem?d) Quais são as outras funções da linguagem que aparecem em segundo plano? Exemplifique.
  45. 45. "Vozes dÁfrica" (fragmento)Castro Alves"Deus! Ó Deus! onde estás que não respondes?Em que mundo, em qestrela tu tescondesEmbuçado nos céus?Há dois mil anos te mandei meu grito.Que embalde, desde então, corre o infinito...Onde estás, Senhor meu Deus?...“Responda às seguintes questões:a) Que função da linguagem prevalece nesta estrofe? Por quê?A função poética, pois há um cuidado de construção com o uso de rimas e métrica para criar efeitos.b) O que o emissor comunica ao receptor nesta estrofe?c) Considerando o título do poema, o eu poético representa alguém que tem reivindicações a fazer. Quem?d) Quais são as outras funções da linguagem que aparecem em segundo plano? Exemplifique.
  46. 46. "Vozes dÁfrica" (fragmento)Castro Alves"Deus! Ó Deus! onde estás que não respondes?Em que mundo, em qestrela tu tescondesEmbuçado nos céus?Há dois mil anos te mandei meu grito.Que embalde, desde então, corre o infinito...Onde estás, Senhor meu Deus?...“Responda às seguintes questões:a) Que função da linguagem prevalece nesta estrofe? Por quê?A função poética, pois há um cuidado de construção com o uso de rimas e métrica para criar efeitos.b) O que o emissor comunica ao receptor nesta estrofe?Um lamento de alguém que se encontra sem resposta a um clamor que fez.c) Considerando o título do poema, o eu poético representa alguém que tem reivindicações a fazer. Quem?d) Quais são as outras funções da linguagem que aparecem em segundo plano? Exemplifique.
  47. 47. "Vozes dÁfrica" (fragmento)Castro Alves"Deus! Ó Deus! onde estás que não respondes?Em que mundo, em qestrela tu tescondesEmbuçado nos céus?Há dois mil anos te mandei meu grito.Que embalde, desde então, corre o infinito...Onde estás, Senhor meu Deus?...“Responda às seguintes questões:a) Que função da linguagem prevalece nesta estrofe? Por quê?A função poética, pois há um cuidado de construção com o uso de rimas e métrica para criar efeitos.b) O que o emissor comunica ao receptor nesta estrofe?Um lamento de alguém que se encontra sem resposta a um clamor que fez.c) Considerando o título do poema, o eu poético representa alguém que tem reivindicações a fazer. Quem?Os negros africanos que eram feitos escravos, cujos lamentos pareciam nunca encontrar eco.d) Quais são as outras funções da linguagem que aparecem em segundo plano? Exemplifique.
  48. 48. "Vozes dÁfrica" (fragmento)Castro Alves"Deus! Ó Deus! onde estás que não respondes?Em que mundo, em qestrela tu tescondesEmbuçado nos céus?Há dois mil anos te mandei meu grito.Que embalde, desde então, corre o infinito...Onde estás, Senhor meu Deus?...“Responda às seguintes questões:a) Que função da linguagem prevalece nesta estrofe? Por quê?A função poética, pois há um cuidado de construção com o uso de rimas e métrica para criar efeitos.b) O que o emissor comunica ao receptor nesta estrofe?Um lamento de alguém que se encontra sem resposta a um clamor que fez.c) Considerando o título do poema, o eu poético representa alguém que tem reivindicações a fazer. Quem?Os negros africanos que eram feitos escravos, cujos lamentos pareciam nunca encontrar eco.d) Quais são as outras funções da linguagem que aparecem em segundo plano? Exemplifique.Sob a forma poética, também se veem de forma clara as funções expressiva (lamento em primeira pessoa) e fática(chamamentos a Deus, como que a pedir sua atenção).
  49. 49. FIM(?)

×