AS FASES DO LUTO
Elisabeth Kubler - Ross
MARCOS NATAL DOS SANTOS
PSICÓLOGO
CRP 06/ 115020
LUTO
O luto é uma reação emocional a uma perda significativa. É um processo natural e
um modo de recuperação emocional fac...
DIFICULDADES
Negação e dificuldade em lidar com o tema,
pois nos leva a pensar em nossas dores e em
nossa própria morte.
P...
AS FASES DO LUTO
Negação e isolamento
Raiva
Barganha
Depressão
Aceitação
Estágios nem sempre ocorrem nessa ordem, nem toda...
NEGAÇÃO E
ISOLAMENTO
Negação do que está acontecendo. Defesa
contra a dor da perda.
Necessidade de se isolar
Intensidade e...
RAIVA
Não é mais possível negar e se isolar.
Sentimento de raiva pelo que está
acontecendo.
Os relacionamentos se tornam d...
BARGANHA
Percepção de que a raiva não resolve a
situação.
Tentativa de negociação com o que se julga
ser o responsável pel...
DEPRESSÃO
Tristeza, desolamento, culpa, desesperança e medo
são sentimentos comuns.
Percepção de que a revolta e a barganh...
ACEITAÇÃO
A pessoa não nega a realidade e não se desespera.
Enfrentamento da situação com dignidade e
consciência das poss...
LIDANDO COM O
LUTO
Necessidade de diálogo e escuta.
Esperança de cura.
Esperança de vida após a morte.
Esperança de reenco...
LIDANDO COM O
LUTO
Sentimento de culpa por achar que não fez o
suficiente pela pessoa que faleceu
Crianças podem se sentir...
FIM
OBRIGADO!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

As fases do luto

4.091 visualizações

Publicada em

As fases do luto segundo Elisabeth Kubler-Ross

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.091
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
305
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

As fases do luto

  1. 1. AS FASES DO LUTO Elisabeth Kubler - Ross MARCOS NATAL DOS SANTOS PSICÓLOGO CRP 06/ 115020
  2. 2. LUTO O luto é uma reação emocional a uma perda significativa. É um processo natural e um modo de recuperação emocional face à perda. - morte de alguém - fim de um relacionamento. - alguém próximo com doença crônica ou emocional. - perda de um emprego, segurança econômica ou curso que gostava - morte de um animal de estimação. - mudança negativa em relação à saúde física ou mental.
  3. 3. DIFICULDADES Negação e dificuldade em lidar com o tema, pois nos leva a pensar em nossas dores e em nossa própria morte. Pessoas não morrem mais em casa, mas nos hospitais, longe dos olhos dos familiares.
  4. 4. AS FASES DO LUTO Negação e isolamento Raiva Barganha Depressão Aceitação Estágios nem sempre ocorrem nessa ordem, nem todas são experimentados, mas pelo dois as pessoas irão vivenciar.
  5. 5. NEGAÇÃO E ISOLAMENTO Negação do que está acontecendo. Defesa contra a dor da perda. Necessidade de se isolar Intensidade e duração depende a importância da perda, de como a pessoa e os outros ao redor sofrem Essa fase não persiste por muito tempo.
  6. 6. RAIVA Não é mais possível negar e se isolar. Sentimento de raiva pelo que está acontecendo. Os relacionamentos se tornam difícies e o ambiente passa a ser hostilizado. Surgem também sentimentos de revolta, inveja e ressentimento.
  7. 7. BARGANHA Percepção de que a raiva não resolve a situação. Tentativa de negociação com o que se julga ser o responsável pela situação. Promessas e pactos, muitas vezes em segredo, são muito comuns nessa fase.
  8. 8. DEPRESSÃO Tristeza, desolamento, culpa, desesperança e medo são sentimentos comuns. Percepção de que a revolta e a barganha não resolveram. Consciência da debilidade física. Sentimento de que há muitas coisas a serem resolvidas.
  9. 9. ACEITAÇÃO A pessoa não nega a realidade e não se desespera. Enfrentamento da situação com dignidade e consciência das possibilidades e limitações. Sentimento de paz, mas não de felicidade. Sensação de dever cumprido.
  10. 10. LIDANDO COM O LUTO Necessidade de diálogo e escuta. Esperança de cura. Esperança de vida após a morte. Esperança de reencontrar pessoas queridas já falecidas. Rituais como velório e enterro ajudam na elaboração e aceitação da perda.
  11. 11. LIDANDO COM O LUTO Sentimento de culpa por achar que não fez o suficiente pela pessoa que faleceu Crianças podem se sentir culpadas quando os pais ou irmãos morrem. Ajuda profissional caso o luto não seja elaborado ou persista por muito tempo.
  12. 12. FIM OBRIGADO!

×