Uma reflexão sobre a educação

550 visualizações

Publicada em

www.relvas.com.br

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
550
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
39
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Uma reflexão sobre a educação

  1. 1. Educação: A arte de crescer todos os dias Prof. Marcos Relvas
  2. 2. Tanto o título da palestra como essas reflexões elencadas a seguir foram solicitações dos professores e diretores da Escola Cooperensino de Água Boa-MT onde esses assuntos foram pensados e discutidos. Próximo >>
  3. 3. Reflexões  O que significa Educar nos dias de hoje?  Como trabalhar a ansiedade, a indiferença e a prepotência de alguns pais no processo educativo dos filhos?  Jovens alienados X Jovens dedicados: É possível administrar essas diferenças?  O que os educadores podem fazer para digerir as próprias angústias frente ao processo educacional e pessoal? Próximo >>
  4. 4. Reflexões  Sintomas do adoecimento da escola e dos profissionais. Como resgatar a saúde física e psicológica?  Como fortificar ou resgatar o vínculo entre o jovem e escola?  Como manter o equilíbrio e a qualidade de vida diante de todos esses desafios? Próximo >>
  5. 5. E então.... Quem sabe dar essas respostas? Próximo >>
  6. 6. Como enfrentar essas dificuldades? Próximo >>
  7. 7. Primeiro Cenário – O que está acontecendo com a civilização Os homens não morrem mais por um deus, por uma nação ou por uma ideologia. O homem que está sendo construído, retomando o homem primitivo em algumas oitavas acima, morre pelo outro homem. Por uma ética social e humanística, para defender o seu direito e o direito do outro. Filósofo Frances Luc Ferry. Próximo >>
  8. 8. A civilização de vanguarda tem percebido que cada ser é único e sendo único ele é a medida de todas as coisas. Essa ideia já era defendida pelo pré socrática Protágoras e modernamente organizada por Shopenhauer. Sendo cada um a medida de todas as coisas como viver em sociedade? Próximo >>
  9. 9. Direito e Tolerância Os Estados cada vez mais adotam uma postura laica, relegando a religião para o campo do pessoal de cada um. A medida de todas as coisas. Não existem mais verdades absolutas ditadas por uma divindade ou seu representante na terra, por uma ideologia maniqueísta ou mesmo por sentimento de nação. Próximo >>
  10. 10. Cada um ou mesmo em grupos tem suas verdades e a única forma de conviver é procurar as interseções que você pode encontrar naqueles que tem mais afinidades tolerando através de regras de convivência a parte onde não haja interseção. Essa talvez seja a luz que a nova civilização enxerga para a Paz como bem maior da própria existência da espécie humana. Próximo >>
  11. 11. Trazendo para os nossos questionamentos temos: 1)Como educar nos dias de hoje? 2) Como trabalhar a ansiedade, a indiferença e a prepotência de alguns pais no processo educativo dos filhos? 3) Jovens alienados X Jovens dedicados: É possível administrar essas diferenças? Próximo >>
  12. 12. Alguém acredita que consegue mudar as crianças de hoje, mudar os pais, voltar ao que era antigamente, aplicar as regras antigas de forma de ensinar e de disciplinar? Podemos segregar os alunos dedicados dos alienados? Os inteligentes dos néscios? Os perfeitos dos com deficiência? O Direito construído por nós sociedade estabeleceu pela vontade da maioria que é preciso termos uma sociedade múltipla e tolerante. Próximo >>
  13. 13. Os iluministas lutaram para derrubar o poder monárquico apoiado pela igreja que era interlocutor de Deus que dizia pessoalmente o Direito para criar o que ficou conhecido após a Revolução Francesa como o Estado de Direito, utilizando a máxima de que a Deus não está no soberano, mas está no coração dos homens, logo a vontade da maioria dos homens é a vontade de Deus. Alguns defendem que a Constituição de um país ou até mesmo os Direitos Humanos Universais são a nova bíblia. Próximo >>
  14. 14. Vejam que não estou defendendo essa ideia como sendo a melhor ou aquela que devemos seguir ou apoiar, mas estou fazendo uma análise filosófica do que está acontecendo com a civilização que vem refletir bem aqui dentro de nossa escola, dentro de nossas casas em todos os nossos relacionamentos incluindo com nossos filhos. Próximo >>
  15. 15. Segundo Cenário – Tecnologia e Globalização Associado a isso estamos vivendo a era da informação. Do volume de informações que produzem muita ansiedade. Segundo Alvin Tofler em um livro da década de 70 a humanidade passou pela era agrícola que durou desde que o homem começou a produzir na terra deixando de ser nômade e o poder estava nas mãos de quem tinha terra. Depois com a revolução industrial, na segunda metade do século XIX, a riqueza passou a ser o capital e os bens de capital para produção e o poder passou a ser dos capitalistas. Próximo >>
  16. 16. E segundo ele estávamos passando na segunda metade do século XX para a era da informação, onde tem valor quem tem informação. Há pensadores que defendem que já estamos passando para a era do conhecimento que é onde quem tem poder é quem consegue organizar as informações em conhecimento para obter resultados, posto que as informações isoladas viram produtos comuns com o advento do Google. Próximo >>
  17. 17. Crianças que nasceram no início da década de 90, juntamente com a criação da WWW já nasceramem um mundo interativo. Com a chegada da internet no Brasil ainda estavam pequenos demais para entender que havia um mundo antes da internet e um mundo depois da internet. Para uma criança de 12 ou 15 anos hoje, simplesmente é inconcebível a ideia de um mundo desconectado. É a chamada geração Z Próximo >>
  18. 18. O Google se torna o novo médico e o novo professor. Que não te julga e te responde tudo o que quer saber. O Facebook se torna o seu novo contato com o mundo, e diga-se de passagem, bem divertido. A autoridade do professor se baseava em assimetria de informação, porém, em um mundo em que o professor tem que manter 50 aulas por semana para ter um salário digno não tendo tempo para se atualizar, a informação democratizada pela web se torna o maior tirano da sala de aula. Próximo >>
  19. 19. Antes o professor, bastião do saber em nosso modelo escolar jesuítico, era tratado com o respeito daquele que formava o cidadão. Após o golpe militar com o proposital sucateamento da educação, com os novos tempos de um Brasil com papel global de formador de média gerência e com a internet invadindo a sala de aula e desafiando o saber do professor, o seu papel foi relegado a um repetidor de aulas (ou a melhor expressão seria “vendedor de aulas”? ). Muitas dessas aulas repetidas a exaustão desde a década de 70. Próximo >>
  20. 20. Estamos num mundo novo com seres muito diferentes para serem educados e continuamos utilizando métodos antigos. Essa é uma fórmula explosiva. É verdade. A matemática não mudou. E nem a física. O ponto, contudo, é que a maneira de se comunicar com o aluno mudou. Próximo >>
  21. 21. Um estudante acostumado com a velocidade estonteante entrecortada de um Harry Porter ou com a interação e nivelamento com a realidade a níveis insanos de um MMORPG naturalmente acha uma aula de física tremendamente chata. Diante da realidade enfadonha para onde ele foge: para a web ubíqua, onipresente no seu smartphone em plena sala de aula para o desespero docente. Próximo >>
  22. 22. MMORPG É um jogo de interpretação de personagens online e em massa para múltiplos jogadores (Massively ou Massive Multiplayer Online RolePlaying Game ou Multi massive online Role-Playing Game) ou MMORPG É um jogo de computador e/ou videogame que permite a milhares de jogadores criarem personagens em um mundo virtual dinâmico ao mesmo tempo na Internet. Próximo >>
  23. 23. É o aluno que está errado? É o professor que deve se atualizar e deixar sua aula mais interessante? Ou todo o sistema deve ser reformulado? São perguntas que não parecem ter respostas fáceis. Uma coisa é certa porém, o sistema de ensino tem que mudar para se adaptar a novas maneiras que alunos veem a vida, bem diferente de quando professores frequentaram as mesmas salas de aula e escutaram as mesmas aulas. Próximo >>
  24. 24. Há uma diferença entre o estrategista e o ferramenteiro. Muitos professores, por não se posicionarem como um estrategista em sala de aula – mostrando o caminho – acabam por tentar competir com o aluno no jogo dele, o de ferramenteiro. Saber mexer no Twitter não é papel do professor, mas saber qual o impacto do Twitter em uma sociedade que anseia pela informação rápida e muitas vezes fútil, sim. Para se aprofundar nesse assunto, leia alguns livros do Zygmunt Bauman e o livro “Ansiedade de Informação “. Próximo >>
  25. 25. Saber apertar os botões certos no Facebook não é o papel do professor, mas incitar o pensamento crítico do aluno sobre porque o Facebook cresce tanto sendo uma ferramenta de externalização de nosso desejo de como nós queremos parecer para o mundo, isso sim, é papel do mestre. Fazer com que o aluno cresça como um ser humano e cidadão pensante e crítico é papel do professor. Estudando a paideia – a formação do homem grego – vemos como deveríamos voltar à Grécia antiga para aprender com os antigos mestres. E olha que eles nada sabiam de internet… Próximo >>
  26. 26. Inicialmente, a palavra paideia (de paidos - criança) significava simplesmente "criação de meninos". Mas, como veremos, este significado inicial da palavra está muito longe do elevado sentido que mais tarde adquiriu. A ideia grega de Paideia estava ligada a um ideal de formação educacional, que procurava desenvolver o homem em todas as suas potencialidades, de tal maneira que pudesse ser um melhor cidadão.… Um pedagogo - um escravo, na época - conduzia o jovem, com sua lanterna iluminadora, até os centros ou assembleias, onde ocorriam as discussões que envolviam pensamentos críticos, criativos, resgates de cultura, valorização da experiência dos anciãos etc. Próximo >>
  27. 27. Texto retirado do blog de Conrado Adolpho. Escritor e especialista em Marketing Digital. A geração Z é abordada também pelo educador Hamilton Werneck. Próximo >>
  28. 28. Por mais que haja escolas pedagógicas que defendam que a criança deve brincar com brinquedos simples para ativar a imaginação, deve trabalhar com artes manuais e várias outras ideias consagradas no passado, hoje em casa e em todo seu relacionamento extra classe ela tem contato com tecnologia que a fascina. Próximo >>
  29. 29. A criança de hoje, criou sua própria linguagem, seus brinquedos e seu modo de entender o que é divertido e importante para ela que difere muito da linguagem e das propostas que oferecemos para elas nas salas de aulas com formatos que até mesmo meus pais utilizaram quando estudaram. Será que estudar é estimulante para essas crianças que tem o cérebro acelerado pelo tanto de informações precoces que recebem em todas as áreas, incluindo ainda as questões sexuais. Próximo >>
  30. 30. Aposto como vcs se entediaram com os 10 minutos que eu usei para ensinar sobre Direito para vcs e olha que falei de Direito Constitucional que deveria ser um assunto a interessar para qualquer cidadão, principalmente professores. Vcs podem dizer que a expectativa de vcs era outra, mas e das crianças que vem para escola, qual a expectativa dele? Seria a de aprender da maneira o mais tradicional possível as fórmulas de física para serem decoradas e as regras gramaticais que geram dúvidas até mesmo nos mais letrados professores de português? Próximo >>
  31. 31. É bem verdade que nós professores pegamos alunos oriundos de famílias desestruturadas, famílias que terceirizam a educação dos filhos para babás com baixo nível cultural, para TV e videogames e para escola e não participam da construção de seu caráter e de sua cultura familiar e de seu comportamento. Próximo >>
  32. 32. Outro dia meu filho me chamou e me perguntou o que quer dizer FUDEU. Porque ele ouviu alguns amigos falando e ele não sabia o que era, porque nunca tinha ouvido. Será que esses meninos de 8 anos ouviram essa palavra onde? Em casa, ora pelos irmãos mais velhos, vizinhos ou pelos próprios pais. Criança reproduz na escola o que vivencia em casa. Com exceções é claro. Próximo >>
  33. 33. Sempre dizemos e ouvimos que a escola contribui com 50% da educação de uma criança e os outros 50% cabe aos pais. Seja qual for o percentual mais adequado para essa conta, o fato é que se os pais cumprem ou ultrapassam sua parte ótimo e se não fazem, o que fazer com essas crianças em sala de aula? Solicitamos a transferência para outro professor, para outra sala, pedimos sua expulsão da escola? O fato é que temos que lidar com crianças que não recebem os outros 50% em casa. E a pergunta é: como fazer isso? Próximo >>
  34. 34. Como preencher esse espaço que não é efetiva responsabilidade da escola, com estimular essas crianças a renderem nos estudos de forma a se tornarem pessoas melhores para si e para os que a cercam, como fazer essas crianças interagirem com outras mais equilibradas sem causar desestímulos nesses outros? Esse é um grande desafio e não há uma resposta pronta e acabada para isso. Próximo >>
  35. 35. Cada escola, cada sala de aula terá que construir, em face da personalidade do grupo um sistema dinâmico para conseguir os melhores resultados. O professor do ensino infantil, fundamental e médio é um herói que precisa ser muito mais reconhecido, posto que seu papel é de construtor social e ainda tendo que utilizar materiais inadequados e solo movediço para fundar esses alicerces que poderão mudar ou aprofundar esse quadro de miséria ética, moral, educacional que vivemos em nosso país hoje. Próximo >>
  36. 36. Grande parte de nossas escolas possuem espaços compostos apenas por carteiras, lousa e cortinas. Ou seja, um ambiente pouco estimulante para as crianças e adolescentes de hoje. A inovadora proposta de sala de aula ambiente é pouco utilizada pelas escolas, pois estas não são favoráveis à circulação de alunos de uma sala para a outra ou rejeitam a ideia pelo custo de implantação. Próximo >>
  37. 37. As salas-ambiente são interessantes e funcionam bem, quando implementadas corretamente, pois oferecem mais recursos e estímulos aos alunos. Numa sala-ambiente de História, por exemplo, podemos ter mapas, livros paradidáticos, dvds com filmes temáticos, revistas entre outros recursos. As mesas podem ficar dispostas de forma a facilitar o trabalho em equipe, e não em fileiras, como numa sala tradicional. Próximo >>
  38. 38. As escolas tradicionais ainda trabalham com o sistema que privilegia a quantidade de informação, misturando os conteúdos significativos com os de pouco significado para aquele momento. Questionários são usados para reforçar o conteúdo e as avaliações servem apenas para medir a assimilação destes conteúdos sem se preocupar com sua aplicação na vida prática, como um bem adquirido. Próximo >>
  39. 39. O ideal seria que fossem trabalhados conteúdos significativos para a formação do aluno. Qual conhecimento seria mais importante para um aluno? Conhecer os conflitos políticos na época imperial ou saber como funciona nosso sistema político atual e para que ele serve em nosso dia-a-dia? As atividades deveriam deixar de lado o sistema repetitivo para dar espaço para a criatividade, pesquisa e produção de conhecimentos. Afinal de contas, são estas qualidades exigidas no mercado de trabalho atual. Próximo >>
  40. 40. Além dos conteúdos é necessário que a escola favoreça o desenvolvimento de atitudes positivas, atuando na formação do indivíduo. Respeito, paz, convivência harmônica, solidariedade e princípios de cidadania devem ser levados a sério e incluídos nos programas pedagógicos de forma prática e eficiente. Próximo >>
  41. 41. O que vemos hoje em dia é uma crise na carreira do magistério. Pesquisas indicam a insatisfação de grande parte dos professores e os órgãos públicos apontam uma carência destes profissionais em diversas áreas. Os baixos salários fazem muitos professores trabalharem em duas ou até três escolas. Resultado: professores cansados e com pouco tempo e recursos para fazerem cursos e preparem aulas com qualidade. Próximo >>
  42. 42. A solução passa diretamente pela valorização do magistério, principalmente, com melhores salários. Podemos pegar como exemplo o caso da Coreia do Sul, país onde os professores são bem remunerados, sendo que em contrapartida devem se dedicar exclusivamente a uma escola. Trabalhando em apenas uma escola, o professor pode se envolver mais nas questões pedagógicas e conhecer melhor seus alunos, ganhando tempo para produzir suas aulas e atividades. Assistiram o filme o Triunfo? Próximo >>
  43. 43. Na Coreia do Sul houve um salto significativo na qualidade da educação nas últimas décadas, sendo que o mesmo poderia acontecer com o Brasil, caso houvesse um forte investimento no magistério. Próximo >>
  44. 44. Por fim, de nada adianta a escola trabalhar como uma proposta educacional se a família, no ambiente do lar, fizer o contrário. Os pais devem participar mais da vida escolar dos filhos, colaborando para o aprendizado e crescimento dos alunos. Cabe às escolas criarem espaços e sistemas para incluir os pais no processo educativo. Família e escola, trabalhando juntos, podem garantir melhores resultados na educação Próximo >>
  45. 45. Terceiro Cenário – Como se posicionar individualmente nesses cenários Como você se relaciona com tudo isso, com seus colegas, alunos e consigo mesmo? Próximo >>
  46. 46. O professor e talvez qualquer profissional, de hoje só consegue enfrentar todo esse quadro que não há respostas certas e fórmulas apropriadas se faz o que gosta, o que ama e tem orgulho de fazer e sente amor e orgulho de si mesmo por fazer o que faz. Ouvi num congresso após o palestrante perguntar: Você gosta do que faz? Uma professora atrás sussurrou com a colega. Sim eu amo. Em seguida a palestrante perguntou: e o que vc mais deseja na vida. Ela distraída cochichou: aposentar. Próximo >>
  47. 47. A energia que nos anima receberam vários nomes pelos filósofos que a estudaram: Gregos - Entusiasmo Freud – Libido Shopenhauer – Vontade Nietzche - Vontade potência Spinoza – Potência de agir Próximo >>
  48. 48. É a partir dessa premissa que seguindo a palestra do Professor Ribamar Monteiro do Sistema Geo vou fazer algumas considerações em relação a essa nova escola que estamos construindo. Próximo >>
  49. 49. Antes de seguir responda para você mesmo: Se você ganhasse na loteria e pudesse escolher um lugar para viver, um local para trabalhar ou até mesmo um marido ou esposa para conviver, você continuariam morando em Água Boa, estaria dando aulas (mesmo que em menor quantidade) e continuaria casado ou casada com a mesma pessoa? Pense nisso. Próximo >>
  50. 50. Tudo aquilo que merece ser feito, merece ser bem feito. Os encontros com as crianças na escola são marcantes? O aluno sai da sala com o desejo de te reencontrar? Se ele tem vontade de te deletar... Reflita. O conteúdo da aula tem que ser encantador mas o comportamento encantador só ocorre se houver amor. Você ama seus meninos?
  51. 51. Aquilo que não lhe dá prazer, faz sofrer.
  52. 52. Busque estes pilares para sua carreira e sua escola
  53. 53. O TEMPO DOS AMADORES CHEGOU AO FIM. CHEGOU A HORA DOS PROFISSIONAIS.
  54. 54. Respeito à hierarquia e Função bem compreendida Se a equipe reconhece os seus líderes e cumprem com as suas atividades, estas atitudes elevam qualidade.
  55. 55. Normas são para todos e têm que ser cumpridas
  56. 56. Reflexão ORGANIZAÇÕES DESAJUSTADAS SE DESTROEM DE DENTRO PARA FORA.
  57. 57. “Nunca confunda atividade, burocracia com resultados” “Não há nada mais inútil do que fazer de forma eficiente o que não deveria nem ser feito.” Peter Drucker
  58. 58. Da abertura ao encerramento: O que cada ator precisa cumprir com excelência para a escola ter resultados
  59. 59. 1. Diretor e coordenador precisam receber os alunos, professores e pais; 2. Diretor tem que chegar fiscalizando desde a segurança; 3. Organize o trânsito em frente à escola; 4. Adote uma pracinha nas suas proximidades; 5. Acompanhe os retardatários(professores e alunos); 6. Ligue para os faltosos;
  60. 60. 7. Deixe de fazer chamada em sala de aula, use catracas que faz este papel com muita eficiência e ainda gera vários relatórios; 8. Não descuide do registro dos conteúdos para gerar a agenda on line; 9. Exija fardamento (alunos, professores e técnicos): 10. Prova tem que sair no horário e sem erros; 11. Gabaritos e boletins sem erros.
  61. 61. Quais as suas verdades
  62. 62. Erros mais frequentes • Faltas; • Correção de provas em sala de aula; • Ausência do papel de educador; • Atrasos na gráfica (prazos /provas /correções); • Erros na elaboração de provas; • Erros nos gabaritos e notas; • Atrasos nas aulas; • Tratamento diferenciado; • Uso de gírias e palavrões; • Fumar na escola; • Visual do funcionário (farda, barba, cabelo etc.).
  63. 63. • A primeira tarefa da educação é ensinar a ver, especialmente os humildes. • Cumprimentar e respeitar o varredor de rua, a pessoa que cuida da limpeza da escola e outros. • O óbvio só é óbvio para um olhar preparado. Erros que para alguém é óbvio para quem não sabe é dramático. Isso acontece com nossas alunos e filhos. • Exemplo é fundamental. Escolha alguém para se espelhar.
  64. 64. • O simbolismo dá alegra a vida. • Eles são detalhes. • A diferença de uma escola de sucesso e outra que fecha na mesma cidade está nos detalhes.
  65. 65. Mapeamento e monitoramento de sala é hoje uma necessidade
  66. 66. Intervalo de escola tem que ser um momento mágico Cuide do lanche dos professores Crie momentos culturais e de desafios
  67. 67. Escola tem que transpirar cultura Salas de aula nomeadas com autores literários Toque através de música
  68. 68. Avaliação não pode se encerrar nela mesma
  69. 69. As características das pessoas de sucesso Leitura é fundamental Falar bem
  70. 70. Acompanhamento de conteúdos
  71. 71. Programa rigoroso de formação continuada
  72. 72. Cuidado com as gambiarras na escola
  73. 73. 3 sugestões para viver feliz 1)Trabalhe como se não precisasse do dinheiro 2)Ame como se você nunca tivesse sido magoado 3)Dance como se ninguém estivesse olhando
  74. 74. Mas tudo isso só será possível se eu... Acreditar!
  75. 75. Assuma riscos
  76. 76. Reflexão Todos somos alunos. Todos somos professores.
  77. 77. Contatos marcos@relvas.com.br Fone: (66) 8109-3333 Obrigado!

×